~MaahMello

MaahMello
.main hayley atwell
Nome: Maria Fernanda
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 4 de Dezembro
Idade: 66
Cadastro:

Ficha pra a fanfic "New Vision"!


Postado





"Feche os olhos. Respire fundo. Pegue a flecha, coloque-a no arco. Puxe a corda. Solte. Atire. Repita o processo quantas vezes achar necessário."

Nome completo
Bennett Eloise Barton.


Idade
Dezessete anos de idade, nascida dia 2 de abril.

Apelido
Ben, Benny.

Aparência
[Aparência do meu amorzinho, Crystal Reed, que sempre é usada em fanfic como filha do Clint Barton. Ó que surpresa.]




Signo
Áries.

Cidade de origem
Nasceu em Nova Iorque, capital do estado com mesmo nome.

Cidade atual
Waverly, Iowa; mora na fazenda Barton.

Pais


Jeremy Renner interpreta Clinton "Clint" Barton, também conhecido como o Gavião Arqueiro e o pai de Bennett.

Bennett e Clinton são aqueles típicos pai e filha. Claro, a super proteção dele a incomoda, assim como a independência auto-proclamada dela também o incomoda. Muitas vezes agem como gato e rato, discutem por ideias opostas e trocam suas velhas farpas sarcásticas, mas um segundo depois já estão voltando a agir como normalmente; fofos, até demais, e quando Ben está por perto, o Gavião Arqueiro faz questão de grudar nela e sorrir para todos dizendo quem é sua filha.




Linda Cardellini interpreta Laura Barton, a mãe de Bennett.

Bennett é acostumada com a personalidade de sua mãe. Uma mulher forte, grande inspiração pra muitas ações dela; Laura é uma das unicas pessoas no mundo que entendem a parte mais estranha da mente da filha, assim como Ben é a única entre seus irmãos que entende o grande porquê por trás da super proteção de sua mãe, a ponto de que ela aceita manter a família escondida do mundo pela SHIELD.


bÔNUS; as tias mais próximas dela, quase como outras duas mães :")



Scarlett Johansson interpreta Natalia "Natasha" Romanova (ou Romanoff), a Viúva Negra e madrinha de Bennett.

Natalia é a madrinha de Ben, por pedido de Clint. A melhor amiga de seu pai. A conselheira de Bennett. Ela sempre que pode visita a família Barton, e por isso é tão costumeiro que Nat fique milhares de horas no quarto de Bennett escutando a garota falar sobre os mais variados assuntos. Natasha foi a primeira pessoa para qual Bennett se assumiu, e foi a que segurou sua mão e a confortou quando ela foi contar aos seus pais. Ben sempre achou impressionante o quanto Natasha tentava, a todo o custo, ter um tempo para dar atenção a sua afilhada. Nat sempre foi e sempre será uma segunda mãe para ela, e com certeza, é a pessoa na qual Ben corre ao abraço quando precisa de um conselho ou apenas alguém para a escutar chorando em silêncio.





Jennifer Connelly interpreta Katherine "Kate" Bishop, ex-aprendiz de Clint Barton e atualmente a Gaviã Arqueira; "professora" e tia de Ben.

Aí sim é uma boa relação: Kate sempre foi uma irmã mais velha pra Benny, e foi quem, na verdade, escolheu o nome dela; Laura queria algo diferente, Kate a deu algo diferente. Sua maior amiga, sua confidente, sua maior heroína. Bennett sempre admirou a mais velha, assim como admirou seu pai: Os Hawkeyes, os Gaviões, os arqueiros protetores. Ela quer ser como eles um dia, quer crescer tanto quanto Kate cresceu e se tornar uma heroína tão boa quanto sua tia sempre foi.



