~Juno_LW - Clan Fantasy

Juno_LW
Pit of Dreams
Nome: Minnie Singleton - Lílian
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: São Paulo, São Paulo, Brasil
Aniversário: 29 de Fevereiro
Idade: 16
Cadastro:

Pequenas Coisas


Postado

Pequenas Coisas

Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo.

Hm... Primeiramente, oi, se tiver alguém aí (acho improvável, mas não custa nada tentar).

Às vezes eu fico indignada com minha própria capacidade de pensar em coisas aleatórias. Eu imagino, penso, sonho, viajo, conheço o Japão e vejo o preconceito sendo totalmente “abolido” da sociedade em apenas alguns minutos. É engraçado e de vez em quando me pego pensando sobre como pensar é estranho.

Penso que se às pessoas não se preocupassem com o que as outras pensam, elas não iam ser boas. Você se controla na hora da raiva, porque fica preocupada se essa pessoa em quem você quer despejar um monte coisas fique magoada depois. É mais ou menos isso se preocupar com que os outros pensam, mas no caso são pessoas importantes pra você e só fazemos isso porque sabemos que é um ponto ruim nosso ou podemos nos arrepender se realizarmos.

Penso no porquê de algumas pessoas agirem como agem, como idiotas, preconceituosos ou valentões. Penso que elas devem ter sofrido muito ou tido algo marcante pra serem assim. Às vezes é só por infantilidade e um monte de babaquices. Talvez a pessoa se sinta maior por fazer isso, o que desmorona todas as minhas teorias humanamente aceitáveis.

Penso que Deus existe, mas não nos criou. Ele criou nossa humanidade, o livre arbítrio, os sentimentos. Não penso nele como salvador, penso como apenas o universo querendo ser notado e que já fez o papel dele, nos deu os sentimentos, as vontades, as reflexões sobre certo e errado. Também cogito a possibilidade de ser apenas nossa fonte e estoque de fé. Algumas pessoas se sentem felizes e mais realizadas depois de conversarem com ‘Deus’, e outras apenas busam segurança. Quando tudo parece ruim, você tenta acreditar que tudo tem uma solução. Que por mais grave que seja o problema, tem alguém lá em cima que, se você ter fé, pode resolver tudo.

Penso que se apegar a objetos pra se distrair de tudo é bom e recomendável, mas ter família, interagir com todos que te fazem bem e feliz é ótimo, gratificante. Soltar gargalhadas, comentar sobre coisas que você gosta com outra pessoa é impagável.

Penso que ser gentil e ser trouxa podem ser a mesma coisa, dependendo de por quem é e por quais motivos. Tem muita gente que eu gosto e que me faz mal em alguns momentos, como todo mundo faz, mas em compensação está sempre comigo também. Com todos os defeitos, eu amo essas pessoas.

Penso que não tem certo nem errado. Não tem sexualidade. Não tem bom ou ruim. Pode ter religião, mas que a humanidade consiga manter suas crenças eles tem que construir e fazer prevalecer o respeito.

Você pode dizer que ser gay é errado, mas quem ditou isso? Se você ama uma pessoa, você fica com ela mesmo se for do seu sexo, isso se for corajoso. Então amar é errado? Você tem que se afastar de quem você ama e reprimir seus sentimentos?

Você se diz hétero, mas todos os que tem vontade de amar são panssexuais. Seu coração metafórico não tem olhos. Ele simplesmente ama. Se você se apaixona por uma transsexual, vai se afastar por ela ser o que é e reprimir seu sentimento, deixando de lado?

As pessoas te julgam pela sua religião. Se você for evangélico, mas namorar com 14 anos, falar palavrão e beber, alguns falarão que você é um falso. Você pode não ligar pros outros, mas e se for sua própria mãe?

Julgar pela cor. Racismo. “Ser branco me faz ser melhor”. Por que? Ser branco, a falta de melanina na sua pele, causa alguma alteração no seu cérebro que te deixe mais humanizado, inteligente ou forte que os outros de outra etnia?

Não. No. لا.しない. Pas. Nicht.

E por enquanto, é só. Esse negócio de escrever jornais aleatórios vai virar mania, certeza.

Pode parecer besteira refletir sobre isso, já que todos cairemos no esquecimento, mas espero que seja útil lembrar que você pode não ser apenas mais um vômito de bunda mongando no universo.


Escutando: In The Name Of Love - Martin Garrix ft. Bebe Rexha
Lendo: Instrumentos Mortais - Cidade do Fogo Celestial
Bebendo: Toddynho

Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...