~Leth-chan

Leth-chan
Nome: Leth
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 4 de Agosto
Idade: 16
Cadastro:

Ficha: Ailina Bremmenkamp


Postado

"Sweet and right and merciful"

Nome: Ailina Bremmenkamp, mas todos lhe chamam pelo sobrenome. “Ailina” é de conhecimento de muito poucos, e de uso exclusivo de seu dragão ou alguém muito próximo.

Alcunha: Apenas seu sobrenome já é um título de peso, mas é conhecida também como “Imperatriz das Águas” e “Espírito do Dragão”. Aqueles que conhecem seu legado lhe atribuíram outros nomes, estes menos conhecidos (Filha do Legado, Sangue Dracônico, e semelhantes).

Idade: A alma do dragão que reside em seu corpo lhe rendeu muitos anos de vida com aparência de uma mulher entre 18 e 20 anos. Já faz muito que Ailina parou de contar o tempo, e comemora cada dia como voto de gratidão pela eternidade que tem a viver.

Aparência: Ailina é dona de belos cabelos negros, que se estendem até abaixo da sua cintura. Lisos, formam leves ondulações nas pontas, e sua franja emoldura o rosto de traços delicados e pele clara. De olhos grandes e cintilantes, os mesmos possuem um tom de castanho cobre, que brilha exposto a luz assim como o próprio metal. Sua estatura baixa a deixaria com ar infantil, não fosse o busto farto e curvas bem acentuadas. De olhar confiante, andar gracioso e sorriso sutil, Ailina encanta com facilidade, e se aproveita disso sempre que preciso.

*Haruna, Kantai Collection.


Personalidade: Ailina é feito água: calma, doce e serena como os lagos; destemida, imprevisível e perigosa como as correntezas dos rios; e tão infinita, enigmática e misteriosa quanto os mares e oceanos. De uma sutileza sem igual, é intuitiva, e extremamente sensível. Raramente erra em seus instintos e impressões, e isso pode lhe render tanto momentos de extrema tensão, como horas em que seu sorriso se ilumina de otimismo. Quando o assunto é coração, saiba que ninguém sente como Ailina. Jamais verás alguém que preza tanto pelas emoções como ela, alguém que valoriza desde o mais puro sentimento de amor a mais cruel angústia e pesar. Ela detesta a sensação de vazio e apatia, e por isso não se importa de passar de um extremo a outro em quesitos emocionais. Sabe dar valor a tudo, mesmo as coisas mais simples, e isso pode lhe render sorrisos descomplicados e espontâneos, mas também choros repentinos e mesmo até banais. Seu jeito sentimental a fez extremamente compreensiva, capaz de reconhecer facilmente o que se passa nas mentes alheias. Acompanhado de um instinto inerente de ajudar o próximo, está sempre disposta a dar conselhos ─ e saiba que os mesmos são muito bons. Sonhadora, está em constante idealização de tudo, e vezes quebra a cara com isso. Seu jeito bondoso pode torná-la facilmente manipulável e propensa a influências, alguém vulnerável as crueldades mundanas. Mas cuidado: a água pode ser pura e serena, mas é perigosa e cheia de inconstância também. Ela sabe bem que o melhor remédio pra rancor é vingança, e que possui um lado controlador e chantagista que tratará de devolver em dobro todo o mal que ela sentir. Uma garota de sentimentos fortes, intuições precisas e sonhos altos, Ailina sabe ser doce e amarga, sabe ser boa e cruel. Basta ver que lado você irá despertar neste espírito de água.

