~Myloka

Myloka
Naruhina Queen
Nome: Camila | "Miloca" | Myl | Mila | Milinha | Kami | Marida da Ingrid
Status: Usuário Veterano
Sexo: Feminino
Localização: Nova Iguacu, Rio de Janeiro, Brasil
Aniversário: 23 de Dezembro
Idade: 25
Cadastro:

Boruto: Naruto the Movie Novel - Capítulo 2 (Traduzido)


Postado



Boruto: Naruto the Movie Novel:
Prólogo
Capítulo 1


>>> Outras Novelas da Série Naruto


Perda


A porta se abriu.

Entrou um homem que não poderia possivelmente ter vindo aqui, mas que não poderia possivelmente ter ficado ausente.

"Ei," com um olhar um pouco envergonhado, o Sétimo Hokage... Uzumaki Naruto deu seu filho e filha um sorriso desajeitado.

Nas horas que se passavam pareciam um sonho.

Seu pai estava aqui, sua mãe estava aqui, e sua irmã mais nova estava sorrindo.

Ninguém estava sozinho.

O som de um grande frango quente retirado do forno.

O olhos de Himawari brilhavam.

Confetes espalhados por todos os lugares onde estavam os biscoitos.

Sua mãe, ao olhar para ela, estava se divertindo pela primeira vez em muito tempo.

E seu pai, que olhava calorosamente sua expressão.

'Teria sido bom se isso durasse para sempre.'

'Se as coisas pudessem ficar assim.'

Boruto pensou.

Ele desejou.

No entanto.

Na mina, no departamento de desenvolvimento de ferramentas ninja, na estação de tv, na estação de trem, na prisão, nos arquivos e em cada único lugar que você poderia imaginar...

Para proteger as famílias das pessoas que nem conhecia, para proteger o calor de outras casas...

O mesmo homem que continuou lutando e trabalhando constantemente, encontrou o fluxo de sua consciência subitamente interrompida.

Era como ver faíscas de um fogo de artifício morrer.

A figura reluzente de Naruto desapareceu abruptamente.

Naquele instante, o bolo caseiro feito por sua mãe e que estava nas mãos de Naruto caiu no chão com um 'baque'.

O rosto sorridente de Himawari se transformou em lágrimas.

Boruto realmente não se lembrou do que aconteceu depois disso.

Ele podia sentir as lágrimas queimando ao derramar de seus olhos, batendo seus pés contra o chão.

Seu corpo inteiro estava envolto de raiva.

Ele não poderia perdoá-lo.

Definitivamente não poderia perdoá-lo.

O amor de seu pai para com seus filhos tinha sido uma ilusão de um Kage Bunshin.



"Boruto!"

Sua mãe estava meio que abraçando-o enquanto o segurava.

Ele provavelmente tinha um olhar assustador no rosto.

"Deixe-me ir, mãe!"

"Seu pai está sempre dando seu melhor para todos na aldeia" disse ela "e isso não significa que ele quer negligenciar você!"

Os olhos de sua mãe estavam trêmulos.




Boruto sabia que sua mãe era forte também.

Mas.

Mas era para ser assim?

"Todos da aldeia"... isso não nos inclui?

Se eles não foram incluídos, então por que ele ainda era um Hokage?

Estátuas do Hokage, aqueles rostos esculpidos na montanha, eram pessoas que acabaram de ser sugados para dentro do sistema?

"Por quê?!"

Perguntas que ele sabia que ele não devia dizer em voz alta giravam dentro de Boruto e finalmente explodiu dele como magma de um vulcão.

"Por que meu pai é o Hokage?!" Ele gritou "Ele só fica atrás de sua mesa o dia todo olhando com arrogância, não é?! Shikamaru ojisan, ou Sakura obasan, qualquer um seria bom, não?!!"

"O Hokage é terrivelmente importante" Sua mãe olhou para baixo"... Por gerações, eles têm sido uma existência extremamente preciosa para a aldeia".

"Então eu suponho que todos os filhos dos Hokages agradecidamente aceitaram esta situação de 'não serve para nada' por gerações, também!"

Suas palavras foram saindo de sua boca.

Ele não podia se conter mais.

Ele sabia como eram as coisas.

