~Lucas_Lovegood

Lucas_Lovegood
Ame as libélulas
Nome: Lucas
Status: Usuário
Sexo: Masculino
Localização: São Paulo, São Paulo, Brasil
Aniversário: Indisponivel
Idade: Indisponivel
Cadastro:

X-men: The Final War-Interativa Minhas Fichas


Postado



Olá, espero que goste ;)



Ficha:

Nome:

Charles Lucas Darel

Codinome:

Sonorus

Apelido:

Charlie
Lucky (geralmente o chamam assim para provocá-lo)


Data de nascimento:

25/2/1998

Idade:

18

Gênero:

Masculino

Aparência:











Charlie é alto, porém não muito atlético. Tem expressões naturalmente preocupadas e olhos castanhos chocolate. Seus cachos loiros geralmente são a primeira coisa que se nota nele.

Photoplayer:

Evan Peters

Personalidade:

Charlie não é o melhor exemplo de pessoa sociável. Geralmente não tem coragem de falar com as pessoas e, quando tem, se enrola todo e acaba em um verdadeiro desastre. Retraído, ele não é muito de fazer escândalos e geralmente fica na dele, não gosta de se meter em confusões e brigas. Muito na dele, não se mete nos assuntos dos outros, com exceção de sua irmã e seus amigos, com quem é extremamente intrometido. Inteligente e de gênio surpreendente, ele sabe sobre tudo um pouco e mil pensamentos lhe passam pela cabeça sempre que falam alguma coisa, mas ele é tímido demais pra falar. Anti-social ao extremo, acredite, ele nunca vai ser a pessoa a puxar conversa. Um tanto submisso, não vai reagir a provocações e insultos. Mesmo com todo esse autocontrole e timidez, parte dele é feroz e selvagem.

Você conhece Charlie super quieto e retraído por fora, mas dentro dele existe uma besta pronta pra se libertar quando alguém fere uma pessoa que ele ama. É só encostar um dedo em sua irmã, por exemplo, e Charlie vai virar um animal e investir contra a pessoa sem hesitar. Muitos pensamentos sombrios lhe passam pela cabeça, o tempo todo, e ele tem a mania de imaginar como uma pessoa irá morrer assim que a conhece. Porém, não faz nada a respeito. Apenas anota em seu caderno e continua pensando, sem dizer nada. Como ele guarda a raiva completamente para si mesmo, é uma catástrofe quando ela se revela. É do tipo que guarda rancor e não perdoa facilmente. Tem um certo egoísmo dentro de si e não é muito fã de dividir as coisas. Também é um tanto controlador com quem ama, principalmente com sua irmã. Mas isso é tudo parte de seu instinto superprotetor que ele tem com as pessoas que ama.



Tem um superficial sombrio, ou esquisito para muitas pessoas. Sua mania de nunca falar e ficar na dele observando os outros geralmente afasta as pessoas. Mas, se o conhecer bem, saberá que ele é uma pessoa muito meiga e boa, que tem sentimentos muito fortes mas nunca os revela. Também pode ver que ele pode ser divertido, fazendo piadas incrivelmente boas e criando apelidos para seus amigos. Não é um bom conversador e o tempo todo diz a coisa errada na hora errada. Cuidadoso, ele pensa bem em cada passo de sua vida. Também tem uma certa mania de arrumação, odeia coisas desarrumadas e bagunçadas, e não gosta quando as pessoas deixam suas coisas assim, mas não fala nada. Tem a mania de assustar as pessoas por seus gostos, como filmes, quadrinhos e principalmente graphic novels de terror, assassinos e livros sobre assassinatos. Gosta de escrever histórias sobre esses temas. Pois é, esses gostos contribuem para sua imagem de garoto perturbado e esquisito. Embora não demonstre afeto com muita frequência, ama sua irmã e seus amigos e faria qualquer coisa por eles.

Habilidades:

Charlie é incrivelmente inteligente e criativo, mas como não tem sutileza social, prefere guardar essas características para ele mesmo. Mil coisas lhe passam pela cabeça o tempo todo, imagens projetadas, desenhos, histórias, etc…

Desabilidades/fraquezas:

Ele é terrível em coisas como matemática ou ciências, coisas em que o resultado geralmente é certo. Para ele, tudo pode ter mil resultados não importando do assunto.

