~Luna_Rogue

Luna_Rogue
Go fix yourself!
Nome: ***
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: Indisponivel
Idade: Indisponivel
Cadastro:

❖ Jornal Feito Para Fichas ❖


Postado



♦ Nome Completo: ♦
→ Sarah Mitchel

♦ Apelido: ♦
→ Mitch

♦ Idade: ♦
→ 26 anos

♦ Data de Nascimento: ♦
→ 03/05

♦ Signo: ♦
→ Touro

♦ Nacionalidade: ♦
→ EUA – Califórnia

♦ Descrição da Aparência: ♦
→ Sarah tem 1,74 de altura, bem distribuído em um corpo curvilíneo e esbelto. Sua pele é branca e os cabelos ruivos, quimicamente pintados. Os olhos são verdes cristalinos, ternos e sensuais, o que liga com seu riso piedoso e o rosto jovial.

♦ Img 1: ♦


♦ Img 2: ♦


♦ Img 3: ♦


♦ Img 4: ♦


♦ Img 5: ♦



♦ Photoplayer: ♦
→ Susan Coffey

♦ Personalidade: ♦
→ Sarah é objetiva, ou é ou não é. Não existem meios-termos para ela. Seu modo detalhista faz com que enxergue antecipadamente as intenções alheias, o que a permite dizer se confiaria em alguém ou não. É um pouco insegura em relação as pessoas e tem medo de se aproximar sentimentalmente para não sofrer, por isso, surpreender-se-ia, caso se apaixonasse por uma pessoa.
Embora a sinceridade seja o seu ponto forte, sobressai-se a teimosia, evitando que entre em enrascadas e atrito com o grupo/amigos. Não se permitiria arriscar, sabendo que colocaria a vida de uma pessoa em risco. É risonha e gosta de falar, fala muito, mas recusa a falar sobre si. Acredita que seus pensamentos devem ser mantidos em segredo, visto que pode tornar uma fraqueza e se tem uma coisa que Mitch não é, é ser fraca. Corajosa e intensa, não negaria qualquer desafio e aventura, dando o seu melhor para mostrar para as pessoas pra quê veio. É protetora e gentil, preocupada com os feridos. Não seria capaz de abandonar uma pessoa adoentada, a menos que este pedisse ou não houvesse mais solução. Provavelmente saía bancando a durona e depois procuraria por algo para surrar e extravasar a tristeza.
Ela acredita que tudo é possível e espera conseguir provar. É leal quando assume compromissos com alguém e busca paz e tranquilidade, recusando-se mergulhar em desarmonia e gritarias. Sarah não é barraqueira, mas ainda acredita que as coisas só se resolvem na base da porrada e do tom alto, visto que fora treinada assim quando em colégio militar. Acostumou-se com o fato de falar alto em sua razão e tentar agredir fisicamente/psicologicamente quando acha que a sua ideia é a melhor solução.
É uma estrategista nata, analítica e perfeccionista. Sabe que seus planos são bons e levaria muitos para a segurança, mas nem tudo é como ela gostaria. É flexível, por isso consegue ficar em qualquer lugar, embora a desorganização lhe afete às vezes, juntamente de lugares escuros, no qual só entraria se fosse realmente obrigada. Ela tem muito medo do que não se pode ver.
Sarah é mandona, autoritária e exigente, o que a leva ser chata e exigir atenção, na maioria das vezes. Não fala o que vem na cabeça, mas hora ou outra escapa, arrependendo-se depois. É orgulhosa e não aceitaria ajuda, caso não fosse muito grave, no caso, de homens. Acha que os homens se sentem muito quando ajudam uma mulher, enxergando-a como uma garota indefesa e sensível, coisa que ela não é nem em um grama!
Embora tenha mais defeitos que qualidades, destaca-se o seu lado genuíno e positivo em ver as coisas. Com ela o tempo ruim só acontece quando alguém que gosta e se preocupa vem a desaparecer/morrer.
Ela não se considera uma mulher sensual, pois está acostumada com as roupas camufladas e que escondem suas curvas. Mas sabe que quando o assunto é seduzir, alcança seus objetivos. É bastante feminina e preza a higiene, sempre preocupada com o corpo e disposta a fazer exercícios quando não está fazendo nada. Além de estrategista, é uma boa ouvinte. Sempre prefere ouvir a opinião dos outros para depois se intrometer. Se acha que a pessoa está certa, apenas concordará com um aceno na cabeça e um “positivo”. Ela é sensata e sabe distinguir o certo do errado, pois teve que enfrentar as escolhas ruins de perto. Tem vergonha por ter sido a rebelde da família e tenta consertar seus erros e enfrentar a morte do ex-namorado cuidando das pessoas.
Se tivesse que resumi-la em palavras, seria como: pés no chão, desafiadora, intimidadora, fiel, autoritária, receosa, objetiva, calculista, vingativa, intensa, briguenta, engraçada, apaixonada por crianças, perfeccionista, orgulhosa e uma sobrevivente.