Ele sabia, mas, mesmo sabendo não o tornava melhor.

Claro que não.

Havia mais.

"Por falar nisso, o vovô costumava ser um Hokage também, mas o papai diz que quando ele era criança, o vovô Hokage não estava mais neste mundo e nada mais!"

Ele estava uivando.

"Isso significa que o papai cresceu sem saber nada sobre a situação agradável de pai e filho, não é?! Papai é o único que não sabe o que é isso!"

Gritando.

"Se ele ia ser assim..."

Maldição.

"Então devia sido melhor ele nunca ir pra lá desde o come..."

"Eu sei que é triste", disse sua mãe "quando seu pai não está aqui num dia importante, mas..."

Sua mãe tinha uma lágrima descendo pelo seu rosto.

"!"

Boruto sabia que sua mãe era humana também.

Ele sabia que ela era tão humana quanto ele.

Havia uma linha que não deveria cruzar.

Hoje, ele amaldiçoou a pessoa mais preciosa de sua mãe.

Boruto entendia.

Mas.

Era porque ele entendia isso.

Porque ele entendeu.

Porque ele era filho de um herói.

Acontece que havia um limite para o que um shinobi poderia resistir, afinal.

"Boruto, você esta num tempo diferente que a do seu pai..." Sua mãe disse "Você tem o seu pai aqui".

Ele sabia que seu pai tinha sido órfão.

Ele sabia que tinha perdido seus pais para uma calamidade que atingiu a aldeia e vivia sozinho.

Ele sabia que era por isso que ele era muito mais abençoado do que seu pai.

No entanto, a infelicidade de uma pessoa não podia se curar simplesmente por simpatizar com os outros.

Sua própria tristeza ainda era sua.

"... Eu posso lidar com isso... mas... Himawari" O ombro de Boruto despencou, com os punhos cerrados e tremendo.

Não, não era isso.

Ele não conseguia entender o que era.

Parte dele queria agir como um adulto, e parte dele queria agir como uma criança. Sentiu como se os dois lados de ambos estivessem rasgando o coração de Boruto em pedaços.

"Só... esquece". Ele murmurou.

Ele deixou seu ombro caído e se virou para ir para o seu quarto.


Atrás dele, ele podia sentir sua mãe chorando ao abraçar Himawari para mais perto.

Ao alinhar a memória depois que seu Kage Bunshin estourou sobrecarregou o coração de Naruto.

Mas ele ainda sofria com isso.

Ele sofria com isso porque ele não podia esquecer o triste olhar nos rostos dos seus filhos que ele tinha vislumbrado antes de desaparecer.

Quando você implanta vários Kage Bunshin para fazer o trabalho, era extremamente difícil para o corpo principal. Se tornava tudo o que ele poderia fazer para lidar com o trabalho de escritório e manter conversas. E isso era porque ele teve que usar seus poderes de concentração e chakra para manter o Kage Bunshin por longos períodos de tempo.

"Você está bem?"

Quem ajudou o Naruto a voltar para sua cadeira era seu velho amigo e assessor, Shikamaru.

Naruto afundou em sua cadeira como se estivesse dobrado sobre si mesmo. "Eu realmente estou confuso..."

"..."

Naruto poderia dizer que Shikamaru estava olhando para ele com os olhos de um amigo preocupado.

"Eu vou lidar com o resto", Disse Shikamaru. "Você deveria ir para casa e descansar."

"Sim... eu deveria."

A próxima coisa que Boruto sabia é que ele estava no quarto de seu pai.

Ele normalmente não poderia entrar neste lugar, mas a porta estava ligeiramente aberta e parecia que estava de algum modo convidando-o a entrar.

Muitas fotos com um rosto sorridente o cumprimentou.

Era um rosto que ele não estava familiarizado.

Era o rosto de seu pai, quando ele próprio era jovem, um jovem garoto.

Em meio a essas fotos, havia fotos de Boruto depois dele ter nascido também. Havia fotos mostrando-o como ele cresceu, também. Seu pai deve olhar para aquelas fotos particulares muitas vezes, alinhando um por um. Ele sabia dizer o porque, os quadros tinham ficado desgastados onde seu pai os segurava.

E quanto mais as fotos recentes dele ficava, mais desgastados estavam.

