~Myloka

Myloka
Naruhina Queen
Nome: Camila | "Miloca" | Myl | Mila | Milinha | Kami | Marida da Ingrid
Status: Usuário Veterano
Sexo: Feminino
Localização: Nova Iguacu, Rio de Janeiro, Brasil
Aniversário: 23 de Dezembro
Idade: 25
Cadastro:

Konoha Hiden - Capítulo 3 (Traduzido)


Postado



Prólogo
Capítulo 1
Capítulo 2

Tradução do japonês: cacatua
Tradução do inglês: NHBR


Carne e vapor


As chamas brilhavam, piscando e balançando de um lado para outro.

Eu me pergunto por que as pessoas sempre acham tão relaxante assistir o fogo...

Esse pensamento curioso entrou de repente na cabeça de Nara Shikamaru.

Foi, provavelmente, algo que tinha começado gerações atrás, quando as pessoas ainda estavam à espera da civilização acontecer. Naqueles dias, o fogo tinha sido sempre um companheiro constante para as pessoas.

Fogo tinha iluminado seu redor e mantido longe a escuridão da noite. Ele protegeu as pessoas de invasores frios e estrangeiros. Ele também tinha sido usado como um sinal, para encontrar a localização de seus companheiros, e no caminho de volta para casa.

Anos e anos de tais atividades tinham sido herdadas pelas pessoas, e certamente sido passados para o próprio Shikamaru. Foi por isso que, sentado na frente das chamas quentes, ele sentiu uma sensação relaxante.

Esse sentimento foi transmitido em Konoha como a “ Vontade de Fogo ".

De pai para filho. De filho para neto. De professor para aluno. De amigo para amigo.

Seus sentimentos foram amarrados uns aos outros. Conectados.

Talvez essa vontade do fogo tivesse começado como uma pequena chama que qualquer um poderia facilmente apagar.

Mas não havia sido. Mesmo agora, ela ainda estava sendo transmitida, de pessoa para pessoa, e ainda queimando brilhantemente.

Eram essas conexões abrangendo gerações que fizeram do fogo tão relaxante. Não importa quanto tempo passou, cada célula no corpo de Shikamaru foi marcada com as memórias daqueles que vieram antes dele, e encontraram conforto no fogo.

As pessoas usam o fogo para cozinhar alimentos e sentar-se em torno dele, olhando para chamas enquanto comiam. Antes que percebessem o que estava acontecendo, eles se reuniam em torno dele com grupos de entes queridos.

Naquela época, e agora, uma visão que nunca mudou. Na verdade, neste momento, Shikamaru estava sentado na frente de um fogo quente e comendo uma refeição com seu melhor amigo, Akimichi Chouji.

Movimento. Risos. O som do tilintar de pratos. Acima de tudo, o som de carne chiando enquanto era preparada.

Yakiniku Q.

Era o lugar habitual para Shikamaru e os outros.

Quando se vem para restaurantes de churrasco como este, as pessoas costumam esperar que estejam completamente lotados durante a noite e dia. Yakiniku Q era uma exceção, sempre movimentada com pessoas durante meio-dia e à noite. Sua carne era barata, e acima de tudo, de alta qualidade, o que fazia o restaurante ser muito popular.

E isso significava que agora, nesta hora do almoço, Yakiniku Q não estava diferente de um campo de batalha.

Os pedidos estavam sendo requisitados de assentos de todos os lados, apelando para cerveja ou chá oolong ou utensílios, todos sendo trazidos apressadamente pelos trabalhadores do restaurante. Eles estavam correndo ao longo da loja, circulando em torno de todos os clientes. O lugar estava agitado.

Shikamaru estava assistindo o estado frenético dos trabalhadores pelo canto do olho enquanto colocava um único pedaço de carne na grelha.

A cor vermelha profunda da carne quase parecia brilhar, brilhando como uma pérola de gordura. A prova de que estava fresca. O som crepitante de dar água na boca misturado com o cheiro delicioso flutuando no restaurante.

Shikamaru e Chouji decidiram almoçar aqui no lugar de sempre. A decisão em si tinha acontecido há pouco tempo.

Shikamaru tinha saído para fazer algumas compras, e esbarrou em Chouji no meio do caminho. Tinham chegado a conversar então Chouji disse: " É quase hora do almoço, vamos comer um pouco de carne juntos? " E aqui eles estavam em seu ponto de encontro habitual no Yakiniku Q.

Shikamaru tinha entrado na loja com a intenção de ficar por pouco tempo, como faria em uma loja de chá, mas Chouji entrou falando “ Um pouco de carne! “. Chouji nunca se sentava sem a intenção de dedicar-se a comer tudo o que podia.

Pedaço de carne na grelha de Shikamaru estava começando a ficar bom e suculento. Ele estendeu a mão com seus pauzinhos e o virou. O lado de baixo tinha sido muito bem grelhado.

Se a carne era grelhada por muito tempo, ia ficar muito difícil. Você tinha que prestar atenção a fim de se certificar de que fosse bem preparada.

A maioria das pessoas gostava de deixar sua carne cozinhar por um período de tempo decidido pelo instinto, mas um estudo de pesquisa recente concluiu que essas pessoas geralmente acabavam cozinhando sua carne por tempo demais.

...Ou, pelo menos, foi o que Chouji tinha dito a Shikamaru enquanto eles estavam conversando.

O próprio Chouji, bem enquanto criticava aquele excesso de cozimento, comeu um pedaço de carne que não estava nem perto de estar cozinhado ainda.

Chouji tinha uma tendência a comer carne enquanto ainda estava muito perto de crua. Shikamaru pensou que era melhor grelhar a carne um pouco mais.

Seu pedaço na grelha parecia que estava prestes a ficar bom. Assim quando Shikamaru estendeu a mão com seus pauzinhos, sua carne foi arrebatada diante de seus olhos.

Chouji. Ele pegou o pedaço e enfiou-o na boca com um grande som.

" Esta era... minha carne... "

" Huh? Ohhhh desculpe, Shikamaru. Eu vi que estava pronta para comer, e antes que percebesse, minhas mãos só... " Chouji olhou apologético quando percebeu que pegou o pedaço errado.

" Ah, bem, está tudo bem. Ainda há muito mais carne para comer, afinal. "

Assim dizendo, Shikamaru colocou outro pedaço de carne na grelha. Ele se voltou para Chouji com um largo sorriso, e disse:

" Afinal de contas, melhor você comê-lo do que ele terminar queimado, certo? "

Chouji sorriu de volta para seu amigo, e depois voltou seu foco para mastigar a carne roubada em sua boca, acrescentando um pouco de arroz também.

" Esta carne é muito boa. " Ele murmurou enquanto mastigava.

Shikamaru ficou olhando, querendo saber se Chouji tinha notado o momento desprezível do comentário.

" Cozinhar com um grelhador a carvão é realmente difícil para amadores ", continuou Chouji. " Então, quando se trata de cozinhar e comer um monte de carne, ao mesmo tempo, grelhadores a gás são os melhores. Eles realmente escolheram um ótimo método para cozinhar bem a carne. "

Sim, Chouji estava alegremente ignorante. Seu comentário tinha sido sobre o método de cozimento da carne ser bom.

Enquanto Chouji falava, ele comia mais e mais arroz também. Oh homem, a este ritmo a taça vai ficar vazia em um instante.

Shikamaru de alguma forma no meio do caos conseguiu acenar para um trabalhador do restaurante e pedir outra porção de arroz.

A coisa sobre o assumidamente grande apetite de Chouji foi que você se sentia bem em vê-lo comer. Observá-lo comer de alguma forma fazia Shikamaru se sentir cheio também, mesmo que ele não tinha comido muito, e ainda tinha tido sua própria carne roubada sob seu nariz.

Foi por causa disso que Shikamaru de alguma forma sempre sentia a necessidade de garantir que seu amigo comia bem. No final, ele empurrou o segundo pedaço de carne que ia colocar na grade em direção a Chouji também.

Chouji manuseou seus pauzinhos com habilidade assustadora, e a carne desapareceu em um piscar de olhos. Uma por uma, fileiras de carne mal cozidas desapareceram nas entranhas da boca de Chouji.

Chouji parecia incrivelmente feliz depois de comer tanta carne. Ao ponto de que, de alguma forma, ele tinha recentemente começado a parecer bem melhor, enquanto comia bem.

