~annubis

annubis
['cacto]
Nome: .¸¸.*larry to ariel♡*.¸
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Acrelandia, Acre, Brasil
Aniversário: 11 de Fevereiro
Idade: 22
Cadastro:

.Fichas part. two.


Postado

isso mesmo, parte dois, pq ainda não tomei vergonha na cara pra criar um tumblr para colocar minhas fichas.
é a vida né





☾●I n.ee.d yo-ur help, +I (can)'t\ ♚fight !this! forever

{ Per✶fect Lo✶ve }


Ficha Masculina

Nome completo :: Sasaki Ryuu [ 佐々木 龍 ] - Seu nome significa ‘’ Espirito de Dragão ‘’, enquanto que seu sobrenome significa ‘’ Árvore de Apoio ‘’

Idade :: Já tem seus 16 anos de idade, Nascido em 11 de Fevereiro, Signo de Aquário.

Ano escolar :: Segundo ano do ensino médio.

Aparência e descrição ::

Ayato Sakamaki - Diabolik Lovers
Ryuu é um garoto de boa aparência, isto é completamente notável. Apresenta traços finos e muito bem distribuídos em seu corpo. Possui cabelos marrons avermelhados, estes sempre estão meio bagunçados, pois o mesmo não gosta de arruma-los, então os deixa de forma natural. Em relação há franjas ele possui as mesmas, que lhe cobrem a testa por inteiro e não são dividas, apenas há uma maior que a outra ou menores. As maiores sempre ficam nas laterais de seu rosto e centralizadas no meio de sua testa. Sua pele é de um tom claro e ele não pode ficar muito tempo exposto ao sol, então tende a evita-lo um pouco. Seu rosto é fino, com um queixo arredondado e muito bonito, além de seu maxilar ser considerado ‘’ perfeito ‘’, causando uma certa inveja e admiração das pessoas. Seus Lábios são pequenos e quase sempre ficam curvados em um sorriso perverso, travesso ou brincalhão, Nariz fino, assim como suas Sobrancelhas, Orelhas arredondadas e Presas afiadas. Seus olhos são de um tamanho mediano e brilhantes. Suas íris são de uma cor verde muito bonita, parecidas com um campo cheio de plantas esverdeadas, e as pupilas negras como penas de um corvo. Contem um corpo basicamente magro, junto de músculos fortes e fartos, por conta de seus constantes treinos. Apresenta uma estrutura mediana, tendo assim 1,74 cm de altura e pesando 62kg.









Personalidade ::

Costuma ser bastante agradável, já que tem o habito de bajular e incentivar as pessoas, até mesmo pelo fato de que utiliza desta bajulação para manipular quem está ao seu redor. Ryuu é uma pessoa cuja personalidade é difícil de se ler. Ele é um ator experiente, capaz de enganar qualquer um com um simples olhar inocente. O garoto é alguém curioso, não consegue se segurar quando o assunto é saber o que realmente está acontecendo de verdade. É um jovem extremamente violento, assim quando perde o controle de si simplesmente não consegue se controlar e ataca a determina pessoa ou grupo de maneira brutal, sem medir quaisquer escrúpulos. É completamente bárbaro e cruel, não possuindo dó ou sequer piedade de seus oponentes. Ryuu consegue se tornar automaticamente impiedoso em um piscar de olhos contra os seus inimigos ou com aqueles que não confia. O garoto é um ser incrivelmente inteligente, assim apresentando um QI elevado, além de obter conhecimento sobre diversos tipos de assuntos, temas, entre outras coisas. Ele consegue criar estratégias rapidamente, sem precisar levar muito tempo para isso, e isto mesmo nos momentos mais eficazes, difíceis e apreensível. Ele sempre tende a manter a calma e a devida postura. Sempre tendo uma resposta na ponta de sua língua, ele não mede esforços ao falar o que acha e pensa e adora dizer tudo isso na cara das pessoas. Ele não tem sequer medo das consequências que poderão acontecer por conta do que fala. O jovem realmente não liga. É capaz de distinguir se uma pessoa está a mentir apenas olhando as expressões de sua face. Ninguém consegue esconder nada de si, ele sempre consegue perceber tudo e ira irritar o cujo dito até o mesmo lhe dizer a verdade. Consegue ainda distinguir como uma pessoa está se sentindo olhando em seu rosto. Mesmo está estando com uma cara ‘’ normal ‘’ ele ira adivinhar rapidamente, assim logo perguntando o que aconteceu. O garoto sempre está a desconfiar daqueles ao seu redor. Só pega confiança de alguém quando a conhece a muito tempo. Caso contrario, isso não era acontecer de modo algum. Ele é alguém sádico, logo gostando de fazer outras pessoas sofrerem. È claro, Ryuu é assim apenas com quem merece, mas também gosta de se mostrar ser alguém deste jeito por diversão. Adora ver o rosto assustado das pessoas. Também é alguém extremamente sarcástico e quase sempre fala deste modo. A ironia também está presente em seu vocabulário. Ryuu é arrogante. Extremamente e completamente. Realmente não se importa com o que as pessoas pensam de si, o Sasaki é apenas ele mesmo, não escondendo quem é realmente. Ama provocar as pessoas. Sente um imenso prazer com isso. Com aqueles que gosta costuma os provocar de modo malicioso, apenas para os ver corar. Também gosta de um bom desafio, assim sempre está a desafiar aqueles ao seu redor para ver quem é melhor em que. Costuma fazer mais isso com quem possui uma forte rivalidade. Simplesmente é um péssimo perdedor, não aceitando sua derrota antes de tentar diversas outras vezes. Mas, quando ganha, tende a comemorar muito, se gabando, mas não jogando na cara das pessoas, ao menos que não goste muito desta. Totalmente perverso, gostando de provocar e deixar as pessoas enrubescidas. Consegue fazer isso facilmente. Fala diversas vezes de modo malicioso e entende muitas coisas neste sentido, logo dando sorrisos largos e falando sobre isso a pessoa. Pode facilmente seduzir alguém apenas com um olhar sedutor e sorrisos pequenos. Pode as persuadir, as conduzindo a fazer tudo o que quer e na hora em que quer. Um garoto independente, nunca precisará de tanta ajuda quando menor, conseguindo fazer a maioria de suas tarefas por si só. Extremamente sincero, possui suas próprias opiniões e costuma machucar aqueles ao seu redor com o que diz. Nunca ira muda-las por conta de alguém, simplesmente não se vê sendo alguém assim. Um péssimo conselheiro. Não sabe o que dizer ou realizar quando alguém o pede algum conselho, principalmente quando está a chorar. Tende a fazer um esforço com quem gosta, mas não é sempre que consegue dizer algo construtivo, por mais que tente. Apesar de ter inúmeros defeitos, Ryuu é um garoto que tem em um ótimo senso de humor, assim adorando fazer brincadeiras e principalmente piadinhas. Gosta de se divertir com aqueles que gosta, e apesar de mostrar ser alguém rebelde e valentão isto é apenas uma máscara que tende a cobrir quem ele é realmente, e poucas pessoas sabem o que há por trás desta. Ele consegue ficar nervoso facilmente, ainda mais quando o dizem coisas que ele simplesmente não pode aceitar. Ele entende quando falam com si brincando, até por que ele sempre está a zoar as outras pessoas, e assim como entende quando falam deste modo, ele sabe quando estão tentando o provocar e o irritar. Ryuu é alguém corajoso, não tendo medo de enfrentar novas coisas, principalmente pessoas. No entanto, ele age cautelosamente quando vê que pode acabar se dando mal em algo. O Sasaki é um garoto totalmente atrevido. Ele possui a audácia de fazer tudo que a pessoa não quer que ela faça, assim não obedecendo as ordens dadas a si. Até por que, este odeia seguir regras e obedecer ordens. Gosta de fazer as coisas do seu jeito, mesmo que estes possam causar problemas a alguém ou até mesmo a si ou não sejam ‘’ adequadas ‘’ o suficiente. Este prefere se ariscar do que ter de obedecer ordens, e na maioria das vezes se dá mal por conta disso. Mesmo gostando de fazer as coisas de seu modo há vezes que ele terá de obedecer seus superiores quer queira o não. O Sasaki é o tipo de adolescente rebelde e que adora arrumar encrencas. Sempre está a cometer alguma traquinagem ou algo pior por ai. A sua sorte é que na maioria das vezes ele consegue sair impune ou simplesmente não ser pego. Costuma ainda realizar movimentos bastante extensos e intensos, praticamente como se estivesse o tempo todo em um grande jogo de atuação, em um palco sem fim, no teatro da vida.

Características marcantes do personagem ::
Não diria que ele possui alguma característica marcante. Ryuu é cheio de segredos, podendo se portar de diferentes maneiras. Ainda sim, algo que acho ‘’ marcante ‘’ nele é o fato de ele esconder quem é realmente, usando uma mascara na frente de todos, onde poucos sabem o que á por trás.

História ::

Ryuu nascera nos EUA, mas quando menor se mudara para o Japão, onde parte de seus parentes viviam. Viera de uma família extremamente rica e fora nascido em um berço de ouro. Desde quando pequeno sempre tivera tudo o que queria e no colégio era ‘’ popular ‘’ apenas por conta de seu status social, dinheiro e pais, já que estes são presidente e vice-presidente de um dos maiores bancos do Japão. Sua linhagem de família fora passada durante antes e o futuro de Ryuu já estava previsto desde quando nascera. Ele seria o próximo presidente do banco, se não o dono, já que isto dependeria de seu avô, que era o dono atual do mesmo. Ele se casaria com uma garota de família rica e teria filhos para passar o sobrenome da família adiante. Sendo filho único ele tinha a obrigação de seguir essas regras. Mas Ryuu nunca quis nada disso. Ele nunca quis nascer em uma família rica. Ele nunca quis ter o seu destino já escrito. Ele apenas queria ter nascido como um garoto ‘’ normal ‘’, com os pais presentes em casa, e não trabalhando o tempo inteiro. O Sasaki sempre fora um menino muito alegre, mas com o tempo isso mudara dramaticamente. Ele passara a não obedecer seus pais como antes, se tornando alguém rebelde e completamente o oposto de quando era antes. Quando sua mãe a pai estavam em casa a única coisas que eles sabiam fazer era brigar com Ryuu, por conta das atitudes que o mesmo tinha. Apesar do mesmo sempre ter sido o que era considerado de ‘’ garoto prodígio ‘’, por conseguir fazer e aprender tudo de maneira rápida e sem qualquer problema ele deveria ser considerado o filho que dava orgulho em seus pais. Mas ser alguém assim não adiantava de nada. Ryuu se recusava a seguir o destino que estava previsto para ele. Se recusava em ter de gerenciar um banco. Se recusava a ter de se casar com uma garota de família rica. Se recusava a tudo isso. Era ele quem escreveria seu destino. Ele quem tomaria suas próprias decisões. E não é seus pais ou qualquer um que impediria isso.

O que é ::

Colega de Classe

Gostos/Desgostos ::

Gostos - Cozinhar, Colorir, Música, Mangas, Animes, Flores, Se divertir, Arrumar encrenca, Piadas, Inverno - Frio, Apostas, Desafios, Vencer, Dormir, Provocar as Pessoas, Observar a Lua, Praticar Esportes, Correr, Action’s Figures, Animais, Tocar Instrumentos Musicais, Pintar - Quadros, Desenhar, Shõgi, Vídeo Game, Armas, Esgrima - Kendo - Karatê, Doces, Tortas e Bolos, Árvores de Sakura, Ursos de Pelúcia, Livros, Andar a Cavalo, Chá de Hortelã, Borboletas - Cobras - Aranhas - Morcegos - Pinguins - Ursos e Raposas, Comida Árabe e Italiana, Constelações, Kimonos, Mitologia Japonesa e Egípcia, Natureza, Contos de Terror, Horóscopo, Itens da Sorte, Café, Cantar, Dançar, Compor Canções, Poesias, Fotografia - Tirar Fotos, Jardinagem, Fumar, Óculos, Moda, Atuar, Sangue, Takoyaki.

Desgostos - Comidas Apimentadas, Preconceito, Maus tratos aos Animais, Receber Ordens, Patos - Ser observado por eles, Perder, Que o Subestimem, Dar Conselhos, Chorar, Lugares Apertados, Bonecas, Casamentos, Apaixonar-se, Pessoas Fúteis - Mimadas - Patéticas - Mandonas, Morangos, Nozes, Cogumelos, Agulhas e Injeções, Calor Excessivo, Refrigerantes, Mal Odor, Mentira - Mentir, Sentir Ciúmes, Ficar Envergonhado, Escuridão - Breu - Escuro, Galinhas, Ver as coisas fora de seus devidos lugares - Bagunça.

Vícios/Manias/Medos ::

Vícios - Doces \ Açúcar - Cigarro.

Manias - Ficar nu, Usar kimonos mesmo quando desnecessário, Carregar uma câmera consigo, Tirar foto do que achar interessante, Cheirar flores quando as vê, Cantarolar quando entediado, Organização, Estalar os dedos, Morder de leve seu dedão quando está pensando, Bater um de seus pés no chão quando se sente nervoso ou ansioso, Carregar consigo itens da sorte de acordo com seu horóscopo e Carregar doces no seu bolso.

Medos - Lugares Apertados, Bonecas, Apaixonar-se, Patos - Ser observado por eles, Escuridão.

Trabalha ? Tem algum Hobbie ?

Ele trabalha em uma cafeteria perto do colégio.

Hobbies - Ler, Cozinhar, Praticar Esportes, Tocar Instrumentos, Cantar, Compor Musicais, Desenhar, Assistir Animes, Jogar Vídeo Game, Fotografia, Colorir, Pintar, Jogar Shõgi, Jardinagem, Aprender Coreografias de Danças, Cavalgar, Colecionar Armas.

Estilo ::
Ele não tende a seguir bem um estilo próprio. Ele gosta de usar roupas que caiam bem nele e que sejam confortáveis. Ainda sim, é visto na maioria das vezes usando roupas em estilo colegial ou com algum kimono.








Como e por que se apaixonou por Mami ?
Ele não sabe ao certo quando e como isto acontecera. Não fora de primeiro que percebera isso, acabara por demorar um pouco. Mas, quando percebera, ele negara, até demais, e até tentara se afastar da garota, falhando nisto como nas diversas outras vezes. Ele realmente não sabe como se apaixonara pela garota. Talvez seja pelo fato da mesma ter o conquistado aos poucos, com sua personalidade na qual o agradara após um tempo e o divertia como nunca antes. Também pelo fato dela o compreender, quando praticamente ninguém, além de seu melhor amigo, o fazia. O ajudar quando mais precisava, mesmo ele não querendo sua ajuda. Por ela ter ficado ao seu lado mesmo quando ele fizera as piores coisas possíveis, mesmo quando tentara a afastar de si várias vezes. Mami sempre estava ali por ele. E, ao mesmo tempo que Ryuu odiava disso, ele também gostava, silenciosamente, mas gostava. È, se ele for pensar bem, talvez saiba sim o motivo por ter se apaixonado pela garota.

Relação com ::

Mami ::
Quando a conhecera não gostara muito da mesma, por ser uma pessoa muito tímida e reservada. Por conta disso, decidira em seu subconsciente que passaria a provoca-la e irrita-la. E fora o que fizera. Na maioria dos casos, era ele quem se irritava por ver o que fazia não dar certo. Quando os dois ficaram mais próximos um do outro, Ryuu acabara por se abrir mais com Mami, e mostrar quem é realmente. Com ela não fora diferente. O garoto acha engraçado o como ela consegue ser desastrada, ainda mais por ser tão inocente e conseguir se envergonhar facilmente. Ele gosta de a dizer coisas maliciosas, apenas para a ver corar, assim como fazer piadas sujas nas quais ele não entende. Com o tempo Ryuu acabara por querer defender demais Mami, ainda mais quando outras pessoas a olham feio ou a chamem de algo. Ele se segura, ou a própria garota, para não arranjar uma briga com aqueles que a ofendem. Mesmo com um pouco tempo de ‘’ amizade ‘’, digamos assim, o jovem já conseguira perceber facilmente o fato da garota sempre sorrir, mesmo quando triste. Com isto, ele tende a pergunta-la o que acontecera, sempre insistindo nisto até que está conte. O Sasaki acha um tanto quanto fofo o modo como Mami tende a se preocupar com si, ao mesmo tempo que acha um pouco irritante, já que não gosta que se intrometam na sua vida. Mas, mesmo ele não sabendo o por que, tende a confiar na garota e a contar o que se passa consigo. Ele conseguira se acostumar facilmente com a personalidade da garota, sempre rindo e provocando a mesma. Ryuu só não sabe se ela se acostumara com a sua.

