~LiaMiller

LiaMiller
Filha de apolo
Nome: Alícia
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Arco-iris, São Paulo, Brasil
Aniversário: 15 de Novembro
Idade: 17
Cadastro:

.princesas em apuros.png


Postado



Pleαѕe нαve мercy oɴ мe. Tαĸe ιт eαѕy oɴ мy нeαrт
Nome
ℛachel ℳendes.
ℛachel surgiu da origem hebraica, bíblica, que quer dizer ovelha, mansa, ou seja, este nome simboliza uma pessoa sincera, responsável e calma.
𝒪 nome foi dado em homenagem a sua avó paterna, que morreu antes mesmo do seu nascimento. Segundo o seu pai, a avó era uma pessoa muito corajosa e bondosa, admirada por todos. Rachel se honra de levar tal nome.
ℳendes é um sobrenome de origem portuguesa.

Apelido
ℛachel não possuiu apelidos.
—𝔅ravinha, esquentadinha, marrentinha são apelidos usados pelas pessoas no geral para deixá-la brava.

Idade
𝒫ossui dezenove anos de idade. Nasceu dia vinte e oito de dezembro {Capricórnio}.

Nacionalidade real
𝒫ortuguesa. Nasceu na Ilha da Madeira, principal ilha do arquipélago da Madeira, situado no oceano Atlântico, a sudoeste da costa portuguesa.



Aparência


Ɠαвяιєℓℓα Ɯιℓ∂є.
𝓔la não é feia; A pele de Rachel é branca leitosa e macia, com quase nenhuma imperfeição ou pinta. O cabelo é em tom louro queimado, assim como o sol, podendo ser um pouco fino. Brilhosos e lisos, caem sobre os ombros e vão até o meio das costas. Os olhos são azuis como o mar de Bahamas, transparente e límpido, ferozes e sedutores. São cor de diamante, que fazem qualquer homem curvar-se. Sua expressão não é uma das mais calmas e está sempre fazendo careta ou séria demais. Os lábios são finos e rosados, sempre acompanhados de um gloss labial, prefere tons mais claros ao invés do clássico batom vermelho. Muito dificilmente curva seus lábios em sorrisos, mantendo sempre a expressão de uma juíza, ou seja, imparcial. Rachel é magra, pesando 60 kg, compostos em sua maioria por massa magra e massa muscular, e extremamente alta, medindo 1,70. Suas sobrancelhas são finas e bem desenhadas. O nariz é reto, comprido e pontudo. Não que a garota seja uma tábua, mas possui poucos seios e glúteos. Possui um porte atlético, com braços finos e pernas torneadas. Além disso, a barriga é chapada, indícios de quem vive treinando na academia.




Personalidade
❝Fique bêbada de amor próprio, e a ressaca será de sorrisos❞ —Anônimo.
𝒮ensual e perigosa como como uma sereia, te encarando firme como se fosse te convidar para um duelo e 24 horas pronta pro que der e vier é a melhor forma de descrever Rachel. Uma das características que se sobressai na garota é a sua maturidade e responsabilidade, pronta para qualquer missão ou desafio. Sabe muito bem separar a hora em que precisa ser séria e a hora em que pode se divertir, ou seja: trabalho é trabalho, nada de gracinhas ou brincadeiras. É também muito competitiva e orgulhosa; se ela joga, joga para ganhar, sendo muito boa em jogos de aposta e cassinos. Ela nunca perde uma luta, mas caso perca, sempre busca pedir revanche, vingança. Muito observadora, Rachel consegue tirar grandes conclusões a partir de poucas informações, é normalmente a primeira a desvendar os mistérios. Decidida e persistente, se Rachel quer uma coisa, ela vai atrás, custe o que custar. Para ela, não existe a palavra ❝não❞ e odeia ouvir ❝nunca❞ e ❝conseguir❞ na mesma frase. Ela sabe muito bem o que está fazendo e não se deixa enganar por ninguém.
𝒜dora criticar, mas sabe levar uma crítica. As críticas construtivas a fazem crescer, aprender com os erros. Ela exige tanto de si mesma quanto das pessoas ao seu redor, por isso pode ser regularmente considerada a ❝mãe❞ do grupo. Independente, Rachel não gosta de submeter-se a ninguém, ser um fardo para as pessoas, sendo ❝Eu consigo fazer isso sozinha❞ uma de suas frases mais comuns. Preza muito a liberdade, especialmente em um relacionamento: gostar de saber que a pessoa confia nela e de passar segurança para o par, que o mesmo tem liberdade de falar sobre o que ele quiser com a moça; não rola protagonizar cenas bobas de ciúmes. Falando em amor, apesar de ser mais racional do que sentimental, Rachel acredita na força do amor. Pode não parecer, mas ela se apaixona com facilidade. Demonstrar esse amor é que são outros quinhentos. Aguarda até que se sente segura o suficiente para se entregar a uma paixão. Para a moça, o amor tem que ser recíproco. Quando ama, a garota cuida e protege, não importa contra quem. Atravessaria o deserto escaldante ou o mais congelante dos invernos para encontrar a pessoa amada. O único contra é que a garota detesta ser submissa.