Carne, arroz, carne, arroz, carne, arroz, carne, carne, carne... Chouji continuou comendo sem parar, e enquanto Shikamaru assistia ao espetáculo, concluiu que a nova impressão foi por causa do cavanhaque de Chouji.

Ultimamente, a aparência geral de Chouji tinha mudado um pouco.

A primeira coisa que chamava a atenção das pessoas quando olhavam para ele era o cavanhaque. Não cresceu de forma absurdamente longa, mas se manteve bem curta e bem cuidada. Isso não era tudo. O cabelo de Chouji tinha sido cortado um pouco mais curto e penteado para trás. Isto lhe deu uma aparência geral limpa, arrumada e composta.

Não havia nenhuma dúvida sobre isso. Foi o cavanhaque. Quando você via juntamente seu cabelo e outras diferenças em sua aparência, Chouji parecia um adulto respeitado, até mesmo para Shikamaru que o tinha conhecido há anos. Foi por isso que houve uma nova dignidade à forma como Chouji parecia quando comia também.

" Talvez eu devesse deixar crescer um cavanhaque também... " Shikamaru murmurou enquanto se inclinava contra a parte de trás de sua cadeira.

" Eh? Por que você quer fazer isso? " Chouji momentaneamente deixou seu comer frenético.

Por mais que parecesse que ele se perdia em sua comida, Chouji sempre ouvia atentamente quando Shikamaru estava falando. Shikamaru reconheceu esse fato, e continuou falando:

" Ao contrário de você, eu pareço como se não tivesse mudado nada desde que era uma criança, não é? ", disse Shikamaru, tocando o rabo de cavalo no topo de sua cabeça.

Shikamaru tinha sempre mantido seu cabelo assim, desde que era criança. Era um rabo de cavalo simples, seus longos cabelos recolhidos e amarrados acima de sua cabeça. Não era que ele tinha sido determinado a manter seu cabelo assim ou qualquer coisa. Era só que para alguém inerentemente preguiçoso como Shikamaru, esta foi a maneira mais fácil de lidar com seu cabelo.

Se você tivesse que dizer que ele estava determinado com alguma coisa, então provavelmente era que ele estava determinado a manter seu cabelo e roupas tão simples e fácil possíveis.

Mas então, não era como se ele estivesse determinado a lutar para manter as coisas fáceis até o amargo fim, ou qualquer coisa assim. Então você não poderia realmente dizer que foi porque ele estava determinado que as coisas fossem fáceis. Só saiu dessa forma, porque ele realmente não se importava.

Shikamaru não entendia as pessoas que faziam esforços ridículos para mudar a maneira como aparentavam, do tipo que colocavam tanta dificuldade para escolher cuidadosamente suas roupas. Ele pensava que os melhores tipos de roupas eram aqueles que você poderia descuidadamente vestir em qualquer lugar, a qualquer hora, do tipo que permitem que você possa confortavelmente assistir as nuvens ou tirar um cochilo.

Quando era criança, Shikamaru costumava pensar “ se eu pudesse, eu gostaria de passar todos os dias apenas sentado na frente do fogo e observando as chamas “.

Um garoto como esse era claramente diferente daqueles que se preocupavam com o que o mundo ou a sociedade em geral pensavam deles. Por isso, não era surpresa que ele normalmente não se preocupava com seu cabelo ou roupa. Mas, vendo seu melhor amigo de muitos anos, de repente parecendo um adulto, deu a Shikamaru algo para pensar.

Shikamaru tinha se tornado chuunin muito cedo, e se envolvido com um monte de trabalho relacionado a administração da vila. Por exemplo, ele tinha se tornado um supervisor dos exames chuunin, e tinha que assistir a uma série de reuniões sobre eles, e entre as vilas, e em cada uma dessas reuniões, ele naturalmente tinha sido cercado por pessoas que eram mais velhas que ele.

Desde que se viu encarregado de tarefas como essa, Shikamaru muitas vezes encontrou-se pensando “ olhe para este como um adulto " ou " aja como um adulto " ou " você tem que ser firme na sua atitude como um adulto seria ".

Shikamaru já possuía todas as características possíveis associadas a se “ comportar como um adulto ", mas neste momento, de repente, ocorreu-lhe a si mesmo, que não tinha mudado um pouco na aparência desde que era jovem, comparado ao olhar maduro de Chouji na frente dele. E que resultou no comentário de Shikamaru sobre a obtenção de um cavanhaque.

“ As pessoas sempre me dizem ‘ você não mudou nada ' quando me vêem... ", Shikamaru resmungou.

Chouji olhou para cima e inclinou a cabeça em confusão.

" Mas, quando dizem isto, provavelmente não é em relação a seu cabelo é? " Chouji fez uma pausa, olhando para seu prato vazio. " Ah, Obachan, mais uma porção, por favor! "

Depois de solicitar o pedido, Chouji limpou a boca, e olhou para Shikamaru. " Se você me perguntar, você mudou muito. "

" Sério? ", perguntou Shikamaru. " Eu pareço um adulto? "

" Sim. Talvez seja porque você foi a tantas importantes reuniões da União Shinobi. Em comparação com o antigo você, seu rosto mudou realmente. Eu acho que você está muito mais estável e capaz agora. Eu estou dizendo isso, então não pode estar errado. "

Chouji tinha lhe dado um enorme selo de aprovação.

" Ah, agora que você mencionou, um monte de gente me diz que eu me pareço com meu velho. "

Talvez o próprio Shikamaru tivesse notado isso porque viu seu rosto no espelho todos os dias.

Mas ainda assim, ele não podia se render. Achava que se tivesse um cavanhaque ele pareceria mais distinto...

Shikamaru colocou a mão no queixo atualmente limpo e barbeado e ficou pensando sobre o assunto. Quando fez isso, o pedido de Chouji apareceu.

Era um enorme prato, mas a maioria das pessoas ficaria surpresa de ouvir que não era para eles dois. Era o suficiente para Chouji. O que as pessoas costumam ficarem surpresas também. Mas, tanto os trabalhadores como os clientes regulares aqui estavam acostumados aos hábitos alimentares de Chouj, então ninguém ficou surpreso.

Quando nós viemos aqui pela primeira vez, pedimos um enorme desses...

Pensamentos de Shikamaru voltaram ao tempo logo para depois que ele havia se tornado um genin.

Sua equipe comemorou aqui quando sua primeira missão tinha terminado com sucesso.

E depois disso, após o final de cada missão, muitas vezes ele veio a este restaurante.

Os quatro comeram nesta mesma mesa, e Shikamaru se sentara neste mesmo lugar.

~

Chouji estava sendo esculhambado por sua companheira de equipe Ino.

" Hey ?! ", ela gritou: " Chouji, você comeu minha carne! "

" Cale a boca..." Shikamaru resmungou contra a gritaria dela.

Foi um erro. Ino imediatamente virou-se para encará-lo. " O que quer dizer ao falar para eu calar a boca? É a minha carne! Agora você vai cozinhar a carne para mim! "

Agora ele se tornou um alvo. Isto era ultrajante.

" O que é isso? " Shikamaru reclamou baixinho, colocando a carne na grelha. " Por que eu sou o único que tem de cozinhar tudo de novo? Ugh, que problemático..."

Por que as mulheres em geral são tão insuportáveis? Shikamaru pensou sobre o assunto enquanto virava a carne.

Para começar, a mulher mais próxima a ele: sua mãe. Ela era mais insuportável do que as mulheres normais eram, até certo ponto anormal.

O que no mundo havia feito seu pai olhar para uma mulher tão assustadora e pensar " Eu vou casar com ela? ” Shikamaru absolutamente não podia entendê-lo.

" Isso deve ser o suficiente, certo? "

A carne estava preparada. Com o comentário de Shikamaru, Ino estendeu a mão com seus pauzinhos, com um ar satisfeito.

Mas a carne desapareceu de repente.

Não era um fenômeno sobrenatural. Foi Chouji. Ino jogou seus pauzinhos e começou a gritar.

" Você está falando sério, certo?! " Ela gritou: " Você está fazendo isso de propósito! "

" Huh, eu só vi a carne, então... " Chouji gaguejou.

" Não pense que vai sair dessa fazendo comentários vagos! "

Ino pegou Chouji pelo colarinho, ainda gritando. Desnorteado como estava, Chouji ainda não havia soltado seu prato e os pauzinhos. Shikamaru resmungou que ia acabar tendo que cozinhar a carne novamente de qualquer maneira, e começou a colocar mais carne na grelha.

