~mariyona

mariyona
Nome: "I call you Moonchild" 🌙
Status: Usuário Veterano
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 25 de Junho
Cadastro:

~mariyona

Retomei essa conta pra postar minhas fanfics de BTS.

Utt: Taehyung 🐯
Bias: Jungkook 🐰
OTP: TaeKook
OT3: TaeYoonKook

Também curto outros ships, e eventualmente escrevo sobre eles.

Twitter: @mariyona_bts

Análise: TaeKook e "Demian"

Postado

Análise: TaeKook e

OLARR FÃS DE TAEKOOK! 🌚

Decidi postar meu primeiro jornal fazendo uma análise comparativa sobre nosso amado ship e o conteúdo de "Demian", aquele livro afrontoso e filosófico que o Namjoon leu e que inspirou diversos MVs e shortfilms, como bem sabemos.

Pois bem: li "Demian" há poucos dias. E, ao mesmo tempo que associava a vários elementos dos vídeos do BTS, fiquei positivamente surpresa pela tensão homoerótica ser tão forte para um livro lançado em 1919.

Antes de falar sobre isso, devo ressaltar que o Jungkook disse numa entrevista no começo do ano (se não me engano, naquele photobook com fotos de "Blood, Sweat & Tears") que se identificava muito com o Sinclair, protagonista do livro, no sentido de querer crescer, amadurecer e se tornar um adulto capaz de pensar por si mesmo.

Até aí, tudo bem, visto que ele é o mais novo do grupo e, como ele mesmo canta em "Begin", é quem mais sente a necessidade de ser levado a sério como alguém maduro e responsável, inspirado e guiado pelos seus hyungs. E, dentro das teorias sobre os meninos serem alter-egos do Jin nos MVs, Jungkook para mim seria justamente o representante do Sinclair mais inocente, alheio às maldades e problemas do mundo, que precisa aprender que o mundo não é só flores.

Eis que, ao conhecer Demian, a vida de Sinclair começa a mudar, e é interessante a forma com que ele o enxerga desde os primeiros contatos. E eu, automaticamente, associei a tudo o que penso sobre TaeKook.

Quem me acompanha há um tempinho deve ter percebido que gosto de trabalhar com as diversas possibilidades sobre quando os sentimentos deles começaram a mudar, o antes e o depois, a época em que cada um percebe essa mudança, etc. E o jeito que o Demian chega na vida do Sinclair me lembrou muito o jeito que podemos imaginar que Taehyung chegou na vida do Jungkook.

Antes de Demian, Sinclair era um menino inseguro por se ver dividido entre a criação religiosa que teve, dentro da moral e dos bons costumes, e a vontade de conhecer mais do "outro lado" do mundo, o mais arriscado e sombrio do que aquela bolha protetora na qual sempre viveu. E Demian percebe esse desejo latente de Sinclair, que mais tarde ele chama de "marca (estigma) de Caim", que seria um olhar diferente, um olhar questionador e não conformado com o que tentavam impor a ele como certo. Demian também ajuda Sinclair a se livrar de um garoto que o atormentava e chantageava, e eles passam a ter algumas conversas nas quais Demian instiga Sinclair a pensar por si mesmo, fazendo aquela tendência dentro dele vir à tona.

E o que a gente sempre ouve ou lê sobre TaeKook na época do pré-debut, e até nos primeiros meses de debut? O quanto Jungkook era tímido e arredio, mal conversava ou brincava, e o primeiro a conseguir atravessar essa barreira foi Taehyung. Não sabemos como exatamente, mas, assim como Demian, Taehyung conseguiu abordar Jungkook de tal forma que ele se sentiu confortável perto dele, mais à vontade, mais disposto a se soltar mais. E, assim como Sinclair, havia um potencial dentro de Jungkook, algo pelo qual ele queria lutar, mesmo que os medos e inseguranças tentassem sufocá-lo. Demian e Taehyung apenas acenderam ainda mais a faísca que existia dentro deles.

Com isso, vamos para o seguinte: gratidão que vira devoção, ou algo muito próximo disso. Em inglês, a palavra que melhor define é "whipped". Tanto Sinclair quanto Jungkook possuem uma admiração enorme por aqueles garotos mais velhos que quebrou a barreira deles. Eles são a sua maior influência, sua maior inspiração, os amigos mais próximos, com quem conseguem se abrir como nunca antes e de quem sempre esperam aprender coisas novas. Há um respeito e, de certa forma, receio por se apegar tanto a alguém, mas ambos se deixam levar.

