~Maori-san

Maori-san
Outsoar the Rainbow
Nome: Maori
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 8 de Março
Idade: 18
Cadastro:

Elefantes


Postado

Nunca tive o costume de falar sobre meus problemas, ou mesmo desabafar com alguém. Vai ver é pela terrível experiência de traição, que me transformou numa gata escaldada que prefere guardar tudo para si e ignorar os problemas fingindo que são invisíveis e irão evaporar algum dia...Infelizmente nem todos os problemas são como a água, há muitos deles que são como elefantes.
Nada contra elefantes, elefantes são legais, são grandes e interessantes. (Tenho uma teoria de que os elefantes já foram imperadores numa época ultrapassada.)

Mas não é facil ignorar um elefante.
É praticamente impossível fingir que ele não está ali, te encarando, esperando que você tomei uma atitude para tirá-lo de lá.
E eu ignoro tantos elefantes diariamente, desde criança, que agora acho que não consigo enxergar nada além deles.Esses problemas acumularam-se por tanto tempo que já não consigo sequer encontrar uma forma de fugir, me esconder, erguer uma máscara sociável e idealizar uma adolescente normal...Quer dizer, diferentemente normal. Pois eu nunca fui e nem pretendo ser uma garota normal.

E isso não é o resultado de uma crise dramática de TPM, onde irei me arrepender e apagar esse jornal.Todas essas palavras estavam guardadas dentro de minha cabeça há tempos, e agora preciso libertá-las para "formatar" minha vida... E elas ficarão registradas aqui até um dia, quem sabe, o ser humano evolua e entenda perfeitamente seus significados e consiga interpretar a estruturação desse texto que justifica meus atos passados.

Tudo é calculado, tudo existe por algum motivo.

Me acha radical?Pois eu digo que queria ter nascido com um espelho no lugar do rosto. Quem sabe isso me faria sofrer menos!

Pois além de enfrentar elefantes, eu também enfrento preconceito. E este vai desde o racismo (ou você que está lendo realmente acredita que não existe mais o racismo?) até o preconceito sócio econômico.
Embora nunca ter sido alienada por estereótipos, sempre fui alvo. Pois não aceitava vender minha imagem pessoal em troca de amizades, paixões ou até mesmo um emprego. Acreditem, mesmo NÃO sendo branca, loira de cabelos lisos, de olhos claros, dentes perfeitos ou um rosto liso eu consegui conquistar muitas coisas que qualquer mulher encaixada na descrição acima me mataria de inveja...Mas nunca é facil, os degraus da construção de um caráter é igual ao de um currículo valioso: são longos, escorregadios e frágeis.
E a sociedade deveria me aceitar/incluir por isso, não deveria?

Não.

Do contrário, eles apontam defeitos em mim.

Gosto de quando as pessoas apontam meus defeitos, pois eu me esforço para corrigí-los.Mas de tanto fazer isso, acabei criando a impressão de "Perfeita" (mesmo sem a descrição lá em cima).Esse fato me excluiu ainda mais de um "convívio social".

Agora vamos a parte mais esperada, especialmente por aquelas pessoas que estão lendo este texto no intuito de promover mais uma típica difamação: Minha personalidade.

Ser inteligente é uma característica grande como um...Como um elefante (já disse, não tenho nada contra eles) pois é impossível esconder. Eu mesma, já tentei "me fazer de ignorante" e me saí péssima, hoje eu já aprendi a disfarçar melhor... E dizer tudo isso, é como se ser inteligente é um crime.

É um crime contra pessoas ignorantes.

Passei minha infância inteira sendo apontada como "metida" e "professora", isso dificultava muito para fazer amigos. Mas nunca foi impossível, ainda mais porque ninguém perderia a oportunidade de tirar boas notas apenas colando.

Voltando a caracterização da inteligência, ela é uma péssima combinação com um defeito incorrigível: Imperatismo.

Culpo minha criação numa espécie de "regime militar", que me causou traumas mas ao menos me ensinou a erguer o queixo e superar sofrimentos banais.E o resultado da soma entre a inteligência e o imperatismo é a chave dos portões de uma estrada viciante que leva a um reino onde o orgulho domina e decreta a ganância imortal... E depois de ser tão criticada e tão humilhada simplesmente por tentar ser eu mesma, aceitei a coroa do orgulho com as gotas restantes de dignidade que me sobraram. Daquele dia em diante, as pessoas finalmente teriam motivos para me difamar.

Mas motivos invejáveis.

"Não sou melhor que ninguém, mas com toda a certeza do mundo eu não sou pior que você." - Frase que eu idealizava.

E é por isso que você poderá ouvir algum dia "Eu não gosto daquela menina".

É porque eu sou melhor que ela.

Metida?Acho que não, prefiro o apelido "Rainha".

E para encerrar o texto, gostaria de responder alguns boatos.
1ST: NUNCA estive grávida e nem pretendo estar.As pessoas vivem dizendo que estou grávida desde os meus onze anos de idade...Puta que pariu nessa gestação de quase dez anos!
E o lado negativo de ser menina e morar numa comunidade carente é que você nunca pode vomitar, muito menos desmaiar!Qualquer um desses dois sintomas são suficientes para as línguas das donas de casa (que também acham ser donas da minha vida) oscilarem desesperadas.
E desde que comecei a namorar então!Aí sim "o bixo fala"

2ST: NÃO sou do capeta, não sou atea (me perdoem se eu escrevi errado) muito menos politeísta.Respeito muito toda e qualquer cultura ou religião, embora o conceito popular de que "evangélicos são preconceituosos" me ataque. Esse boato começou por causa de uma camiseta do Fullmetal Alchemist com um círculo de transmutação humana atrás e por eu gostar de ouvir Heavy Metal, Rock, e jogar RPG.

3ST: SIM, eu trabalho nessa multinacional que você enxerga o logotipo sempre que olha para o horizonte, observa veículos populares ou se desloca para o centro de SBC.SIM, mesmo "feia desse jeito" (como você sempre diz, mas eu amo minha aparência física) eu consegui conquistar um pequeno espaço lá, e não foi o Senai nem indicações que me ajudou. E como eu disse antes, não sou melhor que ninguém, basta que você utilize o tempo gasto com fofocas e novelas que irá conseguir também.

4ST: É, este eu realmente tenho que concordar! Depois dos recentes acontecimentos na minha família que finalmente cheguei a conclusão de que sou adotada...Tava meio óbvio não é? Kkkkk Acho que eu não queria enxergar a verdade.

Enfim, com o seu livre arbítrio você pode ignorar esse jornal ou refletir sobre o conceito inicial sobre mim.

PS: Elefantes são legais! \0/
OBS : Nenhuma palavra neste jornal foi uma indireta para você, Yuri. Se é que vai mesmo perder seu tempo para ler isso...(mas vou deixar avisado aqui só para garantir).

Escutando: Meus fantasmas

Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...