♦ História: ♦
→ Sarah nasceu em um sítio, no interior da Califórnia. Seu pai, George, era um Ex-Sargento da Marinha e a mãe uma enfermeira, que passou a ocupar-se mais com o campo, depois que a filha nasceu. George era um homem rígido e queria que a filha tivesse boa educação e um futuro promissor, por isso, fez questão de colocá-la em escolas particulares e ainda ensiná-la em casa. A mãe, Évyllin, de extrema proteção, ajudava-lhe sempre que podia, enchendo-a de amor e carinho. Como foi filha única, sua vida também foi marcada por um pouco de solidão, visto que não havia alguma criança próxima de sua residência para desfrutarem do convívio social e isso a deixou um pouco curiosa quanto ao mundo lá fora.
Logo, Mitch entrou na adolescência e trouxe consigo um lado mais rebelde, desafiando as leis dos pais e fugindo sempre de madrugada para encontrar-se com amigos do colégio. Aos dezesseis, começou a dirigir e entrar em rachas ilegais para ganhar um dinheiro por fora, dizendo para os pais que havia conseguido um trabalho. Em um desses rachas, Sarah conheceu Matt. Um rapaz exibicionista de vinte e três anos.
Seu relacionamento durou cerca de quatro meses, regado a álcool, experimentos de drogas e cigarros. Felizmente ela não ficou viciada em nenhum dos três, mas ainda bebe quando em estresse.
Quando completou dezessete anos, Matt a convidou para um racha e Sarah o fez concordar que seria o último. Ele estava no banco do carona quando ela disputou contra Júnior, um homem de trinta e sete que se dizia o “Rei das pistas”. Sarah poderia ter ganho, se ele não houvesse jogado o carro para cima dela e jogado os dois, ribanceira abaixo.
Sarah viu Matt morrer com um ferro cravado no rosto (o que torna um dos pesadelos constantes na vida da ruiva) e ela ficou presa nas ferragens, sendo socorrida um tempo depois. Júnior foi preso, mas solto em seguida. Sua maior vontade é encontrá-lo e matá-lo e isso dura até hoje, embora não saiba onde ele esteja.
Quando se recuperou o pai a forçou entrar para uma rígida escola militar e assim ficou até os dezoito. Pegou amor pelo ensino e se formou para a Marinha, como o pai. Aos vinte e quatro voltou para a casa dos pais, no qual já moravam na cidade e tentou entrar para a polícia. Antes do surto viral, Sarah trabalhava nas ruas, patrulhando, juntamente do colega, Edgar.

♦ Família: ♦
() Mortos

♦ Defeitos e Pontos fracos: ♦
→ É autoritária
→ Acha que as coisas só se resolvem na base dos berros e porrada
→ Ela tem uma cicatriz funda na perna e quando dói muito, a torna lenta
→ Tem medo de lugares escuros e isso poderia impedi-la de salvar alguém nesse ambiente
→ Seu medo de águas profundas a deixaria indecisa se nadaria ou não
→ Vingativa, pode sair do controle e tornar uma obsessão
→ Orgulhosa, poderia impedir de receber ajuda, caso precisasse

♦ Qualidades e Pontos fortes: ♦
→ Boa Mira
→ Detalhista
→ Estrategista
→ Ágil
→ Corajosa
→ Conhecimentos Básicos de Primeiros Socorros
→ Habilidade de sobrevivência

♦ Gostos: ♦
→ Chuva
→ Frio
→ Qualquer tipo de veículo automotivo
→ Armas
→ Adrenalina
→ Comida
→ Coisas engraçadas

♦ Desgostos: ♦
→ Lentidão
→ Pessoas que se sentem o centro do mundo
→ Ordens
→ Calor
→ Sol
→ Falta de humor
→ Ter que obedecer

♦ Uma frase que defina o seu personagem: ♦
→ Se for contra os meus princípios, não me siga. Irei por este caminho até me foder de jeito.

♦ Traumas: ♦
→ Não tem.