Foi a cena de costume para a sua equipe. E depois...

Havia uma pessoa feliz que prestava atenção nos três.

Asuma.

~

Shikamaru voltou para o presente, e olhou para o lugar que Asuma uma vez sentou.

Shikamaru, Chouji, Ino e Asuma. Os quatro costumavam vir a este restaurante depois de cada missão, e comer em torno desta mesa.

No passado, Shikamaru tinha pensado que a vida continuaria sempre assim.

Era absurdo imaginar todos na juventude tendo o mesmo hábito, mas de alguma forma o eu do passado de Shikamaru ainda tinha pensado dessa forma. Ele não tinha sido capaz de imaginar como seria quando crescesse.

Mas, o tempo passou, apesar de tudo isso.

Ino tinha se tornado mais feminina. O apetite de Chouji não tinha mudado, mas ele deixou a barba crescer. Mesmo Shikamaru tinha mudado antes que percebesse. E Asuma... não estava mais aqui.

Os quatro não poderiam estar juntos novamente.

Este restaurante, este assento, tudo foi profundamente tingido com as memórias daqueles momentos felizes que Shikamaru não poderia trazer de volta.

Foi porque não queria esquecer essas memórias que Shikamaru continuava parando neste restaurante.

Quando Shikamaru estava rodeado pela fragrância familiar de carne cozinhando, ele poderia cair na alucinação onde esse mesmo cheiro era o tabaco.

Asuma tinha sido um adulto.

O cavanhaque sempre cheirava a tabaco de todos os seus incontáveis cigarros. Não importa que situação era, ele estava sempre calmo. Calmo e descontraído.

Asuma tinha ido a muitas viagens quando era jovem, então ele tinha um monte de conhecimento e sua habilidade como um shinobi era ainda maior. Ele era como um pai e um irmão mais velho. Ele sempre levou Shikamaru e a equipe para comer carne.

Pensando sobre isso, ele sempre lentamente empalidecia diante da voracidade de Chouji, e remexia freneticamente em sua carteira para se certificar de que tinha o suficiente.

Agora, Shikamaru e o restante pagava por suas refeições de suas próprias carteiras, com o dinheiro que tinham ganho por eles mesmos.

Shikamaru se perguntou se seria capaz de se tornar um adulto que era apenas um pouco como Asuma.

Shikamaru pegou o menu, virando as páginas e calculando o quanto ele e Chouji teriam que pagar. Seria muito caro. Se eles dividissem, então ele poderia confortavelmente pagar.

Oh homem, eu deveria comer um pouco mais enquanto eu posso...

Shikamaru olhou velocidade feroz que Chouji comia, e estendeu a mão para um pouco de carne.

" ... chomp, chomp, chomp... Obachan, sirva mais! " Chouji gritou, a boca cheia de chomp, quer dizer, carne bovina.

Chouji eventualmente parou de comer, por enquanto, pelo menos. Ele parecia satisfeito, engolindo uma xícara de chá oolong de uma só vez. Quando estava certo de que Chouji tinha começado a respirar novamente, Shikamaru falou.

" Então, sobre o que estávamos falando antes, o que você vai fazer? "

" Huh? Sobremesa? "

Nenhuma vez falamos sobre sobremesa, Chouji.

" ...Acerca do presente de casamento de Naruto e Hinata. "

" Ohh, sim, isso. "

Shikamaru suspirou. Chouji tinha esquecido?

Em primeiro lugar, Shikamaru tinha ido para a rua com a intenção de comprar um presente de casamento. Ele esbarrou em Chouji por acaso, e, em seguida, eles tinham começado a falar sobre o que deveriam dar.

Shikamaru ainda estava indeciso sobre o que iria dar como um presente. Afinal, ele tinha que pensar em algo que tanto Naruto e Hinata ficariam felizes, e estava sem idéias.

Shikamaru não era apenas inexperiente com presentes de casamento, ele era um estranho para a prática de dar presentes em geral.

Nesse caso, seria melhor falar com alguém que não faz negligência a frivolidades sociais como essa. Então era melhor ouvir a opinião de uma mulher. Assim, Shikamaru tinha ido visitar Ino.

Yamanaka Flores. Esse era o nome da loja que a família de Ino possuía.

Quando Shikamaru foi falar com ela sobre o assunto, Ino tinha começado imediatamente a ostentar seu dom. Como era de esperar de Ino. Ela estava muito bem informada quando se tratava das últimas tendências de moda.

Como era de se esperar de uma companheira da minha equipe, Shikamaru pensou, e sentiu-se aliviado.

" Se for esse o caso, então vai ser bom se eu comprar alguma coisa da mesma loja que você ", ele disse a Ino. " Você pode me dizer onde é? "

" Eh? Você não pode copiar. Esqueça. "

E assim, apesar de serem camaradas que tinham enfrentado batalhas mortais juntos, Shikamaru foi imediatamente abandonado.

Depois disso...

"Eu desisto..." Shikamaru tinha resmungado enquanto rodeava examinando as lojas da vila. Ele esbarrou em Chouji em um dos cruzamentos, e se viu onde estava agora, no Yakiniku Q.

Mas, aparentemente, Chouji tinha esquecido toda a história na sua carne-mania. Mesmo agora, ele estava comendo um sorvete. Quando Chouji tinha pedido um sorvete? Shikamaru nem sequer tentou descobrir isso. Havia algumas coisas sobre Chouji que estavam além da compreensão.

Honestamente, quanto ao tópico de encontrar um presente de casamento, a opinião de Chouji pode não ser tão confiável quanto a de Ino.

No entanto, enquanto Shikamaru estava preocupado com o presente de casamento, Chouji estava perfeitamente à vontade.

" Na verdade, eu estou mais ou menos decidido... "

A resposta de Chouji foi tão inesperada que Shikamaru pulou em seu assento.

" Você realmente decidiu?! O que você escolheu para eles? "

" Sim.", disse Chouji, pegando um pedaço fino e retangular de papel. " Estou pensando em dar isso a eles. "

Chouji deslizou o item sobre a mesa, e Shikamaru o pegou para não molhar.

" Isto é... "

Shikamaru não podia acreditar em seus olhos. Este era um bilhete de cortesia para uma refeição em um dos restaurantes mais caros em Konoha.

" Os jovens adultos como nós normalmente não vão a lugares como esse ", disse Chouji, com um sorriso. " Mas já que é um presente de casamento, ele funciona. "

Era exatamente como disse Chouji. Este restaurante era extremamente formal e extremamente caro, por isso muitos jovens não costumam ir lá. Mas um ingresso de cortesia para uma refeição lá, como presente de casamento, era uma coisa de brilho puro.

Era uma chance para o casal ir a algum lugar que eles não vão frequentemente, e era um presente de casamento que os dois gostariam. Não poderia haver outro presente de casamento tão planejado como este.

Mas, embora possa ter sido um presente de casamento incrível, como poderia Chouji tão facilmente deixar uma refeição assim?

Chouji, você é realmente o mesmo cara que eu conheci...? Você realmente tornou-se muito mais adulto do que eu jamais teria imaginado.

Shikamaru estava olhando o bilhete elegante em suas mãos, e depois olhou para o rosto de Chouji que alegremente comia seu sorvete. Ele estava pasmo.

Chouji continuou comendo seu sorvete sem estar consciente do olhar de seu amigo. Pouco tempo depois, ele começou uma segunda tigela.

" Além disso, ele veio com isso ", disse Chouji enquanto lambia. " Esta refeição para três... "

De primeira, Shikamaru não entendeu o significado por trás do que Chouji tinha dito. Um momento se passou, e a compreensão surgiu. Suor apareceu na testa de Shikamaru.

“ Você não poderia possivelmente... ” Shikamaru falou humildemente, sentindo-se chocado por uma razão completamente diferente. " Você não vai... comer... com eles...? "

Chouji olhou para cima de seu sorvete com uma grande risada. " De jeito nenhum. Mesmo que seja eu, eu não vou invadir uma refeição entre dois recém-casados. "

" S-Sim... sim, isso seria... "

" Eu vou pedir um favor do proprietário e comer em uma mesa separada. "

" ... Sério? "

Sem pensar, Shikamaru olhou para o teto. O ventilador de teto girava sem parar, como sempre.