Amigos ::
Ele tende a ser ele mesmo, até por que não há motivos de esconder sua personalidade para seus próprios amigos, apesar de que ele consegue ser um pouco ‘’ melhor ‘’ do que demonstra ser na frente de outros que não conhece. Gosta de os divertir com suas piadas, mesmo as mais sem graças, e os fazer rir com o que diz. Também gosta de sair com estes, mesmo que for na praça de seu bairro, ele apenas gosta de passar um momento com seus amigos. Sempre tende a provoca-los e pode ser um tanto quanto protetor com eles.

Rivais ::
Não tende a ligar para pessoas que se denominam seus rivais. Bem, pelo menos aqueles que o odeia, claro. Acha que estes apenas perdem seu tempo, tentando o rebaixar e o humilhar, o que nunca funciona, já que Ryuu sempre dá a volta por cima, conseguindo se sair melhor. Quando tendem a irrita-lo ou xinga-lo o garoto apenas manda um belo ‘’ foda-se ‘’ e sai andando, até por que, como dito antes, ele não se importa com essas pessoas. Ainda sim, se essas pessoas tentarem mexer com pessoas que gosta ou ama a coisa poderá ficar bem feia, e é melhor não se estar por perto para ver a briga que poderá acontecer. Certamente, alguém ira parar no hospital, e Ryuu tem plena certeza de que não será ele.

Tem algum melhor amigo ?
Yeah. Você pode escolher viu, se quiser, claro

Matérias favoritas e odiadas ::
Não é como se ele desse mal em alguma matéria, muito pelo contrário, ele é bom em todas, digamos assim. Ainda sim, ele tende a preferir Língua Japonesa, Biologia, Humanas ele é de humanas minha gente, Artes e História. Não gosta muito de Exatas e Geografia.

Participa de algum clube ? É representante de classe ou algo do tipo ?

Tem como participar de todos os clubes :v ? Caso não, apenas o de Basquete, Atletismo e Culinária.

Algo a mais ou que queira que aconteça na história ?

Por eu não gostar tanto destes clichês presentes em animes de romancezinho acho legal que aconteça coisas diferentes e intensas, como Festas, Acampamentos, Passeios do Colégio, Festas do Pijama, entre outros. Um pouco de drama também não seria nada mal, como alguém quase morrer ou ir parar no hospital, não sei, você decide. É claro que, seria muito bom que aconteça Encontros, Beijos Acidentais ou Roubados, Abraços, Pegação, Brigas, Discussões, Revelações, etc….se bem que isso é basicamente um clichê….mas ok né.

Está ciente que eu posso mudar a personalidade do personagem para avançar na história se precisar ?
Yeap.

Espero que você tenha gostado e me desculpe qualquer erro ^^



(You're lookin' crazy. You're lookin' wrong}

{ Pills }



;The pills numb the insane souls,-

.Ficha.

》Nome completo :: Kim DaeHyun | DaeHyun Kim ou Jimin

》Idade :: 22 anos.

》Aparência ::

DaeHyun ou Jimin, como preferir, é(são) um jovem de bela aparência, isto não pode ser negado. Possui traços bonitos, dando-lhe um charme natural. Seus cabelos são de cor negra, sendo bem sedosos pelo fato dele cuidar bastante dos mesmos. Estão sempre bem arrumados, já que o mesmo não gosta muito de deixa-los de qualquer jeito, dando-lhes sempre um retoque ou outro. Sua pele é de um tom claro e macio. Também é um tanto quanto delicada e por conta disso o garoto não pode ficar muito tempo exposto ao sol, mas não é como se ele o evitasse e nem que ele constantemente fica exposto. Seu rosto é de estrutura oval. Seu nariz é pequeno e arrebitado, lábios finos, quase sempre curvados em um sorriso que pode apresentar diversos significados, as sobrancelhas na medida certa, orelhas de estrutura ‘’ normal ‘’. Seus olhos são de um tamanho mediano, com pupilas negras e as íris de cor castanho escuro, quase pretos. Tudo em seu rosto contém uma grande beleza, causando inveja em muitas pessoas. Seu corpo é de uma estrutura até que na média, mas sempre parece que ele é muito baixinho. Mas ele não se importa com isso, apenas não gosta que debochem de sua altura, já que pode ficar irritado com isto. Seu corpo é magro, mas apresenta alguns músculos, mesmo que não sejam definidos. Suas coxas são um tanto quanto ‘’ fartas ‘’ e suas nádegas bem avantajadas.
Park Jimin - BTS ou Bangtan Boys






》Nacionalidade :: Sul Coreano

》Personalidade ::

Irei fazer as personalidades baseadas em cada um, ou seja, DaeHyun e Jimin.

DaeHyun - O jovem sempre fora alguém muito tímido, sempre ficando na seu canto, super reservado. Mas conforme ele ficara mais velho isso passara a mudar. DaeHyun é uma pessoa muito gentil, amigável e divertido. Gosta de fazer aqueles a sua volta rirem de algo que diz, principalmente se for de alguma bobagem ou piada que fizera. Sempre tem uma piadinha na ponta de sua língua e adora usar todas elas, em qualquer momento, apenas para descontrair, apesar de ter que as cessar em alguns momentos. Ele quase sempre tem um sorriso em seu rosto e muitas vezes ele tende a mostrar um infantil e alegre, já que é exatamente assim que ele demonstra ser. Ou mais ou menos isso. Ele odeia o fato de ser alguém fraco, então usa uma máscara sob seu rosto, que esconde tudo que sente verdadeiramente por dentro. Ele prefere deste jeito. Também tem um ótimo senso de humor, mas isso não faz com que ele sempre leve tudo na brincadeira. Ele consegue ser alguém serio, e quando está assim as pessoas acham estranho suas atitudes e postura, já que ele na maioria das vezes se encontra com um sorriso travesso em seu rosto, ainda mais quando comete alguma traquinagem. Ele é inocente, até demais para um adulto. Acredita muito no que os outros dizem e não entende muito bem quando dizem coisas em outros sentidos. Ele também é bem submisso as vezes, obedecendo sem exitar as ordens dadas pelos outros, principalmente as de Jimin. Mas com o tempo ele aprendera que ele não precisa fazer isso, então as nega. DaeHyun é o tipo de pessoa que, quando erra, mesmo que seja diversas vezes, aprende com os mesmos e aceita que com estes é necessário mudar, por exemplo, suas atitudes ou modos. Ele também algumas vezes se deixa ser manipulado com facilidade, outras não, agindo com certa inteligencia nessas horas, coisa na qual ele é. DaeHyun é um homem habilidoso, sendo bom, jeitoso em muitas coisas. Ele é capaz de aprender as coisas sem muito esforço, apenas precisa de tempo e disposição. Não é a pessoa mais forte do mundo, está longe disso, mas tem treinado bastante para a conseguir, por isso consegue conter Jimin algumas poucas vezes. Ele odeia ter se meter me brigas ou encrencas, e sempre está fugindo mas mesmas. Também não gosta ouvir sermões de outras pessoas, não sabe o por que mas é bem sensível nessas horas. Na verdade, ele é assim muitas vezes. Pode ser bem protetor com quem gosta e tende a ajudar as pessoas mesma que não as conheça. Ele apresenta um bom coração, apesar de sua cabeça ser suja, assim como ele por dentro. Mas não é algo que ele pode controlar. Pelo menos por agora. Ou não.

Jimin - O que se pode dizer de Jimin ? É difícil descreve-lo….Ele é alguém de personalidade “ problemática “. A vezes em que se porta bem enquanto que outras se porta de maneira mal, digamos assim. Na maioria das vezes ele tende a ter um bom humor, fazendo piadinhas para DaeHyun, mesmo que ele não as responda. É bastante irônico e sarcástico, essas duas coisas sempre estão presentes em seu vocabulário. Ele também não se deixa manipular facilmente, até por que o cargo de manipulador está em suas mãos, e por conta disso nunca cai em algo relacionado a isto. Além disto, também é bem sádico, gostando de ver o sofrimento e fazer outras pessoas ou seres sofrendo. Adora ver suas faces rodeadas de pavor, sofrença e principalmente, medo. Dependendo da situação pode tortura-las caso quiser, e não pode negar que não gosta disso. Sempre quando mata alguma pessoa ele tende a tirar algum de seus Órgãos para comer depois. Adora o gosto que a carne humana lhe propõe, e adora ainda mais matar outras pessoas. Ele também pode ser um ótimo ator, fingindo ser DaeHyun com facilidade quando no comando. Consegue se irritar com certa facilidade. E não é bom quando ele está irritado, principalmente quando DaeHyun é o “ motivo “ para sua raiva. Ele tende a sentir muito ciúmes e irritação quando vê DaeHyun muito próximo de alguém. Então fica no controle e a mata, na maioria das vezes, simples assim, para fazer com que DaeHyun aprenda a não deixa-lo desta maneira. Ah sim, ele pode ser muito, mais muito ciumento. Quase sendo alguém possessivo. O que ele acha que é dele é dele e de mais ninguém. Simples assim. Se apaixonar pela então segunda personalidade seria a pior coisa a se fazer. Na realidade, se apaixonar pelo DaeHyun em si é um problema, pois querendo ou não Jimin estará ali a todo momento. E se ele também decidir se apaixonar pela mesma pessoa que o outro é um problema ainda maior. Então, para si, a melhor solução é a morte desta pessoa. Felizmente, isso nunca acontecera. Mas nunca se sabe. Jimin pode ser alguém bem sedutor, conseguindo seduzir qualquer um ao seu redor, apenas com troca de olhares ou algo do tipo. Já encantara diversas pessoas por conta de “ sua “ beleza e conduzira a todas essas a fazer o que queria. É divertido fazer coisas assim para ele quando está no controle. Ele também pode ser alguém cavalheiro quando quer e na maioria das vezes apenas usa isso como uma tática para manipular os outros. Ele tende a não se importar muito para as coisas que acontecem ao seu redor, sendo totalmente indiferente a praticamente tudo. É um jovem que possui uma rapidez extrema e incomum. Além disto, apresenta uma força muito grande e é extremamente ágil e eficaz. Ele raramente consegue ser alguém amigável ou até mesmo gentil. DaeHyun consegue ser alguém sincero até demais. Não costuma esconder o que pensa e na maioria dos casos fala o que pensa e acha na cara da determinada pessoa ou grupo. O mais divertido é quando ele consegue arrumar brigas com isto. Também é divertido ver o quanto algumas pessoas podem ficar machucadas com o que diz. Jimin pode ser alguém pervertido quando quer, levando muitas coisas nos sentidos maliciosos que a vida proporciona. Ele não possui vergonha em falar publicamente sobre este tipo de assunto, fazendo com que alguns fiquem incrédulos. Ou não, isto ira depender do tipo de pessoa que está a conversar. Jimin é um tanto quando abusado algumas vezes. Um exemplo disso é quando beija uma pessoa sem permissão, ou quando aperta suas nádegas sem que perceba e finja que não fora si. A perversidade entra ai também, talvez. Adora fazer o “ trabalho “ sujo, já que sente um imenso prazer em machucar as pessoas. Ele também pode ser assustador quando quer, então é bom que não fiquem perto do mesmo quando ele estiver assim. È fácil descobrir quando Jimin está deste jeito, pois ele mostra um sorrisinho que aos olhos parece gentil, mas é completamente ao contrário, na realidade é bem maníaco. O mesmo pode ter sede de sangue em segundos, ficando ainda mais animado para matar alguém. Pode ser bárbaro e cruel quando quer, não tendo dó de seus oponentes, caso quiserem o confrontar, nem por um segundo. Ele sequer dá uma segunda chance. Para o jovem, não existe isso. Se tiveram a coragem de o enfrentar, ótimo, agora terá de arcar com as consequências. E, se pedirem perdão ou qualquer coisa assim, sua morte será ainda mais dolorosa e tortuosa.

》História ::

DaeHyun nascera em uma família de classe média em Seul - Coreia do Sul. DaeHyun sempre fora uma criança muito quieta e tímida. Tinha muita dificuldades em fazer amizades, e por isso não tinha amigos. As crianças na escola apenas zombavam de si. O xingavam, o menosprezavam e batiam em si. Quase em todos os dias que voltava para casa ele estava machucado, com hematomas pela corpo. Mas ninguém se importava com isso. Seu pai mal sabia de sua existência, seu irmão mais velho fugira de casa a um tempo e sua mãe era uma alcoólica e fumante que não tinha emprego e só sabia sair para beber e se divertir. Ninguém se importava com seu bem estar. DaeHyun é quem tinha de se cuidar com si só. Aprendera a cozinhar desde cedo e fazia muitos sacrifícios para conseguir comida. Já passara fome muitas vezes. Até que chegara um momento na qual DaeHyun não aguentara mais. Estava cansado daquilo tudo. Estava cansado de chorar todos os dias, estava cansado de apanhar todos os dias, estava cansado de ninguém se importar consigo. Ele pedira a Deus tantas vezes para ajuda-lo...E seu pedido fora concedido. Mal é bem próvavel que não fora Deus quem o ajudara. Ele não sabe ao certo como acontecera. Naquele dia, antes de desmaiar por um bom tempo ele ouvira uma voz em seu subconsciente dizendo “ Eu estou aqui para ajuda-lo DaeHyun...Não se preocupe, deixe o trabalho comigo “. Quando acordara estava deitado na sua cama. Estava em casa. Levantara, sentindo uma pontada dor na cabeça. Vira um pedaço de papel com um pouco de sangue em cima de uma mesinha que havia em seu quarto. O pegara e começara a ler. Ficara extremamente assustado com o que lera e lágrimas começaram a rolar em seu rosto. Na carta dizia o seguinte :

“ Caro DaeHyun


É um prazer finalmente te conhecer. Estive muito tempo escondido dentre de si, esperando o momento certo para aparecer. E este dia finalmente chegara. Antes que me esqueça, sou Jimin, prazer, o segundo “ você “. Pode me considerar sua segunda personalidade, aquele quem te ajudara a partir daqui no que precisar. Foi o que eu fiz ontem. Tive que fazer com que você desmaiasse para que pudesse aparecer e fazer o meu pequeno trabalho. Sabe aqueles seus “ amiguinhos “ que te batiam, te xingavam, te perturbavam, etc ? Então, eles estão mortos agora. Graças a mim. Matei todos eles, um por um. O fiz ver suas mortes em meus olhos. Todos estão mortos agora e tratei de queimar os corpos muito bem. Mas não acha que farei isso a partir de agora. Isso fora apenas o começo. Ninguém os encontrara, assim como ninguém desconfiara de si, então não precisa se preocupar, tudo bem ? Mas, acho bom que você fuja dai. Você precisa ir embora, não continue vivendo nesta casa. Sua mãe não se importa consigo, então por que continua vivendo em um lugar desses ? Procure outra família, que o faça feliz. Enfim, a partir de agora aparecerei algumas vezes, quando estiver com fome. Sim, fome. Eu comi a carne de alguns de seus amigos, era realmente muito boa. Adoro carne de crianças, são as mais saborosas. Guardei um pedaço para você também, então trate de a comer. Bem, acho que é isso. Quando quiser conversar e só me chamar. Espero que possamos ser amigos. Ou não.