♦ Medos: ♦
→ Sente-se desconfortável se algemada, presa, amarrada, amordaçada, em lugares grandes demais ou pequenos demais
→ Receio ao escuro
→ Fobia a águas e lugares profundas/altos demais, no qual torna-se impossível ver o fundo

♦ Sexualidade: ♦
→ Hétero

♦ Par? ♦
→ Adoraria

♦ Relação com: ♦
→ Família:
Sarah sempre deu duro para manter a felicidade em seu lar e isso não mudaria nunca. Refere-se à família como seu bem maior, seu alicerce, sua alma. Embora estejam todos mortos, os têm em suas melhores memórias.

→ Grupo:
Sempre manteve a simbologia da união presente em sua vida, seja em quaisquer aspectos e isso não desvaloriza a relação com o grupo, embora haja situações que requer mais a paciência que a vontade. Será uma pessoa prática e disposta a correr riscos, desde que as ordens não coloque alguém a fio.

→ Amigos:
Desde que ficou sozinha, sem os pais, trata os amigos como sua família. Quer protegê-los e privá-los de todo o mal lá fora e, por isso, pode tornar-se a ser uma pessoa preocupada/apegada demais.

→ Inimigos:
Segundo Sarah: “Mantenha os amigos próximo e os inimigos mortos”. Se constrói laços negros com alguém, a única coisa que a barrará é a sua morte. Vingar-se-ia de qualquer um, caso tenha lhe feito algo e aos que ama. Ela só sossegará se conseguir vingar/matá-lo, caso seja um zumbi. Caçará o alvo como uma leoa e o sacrificará sem dó nem piedade.

→ Par:
Não tem diferença de como trata os amigos, embora se negará até ter certeza que o ama. Bancará a difícil para comprovar que ele realmente a ama, pois é de primeiro mostrar os defeitos, sendo assim, quem suportá-los, estará apto para conhecer suas qualidades. Estará lá sempre que o parceiro precisar, desde que haja respeito mútuo e fidelidade. Tratará o rapaz com lealdade e carinho, sempre dando o seu melhor para mantê-lo seguro e feliz, sonhando com o “felizes para sempre”.

→ Violet:
Tem suas faíscas, mas não a torna inimiga. Embora Sarah sinta que Violet esconde algo, acredita que ambas são fortes o suficiente e trabalhando juntas, conseguirão chegar em algum local seguro. Trata-a como uma pessoa normal. Nem tão próxima como amiga, nem tão distante como inimiga. Talvez coloque-a do lado de “Sobreviventes conhecidas”.

→ Grace:
Embora acredite que Grace seja desconcentrada demais e isso poderia influênciar em algum problema para o grupo, mantém sempre um olho aberto, fiscalizando sua forma de agir e os passos que dá para tentar ajustar. Rola um pouco de faíscas também, mas não sugere que elas sejam de completo inimigas. Talvez o fato de Sarah ser autoritária demais estraga a relação boa que poderiam manter.

♦ Probabilidades de: ♦
→ Brigar: 100% - Caso venham a julgá-la ou ordenar algo que ela sabe que acarretará problemas
→ Arranjar inimigos: 100% - Idem item acima
→ Mentir: Para não dizer nulo, 0,2%. Visto que apenas mentiria caso a pessoa estivesse à beira da morte e não quisesse piorar ainda mais a situação
→ Manipular as pessoas: 0,1% - Sarah só manipularia um inimigo e se encontrasse sem escapatória. Tentaria persuadi-lo a soltá-la ou algo do tipo.
→ Ser falsa: 0,1% - Ela só seria se realmente tivesse um bom motivo. Por exemplo, ter que usar de sua falsidade para salvar alguém que ama e foi pega pelos inimigos.

♦ Curiosidades: ♦
→ Sarah tem TOC, relacionado a organização
→ Não consegue ficar muito tempo sozinha e no escuro, ela surta
→ Ela não pode engravidar
→ É piloto de fuga
→ Adora aviões, mas tem medo de altura
→ Tem pesadelos constantemente e a maioria se deve ao novo mundo, onde acorda aos gritos
→ O primeiro zumbi que matou foi o seu pai e em seguida a sua mãe

♦ Cor preferida: ♦
→ Vermelho – A cor do sangue e da vingança

♦ Cantor preferido: ♦
→ Banda: Hollywood Undead

♦ Músicas que a definem: ♦
→ Bad Religion – Infection
→ Hollywood Undead – Undead
→ Five Finger Death Punch – Remember Everything