"Tão estúpido... ele desgastou tudo, não foi?."

Boruto viu uma peça de roupa importante quando procurava no fim das fotografias.

Era o que o Naruto usava no passado, quando ele estava relatando como parte do 'Time 7'. Quando ele tinha a mesma idade que Boruto.

Obviamente, tinha ficado rasgado, sujo e úmido de suor no passado, e apesar de quão cuidadosamente foi limpo e reparado, a roupa claramente não foi capaz de escapar das passagens do tempo.

'Por que manter esse tipo de coisa desgastada? 'Boruto ficou zangado.

"Fora de moda!"

Ele jogou fora.

Ele não conseguia ver as roupas que ele jogava para fora da janela como algo mais do que um pano desgastado.

Ele não podia suportá-lo.

Ele não podia tolerar a maneira que o pai dele tinha devotadamente cuidado desse tipo de trapo velho e fedorento.

E isso foi quando a campainha tocou.

A única coisa que mudou o destino de Boruto soou como a badalada de um sino.
Boruto desceu as escadas porque ele pensou que seu pai estava na porta.

Ele tinha decidido bater no idiota.

E era por isso que ele puxou o punho pra trás para um golpe nocauteante no mesmo instante em que abriu a porta.

Ele não estava se segurando.

No entanto, o homem que estava atrás da porta, facilmente defendeu do golpe de Boruto.

Ele era um homem que parecia um pouco com uma lâmina que tinha se transformado em uma pessoa. Algo nele o fez sentir uma semelhança a uma certa garota de óculos que ele conhecia.

"M-me desculpa..." Boruto disse "Eu ahn, eu te confundi com meu pai..."

Não era exatamente uma boa desculpa para tentar acertar alguém que você nem conhecia, mas ele não tinha mais nada a dizer.

"... Então você é filho do Naruto, hein... Nome?"

O olhar do homem era mais acentuado do que a ponta de uma agulha.

Era muito mais forte e intenso do que o olhar de qualquer outro homem que Boruto conhecia.

Eram olhos do tipo que te fazia perguntar que tipos de batalhas esse cara tinha vivido.

"Uzumaki... Boruto..." ele respondeu.

"Entendo."

"Seria possível..." Sua mãe finalmente tinha aparecido, vindo da cozinha. "Sasuke... kun?"

"O Naruto está aqui?"

"Eu acho que ele ainda está no escritório Hokage..."

"Entendo. Desculpe pelo incômodo".

No geral, havia uma coisa significativa sobre a sua conversa com Boruto.

Este homem foi chamado de Sasuke. Ele tinha sido um amigo de sua mãe. Ele poderia chamar seu pai pelo nome, sem nenhum tipo de respeito.

Em outras palavras, este homem poderia ser ninguém menos do que o lendário shinobi, Uchiha Sasuke.

'Que legal…!'

As mãos de Boruto tinham se enrolado inconscientemente.

Ele entendeu.

Este era o 'herói' que ele realmente queria conhecer.

Tinha passado um bom tempo desde a última vez que ele tinha retornado, e Sasuke ainda tinha a cara tão azeda como sempre. De qualquer forma, o fato do Sasuke ter voltado para a aldeia de Konoha fez com que Naruto sentisse que não seria capaz de voltar para casa tão cedo também.

"É do castelo do Kaguya". Disse Sasuke.

O pergaminho que ele estava segurando para o Naruto estava coberto de rabiscos. Naruto nunca foi bom nas aulas para começar, mas mesmo se fosse, não teria sido tão impossível adivinhar o que estava escrito.

"Eu não sei o que está escrito ai" Naruto disse "Mas desprende um sentimento ruim, não é?"

"Eu não posso sequer lê-lo com o meu Rinnegan". Disse Sasuke.

O Rinnegan de Sasuke tinha várias ciências conhecidas sobre ele, e uma delas era o reconhecimento de padrões. E isso o ajuda a analisar os padrões dentro dos códigos, comparando-os com padrões similares e decifrar o que estava escrito. Quando colocado em uso, poderia levar grandes quantidades de informações de uma pequena quantidade de texto. Técnicas que poderiam fazer o uso da capacidade que tinha sido deixada para ser ensinada dentro do monumento de pedra Uchiha.