𝒱ingativa, a garota guarda rancor facilmente. Sabe aquele dia em que você comeu o bolo dela que estava na geladeira? Então, ela ainda se lembra! É preciso de muito paciência quando Rachel fica brava, porque vai ser difícil da garota dar o braço a torcer e é com muito custo que a garota pede desculpas depois. É cabeça dura e pode ficar um pouco mais direta e exaltada se você tentar ofender seus ideais, amores, amigos ou qualquer coisa que ela tenha carinho. É muito corajosa, atraída pelo caminho mais difícil e tendo aversão por tudo que é fácil demais, sempre acaba em problemas e situações perigosas, ela gosta de sentir a adrenalina correndo pelo corpo. Algumas pessoas se machucam e se perdem facilmente, mas esse não é o caso de Mendes: se sente desconfortável e cai fora se percebe que um drama foi formado. Ela tem sentimentos e pode se sentir mais frágil em determinados momentos, porém sua capacidade de se recompor e tomar decisões sobre pressão se sobressai. A sua maior arma é, sem dúvidas, a sua agilidade, força e inteligência.
ℳais objetiva do que subjetiva, a garota vai direito ao ponto em suas falas e odeia enrolação. Quanto mais direto, melhor. Ela se escancara para o mundo sem medo de julgamentos, fala o que sente. É sincera, sem filtros, doa a quem doer. Honesta, a menina fala tudo o que pensa, não ligando se vai magoar a pessoa ou não. Busca sempre a justiça, fazer o que é certo. A menos que seja para proteger alguém, as mentiras não duram muito quando a garota descobre, ela sente a necessidade de contar a verdade. Ela vai acabar descobrindo os seus segredinhos, então não tente esconder nada da menina. Sabe aquela pessoa que fala pra caramba? Rachel é o dobro dela, chegando às vezes a ser indelicada. A garota usa da ironia e do sarcasmo em seu humor, chegando até a fazer algumas piadas de humor negro, mas nunca perde uma piada.
ℛachel é a personificação de liberdade e sinônimo de maturidade.


História

ℛachel é a filha única de Maria de Abreu e Emanoel Mendes. A mãe era uma camponesa da Ilha da Madeira e o pai, um comerciante de Lisboa. A história dos seus pais começa quando Maria trabalhava nas parreiras de uva no sítio da família, uma pequena produção familiar, que eles vendiam todos os domingos na feira da cidade. Além disso, também cultivavam outras frutas e verduras, como maças e alface. Para falar a verdade, era um trabalho bem entediante cultivar frutas, Maria sonhava em deixar a fazenda da família, casar-se com alguém rico para não ter mais que trabalhar ali. Considerava o povo da Ilha da Madeira pouco sonhador e sem objetivos, monótonos demais, amplamente abertos para o turismo. Os pais da jovem eram muito tradicionais e pouco ser a mais velha das irmãs, enfrentava a crescente pressão dos pais para se casar logo, comum na sociedade aristocrática. Maria era apresentada a diversos belos (e ricos) homens, mas nenhum parecia despertar uma paixão na garota. Todos os garotos eram sempre iguais: machistas, egocêntricos e se sentiam ❝a última bolacha do pacote❞. A família já estava quase desistindo e priorizando as irmãs mais novas, quando finalmente Maria achou alguém.
𝒮ó que esse alguém não era exatamente rico. Emanoel era um comerciante de passagem na Ilha da Madeira, com jeito de malandro e boêmio, quase libertino. A noite era chuvosa e Emanoel não tinha lugar algum para se abrigar, não teve outra opção senão pedir abrigo à família de Abreu, que de início hesitou, mas acabou cedendo ao pedido do jovem sedutor. Rapidamente Maria caiu-se de amores pelo rapaz, intrigada pela sua postura tão diferente da de todos os homens com quem estivera anteriormente. Ele, que não era bobo nem nada, se deixou levar pela moça e acabou se apaixonando também. Mas eles tinham um empecilho na relação: Emanoel não era da Elite, então não seria aceitável para Maria, a família queria o melhor futuro possível para a filha e com aquele jovem ali, ela não chegaria a lugar algum, como conseguiria continuar com uma linhagem tão nobre quanto a dos de Abreu com aquele simples homem?