Devido a seus poderes, ele tem uma audição extremamente sensível. Por ironia, o cara que detesta muito barulho tem o poder de manipular ondas sonoras, então muitas vezes ele não valoriza seus poderes como deveria.

Qualidades:

É extremamente protetor e leal, sendo que seus amigos podem contar com ele para qualquer coisa. Tem uma criatividade absurda.

Defeitos:

É muito anti-social e retraído. Não gosta de conversar com as pessoas. Digamos que ele não “controla” seus pensamentos. É que ele não tem um filtro certo entre o que fala e o que pensa.

Poder:

Charlie tem o poder de manipular e criar ondas sonoras, conseguindo mudar sua intensidade criando sons ensurdecedores. Também consegue isolar sons, fazer sua voz ter um alcance muito maior e fazer as pessoas pararem de falar, mais especificamente fazendo com que nenhum som saia da boca da pessoa. Com seu poder, também pode quebrar e até explodir as coisas com a intensificação nas ondas sonoras. Sabe como usar sua habilidade para criar ondas super baixas e apagar as pessoas. Diferente do que se pode pensar, ela não precisa gritar ou coisa assim para manipular as ondas sonoras.




Nacionalidade e onde esta atualmente:

Australiano, e atualmente vive nos Estados Unidos como foragido.

É membro dos:

() irmandade de mutante
(X) X-men

Porque está nos X-men?:

Seus motivos são, de certa forma, egoístas. Além de, é claro, aprender a controlar melhor seus poderes, ele apenas quer um lugar tranquilo. Não liga muito pro lugar que for, só quer ficar em paz e parar de fugir.

História:

Charlie cresceu em Sydney, Austrália, junto com sua irmã mais nova, Mia, e sua mãe, Odessa. Embora ele sempre tenha se perguntado o que aconteceu com seu pai, Odessa apenas dizia que ele e ela se divorciaram quando Charlie era apenas um menininho e enquanto ela ainda estava grávida de Mia. Sua família nunca foi rica, e ele teve que trabalhar desde bem cedo para sobreviver e dar uma boa vida para sua irmã. Sempre foi aquele cara isolado e que nunca teve muitos amigos, apenas sua irmã e seu melhor amigo, Klaus. Desde pequeno sempre teve um potencial maior para desenhar, escrever, pintar. Resumindo: tudo que precisava de certo grau de criatividade. Sua vida continuou normal até ele completar 15 anos, quando algo terrível aconteceu.

Enquanto ele caminhava para casa depois de sair do cinema onde trabalhava, entrou em uma rua pouco confiável. Mas ele tinha que chegar logo em casa, então precisou correr. Enquanto estava na rua, foi abordado por uns cinco caras, grandes e fortes, que queriam assalta-lo. Como ele não tinha dinheiro, os ladrões começaram a espancá-lo. Aos poucos, Charlie parou de resistir e começou a aceitar que poderia morrer ali. Até que alguma coisa nele despertou. Uma espécie de força, uma energia. Uma coisa que ele nunca havia sentido. Ele deixou isso tomar conta e, de repente, os ladroes taparam os ouvidos e começaram a gritar. Os ouvidos deles sangravam, e eles gritavam como se estivessem sendo torturados. Até que chegou a um ponto que caíram no chão e pararam de gritar. Estavam mortos.

Desesperado, Charlie saiu correndo para casa. O que havia acontecido? Ele fez aquilo? Era muita coisa pra processar em um dia só. Ele se trancou no quarto e ficou ali, ainda sangrando por causa dos machucados e pensando no que havia acontecido. Foi então que ouviu alguém bater na porta. Era sua irmã. Ela teve um ataque quando ele disse que foi assaltado, se machucou e não contou nada para ela. Mas, ele a puxou para perto e cochichou o que aconteceu. Que ele matou os assaltantes com alguma espécie de poder. E a reação de sua irmã, Mia, foi surpreendente. Por incrível que pareça, ela não surtou, e mostrou a ele que também podia fazer algo parecido. Ela mostrou que podia fazer as coisas tremerem, empurrá-las, fazê-las se moverem. A partir daí, os dois começaram a “treinar” seus poderes juntos. O melhor amigo de Charlie, Klaus, foi o único para quem ele contou que os dois tinham poderes.