História: Há mais anos do que se possa contar, um Bremmenkamp utilizou boa parte de sua magia curativa para salvar um dragão, encontrado ao acaso muito ferido em uma floresta. Uns dizem que fora golpe de sorte, e outros creem que foi o próprio destino agindo em prol da família, mas desde então, sua generosidade fora recompensada com a honra de carregar os poderes dracônicos de Welle: senhor dos mares e marés, dos rios e lagos, dos oceanos e de toda água existente. O jovem mago de coração bondoso quase morrera aquele dia, já que esgotara sua magia em defesa do seu código de conduta pessoal: “Se tenho poderes de cura, os usarei sem medo em prol da vida.” O dragão, como forma de agradecimento, olhou no fundo dos olhos do rapaz, e proferiu: “Tua alma é pura como a própria água; teu coração bondoso como poucos humanos têm; carrega minha essência contigo, como minha forma de agradecer tua generosidade, e que teu legado seja eterno no sangue dos Bremmenkamp!” Assim que concluiu sua prece, o jovem pode sentir sua alma ser repleta de uma essência forte e boa, algo que lhe dava alegria, poder e serenidade. Conversava com Welle mentalmente, e o dragão lhe auxiliou ao longo de um árduo treinamento para que conseguisse domar os poderes aquáticos que o dragão lhe oferecera. Anos se passaram, e o primeiro da geração dracônica dos Bremmenkamp veio a falecer, passando toda a essência de Welle a sua filha, e assim se fez por muitas e muitas gerações, até que o legado da família chegou em Ailina. A menina cresceu feliz, mas recebeu a essência mais cedo do que qualquer Bremmenkamp. E não, isso não era um bom sinal. Desde cedo ela era treinada ─ e não por obrigação, mas sim porque gostava ─, e tinha uma família cheia de parceria e amor. Filha única, vivia com os pais em um vilarejo bastante próspero, e tinha tudo que uma criança podia precisar para crescer bem. Num dia qualquer, tirara a tarde para se divertir no lago, e deveria encontrar seus pais ali à tardinha. Nadou bastante, brincou com os peixes, e se banhou na cachoeira, apreciando o dia tranquilo, até que ouviu uma grande explosão. Aquele som a gelara por inteiro. Pode sentir seu coração falhar com aquele estrondo, e seu corpo mover-se de forma automática enquanto saía do rio e corria para a vila em que vivia. Cada vez que se aproximava ouvia mais gritos, e assim que atravessou o arco que marcava a entrada da cidade, tudo que viu foi caos. Haviam prédios destruídos por toda parte, e corpos sem vida espalhados pelo chão, com expressões de terror impregnadas em seus rostos. Engoliu o medo e correu pela cidade, em busca de sua casa, e tudo que encontrou foram ruínas. Ali ela caiu de joelhos, e se pôs a chorar profundamente. Não conteve seus gritos de dor, de aflição, seus gritos de angústia. E ouviu na sua mente um “fuja!”, que se repetiu várias vezes até que ela finalmente levantasse e partisse. Sem norte, sem rumo, sem direção, foi até o mesmo rio, e se deixou afundar cada vez mais. Ela desejava a morte. Não tinha mais forças para seguir em frente, e só queria partir. E mergulhada naquelas águas calmas que ela pode sentir uma energia diferente tomando conta de si. Era bom, sereno... Foi como se aquecesse seu coração, e lhe desse força. Nunca havia se sentido assim. Como se sua magia se ampliasse, como se seu espírito houvesse se renovado. E então ela ouviu em sua mente: “Eu estou aqui, querida. Fique tranquila. Toda dor passa, e batalhas bem maiores estão por vir.” Aquela sensação foi o que lhe impulsionou a retornar a superfície, e deixar seus pulmões se encherem de ar, respirando ofegante. As lágrimas voltaram a escorrer, e ela se deixou sofrer, se deixou sentir. E aquela voz masculina retornou a sua mente: “Eu sei que dói, meu bem. Eu sei. Mas você precisa ser forte. Há muita vida pela frente, e você será grande, Ailina. Não termine seu legado por fraqueza. Morra com a mesma honra de seus pais, com toda dignidade de um Bremmenkamp!” E foi com as palavras de incentivo de Welle, que ela deixou sua dor espairecer e se recuperou. Era apenas uma garotinha, em recém completos 7 anos, mas que já carregava uma das piores dores do mundo: perda. Ela cresceu, e Welle a auxiliou. Ensinou-lhe magia: desde as formas básicas de usar a água, até a melhor maneira de usufruir de sua arma e entender todo poder que envolvia seu Take Over. Ailina cresceu, e pode ver beleza na vida novamente, até que se viu em meio a guerra. E durante essas batalhas, perdeu amigos e parceiros, perdeu gente que amava. E com seu fim, Ailina se preparava para partir. Já estava com a idade avançada, e já não via mais graça em viver. Mas Welle não se conformara com a insatisfação da mulher com a vida. Foi então que a levou a mesma cachoeira onde se banhara anos atrás, e um milagre aconteceu: ele lhe deu juventude. Assim que emergiu das águas, Ailina se viu jovem novamente: aquela mesma mulher de cerca de 18 anos, de belos cabelos negros e corpo bem cuidado. “Minha querida, conheço melhor que ninguém o teu valor. Não quero que parta sem prová-lo ao mundo, e principalmente prová-lo a ti mesma. Teu legado é grande demais para acabar assim. Então viva, minha cara. Viva sem medo, porque minha essência sempre lhe dará a única coisa que humanos não podem recuperar: o tempo. Se não irá passar a linhagem Bremmenkamp a frente, então que morra satisfeita, honrando o cargo de última descendente do sangue abençoado.” A partir daí, Ailina se viu na missão de honrar a oportunidade que Welle lhe dera, e se juntou a uma guilda. Redescobriu o valor de existir, e percebeu o quanto ainda tinha a oferecer ao mundo.