História
A mais velha entre os filhos de Clint, Benny sempre foi considerada uma filhinha do papai.
Talvez, pelo manto superprotetor que o Gavião sempre fez questão de manter sob ela e seus irmãos mais novos, Cooper, Lila e Nathaniel. Desde pequena, foi aquela que deu o primeiro passo, tanto que foi a que se apaixonou pelo arco que seu pai usava. Não demorou muito para que, aos 7 anos de idade, ela começasse a praticar tiro com arco, mesmo com seu pai temendo que isso pudesse desencadear no que ela é hoje. Era impressionante, desde pequena mostrava sinais de que ela seria como o pai, e não demorou muito para ela mesma adotar o bordão "Eu nunca erro" dele. Daí em diante, foi bem rápido: aos poucos, Bennett deixou de ser apenas a pequena Benny para se tornar a grande Caçadora. Claro, ela amou o seu próprio codinome, apesar de Clint ainda querer convencê-la de que Gaviã Arqueira é uma boa opção, apesar de Kate Bishop carregar o mesmo nome. Aos dezesseis anos, com novas ameaças vindo e Ben se sentindo literalmente trancada, decidiu fugir da fazenda a noite e seguir tanto seu pai quanto sua tia no que seria mais uma batalha dos Vingadores. Apesar de conseguir de alguma forma ajudar, acabou por se machucar gravemente, e a descoberta de sua presença ali irritou Clint profundamente, apesar dela "só querer ajudar". Quando se recuperou, percebeu seu desespero assim que se viu em perigo antes do machucado acontecer. Seu medo e seu sentimento de que ela queria ser salva, de que ela precisava ser salva. E ela odiou aquele sentimento. Ela queria se sentir segura, se sentir... Forte. Por isso que entrou na academia. Pra ser mais do que uma garota com um arco e flecha e um pouco de experiência com luta. Ela quer ser mais do que isso.


Personalidade
Ben não é uma pessoa facilmente esquecida; seus poucos detalhes são de conquistar muitos.
Podemos começar a falar sobre sua sinceridade; para ser bem direta, ela não tem papas na língua e fala o que quer quando quer, sem se importar com o que os outros acharão de sua opinião. Ela sempre foi acostumada a poder falar o que ela acha de qualquer coisa e arcar com as consequências de queixo erguido; palavras não a abalam, e sim ações. Além disso, ela tem uma grande disposição sarcástica; obstinada, melancólica. Talvez seus traços são o que a faz criar tanta confusão com os outros, que não gostam do que ela tem a dizer sobre eles. Isso também é um problema dela, já que ela encontra uma facilidade muito grande de afastar as pessoas que ela conhece ou que está a conhecer. Por isso, ela naturalmente opta por manter-se mais afastada, em seu canto, mantendo poucos laços de amizade por puro receio de que pode criar uma inimizade ao invés disso. Corajosa ao extremo e justa, muito, tem um senso enorme de integridade, e não tem medo de se levantar e arriscar-se pelo que ela acredita e por quem ela acredita. Talvez, por isso, ela encontra uma facilidade enorme na questão de sair machucada de uma briga, já que ela mantêm-se em pé até o final, até suas pernas fraquejarem o suficiente para fazê-la cair. É automático, também, ela odeia sentir-se fraca. Na verdade, ela sente vergonha de si mesma, e furiosa. Muito. Ela não gosta de ser protegida, não gosta de sentir que depende de alguma outra pessoa pra sobreviver a uma luta, seja ela qual for. Ela é durona, tanto na atitude quanto na queda, apesar de ter seus momentos de fraquejo e estes podem a levar a uma própria "queda" mental. Ela tem uma concepção muito solta dos termos "propriedade privada" e "propriedade pessoal", tendo tudo o que ela quer de outras pessoas sem levar em conta seus sentimentos sobre o assunto. É bem inteligente, um traço muito característico de sua personalidade, já que ela leva muitas coisas para o lado lógico; talvez por viver sempre com um livro em baixo do braço e sempre ter um olhar muito diferente do que seus pais tem da realidade. Sua independência surpreende, muitos dizem que ela tem uma mente bem avançada para alguém de dezessete anos e tira de si mesmas as fantasias que normalmente muitos teriam. Pode parecer pessimista por isso, não acredita em sorte, só que as pessoas foram boas o suficiente pra se safar de um mal que poderia acontecer. É madura, até demais, mas tem um certo problema: ela não é muito... Paciente. Qualquer coisinha pode a irritar ou a deixar agoniada. Ela também é bem frescurenta com algumas coisas. Ela é bem ciumenta e até possessiva, mas mesmo assim tem um senso de liberdade desde sempre. Pra ela, se algo te faz feliz, faça. Ela é aquela pessoa que lhe dará bons conselhos, mas não é sempre que ELA MESMA os seguirá. É um problema seu. Pra ela é "faça o que eu digo mas não faça o que eu faço". Quando alguém se mete na sua vida ela pode ser a sua pior ameaça. Não é vingativa normalmente, mas quando precisa ser... Fudeu. Aí sim que ela explode. Ela também tem um temperamento considerável, ela se inflama de raiva quando alguém que ela se preocupa é ferido, quando falha múltiplas vezes, ou quando a raiva ou a violência é necessária para o sucesso. Apesar de toda sua carcaça durona e seu coração com uma barreira dura como pedra, dá pra perceber seu carinho... Mesmo que ao seu próprio modo. Ela é meio marrenta, não sabe demonstrar seus sentimentos direito, então parece até corar quando vai falar algo e nega com todos os nervos de seu ser que está com vergonha. Talvez, por ser um tanto complexa, ela é acostumada a conquistar uma pessoa ao invés de ser conquistada.


