~travecao

travecao
Strange One
Nome: {The Knock In Your Door}
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
Aniversário: 20 de Setembro
Idade: 16
Cadastro:

Everything is awesome


Postado




✗ Nome Completo ✗
Seu nome de batismo é Angel Monroe Lynch
Mais tarde adotou o nome Mackenzie, porém, é raro que alguém a chame assim

✗ Apelido ✗
Agente Monroe | Angie | Mack

✗ Idade ✗
26 anos

✗ Família ✗

{John Lynch | "Pai" | Morto | Hugh Laurie}


{Karen Monroe | "Mãe" | Morta | Lisa Edelstein}


{Eva Monroe | "Tia" | Viva | Gemma Arternon}

✗ Personalidade ✗

A menina é durona, isso não tem como negar. Toda vez que se machucava na rua, não chorava, apenas limpava o lugar e voltava a fazer o que estava fazendo. Sempre foi uma pessoa muito boa para suportar a dor. Apesar de tudo, a morena é extremamente sentimental. É muito muito mais fácil ferir a mesma com palavras. Angie é cheia de piadinhas para lá e para cá, sempre utilizando do sarcasmo e da ironia ao seu favor. Por mais que tenha uma língua afiada, não é assim sempre. Na maioria das vezes, é bem-humorada, sempre esboçando seu lindo sorriso pelos cantos, porém, pode ser bastante teimosa quando o assunto lhe incomoda, não lhe convém ou até mesmo quando ela não concorda.
Não se importa muito com o que os outros pensam ao seu respeito, pois sabe quem realmente é. É muito confiante, e muito altruísta, sempre pensando nos outros em primeiro lugar. A coisa mais valiosa de sua vida é sua independência, foi assim que sobreviveu ao longo dos anos. Angel é muito tagarela, falando mais do que sua língua pode aguentar. Gosta muito de expor suas ideias a todos. Isso se inclui a seus amigos. Por mais que pareça fechada a novas amizades, é extremamente extrovertida, e fala com qualquer um que entre em seu caminho, irritando alguns.
É bem elétrica. A garota adora correr por aí, andar de um lado ao outro, sempre tem que estar fazendo alguma coisa. Seu ponto fraco é sua família. Se quer lhe ver brava, apenas toque nesse assunto. A menina fica uma fera. É extremamente ansiosa. Odeia saber algo antes do tempo, como surpresas. Se preocupa bastante quando acha que algo dará errado. Acabou por se tornar uma ótima atriz, quando o assunto é mentir ou fingir emoções. Sempre conseguia enganar o seu pai para conseguir coisas, ou até mesmo chorava para conseguir o que queria, saindo um pouco como manipuladora. Um de seus defeitos é ser brigona e muito curiosa. A menina não perde a oportunidade de se meter em uma briga, tanto verbal quanto física, e também sempre está vasculhando locais, com intuito de descobrir algo de novo ou algo que ela realmente queira saber.



✗ Aparência e famoso usado ✗
{Lyndsy Fonseca}

Angel é uma pessoa extremamente bonita. A garota parece uma pequena boneca de porcelana, a única diferença é que sua pele é um tanto quanto bronzeada. Seus olhos são azuis, tão azuis quanto um céu sem nuvens, quase cristalinos. São de grande destaque a todos que a olham. Seus lábios são finos e rosados. Normalmente estão acompanhados de um estonteante sorriso composto de dentes extremamente brancos e enfileirados. Seu nariz é fino e delineado, assim como todos os traços de seu rosto. As madeixas da menina são castanhas escuras, e batem em seus seios. Não são completamente lisas, possuem algumas ondulações em suas pontas. São mais aparentes quando a menina não penteia o cabelo depois de lavá-lo.


Seu corpo não é nada muito extravagante. Assim como o de uma boneca. Ela possui um metro e sessenta e três, distribuído por pernas longas e finas. Seus braços também são finos, e, se a menina fizer esforço, é possível ver os músculos dos mesmos. Seus seios são de tamanho mediano, nada muito exagerado, assim como seu bumbum. Seu andar é mecânico e quase ensaiado, como o misto entre o andar de uma bailarina e o de um soldado antes de ir para a guerra. Sempre imponente e segura, lhe parecendo muito natural.



