Apenas um poeminha...


Postado

Considerações no final do jornal.



Além do que posso sentir

Tenho saudades daquela época
Daquela época que você costumava chegar atrasada aos nossos encontros
E para se desculpar me dizia milhões de "Eu te amo"
"Eu te amo" esse que era sincero
Sincero como os nossos beijos
Ah! Aqueles nossos beijos...
Beijos aqueles que faziam nossos lábios ficarem tão grudados que pareciam um só
Aqueles seus lábios carnudos misturados com o cheiro de seu perfume os quais não queriam se desgrudar de mim
E que agora, naturalmente, estão longe do meu ser
O que aconteceu com aquela pessoa que você costumava ser?

Tenho saudades daquela época
Daquela época que você costumava ser simpática com todos
Tão simpática que foi por isso que nos conhecemos
Nos conhecemos no ônibus, se lembra?
No ônibus que fazia uma viagem de duas horas
Ficamos duas horas sentados um ao lado do outro conversando
Conversando sobre o que mesmo?
Ah, sim! Conversando sobre sua família que morava no exterior
Aliás, no exterior nós iríamos morar quando completássemos dois anos de casados
Dois anos eram muito para você?
Quando foi que se tornou tão impaciente assim?
O que aconteceu com aquela pessoa que você costumava ser?

Tenho saudades daquela época
Daquela época que você ficava em baixo da chuva
Chuva essa que era intensa
Intensa como suas lágrimas que caiam em meio as gotas de água
E aquelas eram diminuídas conforme eu lhe abraçava
Abraçava de modo que sua cabeça ficasse encostada sobre o meu peito
Sobre o meu peito frio
Frio como a água da chuva a qual caia sobre sua cabeça sem proteção
E naquela hora eu mandava você se cuidar
E colocava a minha blusa sobre ti
Porém, no fim, quem ficava doente era eu
Pelo menos, assim você cuidava de mim
De mim, que era uma pessoa fraca em relação a ti
Fui eu quem me machuquei mais quando você fugiu de mim
Fui eu quem corri atrás de você
E você nem me procurou uma vez sequer
Se tivesse me procurado eu não estaria assim agora
Eu permaneci ali, te esperando
Te esperando como o Hachiko esperou seu dono
É até engraçado falar disso...
Lembro que você me dizia eu era o seu dono
Você mudou, você mudou pra sempre
O que aconteceu com aquela pessoa que você costumava ser?

Agora minha mente reconstruiu você em um outro ser
Um ser que não consigo tocar
Um ser o qual é impossível alcançar
Um ser que não pode nem ser sentido
Minha mente te reconstruiu em um ser imaginado.


Olá, pessoas lindas que leram até aqui <33 Mesmo sabendo que ficou sem nexo e ficou uma coisa blé, eu agradeço a quem leu e se perdeu seu tempo lendo, I'm so sorry. Postei porque esses dias meu professor estava lendo uma crônicas que ele fez com o tema Saudade, e acabou me dando inspiração >.< E também estava a fim de postar alguma coisa aqui mesmo. Nunca postei nenhum poema, e acho que nunca mais posto huahuahua Ficou ruim, mas não acho que, por agora, eu consiga fazer melhor, então já postei >.<
Enfim, bye <3


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...