Magia: Possui três diferentes módulos:
- Water Magic: Magia baseada no domínio da água. Ailina é capaz de controlar também sua temperatura, mas nada além do estado líquido. Pode realizar cura com a mesma, já que herdou os dotes mágicos do primeiro Bremmenkamp.
- Dragon Arm: Uma longa chave, de tamanho equivalente ao de uma espada. A mesma serve para ataques sem magia, mas seu principal uso é para a abertura de portais. Ailina estica a chave, e a gira, como se destrancasse uma fechadura. Dali se abre um portal, de onde Ailina consegue puxar correntes de água, e dominá-las para o uso mágico, como lhe for conveniente. Em batalhas é uma técnica crucial, já que permite a ela economizar toda a magia que utilizaria para gerar a água, e usá-la para moldagem e domínio. A arma é invocada com um estalo de dedos, através de uma quantidade insignificante de magia.

*Ignore a espada.

- Take Over Water Dragon Soul: Assim como todos os Bremmenkamp, Ailina tem a habilidade mágica de utilizar a essência de seu dragão para lhe fortificar. Suas almas já são naturalmente unidas, mas durante o Take Over é como se realizassem uma fusão ainda mais profunda, como se suas essências se unissem e formassem a transformação. Tem a aparência de uma armadura leve, num traje que mistura tons de azul com branco e prata. Suas orelhas ficam semelhantes a barbatanas, seus olhos se tornam azuis, chifres de várias pontas tomam forma e uma cauda escamosa azul também. Ailina se enche de uma confiança ainda maior, e a companhia dracônica lhe deixa ainda mais corajosa.
*Habilidades especiais: Além de um claro aumento de sua capacidade mágica e domínio sobre a água, Ailina se torna capaz de respirar em baixo d’água, e também ganha a proteção de um dragão aquático. O ser tem tamanho equivalente ao dobro da garota, e é feito puramente de água. Seu corpo é longo, e a envolve, atacando junto com ela e também servindo de escudo. O mesmo não sente dor, por isso, não recua em protege-la, mas quanto mais efetivo o ataque, mais tempo ele demora para regenerar-se (afinal, seu corpo sofre deformações ao ser atingido. Como água, um simples toque é suficiente para alterá-lo, da mesma forma que não precisa de muito para regenerar-se).


