~massacre

massacre
Rude Bitch
Nome: Fernanda Gabriela
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Recife, Pernambuco, Brasil
Aniversário: 23 de Dezembro
Idade: 16
Cadastro:

2 Y E A R S


Postado

MANO, DOIS ANOS!


Sim, eu tinha que começar desta maneira mesmo. Por que sério, dois anos! Eu estou muito empolgadinha, eu acho que você já percebeu. Se não percebeu, poxa Jasnete -q. Nossa eu to muito, nossa, nossa... Sério, nossa! Por onde começar esse texto, Jesus? Eu não sei! As emoções vêem assim com tudo, e na hora de escrever, eu não consigo pensar em algo bom o suficiente. Eu quero deixar claro que eu planejei sim, este texto, e eu fiquei dias pensando nas palavras, mas chegando aqui, tudo que eu pensei foi pro famoso brejo então eu vou no freestyle.

Dois anos atrás eu te conheci, nessa mesma data (sério, Fernanda Gabriela? Descobriu o Brasil hein!). Eu sei que eu vivo discordando de você quando você diz que é tímida, mas quero que saiba que o faço apenas por que eu sou irritante e não perderia este posto mesmo, por que eu sei que é verdade. Neste dia você estava tímida falando comigo, mas eu sabia que você queria conversar mesmo assim. E eu continuei conversando com você, e conversamos, e conversamos... Cara, a forma que a gente pensa ornou tão bem que eu fiquei "nossa! De onde saiu essa pessoa, meu Deus? Por que só agora?". Mas eu fiquei imensamente feliz por ter conhecido alguém que entenda a minha forma de pensar.

Eu sabia que nós iríamos ser amigas por um longo período, Jasnete. Eu sempre soube, eu literalmente sempre soube, por que nós tínhamos mágoas parecidas, tínhamos um histórico bem semelhante sobre esse negocio de amizade. Ainda tempos, não é? É engraçado esse detalhe de nós duas. Eu lembro que eu te chamei de minha gêmea, e você ainda é para mim, mesmo que os tempos passem. Tem sim, coisas que a gente discorda, mas isso até os gêmeos mais idênticos têm. E eu não vou ficar por aí te chamando de gêmea ou algo assim, por que né, não preciso e você vai dizer que chamo todo mundo assim hahaha, mas eu acho que uma das coisas que eu mais amo é essa conexão mental que a gente tem, não importa o tempo que passemos longe uma da outra.

E veio Jasminha e Chuminha. Eu me lembro da primeira vez que eu senti ciúmes de você. Foi o nosso primeiro estranhamento. Aquele que eu fiquei um tempo longe de você. Não foi fácil ficar longe de você, mas eu estava tão cega de ciúmes, sério. Eu nunca detalhei como eu estava me sentindo, mas eu literalmente senti o chão desaparecer debaixo dos meus pés. Eu pensei: "pronto, agora fodeu de vez. Ela vai me deixar". Mal sabia eu que você não era esse tipo de pessoa. Na verdade, eu até sabia, mas você me conhece, eu sou cabeça dura e nesses meus momentos de ciúmes eu não penso nas coisas muito bem, nunca. Eu me senti uma estúpida por ter pensado isso de você, de verdade, mas a ideia de ficar sem você um dia por causa de outro alguém simplesmente acabava comigo, me deixava doente. Eu só pensava "e se outra pessoa fizer ela rir tanto quanto eu?", "se ela achar alguém melhor?", "e se um dia a gente se estranhar de novo e não voltarmos mais ao que éramos antes?". Essas coisas se passavam na minha cabeça diariamente e eu me sentia ainda mais estúpida por ter me afastado de você por causa de ciúmes.

