~wtfbass

wtfbass
? » 2KOOL 4YOU « ?
Nome: ● ☽『 [ a r i e n ] 』☾ ●
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Vitoria, Espírito Santo, Brasil
Aniversário: 15 de Março
Idade: 64
Cadastro:

Mrs. grunwalds orphanage for gifted youngsters


Postado



Mostrar Spoiler: –– ( ░ ✗ &. W I L L
△ Nome:
–– ( ░ ✗ &. William Ashton Byers.
Seu nome significa "protetor corajoso" ou "o que deseja proteger".
William é um nome com origem germânica, derivado de Willahelm, que resulta da união de wil, que significa "desejo" ou "vontade" e helm, que significa "proteção".
William também pode ser considerado uma variação do nome Guilherme.
Muitos reis e imperadores, personalidades famosas tiveram o nome de William, especialmente no Reino Unido e nos Estados Unidos. Este nome ficou ​mundialmente conhecido através do dramaturgo inglês, William Shakespeare, considerado o maior escritor da língua inglesa e o maior dramaturgo do todos os tempos. Vivido entre os anos de 1564 e 1616, suas obras são populares até hoje, transformadas inúmeras vezes para o cinema, televisão e teatro.

△ Apelido:

William possuí uma grande variação de apelidos, porém, poucos são os que aceita. É muito comum chama-lo de Will, aliás, a maioria das pessoas o chamam assim, é por este nome que se apresenta, William é muito formal. Também tem o Ash, de Ashton. Pouquíssimos o chamam assim, já que não são todos que tem conhecimento de seu segundo nome. Oh, e bem... Tem o 'docinho', talvez seja por causa da belíssima personalidade que possuí.

△ Idade:

Dezessete anos de idade. Nasceu dia sete de janeiro, portanto, sendo regido pelo signo de capricórnio.

△ Nacionalidade:

Norte-americano. Nascido e criado em Tallahassee, capital da Flórida, localizada no condado de Leon.

△ Aparência:

William possuí, mais ou menos, um metro e oitenta e cinco de altura, realmente alto para a sua idade. Seu corpo é esguio, como um modelo de passarela. Também não deve pesar mais que poucos setenta e dois quilos. O porte físico é bom, com ombros largos e alguns músculos definidos, entretanto, a crista ilíaca e a clavícula são extremamente definidas. O abdômen, consideravelmente, mas, os bíceps podem estar em um ranking acima deste. Prefere que sua estrutura corpórea permaneça desta forma, sente-se confortável da forma que está. As madeixas escuras possuem um estilo rebelde, normalmente penteadas de forma desleixada, com um curto comprimento. As sobrancelhas, da mesma cor, são grossas e definidas, seguindo o formato de seu rosto. Abaixo destas, estão os olhos de coloração esverdeada, quase como jóias, envoltos por cílios finos e longos, não passam despercebidos, normalmente sendo alvos de bastante elogios. Os seus olhos são indecifráveis, assim como o resto do rosto, não tem o costume de expressar-se fisicamente, dando-o um ar misterioso. Lábios levemente cheios e naturalmente rosados, mas também ressecados, devido a mania constante do menino em morde-los. A pele é um tanto pálida, com inúmeras cicatrizes espalhadas pelo corpo, mas essas histórias não o deixam menos atrativo, muito ao contrário. Algumas possuem desenhos pretos as cobrindo, tatuagens, feitas clandestinamente. Will não é um fã de sorrisos, porém, é fácil arranca-lo de si. Tem belos dentes esbranquiçados, que conseguem a admiração de muitos.



△ Personalidade:

Ⅰ. Temperamental — William é dono de uma personalidade forte, não possuí papas na língua e certamente não leva desaforo para casa. Não se curva para qualquer um, é preciso ganhar seu respeito, e digamos que, é realmente difícil de tê-lo. Suas opiniões são fortes e bem formadas, pouco influenciáveis. Resumindo, é um cabeça quente. Gosta que as coisas aconteçam do seu jeito, porque de acordo com o rapaz, ele sempre está certo. Por causa dessa sequência de características, chega até ser um pouco arrogante.
Ⅱ.Impaciente — Sua paciência é extremamente pequena. Will não consegue aturar pessoas avoadas, principalmente quando estas não entendem o quê fala. Nunca está cem por cento disposto a ajudar, aliás, costuma ignorar coisas do tipo. Como uma bomba relógio, recebe muitas críticas por causa de sua pequena paciência, então tenta ao máximo se controlar, mesmo que seja difícil. Mas a tendência é só ir piorando.
Ⅲ.Pessimista — Nunca espera que as coisas deem certo, costuma ver as coisas pelo lado negativo. Ele gosta de pensar assim, caso algo ruim ocorra no futuro, ele não ira surpreender-se. Odeia ser iludido, não se aproxime de Will para dizer um simples 'Você consegue', é uma das frases que não suporta. Talvez ele seja assim desde o nascimento.
Ⅳ.Sagaz — William é uma das pessoas mais espertas, ele tem em mente seus objetivos, e normalmente consegue completa-los. Não desiste fácil das coisas, principalmente as que almeja tanto, chegando a ser um tanto competitivo. William não é inteiramente uma má personalidade, sua lábia é incrível, consegue facilmente manipular as pessoas, tanto para bem, quanto para o mal. Abusa da lógica, uma real companheira. Incansavelmente busca conhecimento.
Ⅴ.Estrategista — Com a cabeça a mil, consegue pensar com certa facilidade escapatórias, seja em situações embaraçosas ou desagradáveis. Sua sagacidade anda junto de porção estrategista, funcionam muito bem. Então, não ouse irrita-lô, não medirá esforços para colocar terceiros perto do chão. Podemos perceber também, leves pitadas vingativas em sua personalidade.
Ⅵ.Frio — William muitas vezes, pode aparentar ser extremamente frio. Quase como um cubo de gelo, sólido, impenetrável. Construiu uma parede envolta de si, não é de se abrir com qualquer um, mas com muito esforço e intimidade, ele irá conseguir falar abertamente sobre seus sentimentos. Não tende a demonstrar emoções, principalmente em relações amorosas, William não sabe como agir, talvez aprenda quando finalmente encontrar alguém especial.