Até que um dia, apenas um ano depois, quando ele tinha 16 anos e ela 14, os dois voltaram da escola e encontraram sua mãe morta, estirada no chão da sala coberta por sangue. Mia gritou e chorou como uma criança, enquanto Charlie quase não conseguia processar o que aconteceu. Em cima do corpo de Odessa, havia um bilhete. Nele dizia: “Ela morreu porque criou dois monstros”. Embora Mia quisesse ficar em Sydney, Charlie sabia que eles dois teriam que fugir.



Família:


Nome: Odessa Caroline Darel
Idade: 43 (quando morreu)
Grau de parentesco: Mãe
Aparência:




Estado civil: Divorciada
Profissão: Vendedora
Personalidade: Odessa era uma mulher meiga e amável, que tratava a todos bem e sempre tentava ver o lado bom das coisas. Porém, ela nunca soube que os filhos eram mutantes.
Relação com os filhos: Ela amava muito os dois e tentava dar tudo a eles, mesmo sem ter dinheiro. Não fazia ideia de que os dois tinham poderes.

Nome: Howard Abbs
Idade: 46
Grau de parentesco: Pai
Aparência:




Estado civil: Divorciado
Profissão: Desempregado, antes era militar de alto posto nos Estados Unidos.
Personalidade: Durante sua infância, Charlie nunca teve a chance de saber sobre seu pai. Mas, pelo o que sua mãe passou a dizer quando ele cresceu, Howard era um homem de caráter forte, e muito bonito e charmoso. Mas os dois não conseguiram aguentar a responsabilidade de dois filhos, e resolveram se divorciar. Segundo ela, ele sumiu sem deixar rastros logo depois.
Relação com os filhos: Ele nunca esteve presente na vida de nenhum deles e se divorciou de Odessa quando Charlie era apenas uma criança. Porém, ele guardava um segredo da esposa. Ele sabia que Charlie era mutante, e que Mia poderia ser também.

Nome: Mia Sophie Darel
Idade: 16
Grau de parentesco: Irmã
Aparência:




Estado civil: Solteira
Profissão: Estudante
Personalidade: (Ver na ficha seguinte)
Relação com Charlie: Charlie ama muito a irmã e, embora ela seja meio difícil, ele sempre tenta protegê-la de tudo e de todos.


Nome: Klaus Erickson
Idade: 18
Grau de parentesco: Melhor amigo, mas Charlie o considera da família.
Aparência:




Estado civil: Solteiro
Personalidade: Klaus sempre foi o melhor ombro amigo para Charlie. Os dois tinham um relacionamento muito bom e Klaus era o único que sabia que Charlie e a irmã tinham poderes, e os apoiou com isso.
Relação com Charlie: Melhores amigos, os dois sempre foram praticamente inseparáveis.



Manias:

Desenhar ou rabiscar em qualquer coisa quando está entediado. Imaginar como cada pessoa irá morrer.

Frase que define seu personagem:

"Quem define o que é normal? Se dissessem que é normal andar com um abacaxi na cabeça você andaria?"

Música favorita:



Heathens, Twenty One Pilots

Sonhos/pesadelos:

Ele tem o pesadelo recorrente em que a irmã se afasta lentamente, e ele não pode se mover. Ela grita para ele pegá-la, mas quanto mais ele tenta mais longe ela fica.

Hobbies:

Escrever histórias
Desenhar
Criar histórias de terror
Pesquisar e ler sobre crimes

Gostos:

Terror
Ficar sozinho
Ficar com sua irmã
Desenhar
Escrever
Treinar deus poderes
Frio
Chuvas
Comidas azedas
Pepsi
Massas
Deitar na grama
Dormir
Organização


Desgostos:

Matemática
Muito barulho
Multidões
Comidas doces
Filmes românticos
Esportes
Calor
Nadar
Esquecer das coisas
Bagunças


Medo/fobia:

Tem medo de trovões, e mesmo assim pode criar o som de mil deles



Tem um medo irracional de patos

Segredo:

----

Amigos e inimigos:

Quer par? Se sim descrava:

Sim. Tem que ser alguém que entenda que Charlie não é do tipo 100% carinhoso o tempo todo. Alguém que entenda que ele já passou por muita coisa e que conquistá-lo por completo pode ser difícil. Alguém que dê valor aos mais simples gestos, que entenda e possa servir de apoio sempre que ele precisar.

