~RomanovLola

RomanovLola
Lola-san
Nome: Lorena
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 17 de Dezembro
Idade: 19
Cadastro:

"Excesso de Proibições X Excesso de Liberdade" A geração dos pais 8-80


Postado

"Excesso de Proibições X Excesso de Liberdade" A geração dos pais 8-80

"Sometimes I feel I'm losing controooooool..." Opa opa! Tava me empolgando com a voz do meu amado Tommy aqui :3

Hey guys! Então... O que eu quero trazer pra vocês com este lindo tema? Na verdade foi uma coisa que eu comecei a ponderar num grupo de Whatsapp com uns amigos depois que me deparei com uma coisa bem chocante num grupo de cabelos coloridos que faço parte no Facebook.
O caso é que, uma moça que tinha cerca de 16 anos pintava os cabelos de milhões de cores fantasia e adorava, cuidava super bem das madeixas com as máscaras dela e etc etc etc... Porém um belo dia, a mãe dela decidiu rodar a baiana em casa e jogou no lixo (sim, no lixo) tudo que ela tinha de produtos capilares inclusive as tintas pelo simples motivo de odiar cabelos com cor fantasia e obrigou a moça a passar tintura castanha no cabelo. Agora corta e pára, vamos analisar só um pouquinho a situação antes de me chamarem de mimizenta por que ela tinha que obedecer as regras da mãe e blá blá blá blá... Gente eu também tenho pais, sei bem como é isso xD.

Sim, se ela mora com a mãe e vive do dinheiro dela, INFELIZMENTE ela vai sim ter que obedecer as regras da casa e respeitar a soberania da mãe, ponto final, sem discussão. Mas isso quer dizer que a mãe estava inteiramente correta?

E é aqui onde eu quero chegar com uma análise do que eu chamo "A geração de pais 8-80" onde eu vejo mais extremos do que equilíbrios em relações familiares, bem diferentes do lar onde eu cresci cuja única regra era "assuma a responsabilidade por qualquer ato seu" ou seja, eu fazia o que me desse na cabeça, MAS, a sujeira eu teria que limpar sozinha depois ^^' (obrigada papai <3)

A geração 8
É a que eu classifico como os pais que rodeiam os filhos de proibições e os colocam na famosa bolha de plástico, isolando de TUDO. Eu entendo que no mundo louco de hoje seja tentador você evitar que seu filho tenha contato com alguns tipos de experiências, até por que vamos combinar, o tudo hoje é tão perigoso e indecente que dá medo ter filho!
Mas a tentativa de proteção desses pais acaba sendo um tiro pela culatra, por que sendo superprotetor ao ponto de não deixar seu filho caminhar com os próprios pés gera uma insegurança tamanha na fase adulta que quando o filho se vê diante de uma situação em que ele precisa ser autônomo ele entra em pânico. É aquela criança que nunca foi na casa de um amigo ou nunca pôde dormir fora, que não aprendeu a pegar ônibus sozinho na pré-adolescência pelo medo do pai de algo grave acontecer, que jamais pôde fazer uma mudança corporal(lembraram da garota que eu falei?) pelo medo do pai da reação das pessoas na escola e no mercado de trabalho, que nunca foi numa festinha de aniversário ou se já foi voltava muito cedo pra casa e a tão polêmica, interferência na opção sexual do jovem... Já vi casos tão extremos em que os pais não deixavam sequer os pequenos terem aula na escola! As aulas eram em casa sob supervisão dos mesmos.
Tanta proteção que acaba tendo um efeito psicológico negativo na criança, ela tem notas excelentes na escola, toca algum instrumento, fala trocentos idiomas, é um filho de ouro que fala como se fosse um lorde. O problema é que a ausência de liberdade para ter as próprias vivências na infância/adolescência acaba gerando um transtorno de relacionamento com as pessoas ao redor, por que a conversa, as relações em grupinho, a paquera com a pessoa que você se sente atraída, isso tudo não se aprende em casa, isso causa uma sensação de isolamento na pessoa e estar entre mais gente a deixa nervosa e insegura, pior ainda é quando entra numa selva muito legal chamada faculdade onde é você que precisa se virar sem mais ninguém, deu pra ver o quanto isso não é saudável né?
Mas eu ainda não cheguei na pior parte...

A geração 80
Aqui é a minha parte favorita pois vou descer a metralhadora HAHAHAHAHAHAHA! :3
Esse é de longe o lado que eu mais odeio da falha da educação parental, que são os famosos pais que dão excessiva liberdade e mimo pro filho fazer o que bem lhe passar pela cabeça e se os outros acharem que o pirralho está errado, torcem o nariz! É a excessiva necessidade de ver o filho feliz ao ponte de achar que qualquer proibição vai causar um trauma, no fim, o moleque é colocado num pedestal e acaba crendo piamente que pode fazer o que quiser que jamais haverão consequências.
É aquela criança birrenta e mimada que desrespeita os professores na escola, que adora exibir o iPhone pros amiguinhos, que se não ganha alguma coisa se joga no chão e berra por que sabe que assim seu pai vai ceder a sua vontade, é o pivete que tinha a grana da night liberada desde sempre e jamais pegou em um caderno de vestibular decente e aos 25 ainda faz cursinho e mora com o papai, é aquele pré-adolescente que acha que a mais besta das broncas (como você ir arrumar seu quarto) é uma "opressão" e diz que tem os piores pais do mundo. A questão é que essa criança é criada tendo lhe dito toda dia que ela não tem responsabilidade alguma, pois ela é o centro do mundo (mas esse mundo se resume a sua casa basicamente) e quando precisa enfrentar o cruel mundo real onde nada é conseguido de mão beijada, TCHARAM! Ela entra em parafuso e qualquer coisa vira motivo para criar conflito e briga por que os outros não fazem o que eles querem.

Esses dois casos mostram o quanto a liberdade e a responsabilidade precisam andar de mão juntas quando o assunto é educação dos filhos, como também mostram uma frase que aprendi com um ex namorado "Pais são soberanos, mas nem sempre donos da razão". O que me entristece é que eu eu vejo infelizmente muitos valores invertidos nesse quadro, vejo atitudes desnecessárias tantos dos filhos quanto dos pais, claro que não são intencionais, mas as vezes uma reflexão básica e colocar certas coisas na balança ajuda a entender qual é a melhor atitude a ser tomada naquele momento. Fui criada numa relação muito aberta com meu velho onde qualquer coisa pode ser resolvida com uma boa conversa, nem sempre eu estava certa, assim como ele também não, vamos conversar e chegar num acordo? Ou no pior dos casos, a lei em casa é dele e no meu bom papel de filha, irei obedecer.

"-Lola então você tá dizendo que a gente tem que fazer uma revolução contra os nossos pais?"
PELO AMOR DE ODIN NÃO!

Eu tô deixando pra vocês galera uma reflexão básica sobre esse assunto, tanto como a geração que serão pais e mães no futuro, quanto para a juventude de agora buscar esse equilíbrio na relação com seus pais e entender que as vezes as ações deles machucam? Machucam, mas é um modo silencioso de eles mostrarem que estão preocupados com nosso futuro e nos amam.

E caso você tenha se visto em alguma das situações que eu falei acima, principalmente a geração 8, chama eles! Conversa com carinho, vê a melhor forma de mudar o clima em casa e se aproximar mais dos seus pais, uma dica de quem viveu 5 anos de briga com o velho que hoje é meu melhor amigo, conselheiro, guarda-costas e o melhor pai do mundo <3

Até pessoal!

Lola-san <3


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...