△ História:

William nasceu em um berço de ouro, literalmente. Os Byers, desde sempre, esbanjavam dinheiro. Donos de muitas propriedades, eram imbatíveis. Porém, como qualquer família, eles carregavam um segredo obscuro. Emma, sua mãe, engravidou bem cedo, em um casamento arranjado. Extremamente preconceituosos, os Byers não gostavam de se misturar, preferiam manter uma linhagem de classe alta. A moça possuía apenas dezessete anos na época, dezessete anos de pura insanidade. Eram poucas as vezes em que seus pais permitiam que fosse a bailes com eles, ela tinha um fama esquisita. Muitos boatos eram contados pelos corredores daquela enorme casa, um em especial, algumas empregadas diziam que Emma era capaz de levitar objetos, dizendo até que chegaram a presenciar a cena. Confinada em seu quarto dourado, a moça nunca saia. Até mesmo Will era proibido de ver a mãe, passava grande parte de seu tempo com os avós, aprendendo como se comportar na mesa. Sempre que ia brincar no jardim, conseguia ver as portas do quarto de sua mãe abertas, o vento balançando as cortinas, as vezes, a moça tinha a audácia de respirar um ar puro em sua varanda. Após algumas semanas observando as portas, Will percebeu um padrão. Emma sempre aparecia na sacada exatamente ás cinco horas da tarde, ficava no local por no máximo quatro minutos e se retirava. O menino aproveitou a oportunidade para vê-lá, sentia uma saudade tremenda do calor materno. Ela era uma moça extremamente bonita, com enorme cabelos louros e olhos vibrantes, de coloração azul. Percebeu que era inteiramente seu pai, até as mesmas expressões vazias. Em uma noite qualquer, gélida, todos da família encontravam-se sentados na mesa, Will lembra-se perfeitamente daquele dia, tinha entorno de treze anos de idade. Matthew, seu pai, encontrava-se a sua direita, já Emma, em sua frente. Conseguia perceber os traços cansados ao redor de seus olhos, as linhas de expressão aflorando em seu rosto, algo estava errado. Ninguém pronunciou uma palavra sequer, o único barulho era a dos talheres batendo nas louças. Aquele silêncio conseguia ser constrangedor ao extremo, então, a audácia lhe consumiu, decidindo perguntar sobre como sua mãe estava. Os olhos azuis arregalaram-se, talvez em surpresa, talvez em espanto. Estas mesmas íris deslocaram-se de seu filho, para sua mãe, que curiosamente olhava a situação com indiferença. Emma levantou da mesa desesperada, indo em direção ao seu quarto, Will decidiu segui-lá, péssima escolha.

Conseguiu passar pela porta antes que esta se fechasse, colocando suas costas contra ela. Viu muitos remédios sobre as mesas, muitas tintas coloridas e várias pinturas nas paredes, uma lhe chamou mais atenção. Em um canto das paredes, estava uma imagem de Will, com os olhos esverdeados bem abertos e várias lâminas ao seu redor, a boca aberta como se gritasse. Inicialmente, não entendeu. Emma sorriu timidamente, estava parcialmente feliz por estar quase em contato com seu filho, tocou o rosto deste com carinho, acariciando o lugar. Não havia como mentir, Will não se importaria de passar grande parte de sua vida trancado ali, junto da progenitora. Ambos sentaram na cama extensa, com lençóis bordados. Ela lhe contou uma história, que no momento pareceu ser surreal. Emma, com os lábios rachados, lhe disse:'eu posso prever o futuro'. O menino quis rir, achando ser uma piada de extremo mal gosto. Após algumas mais explicações, entendeu o motivo dela ter passado a vida encurralada, engasgou quando contou que Will também possuía poderes, bastava senti-lôs. E naquele mesmo momento, a imagem das paredes recriou-se, assim que homens altos e enormes invadiram o cômodo, estes agarram sua mãe, chacoalhando-a, Emma adquiria um tom azul no rosto, sem ar. William gritou, então tudo pareceu ocorrer em câmera lenta, as várias lâminas guardadas nas gavetas vieram a tona, o cercando. Em poucos segundos, elas estavam cravadas nos homens asquerosos. Mãe e filho, então, saíram correndo para fora de casa.