Como pensa/trata a irmandade:

Acha que eles estão juntos pelo motivo certo, mas da forma errada.

O que acha do governo?:

Não liga muito para governo, política, etc… Na opinião dele, não existe uma pessoa como essas que não tem segundas intenções e, embora não confie muito neles, ignora-os como pode.

Como trata os humanos?:

Ele não tem nenhum problema com os humanos. Aliás, os inveja. Afinal, ele acha que seus poderes são um fardo que ele daria de tudo para não ter que carregar.

Como pensa/trata os X-men:

Gosta de todos e procura usar os mais experientes como exemplo.

Mataria mutantes ou humanos?:

Ele mataria qualquer um dos dois a vontade de mexessem com sua irmã ou alguém que ele ama. Acha que as regras básicas de moral devem se aplicar a ambos os grupos.

Como trata os amigos:

Embora seja aquele cara super isolado, com seus amigos tenta ser mais solto e divertido. Até pode contar piadas, provavelmente repetidas de sua irmã, e rir muito, coisa que não se vê no comportamento básico dele. Além disso, faria literalmente qualquer coisa por eles e sempre aponta seus erros.

Como trata os inimigos:

Ele os ignora como pode, não se importando muito com seus sentimentos.

Como trata o par:

Romantismo não é o ponto forte de Charlie. Ele pode até tentar ser romântico, mas com certeza não vai conseguir e vai se atrapalhar todo. Porém, esse desastre pode até ser fofo. Para ele, os menores gestos sempre são os melhores, então não se concentra muito em grandes escândalos para provar seu amor. Ele só diz “Eu te amo” pra quem realmente merece.

Roupas casuais:












Roupa formal:







Festa a fantasia:



Uniforme de combate:



Orientação Sexual:

Homossexual

Sabe que será uma guerra e ele pode morrer?:

Sei, pode matar e mata mesmo

Sabe que eu posso alterar algumas coisas?:

Sim

Algo mais?:

Algumas informações sobre a história são mais exploradas na ficha seguinte.




Ficha:

Nome:

Mia Sophie Darel

Codinome:

Magnitude

Apelido:

Mimimi (seu irmão a chama assim para irritá-la)

Data de nascimento:

1/1/2000

Idade:

16

Gênero:

Feminino

Aparência:











Mia é uma garota muito bonita, de expressões delicadas e corpo sadio e esbelto. Seus olhos são castanhos e, diferente dos de seu irmão, são brilhantes e pequenos. Seu cabelo longo é loiro e brilhante, macio e ondulado, mas ela muitas vezes o deixa liso.

Photoplayer:

Carlson Young

Personalidade:

Sabe aquelas bitches que pegam todo mundo, são más e riem da cara dos outros? Pois é, é um ótimo jeito de definir Mia. Digamos que ela é do tipo de pessoa má que não se importa com os sentimentos dos outros, não mesmo. Não se incomoda em ter que pisar no coração de algumas pessoas para conseguir o que quer. Adora chamar atenção e sempre vai fazer de tudo para conseguir, escandalosa como só ela consegue. Sabe criar uma boa confusão e destruir tudo em seu caminho. Como se fala? Ela é dessas que roda a baiana sem descer do salto. Não é do tipo que é parada facilmente, e vai acabar com você se tentar entrar no caminho dela. Como já deu pra ver até aqui, não leva desaforo pra casa! Extrovertida e muito sociável, onde quer que vai chama atenção e faz “amigos” por aí. Na verdade, gosta mesmo é de usar as pessoas e não se tornar amiga delas. Bonita, sedutora e safada, vai estar o tempo seduzindo e sendo indecente. Gosta de pegar todos os caras que forem possível, e geralmente é apenas sexo para ela. Quase nunca sente algo de verdade por alguém. Magoa os outros facilmente e não se importa. É do tipo que tira sarro de todo mundo, se acha melhor que os outros e mesmo assim não é contestada. Persuasiva, sabe muito bem convencer os outros das coisas. Embora não pareça, ela é extremamente inteligente e calcula o que poderá fazer para machucar a próxima pessoa que se aproximar. Extremamente sincera, diz a verdade e o que pensa na cara dos outros e não liga se vai magoar.