Maiores segredos
+ Ela é bissexual, assumida, e por algum motivo tem uma certa “preferência” em ficar com garotas. Porém, é uma pessoa que só se envolve tanto com mulheres quanto com homens se tiver um vínculo emocional bem grande entre eles, ou seja, ela pega todo mundo nessa porra. hu3h3uh3u

+ Apesar de sempre passar uma coragem e segurança, ela tem medo. Muito.

+ She's a virgiiiin (888 tá acostumada a dar prazer pra alguém, e não receber. Por isso, tecnicamente, ela é virgem. +++ é claramente team #BennyTops.

Gostos
Musicais, filmes, músicas indie rock e a cidade de New York.
Seus gostos sempre envolveram muito o que seus pais construíram sob ela: gosta de sentir-se segura, graças à fina camada de super-proteção que seu pai decidiu que ela deveria ter desde pequena; de lugares com temperatura nem tão fria e nem tão quente, beirando aos 25 ou 24 graus, e de momentos que a possibilitem de sentar-se, tomar um pouco de chá e esquecer os problemas que a rodeiam. Conversar com alguém sem acabar criando algum tipo de discussão que seja desagradável, e em geral, conseguir passar um dia sem se estressar consigo mesma são coisas que lhe fazem muito bem. Acordar cedo, bem cedinho, pra poder treinar um pouco – ou muito – e atirar algumas flechas, claro.


Desgostos
Tá, pode ser até uma surpresa, mas ela odeia criar confusão.
Cresceu com uma abominação imensa à injustiça, a tirania, a tudo e a todos que ameaçam a paz na qual seu pai e os companheiros de equipe lutaram diversas vezes para manter. Se sente enojada ao presenciar atos de preconceito, seja ele pela raça ou sexualidade da pessoa ou pelo que os outros acham que ele é. Por isso, por exemplo, ela é totalmente contra estereótipos, e contra qualquer coisa que tire de alguém sua liberdade de opinar e escolher seu destino. Não gosta de chocolates e nem de carne, até porque contraria os pais nessa questão ao se tornar vegetariana com aproximadamente doze anos de idade.


Hobbies
+ Usar seu arco e flecha e atirar em um alvo na parede de seu quarto;
+ Ler um livro;
+ Escutar música;
+ Cozinhar.

Talento secreto
Ela sabe cantar, bem até demais na verdade. Sua voz é levemente rouca, sexy, e acalma muito alguém dependendo do ritmo da música. Por isso, normalmente, ela é responsável por cantar para seus irmãos mais novos de noite antes deles dormirem.

Medos/Fobias/Traumas
+ Ela tem o velho e clichê medo de palhaços, nunca entendeu porque mas eles a assustam muito.

+ Também tem medo de balões, outra coisa sem motivo, e tenta superar esse medo usando exatamente balões flutuando com gás helio pra estourar com as flechas, mesmo que comece a suar frio e tremer enquanto os enche e os solta no ar.

+ O machucado que ela sofreu enquanto tentava ajudar Kate e Clint, quando ela era menor, traumatizou ela de tal forma que ela se revoltou por como saiu de lá. Poderia ter morrido, droga, e mesmo assim insistiu em tentar ser a heroína que ela sabe que pode ser um dia.

Maior sonho
Ser tão boa quanto ou superar Clint Barton e Kate Bishop, sentir que eles tem orgulho dela, e trazer algo de bom para o mundo.

Cinco musicas para o personagem
(resumindo o que eu vou fazer: colocar uma musica que eu amo e que acho que combina com ela + quatro video edits da allison argent que me inspiraram a fazer ela. espero que sirvam)

“Stronger”, da Kelly Clarkson.

“Seven Nation Army”, de The White Stripes.

“Teen Idle”, da Marina and the Diamonds.

“Soap”, da Melanie Martinez.