O ventilador do teto continuava a girar de forma constante em silêncio. Chouji continuou com determinação comendo seu sorvete.

Logo, a hora do almoço já tinha passado, e os clientes no restaurante tornaram-se escassos. A paz tinha voltado novamente para o Yakiniku Q.

Ouvindo o som fraco do ventilador de teto girando na loja agora tranquila, Shikamaru continuava a se preocupar.

Uma refeição de classe alta de cortesia.

Esse foi o presente que Chouji tinha preparado. Definitivamente não tinha nada de errado.

Mas...

Enquanto não poderia ter lado ruim, por que no mundo foi para três pessoas? Esse restaurante deveria ter pensado sobre a freqüência com que casais gostariam de ir e ficar sozinhos, amantes sem interrupções. Tinha algum sentido? Se fossem três pessoas, então é claro que Chouji iria acabar indo...!

Shikamaru interiormente criticou as políticas de um restaurante que nunca tinha ido com um olhar ácido em seu rosto.

Sua mente imaginou Naruto e Hinata vestidos para a oportunidade incomum de comer em um restaurante de classe alta.

E, em seguida, no banco de trás. Chouji. Encomendando uma segunda porção de sua comida enquanto os observava atentamente.

... Isso iria realmente funcionar?

Não, agora Chouji estava bem. De certa forma, era um presente a seu estilo. Neste momento, o maior problema era que Shikamaru ainda não tinha pensado em nada. Ele teve que se dedicar ao seu processo de pensamento para chegar em alguma coisa.

Shikamaru se endireitou em seu assento, e silenciosamente fechou os olhos.

Sempre que Shikamaru estava pensando profundamente sobre algo, por exemplo, seu próximo passo no seu jogo favorito de shougi, ou uma estratégia complicada no meio de uma missão, ele tinha o hábito de sentar-se de uma determinada maneira enquanto pensava. Ele não propositadamente tentava chegar a essa posição. Era algo que acontecia naturalmente. Era a posição que ele poderia pensar melhor.

Falando nisso, ninguém jamais teria esperado ver Shikamaru recorrendo à sua posição de pensamento no meio de Yakiniku Q. Ele próprio ainda não tinha esperado que as coisas iriam chegar a isto.

Shikamaru reuniu seus pensamentos dentro de sua cabeça. Algo que seria adequado como presente de casamento... Várias possibilidades e opções flutuavam através de sua mente.

Em primeiro lugar, seria melhor se o presente era algo prático e útil. Utensílios de cozinha ou panelas. Um bom presente seria algo que o casal ainda não possuía.

Louça era popular ultimamente, não era? Tigelas para o uso de um casal foram uma boa opção possível.

Relógios talvez, ou uma moldura para as fotos do casamento também. Eles pareciam corresponder ao padrão. Presentes que poderiam servir como memórias felizes de seu casamento eram bons. Mas eles também tinham que ser presentes que mantivessem o interesse de ambos.

De qualquer maneira, ele não poderia levar o mesmo presente que outra pessoa. Afinal, Ino tinha lançado tal alarido sobre receber algo da mesma loja. Assim, o mesmo presente que alguém era logicamente tão ruim, se não pior.

O casamento seria em breve, talvez por isso um grande buquê iria funcionar como um presente? De qualquer forma, era uma coisa muito presente-de-casamento.

Houve também a opção de dar gêneros alimentícios. Ingredientes de classe alta, como doces ou chá, aqueles seriam felizmente recebidos não? Mas, então, parecia que iria acabar por ser semelhante ao Chouji de uma refeição de classe alta.

Mas não, honestamente, seria bom se ele acabasse dando-lhes um certificado de presente de loja de departamento como Chouji tinha, não seria? Ele poderia ganhar um vale-presente de uma loja de departamento. Ele tinha acabado de comprar coisas o suficiente que ele gostava, e seria fácil escolher coisas que ele gostava... Mas então como é que ele pagaria compras o suficiente para ganhar um vale-presente... O dinheiro era... o dinheiro...

Shikamaru abriu os olhos devagar. Chouji estava ainda comendo sorvete.

O que fazer...

No final, uma palavra tinha vindo a flutuar de forma pragmática na frente de sua mente: o dinheiro.

Foi um bom ângulo para se concentrar. Ao invés de ficar a par de algo que não poderia usar, ou algo que era semelhante ao presente de outra pessoa, era muito melhor dar-lhes dinheiro para gastar em qualquer coisa que quisessem.

Mas, em seguida, houve o pensamento de como seria se toda a gente deu presentes a Naruto e Hinata, e em seguida, Shikamaru só foi com um envelope de dinheiro.

Desde que sou eu, eles provavelmente pensariam que eu pensei que comprar um presente era muito problemático, e recorri a dar dinheiro por preguiça, não seria...?

Ele estava preocupado com essa possibilidade.

Na realidade, era provável que ninguém pensaria tal coisa. Mas, honestamente, dar dinheiro era uma escolha incrivelmente cansativa de presente. Parecia que não tinha nenhuma sinceridade.

Teria sido bom dar a alguém que eu mal conhecia, mas para eles... não ficaria bem, não é?

Shikamaru ainda estava se preocupando infinitamente. Da mesma forma, Chouji ainda estava comendo infinitamente.

" Você já comeu muito." Shikamaru de repente observou as inúmeras taças de sorvete amontoadas na frente de Chouji. " Você não sente frio? "

" É uma sensação agradável e fresca depois de comer churrasco quente. Além disso, eu sou o tipo de cara que estará viajando no País da Neve e ainda irei comprar sorvete. Meu apetite não perde para o frio. " Chouji sorriu para seu amigo, e quando terminou sua última taça, finalmente parecia contente. " Gochisousama. "

Espere. Espere um minuto. Agora. Só agora, algo tinha acendido dentro da cabeça de Shikamaru.

" Chouji... o que foi que você disse? "

" Huh? Bem, eu disse gochisousama... "

" Não. Antes disso. Quem viaja no País da Neve. "

" Ah, sim, eu disse que eu ainda comeria sorvete mesmo se estivesse viajando no País da Neve. Mas você sabe que eu estava apenas dando um exemplo? "

" É isso. " Shikamaru parecia encantado enquanto apontava para Chouji. " Viajar. Uma viagem. Isso é bom, não é? Uma viagem para a lua de mel...! "

Shikamaru e Chouji deixaram o Yakiniku Q sem qualquer próximo destino específico em mente. Eles estavam apenas andando por aí sem rumo. Não importava se tinham ou não um objetivo em mente, Shikamaru estava finalmente livre de suas preocupações sobre onde começar.

" Eu entendo. Você vai dar a Hinata e Naruto uma viagem de lua de mel como presente, certo? "

" Sim, Chouji. Graças a você, eu finalmente pensei numa boa ideia. "

Agora, tudo que Shikamaru tinha que fazer era selecionar o destino. Então, vá e garanta que tudo foi de boa qualidade.

Ah. Ele ia ter que pedir a opinião de uma mulher de novo, não era? Onde ele seria capaz de encontrar Ino? De acordo com o que ela disse quando ele a visitou anteriormente sobre a escolha de um presente, ela provavelmente teria uma ideia de como comprar seu presente de casamento...

Enquanto ele e Chouji caminhavam, Shikamaru começou a olhar em volta.

" Você está procurando alguém, Shikamaru? Eu posso ajudar. "

" Sim, eu preciso ouvir a opinião de uma mulher. Ino serviria se estivesse por perto. "

Dito isto, Konoha era uma cidade enorme.

O fato de que Shikamaru e Chouji tinham conseguido encontrar-se enquanto apenas andavam por aí sem o mesmo destino em mente tinha sido uma grande coincidência. Se eles agora conseguissem esbarrar em Ino, seria uma coincidência no topo de uma coincidência para todos ter o Time 10, o Ino-Shika-Chou reunidos em um só local. As chances deles se esbarrarem sem qualquer comunicação prévia era, obviamente, praticamente zero. Mesmo se uma reunião tão coincidente de amigos tivesse acontecido em uma peça de ficção ou filme, o público teria criticado severamente, chamando de uma série de coincidências impossíveis.

Assim, enquanto Shikamaru pensava nisto, Chouji soltou um murmúrio.

" Oh, olha quem está aqui. "

" Você está brincando comigo, certo?! " A voz de Shikamaru levantou-se a um volume histérico em surpresa.