Passaram dois anos nas ruas, passando as noites em hotéis, como fugitivos. A verdade era que, sua avó, manipulou as notícias, fazendo parecer com que Emma havia assassinado pessoas e sequestrado o próprio filho, uma grande mentira. Certo dia, bem longe da Califórnia, almoçavam em um restaurante qualquer, em beira de estrada. William devorava uma panqueca de maça, enquanto sua mãe mordiscava algumas frutas picadas. O ar era palpável, Emma olhava envolta, percebeu os olhares, tentava disfarçar, porém já havia sido percebida. Uma garçonete de cabelos negros falava disfarçadamente no telefone, o poder de Emma a ajudará a entender a situação. Percebendo a situação, mandou o filho correr, Will fez o quê a progenitora mandou, então tudo tornou-se em um caos. A polícia invadiu o estabelecimento, a moça tentou correr, mas as balas atravessaram seu corpo sem dó, fazendo-a cair no chão sem vida.

William tateou o bolso, pegando um guardanapo, nele havia um endereço escrito com letras garrafais. Era pra lá que ia, demorou algumas semanas até que chegasse em seu destino, um orfanato. Acabou sendo dado como morto pela polícia.

△ Sexualidade:

Bissexual.

△ Dom:

–– ( ░ ✗ &. m a g n e t i s m o.


Controle da energia magnética, gerando raios, campo de força, vôo e manipulando materiais ferrosos, incluindo o ferro do sangue e partículas de metal do ar. É capaz de praticamente tudo manipulando o eletromagnetismo; absorve eletricidade para carregar seu campo eletromagnético. William já nasceu com esse poder, assim como sua mãe. Ele já é ativado naturalmente, aliás, costuma a ser mais descontrolado quando está raivoso. Seu dom está relacionado com seus sentimentos, normalmente, sendo um reflexo. Usufrui deste com grande naturalidade, usando-o para obter coisas em sequer mover um dedo.

△ Como ocorreu a morte da família:

Assim como na história, sua mãe foi assassinada, a tiros. Não sabe em que estado seu pai se encontra.

△ Gostos:

–– ( ░ ✗ &. Dias chuvosos.
–– ( ░ ✗ &. Música clássica.
–– ( ░ ✗ &. Lutas corporais.
–– ( ░ ✗ &. Cafeína.
–– ( ░ ✗ &. Pinturas.

△ Desgostos:

–– ( ░ ✗ &. Nicotina.
–– ( ░ ✗ &. Dias calorosos.
–– ( ░ ✗ &. Panquecas.
–– ( ░ ✗ &. Pássaros.
–– ( ░ ✗ &. Nicotina.

△ O que é no Orfanato da Sra. Grunwald?

( & ) Veterano.

Chegou no orfanato aos quinze anos de idade.

△ Medos/Fobias:

–– ( ░ ✗ &. T a n t o f o b i a: — medo da morte ou de morrer;
–– ( ░ ✗ &. T a f o f o b i a: — medo de ser enterrado vivo;

△ Hobbies:

–– ( ░ ✗ &. Pintar.
–– ( ░ ✗ &. Praticar xadrez.
–– ( ░ ✗ &. Nadar, ele simplesmente ama nadar.

△ Estilo:

–– ( ░ ✗ &. b a i l e:


–– ( ░ ✗ &. g u e r r a:


–– ( ░ ✗ &. c a s u a l:

△ Par:

Sim, quero par.
William, inicialmente, irá tratar o par com certa frieza, ele não sabe se relacionar muito bem. Porém, ao passar o tempo, adquira intimidade, então começara a se abrir com o par. Sendo mais sentimental e talvez, romântico.

△ Amigos e inimigos:

Para ser seu amigo, é necessário lhe aturar. William sabe o quão irritante sua personalidade pode ser. Também precisa ter confiança em seus amigos, já que é alguém bem frio, é preciso confiança. Seus amigos acabam acostumando-se com a indiferença do menino, sabem que bem no fundo, é um pessoa doce. Não suporta pessoas com mesmo traços que o seus, ou alguém que queira se sobressair, Will é extremamente competitivo.

△ O que o(a) deixa muito irritado(a)?

Quando lhe dão ordens, ou lhe subestimam. Ou quando mechem em suas coisas, quando são muito lerdos, ou até mesmo extremamente falantes. Isso tudo o tira do sério.

△ Concorda com todos os termos e regras estabelecidos para a fanfic?

Sim.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...