Pensem no Jungkook de 2013 e 2014, o quanto ele sempre estava atrás do Taehyung, literalmente o seguindo em cima do palco, e aquele olhar de adoração sempre que o hyung começa a falar, algo que nunca mudou até hoje: isso é ser whipped. Tem um vídeo recente, no Japão, onde o Jungkook nem mesmo pisca ao olhar para o Taehyung, e nem bate palmas quando todos batem de tão hipnotizado que está por ele.

Agora, a tensão homoerótica: Sinclair havia conhecido Demian aos 10 anos e, depois dele ajudá-lo com o garoto, acabam se afastando. Sinclair ainda tinha receio de sair totalmente do "mundo luminoso" e embarcar no "mundo sombrio" do qual Demian, que deduzi ter 12 anos na época, fazia parte. Mas, dois anos depois, eles acabam tendo a mesma aula (algo sobre catecismo, se não me engano), e eles começam a se comunicar pelo olhar quando o professor fala de assuntos que os dois já haviam discutido antes. Demian sentava na fileira da frente e olhava de relance para Sinclair, sorrindo.

Aos poucos, Demian se reaproxima, passando algumas aulas na cadeira em frente à de Sinclair, que reclamava mentalmente do tédio da aula mas não deixava de notar o perfume de sabonete da nuca de Demian... E, depois, o mais velho consegue sentar ao lado dele, e ambos continuam se entendendo pelo olhar, além das conversas que tinham fora da sala de aula. Havia uma ligação única entre eles, e Demian, como sempre, nunca impunha nada a Sinclair, que mesmo questionando algumas ideias do amigo, não deixava de ser tão fascinado por ele. Seu jeito de descrever sua personalidade e sua aparência, mostrando quão charmoso, belo e carismático Demian era, já é um sinal do forte grau de atração que o mais novo tinha.

Bom... Nem preciso falar muito, né? Jungkook já disse inúmeras vezes o quanto acha Taehyung bonito, vive tirando fotos dele, há coisas que só compartilha com ele, toques, olhares e brincadeiras dirigidas somente a ele. E o fato de tratá-lo como igual, apesar da hierarquia das idades, com certeza fez Jungkook se encantar ainda mais. Reparem como são raras as vezes que Taehyung usa o argumento de ser mais velho para convencer o Jungkook de alguma coisa: ele simplesmente conversa de igual para igual, e quando chama Jungkook de "criança" ou "bebê" é por pura implicância.

A partir daí, há mais uma ruptura entre Sinclair e Demian quando o mais novo muda de colégio, e mais anos se passam. Não vou entrar em muitos detalhes para não estender mais a análise e porque TaeKook nunca passou tanto tempo longe, mas preciso ressaltar como Sinclair continuava pensando em Demian o tempo todo, e até sonhando com ele. O impacto que ele teve em sua vida foi tão grande que, mesmo separados, mesmo sem saber se um dia o veria novamente, não conseguia esquecê-lo.

É nesse momento que, para mim, a bissexualidade do Sinclair fica mais evidente, pois ele demonstra interesse por mulheres e ao mesmo tempo pensa tanto em Demian. Até quando tenta pintar o rosto daquela que considera sua musa, as feições de Demian aparecem. E há um simbolismo nisso, também, pois num dado momento Sinclair diz que aquele rosto "é" ele, algo que existe dentro dele e/ou algo que fará parte de sua vida no futuro. Basicamente, ele entende o lado rebelde que há dentro dele (Demian) e almeja encontrar alguém para amar (amante).

Nada posso afirmar sobre a sexualidade do Jungkook ou do Taehyung, obviamente, mas acredito que, se eles forem homossexuais ou bissexuais, devem ter passado por um processo de descoberta semelhante. E, na minha opinião, o Jungkook ficaria menos num estado de negação do que o Taehyung por se importar menos com o que as pessoas pensam, por ser mais prático e direto. Esse é o único ponto onde eu inverteria as comparações: Jungkook seria o Demian, mais decidido sobre o que realmente quer e indo atrás disso, e Taehyung seria o Sinclair, mais hesitante em mostrar um lado seu que tantos poderiam julgar, principalmente sua família (sabemos o quanto ele é tão apegado à dele e imagino que isso pesaria muito caso ele se visse em conflito com a própria sexualidade).