Realidade era de fato uma coisa incrível. Coincidências surpreendentes que pareciam sair de romances, como companheiros de equipe se reunirem aleatoriamente, acontecendo o tempo todo.

No entanto, a visão que surgiu a Shikamaru depois que deixou escapar o grito de surpresa foi uma coincidência o atordou ainda mais.

Linha de visão de Shikamaru tinha a parte de trás da cabeça de uma mulher. Seu cabelo não chegava até os joelhos como o de sua companheira de equipe. O cabelo desta mulher era um pouco curto, e amarrado em dois feixes. Ela era uma pessoa completamente diferente, e os olhos de Shikamaru se arregalaram ainda mais.

A mulher na frente deles era uma jounin da vila aliada de Konoha, Sunagakure... Temari.

Muitas pessoas estavam sempre indo e vindo de Konoha, e não apenas shinobi de outras vilas como Temari. Havia shinobi vindo receber missões, shinobi retornar de missões, clientes que solicitavam missões, e uma grande variedade de mais pessoas.

Houve um fluxo contínuo de visitantes indo e vindo.

Claro, isso não significa que qualquer um podia entrar. Aqueles às portas da vila sempre mantinham os olhos em pessoas suspeitas ou objetos perigosos, inspecionando e questionando os visitantes.

Temari, por exemplo, era uma shinobi de outra vila que carregava um grande leque nas costas. Era sua arma preferida, um ventilador de guerra que a deixava criar uma rajada de vento devastadora com um balançar.

Mas perigosa como sua arma era, Temari era uma shinobi de uma vila aliada, e haviam anos de confiança e cooperação entre ela e Konoha, então naturalmente foi dada uma autorização para que ela pudesse trazer o leque para dentro dos limites da cidade. Ela também passou facilmente por meio da entrevista para obter um passe de visitante, e que tinha sido emitido há muito tempo.

Então, Temari virou para o grito de surpresa de Shikamaru, e notou os dois. Seus olhos encontraram os de Shikamaru.

" Então foi você que gritou. O que você está fazendo? "

Shikamaru tinha soltado um grito histérico, porque havia sido surpreendido com a coincidência de Chouji supostamente encontrar Ino.

Agora, ele fez o seu melhor para responder a pergunta de Temari em tom sereno, calmo, apesar de como o interior de seu coração parecia que estava explodindo.

" O-oh sim. Nós só estávamos almoçando e depois... bem, deixando isso de lado, o que você...? "

" Eu estou indo dar minhas saudações que antecedem as reuniões do Exame Chuunin. "

" Exames Chuunin? Nós ainda temos um tempo até que eles comecem, não é? "

" Bem, você poderia dizer que este ano nós estamos tendo reuniões sobre reuniões." Temari deu um sorriso irônico. Ela tinha um monte de funções problemáticas para realizar.

Temari era a filha do Yondaime Kazekage, e irmã mais velha do atual Godaime Kazekage. Ela era uma pessoa afiada e capaz, que ajudou seu irmão mais novo com suas atividades florescentes na diplomacia com outras vilas. Como hoje, ela casualmente ia e vinha de Konoha para participar de reuniões de planejamento para os exames Chuunin.

Shikamaru chegou um pouco mais perto de Chouji tal que Temari não podia ouvir, e sussurrou em seu ouvido.

" Ei, Chouji! Por que você foi dizer 'olha quem está aqui '? Eu pensei que era Ino então eu acabei... "

" Mas você disse que queria a opinião de uma mulher, por isso não faz nenhuma diferença, certo...? "

" I-Isso é tecnicamente verdade, mas... " Shikamaru olhou para Temari.

Temari era o melhor usuário de vento em Sunagakure. Não, ela era provavelmente o melhor usuário de vento em todo o mundo dos shinobi, ou se não, o segundo. Ela se destacou por suas realizações na diplomacia e criação shinobi em áreas não-combatentes, mas sua personalidade era militante. Ela tinha um coração audacioso e corajoso, e geralmente adequado para o campo de batalha com sua atitude irascível.

Foi provavelmente por causa de sua personalidade ser assim que ela se deu tão bem na política, mas seria realmente bom pedir a Temari, uma mulher que acordava um vendaval para acabar com os inimigos no campo de batalha, sua opinião sobre uma lua de mel para Naruto e Hinata? Sua personalidade era completamente diferente da de Hinata.

Temari era de temperamento forte, e essa qualidade a fazia o mesmo tipo de mulher que a mãe de Shikamaru. Não era provável que ela iria pensar em algo que alguém manso como Hinata gostaria. No entanto, a personalidade de Ino era diferente da de Hinata também. Mas, Ino tinha sido colega de Naruto e Hinata desde a infância, então consultá-la parecia mais fácil. Ino provavelmente teria o prazer de dar uma consulta sobre a lua de mel de Naruto e Hinata. Ela era o tipo que salientaria as mais recentes tendências e tudo.

Mas a reação de Temari ao ser convidada a ser consultada era algo que Shikamaru não poderia imaginar.

" O que, uma lua de mel? " Temari disse, seus olhos perdendo seu calor. " Você está certo em me perguntar sobre algo tão trivial? "

Essa era a única reação que vinha à mente de Shikamaru.

" O que vocês dois estão cochichando? " Temari tinha um olhar de dúvida em seu rosto. " Isso parece suspeito. "

Ele rapidamente tinha que de alguma forma consertar a situação mas-

" Shikamaru quer lhe perguntar sobre alguma coisa. "

Mas Chouji agiu primeiro.

" Bem... você... " Shikamaru ficou perturbado quando Temari voltou seu olhar para ele.

Ele não poderia dizer algo como ' não seria ofensivo se eu lhe perguntasse sobre o planejamento de uma lua de mel, certo?'. Não havia escolha para ser franco sobre isso.

" Bem, isso é, eu quero dizer... " Ele manteve a gagueira.

Por alguma razão, ele tinha ficado tenso. Shikamaru se sentiu estranhamente envergonhado. Ele não podia sequer olhar Temari nos olhos. Finalmente, ele deixou escapar:

" ...Eu estive pensando sobre isso, mas, para uma lua de mel, onde você acha que seria bom? "

" Eh?! "Temari deixou escapar um som incrivelmente atordoado.

" O quê?! " Assustando-se com a reação dela, Shikamaru poderia olhar em seu rosto agora.

" Você l- l- lua de mel...?! "

Temari não olhava para ele.

Veja, ele estava certo. Perguntar a ela era rude e ofensivo. Claro que Temari estaria preocupada se ele lhe pedisse para ajudar com a escolha do presente de casamento de Naruto e Hinata. Mesmo Shikamaru tinha tido problemas com isto, e ele era seu colega de classe...

Ugh, Chouji, você não deveria ter se intrometido. Shikamaru olhou para o homem com vários comentários relutantes em sua língua. Chouji fingiu não perceber e desviou o olhar para olhar uma vitrine.

Enquanto olhava desagradavelmente na direção do homem, Shikamaru tentou mudar a situação.

O resultado final foi que o dano já havia sido feito, então ele podia muito bem ouvir sua opinião.

" Desculpe. " Shikamaru pediu desculpas. " Eu sei que é inesperado, mas eu quero ouvir seus pensamentos. "

" P- Por que perguntar sobre i-isso para mim? " Temari parecia incrivelmente confusa e perturbada. Era perfeitamente compreensível.

" Bem, eu pensei que perguntar a você seria melhor... "

Bem, ele não poderia dizer ' porque você é mulher ', quando ela parecia que estava considerando seriamente isso. Isso seria incrivelmente rude. Mesmo Shikamaru sabia disso.

" Seria melhor... " Ela repetiu.

Por alguma razão, Temari estava olhando para baixo e inquietamente se remexendo. Shikamaru estava convencido de que era porque ela estava incomodada com a pergunta. Isso não era bom. A este ritmo, não haveria progresso. Seria melhor oferecer seu parecer de primeira.

" Eu acho que seria bom relaxar em uma piscinas termais, mas o que você acha? Não soa muito antiquado? "

" Eu... parece bom... "

" Tudo bem, ótimo. Estou feliz. Uma pousada nas nascentes de água quente com boa comida é o melhor, huh. "

Temari tinha aprovado sua ideia. Shikamaru podia sentir toda sua preocupação esvaindo. Ele estava se preocupando toda a manhã, e agora finalmente deu um sorriso aliviado. Seria um presente de casamento bom para Naruto e Hinata.

