~Alcmena

Alcmena
Nome: Mena
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Descalvado, São Paulo, Brasil
Aniversário: 2 de Dezembro
Idade: 17
Cadastro:

Wonderland


Postado

Wonderland

Tirei um tempo para pensar em algumas coisas que vem me chateando esses dias, e resolvi escrever isso como um desabafo (vai que tem gente que tá passando pela mesma coisa que eu), lá vai as listinha, em tópicos:

- As pessoas tendem a julgar pela aparência (isso é considerado normal, mas não na minha cabeça), o que eu julgo como sendo um ato completamente idiota. Não se conhece uma pessoa simplesmente olhando para ela e tirando conclusões precipitadas, só por que ela se veste de um jeito, ou pesa mais que você.
Além de ser muito injusto com a pessoa que está sendo julgada, é uma total idiotice daquele que julga. Não vou dizer que nunca fiz, isso (não sou hipócrita de me fazer de Santa), mas, depois que conheci melhor aquele ser, me considerei uma perfeita tonta por ter feito isso.

- O corpo vem sendo mais importante que o cérebro. Não sei se é culpa da sociedade, da imprensa, ou de nós mesmo, mas simplesmente houve uma troca de valores: parece que ser burro e ter o corpo que a mídia julga perfeito (sem desvalorizar aquelas pessoas que são magras, lindas, e também tem um conteúdo ótimo, e conseguem levar um papo bom) é melhor do que ser inteligente e ter o corpo que bem quiser (seja magro, gordo, vidrado na academia, etc). Já nesse assunto de corpo perfeito, eu gostaria de mandar um “Vai se ferrar” (evitemos vocabulários chulos) à todas as pessoas que acham que o corpo perfeito é aquele seco, com os músculos todos durinhos da academia e de Whey Protein, e têm a necessidade de não comer para estar sempre na forma. Gostaria também, de estar mandando a nossa querida mídia à merda, por incutir nas nossas cabecinhas que é preciso ter um corpo desses para estar encaixado nos padrões que eles bem querem.
Se eu quiser comer bem, e ter o corpo mais roliço o problema é meu, e eu tenho quase certeza que meus amigos (os de verdade, pelo menos) realmente não vão se importar com o quanto eu peso, ou com o que eu como para manter nossa amizade.

- Pessoas reclamando que eu sou estranha (por não curtir o mesmo tipo de diversão que elas, ou não ser iguais à elas). Não vou nem demorar muito nesse, por que eu tenho muita pena das pessoas que acham isso de mim. Eu vivo no meu mundo, esse é o ponto. Vivo no meu mundo por que não vejo graça em gastar meu tempo com pessoas que acham demais sair por aí distribuindo saliva pra quem quiser. Não curto, nunca vou curtir, e nem quero que me convençam que sair pras baladinhas é algo que eu tenho que fazer; não sou o tipo de pessoa que paga pra ir num churrasco (onde eu sei que não vou me divertir) só para fazer a social.
Eu sou feliz vivendo do jeito que eu estou (lendo, conversando com pessoas que realmente se importam comigo, falando sobre coisas que me agradam), mesmo que isso não agrade alguns. Sem querer dizer que eu não gosto de sair, por que eu gosto. Mas, desde que seja um lugar em que eu me sinta confortável, e com pessoas que me fazem sentir bem. Do que adianta sair se eu vou passar raiva ou nervoso?
Já me disseram que é por isso que eu nunca vou arranjar um namorado... Quem sabe, né? Digamos que isso realmente é relativo, e eu realmente não tô muito preocupada com o tempo que vai demorar para eu arrumar um namorado, e se eu vou arrumar. Eros às vezes é bem danadinho com as pessoas.

- Meu jeito de ser. Aqui é um ponto que eu realmente não sei por que incomoda; se eu rio, é por que eu estou feliz. Se eu choro, é por que estou triste (ou de TPM). E se eu tenho um acesso de raiva, é por que realmente me deixaram irritada. Há pessoas que vêm reclamando por que eu ando muito estourada, que não aguento algumas brincadeirinhas... Meu amigo, deixa eu te contar uma coisinha: O que é engraçado pra você, pode não ser engraçado pra mim. E se eu estou tão estourada é por que alguém me deixou assim (e olha que eu tenho motivos de sobra pra chutar o balde de um monte de gente).
Digamos assim, eu não sou obrigada a aceitar brincadeirinhas de mau gosto, vindas de idiotas sem células estreladas o suficiente para formular uma frase madura. Já ouvi muita coisa calada, e não quero mais isso pra minha vida. Fica aqui um “Vai chupar um canavial de rola” para as pessoas que já me fizeram sentir mal, sem ter motivo algum para isso.

- Preconceito. Por si só esse tópico já é uma bola de problemas. Seja preconceito por causa da cor de pele, opção sexual, estilo, peso, entre outros, ser preconceituoso já é algo horrível. Se não gosta, não diz nada. Guarda seu rancor, e mal dizer só pra você. Só toma cuidado para não se afogar nas coisas ruins que deseja para os outros.
Essas são só algumas das coisas que me incomodam, e eu realmente não tô afim de continuar. Mas, fica uma observação para todos que, realmente, sentiram algo com essa mensagem: Você é lindo, não importa o que os outros digam. Você é único, e é isso que te torna mais especial.
Não sofra por causa dos outros, isso não vai levar a nada. Seja você mesmo, os que te amam vão estar ao seu lado, sempre.

Alcmena
“Posso até parecer louca, mas só estou vivendo a vida nos padrões do País das Maravilhas”

Desculpa por estar sendo tão depressiva no meu primeiro jornal, mas achei um começo interessante.
Se você quiser para seus amiguinhos esse jornal, eu vou ficar muito feliz!

Escutando: The Best of Bach (sim, é estranho, mas eu gosto)
Lendo: Ficção
Assistindo: Damianizando
Jogando: Com a sociedade
Comendo: misto quente
Bebendo: Chá de limão

Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...