Porém, todo esse charme, sedução e sinceridade escondem uma garota muito insegura. Essa coisa toda de dangerous women muitas vezes é apenas um modo da garota de esconder suas angústias e medos. Ela se recusa a se apaixonar verdadeiramente por alguém, porque tem medo de ser magoada. Faz de tudo para esconder suas fraquezas e ainda por cima tenta ao máximo desviar de assuntos que toquem em seus sentimentos. Detesta chorar, e pensa que é um sinal de fraqueza. Não consegue entender pessoas que entregam seus corações completamente a outras pessoas. Pessimista, por dentro sempre pensa o pior. Segundo ela, amar é destruir. E há apenas uma pessoa que ela ama de verdade.

Charlie. Ela ama seu irmão, e odeia isso. Odeia que ele seja importante para ela, odeia que a ligação deles seja forte o bastante para ela morrer por ele, ou vice-versa. Odeia que ele seja superprotetor, que afaste os perigos dela. Vive dizendo para ele: “Sabe, se você quer cuidar da vida de alguém por que não compra um gato e vai cuidar das sete vidas dele?”. Mas por dentro o ama de verdade e até gosta que ele a proteja. Raramente demonstra afeto, mas é extremante sincera quando faz. Ama maquiagem, moda, sapatos e odeia usar uniformes. Também é bastante teimosa, e tirar algo de sua cabeça é uma proeza. Reverter ordens não é fácil para Mia, sendo que tem um espírito naturalmente livre. Não pensa muito antes de agir, mesmo quando tem a chance.


Habilidades:

Pode ser considerada uma habilidade ou não, mas Mia é extremamente manipuladora e persuasiva. Também é extremamente inteligente, embora não pareça. Sentimentos não a impedem de fazer o que for preciso.

Desabilidades/fraquezas:

Ela realmente se importar com alguém. Como ela diz, amar é destruir e ser amado é ser destruído.

Seus sentimentos atrapalham muito seus poderes, até demais. Ela pode fazer um prédio inteiro desabar se estiver assustada ou com raiva.

Qualidades:

É muito sincera e divertida, sendo que estar na companhia dela quer dizer que você vai rir e muito.

Defeitos:

Não se importa com os sentimentos dos outros e não tá nem aí se vai machucar ou não.

Poder:

Mia tem o poder de manipular vibrações. Como tudo existente possui uma vibração, ela pode sentir e manipular essas vibrações. Pode criar tremores na terra, quebrar vidros fazendo-os vibrar, até movimentar as coisas movendo-as com as vibrações. Pode também isolar vibrações, fazendo com que apenas uma coisa específica vibre.



Nacionalidade e onde esta atualmente:

Australiana, mas vive nos Estados Unidos como foragida.

É membro dá:

() irmandade de mutante
(
X) X-men

Porque está nos X-men?:

Sinceramente, apenas por que seu irmão a obrigou. Por ela, os dois estavam fugindo sozinhos e usando seus poderes como bem entendessem.

História:

Mia cresceu em Sydney, Austrália, junto com seu irmão, Charlie, e sua mãe, Odessa. Sempre foi aquela bitch popular da escola, que manipula todo mundo, sabe de seus segredos e gosta de brincar com os sentimentos dos outros. Mas, o que ninguém nunca soube, era que ela tinha poderes. Ela os descobriu quando tinha apenas 7 anos, mas os entendeu muito depois. Uma vez quando tinha 7 anos, sua mãe se recusou a comprar uma boneca que a pequena Mia queria. Como sempre foi uma criança pirracenta, ela começou um escândalo. No meio da revolta, houve um terremoto no bairro. A rua inteira começou a tremer e por sorte ninguém se feriu. É o mais curioso era que Mia não pareceu ser afetada pelo terremoto. Mas, por algum motivo, a pequena garotinha se sentia responsável pelo terremoto. Porém, sua mãe não suspeitou de nada e elas saíram da loja, seguras. O que havia conhecido?