𝒪s pais de Maria proibiram a jovem de ver Emanoel novamente. Mas Maria, com o seu jeito rebelde que tinha, obviamente não obedeceu aos pais. Emanoel demorou em deixar a cidade, impressionado pela garota, passou a se hospedar em uma pensão próxima dali apenas para continuar a vê-la. Encontravam-se durante a noite, escondidos do mundo. Tão rapidamente, Maria e Emanoel envolveram-se profundamente, feito unha e carne, nada poderia separar os dois. Nada, exceto os vizinhos fofoqueiros. Certo dia, quando o casal já se encontrava a mais de um mês, uma mulher, vizinha dos de Abreu, contou para os pais de Maria sobre o ocorrido que, desacreditados de tamanha ousadia da filha, tiveram que ver os seus próprios olhos. Furiosos, os pais pareciam querer matar a menina ali mesmo, porém se contiveram. A primeira coisa que passou pela cabeça de Maria foi fugir com Emanoel para bem longe da Ilha da Madeira, talvez ir para Lisboa, terra natal do homem.
𝒪s de Abreu não se obtiveram na escolha da menina, deserdaram Maria, proibida de usar o sobrenome de Abreu, ela que arcasse com os seus próprios problemas, sozinha e sem dinheiro, apenas na companhia de Emanoel. Então o jovem casal se mudou para uma área mais urbana da Ilha da Madeira e dali recomeçaram do zero. Maria passou a trabalhar em uma quitanda e Emanoel tornou-se um marinheiro. Tudo ia bem, se amavam incondicionalmente e estavam satisfeitos com a vida que tinham. Quando três anos depois, Maria descobriu estar grávida de uma menina. Os dois não podiam estar mais felizes e radiantes! Iam dar continuação a sua tão sonhada família, já tinham até escolhido o nome: Rachel, em homenagem a mãe de Emanoel, morta dez anos antes.
𝒩asce então, nove meses depois, a pequena Rachel, em uma manhã tão clara quanto os cabelos da garota. Contagiados pelo espírito de natal e ano novo, a chegada de Rachel foi pura alegria para Emanoel e Maria, a garota foi muito amada e recebeu muito carinho. Nunca manteve contato com os avós maternos, tampouco desejou conhecê-los, porque pelo o que seus pais contam, não eram as pessoas mais amigáveis do mundo.