✗ Poderes e habilidades ✗
Poder Principal
✻Manipulação de Feromônios✻
Pode causar problemas ou até criar sentimentos amenos em seus adversários quando quer. Desde acalmar um Hulk enfurecido até fazer duas pessoas se atraírem. É um poder extremamente parecido com a Empatia, porém, a empatia apenas serve para controlar emoções, já a Manipulação de Feromônios pode:
Manipulação de feromônios
Esta habilidade consiste inicialmente em apenas controlar os feromônios de si mesmo da forma que quiser, já contra o adversário, pode atraí-lo com facilidade, fazendo-o amá-lo, sem hesitação alguma.

Criação de feromônios
O mutante que manipula os feromônios pode fazer com que qualquer pessoa crie ódio, amor ou amizade por si mesmo, ou para os demais.

Pressentimento
Este mutante pode enxergar através de qualquer ser, sejam humanos ou animais, podendo assim saber o que estes sentem.

Controle
Podem controlar com base nos feromônios um ser, fazendo-o obedecer a todos seus comandos, independente do que sejam, é momentâneo a depender do nível do mutante.

Atordoamento
Com um acumulo imenso de feromônios que envolvem todo seu corpo, podem atordoar todos aqueles que estejam a sua volta, facilitando assim a fuga deste mutante ou melhor chance para investir num ataque.

Poder secundário
✻Memória Eidética✻
E a Habilidade de armazenar e processar vastas quantidades de informação em sua memória, concedendo uma capacidade de aprendizagem sobre humana. A maioria das pessoas se lembra de mais ou menos 55% do que eles leem ou veem. Com esta habilidade é possível lembrar de 100% das coisas.

Habilidades
Diversos estilos de lutas, algumas delas sendo marciais
Armas brancas e de fogo
Mira praticamente perfeita
Hacker
Espionagem

Fraquezas
Devido ao acontecimento com seus treze anos, sua mente é extremamente sugestiva
Não possui nada como super força ou fator de cura, então matá-la é extremamente fácil
Se cansa extremamente fácil
O uso excessivo de seu poder pode lhe causar desmaios

✗ Roupas ✗
Casual











Pijama





Banho





Uniforme





Treinamento




Formal





✗ Nacionalidade ✗
Nova York, EUA


✗ História ✗

A vida de Angel mal começara e já era confusa e complicada. Sua verdadeira mãe, Eva, era uma agente da SHIELD. Há um certo tempo, ela estava um relacionamento. Seu nome era William. Os dois realmente se amavam. Eva tentava esconder o máximo seu relacionamento com o homem, já que a sua vida em si era arriscada, por seu atual trabalho. William, assim como a mesma, era um agente. Se conheceram dentro da agência, porém, mantinham o relacionamento escondido de tudo e de todos. Faziam cinco anos que eles namorando e sete que eles se conheciam. Foi então que decidiram começar a tentar criar uma família. Foi um tempo até consideravelmente rápido para que a mulher engravidasse.
O tempo foi passando e, com a barriga crescendo, ficava cada vez mais difícil de esconder a barriga e até mesmo o relacionamento. Logo a proibiram de trabalhar, ou fazer a parte pesada de seu trabalho. Neste ponto, todos na agência já sabiam do pai da tal criança. Era uma noite razoavelmente normal, onde William e Eva dormiam tranquilamente em sua cama. Um alto barulho, o da sua porta sendo arrombada e vozes altas. William rapidamente falou rapidamente para que a mesma se escondesse em seu guarda roupa, que tinha um fundo falso. O stress sucumbiu a mulher, porém ela não podia sair do armário, pois William havia a trancado ali. Os homens entraram no quarto, discutiram e, depois de alguns minutos, barulhos de tiro apareceram, logo uma confusão e o barulho das vozes foram ficando longe. Eva estava desesperada, tentava abrir o armário a qualquer custo. Já sentira o líquido descendo por suas pernas, porém, apenas queria saber como estava seu amado. A realidade realmente foi chocante. O corpo de William estava jogado no chão, quase sem vida. Haviam dois buracos em seu peito e sangue em sua boca. Ela se debruçou sobre seu peito, sentindo uma enorme dor, não só emocional como física. Seus últimos momentos com o homem duraram pouco, já que a dor do parto lhe invadiu. Com o estresse pela qual fora submetida, acabou por entrar em trabalho de parto rapidamente. Eva não queria abandonar seu amado, e passou a madrugada inteira ao seu lado, tentando dar vida ao seu novo bebê. Eram oito horas da manhã quando seu bebê finalmente nasceu. Eva se emocionou ao vê-la, porém a dor de William ainda estava em seu peito. A única coisa que pensou em fazer foi ligar para sua irmã, Karen, que mandou uma ambulância para onde ela morava