Temari, por outro lado, parecia que tinha tido sua compostura perturbada.

" Não me diga que você ainda tem alguns negócios para cuidar? ", ele perguntou.

Isso era provável. Temari tinha vindo aqui a negócios depois de tudo. Ela provavelmente estava chateada porque ele a mantinha ocupada com esta pergunta.

" Ah, não, eu terminei por hoje... Eu estava prestes a ir para casa. "

" ...? "

Ela não tinha qualquer dever para cumprir, mas estava inquieta. Shikamaru inclinou a cabeça, confuso com a resposta dela. Temari estava agindo estranho hoje. O que poderia estar causando isso...?

" Seria melhor verificar algumas pousadas mais tarde, certo? "

Chouji sugeriu, e Shikamaru saiu fora desses pensamentos para se concentrar no problema presente.

" Isso é verdade. " Shikamaru assentiu. " Seria melhor ir e dar uma boa olhada o mais rapidamente possível. "

" Ainda é muito cedo, por isso é melhor ir logo, certo? "

" Sim. Provavelmente seria melhor fazer isso. "

" Então ", Chouji disse: " Eu estou indo comer algumas castanhas doces, então vocês dois deveriam ir dar uma olhada. "

" Eh?! " Shikamaru e Temari exclamaram ao mesmo tempo. Confuso, Shikamaru olhou para o amigo.

" Cho-Chouji...! O que quer dizer com você não está vindo comigo... ?! "

" Mmm, desculpe Shikamaru. Eu tenho que comer sobremesa após as refeições. "

" Você já comeu! "

" Tenho sala separada para a sobremesa. "

" Eu estou dizendo a você que você já comeu a sobremesa! "

Enquanto eles continuavam discutindo, Shikamaru olhou para Temari. Ela provavelmente estava zangada com o comportamento egoísta repentino de Chouji também, porque seu rosto estava lentamente ficando vermelho brilhante.

Oi, oi, oi, este não é um momento para piadas. Chouji, mude sua postura. As mulheres não podem ficar com raiva, porque isto vai sempre acabar se transformando em uma situação incômoda. Eu aprendi isto quando era criança!

Shikamaru estava desesperadamente tentando comunicar estes fundamentos com os olhos, mas Chouji não mudava sua atitude.

" Você está procurando um lugar para uma lua de mel, de modo que seria melhor se vocês dois fossem. "

Chouji disse uma coisa dessas com um sorriso largo.

Era muito correto para Shikamaru argumentar contra. Qualquer um concordaria que faria mais sentido um homem e uma mulher ir verificar uma pousada com antecedência, em vez de dois homens. Dessa forma, você tem o ponto de vista do noivo e da noiva.

Mas, agora, Temari reagiu de uma maneira que Shikamaru não entendia, e seu rosto estava vermelho brilhante com o que tinha que ser raiva. Ir sozinho com ela seria...

Shikamaru sentiu a cor drenar de seu rosto.

" Bem, então, eu vejo vocês dois mais tarde. ", disse Chouji, começando a andar. " Eu estou indo. "

" Ah... ", no momento em que Shikamaru pode fazer um som, já era tarde demais.

Chouji apenas olhou por cima do ombro para seu amigo, acenou, e depois desapareceu na multidão.

Shikamaru tinha ido a uma completa confusão total.

Por que Chouji...? Por que você quer comer castanhas...? Mesmo que você comeu muito sorvete, por que...? Será que o seu estômago é infinito...?

Aqueles eram os pensamentos que fluiam em sua mente entorpecida, atordoada.

Mesmo que as ruas de Konoha estavam sempre movimentadas, o lugar onde Shikamaru e Temari estavam parecia estranhamente inativo. Era quase como se eles tivessem uma barreira entre eles. Ambos foram envoltos em um silêncio denso.

Shikamaru estava com muito medo de olhar Temari nos olhos.

" Uh... " Sua boca se moveu por si mesma. " Como é que eu... o que você quer fazer...? "

Essas foram as palavras que saíram da boca.
Eu sou um idiota.
Mas, só então...

Shikamaru sentiu um puxão brusco em sua manga.

" ...podemos ir. " Temari disse calmamente, sem olhar para ele. Como a atmosfera mudou assim?

Em pouco tempo, Shikamaru e Temari tinham feito seu caminho para o distrito de fontes termais de Konoha.

No caminho, eles não tinham conversado muito.

Shikamaru tinha tentado abrir uma conversa para ver como ela reagiria, mas as respostas de Temari tinham sido curtas e sucintas, e a atmosfera inquietante entre eles tinha continuado.

Por que há uma tensão tal intrigante...?

Shikamaru desviou os olhos para a frente para que não encontrasse os olhos de Temari, sentindo a testa suada. Ele tentou analisar objetivamente, e com calma a situação.

Para começar, não era incomum ele e Temari estarem sozinhos juntos. Pelo contrário, era comum. No passado, ele guiou-a ao redor da vila, e eles tinham ido às reuniões do trabalho em conjunto. Ele tinha mesmo saído de seu comportamento habitual e a levado em um encontro.

Bem, ele disse encontro, mas no final eles tinham feito as mesmas coisas que o habitual, falando de coisas leves, até que de alguma forma começaram a falar sobre o trabalho sem perceber. Mas, naquela época, não tinha chegado nem perto de tão tenso como estava agora.

Pelo contrário, o seu encontro não tinha sido ruim.

Por isso, por que as coisas estão tensas hoje? Por que a atmosfera estava tão tensa? Por que Temari não estava falando com ele?

Shikamaru desesperadamente sacudiu seu cérebro pelas respostas.

A causa mais provável era que, no fundo, Temari sentia-se farta de ser arrastada para uma questão problemática. Ele havia perguntado a ela sobre seus planos para o resto do dia, e depois de dizer que não tinha nenhum, não havia nenhuma maneira educada de se recusar a vir. Então agora ela estava irritada com os problemas que ela teve que passar. Foi por isso que as coisas estavam diferentes hoje. Foi por isso que ela não estava falando muito.

Mas, se você olhasse para a raiz, isto foi tudo culpa do Chouji. Chouji e súbita e inexplicável ânsia de seu estômago por castanhas doces. E, além disso, era culpa de Chouji por trazer a sugestão intrometida de " seria melhor vocês dois irem juntos " e, em seguida, desaparecer. Se ele não tivesse feito essas coisas, então neste momento ele e Shikamaru, ou Shikamaru sozinho, teria ido fazer o check-up em uma pousada aleatória.

Nunca pensei que eu iria acabar chegando aqui com Temari...

Foi uma sucessão de eventos que ele nunca teria sido capaz de imaginar acontecendo esta manhã. Ele nunca pensou que iria comer no Yakiniku com Chouji, e, em seguida, chocar-se com Temari, e depois acabar nesta situação.

Não poderia ter sido o que dizer como " shinobi deve olhar além ", porque isso não era algo que qualquer um poderia ter visto chegando. O mundo estava além do prever.

Enquanto Shikamaru meditava, ele e Temari atravessaram uma ponte de madeira. Havia um rio fluindo abaixo dela, com uma leve camada de vapor saindo. Era um rio que saia de uma fonte de água quente. Havia um cheiro ligeiramente enjoativo na água, semelhante a ovos. Era sulfureto de hidrogênio que fora misturado na água termal.

A fonte estava localizada no topo vulcânico de Konoha. Um boa quantidade de nascentes de água quente estavam presentes nesta área, tanto que nos velhos tempos as fontes termais haviam sido conhecidas como uma área de cura para shinobi feridos. Agora era um ponto turístico para atrair pessoas de e fora da vila.

Eles estavam passando por um monte de tais turistas enquanto andavam.

A maioria dos turistas estavam geralmente vestidos com yukata, com sandálias de madeira ou com sola de sandálias de couro e roupas que tinham o nome da estalagem ou instituto em que se hospedaram. Esse parecia ser o código de vestimenta geral da cidade. Era bom visitar as nascentes de água quente, ou apenas andar.

Saúde e entretenimento. A cidade tinha, obviamente, se desenvolvido através da combinação dessas duas coisas, e muitas outras coisas que poderiam ser encontradas em estalagens. Restaurantes, centros de jogos, lojas de souvenirs e várias outras lojas estavam alinhados ao redor. Outro lado agradável desta cidade seria apenas uma caminhada e visita.

