~Marcyabener

Marcyabener
Nome: Marceline
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Niteroi, Rio de Janeiro, Brasil
Aniversário: 7 de Julho
Idade: 15
Cadastro:

O começo de uma longa jornada


Postado

O começo de uma longa jornada

Oii gente...é vou contar minha vida pra vocês em partes...bem quero que vcs me conheçam eu me corto a mais ou menos três anos ou mais (acho que mais) não julguem por favor com o decorrer da história vocês vão entender os motivos para mim fazer isso...então eu resolvi contar pra vocês porque eu percebi que eu não sou a única que faz isso e eu sei que outras pessoas pensam em fazer e eu peço que elas não façam nunca o primeiro corte talvez ela não consiga mais parar...então a cada dia eu conto uma parte da minha vida pra vocês. É só mais uma coisa pras pessoas que acham ridículo eu não faço pra chamar atenção se fosse fazia logo na testa. Não julguem se você não sabe a gravidade da dor que essa pessoa está sentindo. PRA VC QUE NÃO SE CORTA, NUNCA FAÇA ISSO

Primeiro dia

Tudo começou desde que eu tinha oito anos...nova? Talvez mais enfim na minha família por parte de pai eu só tenho uma prima., eu é essa minha prima íamos pra casa da minha vó só que minha vó não gostava de mim nunca gostou ele deixava isso bem claro o desprezo que ela sentia por minha presença lar por eu ter nascido e pra uma garota de 8 anos é complicado não ser amada pelas pessoas da sua família pois é ela não gostava de mim vc ir num lugar onde babam sua prima muito e não se importam com você é difícil muito na verdade onde você fica no quarto sozinha enquanto todos estão na sala se divertindo e quando você tenta participa manda você ficar calada ou voltar pro quarto...além disso eu sofria bullying na escola por ser baixinha e gorda me davam apelidos ridículos que me deixavam muito triste eu me sentia a pior pessoa do mundo ( em outro dia conto detalhes) meus pais viviam brigando e eu fazia de tudo pra eles ficarem juntos minha mãe chorava todas as noites achando que eu não sabia já que meu pai traia muito ela...ele me amava mais machucava tanto minha mãe que eu sentia sua dor ele passavanoites foras sem dá um sinal de vida depois voltava como se nada tivesse acontecido, até que eles se separaram e eu não estava mais aguentando de tanta dor país, escola, avós, anti-social, gorda. Baixinha, considerada estranha pelos primos (por parte de mãe)e eu achei ajuda na dor...eu estava na sala quando vi alguém na televisão um documentário de uma garota que ela falava que aliviava o que sentia no coração com cortes eu ignorei mais teve um dia que eu estava tão pra baixo que não aguentei...acabei me cortando nos braços e aquilo realmente aliviou fiz mais alguns e o sangue escorria é aquilo me fazia me sentir melhor mais só na hora que eu fazia depois voltava pra minha triste realidade
...


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...