~KaahHunter

KaahHunter
Nome: Kaka
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 2 de Fevereiro
Cadastro:

A doce infelicidade da vida.


Postado

A doce infelicidade da vida.

"Acho pouco provável"
Lembra da época em que você se achava inteligente? Quando na verdade não sabia de nada?
Isso é engraçado, e um pouco talvez muito patético.
Talvez eu pegue uma camiseta e estampe nela "Eu não sou feliz", provavelmente diriam que eu tinha estilo.

É estranho falar sobre os dias em que você não está bem.
É estranho lembrar da época em que você gostava de escrever porque achava que era boa nisso.
A época em que você tinha razão pra escrever
Tinha alguém que fosse ler
É estranho lembrar do tempo em que você achava ser boa em muitas coisas
É estranho perceber que nada daquelas coisas você sabia realmente fazer
Fazer bem
Elas não te faziam bem
É estranho lembrar da época em que você sorria por tudo
Um sorriso verdadeiro
Não um sorriso que servia de máscara
Para que ninguém percebesse o quanto você estava mal
É estranho pensar que agora você nem se importa mais
Se te verem chorando, ou sorrindo. Pra você tanto faz.
É estranho lembrar-me da época em que eu tinha vontade de defender o que eu achava certo
Quando eu achava que aquilo poderia mudar o mundo
Quando eu achava que poderia fazer a diferença.
É estranho lembrar de quando eu tinha planos
Objetivos
Ambição
Onde foram parar?
Por que tudo ficou tão estranho?
Você perdeu tudo?
Não.
Algumas pessoas diriam que eu tenho a vida perfeita
Sou saudável
Tenho uma família saudável
Eu não passo fome
Tenho até wifi
E um ps3
E um smartphone dahora
Sabe o que mais?
Eu tenho o amor dos meus pais
A proteção deles
Por que isso não basta?
Por que será que a EU não entende isso?
Que nao deu. Simplesmente não deu.
"Haverá outras oportunidades" eles disseram.
Disseram isso quando eu estava lá no fundo do poço, quando eu estava realmente péssima
Mas agora que eu fingi que consegui sair
Que consegui subir
Eles não dizem mais nada
Porque eles estão vendo que eu perdi
Perdi a grande guerra que você trava consigo mesmo
Eu perdi
Perdi pra garota que acha que Deus não existe
Perdi pra garota que cansou de esperar os alienígenas aparecerem
Perdi pra garota que se conformou que unicórnios não existem
Que os deuses nórdicos são só divindades criadas por um povo que não tinha nada mais em quê acreditar
Sereias
Ou o chupacabra
Monstro do lago Ness
Elfos
Magia...
Todos criados por pessoas que não tinham mais onde depositar suas esperanças.
Assim como eu
Mas eu não tenho como criar, uma criatura pra mim.
Não saberia por onde começar
Então é melhor eu voltar...