Shikamaru e Temari tinham passado por um monte de tais lojas. A maioria das lojas tinha cestas de vime onde bolinhos de carne que haviam sido cozinhados com o vapor das fontes termais exibiam-se em fileiras, parecendo agradáveis e bonitos. Lojas de souvenirs tinham postais e esculturas em madeira destinadas a turistas, junto com bens shinobi. Aqui e ali, você poderia ver sacos e garrafas que foram recheadas com depósitos termais minerais também. As fontes termais eram uma fonte verdadeiramente valiosa de renda para a cidade.

Shikamaru estava à procura de uma pousada no meio de todos os estabelecimentos. O sol já estava se pondo no oeste, e em um curto espaço de tempo, a noite tinha caído.

As lanternas na frente das lojas e edifícios começaram a acender-se, um por um. Suas luzes eram as únicas iluminações na cidade depois que a escuridão tinha caído, e a vista de todas aquelas lanternas iluminadas em meio à escuridão e tufos de vapor que envolvem a cidade era bastante impressionante.

" Parece incrível... " Temari murmurou.

" Sim... " Shikamaru calmamente concordou. Então, ele se virou para ela. "
... Foi bom vir aqui então... O que você diria de nós andarmos pelo lugar? "

Temari finalmente havia falado de sua própria vontade quando comentou sobre a paisagem. Belas paisagens da cidade pareciam ter diminuído a tensão. Shikamaru queria tirar proveito disso e se livrar da tensão completamente. Eles haviam vindo aqui, depois de tudo. Eles não estavam prestes a ser punidos por entrar em uma loja ou duas.

" Você está certo ", disse Temari, olhando ao redor. " Então... o que acha dessa loja? "

A loja que ela estava apontando era pequena, com um cartaz que dizia " prática de alvo " na frente. Parecia o tipo de lugar que tinha três kunai de madeira para que você jogasse e atingisse vários prêmios nas prateleiras, e se você atingisse um prêmio, então você poderia tê-lo.

" Tem certeza que está bem com isso? ", ele perguntou.

" Sim. Eu queria tentar esse tipo de coisa apenas uma vez. "

Eu realmente não entendo, mas parece que os espíritos estão de volta ao normal...

Os olhos de Temari estavam brilhando quando ela abaixou-se sob o emblema de madeira em frente à entrada da loja, e Shikamaru sentiu-se aliviado ao vê-la. Ele a seguiu.

O interior da loja estava surpreendentemente lotado.

Passando seus olhos sobre os outros clientes, que eram em sua maioria prováveis amantes, um monte de homens e mulheres jovens. Por alguma razão, Shikamaru não conseguia voltar a compostura habitual.

Temari já havia pego uma kunai de madeira e jogado. Ela apenas roçou prêmio alvo, escapulindo para a escuridão por trás dele. Ela pegou uma outra, e atirou mais uma vez. Desta vez, seu objetivo ficou muito longe, nem mesmo chegou perto.

" Hm? " Temari estava inclinando a cabeça em perplexidade.

" Ei, ei, o que foi? ", ele perguntou. " É raro você perder um alvo. "

Esquecendo-se jogos de alvo, tanto Shikamaru como Temari usavam kunai em suas vidas diárias. E, além disso, aquelas nem eram reais. Era impossível para ela perder duas vezes.

" Não, a coisa é que elas são leves demais para jogar ", disse Temari, entregando a kunai de madeira para ele.

Ah, eu vejo porque. Muito mais diferente do que as habituais. Seria difícil de jogar isso.

Shikamaru compreendeu enquanto sentia o peso leve da kunai de madeira na mão.

" Mas, se esse é o problema ", disse Shikamaru, olhando para a kunai de madeira: " Então, se você encontrasse o centro de gravidade e ajustasse, você deve ser capaz de jogá-lo. Assim! "

Ele jogou a kunai de madeira. Ele jogou com muito mais força do que jogaria com uma kunai habitual.

Ele perdeu completamente.

" Hm? "

Agora Shikamaru estava inclinando a cabeça em perplexidade também. Depois que sua prática de alvo tinha terminado, os dois estavam de volta para procurar o que vindo achar.

Temari estava carregando uma pequena daruma, e outra igualmente pequena estatueta de gato. Eles foram os dois únicos prêmios que Shikamaru tinha conseguido pegar depois de várias tentativas.

Mas pensando que depois de todas aquelas tentativas, apenas estes dois pequenos prêmios foram obtidos fez Shikamaru pensar que o custo-efetividade da loja estava em questão.

Mas, Shikamaru ainda era um profissional. Jogar a kunai de madeira uma e outra vez o ajudou a começar a usar o peso. Mesmo com toda a prática, essas kunai de madeira eram incrivelmente complicadas. Você não poderia esperar praticar o suficiente para bater um grande prêmio sem pagar uma grande quantia de dinheiro também. Shikamaru tinha percebido isto muito rapidamente. Não, na verdade, você poderia gastar dinheiro em prática quanto quisesse, e provavelmente ainda seria impossível bater os grandes prêmios.

Shikamaru sentiu pena de todos os casais que tinha visto na loja, deixando escapar ' Kyaa! ' e ' awww ' enquanto atiravam em prêmios que nunca seriam capazes de bater.

Se elas fossem apenas um pouco mais pesadas... bem, para resumir, as kunai de madeira foram tão mais longe que uma kunai real que era quase impossível derrubar qualquer coisa com elas.

Se possível, Shikamaru teria gostado de jogar uma kunai real.

No lojista.

Mas de qualquer forma, visto que ele não tinha permissão para usar uma kunai real, ele tinha pensado que seria melhor bater o que podia, em vez de continuar a apontar para o impossível e ir embora sem nada.

" O que poderia ser a pequena estatueta de gato e daruma. " Eles eram os menores prêmios na loja. Sua perda não era um grande golpe para o lojista. O lojista realmente teve uma estratégia brilhante.

" Desculpe... ", ele disse para Temari. " Eu não pude obter outra coisa senão aqueles... "

Falando nisso, seria muito ruim se ele tivesse ficado tão acostumado a jogar kunai de madeira que seu objetivo com kunai real fosse afetado.

" Heh, eles são do tamanho perfeito para levar para casa." Temari respondeu com um sorriso.

Ela não estava sendo sarcástica. Aqueles eram os seus sentimentos honestos. De vez em quando, Temari tinha vezes que sorria inocentemente como agora.

" São grandes lembranças para meus irmãos ", ela disse.

Pensando sobre isso, ela estava certa. O número de prêmios não era problema. Mas, trouxe à tona a questão... entre Gaara e Kankurou, a quem seria dado o daruma e a quem seria dado a estatueta de gato? Ele não tinha certeza, mas de qualquer forma, seria algo divertido de se ver.

Temari sempre pensava em seus irmãos.

Temari estava cantarolando algo quando ela olhou para os prêmios em suas mãos. Parecia que estava de bom humor.

" Tudo bem então... devemos dar a volta a escolher uma pousada, certo? ", disse Shikamaru. " Oh, que tal aqui? "

Shikamaru tinha chegado a um impasse, olhando para cima em uma pousada nas proximidades. Era magnificamente estruturada, com uma sensação muito histórica. As lanternas de papel brilhantes levemente nas laterais dos seus portões parecia que estavam dando uma recepção suave para os hóspedes. Parecia que tinham uma bela grande lagoa também.

Do lado de fora, tudo parecia bem, mas o foco principal de sua visita eram as fontes termais e as refeições. Seria um problema se tudo apenas parecesse decente, mas era realmente de má qualidade.

" Ok, melhor entrar e dar uma olhada. " Shikamaru assentiu. Apenas uma avaliação global rápida seria suficiente.

Ele virou-se para ir para a pousada, mas naquele exato momento, passos de Temari pararam.

" O que há de errado? " Ele olhou por cima do ombro para ver como ela estava.

" Ah, bem... depois de tudo... como dizer isso... " Temari estava olhando para baixo e inquietamente se remexendo.

Mais uma vez? Logo quando ele pensou que a habitual Temari tinha retornado. O que no mundo estava acontecendo?

" Então, é no final não... Eu não estou ainda... Eu não estou preparada mentalmente... ", ela murmurou, não olhando para ele e brincando com o daruma e a estatueta de gato em suas mãos.

Mentalmente preparada? Para que?

Talvez ela se sentia estranha na frente de tal lugar?