E assim a vida de Mia seguiu normalmente até ela completar 11 anos, quando ficou extremamente doente. Durante a doença, houveram vários terremotos pela cidade, e todos pareciam ter o centro na casa dos Darel. Claro que a mãe não pensou que a filha estava causando isso, mas Mia já estava convencida de que era o motivo de tanto tremor. Depois disso, ela ficou curiosa em saber como fazia isso. Um dia, enquanto tentava descobrir como fazia a terra tremer, ela começou a jogar pedrinhas na parede. Enquanto segurava uma das pedras, percebeu que conseguia senti-la de alguma forma. Sentir seus movimentos, suas vibrações. Foi então que tentou sentir as outras coisas. Tentou sentir o copo de água que estava tomando e conseguiu. Era como se houvesse uma energia ao redor das coisas. Ela começou a treinar, a aprender sozinha como tremer tanto o chão quanto as coisas. Depois de descobrir que seu irmão também tinha poderes, ela decidiu ajudá-lo e se ajudar de alguma forma. Agora que podia treinar com outra pessoa, ficou mais fácil descobrir como usar seus poderes.Foi então que, um ano depois, os dois encontraram sua mãe morta em casa.




Havia um bilhete em cima do corpo praticamente dizendo que a culpa era deles. Mia ficou extremamente abalada, e tem pesadelos com aquele momento até hoje. Mas Charlie a obrigou a fugir. Por algum motivo, o irmão mais velho sabia que eles estavam em perigo, e Mia até discutiu mas não pode discordar. Eles pegaram suas coisas para saírem e, enquanto se arrumavam, Mia viu alguém a observando pela janela. A pessoa usava máscara, então ela não conseguiu vê-lo. Mas isso já foi o suficiente para apavora-la. Os dois saíram correndo de casa, onde viram o homem com máscara os observando do quintal da casa onde moravam. Ele tentou alcançá-los, mas Mia o impediu empurrando-o longe com seus poderes. Fugiram de cidade em cidade, estado em estado, mas onde quer que fossem o homem de máscara sempre estava lá. Até que Charlie tomou uma decisão drástica: eles sairiam da Austrália.

Usaram os últimos recursos bancários da família para comprarem passagens para os Estados Unidos. Chegando lá, pousaram em Houston onde, por um breve momento , pensaram estarem seguros. Porém, não se passaram nem cinco minutos e viram o homem de máscara no aeroporto, sentado em um banco, como se esperasse eles. Fugiram até um armazém abandonado, onde o mascarado os encurralou. Cansado de fugir, Charlie tentou usar seus poderes para matá-lo, mas não teve coragem de saber quem ele era. Quando ele tirou a máscara, eles souberam quem.

Klaus. O suposto melhor amigo de Charlie, que sequer deveria saber sobre tudo isso. Agora fazia sentido. Charlie sempre avisava a Klaus o que iriam fazer, e também foi a única pessoa para quem eles contaram que tinham poderes. Depois de Charlie perguntar por que, Klaus disse que era porque os dois eram aberrações e que, quando seu segredinho fosse revelado, eles nunca mais viveriam suas vidas tranquilamente. Cansada do discurso cansativo do garoto, Mia se aproximou dele lentamente e colocou as mãos em seus ombros. Desse contato, ela o fez tremer de dentro para fora, até que estivesse morto. Mas adivinha o que aconteceu depois? A polícia entrou. Convencidos de que Mia e Charlie assassinaram Klaus, começaram a persegui-los até os dois desaparecerem em uma multidão no aeroporto. Mesmo assim, os dois se tornaram procurados e humanos fanáticos que acreditavam que eles eram assassinos e aberrações não paravam de aparecer. Mas, pelo menos, os dois irmãos tinham um ao outro. Pouco tempo depois, ouviram falar do Instituto e Charlie não pensou duas vezes ao arrastar Mia para lá.


Família:

Nome: Odessa Caroline Darel
Idade: 43 (quando morreu)
Grau de parentesco: Mãe
Aparência:




Estado civil: Divorciada
Profissão: Vendedora
Personalidade: Odessa era uma mulher meiga e amável, que tratava a todos bem e sempre tentava ver o lado bom das coisas. Porém, ela nunca soube que os filhos eram mutantes.
Relação com os filhos: Ela amava muito os dois e tentava dar tudo a eles, mesmo sem ter dinheiro. Não fazia ideia de que os dois tinham poderes.

Nome: Howard Abbs
Idade: 46
Grau de parentesco: Pai
Aparência:




Estado civil: Divorciado
Profissão: Desempregado, antes era militar de alto posto nos Estados Unidos.
Personalidade: Durante sua infância, Charlie nunca teve a chance de saber sobre seu pai. Mas, pelo o que sua mãe passou a dizer quando ele cresceu, Howard era um homem de caráter forte, e muito bonito e charmoso. Mas os dois não conseguiram aguentar a responsabilidade de dois filhos, e resolveram se divorciar. Segundo ela, ele sumiu sem deixar rastros logo depois.
Relação com os filhos: Ele nunca esteve presente na vida de nenhum deles e se divorciou de Odessa quando Charlie era apenas uma criança. Porém, ele guardava um segredo da esposa. Ele sabia que Charlie era mutante, e que Mia poderia ser também.