𝒞riada cheia de mimos, até onde a família poderia dar, a pequena Rachel cresceu feliz e desinibida, era uma criança muito curiosa e divertida, pronta para qualquer coisa. Foi quando completou 10 anos que a vida de Rachel mudou. Excelente marinheiro que era, Emanoel foi convidado pela família real para se tornar um guarda e servir ao reino de Portugal. Foi aí que Rachel viu-se destruída, obrigada a deixar toda a sua vida na Ilha da Madeira, suas melhores amigas da escola, para morar em um lugar totalmente desconhecido, em Lisboa.
𝓔ntão a criança feliz tornou-se uma adolescente rebelde, gênio herdado da mãe e da avó paterna. Rachel passou a ser mais fechada para a vida, principalmente para relacionamentos, recusava-se a arrumar novas amigas ou um namorado. Fazia tudo com má vontade e violência, bebia todo tipo de bebida alcoólica que podia. Se havia uma festa em Lisboa, Rachel estava metida no meio.
𝒪s pais buscaram todo tipo de ajuda para tentar resolver a situação da garota, desde troca de escolas até psicólogas, mas nada parecia resolver a rebeldia de Rachel. Foi quando coloram a garota em uma academia de luta que tudo pareceu melhorar, passou a descontar todo o seu ódio em esportes e a aceitar-se do jeito que era. É claro que a sua teimosia e seu espírito independente nunca foram embora, mas pelo menos Rachel não era mais uma pessoa agressiva e nem buscava na bebida a sua cura.
ℱoi nessa mesma academia que Rachel conheceu os agentes que mudariam a sua vida para todo o sempre. Em mais uma de suas vitórias na luta, dois homens vieram conversar com ela e convidá-la para ser espiã, coisa que ela prontamente aceitou depois de conversar com os pais. Ora, ela não estava fazendo nada mesmo, o que custava dar uma chance para a carreira de espiã?
ℒogo Rachel se tornou destaque entre as espiãs da sua idade, completava todas as missões que recebia com êxito. Mas o seu verdadeiro sonho mesmo era receber uma missão importante. Quando soube que seria uma das garotas a cuidar dos importantíssimos príncipes e princesas, Rachel não hesitou em concordar e levar sua missão a sério. Pretende cumprir sua missão com responsabilidade e, quem sabe, aproveitar a oportunidade para aprender coisas novas.

Gostos/Desgostos
(+) —ℒivre, leve e solta: Rachel gosta de se sentir livre, independente; não gosta de sentir-se presa, muito menos submissa. Gosta de lutar pelas suas próprias causas e ideais.
—ℬebidas alcoólicas: o seu organismo já se tornou imune à bebida alcoólica, não fica bêbada com muita frequência. Suas bebidas preferidas são a vodka e a boa e velha cerveja gelada.
𝒜lém de: Bolo de cereja || Cappuccino de caramelo || Academia || Torta de limão || Cumprir suas missões.

(-) — ℛachel não tolera gente muito preguiçosa ou quem se acha superior.
— 𝒪deia ter que mudar de ambiente, sair da sua rotina.
— ℱalhar ou quando a criticam por maldade.
— 𝓘nfantilidade: falta de maturidade.

Vícios/Manias
— 𝓔strala os dedos quando está nervosa ou ansiosa.
— ℛevira os olhos frequentemente.
— 𝓒onta até dez toda vez que sente raiva.
— ℳastiga chiclete sabor morango sempre que no tédio.

Medos e Fobias
— 𝓒acorrafiofobia: medo de fracasso ou falhar.
— 𝒜tazagorafobia: medo de ser ignorado ou esquecido.
— 𝓒oulrofobia: medo de palhaços.
— 𝒯anatofobia: medo da Morte.

Segredo?
𝓠uando era mais nova, Rachel passou por um período difícil de aceitação e de mudanças, por isso, o seu segredo é a automutilação, qualquer comportamento intencional envolvendo agressão direta ao próprio corpo sem intenção consciente de suicídio. Os atos geralmente têm como intenção o alívio de dores emocionais, comum entre jovens e adolescentes que sofrem pressão psicológica. Dos seus 11 aos 14 anos, Rachel se cortava, normalmente nas pernas e nos pulsos, em busca de aliviar a sua dor. Depois de muito tempo, compreendeu que o que fazia era errado, que prejudicava seus pais e a si própria. Hoje em dia a garota não faz mais isso, e muito menos voltaria a fazer.


Família

{Maria de Abreu Mendes | 36 anos | Mãe | Vendedora em uma quitanda.}
Maria é uma bela mulher, loira de olhos azuis como o céu, quase que cinzas. Possui um espírito rebelde e livre, querendo ser sempre dona do seu próprio nariz e independente. Anteriormente, vivia com a mãe e pai em uma grande fazenda no interior da Ilha da Madeira, mas vivia sempre no tédio, queria mudar de vida, ter uma vida mais emocionante e agitada. Foi então que conheceu Emanoel e sua vida pareceu tomar um rumo. Quando os pais descobriram do seu relacionamento, Maria perdeu o sobrenome ❝de Abreu❞, mas pouco se arrepende disso, sabe que se continuasse morando na fazenda viveria infeliz. Assim que Emanoel e Maria mudaram-se de cidade, Maria arrumou um emprego numa quitanda, afinal, convivia sempre com frutas e verduras da fazenda de seus pais. A relação de Maria e a filha é muito boa. Rachel enxerga na mãe o seu porto seguro, ela é sua confidente. Sempre que passa por problemas, é ela quem a menina procura. São bem comunicativas uma com a outra. Maria faria de tudo pela filha e deixa o seu amor bem claro. Porém, compreende que um dia a menina terá que partir, então sempre encorajou a menina a seguir os seus sonhos. É muito carinhosa e dedicada com Rachel. Amam-se profundamente e Maria sente qualquer problema de Rachel como se fosse seu. São muito amigas e companheiras.