Até mais, Daehyun.
Assinado : Jimin “


Depois daquilo DaeHyun fizera o que Jimin mandara. Comera a carne que fora deixada para si e fugira de casa. Ele acabara por ser levado para um orfanato, já que o encontraram vagando nas ruas escuras. Ele ficara no lugar por muito pouco tempo, até que um casal gentil o adotara. Ele sentia que podia ser feliz dali. Mas com isto se lembrava de Jimin. Ele não aparecera enquanto estava no orfanato, e tentava conversar consigo algumas vezes, obrigando DaeHyun a responde-lo. Por pouco tempo ele fora feliz. Mas Jimin aparecera e matara uma pessoa. DaeHyun ainda naquele época era novo,e por sorte ninguém descobrira que fora si, ou melhor, Jimin. Isto seguira, de sua infância, adolescência e vida adulta. Ele já sabia se comunicar melhor com as pessoas, não era mais tímido e conseguia fazer fáceis amizades. Jimin não gostava disso, nem um pouco. Então ele matara um dos amigos de DaeHyun, e isto acontecera o mesmo quando o jovem tivera seu primeiro namorado. Com isto ele se afastara das pessoas, com medo de Jimin as matar. Se isolara cada vez mais. Seus pais achavam isso estranho. Estavam preocupados. Naquela época era DaeHyun que tinha de esconder o corpo algumas vezes, se não a maioria. E nunca fora pego, já que não deixava digitais no corpo ou o queimava, jogava no mar, coisas assim. Até que chegara um certo dia onde seus pais insistiram muito, perguntando o que estava acontecendo com o jovem agora já adulto. Cansado daquilo e desesperado ele contara tudo. Contara seu passado e sobre Jimin, principalmente. Os dois ficaram assustados com aquilo, não acreditando no que o filho dizia. DaeHyun ficara com medo daquilo, se arrependendo de contar a verdade, achando que seus pais iriam o denunciar e ele seria preso. Ou até mesmo morto. Mas não fora o que acontecera, pois seus pais acharam que ele estava louco. Então, depois de muito pensar colocaram DaeHyun em Munlock House. DaeHyun não concordara com aquilo e tentara fugir. Mas com isto, seus pais disseram que se ele fugisse iriam o denunciar. Então ele aceitara e fora para o lugar, onde vive um inferno até então. Isto vale principalmente para Jimin, que não pode matar quando quer. E realmente parece que DaeHyun é um louco. Mas, talvez ele já seja assim a muito tempo, desde quando Jimin aparecera em sua vida. Nunca se sabe.

[ ;Aqui vou explicar um pouco sobre quem é Jimin e tudo mais :: Ele é basicamente algo criado pelo DaeHyun, mas funciona como uma segunda personalidade, pois ele existe e pode tomar o controle de DaeHyun caso ele não seja forte o suficiente para para-lo, coisa na qual ele não é, por isso na maioria dos casos Jimin pode tomar o controle de seu corpo e fazer o que ele bem entender com este, podendo se passar por DaeHyun a qualquer momento. Jimin fora o refugio de DaeHyun, pois quando ele mais precisava de alguém para ajuda-lo ele aparecera e fizera isto, mesmo que de um modo ruim e totalmente ao contrário do que DaeHyun queria. Durante anos ele não fazia nada quanto Jimin, deixava ele fazer o que quiser e o obedecia se mais, mas no agora ele tenta o controlar um pouco e não o obedece na maioria das vezes. Concluindo : DaeHyun quer que Jimin desaparecera. Ele já lhe causara muitos problemas e já o fizera sofrer muito mesmo, além do fato dele estar em Munlok House por conta do outro. Ele apenas quer que Jimin vá embora de uma vez. Mas o mesmo não quer ser esquecido e faz de tudo para Dae não o esquecer. Ele sente um absurdo medo de ser esquecido e desaparecer. Até por que, no fundo, ele também quer viver, assim como o outro. O grande problema é que só tem espaço para um DaeHyun. Só pode existir um deles. E não é certo qual deles ficara para sempre; ]

》Motivo de ter ido para a Munlock House :: Seus pais acreditam que ele é louco, algo que pode ser verdade até então.

》Gostos/Desgostos ::
Gostos da primeira personalidade - Cantar, Dançar, Comer, Snapbacks, Bandanas, Moda, Colorir o Cabelo, Rir & Sorrir, Animais Fofos, Ouvir Música, Se divertir, Divertir aqueles ao seu redor, Chá Verde, Cozinhar, Bolo de Baunilha, Óculos, Tudo que tenha Morangos, Brincadeiras, Jogos, Pintar, Damas, Constelações, Ler, Flores, Doces.

Gostos da segunda personalidade - Carne Humana, Matar, Sangue, Vítimas mais jovens, DaeHyun, Fazer Daehyun obedecer seus comandos, Facas, Armas, Tortura, Quando DaeHyun pede sua ajuda, Comer, Ter o comando das situações, Arrumar Encrencas, Brigas, Sexo, Xadrez, Histórias e Filmes de Terror, Colocar medo nas pessoas, Animais Selvagens, Tesouras, Ironia e Sarcasmo, Provocar e Irritar DaeHyun, Tinta, Falar no subconsciente de DaeHyun.

Desgostos da primeira personalidade - Arrumar brigas, Animais Selvagens, Galinhas, Trovões, Escuridão ou Breu, Leite, Cogumelos, Sua Segunda Personalidade - ou Jimin como mais conhecido, Seu passado, Insetos, Mal Odor, Sangue, Comidas Azedas, Chorar, Munlock House, Pedir ajuda de Jimin, Se Apaixonar, Sentir medo, Ser fraco demais, Ouvir provocações de Jimin, Se irritar, Afastar as pessoas de si.

Desgostos da segunda personalidade - Ser visto como o inimigo, DaeHyun não obedecer suas ordens, Amor, Receber Ordens, Ser preso a algo ou alguém, Munlock House, Melosidade, Se Apaixonar, Ser segunda opção.

》Medos/Fobias ::
Medos de DaeHyun - Que se Apaixonem por si, Se apaixonar, Insetos, Cogumelos.
Medos de Jimin - Ser esquecido por DaeHyun, que ele não precise mais de si, Que não exista mais.

Fobias -
x

》Vício(s) ::
Jimin - Não sei ao certo se pode considerar isso um vício, mas ele ama carne humana e matar pessoas.

》Relação com familiares ::
Isso é incluído apenas a DaeHyun, já que Jimin nunca considerara os pais adotivos dele como algo seu também. Só sentia um pouco de raiva e ciúmes ao vê-los todos juntos, sentindo várias vezes vontade de mata-los, mas não o fizera.

Mãe Adotiva -
Sua mãe adotiva sempre fora muito gentil consigo. O mimava bastante, dando tudo de melhor para o garoto, que ficava surpreso e agradecido, já que nunca ganhara coisas assim antes, além do amor que a mulher lhe dava, coisa que não sentia a um bom tempo. É agradecido a mulher por tudo que ela fizera por si nos anos passados. Era bem próxima dela quando criança, eles gostavam de fazer coisas juntas no dia. Mas isto não fazia com que DaeHyun sempre tomasse cuidado, já que o medo de Jimin matar a mulher sempre era presente em si, além do fato de ter medo da mesma descobrir sobre quem ele é de verdade. Ficara realmente triste quando a mulher aceitara que ele fosse para Munlock House, mas não sentia raiva dela, sabia que ele só estava desesperada, diferente de Jimin, na qual a raiva acumulara em si. Sua segunda personalidade quase o convencera a fugir e tomar sua consciência, mas não dera certo por DaeHyun ter sido mais forte. A mulher o visita muitas vezes, já que não é tão ocupada assim, então gosta de ir ver o filho, pois sente muitas saudades do mesmo.

Pai Adotivo -
Assim como sua mãe adotiva, seu pai adotivo também era bem próximo de si. Gostavam de passar o famoso tempo de pai e filho, jogando bola, tocando algum instrumentos da sala de música, jogando vídeo game juntos e coisas aqui. Seu pai, apesar de ser ocupado muitas vezes não deixava de da-lo atenção e quando estava em casa tendia a passar pelo menos um tempo com o filho. Não o mimava tanto quanto a mãe, mas gostava da-lo coisas nas quais gostava, já que provavelmente ele nunca tivera coisas assim. Ele provavelmente fora quem mais ficara assustado com o passado de seu filho e sobre sua dupla personalidade. Na realidade, ele acreditara nisso e sentira muito medo do filho, mas não demonstrara. Ele quem tivera a ideia de levar o filho para Munlock House e ficara até aliviado quando a mulher aceitara. Ainda sim, ele visita o filho no lugar algumas vezes, junto da mulher principalmente, mas não gosta muito de ir até lá.

Não colocarei a mãe materna dele por o mesmo não a considerar uma mãe a um bom tempo, então fica apenas a adotiva

》Par :: O mesmo com ele, quem quiser apenas homens. Ah, Disponível.

》Relação com o par ::

DaeHyun - Ele não percebera de inicio que está apaixonado. Tratara a pessoa com gentileza, assim como faz com outras pessoas, mas com o par em si ele é bem amoroso, gostar de ficar junto do mesmo, lhe fazer carinhos e coisas assim. Quando perceber que está apaixonado ira fastar o par o mais possível que conseguir, mesmo que não queira, mas não quer que o mesmo se machuque, então certos sacríficos devem ser feitos. Ele é ele mesmo, mais ou menos, tende a se esconder na maioria das vezes e é bem provável que lhe conte sobre seu passado
.
Jimin - Assim como DaeHyun, ele não percebe que está apaixonado. Mas quando isso acontecer, será meio difícil para si, já que o corpo é de DaeHyun, e será ainda mais caso os dois se apaixonem pela mesma pessoa, pois querendo ou não Jimin conhecera a pessoa. No inicio ele finge ser DaeHyun, tratando o par do mesmo jeito que o jovem faz, mas depois de um tempo ele se mostrara de verdade. Mostrara quem é. Jimin não é uma das melhores “ pessoas “ na qual se tem um relacionamento. Na realidade, ele nunca tivera um relacionamento, e não é certo se isso acontecera. Ele pode tratar o par de um modo bem violento e isso provavelmente vai começar com o sexo, na qual ele adora fazer a pessoa sofrer também, além de gostar de faze-la sangrar durante, e isso vai crescendo mais. Ele não muda, continua tendo a mesma personalidade, mesmo apaixonado.

Caso DaeHyun tiver um par será mais legal que ele e Jimin estejam apaixonados pelo mesmo personagem. Acho que dá uma trama melhor, mas faça do jeito que achar melhor, não tenho uma preferencia no caso de quiser que um deles se apaixonem. Pode escolher qualquer um nesse caso.

》Música(s) tema(s) ::
Monster - Skillet


》Algo a mais ? :: Espero que tenha gostado e me desculpe qualquer erro.

¤ A partir do momento em que enviar sua ficha seu personagem me pertence ¤



.This is your last warning, a courtesy call.

{ Pills }



;The pills numb the insane souls,-

.Ficha.

》Nome completo :: Jung Dak-Ho | Dak-Ho Jung

》Idade :: 24 anos

》Aparência ::

Park Chanyeol - Exo
Dak-Ho é um homem de boa aparência, isto é completamente notável. Apresenta traços finos e muito bem distribuídos em seu corpo. Possui cabelos negros, mas agora que os pintara está der uma cor puxada para o branco e para um loiro de tom bem claro. Eles sempre estão meio bagunçados, pois o mesmo não gosta de arruma-los, então os deixa de forma natural. Sua pele é de um tom claro e, com isto, ele não pode ficar muito tempo exposto ao sol, pois com isto poderá se queimar facilmente. Mas não é como se ele gostasse do mesmo. Seu rosto é fino, com um queixo quadriculado é muito bonito, assim como seu maxilar, que também é muito bonito. Seus Lábios são de um tamanho mediano, Nariz do mesmo jeito, Sobrancelhas um pouco grossas, nas quais na maioria das vezes são cobertas pelas suas franjas, Orelhas bem grandes, sendo uma de suas características principais/marcantes. Seus olhos são de um tamanho pequeno e sem a luz no olhar. Suas íris são de uma cor castanho escuro, puxado para o preto e as pupilas negras. Contem um corpo basicamente magro e um tanto quanto definido, junto de músculos fortes e fartos, por conta de seus constantes treinos. Apresenta uma estrutura alta, outra de sua característica marcante, tendo assim 1,85 cm de altura e pesando por volta de 63kg ou mais.







》Nacionalidade :: Sul Coreano | Norte Americano

》Personalidade ::

Costuma ser bastante agradável, já que tem o habito de bajular e incentivar as pessoas, até mesmo pelo fato de que utiliza desta bajulação para manipular quem está ao seu redor. Dak-Ho é uma pessoa cuja personalidade é difícil de se ler. Ele é um ator experiente, capaz de enganar qualquer um com um simples olhar inocente. O garoto é alguém curioso, não consegue se segurar quando o assunto é saber o que realmente está acontecendo de verdade. É um jovem extremamente violento, assim quando perde o controle de si simplesmente não consegue se controlar e ataca a determina pessoa ou grupo de maneira brutal, sem medir quaisquer escrúpulos. É completamente bárbaro e cruel, não possuindo dó ou sequer piedade de seus oponentes. Dak-Ho consegue se tornar automaticamente impiedoso em um piscar de olhos contra os seus inimigos ou com aqueles que não confia. O garoto é um ser incrivelmente inteligente, assim apresentando um QI elevado, além de obter conhecimento sobre diversos tipos de assuntos, temas, entre outras coisas. Ele consegue criar estratégias rapidamente, sem precisar levar muito tempo para isso, e isto mesmo nos momentos mais eficazes, difíceis e apreensível. Sempre tendo uma resposta na ponta de sua língua, ele não mede esforços ao falar o que acha e pensa e adora dizer tudo isso na cara das pessoas. Ele não tem sequer medo das consequências que poderão acontecer por conta do que fala. O jovem realmente não liga. É capaz de distinguir se uma pessoa está a mentir apenas olhando as expressões de sua face. Ninguém consegue esconder nada de si, ele sempre consegue perceber tudo e ira irritar o cujo dito até o mesmo lhe dizer a verdade. Consegue ainda distinguir como uma pessoa está se sentindo olhando em seu rosto. Mesmo está estando com uma cara ‘’ normal ‘’ ele ira adivinhar rapidamente, assim logo perguntando o que aconteceu. O garoto sempre está a desconfiar daqueles ao seu redor. Só pega confiança de alguém quando a conhece a muito tempo. Caso contrario, isso não era acontecer. Ele é alguém sádico, logo gostando de fazer outras pessoas sofrerem. È claro, Dak-Ho é assim apenas com quem merece, mas também gosta de se mostrar ser alguém deste jeito por diversão. Adora ver o rosto assustado das pessoas. Também é alguém extremamente sarcástico e quase sempre fala deste modo. A ironia também está presente em seu vocabulário. Dak-Ho é arrogante. Extremamente e completamente. Realmente não se importa com o que as pessoas pensam de si, o Jung é apenas ele mesmo, não escondendo quem é realmente. Ama provocar as pessoas. Sente um imenso prazer com isso. Com aqueles que gosta costuma os provocar de modo malicioso, apenas para os ver corar. Também gosta de um bom desafio, assim sempre está a desafiar aqueles ao seu redor para ver quem é melhor em que. Costuma fazer mais isso com quem possui uma forte rivalidade. Simplesmente é um péssimo perdedor, não aceitando sua derrota antes de tentar diversas outras vezes. Mas, quando ganha, tende a comemorar muito, se gabando, mas não jogando na cara das pessoas, ao menos que não goste muito desta. Totalmente perverso, gostando de provocar e deixar as pessoas enrubescidas. Consegue fazer isso facilmente. Fala diversas vezes de modo malicioso e entende muitas coisas neste sentido, logo dando sorrisos largos e falando sobre isso a pessoa. Pode facilmente seduzir alguém apenas com um olhar sedutor e sorrisos pequenos. Pode as persuadir, as conduzindo a fazer tudo o que quer e na hora em que quer. Uma pessoa independente, nunca precisará de tanta ajuda quando menor, conseguindo fazer a maioria de suas tarefas por si só. Extremamente sincero, possui suas próprias opiniões e costuma machucar aqueles ao seu redor com o que diz. Nunca ira muda-las por conta de alguém, simplesmente não se vê sendo alguém assim. Um péssimo conselheiro. Não sabe o que dizer ou realizar quando alguém o pede algum conselho, principalmente quando está a chorar. Tende a fazer um esforço com quem gosta, mas não é sempre que consegue dizer algo construtivo, por mais que tente. Apesar de ter inúmeros defeitos, Dak-Ho é alguém que tem em um ótimo senso de humor, assim adorando fazer brincadeiras e principalmente piadinhas. Gosta de se divertir com aqueles que gosta, e apesar de mostrar ser alguém rebelde e valentão isso é apenas uma máscara que tende a cobrir quem ele é realmente, e poucas pessoas sabem o que há por trás desta. Na realidade, quase ninguém, já que ele não costuma se abrir muito. Ele consegue ficar nervoso facilmente, ainda mais quando o dizem coisas que ele simplesmente não pode aceitar. Ele entende quando falam com si brincando, até por que ele sempre está a zoar as outras pessoas, e assim como entende quando falam deste modo, ele sabe quando estão tentando o provocar e o irritar. Ele consegue ficar ainda mais irritado quando falam de suas orelhas que possuem um tamanho um tanto quanto grande ou sobre sua altura enorme. Ele simplesmente odeia que debochem ou zoam de sua altura e orelhas, podendo ficar nervoso rapidamente apenas por conta disso. Dak-Ho é alguém corajoso, não tendo medo de enfrentar novas coisas, principalmente pessoas. No entanto, ele age cautelosamente quando vê que pode acabar se dando mal em algo. Dak-Ho é um homem totalmente atrevido. Ele possui a audácia de fazer tudo que a pessoa não quer que ele faça, assim não obedecendo as ordens dadas a si. Até por que, este odeia seguir regras e obedecer ordens. Gosta de fazer as coisas do seu jeito, mesmo que estes possam causar problemas a alguém. Este prefere se ariscar do que ter de obedecer ordens de certas pessoas. Costuma ainda realizar movimentos bastante extensos e intensos, praticamente como se estivesse o tempo todo em um grande jogo de atuação, em um palco sem fim, no teatro da vida.