Nome: Charles Lucas Darel
Idade: 18
Grau de parentesco: Irmão
Aparência:




Estado civil: Solteiro
Personalidade: (Acho que não precisa)
Relação com Mia: Ele é muito superprotetor com a irmã, o que a irrita muito. Mesmo assim, ela o ama e faria qualquer coisa por ele.



Frase que define seu personagem:

“Não sou má. Sou apenas brutalmente honesta. É um tom diferente de maldade”





Música favorita:



Dangerous Woman, Ariana Grande

Sonhos/pesadelos:

Sempre sonha com o momento em que encontrou o corpo da mãe.

Hobbies:

Transar com a maior quantidade de caras possível conta?

Gostos:

Moda
Coisas de alto padrão
Conseguir o que quer
Transar
Dançar
Tomar um bom e demorado banho
Comer frutas cobertas por chocolate
Chocolate
Ficar com seu irmão


Desgostos:

Se sentir fraca
Se sentir feia
Ser rejeitada
Combates físicos
Comidas azedas
Água com gás
Pessoas choronas


Medo/fobia:

Tem medo de perder seu irmão, mas nunca admite.

Tem medo de palhaços também, coulrofobia, mas também nunca admite.




Segredo:

----

Amigos e inimigos:

Quer par? Se sim descrava:

Sim. Tem que ser um cara que entenda que Mia não é o melhor exemplo de bom caráter. Também tem que saber que ela é extremamente pegadora, então ele tem que “entender” que ela pode ficar com outros caras e conquista-lá por completo pode ser um desafio. Como ela nunca fala se está triste ou assustada, tem que ser alguém que identifique isso nela.

Como pensa/trata a irmandade:

Acha eles divertidos. Meio idiotas, mas divertidos. Tem uma certa inveja da liberdade deles.

O que acha do governo?:

Uns babacas insignificantes.

Como trata os humanos?:

Ela acha que os humanos não entendem e jamais entenderão os mutantes, mas acha divertido impressiona-los com seus poderes. E, se alguns forem gatos, pode até valer a pena dormir com um ou dois.

Como pensa/trata os X-men:

Acha essas regras, como usar os poderes, usá-los com responsabilidade, blá, blá, blá… uma grande bobagem. Eles têm poderes. Por que não sair por aí curtindo com eles?

Mataria mutantes ou humanos?:

Tanto faz, ambos podem ser bem irritantes. Se eles ficarem no caminho dela, ela vai matar qualquer um.

Como trata os amigos:

É aquela bitch com os amigos também. Gosta de acumular os segredos deles, de usar para chantageá-los ou só pra ter algum controle. É muito divertida e, quando há conflitos entre eles, é a primeira a dizer a famosa frase: “Nooossa, se fosse eu não deixava!”

Como trata os inimigos:

É implacável e má comia inimigos, pisando na cara deles de salto e tudo.

Como trata o par:

Comprometimento não é o forte de Mia. Ela sempre vai dizer: “Ué, quem disse que somos exclusivos?”. Mesmo assim, se sentir algo verdadeiro por ele, vai se recusar a acreditar por um tempo. Até sair um “Eu te amo” da boca dela vai demorar muito, e ela vai fazer de tudo para ser a dominante da relação.

Roupas casuais:











Roupa formal:







Festa a fantasia:



Uniforme de combate:

Ela não gosta de usar os uniformes tradicionais, os acha cafonas demais. Então geralmente usa isso:



Também usa luvas como as da heroína Tremor.



Orientação Sexual:

Heterossexual

Sabe que será uma guerra e ela pode morrer?:

Sim, é a vida

Sabe que eu posso alterar algumas coisas?:

Sim

Algo mais?:

Não


Espero que tenha gostado deles! E desculpa pela história meio one shot de Scream (uma série maravilhosa) e de filmes do Pânico. Eu tava meio inspirado neles e em PLL quando escrevi.

Bye!





Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...