Ao contrário do esperado, o bebê estava perfeitamente normal, diferente de sua mãe. Eva, além de perder certa quantidade de sangue, estava psicologicamente ferida. A mulher não conseguia olhar para sua pequena filha sem se lembrar de William jogado no chão, sem vida. De início, pensou em colocá-la para adoção, porém, sua irmã insistiu tanto para que a mulher ficasse com a pequena que eva apenas soltou: "Se gostou tanto dela, fique com ela", e foi isso que aconteceu. Nos primeiros quatro meses, Eva visitava a casa de sua irmã para amamentar a pequena, porém, isso parou de acontecer quando voltou a trabalhar. Eva basicamente sumiu. Não atendia ligações, não deixava satisfações ou coisas do tipo. Depois que isso aconteceu, Karen fez questão de cuidar muito bem da menina, lhe dando o maior apoio, amor e carinho que conseguia. O mesmo valia para John, seu marido. Angie era até mesmo mais apegada a seu "pai" do que sua "mãe". As tragédias em sua vida não acabaram por aí, mas a pior delas aconteceu apenas com os seus treze anos.


Angie estava em uma normal noite com seus pais. A ida ao cinema era sempre muito normal. A rua estava até bastante movimentada, porém, não é um local lotado que vai impedir um bandido de roubar algo. Dois homens totalmente de preto interceptaram a família. John rapidamente fez com que Angie fosse para trás do mesmo, devido a aparência peculiar dos mesmos. Perguntaram então se Karen era a irmã de Eva, e a mulher, sem preocupação nenhuma, respondeu que sim. No mesmo momento em que as palavras saíram de suas bocas, o primeiro homem puxou uma arma de seu casaco, apontando para sua cabeça e não hesitando em atirar. John, em uma tentativa falha de evitar o acidente, socou o homem, porém, isso apenas piorou o seu lado, fazendo com que o outro homem de preto atirasse em sua cabeça. A próxima vitima seria a pequena criança, que já se desmanchava em lágrimas. A dor em seu peito era insuportável, e foi neste exato momento em que seu poder se libertou. A raiva tomou conta de seu corpo, e em apenas um fechar de punhos, os dois homens apontaram suas armas para suas cabeças e assim apertaram o gatilho.
A polícia logo chegou ao local. Angel não queria sair de perto de seus pais, e foi levada a força. Chegando a delegacia, não respondeu nenhuma das perguntas que lhe foram dadas, apenas sabia soluçar e chorar. Acharam então a identidade de sua "tia", Eva. Ligaram para a mesma, que atendeu depois de muito custo, falando de sua irmã e de uma garotinha que estava com eles. O dia que Eva nunca esperava que chegasse, chegou. Pensou muito no que faria, o que explicaria ou até mesmo ficava com medo das reações que teria ao ver a menina. A reação foi a mesma de quando viu o seu pequeno rostinho. Uma enorme alegria lhe tomou conta, por mais que a perda recente de sua irmã ainda estivesse presente. A morte de William já não lhe vinha a cabeça. Tudo parecia "normal".


Eva a levou para casa. Angel não falou com ela ou reagiu pelos dois primeiros dias, porém, uma forte lembrança vinha em sua mente. Eva pensou em levá-la em um psiquiatra ou algo do tipo. Ainda não sabia o que fazer com a menina, já que passava basicamente o seu dia inteiro dentro dos prédios da SHIELD. Adoção realmente não era uma opção, já que a menina já estava grande o bastante para se lembrar de todo seu passado. Angel foi a primeira a derrubar o grande muro que Eva construíra ao longo dos anos, buscando uma de suas primeiras memórias e lhe perguntando por que ela a amamentava. Sem escolhas, Eva lhe contou toda a verdade, desde o dia em que William foi morto ao dia em que a abandonou. De início, a pequena garota de olhos azuis sentiu muita raiva, pois toda a história fazia sentido em sua cabeça, tudo se encaixava com os fatos, mas, depois, entendeu o lado da mãe. Seus supostos pais, os dois maiores amores de sua vida, foram mortos na sua frente, sem mais nem menos. Ela entendia a dor.
Aos poucos Angel tentava se entender com sua mãe. Pequenos gestos, como um abraço de bom dia, um sorriso, um beijo na bochecha, qualquer coisa que facilitasse sua aceitação.
O dia de Eva voltar a trabalhar finalmente havia chegado. Como não podia deixar Angel sozinha, e nem era louca de mandar a menina para uma escola, depois do acontecido, a levou. Lá, pelo menos, era seguro. Angel ficava com outros agentes quando sua mãe tinha reuniões, ou precisava fazer algo importante, ou até mesmo que envolvessem armas. Cada vez ficava mais encantada pelo trabalho qual sua mãe exercia, querendo imitá-la em cada gesto. Jason, um dos amigos de sua mãe, que logo virou seu amigo, lhe dava total liberdade, assim como lhe ensinava muitas coisas, conversava com a mesma, até que ela tocou no assunto família. Contou do dia em que sua mãe e pai foram mortos na sua frente, e o que ela achava que havia acontecido. Com apenas a força de seu pensamento, fez com que os homens se matassem. Jason, curioso, perguntou se podia fazer um teste com a mesma, e ela deixou. Os resultados mostraram que Angel era uma mutante.