“Sail”, de Awolnation.

BÔNUS! “Ready Aim Fire”, de Imagine Dragons

Maiores Habilidades
+ O arco e flecha, sinceramente, é o que mais surpreende todos. Sua mira é impecável e ela, literalmente, nunca erra. Todos dizem que isso é um talento que ela herdou de Clint Barton, por mais que ela mesma saiba que isso só foi conquistado pelo seu próprio esforço.

+ Pela sua mira impecável, coisas como armas de fogo, facas de arremesso e bestas são impressionantemente mortais em suas mãos. O que ela puder atirar, é perigoso para o inimigo. Se alguma vez ela te errar, é porque o alvo dela é outra coisa. É quase impossível vê-la errar o alvo, e na verdade, ela fora a única que já viu a si mesma errar alguma vez.

+ Treinando vários estilos de luta, até mesmo combate corpo a corpo pode ser difícil de se enfrentar contra ela. Ela gosta de se sentir preparada para qualquer tipo de situação. Facas, bastões, machetes, ou até mesmo seus próprios punhos. Ela aprendeu a estar preparada para qualquer tipo de combate.

+ Acrobacias; sua agilidade não chega a ser sobre-humana, mas é impressionante para alguém que nasceu de família sem histórico de inumanidade.

Dados complementares

Relação com os Heróis
É acostumada a ver heróis rondando pela sua casa de um lado ao outro, já que é bem comum para Clint abrigar seus amigos uma hora ou outra. Ela estava em casa quando os Vingadores foram para lá em a Era de Ultron, tanto que sua madrinha é Natasha Romanoff, a Viúva Negra. Tem um respeito enorme por eles, claro, e se dá bem com eles.


Relação com os Vilões
Ela tenta se comportar perto deles, e dependendo de como o Vilão age e reage ao seu impossível-de-controlar instinto de heroína, talvez possa criar uma certa amizade ou inimizade com um.


Como costuma se comportar na academia
Ela é considerada uma aluna... "Exemplar". Esforçada, sem falhas no boletim; uma grande queridinha dos professores, principalmente aqueles focado em luta, tiro ao alvo e estratégia. PORÉM, por mais que tenha esse seu histórico exemplar, é bem comum que vejam ela com a maior cara dark-gótica nos corredores, e, até, se metendo em discussões com o objetivo de defender alguém que sofre alguma injustiça. Até apanha no processo, ou ela mesma mete a porrada no povo.


Crie um pequeno ''texto'' com o seu personagem nas seguintes situações

Uma conversa com um Herói
viúva negra
"Tia Nat, conheça o Nathaniel."

O simples som da voz de Bennett despertou o olhar da russa. Natasha, ao virar o olhar, depara-se com sua afilhada carregando um pequeno bebê embrulhado nos braços, e imediatamente levanta-se e vai até ela, com o maior sorriso que já imaginou que teria em sua vida. Os olhos dela marejaram, e foi aí que Bennett se surpreendeu, afinal, em toda sua vida só viu sua madrinha chorar uma vez: logo quando Nat viu ela lá, deitada, sangrando com o arco ao seu lado e estremecendo no frio enquanto esperava a morte que viria se não tivesse eles lá para salvá-la. Argh, sua pior memória de ver a sua pessoa preferida chorando.

Natasha se aproximou cautelosamente, estendendo a mão para acariciar a pequena bochecha do recém-nascido nos braços da irmã mais velha. Ben sorriu levemente, vendo a sua tia limpar as duas lágrimas solitárias que escorreriam em suas bochechas, e riu cautelosa enquanto observava a expressão maravilhada da russa, que continuava a acariciar o pequeno ser nos braços da garota a sua frente. Natasha levantou o olhar na mesma hora, arqueando as sobrancelhas, dando uma pequena risada e voltando a olhar o bebê.


"Ele é tão lindo, Benny..."

Natasha praticamente sussurrou, já que o bebê dormia calmamente nos braços da irmã. Ben sorriu de lado.

"Você... Quer segurar ele?"

Os olhos de Natasha brilharam, e ela olhou para Bennett como se ela precisasse pedir alguma permissão antes de realizar tal ato. A afilhada riu novamente, estendendo o bebê carinhosamente para a tia, que o segurou como se fosse a coisa mais preciosa do mundo. E elas ficaram ali, na frente daquele quarto de hospital, apreciando o mais novo Barton como se aquele fosse um momento realmente único na vida dela.