Golpes:
- Bubbles: Um modo amplo de utilizar sua magia: pode criar esferas de água, e atacar o inimigo com as mesmas, sempre variando de tamanho, espessura, e número; ou criá-las para serem reservas de oxigênio: as mesmas seriam recheadas de ar, e serviriam para possibilitar a respiração dela e de seus parceiros em baixo d’água.
- Water Jet: Une ambas as mãos, lado a lado, com as palmas para frente. Dali é liberado um jato poderoso de água, que conforme mais magia utilizada, pode chegar a perseguir o inimigo. Varia de tamanho e espessura, e quando a água não é gerada, e sim retirada de algum local, basta para ela dominá-la e então moldar o jato.
- Whip: Gera um chicote de água, que pode servir para bater no inimigo, segurá-lo, prendê-lo... Depende do que lhe for conveniente no momento.
- Blades: Cruza os braços ─ formando um “X” ─ e então o desfaz, esticando os braços com rapidez. Duas lâminas de água partem deste movimento, e ao se chocarem com o inimigo, causam uma sensação de corte. Não altera o físico, mas causa a dor de ser partido ao meio, já que a água atravessa o corpo. Em níveis mais avançados pode chegar a de fato, cortar o que se chocar com tal ataque.
- Shield: Ergue os braços, e junto deles uma muralha de água se forma. A mesma serve de escudo, e não é a melhor das defesas por ser pouco duradoura. A água que consegue gera-la é estranhamente mais densa, para evitar que ataques de fora passem. Não é raro vê-la direcionar a chave (Dragon Arm) ao chão, girá-la, e tirar do selo que ali se forma o elemento que compõe seu escudo.
- Prison: Um golpe letal a humanos livres de magia ou magos pouco experientes. Consiste em criar uma enorme esfera totalmente feita de água, que envolverá seu oponente e o prenderá ali. Por ser completamente composta de água, o mesmo fica sufocado sem ter como respirar.
- Cannon: Um ataque que depende totalmente de sua chave (Dragon Arm). Estica a chave a frente de seu corpo, e a vira, como se destrancasse uma porta. Durante este movimento, pronuncia o nome do golpe, e o mesmo abrirá um selo. Dali, uma enorme quantidade de água emanará do círculo mágico, num grosso jato líquido que destruirá tudo a sua frente. É rápido o suficiente para ser difícil de escapar, e devastador o bastante para deixar magos não tão experientes inconscientes.
- Wave: Direciona sua chave (Dragon Arm) para o chão, e faz um movimento equivalente a um semicírculo atrás de si. Pronunciará o nome do ataque durante o movimento, e seu driver irá abrir diversos círculos mágicos na linha formada pelo gesto da garota. Em seguida, Ailina esticará os braços, cada um para um lado, e vagarosamente os erguerá, até que se toquem com uma palma. Junto com tal movimento, uma enorme quantidade de água o acompanhará; assim que Ailina bater as mãos, deverá muito em seguida jogar os braços para baixo, como se fosse mergulhar. A onda os acompanhará, passando por cima da garota e impactando-se com o chão a sua frente, seguindo a diante e destruindo tudo a seu alcance, inclusive sendo o suficiente para causar um belo dano até nos magos mais fortes. Se Ailina não der continuidade ao gesto após a palma, a água cairá sobre ela, causando dano na mesma e se espalhando ao redor, de forma desordenada.
- Swirl: Junta as mãos, como se fosse iniciar uma prece, e pronuncia o nome do ataque. Um enorme círculo mágico aparecerá sob ela, e Ailina fechará os olhos, dando início a um tipo de dança. A mesma irá mover os braços delicadamente, e girará seu corpo com calma, cheia de sutilidade. Conforme dança, irá se envolvendo de água, lhe guiando e formando um imenso redemoinho. Quando já estiver totalmente envolta do líquido, fará gestos com as mãos para que as correntes aquáticas já não lhe cerquem, e sim aos poucos flutuem sobre ela. Se conseguir concluir o processo de erguer o redemoinho sobre si, abrirá os olhos e o arremessará em direção ao inimigo. O mesmo tem o poder de um furacão, e vai puxar o que estiver ao redor para si, que ficará girando com extrema velocidade até que irá se desfazer. Seu efeito mínimo é destruir o que está a seu redor e deixar os inimigos fortemente atordoados, enquanto num efeito máximo pode devastar o ambiente e ser capaz de deixá-los inconscientes ─ corpos mais fracos e sensíveis até mesmo mortos.
- Absolute Absorption: Um golpe totalmente fatal, sua técnica absoluta. O usará apenas em casos onde lutar não trará resultado, onde está é sua única opção. Erguerá com seu braço direito a arma dracônica, e o esquerdo ficará dobrado sobre sua cabeça, segurando o outro cotovelo ─ como se isso lhe ajudasse a segurar a chave. Fechará os olhos, e dará início a uma prece: “Profundezas marinhas, lar do misterioso. Abram seu portal para o espírito pecador. Abriga esta alma obscura no teu abismo aquático, e o castiga por todos os males que cometeu! Abra-te, entrada do precipício: Absolute Absorption!”. Assim que finalizada, irá girar a chave, e abrirá os olhos. Os mesmos tomam um tom de azul claro opaco, e um círculo mágico se forma sobre ela. Poucos segundos depois um ainda maior se forma abaixo dela, que dará alguns passos para trás. Aos poucos o selo mágico irá se tornar como uma fenda no chão, um buraco composto totalmente de água. A mesma começará com movimentos circulares vagarosos, e ganhará velocidade, não muito tempo depois formando um redemoinho extremamente poderoso dentro do selo. O inimigo a quem ela direcionou a prece será puxado para dentro do redemoinho, onde ficará eternamente confinado: girando e girando em alta velocidade, sentindo seus pulmões encherem-se de água e sua necessidade de ar rechear-lhe de aflição, até que um dia, estará finalmente arrependido e perdoado por todos os crimes que cometeu, e poderá finalmente descansar com sua morte. Assim que levado pela água, o selo se fechará, e ela piscará por alguns segundos, até que seus olhos voltem ao tom de castanho cobre original. É uma técnica que exige muita magia, numa quantidade anormal. Geralmente é ativada em momentos que Ailina já não tem tanta energia, o que só torna um golpe ainda mais cansativo. Perde a consciência, e demora um tempo até finalmente poder usar sua magia novamente, cerca de alguns dias até que recupere todo seu potencial mágico. Quando ativado seu Take Over, não chega a ficar inconsciente, e bastam algumas horas para que se recupere.
*Vale lembrar que ela pode utilizar sua magia de três formas: retirar água do ambiente, abrir um portal com sua chave (Dragon Arm), ou gerá-la com sua magia.