》História ::

Dak-Ho nascera nos EUA, mas quando menor se mudara para Seul - Coréia do Sul, onde parte de seus parentes moravam. Viera de uma família extremamente rica e fora nascido em um berço de ouro. Desde quando pequeno sempre tivera tudo o que queria e no colégio era popular apenas por conta de seu status social, dinheiro e pais, já que estes são presidente e vice-presidente de um dos maiores bancos da Coreia. Sua linhagem de família fora passada durante antes e o futuro de Dak-Ho já estava previsto desde quando nascera. Ele seria o próximo presidente do banco, se não o dono, já que isto dependeria de seu avô, que era o dono do mesmo. Ele se casaria com uma garota de família rica e teria filhos para passar o sobrenome da família adiante. Sendo filho único ele tinha a obrigação de seguir essas regras. Mas, ele não queria nada disso. Desde quando menor ele sentia uma certa atração pelo fogo, gostando de tudo que envolvia o mesmo. Muitas vezes ele era visto sentado na frente da lareira, apenas o apreciando. No inicio, seus pais não acharam isso nada demais, mas conforme o garoto crescia se tornava pior. Ainda quando criança, entre seus 8 anos, ele já era um jovem um tanto quanto problemático. Aprontava na escola, fugia da mesma, fazia brincadeiras com os professores, colocava fogo na lata de lixo e coisas deste tipo. Não era difícil o encontrar na sala do diretor. Ele trocara várias e várias vezes de escola por conta de seu mau comportamento, até seus pais não aguentarem mais e o ameaçaram colocar em um colégio militar caso não se comportasse. Como Dak-Ho não queria isso de modo algum ele passara a se comportar melhor, pelo menos era o que demonstrava. Na escola, não fazia mais as traquinagens de antes e isso deixava os funcionários e seus pais aliviados, pois já não aguentavam o comportamento do garoto. Mas, é claro que ele não parara, fazia aquilo nas ruas, com muita cautela e cuidado. Ele continuara assim por uns tempos. Ainda mantinha sua paixão pelo fogo, mas só em sua adolescência que o mesmo causara problemas maiores, mas nunca era pego, pois se escondia. Coisas como causar incêndios “ acidentais “ e colocar fogo em outras coisas maiores. Seus pais foram descobrir isso quando Dak-Ho fora pego pela polícia em uma de suas fugidas. Fora um escândalo enorme saber que o filho de duas pessoas renomadas fora pego colocando fogo em um lixão. Seus pais não podiam aceitar aquilo, ver suas respectivas imagens sendo sujada por seu filho bastardo. Aquilo estava totalmente fora do controle, o vício de Dak-Ho aumentava cada vez mais, um tipo de vício diferente e estranho. Dak-Ho amava o fogo, o apreciava e fora difícil para ele ter se de “ afastar “ de seu pequeno vício. Seus pais o colocaram no colégio militar e ele ficara no lugar por um longo tempo, até acharem que o mesmo não precisava mais ficar ali. Até mesmo o próprio achara que mudara, mas isso não acontecera. Ele apenas fingia, como sempre fazia. Ainda amava o fogo, era o seu pequeno vício na qual não conseguia largar de modo algum. Seus pais realmente acharam que ele havia mudado, de verdade. Mas, infelizmente isso não acontecera. Dak-Ho se portara até ser um adulto formado. Seus pais ainda mantinham o mesmo futuro de antes para ele, mas não é como se ele fosse aceitar. Ele fora morar sozinho em um apartamento bancado pelos pais e trabalhava em uma livraria de dia e um bar a noite. Até parecia que ele tinha uma vida normal, mas não era mesmo assim. Ele ainda se comportava como um adolescente e voltara a colocar fogo nas coisas, apenas para o seu bem prazer. O mais grave que fizera fora quando colocara fogo em um prédio, mas isto acidentalmente. Não houve morte, até por que poucas pessoas moravam ali, por ser bem velho, mas não conseguiram o recuperar. Dak-Ho fora pego e preso, novamente. Ele não tinha dinheiro para pagar a fiança e pedira ajuda para seus pais, que o ajudaram, querendo ou não. Uma longa noite de discussão fora criada. Seus pais estavam com medo de si, o achavam um monstro, um maníaco, um viciado por fogo. Ou melhor, um piromaníaco. Era isso o que Dak-Ho era. Seus pais não tinham mais esperança em si. Seu filho era um louco, um louco por fogo. Eles não sabiam o que fazer. Primeiramente começara com as terapias, psicólogos e afins. Não funcionara. O levaram de volta para casa sua casa e o monitoravam dia e noite, noite e dia. Tiraram seu vicio de si. Realmente estavam o tratando como uma criança, e ele simplesmente odiava isso, até por que era um adulto, apesar de não se comportar como um. Ele passara a se concentrar em outro vício, um que já tinha a um bom tempo : O Cigarro. Este era o seu segundo vício favorito, e último também. Ele conseguia fumar as escondidas quando não estavam de olho sim. Isso o relaxava, de certo modo. Mas, não aguentando por ficar mais sem seu primeiro vício ele fizera algo pior, apesar de não querer ter feito. Dak-Ho simplesmente fora pego fumando pelo seu segurança. O mesmo fora para cima de Dak-Ho e tentara pegar o cigarro de si, que não deixava de modo algum. Isso resultara no mesmo caindo no chão e um fogo começara. Desesperados, os dois tentaram apagar o fogo, mas isso apenas ajudava com que ele ficasse cada vez maior. Aquele dia fora uma total loucura, mas felizmente a mansão de seus pais não fora ateada em fogo. Mas, ficara subentendido que Dak-Ho fizera aquilo de proposito, mas ele nunca quis fazer isso. Seus pais não o ouviram e colocaram a culpa em si sem mais nem menos. Com isto não tiveram escolha ao não o levarem para Munlock House. O jovem tentara muito fugir e implorar aos seus pais, mas isso não adiantara de nada. Ele fora levado para o lugar, sem escolhas. Fora levado a força. Se ele tentar fugir ? Várias e várias vezes. Mas isto nunca funcionava e isso resultava em o mesmo sofrer ainda mais. Dak-Ho até sentia que estava ficando louco. Louco por não ter nenhum de seus vícios, louco por ter de ficar naquele lugar na qual odiava a força, louco por não conseguir fugir. Bem, é provável que ele está ficando deste jeito. Aos poucos ficando cada vez mais louco Munlock House o deixava louco. E por isso ele não desistiria de sair daquele lugar. Mesmo que tenha de sofrer ou até mesmo morrer por isso.

Eita, desculpe pela porcaria e longa história, não tinha muitas ideias quanto a mesma, então apenas fui escrevendo o que me vinha a mente. E sobre a parte do morrer, não mate meu querido Dak-Ho, pela mor de deus T.T

》Motivo de ter ido para a Munlock House :: Por quase ter colocado fogo na casa de seus pais, coisa que não fora culpa do mesmo.

》Gostos/Desgostos ::

Gostos - Colorir, Música, Rap, Beat Boxing, Tatuagens, Fumar, Cigarro, Beber, Sexo, Mangas, Rir, Piadas, Arrumar Encrenca, Felinos, Inverno, Frio, Neve, Apostas, Desafios, Vencer, Provocar as Pessoas, Praticar Esportes, Treinar, Artes Marciais, Lutas, Tocar Piano - Guitarra e Violão, Bonés, Colorir o Cabelo, Compor musicas, Vídeo Game, Fogo e tudo que tenha haver com ele, Apreciar o Fogo, Colocar Fogo em objetos e afins, Chamas, Vermelho, Armas, Fotografia, Tirar Fotos de coisas interessantes, Chá de Hortelã.

Desgostos - Comidas Apimentadas, Bonecas, Preconceito, Maus tratos aos Animais, Chorar, Dar Conselhos, Pessoas Mimadas - Fúteis - Convencidas - Mandonas, Receber Ordens, Perder, Patos | Ser Observado por eles, Apaixonar-se, Melosidade, Que o Subestimem, Lugares Apertados e Fechados, Casamentos, Namoros e afins, Falem de sua altura ou orelhas, Praias, Mar | Oceano, Abelhas, Relacionamentos, Tudo que envolva o amor, Mal Odor, Que o encarem demais, Mentir e Mentiras, Falsidade, Munlock House, Agulhas e Injeções, Sedativos, Seus pais, Pimenta.

》Medos/Fobias ::
Medos - Lugares Fechados e Apertados, Bonecas, Apaixonar-se, Patos | Ser Observado por eles
Fobias - Claustrofobia - Medo de Lugares Fechados

》Vício(s) :: Colocar fogo nas coisas, Apreciar o Fogo, O Fogo em si, Cigarro

》Relação com familiares ::

Pai ~ Jung Hyun-Ki
Ele nunca tivera uma relação como esta vistas na rua ou em filmes com seu pai. Ele era um homem ocupado, nunca tivera tempo para Dak-Ho, e este por sua vez passara a não se importar depois de um tempo. Não é como se ele não quisesse jogar bola ou vídeo game com o velho, ele sempre pensara isso durante sua infância. Mas após ver que ele apenas se importava com si mesmo e seu dinheiro o garoto não se importara mais. Quando perto do mais velho era poucas as palavras trocadas com si. Eram perguntas frequentes e chatas, que Dak-Ho respondia sem muitos detalhes. Era mais fácil os ver brigando do que conversando. Seu pai sempre discutia com sigo quando o mesmo aprontava alguma na escola. E, depois do que Dak-Ho “ fizera “ quando mais velho o homem já não mais confiava ou tinha futuros para o filho. Só queria o ver longe de si. Sentia nojo de o chamar de filho e se perguntava para Buda o por que de não terem trazido um filho comportado para si, ao ínves de um bastardo louco pelo fogo. Seu pai não o visita, nunca fizera isso, mas não é como se Dak-Ho quisesse, não gostava de ver o rosto de seu pai nem por um segundo.

Mãe ~ Jung Min-Jee
Apesar de ser uma mulher ocupada sua mãe sempre lhe dera atenção, mesmo que na maioria dos casos fosse mínima, mas o garoto não reclamava. Preferia conversar com sua mãe do que com seu pai, ela era compreensiva e não o julgava a todo momento, mesmo quando aprontava na escola. Claro que a mulher o alertava e o reprendia, toda mãe faz isso, mas ela sabia o perdoar. Mesmo quando fora preso e começara a utilizar o fogo para seu prazer ela o perdoava. Mas, isso não acontecera quando Dak-Ho quase “ colocara “ fogo na casa. Pelo menos era isso o que ele pensava. A mulher não dissera nada daquele dia, apenas concordava com o marido, mesmo não querendo. Dak-Ho o achava uma fraca por não dizer o que realmente queria, mas de nada adiantaria. A mulher até tentara convencer o marido, mas de nada adiantara, e Dak-Ho fora levado para a Munlock House. Ainda sim, ela o visita como pode, mas o jovem não gosta de vê-la e já pedira diversas vezes para que ela não o visitasse, mas isso não adianta muito, ela continua o visitando quando pode, quer ele queira ou não.

Vó ~ Kim Myung-Hee
Sua avó sempre fora bem próxima de si, talvez a familiar que mais seja próxima de Dak-Ho. Quando ele fora morar na Coreia do Sul muitas vezes a senhora ia até sua casa cuidar de si, quando os pais não estavam, além do fato de Dak-Ho não gostar muito de babás. A mulher poucas vezes brigava com si, mas por pouco tempo ficava irritada com o garoto. O mimava bastante quando criança, comprava presentes, cozinhava para ele e brincava do que ele queria. Quando o jovem começara a aprontar na escola ela tentava o alerta-lo, falando que fazer coisas assim poderiam prejudica-lo muito no futuro. Mas de nada adiantara. Ela ainda tenta fazer o melhor para seu neto e quer que ele saia do lugar que o colocaram a todo custo, mas não pode fazer muito. O visita várias vezes, sempre acompanhando sua filha também.

Avô por parte de pai ~ Kim Seung
Dak-Ho também se dava muito bem com seu avô, um senhor que poderia parecer sério e rígido, mas que na realidade era bem calmo e gentil. Sempre quis o melhor para o neto e achava errado o fato de seu filho fazer com seu neto seja consigo e só obedeça o que ele manda, tendo um futuro já trilhado para o outro. Nunca aprovara isso, e mesmo que conversara com o outro algumas vezes não adiantava muito. Seung também ia algumas vezes na casa de Dak-Ho para cuidar de si, quando tinha tempo é claro, pois querendo ou não é um homem ocupado, tendo milhares coisas para fazer durante o dia. Tentara conversar diversas vezes com o neto quando o mesmo fazia coisas erradas. O alertava, como a avó, e o auxiliava também. Não gostava do fato do neto se comportar tão mal, logo queria o ajudar da melhor maneira possível. Mas de nada adiantava. Achara completamente injusto quando seu filho junto da mulher decidiram o levar para aquele lugar. Tentara de toda as maneiras possíveis convencer o filho e ainda está nisso, bolando planos na sua cabeça para tirar Dak-Ho de lá. Até por que ele não acreditara na história contada pelo segurança antigo do neto. Ele o visita quando pode, sempre sozinho, já que o pai do garoto não aceita ir e o homem sentira um certo ódio da mãe do neto por não ter impedido seu marido.

》Par :: Disponível [ pra quem quiser apenas homens pela mor de deus ]

》Relação com o par ::

É bem difícil para Dak-Ho ter um relacionamento. No máximo ele apenas fica com a pessoa. Alguns dias de sexo e apenas, sem quaisquer emoções para si. É bem simples o por que de não entrar em relacionamentos. Dos dois que tivera ambos ele fora abandonado pelos seus parceiros, que no caso seria uma garota e o último um homem. Ele ficara destruído. Completamente. Não queria mais sentir aquela dor novamente. E por isso decidira por não se relacionar mais desta maneira com as pessoas.

Quanto ao par dele, claro que será uma exceção. Ele se apaixonara novamente, por mais que não queira, por mais que impeça, por mais que afaste a pessoa. Dak-Ho se porta de maneira “ normal “. Ele é ele mesmo, independente se começa a gostar da pessoa. Pode haver de ele mudar um pouco por está pessoa. Mas é apenas uma hipótese, não é certo se ele fara isto ou não. Também é possível que ele seja um pouco mais...gentil ? Sim, gentil, mas apenas com está pessoa. Também é bem ciumento, mas não do jeito possessivo. Odeia isso, assim como ciúmes, mas não tem como não sentir algo assim quando vê certas coisas. Se tentarem causar algum mal para seu par ele não medira esforços ao ser um tanto quanto violento. E a força dele não é pouca, e conforme o quão irritado ele fique sua força vai “ aumentando “. Ele pode agir muitas vezes agressivamente, mesmo com seu par, mas não é por querer. Dak-Ho apenas não pensa quando faz algumas coisas, principalmente se o fogo estiver no meio disso. Mas, a pior coisa que poderia fazer com seu par é o machuca-lo. Ele se desesperara e se culpara por um bom tempo. Além disso, caso perceber que está então apaixonado ele fará de tudo para afastar esses sentimentos, assim como tal pessoa, até por que não quer sentir algo assim. Não quer ser abandonado novamente, não quer sofrer. Dak-Ho pode ser um pouco amoroso, mas apenas um pouco. Não é nem um pouco meloso, não gosta de demonstrações de afeto e sentimento em público. Se quiser ir “ namorar “ em algum lugar que seja a sós, apenas ele e o par. É bem provável que as coisas possa começar apenas com sexo sem sentimento, mas que vai aumentando conforme o tempo. Nunca se sabe.