{Emanoel Mendes | 37 anos | Pai | Militar.}
Também louro de olhos azuis, Manoel é um homem libertino, chegando a ser um tanto irresponsável, mas no fundo tem um coração bom. Primeiramente, vivia como vendedor ambulante, depois tornou-se marinheiro, quando finalmente foi contratado pelo rei para participar da Guarda Nacional Portuguesa, onde trabalha como guarda pessoal da família real até hoje, em Lisboa. Ama sua família e se dedica inteiramente a ela, faria tudo pela filha e pela esposa. Todo o universo de Emanoel gira em torno de Rachel, portanto, ele dedica toda a sua atenção a ela, o que pode às vezes sufocá-la. A dificuldade maior de Emanoel é de soltar sua filha e a deixar viver suas própria vida. Sente muito ciúmes de Rachel e a trata como se ela fosse uma criança ainda. É desajeitado e desleixado, possui um espírito aventureiro e zombeteiro. Faz todos rirem com suas piadas, deixando o papel de responsável para a mulher, Maria. A relação entre os dois é muito boa, ele é muito carinhoso com Rachel, busca sempre perguntar coisas sobre a vida dela, como foi o dia dela. O seu lema de vida é ❝foda-se, apenas faça!❞, sempre incentivando os outros a fazerem loucuras, inclusive, foi ele quem incentivou a filha começar as artes marciais e posteriormente a se tornar espiã.

Quer par?
𝒮im! O Kyle, de preferência rç.

Relação
+ Princesa a ser protegida:


𝒟e uma coisa a princesa brasileira pode ter certeza: enquanto estiver ao lado de Rachel, a princesa estará sã e salva. Afinal, é a sua missão proteger a princesa e ela o fará com muito esforço. Mais do que sua protegida, a princesa brasileira será uma das amigas mais próximas de Rachel, a quem ela confia os seus segredos e angústias e também será uma ótima conselheira, uma confidente para a brasileira, apesar de Rachel odiar lamentações, fará um esforço pela amiga. Será leal e uma ótima companhia para todas as horas. Também tem um coração enorme e estará sempre disposta a ajudar. Vai ser uma relação engraçada e maluca. Mas se a menina acha que pode tratar Rachel como sua criada, ela está muito enganada. Rachel não é escrava de ninguém, não obedecerá as ordens da princesa: ela faz as suas próprias regras. Não será submissa.

+ Outras espiãs:


𝒯alvez as meninas de quem Rachel é mais próxima, por terem opiniões parecidas e por compartilharem do mesmo tipo de vida (espiãs). Atenciosa e dedicada, ela se preocupa de verdade com as pessoas queridas, por isso, tem disposição de sobra para ajudar. Possuem piadas internas e são mais abertas uma com as outras, podendo falar palavrões sem se importar. As meninas vão precisar ter muita paciência com Rachel, porque a menina é muito nervosa e agitada. Normalmente, quando as meninas precisam ir em uma missão, a portuguesa é sempre a líder do grupo, que ordena, que tem as ideias dos planos. O único problema é quando ela sai do sério, perde a cabeça e fica nervosa, prefere se manter distante a ter que encarar o problema, e ela não esquece das brigas rápido: guarda rancor.