Uma conversa com um Vilão
kilgrave/homem púrpura (só pq ele é meu vilão preferido)

"Vamos, querida, aproxime-se."

De olhos arregalados e em completo transe, Bennett larga seu arco e flecha e caminha lentamente em direção ao homem roxo. Ele, que tinha um sorriso maliciosamente psicopata, abriu os braços, esperando que a garota fosse ao seu encontro. Como se fosse de mandato imediato, Bennett tomou uma postura mais desesperada, correndo para os braços de Kilgrave e o abraçando desesperadamente. Seus amigos atrás dela a encaravam horrorizados; sabiam o poder que o controle mental dele tinha sobre as pessoas, mas não esperavam que, entre todo mundo, fosse logo ela que seria pega por ele.

"Se--senhor Kilgrave..." Ela sussurrou com devoção, olhando nos olhos do homem enquanto, desesperada, apalpava o casaco dele e o puxava mais para si. O homem riu, encarando os amigos da garota, que pareciam estar cada vez mais assustados com toda a situação. E, logo depois, virou-se para sua mais nova submissa, pronto para dar mais um comando, sabendo que ela corresponderia mesmo se não fosse sua escolha; o que, claramente, não é.

"Shhh, shhh... Querida, por favor, preciso que você lide com aquelas pessoas ali..." Ele apontou descaradamente para os amigos de Bennett, cada vez mais chocados. "Antes que eu possa fazer qualquer coisa com você. Eles estão ameaçando o nosso encontro, minha querida." Ele sussurrou a última parte em seu ouvido. Ben estremeceu, o olhando nos olhos, mais uma vez procurando seu rosto para puxá-lo para um beijo. Desta vez, antes que os lábios se tocassem ela sorriu, de forma diferente, virando sua cabeça para o lado com força o suficiente para nocauteá-lo. O corpo de Kilgrave caiu no chão, deixando uma Bennett ofegante a encarar seu corpo no chão, agora se virando para seus amigos séria e pegando seu arco em mãos. Com uma mão, caçou alguma coisa dentro de seu ouvido, retirando dois tampões que impediam dela de, realmente, fazer exatamente o que ele comandava. Os amigos dela estavam incrédulos, indignados, vendo como ela parecia normal até demais para quem aparentemente foi controlada mentalmente e iria beijar um homem abominável.

"Que foi? Achavam mesmo que eu poderia de alguma forma me sentir excitada por um treco feio como aquele? Nem com controle mental, argh. Deus me livre." Bennett puxou seus cabelos para trás e virou-se para a porta, pegando uma faca em sua bota e usando-a para arrombar a fechadura. Se virou, vendo eles agora rindo do que acontecia, e abriu a porta rumo a mais uma missão cumprida.


Um momento Hot
mei novata em escrever "hot" mas aqui vai hu3hu3hu3

Bella nunca tinha se sentido tão envergonhada em toda a sua vida.

Ama Bennett com todo seu coração, ah como ama. Mas vê-la no mesmo cômodo que sua tia enquanto elas riem e apreciam fotos constrangedoras de sua infância foi a pior experiência que ela sabia que teria enquanto Ben passasse essa semana na sua casa. Ben parecia ter um relacionamento bom com seus tios, e isso é totalmente bom, dito o fato de que ela sente que elas não terminarão tão cedo. E ver sua amada lá, rindo junto a sua família em uma tarde - finalmente - em paz, certamente enchia seu coração com a mais plena e sincera... Alegria.

"Ugh." Bella murmurou, cansada, caindo na cama em plenas duas da manhã. Seus tios insistiam que iriam ficar acordados até tarde, em parte para conversar com os outros familiares de Bella até o sol nascer, e também pra terem certeza de que as meninas se manteriam... Deitadas e não tentassem nada demais. Por que eles decidiram isso, você se pergunta. Talvez porque elas fugiram de madrugada na noite passada pra tentar se encontrar com outras amigas delas. Só talvez. Elas nunca fariam isso, não, são santas. É só uma suposição.

Um pequeno sorriso cobriu os lábios dela assim que sentiu um corpo quente afundar na cama ao seu lado. Em seguida, uma mão deslizando, lentamente, levantando lentamente o vestido fino que a cobria. Bella sorriu de lado, sentindo Ben deixar pequenos beijos em seu ombro exposto. Corou, um pouco, sentindo o caminho que a mão da morena fazia lentamente desde seu abdômen até o lugar que ela mais ansiava.