》Música(s) tema(s) ::
Runnin - Adam Lambert


》Algo a mais ? ::
Yeah, espero que tenha gostado, e desculpe qualquer erro.

¤ A partir do momento em que enviar sua ficha seu personagem me pertence ¤


@Habatai\\ tara modorenai t.o itte
Me|zashita no w-a aoi aoi ano sora;

[ Rei✶nhart Sch✶ool: O Bada✶lar do Si✶no ]



Ficha⭐

⭐♥Nome♥⭐
Freya Young

⭐♥Idade♥⭐
17 anos. Nascida em 11 de Fevereiro, sendo do Signo de Aquário

⭐♥Aparência♥⭐
Hotaru Shidare de Dagashi Kashi
Freya é uma garota de bela aparência, isto não pode ser negado. Possui traços bonitos, dando-lhe um charme natural. Seus cabelos são de cor roxa lilás, e estes são sedosos e cheirosos, além de serem curtos. Eles sempre estão bem arrumados e sempre acompanhados de um arco preto com uma rosa da mesma cor. Sua pele é de um tom claro e macio. Também é um tanto quanto delicada e por conta disso a garota não pode ficar muito tempo exposta ao sol. Por este motivo que Freya não gosta muito do mesmo, e prefere o evitar, para assim não se queimar. Seu rosto é retangular com bochechas fofas. Seu nariz é pequeno e arrebitado, lábios finos, quase sempre curvados em um sorriso que pode apresentar diversos significados, as sobrancelhas também são finas. Seus olhos são de um tamanho mediano, junto de cílios grossos e negros. Suas íris as vezes estão meio azulados e outras roxo lilás, assim como seus cabelos, e suas pupilas são negras sempre bem afiadas. Tudo em seu rosto contém uma grande beleza, causando inveja em muitas pessoas. Seu corpo é de uma estrutura média e ela tem por volta de 1,74 cm de altura e pesa em média 63kg. Seu corpo é magro, seus seios são grandes até demais, o que faz com que ela não goste muito deles as vezes. Apresenta coxas fartas, cintura e quadril de se dar inveja e um bumbum um tanto quanto avantajado.












⭐♥Personalidade♥⭐
Costuma ser bastante agradável, já que tem o habito de bajular e incentivar as pessoas, até mesmo pelo fato de que utiliza desta bajulação para manipular quem está ao seu redor. Freya é uma pessoa cuja personalidade é difícil de se ler. Ela é uma atriz experiente, capaz de enganar qualquer um com um simples olhar inocente. Ela também não se deixa manipular facilmente, até por que o cargo de manipuladora está em suas mãos, e por conta disso nunca cai em algo relacionado a isto. A garota é alguém curiosa, não consegue se segurar quando o assunto é saber o que realmente está acontecendo de verdade. É uma jovem extremamente violenta, assim quando perde o controle de si simplesmente não consegue se controlar e ataca a determina pessoa ou grupo de maneira brutal, sem medir quaisquer escrúpulos. É completamente barbará e cruel, não possuindo dó ou sequer piedade de seus oponentes. Freya consegue se tornar automaticamente impiedosa em um piscar de olhos contra os seus inimigos ou com aqueles que não confia. A garota é um ser incrivelmente inteligente, assim apresentando um QI elevado, além de obter conhecimento sobre diversos tipos de assuntos, temas, entre outras coisas. Ela consegue criar estratégias rapidamente, sem precisar levar muito tempo para isso, e isto mesmo nos momentos mais eficazes, difíceis e apreensível. Ela sempre tende a manter a calma e a devida postura. Sempre tendo uma resposta na ponta de sua língua, ela não mede esforços ao falar o que acha e pensa e adora dizer tudo isso na cara das pessoas. Ela não tem sequer medo das consequências que poderão acontecer por conta do que fala. A jovem realmente não liga. É capaz de distinguir se uma pessoa está a mentir apenas olhando as expressões de sua face. Ninguém consegue esconder nada de si, ela sempre consegue perceber tudo e ira irritar o cujo dito até o mesmo lhe dizer a verdade. Consegue ainda distinguir como uma pessoa está se sentindo olhando em seu rosto. Mesmo está estando com uma cara ‘’ normal ‘’ ela ira adivinhar rapidamente, assim logo perguntando o que aconteceu. Ou não, isso ira depender da sua vontade, na qual pode ter ou não. A garota sempre está a desconfiar daqueles ao seu redor. Só pega confiança de alguém quando a conhece a muito tempo. Caso contrario, isso não era acontecer de modo algum. São raras, se não nenhuma as pessoas na qual possui confiança em tão pouco tempo. Ela possui um conhecimento fora do comum. Entende e sabe sobre diversas coisas e quando pode gosta de obter mais e mais informações sobre tudo. Ela é alguém sádica, logo gostando de fazer outras pessoas sofrerem. È claro, Freya é assim apenas com quem merece, mas também gosta de se mostrar ser alguém deste jeito por diversão. Adora ver o rosto assustado das pessoas. Também é alguém extremamente sarcástica e quase sempre fala deste modo. A ironia também está presente em seu vocabulário. Ama provocar as pessoas. Sente um imenso prazer com isso. Com aqueles que gosta mais costuma os provocar de modo malicioso, apenas para os ver corar. Também gosta de um bom desafio, assim sempre está a desafiar aqueles ao seu redor para ver quem é melhor em que. Costuma fazer mais isso com quem possui uma forte rivalidade. Simplesmente é uma péssima perdedora, não aceitando sua derrota antes de tentar diversas vezes. Mas, quando ganha, tende a comemorar muito, se gabando, mas não jogando na cara das pessoas, ao menos que não goste muito dela. Já quando perde enche suas bochechas e fica muito irritada, desafiando mais e mais a determinada pessoa. Totalmente perversa, gostando de provocar e deixar as pessoas enrubescidas. Consegue fazer isso facilmente. Fala diversas vezes de modo malicioso e entende muitas coisas neste sentido, logo dando sorrisos largos e falando sobre isso a pessoa. Pode facilmente seduzir alguém apenas com um olhar sedutor e sorrisos pequenos. Pode as persuadir, as conduzindo a fazer tudo o que quer e na hora em que quer. Uma garota independente, nunca precisará de tanta ajuda quando menor, conseguindo fazer a maioria de suas tarefas por si só. Extremamente sincera, possui suas próprias opiniões e costuma machucar aqueles ao seu redor com o que diz. Nunca ira muda-las por conta de alguém, simplesmente não se vê sendo alguém assim. Uma péssimo conselheira. Não sabe o que dizer ou realizar quando alguém a pede algum conselho, principalmente quando está a chorar. Tende a fazer um esforço com quem gosta, mas não é sempre que consegue dizer algo construtivo, por mais que tente. A garota tem em um ótimo senso de humor, assim adorando fazer brincadeiras e principalmente piadinhas. Não tende a ficar nervosa facilmente, mas quando a dizem algo que não pode admitir…..ela realmente vira uma completa fera. É alguém corajosa, não tendo medo de enfrentar novas coisas, principalmente pessoas. No entanto, ela age cautelosamente quando vê que pode acabar se dando mal em algo. Freya é uma garota totalmente atrevida. Ela possui a audácia de fazer tudo que a pessoa não quer que ela faça, assim não obedecendo as ordens dadas a si. Ela realmente não tem medo do perigo e nunca se curva-rá a alguém que não quer. Costuma ainda realizar movimentos bastante extensos e intensos, praticamente como se estivesse o tempo todo em um grande jogo de atuação, em um palco sem fim, no teatro da vida.

⭐♥Par♥⭐
Kanato Sakamaki ♥

⭐♥Relação com o par♥⭐
Quando chegara ao colégio sequer prestara atenção direito ao seu redor, mas confessa que olhava um pouco para aqueles que eram populares e tinha várias garotas, principalmente, ao seu redor. Isso a enojava muito, mas não reclamava, apenas ficava na sua e xingando mentalmente tudo na sua cabeça por estar naquele lugar. Freya só fora reparar em Kanato quando o vira de relance enquanto matava aula. Para si o jovem lhe parecia bonito, então ela decidiu pegar uma visão melhor do garoto para ver se era verdade. E realmente era. Ela o achara muito bonito mesmo, se atraindo assim pelo garoto e tendo vontade de o agarrar ali mesmo, mas é claro que não o faria. A primeira coisa que pensara era o quão bonito o jovem era e não esperava pela oportunidade de poder conversar com o garoto a sós. Por fim, dera um largo sorriso malicioso e lambera seus lábios. Para a sua surpresa Kanato olhara na sua direção, com as sobrancelhas arqueadas, parecendo muito como se estivesse lhe falando de verdade o que tanto a mesma encarava. Freya não mudara suas expressões, então apenas sorrira para o garoto e fora embora. Ela não “ avançara “ nele tão rapidamente, até demorara um pouco, ao seu ver. Quando isto acontecera Freya já mostrara a Kanato como era, coisa na qual ele não gostara nem um pouco. A garota pensara o quão divertido aquilo seria, então continuara com aquilo, sempre provocando o jovem da melhor ou pior maneira, na maioria das vezes malicioso. Kanato apenas queria arrancar a cabeça da menina, mas não o fizera, apenas lhe dirigindo palavas banhadas em raiva. Algumas vezes Kanato corava com o que ela dizia, mas ainda mantinha a expressão de irritação em seu semblante, e Freya o achava incrivelmente fofo, querendo lhe apertar. E fora o que ela fizera. Kanato se irritara ainda mais e avançara na garota, que com agilidade conseguia desviar de seus então ataques, e ficara até que surpresa com a reação que o outro tivera. Quase que ela fora acertada, se não fosse pelo fato de um dos irmãos de Kanato interromper aquilo e fazer com que sua pequena diversão acabasse. Freya apenas rira e seguira seu caminho. A relação deles no começo fora basicamente assim, entre “ brigas “, provocações e grosseria vindo por parte do garoto, na qual algumas vezes derrama lágrimas com facilidade na sua frente. Até que aquilo acontecera. Freya estava “passeando” pelo colégio, quando vira Kanato e seu querido companheiro de tapa olho na qual a garota confessava ser fofo mordendo alguém. Ela estranhara aquilo, mas não fora embora e ficara observando aquela cena intrigada. Kanato não parecia ser o tipo de pessoa que ficava mordendo pescoços de garotas por ai. Mas isso não durara muito, pois o jovem de repente parara com aquilo, se afastando da garota, que assutada sairá correndo para algum lugar. Freya estava achando aquilo ainda mais estranho. Até que o de cabelos roxos se virara, com os lábios sujos de sangue e olhando para Freya intensamente, que retribuirá o olhar com as sobrancelhas arqueadas. Não exitara e se aproximara do outro, que achara realmente estranho. Ela lhe perguntara se aquilo em seus lábios era sangue, e ele respondera que sim. Perguntara também o que ele era, um vampiro ? Novamente ele concordara. Agora fora a vez de Kanato e ele lhe perguntara se a mesma era burra, pelo fato de não ter fugido. Ela respondera que apenas não queria fazer isso. Ele perguntara se ela estava com medo e mais uma vez ela respondera que não. Ele disse que não acreditava nisso. E ela respondeu que não podia fazer nada quanto aquilo. E então ele o mordeu, talvez pelo fato de não ter gostado da resposta da outra, quem sabe. Depois daquele não é como se Freya fosse o tratar diferente. Ela continuo sendo a mesma pessoa que sempre fora, o tratando da mesma forma que antes. Nada mudara, e Kanato lhe perguntara o por que disso. Freya apenas respondera que não o trataria diferente pelo fato dele ser um vampiro. Ela estava tudo bem com isto e não se importava com aquilo. Com aquilo Kanato não entendera muito o jeito dela pensar, ficando irritado, passando a beber seu sangue algumas vezes, quando sentia vontade. Freya não se importava muito, então apenas se entregava aquilo.
Freya de verdade tenta entender Kanato. Para si, o jovem parece ter várias personalidades diferentes. As vezes está irritado, as vezes está chorando, as vezes se comporta de um jeito psicótico, as vezes é perturbado, as vezes é mimado e infantil entre outros. Varia muito. Juntando tudo o garoto é alguém estranho, de fato. E por este motivo que a garota gosta tanto dele e sempre está lhe perturbando. Gosta quando ele mostra como é realmente e não é contido na sua frente, sendo apenas ele mesmo. Depois de um tempo ela acabara por perceber que ele também era possessivo. Na realidade percebera isso quando pedira a ele para ver seu urso de pelúcia, na qual prontamente fora negado. Aquilo acabara muito mau, por Freya ter tentado pegar o bichinho e Kanato ter perdido o controle, mas ela soube resolver aquilo sem problemas. A outra vez que o garoto se comportara assim fora quando Freya estava sendo perturbada por um garoto qualquer. Ele neste dia estava lhe enchendo bastante o saco, pelo fato de querer ficar consigo, e ela sempre negava. Enquanto “ conversavam “ Freya dera uma brecha e o garoto aproveitara e a beijara, a segurando fortemente para que conseguisse fugir, tanto que doía um pouco para si. Antes que ela pudesse pensar em algo para fazer contra o outro surge a figura pequena de Kanato, puxando o garoto para longe de Freya e o jogando com força, pulando em cima do mesmo e o batendo o mais forte que podia. Freya se assustara com aquilo. Não esperava que algo assim acontecesse. Ficara alguns minutos analisando a situação, até que se dera por si e tirara Kanato de cima do garoto, assim o levando para longe. O arroxeado tinha o semblante irritado, raivoso. Seus olhos pareciam lacrimejar um pouco. Freya lhe perguntou o por que de ter feito aquilo. Ele não respondeu, apenas saindo irritado dali, sem falar nada. Ela tentara por até que consideravelmente de tempo o fazer falar o motivo de ter feito aquilo. Isso acontecera, por mais que demorara um pouco. Kanato falara que se sentira irritado e triste quando vira a cena. Mas a raiva falara mais forte e quando menos ele esperava estava atacando o garoto. Kanato estava com ciúmes, isto era claro. Freya riu de si. Achara aquilo engraçado. Kanato se irritara, perguntando o por que dela estar rindo. Ela lhe explicara aquilo, sorrindo no final e o agradecendo por ter lhe “ protegido “, de certa forma, mas complementando que poderia resolver aquilo com facilidade, mas isto não importava agora. Ela, de alguma forma, se sentiu feliz com aquilo, mas não deixara transparecer. Talvez a vida estava tentando lhes dizer que a partir daquele momento eles seriam próximos de verdade. Bem, fora mais ou menos isto que acontecera. Eles se comportam da mesma forma que sempre se comportaram enquanto estão juntos, mas algo na qual eles não sabiam o que era havia mudado. Mas ambos não perceberam ou se importaram com isto, e isto se estendera para os dias de hoje. A única diferença é que Freya as vezes sente que sente algo a mais por Kanato, ela só não quer admitir para si mesma.

⭐♥Relação com as outras meninas♥⭐
Freya é apenas ele mesmo, não tende a fingir ser outra pessoa para agrada-la. Se não gostarem de como age, sua personalidade, ótimo. Se gostarem, ótimo também. Ela realmente não se importa com este tipo de coisa, na realidade, não dá a mínima se gostam de si ou não. Pode conhecer alguma delas, uma ou outra apenas, e poderá ou não fazer amizade com o restante. Mas nada é um mar de rosas, então é provável que haja alguém na qual acabe por não gostar, que remete o tipo de pessoa na qual ela não suporta, então prefere ficar longe de pessoas assim e as provocar de vez em quando, apenas para sua própria diversão. Mesmo que seja amiga de umas ela não mudara nada de quem é. Se são sua amiga, é por que a aceitam do modo como Freya age e é, então não é possibilidades ou necessidades dela mudar seu jeito de ser por conta de amigas.