+ Outras princesas:


𝒜s meninas de quem Rachel é mais distante, talvez por terem vidas tão divergentes. Rachel ainda possui uma visão preconceituosa das princesas, considerando todas elas riquinhas e mimadas, típicas patricinhas que acham que podem governar tudo e todos, podendo não confiar nelas de primeira. Não é tão espontânea quando ao lado das princesas e nem sincera, mas nunca seria grossa ou arrogante com elas, conversa normalmente com elas. Considera-as mais como colegas do que como amigas, ao contrário da relação dela com as espiãs. Acima de tudo, Rachel faria de tudo para proteger cada uma delas caso estivessem em perigo ou precisassem de ajuda, não seria capaz de fazer mal algum às garotas.

+ Par:


𝒰ma coisa não dá para negar: os dois tem muita química e tensão. De início, pode haver muitas brigas entre os dois, porque ambos gostam de estar por cima e são egoístas demais para abrir mão do seu posto de dominador. Ambos são extremamente teimosos e não gostam de ter de concordar com a opinião do outro. O jeito festeiro do par às vezes tira a menina do sério, assim como o seu jeito imaturo e rebelde, incapaz de seguir as regras que ela impõe. Podem rolar vários comentários ácidos e sarcásticos, tirando um ao outro do sério. Com o tempo, eles vão perceber que tem mais coisas em comum do que imaginam e possuem atração (pelo menos física) um pelo outro. Rachel tenta a todo custo deixar o par com ciúmes e provocá-lo. Conforme o tempo vai passando e eles vão descobrindo que se amam, Rachel será mais protetora e cuidadosa, querendo sempre ajudar o par. Para o relacionamento dar certo, é preciso que ambas as partes tenham liberdade. Não rola de um proibir o outro de sair com os respectivos amigos, de deixar de ir a uma festa porque o outro não vai ou de protagonizar cenas bobas de ciúme. A confiança vem em primeiro lugar para ela, seguida de autoestima. Por isso que Rachel preza tanto a vida de solteira, mesmo quando está enrolada. A portuguesa tem medo de que a prendam e tirem a sua liberdade. Sua forma de amar é assim: livre, leve e solta. Mas sabe ser parceira, companheira e carinhosa quando precisa. Ô, se sabe! Nada representa melhor o relacionamento desses dois do que o fogo, elemento da natureza, a chama do amor.


Como agiria se fosse sequestrada?
𝒜 primeira coisa que Rachel faria seria tentar achar um jeito de escapar do lugar, então colocaria sua cabeça para funcionar e bolaria um plano para sair dali o mais rápido possível, Rachel odeia se sentir presa. Claro que a portuguesa não deixaria barato para o sequestrador, arrumaria um jeito de bater nele e de gritar o quanto a sua garganta conseguisse. Caso aconteça de sequestrarem mais de uma pessoa, Rachel não deixaria o local sem levar as outras consigo, o seu coração não permite tamanho egoísmo.

Mataria para salvar a vida de alguém que ama?
𝒮em sombra de dúvidas. Não que Rachel seja fria e sem coração, mas caso algo ocorra com a sua família, seu par e suas amigas, a garota faria de tudo para salvar eles, mesmo que isso envolva morte. Pode ser que o peso na consciência diminua um pouco se a menina souber que o agressor é malvado, tem problemas psicológicos como a psicopatia ou algo do tipo. Se é seu trabalho proteger quem ama, então Rachel iria até o submundo de Hades para defender a pessoa.

Roupas
+ No dia-a-dia



+ Em festas



Música tema da sua personagem
𝓘'm .f.r.e.e. to be the greatest, I'm [/alive]
𝓘'm free to be the greatest here tonight, the greatest
𝓣he greatest, the great//est alive
𝓣he great//est, the g*r-e*a-test alive

— The Greatest by Sia.

Música tema com par
𝒩ow it's .t.h.r.e.e. in the morning
𝓐nd I'm +trying to change your mind
ℒeft you multiple miss//ed calls
𝓤ntil my mess//age you reply
𝓦hy'd you only call me when you're .h.i.g.h.?

— Why'd you only call me when you're high? by Arctic Monkeys.

Número qualquer
𝒩úmero um.

Frase chave
❝𝒬ue cada um de nós honre a realeza que nos foi dada no mundo particular que escolhemos para viver❞.

Algo mais?
— ℛachel é canhota, ou seja, escreve com a mão esquerda.
— 𝒮ua principal arma é a katana, um típico sabre/espada longo japonês.
— 𝓔́ muito boa em artes marciais, além de saber nadar com destreza.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...