Mas o fato do Sasuke não conseguir ler significava que o pergaminho não tinha quaisquer padrões conhecidos por Sasuke.

"... É isso mesmo". Naruto pensou por um tempo, e depois voltou para seu lugar. "Ir para casa está fora de questão. Parece que o pergaminho precisa ser decifrado em vez disso".

O Departamento de Estudo analístico era uma nova divisão que Naruto havia criado, cujo objetivo era investigar civilizações antigas. Eles tratavam principalmente de códigos antigos e antigos caracteres hieróglifos. Mesmo se fosse algo que Sasuke não pudesse ler, as chances de que a sua equipe podesse tirar algo dele era bastante alta.

"Vou deixar isso com você." Disse Sasuke. O fato dele poder dizer isso era certamente um sinal de que ele mantinha fé no departamento também.

"A propósito," com um farfalhar, Sasuke colocou um pano esfarrapado sobre a mesa. Era uma jaqueta incrivelmente nostálgica, cheia de lama, sangue e suor que não podiam ser apagados.

"!? Por que isso esta com você?"

"Eu o peguei a caminho daqui."

"Oh, entendo…"

"Eu conheci o seu filho também." A expressão de Sasuke tornou-se um pouco mais suave. "Ele realmente acabou sendo como você era..."

"... Ele é diferente de como eu costumava ser... se você me pergunta, eu acho que ele é mais parecido com você antigamente..." Naruto disse, balançando a cabeça e de alguma forma com um olhar um pouco solitário.

Ele estava pensando no Uchiha Sasuke que sempre tinha sido intenso, um pouco frio. Alguém que ele tinha desejado ser.

"Não" Naruto balançou a cabeça para si mesmo desta vez, "No fim... ele não é o mesmo que você antigamente também. As roupas que ele usa sempre parecem novas, sabe... "

Naruto olhou para o casaco que tinha em suas mãos, a jaqueta que ele próprio tinha usado no passado.



Era uma relíquia da época em que Naruto tinha vivido.

Viver cada semana, cada dia, com a sua vida constantemente em risco. Nunca sabendo quando você poderia morrer. Era um tipo de memória daquela época.

Agora, as coisas eram diferentes.

Naruto e Sasuke tinham arriscado suas vidas para tentar mudar a era. Por isso que Naruto pensou que não podia evitar que seu filho pudesse entendê-lo.

"Podemos estar nos tempos antigos..." Naruto comentou.

"Não... isso definitivamente não é o caso." Sasuke friamente balançou a cabeça, como sempre "A natureza do shinobi não muda. Isso se aplica até mesmo para seu filho".

"Eu me pergunto". Naruto pensou "Acho que o vencedor deste argumento provavelmente sou eu, sabe."

"Feh." Sasuke bufou.

Naruto sempre foi atrás daquele sorriso.

"Seu Idiota".

Mesmo à noite, a vila de Konoha brilhava.

Sasuke costumava se lembrar dela muito mais escura quando era uma criança. Os tempos estavam mudando a cada segundo. Toda vez que ele volta, a aldeia tem mudado um pouco mais. Não apenas a aldeia. Provavelmente, as pessoas também.

"!"

Sasuke ouviu o som do ar sendo cortado.

O som de uma shuriken.

Ela estava sendo jogada com uma habilidade incrível, cheio de intenção de ser um golpe para nocautear.

Ela foi apontada com uma precisão perfeita para a artéria do pescoço de Sasuke.

No entanto, era lamentável dizer que estava faltando experiência do atirador. Tinham copiado perfeitamente um movimento ao observar e aprender com a técnica de alguém, mas nada mais. Não era o tipo de movimento que você deve usar em uma luta real contra um adversário experiente.

Especialmente quando o seu adversário era Uchiha Sasuke do Mangenkyou Sharingan, nada mais e nada menos.

"Você sumiu?!" O lançador da shuriken deixou escapar um tom de surpresa.

Sasuke não levantou a mão para atingi-los.

Ele estava interpretando isso como brincadeira de criança.

Ele rapidamente mudou-se para circundar a área atrás dele e, mantendo as mãos nos bolsos, arrastou os pés do lançador do shuriken por debaixo dele.