Por fim, a história segue com ambos se reencontrando já adultos, Sinclair com 18 anos e Demian provavelmente com 20, e aí entra a mãe do Demian, Eva, e pela primeira vez Sinclair conversa diretamente com uma de suas musas (antes, ele apenas idealizava e nunca se aproximava). E, mais uma vez, para mim, é mostrado bem sutilmente como ele se atrai por ambos os gêneros. A forma como ele descreve o aperto de mão do Demian ("continua firme e cálido") ou como ele para de andar só para admirar um Demian semi-nu lutando boxe, descrevendo sua beleza, seu tronco e seus músculos... E quem é que vive admirando os corpos um do outro, fotografando, apertando os muques ou quase babando ao ver o outro dançar? Pois é. Uma atração física incontestável, assim como os abraços constantes, um contato com a pele que parece cada vez mais urgente (o Bon Voyage 2 foi a síntese disso).

Mais uma vez, quero lembrar que o livro é de 1919 e não haveria nada tão explícito. Por isso, o jeito que acaba, para mim, foi bastante ousado para a época e só reforça o quanto Demian foi importante para Sinclair em todos os sentido: como amigo, mentor e interesse amoroso. Nada me tira da cabeça que Demian foi o primeiro amor de Sinclair, e continuou sendo, mesmo que ele nunca tivesse consciência disso.

Quanto a TaeKook, também acredito que o Taehyung tenha sido o primeiro amor do Jungkook. Ele comentou ainda novo que nunca tinha se apaixonado antes, mas a devoção dele pelo Taehyung, que mesmo amenizada ainda existe ("Taehyung, se você fizer, o Jungkook faz também" - PARK, Jimin, 2017), e eu acho isso muito lindo e puro. E eu acho que, se o Taehyung se apaixonou pelo Jungkook, foi algo tão espontâneo que pode até assustar a princípio, pois é difícil negar ou reprimir, ainda mais convivendo diariamente com a pessoa que mexe com seu coração.

Claro que há uma boa chance de estarmos nos iludindo e o que tem ali ser apenas amizade, mas não dá para negar como é uma amizade única, intensa e cúmplice, cheia de momentos fofos, palavras ditas e não-ditas, promessas, e principalmente, a certeza de ter alguém que te entende e não te julga pelas suas loucuras.

Eles são amigos de todos os membros, possuem boas afinidades com os outros, mas entre eles há algo diferente e que talvez a gente nunca consiga expressar perfeitamente o que é, mas é tão especial e bonito que me faz pensar que, se for para um ship ali realmente acontecer (ou já acontecer), é TaeKook.

Bom, acabei me empolgando, hahahahahaha, mas espero que tenham gostado! ❤

Permalink Comentários (1)

Atualizações do Usuário

Usuário: ~mariyona
Favoritei a história
História: Alô?
História: Alô?
Onde TaeHyung deseja arduamente o seu vizinho policial. KOOKTAE/TAEKOOK • DRABBLE {WHYKTHYUNGHURTS WEEK}
Usuário: ~mariyona
Favoritei a história
História: Fascinado
História: Fascinado
Onde Jeongguk é apenas apaixonado demais por Taehyung. ?Taekook? Fascinado (.s) encantado; exageradamente envolvido, atraído ou seduzido;
Usuário: ~mariyona
Favoritei a história
História: A culpa é do Anime
História: A culpa é do Anime
Jimin se arrependeu arduamente por ter assistido aquele anime. Deus me livre, Owari no Seraph! MINJOON/NAMMIN • ONS!AU
Usuário: ~mariyona
Favoritei a história
História: Apenas seu
História: Apenas seu
Jeongguk achava que era errado se sentir dessa forma com tudo que estava acontecendo, porém estava em seu limite para controlar seu ciúme de ver seu Taehyung com Kim Minjae.
Usuário: ~mariyona
Favoritei a história
História: Como um só
História: Como um só
Tudo caminhava perfeitamente bem para Kim Taehyung, tanto em sua vida profissional quanto pessoal. Tinha amigos que trabalhavam junto a si, um emprego onde fazia o que gostava, n..


Dados do Usuário

Twitter: @mariyona_bts