♦ Extras: ♦
→ Pós-Apc:
Sarah e seu parceiro foram atender um telefonema de uma Senhora, dizendo que o marido estava fora de si e queria atacá-la. Quando chegaram na residência, encontraram a mulher morta e pronta para se transformar. Procurando pelo marido, o outro policial fora pego de surpresa e recebeu várias dentadas, vindo a falecer em seguida. Sarah se desesperou e não conseguiu derrubar os três, saindo em disparada para longe.
Sua decisão inicial fora sair de casa e levar os pais juntos, pois tinha certeza que algo bom não estava acontecendo. Passara na delegacia e presenciara um caos absoluto, fechando a sua ideia de que deveria fugir rapidamente. Ao voltar, caída no chão de casa, encontrou a sua mãe, desfalecida, sendo devorada pelo marido.
Trêmula e desacreditada, ergueu o revólver, aos prantos, e atirou na cabeça, permitindo a misericórdia ao pai. Em seguida, buscou apoiar a mãe nos braços e viu quando seus olhos se abriram e tornaram-se leitosos e sem vida, desferindo mais um tiro. Ela não sabia o que estava acontecendo, mas agora estava só. Pegou uma bolsa e colocou coisas que precisaria e ligou o carro para partir. Quando estava a uma distância considerável, limpando os olhos, não percebeu uma pessoa e a atropelou, perdendo o controle do veículo e batendo em um poste.
Mitch ficou inconsciente e, quando acordou, estava no banco traseiro de um outro carro, sendo amparada por uma garota.
(Se não conseguir encaixar na história, não me importo que mude)

♦ Algo mais? ♦
→ Sarah tem um revólver policial e um canivete que não descartaria por nada. O revólver ganhou no seu primeiro dia como policial, no qual gravou seu nome.
O canivete ganhou do seu pai quando ingressou a Marinha e tem o nome do pai gravado na lâmina. Segundo ele, era o seu bem mais precioso.

ʕ•ᴥ•ʔv


►►►►►►►►►►►►



■ Nome ■
→ Reina Mitsuri

■ Idade ■
→ 16 anos

■ Aparência ■
→ Imagem 1:


→ Imagem 2:


→ Imagem 3:


→ GIF:


■ Personalidade ■
→ Reina é o tipo de garota que se destaca por onde passa, principalmente por chamar atenção dos garotos e despertar a inveja e raiva nas garotas. É vista como uma garota bondosa e frágil, buscando estar rodeada de amigos e que sempre sorri, escondendo sua verdadeira máscara. Reina, na verdade, é uma garota arrogante e egoísta, que trata as pessoas, indiretamente, como suas escravas. Sempre exigindo que façam coisas para entrar em seu ciclo social, ansiando a popularidade.
Por ser considerada a mais bonita, abusa disso, desfilando seu charme e conseguindo tudo o que quer. Quando o assunto é garotos, Reina é totalmente ingênua, pois, por mais que minta que já teve diversos namorados, ela, sequer, beijou na vida. Torna-se um pouco corada, tímida e agressiva. Sua empolgação é contagiante, assim como sua raiva e tristeza. Não se importa em demonstrar os sentimentos e fica abalada facilmente, principalmente quando se relaciona com a opinião alheia. Seu objetivo oculto é agradar a todos, mesmo que nem note, e quem acaba sendo usada é ela mesma.
É fiel e sentimental, embora negue até a morte. Gosta de falar bastante e implicar com os mais fracos, seduzi-los e quando consegue o que quer, recua. Além disso é muito mimada e quando não tem o que quer, faz birra, chora, esgoela-se, se irrita, até ter o que pediu. É teimosa, gulosa, insistente, praticamente não cresceu. É inteligente, bocuda e não recusa desafios. Se você é considerado o melhor, ela fará de tudo para ganhar o pódio e te ultrapassar. É preguiçosa quando não tem nada para fazer e odeia ser chamada atenção, o que a faz odiar regras, ordens, leis lhe enviadas.