Era uma jogada simples, mas a beleza do jogo de pernas é que arruinou o equilíbrio do oponente e a capacidade de correr de você, era o esplendor de não permitir o seu oponente reagir.

"In-incrível...!"

O lançador da shuriken que tinha caído e se sujado era um jovem garoto.

A criança que ele tinha encontrado na casa de Naruto.

"Você é incrível como o esperado!" Ele exclamou "Você costumava ser rival do meu pai, certo? Então…"

Cabelo loiro. Delicado, refinadas características faciais que pareciam mais com a Hinata do que o Naruto. E finalmente, roupas legais que não tinham lágrimas ou manchas marcando-os.

"Entendo o que ele quis dizer..." Sasuke murmurou. "Como se fossem novas, hein."

Mesmo se o menino em questão não estivesse ciente disso, suas roupas pareciam ser como eram porque ele tinha sido educado, amado e mimado. Naruto, à sua maneira, tinha cuidado de Boruto transbordando amor por seu filho.

E foi por isso que Sasuke ficou incrivelmente surpreendido quando o menino curvou sua cabeça para frente.

"Então, por favor, faça-me seu discípulo! Há alguém que eu quero vencer, não importa como!"

A criança tinha um olhar muito sério em seu rosto quando ele disse isso. Para fazer uma cara assim, ele provavelmente deliberou à sua própria maneira, pensando muito sobre isso. O suor escorrendo pelo rosto. Ele estava nervoso.

O rosto de alguém que não era capaz de dizer nada, passou pela mente de Sasuke como areia.

"... Se você conseguir aprender o Rasengan." Ele respondeu, e virou-se para sair.

Ele poderia dizer que a criança tinha apertado os punhos atrás dele, quase engasgando com sua própria excitação.


'Naruto... Sasuke pensou, ainda não está claro qual de nós vai ganhar esse debate.'

Konohamaru finalmente alcançou sua cama depois de terminar os negócios restantes que ele tinha, apenas para se encontrar acordado até tarde da noite.

"O que é isso de repente..." Ele resmungou "O que..."

Boruto o interrompeu. Konohamaru estava prestes a perguntar se ele estava fazendo alguma brincadeira de novo, mas antes que pudesse, Boruto começou a derramar tudo em sua mente em um só fôlego, como um cachorro pulando sobre seu dono.

"... Então de qualquer forma, me ensine o seu Rasengan, sensei! Agora! Eu vou dominar esse jutsu muito rápido!"

"Rasengan...?" Olhou para Boruto e depois desviou o olhar, ele compreendeu imediatamente as intenções do rapaz. "Então quer dizer... que você quer usar o Rasengan como uma carta na manga para os exames Chuunin, e surpreender o sétimo, certo? Ahhh, finalmente você começou a agir como um shinobi!"

"É algo assim, eu acho." Boruto assentiu.

Ver seu pupilo agir assim fazia com que Konohamaru se sentise incrivelmente emocionado, como uma corrente elétrica que percorria todo o corpo. Você não pode ser um ninja e não se sentir animado com isso.

'Nngh... e pensar que eu ia acabar passando este jutsu para ele!!!! Oohhh, quarto, sétimo! Eu vou ter certeza de efetuar corretamente esta importante tarefa!'

A alma de Konohamaru estava queimando com paixão.

Mas, quando veio a paixão, a verdade era que os humanos não podiam acompanhar esse fervor apaixonado por muito tempo.

Não significa que a emoção sentida em um certo momento era uma mentira, mas se sentir motivado e continuar a se sentir motivado eram duas coisas diferentes.

Boruto, que tinha ficado com um balão de água em uma posição tentando fazê-lo explodir com seu chakra, agora estava experimentando essa diferença.

"Gahhhh...".

"O que aconteceu com o seu zelo de antes?! Vamos, tente mais uma vez! Olhe o que eu estou fazendo com mais cuidado e tente imitá-lo mais uma vez, isso, isso e isso!!"

Konohamaru era o único preocupado com isso agora.

"Eu faço o que você está fazendo!" Boruto disse, "Eu simplesmente não consigo fazê-lo funcionar esse... isso, isso e isso!!!"

"Você não tem que imitar a forma como eu falo!"

