~fckndeathwish

fckndeathwish
Fluorescent adolescent
Nome: Lucy and the diamonds
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 6 de Junho
Idade: 45
Cadastro:

.Somethings Out of my Head ☆


Postado

.Somethings Out of my Head ☆

(...) Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.


É sempre como se não valesse a pena lutar. Gritos desesperados pedindo algum socorro, sumindo em meio ao tenebroso eco que assombra até os surdos. Tudo o que passa por minha cabeça é a incansável vontade de me permitir chorar. Permitir mostrar-me fraca diante dessa situação.
Ninguém realmente se importa com o meu agora, nem mesmo Ele. És triste ver, perceber, sentir que Ele se deleita com a minha dor, se banha em minhas lágrimas e dança ouvindo meus gritos silenciosos por socorro. Ele adora ver minha dor, sempre visando minha pequena e leve morte temporária.
Dói também saber que Ela não irá voltar. Era só uma besteira, uma coisa boba que eu tinha o pleno controle em mãos e a hora de parar estava sendo programada de modo correto dentro de minha cabeça. E então, quase que do nada, tudo estava acabado. Amizades, amizades, cartas na pesa à parte.
Admitir que eu caía aos pedaços, que eu me apagava aos poucos e que a minha sede pela vida estava se secando desceu rasgando em minha garganta. Eu não tenha nenhuma delas. Nunca tive.
Pergunto-me sempre se dói ser a dor de alguém, eu nunca senti esse sabor. E se já senti, estava "extaseada" demais para ter qualquer sentido. De qualquer modo, pergunto-me se dói ser a dor de alguém, porque Ele pareceu gostar. Sequer pergunta a razão das minhas lágrimas.
Oh, como eu desejo que elas pesassem em sua consciência como pesam em meu subconsciente (até porque, coração é apenas um órgão vital no qual bombeia sangue)
Morro um pouco.
Morro um pouco vendo que Ele simplesmente não se importa. Vendo que ele simplesmente me troca por qualquer uma.
Dói um pouco.
Dói um pouco saber que qualquer uma tem mais valor que eu. Dói também ver que meu medo e receio foram em vão, vendo que ninguém se importa.
O tempo se esvazou, zerou, simplesmente zerou. Fugiu por minhas mãos como grãos secos de areia. Na pior das hipóteses, a verdade precisa chegar para vermos que foi apenas uma mentira. Que vivemos uma mentira.
Eu aprendi a não me abrir com as pessoas realmente, porque a dor que eu sinto pulsa, é quase viva. E ela não está disposta a abrir mão de sua vida.

✳^✳^✳^✳^

✳^✳^✳^✳^


(...) Então eu me abraço. Passo meus braços ao redor do meu corpo quase morto, sozinho, imaginando que os braços magros ali são os dele.

MyPlanSevenfold
.

(...) aprende a construir todas as suas estradas no hoje,
porque o terreno amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.
Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo.
E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam...
Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte (...) Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar, se não fosse o medo de tentar.

William Shakespeare


Now I know that there's a different way to die. My body breathes, heart still beats. But I am not alive❞.

Escutando: I want
Lendo: your
Assistindo: lover's
Jogando: revenge
Comendo: (...) we can write
Bebendo: a bad romance

Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...