■ História ■
Reina é a filha mais nova da família de Empresários, de classe alta Mitsuri. Crescera em berço de ouro, ao lado de um irmão inteligente e culto. Tivera os melhores ensinamentos e uma vida confortável, regada a presentes e mimo dos pais. Felizmente nunca precisou provar da ausência da família, pois sempre foram simplistas, trabalhando duro para que fortalecessem Reina com amor e carinho, tentando ensiná-la a ser uma boa pessoa. O que não deu muito certo, pois meio que se acostumou mal.
Diferentemente do irmão, Reina recebeu mais atenção por ser garota e isso não atrapalhou o convívio, pois para ela, o mais velho é seu porto seguro. Nunca aconteceu nada de excitante, aventuras desafiadoras ou tragédias em sua vida, além de animais de estimação mortos e joelhos ralados. Mas sabia que a maioria de suas amizades eram de completa falsidade, usando de sua boa vontade apenas para visitá-la e encher a barriga de graça. Isso a induziu selecionar as pessoas com quem andava e usá-las para seu aproveito, o que não deu orgulho para a família, deixando-a um tanto quanto rebelde.
Sempre sonhou, particularmente, em encontrar o seu príncipe encantado e ter amigas de verdade para compartilhar dos seus melhores momentos.

■ Família: ■

→ Nome: Ren Mitsuri
→ Parentesco: Pai
→ Idade: 40 anos
→ Relação: Ren é um homem sério e trabalhador, gentil e atencioso, sempre dando prioridade para a família. É o mais focado na finança, esforçando-se para confortá-los com o bom e o melhor. Exige mais responsabilidade do filho mais velho, no qual o treina para substituí-lo na Empresa de Tecnologia. Sua relação com Reina resume-se a mimos, carinho, amor e cobrança para que seja uma mulher de sucesso e que tenha um bom coração.


→ Oroch Mitsuri
→ Parentesco: Irmão
→ Idade: 19 anos
→ Relação: Oroch é um rapaz calmo, estratégico e muito inteligente. Ele mora em uma comunidade na faculdade, mas sempre visita a casa nos finais de semana. É bastante apegado na família e também os coloca acima de tudo. Sempre que Reina se mete em problemas, intervém em conselhos e puxões de orelha, forçando-a a reconhecer seus próprios erros. É mais apegado com a mãe, pois não se acha responsável suficiente para tomar o lugar do pai na empresa.


→ Yuna Mitsuri Hanna
→ Parentesco: Mãe
→ Idade: 39 anos
→ Relação: Yuna é um amor de pessoa, bastante apegada ao plano familiar e preocupada com o futuro dos filhos. Sempre faz perguntas constrangedoras, tratando-os ainda como crianças. Seu objetivo é fazer com que Reina volte a ser a criança educada e carinhosa que sempre foi e vê a inocência exalar da loura, porém, tem medo que não consiga enxergar em si própria. É engraçada e tem uma vibe interessante, sempre convidando as pessoas a fazer HOM quando estão passando por algum problema.

■ Gosta: ■
→ Roupas de marca
→ Conforto
→ Comida
→ Dormir
→ Olhar coisas bonitas
→ Ser o centro da atenção
→ Falar de si própria
→ Ganhar presentes
→ Animais
→ Competições

■ Desgosta: ■
→ Pessoas lerdas
→ Frio e Calor extremo
→ Rejeições
→ A palavra não
→ Ordens
→ Lugar que tenha muito mato
→ Perder

■ Medos: ■
→Escuro
→Lugares fechados e pequenos demais
→Sente-se desconfortável se amarrada, algemada, trancafiada

■ Sonhos: ■
→ Ter um namorado e amigos
→ Conseguir ser uma grande estilista

■ Como se apaixonou por Kou: ■
→ Reina sempre teve medo de lugares fechados e escuros, e sempre fez mais inimizades que amizades, despertando a ira de algumas garotas. A sua primeira inimiga fez questão de trancá-la dentro do armário de limpeza. Reina chorou, gritou, esgoelou-se, mas ninguém a ajudou. Quando a porta se abriu, o primeiro rosto que viu fora o de Kou, seu salvador e essa atitude a levou a persegui-lo e despertar o amor lentamente.

■ Conhecia ele antes? Se sim, como se conheceram? ■
→ Conheceram-se no momento em que ele abriu a porta do quartinho de limpeza.

■ Como reagiria se ele correspondesse? ■
→Além de feliz, parecendo uma cadelinha adestrada? Feliz, parecendo uma cadelinha adestrada!

■ Como reagiria se ele não correspondesse? ■
→Ficaria triste, mas provaria para ele que ela é a melhor escolha, lutando para conquistá-lo e mostrar que ela pode ser a pessoa certa se ele quiser.

■ Tem alguma cena que você quer que aconteça na fanfic? ■
Se for possível encaixar, quando ela receber o seu primeiro beijo.

■ O que é: ■
() Garota Popular
ʕ•ᴥ•ʔv


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...