Eu sei que talvez você não acredite em mim, mas a ideia de outra pessoa ser melhor que eu pra você me deixa doente. A ideia de alguém ser mais importante do que eu sou pra você, me deixa doente. Dói tanto, sabe? Por que eu te considero tanto na minha vida. Eu sei que eu sou uma criança, que eu sou estúpida algumas vezes e que algumas vezes eu não ajo tão bem. Algumas vezes eu mesma tenho vontade de me socar. Eu sei que tem dias que pareço não ligar pra você, ou blasé, como você mesma fala e eu aderi. Eu sei que tem vezes que eu falo algumas coisas totalmente desagradáveis, mas essas coisas nunca são de propósito. Eu sou uma confusão medonha e eu fico desesperada quando eu gosto tanto assim de alguém. E mesmo que você diga que nós não somos mais como éramos antes, para mim, nós ainda somos, sim. Para mim, você tem o mesmo significado; Você é a Jasminha de 2014, crescendo cada vez mais e ganhando mais espaço no meu coração. Eu só mudei seu nome pra Jasnete.

Eu mesma coloco algumas coisas na minha cabeça, às vezes. Eu morro de ciúmes de você ainda, sabia disso? Eu fico fazendo de tudo pra não agir como uma idiota e me afastar de novo, como já fiz tempos atrás, mas eu morro de ciúmes de você. Tem vezes que eu até penso que você já tem alguém bem mais importante que eu hoje em dia. Pensar essas coisas me magoa muito, mas não pense que estou dizendo que é sua culpa. É minha culpa. Eu não bato muito bem da cabeça às vezes, eu mesma me magoo com coisas que não existem. E que se existissem, eu deveria superar e não remoer. Eu sou assim. E eu acho que todos têm esses momentos.

Eu só quero que você saiba, Jasnete, que você foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida. Você foi aquela luz no fim do túnel que eu tava precisando, a pessoa mais preciosa que eu poderia ter. E eu quero que você saiba que não importa quantos dias, meses, e até mesmo anos nós fiquemos sem nos falar, ninguém jamais vai ter o poder de substituir você. Ninguém nunca vai tirar você do pedestal que eu te coloquei. Eu não me arrependo nunca de ter sido a sua amiga, nunca me arrependi de nenhuma conversa, a única coisa que eu me arrependo mesmo é de ter magoado você. Eu jamais quis fazê-lo, eu nunca o faria de propósito, você sabe disso. Eu realmente não queria e eu sinto muito que tenha acontecido. Espero que isso possa ser coberto pelos momentos bons que nós já tivemos e temos, que vamos ter. Espero que seja substituído pelas risadas bobas sobre nada.

Eu quero que você saiba que eu te amo imensamente, e que eu morro de medo de perder você um dia, seja lá qual for o motivo. Eu jamais quero perder a sua amizade, a sua companhia, mesmo que às vezes eu dê isso a entender, nunca acredite. Não é verdade. Você nunca vai deixar de me conhecer bem, nunca vai deixar de ser a melhor e mais sincera amizade que alguém já me deu algum dia.

Eu realmente te amo, Jasmine. Muito. E quando eu digo muito, eu quero dizer exageradamente. Eu só quero o seu bem, sempre. Eu só quero que você tenha momentos felizes, uma vida feliz. Eu nunca quis ou vou querer você triste algum dia. Nunca. E olha, não importa se pareça um dia que é o fim, nunca vai ser. Eu nunca vou ter ido realmente embora, eu sempre vou voltar para você, por que você é aquele ponto de paz que eu preciso para viver tranquilamente, aquela pessoa que eu preciso saber que está ao meu lado pra que eu possa sorrir o dia inteiro. Você é a felicidade personificada, de verdade. Eu não sei o que eu faria sem você.

Você me deu os dois anos mais intensos e felizes da minha vida, Jasnete. Eu sou imensamente grata pela sua existência. Eu sou tão grata que nós existimos ao mesmo tempo! Sou grata por você nunca ter desistido de mim, mesmo quando eu mereci. Coisas assim nunca são esquecidas, nem mesmo por pessoas com uma memória péssima, como eu. Você vai ser sempre, sempre lembrada por mim. Diariamente, até o meu último suspiro. Pode ter certeza disso.

Eu queria muito dizer mais coisas, mas eu estou chorando agora e vai sair tudo errado por que daqui a pouco não vou estar nem enxergando direito mais! Socorro, to emotiva, Jasnete! Vamos fazer uma pausa para o gif amorzinho.




Eu te propus para sempre, Jasnete, e você aceitou. Vamos fazer chegar lá.

Escutando: How Do I Breathe - Mario

Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...