⭐♥Relação com o outros vampiros♥⭐

Shuu Sakamaki
Oh Shuu. Freya realmente gostara dele ( ͡° ͜ʖ ͡°). Quando o vira pela primeira vez o mesmo estava dormindo e Freya, como uma boa garota, o acordara, apenas para o conhecer e principalmente o irritar. No começo Shuu não tinha quaisquer interesses em Freya, até mesmo a ignorava. Mas a garota, sempre insistindo, Shuu não pudera não prestar atenção em seus provocações e começara a entrar em seu pequeno jogo, assim falando com si da mesma forma. As vezes ambos se pegam escutando musica juntos e não trocam nenhuma palavra, apenas ouçam o som da suave musica. Freya gosta do garoto pelo fato dele ser alguém que apenas quer saber de dormir e ouvir musica. Realmente parecido com si, apesar dela gosta de fazer outras coisas além disso. Sempre está lhe provocando, principalmente de modo malicioso, apenas por diversão, principalmente, ou para ver o que o rapaz fará quanto a isto. A relação dos dois é um tanto estranha, mas ambos gostam da companhia um do outro, isso não pode ser negado.

Reiji Sakamaki
Quando o conhecera e vira o jeito ‘’ certinho ‘’ a garota já não gostara disso. Reiji sempre tenta impor regras a Freya, mas ela nunca as cumpre, o que deixa o vampiro furioso. Os dois costumam trocar palavras secas um ao outro. Freya costuma lhe chamar de ‘’ Migi-san ‘’ { Sr. Certinho } e ‘’ Fāmusuchuwādo ‘’ { Mordomo de Quinta }. Freya realmente não tem medo do perigo, e sente um certo prazer em irritar o outro. Ambos são arrogantes entre si e realmente isto é divertido para a garota. Além de Ayato, Reiji é uma das pessoas na qual adora perturbar e provocar.

Laito Sakamaki
Freya já pudera perceber que Laito é muito pior que si. Seu jeito pervertido, pelo menos ao seus olhos, é realmente engraçado. Ela sempre se pega rindo sarcasticamente quando vê Laito falar desta maneira com as pessoas, até mesmo com ela mesmo. Freya, assim como faz com a maioria dos rapazes, gosta de o provocar imensamente. Laito não é diferente. O garoto já tentara diversas vezes fazer com que Freya faça algo contra sua vontade, o que sempre era altamente negado. È claro, o outro tenta o punir. Apesar disso, os dois ‘’ conversam ‘’ entre si e são próximos um do outro. Pode-se o considerar amigos.

Subaru Sakamaki
O comportamento solitário de Subaru é um tanto interessante para Freya. Seu jeito misterioso e silencioso era algo que a garota não conseguia decifrar direito, por isso se aproximara dele apenas para o ‘’ conhecer ‘’ mais. Vira que ele era alguém que se irritava facilmente e a primeira coisa que pensara era o quão divertido aquilo seria. Se tem uma pessoa na qual Freya mais gosta de provocar esse alguém é Subaru. Ama o ver irritado e ainda mais quando ele começa a quebrar tudo que vê pela frente. É divertido. E muito. Assim, eles não possuem uma relação a base de conversas ou algo do tipo, mas sim de pertubações, provocações e violência.

Ayato Sakamaki
Se há uma pessoa na qual Freya não gosta nem um pouco é Ayato. Não é como se ela o odiasse, a jovem apenas odeia o fato do garoto achar que é superior a alguém. Freya conseguira perceber logo de cara que Ayato era alguém que necessitava de atenção, por isso sempre o zoa por isso, o que acaba por deixa-lo bastante irritado. Rapidamente o outro lhe dera apelidos na qual a garota não gostara, mas a mesma não deixara isso passar. Costuma o chamar de diversos apelidos fúteis e chatos, como ‘’ Riyū no shoyū-sha ‘’ { Dono da razão } ou ‘’ Berubetto no ningyō ‘’ { Boneco de Veludo }. Os dois sempre estão a se confrontar. Freya realmente não se importa se ele é um vampiro e pode arrancar sua cabeça a qualquer momento, ela nunca ira se rebaixar ao garoto. Por fim, os dois sempre estão se desafiando, principalmente quando o assunto são esportes, onde ambos são bons.

⭐♥Gostos♥⭐
Manipular & Provocar as Pessoas
Animais
Doces
Vencer
Desafios & Apostas
Frio | Inverno
Observar a Lua e as Nuvens
Jogos
Dormir
Comer
Games
Neve
Ler | Livros, Mangas, HQ’s
Cantar
Cozinhar
Bolos e Tortas
Desenhar
Colorir
Café e Chá com Leite
Acompanhamentos junto do Chá
Chuva
Jardinagem & Natureza
Música
Flor de Lótus
Árvores de Sakura
Obter conhecimento sobre novas coisas
Facas & Tesouras
Máscaras
Dançar
Borboletas
Fotografia | Tirar Fotos - Fotografar
Comida Árabe
Piadas | Contar Piadas
Vídeo Game
Praticar Esportes
Assistir Animes, Programas, Desenhos e Doramas
Praticar
Treinar
Coreografia
Dinossauros
Jogos de Tabuleiro | Xadrez e Shõgi são os seus preferidos
Esgrima, Kendo & Karatê
Tocar Piano e Violino
Brinquedos
Ursos de Pelúcia
Andar a Cavalo
Picolé
Dango & Mochi
Kimonos

⭐♥Desgostos♥⭐
Perder
Pessoas Mandonas, Ingênuas, Fúteis, Mimadas, Medrosas, Choronas
Falsidade
Ser Subestimada
Calor\Verão
Abelhas
Dar Conselhos
Maus tratos aos Animais
Comidas Apimentadas
Preconceito
Mentiras
Lugares Apertados
Patos - Ser observada por eles
Que a Encarem demais
Agulhas e Injeções
Nozes
Calor excessivo
Que o julguem sem o conhecer antes
Mal odor
Cogumelos
Chorar
Demonstrações de Afeto, tanto sozinho quanto em público
Tudo relacionado ao Amor
Abraços, Beijos, Carinhos, essas coisas
Morangos
Refrigerantes

⭐♥Hobbies♥⭐
Cozinhar, Dançar, Ler, Praticar Esportes, Treinar, Jogar, Assistir Animes - Doramas - Programas e Desenhos, Jardinagem, Dormir, Comer, Fotografar as coisas, Tocar Instrumentos Musicais, Desenhar e Colorir.

⭐♥Roupas♥⭐

🌟Casual -









🌟Baile -





🌟Pijama -





🌟Formal -





🌟Simples -






⭐♥História ¹♥⭐
Freya nascera em Cambridge - Inglaterra, mas é oficialmente de descendência japonesa, pelo fato de seus país serem japoneses. Ela morara no país por um tempo, até depois de alguns anos se mudar para Tokyo, no Japão, onde grande parte de seus parentes moravam. Viera de uma família extremamente rica e nascera em um berço de ouro, literalmente. Desde quando nascera tivera tudo o que quisera e no colégio era popular apenas por conta de seu status social, dinheiro e pais, já que estes são presidente e vice-presidente de um dos maiores bancos do Japão. Sua linhagem de família fora passada durante antes e o futuro de Freya já estava previsto desde quando nascera. Ela seria a próxima presidente do banco, se não a dona, já que isto dependeria de seu avô por parte de pai, na qual era dono do mesmo. Ela se casaria com um garoto de família extremamente rica como a dela e teria filhos para passar o sobrenome da família adiante. Sendo filha única e primogênita da família ela tinha a obrigação de seguir devidamente estas regras. Mas, ela não queria isso, nunca quis para ser sincera. Nunca quis vir de uma família rica, nunca que ser cobiçada na escola, nunca quis ter pessoas sempre em cima de si por algo tão idiota na qual é seu dinheiro, nunca quis ter seu futuro já laçado desde quando nascera. Ela apenas queria ser uma garota normal, que vive uma vida normal e chata, com amigos que gostem de si de verdade, com pais presentes em casa, sem empregadas andando o tempo inteiro na casa e sempre lhe perguntando se queria algo. Acabou por ela não aguentar mais isso. Freya costumava ser uma garota alegre, de sempre bom humor e sorrindo a todo momento. Mas isto mudara muito com o tempo conforme ela fora amadurecendo, assim se tornando a pessoa que é hoje. Passara a não obedecer mais seus pais como antes fazia, se tornando uma garota meio que rebelde e completamente o oposto do que era antes. Quando sua mãe a pai estavam em casa a única coisas que eles sabiam fazer era brigar com Freya, por conta das atitudes que a mesma estava a ter. Apesar da mesma sempre ter sido o que era considerado de ‘’garota prodígio‘’, por conseguir fazer e aprender tudo de maneira rápida e sem qualquer problema ela deveria ser considerada a filha que dava orgulho aos seus pais. Mas ser “alguém” não adiantava de nada. Freya se recusava a seguir o destino que estava previsto para ela. Se recusava em ter de gerenciar um banco. Se recusava a ter de se casar com um garoto de boa linhagem. Se recusava a tudo aquilo que estava traçado para a mesma fazer. Ela apenas queria seguir sua vida do modo que sempre quisera desde pequena. Ser uma pessoa livre de coisas nas quais não dava a mínima. Ser a garota que ela guardava dentro de si por muito tempo. E agora ela era isso, e estava satisfeita quanto. Ela se tornara a Freya que queria ser. Ou quase isso.

⭐♥História²♥⭐
Seus pais já estavam fartos do comportamento que a garota estava a apresentar. Não gostavam nada de ver o que sua filha se tornara, então decidiram agir o quanto antes. Seus pais eram amigos “próximos” de Tougo Sakamaki, o então diretor de um renomado internato. Entraram em contato com o mesmo, conversaram e enfim estava decidido. Freya iria estudar no internato na qual o homem gerenciava, mesmo que negasse a todo custo. Ela estudaria ali, mesmo que tivesse de ser a força. Seus pais apenas queriam que a jovem tomasse jeito e voltasse a ser a mesma que era antes. Realmente uma pena que Freya estava disposta a não voltar a ser quem era antes, podendo até mesmo piorar. Nunca se sabe o que pode acontecer. De qualquer forma, com muita relutância no final ela cedera e não tivera de ir a base da força até o internato, apesar de ter quase acontecido. Enfim, ela estudaria naquele lugar na qual faria de tudo para ser expulsa.

⭐♥Aceita Ecchi?♥⭐
Yep

⭐♥Aceita Hentai?♥⭐
Com certeza.

⭐♥Sabe que sua personagem está em minhas mãos?♥⭐
Sim, estou ciente disso

✳Reações✳

⭐Como reagiu após descobrir que o par e seus irmão eram vampiros?
Ela ficara um pouco surpresa e chocada. Não ficara com medo, nem um pouco, pelo fato de ter desconfiado um pouco antes e por acreditar em coisas assim, então não há motivos para medo sentir. Achara até bem legal e ficara calma ao descobrir assim, falando com os garotos sobre o assunto e tudo mais, lhes perguntando coisas apenas para obter mais informações. Além disto, prometera que não contaria a ninguém, e quando ela faz uma promessa nunca a quebra, então manteria aquilo em segredo se os garotos quisessem, até por que não havia necessidade alguma dela ficar espalhando aquilo para meio mundo.

⭐Como reagiu após a primeira mordida do par?
Ela tentou ficar calma, não reclamando da dor um pouco grande que estava a sentir, mas logo se acostumara e ficara em silêncio e parada, mordendo seus lábios. De alguma forma aquilo para si era um pouco excitante, e seu par percebera aquilo, falando sobre aquilo com a jovem, que não se importara muito. Freya não tentou fugir, correr, pois sabia que aquilo sera completamente em vão e algo pior poderia acontecer, então apenas mantéu sua devida calma e ficara no lugar em que estava, se entregando ao par.

⭐Como reagiu ao saber que teria uma colega de quarto?
Não se importara muito com isto. Contanto que respeitassem seu espaço e sua privacidade ela estaria bem com isto, caso contrário não ficaria e poderia muito bem reclamar quanto a isso aos superiores sem mais.




Everybody's bruising
Just be -.true.- to who you are

{ ✶My Swe✶et Vam✶pire }



░ Ficha ░

Nome & Sobrenome ::
Asuramaru Schimmel

Apelidos ::
Asu-chan\kun\senpai\san | Asura. - Seus apelidos mais comuns pelas quais as pessoas a chamam.

Annubis - Azusa a chama assim, um apelido que inventara para a garota, e ela gosta, acha bem bonito. Ele também costuma chama-la de Sakura, por conta das Flores de Cerejeira.

Bubblegum - Kanato quem a chama assim muitas vezes, por conta de seus cabelos rosados o lembrarem de chicletes. Ele também costuma a chamar de Ume, por conta das Flores de Ameixeira.

Josei Asuhōru [ Senhora Babaca ] - Claro que Ayato é quem a chama deste modo, mas isto quando a quer irritar ou a provocar.

Ookami [ Lobo ], Kumo [ Aranha ], Hebi [ Cobra ] - Kou costuma lhe chamar por nomes de animais de animais que ela gosta, mas quando está irritado com a mesma fez o contrário disto.

Rias - Laito a chama assim por conta de uma personagem de Anime, na qual é muito bonita, ou como o garoto diz “ Super Gostosa “. Asuramaru não se importa em ser chamada assim, pelo fato de também achar a personagem muito gata também.

Número Codi-G ::
11

Idade ::
17 anos

Data De Nascimento ::
11 de Fevereiro, sendo do Signo de Aquário

Nacionalidade ::
Alemã | Japonesa

Tipo Sanguíneo ::
-AB

Aparência ::










De Quem Pegou a Aparência ::
Isuke Inukai de Akuma no Riddle

Par ::
Azusa Mukami ou Kanato Sakamaki

Problemas De Saúde ? ::
Não possui nenhum.

Virgem/Bv ? ::
Nenhum dos dois.

