~FireboltViolet4 - Clan Dragon

FireboltViolet4
Aayrine I Scalie
Nome: Bianca Bispo I Marida e mãe I Animatronica I Romioner I Sra. Dreemurr I Esposa do Spring
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: São Paulo, São Paulo, Brasil
Aniversário: 7 de Fevereiro
Idade: 22
Cadastro:

SESSÃO NOSTALGIA: ILHA RÁ-TIM-BUM


Postado



Seja na televisão, no cantarolar de algum primo ou irmão mais velho, ou até mesmo no nosso querido Youtube. Provavelmente quase todo mundo já ouviu essa música ou um trecho dela.

A sessão nostálgica de hoje vai homenagear uma das séries brasileiras que mais caiu no gosto do público infantil, precursora de outros vários sucessos da época e sucessos atuais.

Afinal, quem já não se pegou lembrando de uma das melhores produções da TV Cultura desde Castelo Rá-Tim-Bum? <3

Ilha Rá-Tim-Bum foi um seriado criado por Flávio de Souza em 2001, e começou a ser exibido pela TV Cultura entre 1 de julho e 10 de dezembro de 2002, sendo reprisado, algum tempo depois, entre 2003 e 2006, no mesmo canal. Toda a produção comeu nada menos do que 10 milhões de reais, o que daria pra fazer um filme de Harry Potter - e ainda sobrava dinheiro pra uma Ferrari O_O

Apesar de abrir mão de toda e qualquer base científica e geográfica, a série foi sucesso imediato entre as crianças, justamente pro seu conteúdo envolto em fantasia, com personagens cativantes e uma história em linha cronológica - ao contrário do antecessor, Castelo Rá-Tim-Bum, cujos episódios eram quase sempre independentes entre si.

A história girava em torno de três adolescentes e duas crianças que iam participar de uma apresentação de seu coral em uma ilha. Porém, devido á um acidente, iam parar numa ilha deserta, que além de não existir no mapa, era habitada por seres fantásticos.

A série ainda rendeu um filme, O Martelo de Vulcano , de 2003, que, apesar de ter um enredo um tanto mais fraco do que o do seriado, foi o primeiro filme brasileiro a usar modelagem 3D e um pioneiro na alta definição do cinema no Brasil, o que garantiu alguns méritos á película.

Bem, que tal a gente refrescar a cabeça e lembrar de alguns personagens?



JOVENS




* Gigante: era o mais velho e líder da turma. Tinha uma queda do tamanho de um penhasco pela Rouxinol (e carai, se eu fosse lésbica, até eu teria tido!). Lembro até hoje do bordão que ele usava toda vez que se irritava... "É fogo, torcida brasileira!"

* Rouxinol: a mais velha depois de Gigante - que era seu crush-penhasco - uma viciada em bombons, a personagem favorita das meninas - principalmente depois que descobrem que a menina é uma bruxa - e amiga da cobra peluda Susana (vulgo mãe das falsianes de programa infantil)

* Majestade: como o apelido diz, uma menina mandona que nasceu no país errado, já que quer ser rainha de algum cafundó por aí (e até consegue por um tempo, virando a casaca e ficando do lado dos vilões). A frase pela qual ficou famosa virou até expressão popular: "me inclua fora dessa".

* Raio: melhor amigo de Micróbio, um eterno sonhador, que queria desesperadamente ser o senpai de Polca. Sonha em ser repórter um dia.

* Micróbio: o mais novo, o mais fofucho e o mais inteligente. Irmão de Rouxinol e dono daquela enciclopédia digital que toda criança dos anos 2000 sonhou em ter, o computadorzinho com todas as respostas do mundo.


DEMAIS PRINCIPAIS


* Hipácia é a personagem "mãezona" da história. Uma feiticeira com mais de 3000 anos de idade, que, junto do feiticeiro Arelibã, fez experimentos para tornar o mundo um lugar melhor. Uma das experiências criou Nefasto, o vilão, que matou Arelibã e deixou a pobre mulher depressiva até a chegada das crianças.

* Nefasto: como toda boa história tem que ter um felo da pouta que ferra a vida dos mocinhos, aqui está. Apesar de sua identidade original ser do próprio feiticeiro Arelibã, Nefasto é - literalmente - uma bactéria subdesenvolvida, com planos de dominação do mundo. A desgraça só não morre por que Hipácia lhe dá uma poção rejuvenescedora (todo mundo sabe que bactéria não dura muito, né?)

*Solek: cara, quem não lembra do lagarto humanóide que vivia se referindo a si mesmo na terceira pessoa? Eu adorava aquele bicho... e todo mundo chorou quando ele morreu no fim do seriado que eu sei ;-:

*Polca: depois da Rouxinol, a personagem feminina que o povo mais gostava. No começo era uma lagarta humanoide emplumada, serva de Nefasto, que queria prejudicar o povo bonzinho. Mas depois que se transforma em uma - DIVONICA - libélula, vira amiga dos heróis. E eu simplesmente queria ser a Polca de qualquer forma *-*

*Zabumba: colega de Polca e também servo de Nefasto, um zangão humanoide mais irritante que frieira no pé em dia de calor. O típico FDP inútil da história.

*Susana:cobra falsiane que, apesar de bonitinha, nada mais é do que, literalmente, um fantoche de Nefasto (trauma eterno do episódio em que ela dá pau :P)

*Coiso, Coisa e Coisinho: o que dizer? Eles eram umas... coisas! E Coisinho era meio retardado. Sério o-O

*Nhã-Nhã-Nhã: uma aranha humanóide que ama contar histórias, e fica fula quando não prestam atenção, amarrando as pessoas em sua teia e as aterrorizando, falando de um jeito meigo quando tudo que a gente quer é sair dali...

O que me lembra de alguém muito parecida...


Eres tu, satanais?


Aliás, parando pra pensar, vocês conhecem OUTRA história que tem uma figura maternal poderosa, uma aranha cheia das desfeitas, um vilão que no início era do bem, uma figura fofinha que é cruel, uma pessoa que tenta matar o protagonista de início, mas pode virar sua amiga, e um personagem principal que é bem jovem?



UÉ.

Mas deixa quieto, né.

Bom, essa foi nossa sessão nostálgica de hoje :D

O que acharam? Querem mais? Deem sugestões para novas matérias!


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...