Eu perdi
Estou perdida
E sinceramente não acho que exista uma saída
Não me importaria em partir
Apesar de saber que depois disso não teria nada
Além de escuridão
Não iria ter Valhala
Ou o Eden
Ou até mesmo um céu onde teriam 70 mulheres pra cada homem,
E uma pia de louça suja para cada mulher
É isso
Era disso que eu estava falando
Piadas como essa não me atingem mais
Não tenho mais vontade de lutar pelo o que eu acho ser certo
Porque agora eu sei que não faz diferença
Minha mãe estava certa quando dizia que não adianta pesquisar o passado dos políticos antes de votar
Ou até mesmo
Fazer protesto contra a corrupção
Não iria adiantar
Porque o mundo já era, a humanidade já era, está tudo perdido.
Não há mais causas limpas para se lutar
Eu perdi
Perdi a grande guerra
E o que eu vou levar disso?
Uma saga de sete filmes de uma fantasia/romance espacial em que o vilão é o pai do mocinho.
Obrigada George Lucas.
O que mais?
Uma trilogia sobre seres tipo Hobbits, Elfos e Orcs que provavelmente nunca existiram.
Valeu Mestre Tolkien
O que?
Além de filmes e livros? O que eu vou levar?
Você nem me deixou citar a J.K.Rowling
Tudo bem
O que eu vou levar?
A época em que eu brincava com a minha irmã mais velha
A época em que ela ainda brincava comigo
A época antes de ela ir embora
Lembra? É claro que lembra.
Lembra quando você ficava até tarde assistindo com seu irmão um desenho animado sem noção de uma galha azul e um guaxinim? Vocês ficavam até tarde comendo bolacha com leite, vendo coisas que nunca aconteceriam na vida real.
Eu lembro. Lembro-me de tudo.
De quando eu briguei com meu pai, e foi feio, foi horrível.
Lembro como aquilo abalou minha mãe
Lembro que foi quando eu finalmente percebi que meu irmãozinho havia crescido
Lembro como eu me senti a pior pessoa do mundo por discutir com o único homem que me amava e que sempre vai me amar de verdade
O único que daria a vida por mim.
Mas eu sempre odiei a época em que eu via meu pai
Brigando com a minha mãe
Porque um cara tinha olhado pra ela
Talvez esse seja o ultimo motivo concreto que ainda me resta pra eu não pegar o trem de parada única
Ou talvez porque esse ano sai o novo filme do mundo mágico de Harry Potter.
Eu não saberia dizer
Talvez há uns quatro anos atrás
Eu saberia responder
Porque naquela época
Eu tinha algumas razões verdadeiras pra não desistir
Agora eu sou só uma garota ingrata
Que não aprecia a boa vida que tem
Não aprecia a família que tem
"Existem pessoas que não tem mais os pais por perto".
A garota que não aprecia a comida que tem na mesa
"Existem pessoas passando fome na África"
Ela não aprecia a boa saúde dada pelo Senhor
"Existem pessoas que estão morrendo de câncer"
Não aprecia a educação que teve
"Existem pessoas que não tiveram as mesmas oportunidades"
Por quê?
Por que a infelicidade bate na porta da pessoa que tem mais motivos pra ser feliz?
Por quê?
Por que uma pessoa desiste na primeira vez que erra?
Por quê?
Por que as pessoas comem porco e sentem pena quando maltratam um cachorro?
Por que as mulheres são estupradas?
Por que as pessoas são assassinadas?
Por que existe o fanatismo?
Por que as estrelas brilham?
Por que eu nunca vi um alienígena?
Por que meus pais brigam tanto?
Por que eu estou chorando?
Por que nós sonhamos?
Por que existimos?
Perguntas...
Que provavelmente não terão respostas
Porque as pessoas não se importam
E se você se importa
Espere um pouco
O mundo vai fazê-lo parar de se importar.
Você não pode achar ruim por alguém estar feliz
Você não tem esse direito!
Você não tem o direito de se incomodar com a felicidade dos outros
Não se preocupe
Você só precisa de alguém.
Mas eu não quero
NÃO QUERO PRECISAR DE ALGUÉM
EU NÃO QUERO DEPENDER DE ALGUÉM
QUERO SER FELIZ COMIGO MESMA
QUERO ME OLHAR NO ESPELHO E NÃO ME ACHAR UMA FRACASSADA
QUERO LEVANTAR DE MANHÃ COM UM PROPÓSITO MAIOR
QUE NÃO SEJA TERMINAR O LIVRO QUE EU COMECEI NA NOITE ANTERIOR
QUERO CONHECER O MUNDO
QUERO VISITAR A TIME SQUARE GARDEN
QUERO ANDAR PELA WALL STREET
QUERO VISITAR A TORRE EIFFEL
QUERO VISITAR O CENTRAL PARK
QUERO ABRAÇAR UM ELEFANTE
E ME SENTIR MINÚSCULA PERTO DE UMA GIRAFA
QUERO FAZER ALGO DE ÚTIL
MAS A CADA "QUERO" que sai da minha boca
Eu percebo que eu não vou ter
Nada disso
Nunca
Mas eu gosto.
Gosto de algumas coisas também.
Gosto da sençação de quando eu erro uma palavra e sinto raiva de mim mesma por isso.
Gosto da sensação do cheiro de gasolina, do cheiro de esmalte, da terra assim que começa a chover, do cheiro do meu primeiro namorado, roupa velha, do quarto da minha vó, de roupa guardada, cheiro de filhote de cachorro, de esponja de colchão, de cigarros antes de serem acesos...
Gosto da dor que eu sinto no meu estômago quando eu fico sem comer
Gosto de me arrepiar ao ouvir uma música
Gosto do cheiro da fumaça do cigarro do meu pai
Gosto quando ele e minha mãe estão sorrindo juntos
Quando meu irmão me abraça
Quando minha irmã demonstra que gosta realmente de mim
Gosto quando dizem que eu me pareço com ela
Ela é bonita, a mais bonita...
Gosto quando me chamam de louca
Quando dizem que eu sou diferente
Gosto de ficar com sono
Gosto de filmes de dramas sem sentido como Submarine
Droga, eu gosto de música indie...
Mas a verdade é que eu gosto tanto dessas coisas
Porque eu não tenho nada mais importante para gostar
Eu amo minha gatinha, Gertrudes
Ela me entende
Quando eu sorrio ela me olha e pensa:
"Essa humana é louca"
Quando eu fico séria ela gosta de esfregar a cauda em mim.
Quando eu brigo com ela, ela me olha e mia.
Quando eu finalmente saio do quarto ela vai e volta comigo.
Mas quando eu choro... Ela fica em silencio.
Me olhando.
"O que são?"
Ela pensa:
"Isso que sai dos seus olhos, humana?"
"Isso raramente acontece, o que foi?"
"Deu defeito?"
Ela é o ser humano que eu mais me importo, eu acho.
Eu não acho que já tenha tido um amigo de verdade, não quero ofender ninguém.
Mas eu odeio quem me chama de amiga, quando não somos, nunca fomos.
Odeio quando eu quero dormir e não consigo
Odeio quando fico sem dormir e as paranóias aumentam
Os pensamentos loucos flutuam
E eu imagino como seria se eu fosse um peixe
Mas daí eu começo a gostar, a gostar de odiar.
Odeio quando eu começo a desabafar,
Desabafando em forma de palavras malucas
Ditas numa ordem que ninguém vai acreditar.
Um texto enorme, gritando palavras como "Alguém pode, por favor, me ajudar?"
Como se por um acaso o mundo inteiro fosse escutar.
Talvez eu pegue uma camiseta branca e escreva nela "Eu não sou feliz", provavelmente diriam que eu tinha estilo, e invejavam o fato de eu sempre estar tão feliz.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...