"Não, eu não estou dizendo 'isso' porque eu não consigo imitar do jeito que você fala, eu estou falando sobre isso, essa coisa em minhas mãos!"

"Você é realmente irritante repetindo isso, isso e isso!" (os 2 me irritaram na hora dessa tradução, nossa...)

"Quem é a pessoa que está sendo chata aqui?!!" Boruto exigiu.

Cansado de seus argumentos azedos sobre o significado e a diferença entre a palavra falada e o assunto na lingüística, Boruto caiu no chão para sentar-se em protesto e atirou longe o balão de água.

"Por que nós temos que começar com um balão de água?!" Boruto disse: "O que isso tem a ver com a técnica?! Não há nenhuma maneira mais eficiente de fazer isso?!"

Konohamaru deixou escapar um longo suspiro, e, em seguida, usou seu Rasengan para destruir o balão de água em sua própria mão para lhe mostrar.

"O quarto Hokage levou três anos para desenvolver esse jutsu. O Sétimo Hokage, seu pai, levou cerca de meio ano para dominá-lo. O grau de dificuldade pode ser expressa dessa forma. Pense sobre isso. Percorrer corretamente as etapas da aula. Foi assim que eu dominei o jutsu também."

O talento natural e trabalho duro que Konohamaru tinha mostrado no gerenciamento de dominar o jutsu certamente não eram de um nível médio, no entanto, ele não estava dizendo isso para se vangloriar. Ele estava simplesmente tentando dizer ao Boruto sobre a gravidade da história dessa técnica.

Boruto pensou por um tempo.

Em seguida, ele pegou o balão de água novamente.

Konohamaru sorriu.

Sarada, que estava observando o treinamento de debaixo da sombra de uma árvore frondosa, se sentiu feliz também.

E assim.

Vários dias e noites se passaram.

De novo, de novo e de novo, Boruto se concentrava somente em continuar a sua luta com o balão de água.

Quando ele estourar o balão, depois disso, havia a bola de borracha.

Não concentrou-se em mais nada.

Era muito provável que Boruto nunca tinha trabalhado tão duro por tanto tempo em sua vida.

E então, esse período de trabalho duro chegou ao fim.

"Co-como isso...!" Disse Boruto.

No momento em que Boruto mostrou ao Sasuke 'essa técnica' na floresta de Konoha, a primeira coisa que Sasuke sentia era surpresa.

Era pequeno e frágil, como a luz de um vaga-lume, mas a coisa flutuando acima da palma da mão de Boruto era inconfundivelmente um Rasengan. (kkk)

Ele provavelmente tinha conseguido chegar a esse ponto, apesar de não ter um bijuu dentro dele por causa do sangue de Naruto e do sangue Hyuuga que ele herdou de sua mãe, mas, isso não era tudo.
Ele trabalhou duro.

O próprio garoto havia sido dispensado, provavelmente mais do que ele próprio havia entendido, e tinha sido ensinado e motivado pelo Konohamaru também.

Era o que resultou no Rasengan flutuante, como um vaga-lume que estava diante de seus olhos.

"É muito pequeno, não é isso." Sasuke francamente declarou sua opinião.

Ele não estava sendo zombeteiro.

Uchiha Sasuke era honesto com todos. Ele sempre foi sincero quando ele enfrentou as pessoas. Seu comentário era prova de que ele tinha reconhecido Boruto como um homem.

"Isso realmente não pode ser chamado de um Rasengan, no entanto..."

Pelo contrário, Sasuke apreciou como as roupas de Boruto tinham se tornado esfarrapadas. Sem afeto, sem pretextos. Era claro o resultado de controlar o furioso chakra. Era prova de que ele tinha lutado para enfrentar a arte secreta do Rasengan sozinho.

No entanto, Boruto não o interpreta dessa forma.

Ele interpretou a atitude de Sasuke como desapontamento.

"Merda!" Surgiram lágrimas frustradas em seus olhos, e ele jogou o Rasengan da mão.

"!"

O Rasengan desapareceu no ar (literalmente desapareceu), e da mesma forma, Boruto fugiu.

Sasuke não foi atrás dele. Ele tinha que ter certeza de que ele confirmou o que tinha acabado de presenciar.