"Faz tempo que a gente não faz nada..." Ben sussurra, deixando beijos desde o pescoço até perto de sua orelha, na qual ela mordeu o lóbulo gentilmente. "Eu sinto falta de ficar dentro de você." Sua voz estava extremamente rouca, e Bella se sentia extremamente excitada pelo tom de voz que Bennett adotou. E ela queria continuar aquilo, ah, como queria. Mas saber que sua família tá lá embaixo e que a julgar pelo quão desconfiados eles ficam em deixar elas duas sozinhas, sabe que continuar com o que estão fazendo pode acabar mal. Enquanto divagava sobre o que era certo e o que era errado, Bennett deslizou a mão lentamente para dentro de sua calcinha, brincando com a entrada do que ela gosta de chamar de seu paraíso particular.

Bella suspirou, tentando ao máximo segurar o gemido que estava, literalmente, entalado em sua garganta. Sentiu a respiração quente de Bennett em seu ombro, mordeu o lábio, e a olhou de relance. A amada estava sorrindo de lado, a encarando enquanto brincava com a intimidade da mesma.


"Ben, você sabe que meus tios estão no andar de baixo. Eles podem ouvir a gente."

Bennett riu, beijando-a calmamente e mordendo, de novo, o lóbulo de sua orelha. Puxou-a lentamente e soltou no meio do caminho, aproximando de seu ouvido. "Então, vamos ver o quão silenciosa você pode ser."



Uma conversa com o melhor amigo(a)
eu não sabia quem podia ser a melhor amiga dela na fanfic, então, sei lá, eu tive uma ideia depois de ver a história da sua personagem e eu acho que isso pode ser adorável.

"Benny, meu Deus, não acredito que você tem isso!

Bennett se virou, vendo Allison animada mostrar uma foto específica no álbum de quando a morena era bebê. Era uma foto, com as duas mais ou menos perto do primeiro ano de idade, bebês, peladas, tomando banho em uma pequena bacia de água na varanda da Fazenda Barton com tanto Sharon quanto Laura sorrindo para o flash da câmera. Pareciam nem se importar com o fato de que estavam sendo fotografadas no banho, claro, nem sabiam o que fotos eram direito ainda. A mais velha riu, enquanto Allison, ainda animada, passou os dedos pela foto em questão, para logo depois ver outra em baixo com elas, agora vestidas, brigando por um ursinho de pelúcia.

"A mãe insistiu em guardar. Ela sabia que você ia ficar assim quando voltasse," Bennett se sentou na cama, polindo a ponta de ferro de uma de suas flechas com um pequeno paninho que ela usava especialmente nessa situação. Allison se virou, tirando uma das fotos da proteção, e virou pra mostrar pra a amiga. Ben arqueou as sobrancelhas, enquanto Alli, sorridente, se aproximou da cama. "Meu deus, nós éramos muito fofinhas!" Ela disse, com uma voz adorável, aproximando a foto de ambas brigando pelo ursinho do rosto de Ben enquanto a mais velha sorria.

"Qual é, eu tinha acabado de completar 1 ano e você não tava tão longe disso, claro que nós éramos fofinhas." Riu levemente, e Allison revirou os olhos como se fosse óbvio. Se levantou, guardando a foto no álbum novamente, e se virou. Ben guardou a última flecha e suspirou, olhando para Allison, que entendeu o que isso significada. Elas tinham que partir.


Uma conversa com o par


"Você é uma estúpida, Barton!"

Bennett sentiu Bella a empurrar para trás, encarando a garota com os olhos marejados a sua frente como se fazê-la chorar foi o maior erro que ela cometeu em sua vida. Bennett suspirou, Bella suspirou. Aquela conversa, com certeza, não acabaria bem.


"Amor, eu..."

"Sem essa de "Amor", Bennett Eloise! Argh." Jogou as mãos ao alto logo depois, limpando as lágrimas antes mesmo que elas caíssem, e logo depois olhou para a arqueira séria a sua frente. "Você não tem nada a dizer, sério? Você me deixa aqui e sai pra se suicidar naquele campo de batalha e me deixa aqui, sem saber o que fazer? Sério isso, Bennett? SÉRIO?!"


"Eu não queria que você saísse e tivesse perigo de se machucar, am..."

