~Leth-chan

Leth-chan
Nome: Leth
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 4 de Agosto
Idade: 16
Cadastro:

Ficha: Cateline Legrand - 2


Postado

"Her fight and fury is fiery
Oh, but she loves"

Nome: Cateline Legrand.

Apelido: Cat; pra ela, soa mais como provocação que um sinal de intimidade, mas não se importa ─ tanto ─ quando é um amigo a falar.

Pseudônimo: Sixth Sense.

Idade: 17 anos.

Gênero: Feminino.

Sexualidade: Heterossexual.

Personalidade: Cateline é uma mulher carismática, que sabe cativar as pessoas e conquistar alianças ou amizades. Seu porte e comportamento demonstram prepotência, empoderamento: parece estar sempre confiante e tranquila, sempre muito segura de si. É muito analítica e criteriosa, e está sempre ligada nos detalhes: aquilo que está implícito, as entrelinhas. Sua percepção é admirável, e nada lhe passa em vão. Possuí dois jeitos de lidar com as pessoas, que variam entre as que lhe interessam, e as que lhe são insignificantes. Para o primeiro grupo, esbanja carisma e simpatia, e jamais hesitará em proteger aqueles que são importantes para ela. É simpática, e perfeitamente capaz de manter diálogos descontraídos e divertidos. Extremamente fiel, será sempre parceira e leal a seus colegas, e para seus amigos ─ as pessoas por quem ela nutre um verdadeiro carinho e afeto ─, tentará ser sempre a melhor das companheiras, presente nos bons e maus momentos. Aos que lhe são insignificantes, age de maneira totalmente oposta: é fria e seca, e não se importa com a opinião deles. Não sente por eles sequer piedade. É completamente indiferente, e toda simpatia que tem com aqueles que gosta, devolve com desprezo para os que nada lhe despertam. Em luta, reage de 3 formas diferentes: com inimigos mais fracos que ela, leva uma luta divertida, com um sorriso no rosto e muitas provocações. Com magos de mesmo nível, não abre mão do sorriso, mas age com mais cautela e estratégia, sem tantas brincadeiras e provocações. Aqueles que são superiores a ela mal ouvirão sua voz, e se depararão com uma expressão indiferente, apática; face de quem reconhece a força alheia, mas mesmo assim não hesita e nem se rende. Cat é o tipo de pessoa que não é totalmente boa nem má, mas sim que escolhe pra quem dedicará cada lado seu. É uma grande amiga e parceira, e aqueles que lhe tiverem em equipe contarão com alguém leal, protetor e muito dedicado; porém, como é livre de empatia, não sente compaixão pelas pessoas, apenas pelos seus companheiros. Livre de piedade, é totalmente capaz de matar inocentes e indefesos, tudo porque ela simplesmente não se importa.

Aparência: Cateline é dona de belos cabelos brancos, que se estendem além da cintura, formando cachos alvos naturais. A franja levemente bagunçada emoldura o rosto de traços finos, e seu corpo é alto e magro, de curvas fartas e sedutoras. Mas mesmo diante de sua inegável beleza, o mais marcante são os olhos: num tom curioso de verde jade escuro e levemente azulado, se destaca a presença de uma curiosa luz no lugar das pupilas. A cor é natural; a ausência de pupila não. Eis uma consequência do seu passado, esta que a tornou cega.






*Black Heart, de Hyperdimension Neptunia.


Magia: Gravitacional.

Ataques: Apesar de poucos, seus ataques são amplos, o que os torna mais úteis e versáteis. Dependem diretamente da quantidade de magia empregada, o que lhe permite lutas casuais e até mesmo grandes batalhas. Tudo depende de quanta energia mágica Cat direciona aos seus golpes, energia esta que foi difícil para ela controlar: alterar a gravidade fora simples, mas conseguir contê-la e usá-la para ataques é algo totalmente diferente. Eis que essa energia é semelhante ao ar, porém muito mais densa. Sua coloração é algo como um transparente cinzento, e pode-se notar certa inconstância; como se a mesma não conseguisse conter-se a si mesma.
- Gravity Sphere: Manipulando a energia gravitacional, forma uma esfera de magia, a qual será lançada contra o inimigo. Pode variar de tamanho, ser oca ou completamente cheia, e a quantidade de magia investida varia muito. Causa um forte impacto ao se chocar com o oponente, explodindo em uma essência pesada e densa.
- Gravity Shield: Posicionando os braços a sua frente, de forma cruzada e para cima (como um ‘X’), Cateline reúne a energia gravitacional a sua frente, formando uma barreira extremamente densa, que lhe protege de ataques mágicos. Uma variação deste módulo de sua magia é reunir a energia densa em alguma parte de seu corpo para realizar ataques corporais, ou então defender uma parte específica de si.
- Gravitational Change: Altera a gravidade a seu favor, podendo prensar seus inimigos contra o chão, ou fazê-los flutuar e tirá-los seus movimentos. Pode também se permitir andar sobre paredes, ou modificar seu corpo se necessário.
- Gravity Lance: Forma uma espécie de lança com a energia gravitacional. A mesma se estende, variando de espessura e comprimento, e possuí ponta afiada. Persegue os inimigos, e só para ao se colidir com algo.
- Gravity Blades: Com um movimento veloz de braço, cria uma lâmina semicircular de energia gravitacional, cuja área de impacto é ampla, e o efeito poderoso.
- Gravitational Prison: Prende o inimigo numa esfera de magia, e altera a gravidade dentro dela de forma que se torna insuportável ficar lá dentro. É torturante, e extremamente difícil para o corpo se manter estável. A técnica é praticamente impossível de escapar ─ já que aquele que é preso fica vulnerável as mudanças gravitacionais inconstante e extremas que lá ocorrem ─, e causa total incapacidade de se manter lutando.