A filha de Sasuke apareceu em seguida, dando de ombros ela entrou com um suspiro, como se estivesse trocando de turno com o Boruto quando desapareceu. Ela provavelmente estava assistindo o tempo todo.

"Hn... você é tão severo como sempre, hein, Papai... Eu só vou dizer uma coisa, porque eu acho que você não conhece o Boruto, ok!"

Parecia que ela estava muito preocupada com Boruto. Ela falava sem parar em sua defesa.

Mesmo ele não conhecendo Boruto, ele poderia chegar à mesma conclusão: que trabalho duro não era algo que ele fazia muitas vezes.

No entanto, antes de explicar o que ele conhecia, havia algo que Sasuke devia fazer primeiro.

"Boruto realmente não é do tipo trabalhador! É um milagre ele se manter todo este tempo! Você entende o que quero dizer, certo? Ei?! Me escute... "

Sasuke se aproximou de Sarada, e abraçou seus ombros.

"!?Papai?!"

Um som agudo de algo cortando o ar ecoou.

A árvore em que Sarada estava de pé apenas um momento atrás tinha sido amassada.

"O que... o que foi isso...?!", disse Sarada.

"Ele realmente não entendeu. Esse Idiota."

'Tal pai tal filho.'

'Escute o que as pessoas estão dizendo até o fim.'

"Eh?", Disse Sarada.

"Eu nunca disse que ele não era bom. Eu pensei que ira levá-lo como um discípulo, e ainda... "

Ao ouvir as palavras de seu pai, uma expressão de alegria inundou o rosto de Sarada.

'Acho que ele não entendeu o significado de seu Rasengan'... Sasuke pensou.

Era impressionante o talento de Boruto.


Quando Sarada fugiu para encontrar Boruto, Sasuke olhou para a visão de trás de sua amada filha por um longo tempo.

"... Portanto, no final, parece que o trabalho duro não serviu pra nada e não trouxe resultados."

Boruto estava embalando uma caneca de chocolate quente em suas mãos enquanto falava. Ele estava no laboratório da Divisão de Ferramentas Cientificas Ninja.

"Ah, entendo. Essa é uma história horrível".

Katasuke foi consola-lo. Para Boruto, Katasuke era o único que ouviu o que ele tinha a dizer, sem rir dele, era uma pessoa preciosa.

"Eu tenho algo parecido com isto..." Katasuke disse "Uma coisa legal e inteligente de se olhar, não necessita de selos de mão, algo que gera enormes resultados ilimitados com pouco esforço."

"?!"

Fogo, raio, e vento tinham aparecido em cima da palma da mão de Katasuke. Ele não tinha feito um selo, ou acumulado seu chakra.

A "luva" estava em sua mão. A ferramenta ninja que Konohamaru tinha usado.

"Esta é uma arma ninja para a nova geração! Você não acha?"

Quando Katasuke fez várias poses, várias bolas brilhantes sairam da palma da sua mão.

"A-aqueles são... ?!"

"Sim, são Rasengan." Katasuke sorriu largamente. "Se você usar isso, você seria um ninja que ultrapassaria o seu pai."

"... Eu poderia usar o Rasengan..."

"Então, jovem mestre" Katasuke estendeu a mão "Por que não escolhe uma técnica para matar que é ideal para você..."

Boruto pegou de sua mão.

Ele nem sequer hesitou.

"Gostaria de saber para onde o Boruto foi..."

Sarada, que tinha olhado em todos os lugares que podia pensar em encontrar o Boruto e dizer a boa notícia, agora chutava as pedras com um olhar um pouco solitário em seu rosto.

Ela pensou em como ela não tinha notado que o menino que ela estava sempre correndo atrás, agora tinha uma vida diária que ela não sabia. Ele tinha mudado.

Ela também estava mudando?

As pessoas diziam que no passado, sua mãe, seu pai e o Sétimo sempre costumavam realizar suas missões juntos como uma equipe.

As coisas não eram assim agora.

Não, agora que seu pai tinha voltado para casa, sua mãe tinha um sentimento brilhante em volta dela, mas isso era uma coisa rara.

Sarada inconscientemente estendeu a mão e tocou seu próprio cabelo. Ele estava um pouco maior.

Ela estava crescendo.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...