Habilidades:
- Convencionais: Por se sentir absolutamente confiante na água, atividades na mesma lhe apetecem, e muito. Nada com maestria, de forma veloz e confiante, e seu fôlego é invejável, já que consegue resistir um bom tempo sem respirar. É muito boa na área da escultura, e sua voz tem uma beleza natural que causa serenidade ao cantar. Reconhece notas, sendo capaz de nomeá-las e reproduzi-las, e isso lhe rendeu uma bela melhora na audição. Poucos sons lhe passam imperceptíveis.
- Combate: Sua opção por trajes leves lhe garante mais agilidade e facilidade em desviar de ataques, que unidos a seus bons reflexos a tornam praticamente intocável. Perde pontos na velocidade, e os recupera em sua notável força. De equilíbrio razoável, sua audição é impressionante, e nota os menores detalhes e movimentos.
- Especial: Caminhar sobre a água: custa um pouco de magia, mas nada de muito notável. Anula os gastos quando está com seu Take Over.

Fraquezas: Não é muito veloz, o que lhe prejudica em batalha. Tem maior dificuldade em lidar com magias de gelo ou que envolvam plantas, e seu jeito bondoso as vezes lhe coloca em situações complicadas com gente que pensou conhecer.

Medos: Tempestades e catástrofes naturais no geral (como terremotos e furacões).

Gostos: Passar um tempo ao ar livre, e principalmente fazer programas que envolvam água ─ seja um banho de mar, de rio, de chuva... É sempre parceira. Histórias de fantasia tem um jeito especial de lhe envolver, e tudo que é místico e misterioso lhe atrai. Adora peixes e frutos do mar, e gosta também de frutas (principalmente cítricas). Uma fã do verão e do calor, aprecia todo tipo de música, e adora jogos de cartas.

Desgostos: Tempestades e furacões ─ se tem algo que ela teme são esses eventos caóticas naturais. Odeia carne de frango, e todo tipo de hortaliça. Dias frios demais, ou sons repetitivos e irritantes. Gente que não respeita seu eclético gosto musical, ou pessoas realistas demais, quem ela reconhece como “incapazes de imaginar”.

Como se comporta frente ao mestre da guilda? Seu jeito bondoso e gentil lhe garante forte simpatia, e agirá sempre com um sorriso, muito respeito e doçura. Tem facilidade em conquistar a confiança das pessoas, e será muito fiel principalmente a seu líder.

Aceita o fato de que seu personagem possa ter experiências horríveis nas mãos dos demônios? Sim.

Algo a mais?
- Trajes: Costuma se vestir assim, pois gosta da leveza de suas roupas, e vê certo charme no que escolheu usar. A roupa de baixo é semelhante a um maiô, porém mais longo nas pernas, como um short; para acompanhar, um tipo de manto por cima, que seria o toque especial; por fim, as sandálias simples, em tom rosado. A escolha está diretamente ligada ao seu amor pela água, já que no momento que quiser nadar, basta tirar os calçados, a echarpe e já está pronta. Também costuma prender os cabelos em um rabo de cavalo.

- Sempre que se sente mal, procura a água para lhe acolher em suas profundezas. Seja em um rio, um lago, no oceano ou em uma piscina: Ailina só se sente bem novamente se puder espairecer sob a água.
- Dragon Arm equivale a uma manifestação da essência de Welle. Todos os Bremmenkamp tiveram a mesma arma, a invocando do mesmo jeito, utilizando da mesma maneira.
- Irá sentir uma grande rivalidade por qualquer Dragon Slayer convencido que venha se fazer de superior pra cima dela. “Se você acha que ser filho de um dragão é motivo de orgulho, imagine carregar um no seu espírito? Acredite, meu legado Bremmenkamp não é pouca coisa para me tratar com essa inferioridade.”


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...