Se tal lugar de classe alta tinha preços que eram muito altos para ele pagar, então é claro que Shikamaru ia desistir. Ele acharia uma vergonha, mas o faria. Mas jamais saberia sem entrar e verificar o lugar. Se sua decisão seria escolher este lugar ou outro, ele ainda tinha que olhar os quartos e fontes termais. Não havia nenhuma maneira de contornar isso. Era um problema se ele apenas olhasse as portas do lugar.

" Temari, por agora, vamos apenas entrar, e então você pode pensar sobre isso. Ok? "

" V-Vai ser tarde demais para pensar uma vez que entrar. Eu poderia me empolgar com a atmosfera, então... "

" O que você quer dizer?! "

Ele absolutamente não conseguia entender o que Temari estava dizendo. Shikamaru estava no limite de sua inteligência.

O que no mundo estava acontecendo? A atmosfera? Ela quis dizer a atmosfera antiga da pousada? Preparada? Empolgada? Ela estava falando sobre a lagoa? Ele não entendia nada.

No entanto, ele sabia de uma coisa: há definitivamente algo de errado com Temari hoje.

Shikamaru olhou atentamente para o rosto de Temari. Temari apressadamente desviou seu olhar. Quando fez, seu rosto foi ficando vermelho brilhante.

" Você... " Shikamaru disse lentamente. " Não me diga que você... "

Ele colocou a mão na testa de Temari. Ela soltou um som assustado, todo o seu corpo tremendo com um solavanco. Foi provavelmente porque sua mão estava fria.

" Você está queimando, não é? ", ele perguntou.

Testa de Temari estava um pouco quente. Mas, não se parecia com uma febre. Por outro lado, ela ficou vermelha até as orelhas.

" E-Eu estou indo para casa, então... ", ela disse com firmeza, e sem jeito se afastando para voltar.

Ela estava claramente agindo completamente diferente do habitual. Para a habitual animada Temari de repente ser tão frágil, tinha que se dizer que enquanto não pode ser uma febre, havia algo errado com sua saúde. Não havia outra explicação.

" Ei, ei, me faça um favor e espere. Já está escuro lá fora, e se sua condição física é ruim, então é mais uma razão que você deve descansar aqui por apenas uma noite. Está bem. Vou pegar rapidamente um futon para você. "

Shikamaru tinha dito isso porque estava preocupado com a Temari, mas parecia que ele tinha dito algo que não deveria, porque Temari de repente começou a correr para longe dele em plena potência.

Shikamaru olhou, estupefato, ao vê-la correndo em plena aceleração.

Bem, pelo menos ela parecia bem de saúde depois de tudo. Mas espere, ele tinha que alcançá-la!

Shikamaru começou a correr também.

Ele tinha finalmente sido capaz de chegar até aqui com ela, se eles voltassem, então teria sido em vão. Ele tinha absolutamente que obter conselhos de Temari sobre o que faria uma melhor viagem de lua de mel.

Afinal de contas, não era apenas para Naruto, era para Hinata também. Apenas o ponto de vista de um homem não seria o suficiente. Ele tinha que ter o ponto de vista de uma mulher. Ele tinha que ouvir a opinião do lado das mulheres sobre o spa, os yukatas, sobre o serviço prestado às mulheres, todos os tipos de coisas que um homem não poderia julgar por conta própria.

Shikamaru colocou a concentração total correndo atrás de Temari. Ele estendeu a mão para pegá-la.

Isso não vai funcionar se eu estiver sozinho, isso não vai dar certo só por mim...!

A mão de Shikamaru atingiu sua marca. Ele conseguiu pegar Temari pelo braço.

Apertando seu abraço, Shikamaru gritou: " Por favor, é só esperar! Eu preciso de você! "

Temari tinha forçosamente chegado a uma paragem, e agora olhava por cima do ombro para ele. Por alguma razão, seus olhos pareciam um pouco molhados.

Ambos estavam ofegantes, totalmente sem ar. A iluminação das lanternas nas proximidades iluminavam seus rostos ligeiramente, a sombra de Shikamaru caindo sobre Temari.

Talvez ela se acalmou, porque seu rosto não estava mais vermelho. Seu rosto, iluminado pela luz emitida pelos faróis, parecia mais maduro do que o habitual.

Shikamaru inconscientemente acabou olhando para o rosto de Temari. Ele estava envolto em um sentimento misterioso. Como se estivesse no meio de um sonho.

" Está realmente tudo bem... se eu...? " Temari perguntou calmamente.

Essas palavras puxaram Shikamaru abruptamente de volta para seus sentidos, e ele reuniu sua inteligência novamente. Ele balançou a cabeça com firmeza.

"Sim, não vai funcionar se você não estiver! " Ele disse seriamente, " Afinal, eu não posso entrar na área feminina das fontes termais! "

" ... Hã? ", por um breve momento, a mandíbula de Temari caiu. " Uhm...? O que você está dizendo...? "

Shikamaru estava perplexo com o olhar que ela estava dando a ele, como se de repente ela estivesse desconfiando dele. Foi uma reação estranha a sua resposta. Mas, por agora, era melhor verificar o que ambos estavam pensando.

" Não importa o que eu faça, não vou ser capaz de ir a área feminina das fontes termais, certo? "

" Obviamente! ", ela parecia um pouco indignada. " O que você está de repente... "

Ela estava bem ciente da situação, bom. Como esperado de Temari. Nesse caso, ele só tinha que explicar cuidadosamente o resto...

" Eu não posso ir para a área das mulheres. Desde que eu sou um homem. Então, eu preciso que você vá a área das mulheres. Desde que você pode entrar. Como você disse, e é óbvio. Quando você sair da área das mulheres, eu preciso que você me diga o estado em que está, apenas em poucas palavras. Isso é tudo o que é necessário. Ok? É uma coisa muito simples de fazer, certo? "

" O que exatamente... você está falando...? ", Temari perguntou, em uma voz incrivelmente calma.

Ela não estava olhando mais como se estivesse desconfiando dele. Agora seus olhos estavam simplesmente confusos.

O que foi tudo isso? Ele explicou de forma muito simples e clara, mas ela ainda não entendeu. Shikamaru não sabia como consertar isso.

O que no mundo Temari não compreendeu? Há minutos atrás ela concordou que ele não poderia ir para a área feminina das fontes termais...

" Para começar ", disse Temari. " O que, exatamente, nós estamos falando? "

Era a raiz? E pensar que todas as coisas que ele vinha dizendo não chegaram a ela...

" O que quer dizer com o quê? ", perguntou Shikamaru. " Nós estamos falando sobre a seleção de uma pousada para a lua de mel de um casamento, não é? "

" Exatamente, cujo casamento é de? "

" Naruto e Hinata, obviamente. Hein? Eu não disse isso? Isso é estranho... "

Parecia que eles tinham tido algum tipo de mal-entendido. O tempo todo, Temari estava pensando em um casamento diferente do de Naruto e Hinata. Shikamaru finalmente percebeu este fato neste momento.

Temari era de uma excelência superior a de outras pessoas. Ela iria ouvir o início de uma explicação, e imediatamente deduzir o resto. Ele não teria que dizer isso em voz alta para ela perceber que eles tiveram um mal-entendido, ela entendeu tão rapidamente quanto ele.

Então, era isso. Shikamaru pensou, finalmente entendendo. Tinha havido um mal-entendido.

Temari parecia ter compreendido também.

" Hmm, então era isso... ", disse Temari. Ela estava sorrindo, calma e em paz.

" Não, mas espere, então... Ah!! " Shikamaru, inadvertidamente, deixou escapar uma exclamação.

Era possível que o mal-entendido de Temari tinha sido....

" Não, não era? " Ele perguntou a ela. " Ei... não era isso... "

Quando ele perguntou, Temari silenciosamente tomou seu leque de suas costas, segurando-o na mão.

" E-Ei... o que é isso? ", ele perguntou. " Por que você está tomando de repente...? O-O que está acontecendo com o seu chakra... ?! "

Temari sorriu carinhosamente para ele.

Shikamaru foi cativado pela visão e encontrou um sorriso se formando em seu rosto também.

Sorrindo um para o outro como agora, parecia a própria imagem de um par de amantes íntimos.

Naquela noite em Konoha... Um súbito vendaval fora de temporada varreu as fontes termais de Konoha, e durou toda a noite. Os moradores e turistas passaram a noite inteira acordados, com muito medo de ir dormir...

~FIM~


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...