"VOCÊ NÃO CANSA DE SER ESTÚPIDA?!" Gritou, agora a todos os pulmões. Bennett se calou, sentindo seus olhos marejarem. "Você sabe tanto quanto qualquer um aqui que eu sei me cuidar, e que eu sou tão forte quanto você! E você não me deixa ao menos tentar, se arrisca e me deixa aqui como uma dama indefesa, como se eu não fizesse NADA além de esperar que você venha me tomar em seus braços e me salvar! Qual é o seu proble--"

Qualquer discurso que ela queria fazer foi interrompido com o praticamente silencioso som de Ben chorando. Bella parou, encarando sua amada, que agora cobria o rosto com as mãos e enxugava as lágrimas que não paravam de cair com as ataduras que enrolavam suas mãos. Ficou incontrolável, e ambas perceberam isso. A garota se aproximou lentamente, como se tivesse quebrado algo precioso, preparada para tomar a morena em seus braços e se desculpar, quando percebeu que ela ergueu o rosto com imensa dificuldade. Ela, mais que ninguém, entende como Ben odeia chorar na frente das pessoas.


"Ben, eu... Me desculpa, por favor, eu não queria que você chorasse... Você só queria me proteger, e eu tô reagindo assim a isso por próprio orgulho, eu..."

As palavras dela foram cortadas por Bennett segurando seu rosto trêmula e a puxando para um beijo que parecia que seria o último.

E tanto a tempestade quanto a batalha pareciam não importar, desde que elas estivessem uma nos braços da outra e se amando enquanto o mundo estava longe de acabar.


Estilo
Ben sempre foi uma pessoa com estilo variado, usando desde calças de couro até vestidos adoráveis e suas inseparáveis jaquetas e casacos. Botas, principalmente, são o que ela mais gosta de usar nos pés.



Detalhes

Uniforme:




Filosofia de vida
É aquela frase que tá no começo da ficha. Eu sempre crio uma frase que descreva a personagem e/ou me dê incentivo/criatividade/ideias na hora de fazer a personagem. Vou copiar a frase aqui, mesmo assim.
"Feche os olhos. Respire fundo. Pegue a flecha, coloque-a no arco. Puxe a corda. Solte. Atire. Repita o processo quantas vezes achar necessário."

Outra frase que serve como Filosofia de Vida pra ela é algo que sempre acreditou: "Nós protegemos aqueles que não podem proteger a si mesmos".

Livro favorito
Carmilla, do escritor J. Sheridan Le Fanu.

Musica favorita
“Bohemian Rhapsody”, de Queen.

Mataria alguém para salvar outra?
Sim.

Salvar a humanidade ou o amor da sua vida?
Por mais que lutasse para manter ambos salvos, se para salvar a humanidade ela tenha de sacrificar a si mesma ou o amor da sua vida, ela o faria. Então, salvar a humanidade.

Como se sentiria por ter matado um inocente?
Sinceramente? Ela ficaria totalmente... Devastada. Sempre foi contra inocentes serem feridos, acreditou que todos tem um direito de viver até que se provem culpados, ou que tudo que respira merece ter sua chance de sobreviver. Sempre foi a favor dos inocentes, e contra os vilões que ameaçam a paz daqueles que não podem defender a si mesmo com os heróis os defenderiam. Seu lema é proteger aqueles que não podem proteger a si mesmos. E, tirar a vida daquele que ela deveria proteger, sempre foi contra tudo que ela sempre acreditou.

Viveria com culpa?
Depende do que a tornasse culpada. Caso fosse a morte de um inocente, ela não aguentaria viver com essa culpa. É como eu disse ali em cima, na última resposta. Mas se fosse pela morte de alguém... Que não fosse do bem, como um vilão, ela estaria até se sentindo culpada, mas sem arrependimento do que fez até que seja provado o contrário.

Ama quando?
Quando alguém a aceita sem se importar com seus piores defeitos.

Odeia quando?
Alguém comete algum ato de injustiça e/ou crueldade.

Defina o seu personagem em uma palavra
Justiça.

Palavra chave
Churros (amo, comi hoje)

Vai comentar a fanfic em todos os capítulos?
Vou fazer o meu melhor pra comentar em todos. (❛◡❛✿)


Espero que goste da Benny tanto quanto eu gostei de fazer ela. Caso tenha algum erro ou defeito que possa ser corrigido, me avise, que eu o farei assim que puder! Qualquer alteração que eu fizer na ficha, eu te aviso, I swear. ♡


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...