Personalidade ::
Costuma ser bastante agradável, já que tem o habito de bajular e incentivar as pessoas, até mesmo pelo fato de que utiliza desta bajulação para manipular quem está ao seu redor. Asuramaru é uma pessoa cuja personalidade é difícil de se ler. Ela é uma atriz experiente, capaz de enganar qualquer um com um simples olhar inocente. Ela também não se deixa manipular facilmente, até por que o cargo de manipuladora está em suas mãos, e por conta disso nunca cai em algo relacionado a isto. A garota é alguém curiosa, não consegue se segurar quando o assunto é saber o que realmente está acontecendo de verdade. É uma jovem extremamente violenta, assim quando perde o controle de si simplesmente não consegue se controlar e ataca a determina pessoa ou grupo de maneira brutal, sem medir quaisquer escrúpulos. É completamente barbará e cruel, não possuindo dó ou sequer piedade de seus oponentes. Asuramaru consegue se tornar automaticamente impiedosa em um piscar de olhos contra os seus inimigos ou com aqueles que não confia. A garota é um ser incrivelmente inteligente, assim apresentando um QI elevado, além de obter conhecimento sobre diversos tipos de assuntos, temas, entre outras coisas. Ela consegue criar estratégias rapidamente, sem precisar levar muito tempo para isso, e isto mesmo nos momentos mais eficazes, difíceis e apreensível. Ela tende a manter a calma e a devida postura. Sempre tendo uma resposta na ponta de sua língua, ela não mede esforços ao falar o que acha e pensa e adora dizer tudo isso na cara das pessoas. Ela não tem sequer medo das consequências que poderão acontecer por conta do que fala. A jovem realmente não liga. É capaz de distinguir se uma pessoa está a mentir apenas olhando as expressões de sua face. Ninguém consegue esconder nada de si, ela sempre consegue perceber tudo e ira irritar o cujo dito até o mesmo lhe dizer a verdade. Consegue ainda distinguir como uma pessoa está se sentindo olhando em seu rosto. Mesmo está estando com uma cara ‘’ normal ‘’ ela ira adivinhar rapidamente, assim logo perguntando o que aconteceu. Ou não, isso ira depender da sua vontade, na qual pode ter ou não. A garota sempre está a desconfiar daqueles ao seu redor. Só pega confiança de alguém quando a conhece a muito tempo. Caso contrario, isso não era acontecer de modo algum. São raras, se não, nenhuma, as pessoas na qual possui confiança em tão pouco tempo. Ela possui um conhecimento fora do comum. Entende e sabe sobre diversas coisas e quando pode gosta de obter mais e mais informações sobre tudo. Ela é alguém sádica, logo gostando de fazer outras pessoas sofrerem. È claro, Asuramaru é assim apenas com quem merece, mas também gosta de se mostrar ser alguém deste jeito por diversão. Adora ver o rosto assustado das pessoas. Também é alguém extremamente sarcástica e quase sempre fala deste modo. A ironia também está presente em seu vocabulário. Ama provocar as pessoas. Sente um imenso prazer com isso. Com aqueles que gosta mais costuma os provocar de modo malicioso, apenas para os ver corar. Também gosta de um bom desafio, assim sempre está a desafiar aqueles ao seu redor para ver quem é melhor em que. Costuma fazer mais isso com quem possui uma forte rivalidade. Simplesmente é uma péssima perdedora, não aceitando sua derrota antes de tentar diversas vezes. Mas, quando ganha, tende a comemorar muito, se gabando, mas não jogando na cara das pessoas, ao menos que não goste muito dela. Já quando perde enche suas bochechas e fica muito irritada, desafiando mais e mais a determinada pessoa. Totalmente perversa, gostando de provocar e deixar as pessoas enrubescidas. Consegue fazer isso facilmente. Fala diversas vezes de modo malicioso e entende muitas coisas neste sentido, logo dando sorrisos largos e falando sobre isso a pessoa. Ela ainda vai mais além, beijando outras pessoas se quiser, tanto garotas quanto garotos, ela não tem problemas quanto ao sexo da mesma, gosta de ambas, e se tanto a pessoa quanto ela quiserem podem se pegar pelos cantos sem vergonha alguma. Pode facilmente seduzir alguém apenas com um simples olhar e sorrisos pequenos. Se precisar, usa seu corpo como alvo. Pode as persuadir, as conduzindo a fazer tudo o que quer e na hora em que quer. Uma garota independente, nunca precisará de ajuda quando menor, pelo fato dela ter aprendido a se virar sozinha com pouca idade, então sempre fez as tarefas de casa e afins. Extremamente sincera, possui suas próprias opiniões e costuma machucar aqueles ao seu redor com o que diz. Nunca ira muda-las por conta de alguém, simplesmente não se vê sendo alguém assim. Uma péssimo conselheira. Não sabe o que dizer ou realizar quando alguém a pede algum conselho, principalmente quando está a chorar. Tende a fazer um esforço com quem gosta, mas não é sempre que consegue dizer algo construtivo, por mais que tente. A garota tem em um ótimo senso de humor, assim adorando fazer brincadeiras e principalmente piadinhas. Não tende a ficar nervosa facilmente, mas quando a dizem algo que não pode admitir…..ela realmente vira uma completa fera. É alguém corajosa, não tendo medo de enfrentar novas coisas, principalmente pessoas. No entanto, ela age cautelosamente quando vê que pode acabar se dando mal em algo. Asuramaru é uma garota totalmente atrevida. Ela possui a audácia de fazer tudo que a pessoa não quer que ela faça, assim não obedecendo as ordens dadas a si. Ela realmente não tem medo do perigo e nunca se curva-rá a alguém que não quer. Costuma ainda realizar movimentos bastante extensos e intensos, praticamente como se estivesse o tempo todo em um grande jogo de atuação, em um palco sem fim, no teatro da vida.

Relação Com Mika ::
Não se sabe ao certo se serão amigas no futuro ou algo pior, mas Asuramaru a trata como uma pessoa qualquer, ou seja, como a maioria das vezes que trata outras pessoas. È ela mesmo e não se importa com o que Mika pode achar de si. Se quiser ser sua amiga, ótimo, se não quiser, ótimo também, não é como se ela se importasse com isso. Pode haver caso nas quais do nada Asuramaru se aproxime da outra para comentar sobre algo, alerta-la quem sabe ou coisas assim, até mesmo podendo dar em cima da garota, nunca se sabe.

Relação Com As Outras Garotas ::
Asuramaru é apenas ele mesmo, não tende a fingir ser outra pessoa para agrada-la. Se não gostarem de como age, sua personalidade, muito bem. Se gostarem, muito bem também. Ela realmente não se importa com este tipo de coisa, na realidade, não dá a mínima se gostam de si ou não. Pode conhecer alguma delas, uma ou outra apenas, e poderá ou não fazer amizade com o restante. Mas nada é um mar de rosas, então é provável que haja alguém na qual acabe por não gostar, que remete o tipo de pessoa na qual ela não suporta, então prefere ficar longe de pessoas assim e as provocar de vez em quando, apenas para sua própria diversão. Mesmo que seja amiga de umas ela não mudara nada de quem é. Se são sua amiga, é por que a aceitam do modo como Asuamaru age e é, então não é possibilidades ou necessidades dela mudar seu jeito de ser por conta de amigas. Ah, e também pode dar em cima delas, quem sabe de todas, quando sentir vontade e chegar a roubas selinhos, saindo correndo depois disso ou se defendendo caso queiram a bater.

Relação Com Os Outros Vampiros ::

▣Shu Sakamaki ::
Oh Shu. Asuramaru realmente gostara dele. Quando o vira pela primeira vez o mesmo estava dormindo e Asuramaru, como uma boa garota, o acordara, apenas para o conhecer e principalmente o irritar. No começo Shuu não tinha quaisquer interesses em Asuramaru, até mesmo a ignorava. Mas com a garota, sempre insistindo, Shuu não pudera não prestar atenção em seus provocações e começara a entrar em seu pequeno jogo, assim falando com si da mesma forma. As vezes ambos se pegam escutando musica juntos e não trocam nenhuma palavra, apenas ouçam o som da suave musica. Sempre está lhe provocando, principalmente de modo malicioso, apenas por diversão, principalmente, ou para ver o que o rapaz fará quanto a isto. A relação dos dois é um tanto estranha, mas ambos gostam da companhia um do outro, isso não pode ser negado. De certa forma, Asuramaru confia nele, mas não completamente a ponto de o contar coisas de seu passado e afins, mas sim para guardar um segredo e tal. Também dá muito em cima dele, onde as vezes ele não dá a mínima, pois depois de um tempo aprende a conviver com isso e outra que ele faz o mesmo com a garota, mas são poucas vezes que isso acontece, na realidade, é raro, ele mais a provocar do que dá em cima de si. Eles já se pegaram umas vezes, mas isto acaba depois de um tempo.


▣Ayato Sakamaki ::
Se há alguém na qual Asuramaru não gosta nem um pouco esse alguém é Ayato. Não é como se ela o odiasse, a jovem apenas odeia o fato do garoto achar que é superior a alguém, quando na verdade não é nem um pouco. Asuramaru conseguira perceber logo de cara que Ayato era alguém que necessitava de atenção, por isso sempre o zoa por isso, o que acaba por deixa-lo bastante irritado. Rapidamente o outro lhe dera apelidos na qual a garota não gostara, mas a mesma não deixara isso passar. Costuma o chamar de diversos apelidos fúteis e chatos, como ‘’ Riyū no shoyū-sha ‘’ { Dono da razão } ou ‘’ Berubetto no ningyō ‘’ { Boneco de Veludo }. Os dois sempre estão a se confrontar. Por fim, os dois sempre estão se desafiando, tanto em coisas que ambos não sabem fazer quanto naquelas que são melhores, adoram isso até demais.


▣Subaru Sakamaki ::
O comportamento solitário de Subaru é um tanto interessante para Asuramaru. Seu jeito misterioso e silencioso era algo que a garota não conseguia decifrar direito, por isso se aproximara dele apenas para o ‘’ conhecer ‘’ mais. Vira que ele era alguém que se irritava facilmente e a primeira coisa que pensara era o quão divertido aquilo seria. Se tem uma pessoa na qual Asuramaru mais gosta de provocar esse alguém é Subaru. Ama o ver irritado e ainda mais quando ele começa a quebrar tudo que vê pela frente. É divertido. E muito. Assim, eles não possuem uma relação a base de conversas ou algo do tipo, mas sim de pertubações, provocações e violência.


▣Laito/Raito Sakamaki ::
Asuramaru já pudera perceber que Laito é muito pior que si. Seu jeito pervertido, pelo menos ao seus olhos, é realmente engraçado. Ela sempre se pega rindo sarcasticamente quando vê Laito falar desta maneira com as pessoas, até mesmo com ela mesmo. Asuramaru, assim como faz com a maioria dos rapazes, gosta de o provocar imensamente. Laito não é diferente. O garoto já tentara diversas vezes fazer com que Asuramaru faça algo contra sua vontade, o que sempre era altamente negado. È claro, o outro tenta o punir. Apesar disso, os dois ‘’ conversam ‘’ entre si e são próximos um do outro. Pode-se o considerar amigos. A única coisa que eles fizeram de mais próximo é terem ficado uma ou duas vezes, assim como já se beijaram umas vezes, mas nada com sexo e afins. De toda forma, eles são bem próximo e mesmo que nunca falem gostam um do outro, como amigos, claro.


▣Reiji Sakamaki ::
Quando o conhecera e vira o jeito ‘’ certinho ‘’ a garota já não gostara disso. Reiji sempre tenta impor regras a Asuramaru, mas ela nunca as cumpre, o que deixa o garoto furioso. Os dois costumam trocar palavras secas um ao outro. Asuramaru costuma lhe chamar de ‘’ Migi-san ‘’ { Sr. Certinho } e ‘’ Fāmusuchuwādo ‘’ { Mordomo de Quinta }. Asuramaru realmente não tem medo do perigo, e sente um certo prazer em irritar o outro. Ambos são arrogantes entre si e realmente isto é divertido para a garota. Além de Ayato, Reiji é uma das pessoas na qual adora perturbar e provocar.


▣Ruki Mukami ::
A primeira vista já gostara do garoto. Os sorriso intimidadores e o jeito como interage com aqueles ao seu redor a agradara. Além disso, também o achara muito bonito. No começo o garoto não ligara muito para Asuramaru, mas após um tempo eles começaram a se aproximar, mas de um jeito diferente. Os mesmo sempre trocavam palavras divertidas e cheias de brutalidade. Mesmo Ruki diversas vezes fala em tom calmo com Asuramaru a mesma não o engana, sabe bem que o outro não é assim. Assim, já chega dizendo ‘’ Não é necessário que fale desse modo comigo. Seja você mesmo ‘’. A rosada também se interessa pela inteligência do garoto, algo que realmente ‘’ admira ‘’ no moreno. Os dois costumam se tratar de modo sádico e rude. Ruki é outro dos vampiros na qual o garoto considera seu amigo.


▣Yuma Mukami ::
Quando o conhecera vira que o garoto era alguém rebelde, o que a agradou. As atitudes do moreno lhe lembra muito as suas, como o fato de Yuma ser alguém pervertido e temperamental. Ao invés de Asuramaru tentar puxar conversa com o garoto ela apenas faz piadinhas com si e provocações. A rosada realmente gosta disso. Yuma muitas vezes perde o controle e apenas de vez em quando ele entra no joguinho da outra, assim o respondendo da mesma forma. Asuramaru gosta do garoto por conta disso, logo o moreno é uma dos garotos mais próximos de si.


▣Kou Mukami ::
A primeira vista já percebera que ele não era alguém tão simpático. Kou realmente não a enganara, Asuramaru já percebera que o garoto era um completo duas - caras. O jeito como o garoto usa sua aparência para a sua própria vantagem não a agrada em nada. Com isso, Asuramaru sempre está o insultando, não se importando se aquilo pode acabar mal. Kou, também não é diferente. A chama de apelidos fúteis e incrivelmente irritantes, apenas para a ver irritado. Apesar deles as vezes conseguirem conversar algumas vezes e começaram a se dar bem, tanto que Kou acaba por chama-la, quando não está irritado consigo, de apelidos de animais que a mesma gosta, e ela não é diferente. Apesar dele ser alguém duas-caras a garota acabara por gostar do mesmo depois de um tempo de brigas e afins. Asuramaru consegue ver nos olhos do loiro que ele já sofrera muito, mas ela realmente não se importa com isso, até por que, todos já sofreram um dia. Ela tem o desejo de um dia descobrir sobre seu passado e saber quem o garoto realmente é.


▣Carla e Shin Tsukinami ::
Carla - A primeira vista ele mostrara ser uma pessoa calma e se quer notara Asuramaru. Mas, logo ele mostra-se ser sádico e violento. Asuramaru, como faz como a maioria dos outros garotos, o provocara muito, resultando em um Carla irritado. A mesma quase fora “ torturado ” por ele, e após isto passara a ser mais cautelosa quando ia falar com o outro. Eles não são próximos um do outro. Apenas uma relação em que Asuramaru faz poucas piadinhas com si e um Carla não dando a minima.
Shin - O garoto é alguém que Asuramaru não consegue decifrar direito. A primeira vista já pudera ver que o jovem era alguém completamente sádico e narcisista. Mesmo ele mostrando-se ser alguém educado diversas vezes o mesmo acabava por perder a paciência por conta das provocações feitas pela rosada. Mas é claro que o outro não deixaria isso passar. Tenta humilhar Asuramaru da pior forma possível. Quando os dois não estão se ofendendo Shin gosta de tentar faze-la corar e a outra não é diferente. As vezes ambos conseguem obter isso um do outro e se divertem com as expressões coradas que os mesmos fazem. Shin já agiu antes de calcular as consequências com Asuramaru, o que resultou em uma ‘’ briga ‘’. Mesmo com isso eles não param de se falar e algumas vezes conseguem conversar sem ofensas ou algo assim, mesmo que seja por outro tempo. Asuramaru o considera como um tipo de amigo, mas um amigo que ela odeia e gosta ao mesmo tempo.


Relação Com O Par ::
Eu estava pensando em fazer assim -
Caso minha personagem for aceita com um dos dois pares eu colocaria a relação deles dois após a decisão feita..

História: ::
Asuramaru nascera na pequena cidade de Cochem, na Alemanha. Desde que entende por gente sempre vivera com sua tia por parte de pai, já que seus pais morrerem. Pelo que sua tia, denominada de Rosemalle, dissera sua mãe morrera durante seu parto e seu pai se suicidara dois meses após a morte, por ter entrado em depressão. Asuramaru não ia a escola, aprendia tudo com sua tia em casa, também nunca fora até a cidade, já que morava no meio do campo. Vontade não lhe faltava mas pelo fato de Rosemalle a proibir de fazer isso ela não o realizava. Quando a mulher não estava em casa, principalmente por conta de seu trabalho, na qual a deixava um tanto quanto ocupada, pelo que dizia, Asuramaru quem fazia a limpeza da casa em que moravam, tanto que se acostumara a fazer isso e sempre cuidava de questões como essa. Era ela também quem cozinhava, lavava, passava, enfim, fazia tudo. Não é como se ela se importasse ou reclamasse, apenas fazia com boa vontade. Além do mais, não tinha muito o que fazer durante seu dia além de desenhar, brincar com seus poucos brinquedos, tocava os instrumentos musicais que havia na casa, dormir, conversar com seu amigo imaginário e seu gato, entre outras coisas. Era mais ou menos assim que era sua vida.