História: Cateline foi filha bastarda do casamento de sua mãe, e cresceu numa família que batalhava constantemente contra a pobreza e a miséria. Era a filha mais velha de quatro, e convivia com uma clara insatisfação do padrasto, que jamais foi capaz de gostar dela, já que era fruto de uma traição. Não bastasse isso, todos seus traços relembravam o pai de sangue ─ os cabelos alvos, a pele clarinha, e aqueles olhos de tom inconstante ─, e era também a única da família com genética mágica. Certo dia, agentes do governo visitaram seu vilarejo, em busca de crianças para experimentos mágicos. Como era uma vila muito pobre, aquele era um grande negócio ─ até porque eles prometiam um futuro para a criança. Diante das necessidades da família, aquela era uma oportunidade de ouro ─ até porque descendentes de magos valiam mais, e Cat era filha de um homem poderoso. Depois de muita conversa e insistência do padrasto, a mãe aceitou que Cateline fosse levada. Era um ótimo negócio, não? Dinheiro para sustentar a família por um tempo, e a chance de um futuro como maga para a filha. Mas bem... Eram experimentos. E nem todos deram certo. Cat foi levada aos 8 anos, junto com mais algumas crianças de sua vila. Cada uma foi destinada a algo diferente, e Cateline foi escolhida para experiências com seus olhos. A ideia era dar-lhe a capacidade de reconhecer mentiras, ou então a criminalidade das pessoas. E diante de vários erros e tentativas e mais tentativas falhas, sua visão foi sendo cada vez mais ameaçada, até que ficou completamente cega. Seu pai havia descoberto a algumas semanas que ela estava lá, e insistia para que lhe devolvessem a menina. No começo, o governo negou seu pedido, mas assim que ela já não lhes era mais útil, a entregaram. Traumatizada, foi reconfortada pelo amor de seu pai, e com ele aprendeu a magia da gravidade. A desenvolveu tão absurdamente bem que foi capaz de sentir a pressão das coisas ao seu redor, como um sentido adicional que substituísse sua visão, e algo que lhe permitia locomover-se sem medo. Já as experiências, bem... Não foram totalmente falhas. Cateline se tornara capaz de identificar magia, sua intensidade e também a sua essência. Sabe distinguir magos de humanos normais, sentir o quão fortes são, e com um pouco mais de concentração, reconhecer suas magias. Com o pai, adentrou numa guilda negra, já que diante o que o governo fez, passaram a questionar os ideais ditos legais. Certo dia, ao voltar para a guilda, percebeu sua marca sumir. Correu até lá, desesperada, e ao alcançar sua antiga cede, estava absolutamente tudo destruído. Todos morreram naquele incidente ─ menos ela, que estava em missão fora ─, e a partir daí foi atrás de uma nova guilda. Diante de sua busca, se deparou com a Phoenix Plume, um lugar especial onde pessoas renegadas tinham a chance de recomeçar. Adentrou o lugar por pura curiosidade, mas acabou sendo convencida pelos membros. Quem sabe recomeçar legalmente não fosse uma boa ideia? Desde então, vem trabalhando a sua empatia.

Guilda: Phoenix Plume.

Marca: Nas costas, localizada na área superior e central da coluna. Tem o mesmo tom jade de seus olhos, e só fica exposta quando usa seus trajes específicos para missões.

Armas: Uma espada, cuja lâmina absorve magia inimiga.