Os anos se passaram desde a grande descoberta. A informação ficou confidencial entre Jason e Angie, já que os mutantes eram tratados com um enorme preconceito por serem diferentes, mas este traço na menina apenas o fascinou mais. Angel apenas sentia mais vontade de trabalhar na agência, assim como sua mãe. Já que aprendia tudo ali dentro, não faria tanta diferença em sua vida. E seu sonho se realizou quando tinha seus dezessete anos. Sempre muito inteligente, e com uma aguda memória eidética, trabalhava no campo de ciências com Jason, enquanto Maria Hill os observava, Ofereceu então um trabalho para a menina, devida a grande genialidade. Eva, inicialmente, negou com todas as suas forças, porém a escolha era de Angel, que logo aceitou, mas ela não queria ser igual a Jason e ficar trancafiada em um laboratório, ela queria pegar em uma arma, assim como sua mãe.
Assim que o seu treinamento foi completo e ela ganhou o seu primeiro uniforme oficial, com vinte anos, pediu para que todos a chamassem de Mackenzie. Queria deixar a garotinha frágil e sensível para trás, e, já que quase ninguém a conhecia, o nome seria de fácil apego. Foi no mesmo ano que conheceu Steve Rogers. Angel era como uma designada para o ajudar em missões. Criaram bastante intimidade ao longo dos anos, tendo até mesmo suas próprias piadas internas e apelidinhos bobos, mas tudo isso passou no momento em que Steve vasculhou as informações de Angel e descobriu tudo sobre a mesma. A admiração e o respeito pelo mesmo acabou naquele ponto, apenas se tornando uma relação profissional.



✗ Alguma frase/palavra que seu personagem fala muito ou considera sua frase de efeito? ✗
"Eu não sei se percebeu, mas eu te odeio"
"Se você não pode lutar contra os lobos, fuja da floresta"
"Você realmente quer levar uma surra de uma garota?"
"Nem tudo é sempre como queremos"


✗ Sexualidade ✗
Heterossexual

✗ Quer par? ✗
Sim

✗ Se sim, quem? ✗

ou


✗ Sua relação com a equipe ✗
Angel é uma menina difícil de se lidar. É muito respondona e grossa com os que não conhece. Quando alguém faz algo de estúpido perto da mesma, a menor coisa que seja, começará a o olhar torto, até que lhe prove o contrário. Quando finalmente se solta, pode ser gentil e brincalhona, mas não deixa seu gênio rude para trás. Com certeza será mais carinhosa e atenciosa com suas palavras quando se tratar de alguém conhecido e que ela goste.


✗ Algo a mais? ✗
✻Tatuagem✻

Borboleta era um dos apelidos que Jason havia lhe dado. Assim que ganhou seu primeiro salário fez questão de marcar isso em seu corpo. Jason a chamava assim pois dizia que a garota era idêntica a uma borboleta. Borboletas são livres. Conseguem ir para onde quiserem com suas pequenas asas. Além disso, a simplicidade em uma borboleta pode lhe fazer extremamente bonita. Por mais que pareçam são extremamente belas e delicadas, borboletas podem ser perigosas. Com apenas um toque nas mesmas e depois outro em seus olhos, pode lhe causar cegueira, e era isso que Angel significava para Jason. Alguém delicado e belo, porém, ao mesmo tempo, forte e perigoso.


✻Gifs úteis✻





http://lyndsyfonseka.tumblr.com/post/136625217641/lyndsy-fonseca-gif-hunt-part


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...