~CharlotteKasumi

CharlotteKasumi
Wasurenai yo
Nome: Marmôelho//Marmô//Termos de uso//Kazu//
Status: Usuário
Sexo: Masculino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 3 de Dezembro
Idade: 65
Cadastro:

Deixe-me sonhar - Filhas de uma pessoa morta.


Postado

Todos conhecem a sensação de andar pelas ruas, mas quem me dera conhecessem a minha angustia quando sonho.


O sentimento de temer algo que estava constantemente ao seu redor. Engraçado. Por que todas as crianças temem o escuro? Como se um bicho espreitasse atrás de sua porta, pronto para devora-la com suas garras afiadas e dentes pontiagudos, como se...

Quando abri os olhos, me senti como uma criança: com medo de toda aquela escuridão ao meu redor, fazendo meus olhos se apegaram aos poucos fios de luz que as velas forneciam, quase não percebendo toda aquela gente ao meu redor, com seus rostos tristonhos e mãos juntas ao peito, em uma oração silenciosa. Quando os percebi, não pude deixar de me sentir conforto, eu reconheceria aqueles rostos a quilômetros de distancia. Meus familiares, sempre tão cabisbaixos se moviam de forma lenta, demorada para falar a verdade.

Quando dei por mim, já estávamos em frente a um tumulo bem decorado: O mármore era preto, cheio de velas e uma unica cruz. Que estranheza. Eu sabia dentro de mim que aquele tumulo era meu, como também sabia que eu estava morta, mas por que aquele lugar me trazia tanto desespero? Por que eles estavam perturbando o meu tumulo? Parem de abrir ele, eu já não aguento mais estar sofrer desse jeito, há algo que eu tenho que deixar para trás. O meu passado esta enterrado ai.

E lá estava eu: Morta, apenas com três objetos em meus pés, estava escuro demais para que eu pudesse notar os detalhes, mas eu conseguia ver um azul profundo: uma bolinha talvez? Estava tão hipnotizada por essa cor azul, que mal notei meus familiares tirarem um forro debaixo de meu corpo morto, e lá estava: Por algum motivo, eu sabia que aquilo era uma mulher, como também sabia que aquele corpo ali, também era eu. Do lado de seu rosto tinha uma mascara de metal enferrujado, recheada de furinhos.

Você teve muitas filhas.


Eu tive muitas filhas, eu me lembro disso, mas por quê eu não posso lembrar delas? Onde estavam minhas filhas? Minha aparência mudou, meu corpo transformou-se em carne podre e deformada pelo tempo, eu já não era mais a Rafaela. Não.

Você teve muitas filhas


Os familiares da Rafaela começaram a mexer nas minhas coisas. Não mexam ai, elas são as minhas coisas. Eu morri com essa mascara, eu me lembro dela sendo colocada em meu rosto, eu me lembro de ser enterrada com ela. Por favor. Onde estão as minhas filhas? Eu tinha cinco, não tinha? Então por que eu não consigo lembrar dos seus nomes?

Você teve muitas filhas


Eu já não estava naquele lugar obscuro, ah não. Meu corpo estava caindo de um parapeito, mas o céu estava azul, como se Deus estivesse zombando de mim. A minha mascara esta presa ao meu rosto. Eu estou caindo. Meu cabelo é tão longo e castanho. Eu não sou a Rafaela.Não...

Eu não sou a Rafaela.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...