~JaeBolinha

JaeBolinha
Najaboquis
Nome: Nathália
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Maua, São Paulo, Brasil
Aniversário: 13 de Setembro
Idade: 16
Cadastro:

Dor


Postado

Dor

Existem vários tipos de dor, assim como existem vários tipos de amor. Existe a dor da perda, a dor daquele machucado e, aquela que não pode ser curada tão facilmente, a dor da distancia. Seis homens que entraram na vida de muita gente, seis garotos a procura da realização de seus sonhos e, seis coelhos alienígenas, que vieram para a Terra em busca de energia. Assim como há diversos tipos de dor, há diversos tipos de amor, e para mim, o amor mais puro é aquele que não precisa de muitas ações para ser provado. O amor de fã. Independente da distancia, das culturas e dos idiomas, eu os amo como se estivessem ao meu lado todos os dias, e realmente estão. Estão naquela música que toca na minha playlist, estão naquela camiseta velha que uso, estão em minha mente, coração e alma.

B.A.P não é apenas um grupo musical, é um exemplo de vida, homens que, com sua música, dedicação, união e amor, mostraram ao mundo o que é ser um guerreiro. B.A.P não é apenas uma fase adolescente, é parte da vida de cada cabeça B.A.B.Y. E B.A.B.Y não é apenas um fandom, é uma família distribuída em diversos lugares do mundo, da America à Ásia, do Brasil ao Japão. Todos nós temos um sonho, seja ele ir para um país diferente ou seguir uma carreira, mas todos os sonhos devem ser batalhados com garra e suor, e para mim, eles fizeram mais do que isso. O que todos nós achávamos que era um sonho que estava se realizando, na verdade, não passava de um pesadelo a se iniciar. Uma empresa, seis garotos e diversas ações escritas e borradas. Então a dor se inicia, a dor da distancia, a dor de não poder ajudar quando se está do outro lado do mundo, a dor de uma fã. Saber que vocês sofriam calados enquanto eu sorria a cada música, me faz parecer culpada, quando na verdade, vocês apenas queriam me fazer feliz, mesmo que isso custasse as suas saúdes, a suas liberdades e a suas felicidades. Saber que enquanto eu poderia estar pagando em um show, vocês não recebiam nada, me faz ficar angustiada, me faz pensar o quanto o ser humano pode ser cruel.

A dor que sinto agora talvez não possa ser comparada a que vocês deve sentir, a dor de um sonho interrompido, a dor de fazer os outros felizes mesmo que você não estivesse, a dor de um ídolo. O que eu posso fazer? Eu apenas devo continuar apoiando-os, continuar sorrindo da mesma forma que vocês sorriam para mim, continuar ao lado da minha família Matoki e torcer a cada momento para que vocês vençam mais esse obstáculo da vida.

Eu tenho orgulho de ser B.A.B.Y, tenho orgulho de amar o B.A.P, tenho orgulho de dizer que não é uma fase e daqui 5, 10 ou até 20 anos, eu ainda irei escutar ‘Warrior’. Um dia, irei olhar para o céu e poderei ver seis estrelas, cada uma com sua devida coloração: Vermelha, Rosa, Cinza, Amarela, Verde e Azul. E saberei que, finalmente, o Planeta Mato conseguiu energia suficiente e me orgulharei mais ainda, em dizer que fiz parte disso.

B.A.B.Y e B.A.P são uma família, e nada quebrará esse laço.

Nem mesmo a maior dor...

#ForeverWithBAP


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...