Mas, nem tudo é “ perfeito “. A vida não é um conto de fada. Foi em um dia de sexta-feira. Era mais um dia que Asuramaru limpava a casa como sempre fazia. Enquanto limpava o quarto de sua tia acabara por achar uma caixa até que grande de cor negra e meio empoeirada. Curiosa quanto aquilo decidira por guardar aquilo em seu quarto para que depois pudesse ver o que tinha dentro. Após almoçar com sua tia, que voltara para casa apenas para comer, ela correra até seu quarto, se trancando ali. Após pensar um pouco decidiu por abrir a caixa de cor negra. Encontrara uma foto de uma família, onde ali pudera reconhecer sua tia. Havia homens, mulheres, crianças e idosos, todos juntos e sorrindo alegremente. Asuramaru sorrira com a foto, achara tão bonito. Também tinha ali mais duas outras fotos. A primeira de uma mulher junto de um homem e a segunda os mesmos ditos e mais uma mulher, esta se parecia também com sua tia. O problema desta segunda foto era que o casal sorria para a foto enquanto que a mulher ao fundo mantinha uma expressão séria em seu rosto, desgostosa. Alguns outros objetos estavam dentro da caixa e por fim havia um álbum de fotos. Tinha muitas fotos de um casal e poucas do mesmo com um bebê de colo. Asuramaru sentia dentro de si que aquela criança era muito parecida consigo, mas decidira por ignorar aquilo. Algo que viera em sua cabeça e se instalara em sua mente. Quem era aquelas pessoas na foto ? Provavelmente eram parentes e amigos de sua tia, caso contrário ela não guardaria fotos assim. Ou guardaria…? Nunca se sabe.
Asuramaru mantivera aquela caixa em seu quarto em segredo, sem o conhecimento de sua tia. Sabia que a mulher ficaria brava consigo se descobrisse que a menina pegara algo de si sem sua permissão, então a mesma achara melhor esconder do que falar a verdade.

Ela pensara se havia mais coisas como esta pela casa, então decidira por procurar. Com sua tia fora a garota foi até o quarto da mesmo, bisbilhotando tudo ali. Até que por fim dera de cara com a porta. Aquela porta sempre esteve ali, mas Asuramaru era extremamente proibida de entrar ali, e sua Rosemalle já lhe falara isso diversas vezes, para alerta-la de uma vez e para que a mesma não fizesse perguntas. Ela conseguira se segurar por um tempo, mas agora sua curiosidade parecia estar falando ainda mais alto. Com uma chave que achara por aia usara na porta, que felizmente se abrira. Dera de cara com uma escada. Estava tudo escuro, então ela teve de pegar sua lanterna para que pudesse iluminar o local. Descera ali com cuidado, até chegar em uma sala. A primeira coisa que vira fora duas pessoas dentro de “ cúpulas “. Claro que ela ficara assustada, sem saber o que fazer, se perguntando quem era aquelas pessoas, na qual parecia “ conhecer “ e principalmente o por que de sua tia manter dois corpos mortos em casa. Sem que percebesse Asuramaru estava dando passos devagar para trás, com suas mãos cobrindo sua boca, até sua costas bater em algo duro. Ela se virara para trás e vira ninguém menos que Rosemalle. Aquilo parecia um tanto quanto clichê. Ela se afastara consideravelmente assustada, tanto que caíra de bunda no chão. Sua tia mantinha uma expressão fria em sua face, olhando intensamente para Asuramaru, que sentia que poderia morrer apenas com aquilo. A mulher não dizia nada, e isto deixava Asuramaru deveras angustiada, até ter coragem de perguntar algo, perguntar quem eram aquelas pessoas, o por que da tia ter aquilo ali e afins. Ela fazia muitas perguntas aumentando o tom de voz a cada instante e sua tia apenas a respondia com “ Cala a Boca “, também aumentando o tom de voz e no fim dar um tapa forte na cara da garota. Pode-se ouvir até o baque feito pela tapa. Rosemalle, de alguma forma, não parecia mais ser ela mesma. Não parecia estar em seu estado “ normal “. Aparentava estar sob efeito de algo, possuída, coisas assim. Apenas não parecia ser ela mesma naquele momento. E Asuramaru percebera pelas expressões que ela formava em seu rosto e no fim o concluirá quando a mulher a olhava novamente, agora com uma expressão meio maníaca, psicopata, sorrindo largamente. A garotinha arregalara seus olhos, ainda mais assustada e com os olhos lacrimejando. E então Rosemalle começara a falar. A falar absolutamente tudo que a garota nunca soube durante seus poucos anos de vida, já que naquele dia estava por volta de seus 5, 6 anos.

“ Tudo começou quando uma jovem mulher dera a luz a duas lindas garotinhas. Essas garotinhas cresceram recebendo muito amor e carinho vindo tanto de seus pais quanto de seus familiares. A cada ano que iam crescendo mais bonitas ficavam, assim como mais adorada pelas pessoas. Ambas, sendo irmãs, possuíam uma forte relação de amizade e fraternal entre si. Dormiam juntas, comiam juntas, brincavam juntas, tomavam banho juntas, tudo que se podia imaginar. Elas sempre estavam juntas para o que der e vier e prometeram que seria assim até que parassem de respirar. Uma delas realmente acreditou nisso, com todo o seu coração. Mas, conforme iam ficando mais velhas as coisas aos poucos iam mudando. Uma das irmãs parecia ficar cada diz mais amada pelas pessoas. Tirava ótimas notas na escola, sendo considerada a melhor da turma, as pessoas faziam fila para conversar e sentar junto de si, a mimavam, a adoravam, a invejavam. Isso não aconteceu com a outra irmã. Ela tinha pouco amigos, não era a melhor da turma, não era mimada, não era invejada e muito menos a adoravam. Pode-se dizer que uma era a irmã que todos querem ter enquanto que a outra ninguém se importa. Ela não ligara para isso em um tempo, mas cada vez que via sua queria irmã ser tão amada pelas pessoas que mal conhecia, principalmente, algo dentro de si começara a se formar. Ou melhor, a inveja pela irmã se formara. Ela nunca tinha nada, nunca ganhava as melhores coisas, diferente de sua bonita e simpática irmã. Ela não gostava nem um pouco disso, então passara a se esforçar para que pudessem gostar dela como gostavam da outra. Mas de nada parecia adiantar. Em uma certa época de sua idade, mas precisamente em sua adolescência, ela se apaixonara por um belo garoto que conhecera. Este parecia retribuir seus sentimentos, já que a tratava super bom e sempre lhe dizia palavras para a reconfortar. Eles eram felizes juntos. Mas claro que sempre teria de ter alguém para atrapalhar o “ romance “ dos dois. Sua irmã acabara por conhecer o menino. E com conhecer não fora apenas um “ Olá “, não, fora muito mais. Eles conversaram tanto e tanto, passando a se comunicar a porcaria de todo santo dia. A outra irmã, que fora deixada de lado pelo amigo que tanto gostava simplesmente odiava aquilo com todas as suas forças. Mas nunca dissera nada. Apenas olhava aquilo, até ajudava a irmã com o garoto. E então eles começaram a namorar. A irmã se sentia destruída por dentro. E depois de um tempo, quando mais velhos, se casaram, tanto que fizeram uma grande e linda festa de casamento e passaram a lua de mel viajando por países da Asia, lugar de onde o homem viera. Ela sentia que poderia morrer a qualquer hora. Seu coração doía muito, estava tão destruído. Ela fingia estar feliz com aquilo, fingia estar bem em frente as outras pessoas, enquanto que por dentro era completamente o oposto. Quando sua irmã lhe contara que estava grávida acabara por passar dos limites. Ela não aguentava mais aquilo. A dor se transformou em raiva. A tristeza se transformou em ódio. E tudo mudou naquele dia. Sua irmã dera a luz a uma linda garotinha. Ela estava feliz, seu marido estava feliz, todos estavam feliz, ou quase todos. Sem que ninguém soubesse ou visse a pobre outra irmã matou sua linda outra irmã com facadas em seu estômago. E seu marido ? Bem, ela acabara por ser mais gentil com ele, mas o matou de toda forma. O sangue pingava. O sangue escorria. O sangue preenchia suas mãos e roupas. A mulher apenas mantinha um largo sorriso em seu rosto. Estava aliviada, feliz. Dor mais não existia dentro de si. Ela ia matar a criança também, mas decidira por não o fazer, já que sentia que não queria fazer isso, decidindo por cuidar da criança agora em diante. Além do mais, ela sempre quis ter um filho para si, mas esconderia toda a verdade para a mesma quando crescesse, mas prometendo que faria o que fosse necessário caso ela descobrisse algo. “

Asuramaru não sabia o que dizer e muito menos o que fazer. Mesmo antes da tia terminar sua história ela já chorava muito. Estava com medo da outra. Ela já sabia bem que a protagonista daquela história era a mesma, e que a irmã era sua mãe, enquanto que o homem era seu pai, caso contrário ela não contaria isso para si. Mas agora, após ouvir o final, ela tinha certeza de que sua tia lhe faria algo. Ela sabia que ia morrer caso fugisse. Foi difícil fazer isso, até demais, até por que quando tentara sua tia a capturara e fizera uma pequena espécie de tortura consigo, que segundo ela era apenas para seu próprio divertimento. Asuramaru não se lembra como, mas conseguira escapar das garras daquela que mentira para si e lhe fizera mal, até por que a mulher também começara a bater várias vezes em si entre outras coisas terríveis, como deixar sem comer e beber água por um tempo. Asuramaru já não mais sentia tristeza, pelo contrário, sentia muita raiva, muita mesmo, e quando menos percebeu ela conseguira cravar uma faca no estômago de Rosemalle. Ela não se arrependera nem um pouco daquilo, e depois de pegar seus pertences e gatos ela fugira para a cidade, onde pudera ver pessoas, animais e diferentes construções de perto. Ela gostou bastante daquilo, era tudo novo para si, mas sabia que tinha que achar um lugar para viver. Não foi nem um pouco fácil sua vida na rua. Havia pessoas bondosas que a ajudaram, enquanto outras que abusaram de si, a machucaram demais. Simplificando, ela foi estrupada, abusada sexualmente e machucada, já que também bateram nela. Asuramaru certamente estava em um poço sem fundo, em uma bola de sofrimento e dor que não parecia ter saída. A garota não mais se importava com o que faziam consigo, assim como não se importou quando fora levada por um homem misterioso junto de outras garotas que também moravam nas rua. A garota demorara para perceber o que estava acontecendo, mas ela e as outras meninas estavam sendo vendidas, mais precisamente, trafico humano. Uma determinada quantia iria ser levada para o Japão, e Asuramaru estava entre elas. Sabia que se tentasse fugir iriam a pegar e no fim acarretaria em algo ainda pior. Já o Japão ela foi vendida há uma homem extremamente rico e já de idade avançada. Foi dado tudo a ela, mesmo que ela nunca tivesse pedido nada daquilo. Ela ganhou coisas que nunca pensou que ganharia em sua vida, mas ela não se importou com nada daquilo, pois todos os dias ela sofria nas mãos daquele homem, que lhe abusava, lhe estuprava, lhe batia e xingava algumas vezes enquanto ela era estrupada, enfim, fazia de tudo com ela, até mesmo torturas e brincadeiras sexuais. Mas, diferente de como fazia antes, Asuramaru não gritava, não chorava, não apresentava emoções. Sabia que ninguém a salvaria daquele inferno, até por que, nunca a salvaram, então não adiantaria de nada fazer isso. A única coisa que sabia sentir era raiva, ódio. Desejava todos os dias matar aquele homem. E esse desejo a corroeu e no fim ela o matou, não se arrependo nem por um segundo. Pegara coisas que conseguia levar e fugiu dali. Mais tarde ela fora encontrada por um homem que a levara para o orfanato, lhe prometendo roupas, comida, amigos, um lar. Asuramaru não acreditou naquilo, mas não relutou, apenas aceitando o que o outro a oferecera. Estranhamente ela ganhou tudo isso que a fora prometido, ainda sim ela sabia que algo estava acontecendo. Sua mente a dizia isso. E a garotinha estava certa, mas não era de menos que algo de ruim acontecesse, além do mais, sempre acontece consigo.

Existe algo como a esperança..?

Foi mal por essa história bosta :P Eu só fui escrevendo o que me vinha a mente, na qual resultara nisto ai. Deu uma dó do caramba da Asu :\ Mas creio eu que sou melhor em fazer histórias dramáticas e cheias de sofrimento

Gênero Personalitivo ::
Yangire talvez….

Gostos ::
Manipular & Provocar as Pessoas
Animais
Doces
Vencer
Desafios & Apostas
Frio | Inverno
Observar a Lua e as Nuvens
Jogos
Dormir
Comer
Games
Neve
Ler | Livros, Mangas, HQ’s
Cantar
Cozinhar
Bolos e Tortas
Desenhar
Colorir
Café e Chá com Leite
Acompanhamentos junto do Chá
Chuva
Jardinagem & Natureza
Música
Flor de Lótus
Árvores de Sakura
Obter conhecimento sobre novas coisas
Facas & Tesouras
Máscaras
Dançar
Borboletas
Fotografia | Tirar Fotos - Fotografar
Comida Árabe
Piadas | Contar Piadas
Vídeo Game
Praticar Esportes
Assistir Animes, Programas, Desenhos e Doramas
Praticar
Treinar
Dinossauros
Jogos de Tabuleiro | Xadrez e Shõgi são os seus preferidos
Artes Marciais
Tocar Piano e Violino
Brinquedos
Ursos de Pelúcia
Picolé
Dango & Mochi
Kimonos

Desgostos ::
Perder
Pessoas Mandonas, Ingênuas, Fúteis, Mimadas, Medrosas, Choronas
Falsidade
Ser Subestimada
Calor\Verão
Abelhas
Dar Conselhos
Maus tratos aos Animais
Comidas Apimentadas
Preconceito
Mentiras
Lugares Apertados
Patos - Ser observada por eles
Que a Encarem demais
Agulhas e Injeções
Nozes
Calor excessivo
Que o julguem sem o conhecer antes
Mal odor
Cogumelos
Chorar
Demonstrações de Afeto, tanto sozinho quanto em público
Tudo relacionado ao Amor
Abraços, Beijos, Carinhos, essas coisas
Morangos
Refrigerantes
Abelhas
Seu passado
Torturas, Estrupo, Abusos, etc..
Sua Tia

Qualidades ::
Inteligente
Raciocínio Rápido
Desconfiada
Persuasiva ( ? )
Independente
Se esforça com as pessoas que gosta
Bom Senso de Humor
Brincalhona
Piadista
Corajosa
Cautelosa

Defeitos ::
Manipuladora
Curiosa demais
Violenta, Barbara, Cruel…
Impiedosa
Sincera até demais
Sádica
Sarcástica
Irônica
Provocadora
Maliciosa, Pervertida
Péssima Perdedora
Atrevida

Habilidades ::
Ela consegue aprender as coisas com agilidade, por isso nunca tivera extremas dificuldades quando ia praticar algo, estudar e afins :
Tocar Instrumentos Musicais = Violino, Piano, Saxofone.
Esportes = Corrida, Kendo.
Lutas = Karate, Boxe, Jiu Jitsu, Muay Thai.
Atuar.
Cozinhar.
Jogos de Tabuleiro = Shõgi, Damas, Xadrez, Gamão.
Fotografia.
Jardinagem.
Desenhar.

Manias ::
Usar kimonos mesmo quando desnecessário, Carregar uma câmera consigo, Tirar foto do que achar interessante, Cheirar flores quando as vê, Cantarolar quando entediada, Organização, Limpeza, Estalar os dedos, Morder de leve seu dedão quando está pensando, Bater um de seus pés no chão quando se sente nervosa ou ansiosa, Carregar consigo itens da sorte de acordo com seu horóscopo e Carregar doces no seu bolso.

Fobias/Medos/Traumas ::
Fobias -
Claustrofobia - Medo de Lugares Fechados
Talassofobia - Medo do Mar
Apifobia - Medo de Abelhas

Medos -
Lugares Apertados, Apaixonar-se, Patos - Ser observado por eles, Escuridão, Mar, Oceano, Ondas, Abelhas.

Traumas -
Quando quase se afogara em alto mar, pelo fato das ondas a terem arrastado para o fundo.
Quando fora perseguida por Abelhas, já que acidentalmente quebrara a colmeia das mesmas.
Tudo de ruim que aconteceu em seu passado e que ainda está a acontecer agora.

Segredos ::
Seu passado é seu maior segredo. Ela simplesmente odeia tocar no assunto, podendo até mesmo ficar irritada quanto, sempre evitando conversar assim.
Asuramaru em si também é um segredo, pelo fato dela poder ser muito misteriosa quando quer.

Roupas ::

▣Inverno -






▣Verão -






▣Sair -





▣Casual -










Desculpe qualquer erro, eu não li tudo, só passei uma corrigida por cima, por ser muita coisa e eu estar cansada x~



.Oshiete oshiete.
Boku no naka ni, dare ka iru no?


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...