Gostos: Ama música, e não há nada neste mundo que lhe dê tanto prazer quanto isso. Gosta de jogos que envolvam seus sentidos, e adora moldar e esculpir. Aprecia a boa culinária, sem exageros nos sabores ou temperos, e roupa boa é roupa confortável.

Desgostos: Odeia tudo que é extremo: sons altos demais, abuso de tempero, ou mesmo temperaturas exageradas. Nunca gostou muito de ler ─ em braile menos ainda ─, e detesta que a subestimem. Não gosta de atividades na água, já que se sente absurdamente vulnerável, e agulhas e seringas são um verdadeiro pesadelo para Cateline.

Medos: Uma fortíssima fobia por agulhas.

Manias: Ficar analisando a voz das pessoas, as avaliando e rotulando. É raro que esqueça uma voz que já tenha prestado atenção, nem que minimamente.

Habilidades:
- Convencionais: Seus sentidos são extremamente aguçados, consequência da falta de visão. Devido a isso, sua audição é invejável: ouve os menores ruídos e sussurros, consegue compreender falas rápidas, e é capaz de reconhecer notas musicais, além de classificá-las e reproduzi-las com a voz. Seu canto é afinado e sua extensão vocal admirável, além de conseguir compreender formas com o tato, e até rostos. Tem facilidade em aprender a tocar instrumentos musicais, e sua memória não deixa que nada passe em branco. Por fim, é boa com moldagem e escultura (a partir de algo que pode tatear, no caso).
- Combate: Se locomove com facilidade devido seus sentidos aguçados, e também da sua percepção da pressão gravitacional ao seu redor. Porém, sua velocidade foi sim afetada, e o inimigo que perceber isso terá sim certa vantagem. No entanto, Cat é muito forte fisicamente, e sua capacidade mágica é fascinante. Sua audição lhe permite ouvir o inimigo se aproximando, e juntamente com sua agilidade consegue desviar de ataques, mesmo mágicos. Também tem a capacidade de enxergar traços mágicos nas pessoas e objetos: saberá o quão forte é seu inimigo, e com um esforço adicional que tipo de magia usa.

Roupas:
- Casual: Prefere roupas confortáveis, com tecidos como jeans, moletom ou então panos leves. Geralmente está com calçados rasteiros, e seus trajes são de tons neutros, como o branco, preto e azul escuro. No primeiro conjunto, prende os cabelos em um rabo de cavalo; no segundo, um coque que varia entre algo bem feito ou improvisado; e no terceiro prefere deixar os cachos alvos soltos. Dispensa o uso de chapéu, e só usa bolsas ou mochilas muito eventualmente.

- Missões: Um tipo de armadura leve, que mistura preto, prata e branco. Possuí uma abertura nas costas, cuja função é expor a marca da guilda.


Curiosidades?
- Adora quando elogiam sua aparência. Seu jeito vaidoso se contenta com elogios, e a deixa mais segura quanto a si mesma, já que não enxergar-se causa certa incerteza.
- Quando gosta muito de alguém, pede que lhe deixe tocar seu rosto. Tateia com cuidado os traços do outro, e com as impressões tiradas imagina suas feições. Sempre sorri no final, e afirma: “Pelo que pude concluir, você deve ser bem atraente, né?”

Algo mais?
- Devido as experiências do governo, os olhos de Cat deixaram de ter pupila, e passaram a carregar uma luminosidade esbranquiçada no lugar. Eis que é este pequeno brilho que ilumina as orbes verdes azuladas que lhe permite o que pode ser considerado uma magia auxiliar.
- Cateline enxerga somente a presença de magia, e nada além disso. É capaz de identificá-la em objetos ou pessoas, e também consegue reconhecer com facilidade sua intensidade. Com um pouco mais de esforço pode desvendar sua essência, e por vezes é capaz de dizer que tipo de mágica seu oponente usa sem mesmo lutar contra ele, ou então compreender como ela funciona para facilitar nem que minimamente a sua batalha.
- Embarcou no mundo das dark guilds porque se recusava a participar de qualquer coisa que apoiasse o governo, não só por uma questão de rancor, mas também por desacreditar na legalidade e bondade dita presente nos ideais que os mesmos defendiam. Se tudo que há neste mundo é cruel, então não seria errado apoiar os que se assumem maus, não? Desenvolveu uma personalidade indiferente, que não liga para ninguém que não lhe seja importante ou precioso. Desde que se aliou a Phoenix Plume, tem trabalhado essa questão de empatia.
- Se move com facilidade devido a sua capacidade de sentir a pressão gravitacional das coisas ao seu redor. É com ela que consegue perceber obstáculos que normalmente atrapalhariam alguém cego, e também humanos sem magia ─ já que os magos ela reconhece através de sua visão.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...