~MinaMaluka

MinaMaluka
Hitler Senpai
Nome: Rubia Miranda
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
Aniversário: 31 de Outubro
Idade: 66
Cadastro:

Explicação sobre ODEQMT


Postado

Venho aqui pedir a empatia de todos, então, por favor, sem comentários maldosos ou xingamentos, ok? Vou entender se ficarem indignados, mas peço que tentem entender o meu lado, preciso mesmo de um pouco de apoio agora, sim?

Bem, como puderam ver, esse jornal foi criado para explicar o que acontecerá com O dia em que me travesti. Ela será excluída, simples assim. "Ah, mas, Rubia, qual o motivo?" Bem, vou tentar explicar da melhor forma possível porque não quero deixá-los extremamente chateados ou raivosos por falta de argumentos plausíveis ou má explicação.

O meu primeiro motivo e um dos mais importantes, na verdade foi o que me fez ter a decisão definitiva sobre isso é o seguinte: estou insatisfeita totalmente com o conteúdo. A fic não era pra ser assim, pelo menos não no começo, e por uma falta de raciocínio e atualização de minha parte, acredito que perdi totalmente o controle de meus dedos. O que está seguindo por agora me deixa bem feliz, mas ali pelo meio foi a cagadinha que fiz.

Por demorar a atualizar eu acabava esquecendo diversas coisas. Tinha que voltar e reler tudo para me situar, às vezes acabando por ler mais de seis ou sete capítulos. Como eu tinha várias coisas pra fazer, ficava perdida e demorava a atualizar. Não pense que eu sou uma pessoa extremamente ocupada, não sou mesmo, mas uma das coisas que mais me chateia e aborrece é a minha preguiça. Eu tenho muita animação de escrever, mas ela não larga do meu pé mesmo sacudindo.

Meu segundo motivo é um meio chato, mas preciso: closes errados. Exatamente por não lembrar das coisas, acabava ficando mal com o resultado e com uma coisa na cabeça: será que as pessoas estão interpretando de modo errôneo? Será que eu não caguei ali? Será que estão confundindo minha personalidade com a do Lu Han? Será que ele não aceitou tal coisa muito rápido? Será que essa tal coisa que eu tanto critico eu possa ter reproduzido ela sem pensar? Será que consegui explicar direito minha ideia?

Todas essas perguntas me assombravam e martelavam na minha cabeça dia e noite. Eu olhava pro meu word e ficava imaginando que se eu tivesse escrito tudo de uma vez ficaria feliz com o resultado. Tudo se resumia somente aos porquês, serás e ses, os demônios de toda pessoa insegura.

Falando assim, parece que eu sou uma pessoa que passa o dia inteiro no buraco por estar com vergonha de tudo que faço. Não, eu não sou nem um pouco assim. Eu sou muito confiante com a minha escrita (tanto que sou beta) e não deixo nada me abalar quando alguém vem discutir comigo sobre coisas que gosto e posso debater por horas. Por isso que fiquei tão triste por perceber que estava me deixando balançar por essa fanfic, algo que não acontece comigo.

Terceiro e último motivo: projetos novos e confiantes e provas trimestrais. Bem, eu não sei se já contei, mas eu traduzo fanfics também, sendo essas em inglês ou espanhol. Estou com exatos quarenta plots pra escrever, participando de um projeto de OS mensal e traduzindo uma fic em espanhol, além de vez em quando betar algumas fics (tenho alguns autores fixos, outros pedem de vez em quando) e fazer algumas capas.

As provas estão me consumindo, amanhã mesmo tenho um teste de física. Na segunda eu fui fazer meu teste de matemática e o professor dividiu em duas partes, já que eram dez questões e ele tinha um tempo antes e depois do intervalo. Ele deu a primeira parte, só que, para mim, ela tava muito difícil, mesmo que eu soubesse que podia acertar quatro daquelas cinco com um pouco mais de concentração.

O problema foi que a sala inteira ficou falando e o professor nem ligou. Fiz as duas primeiras questões com confiança e deixei as últimas três pra o final, porque precisava pensar e fazer umas contas pra ter uma certeza. Antes que pudesse virar a folha, o sinal tocou e ele começou a recolher. O meu professor tinha atrasado pra distribuir porque chegou atrasado na classe e encheram o saco dele, então o tempo que deveria ser de 50 minutos, passou pra 30.

Nem eu e nem minha amiga conseguimos terminar a tempo a primeira parte. Fui tentar resolver com a coordenadora, mas ela disse que estava me antecipando muito e que esperaria saber o que meu professor faria no segundo tempo. Esperei quase chorando, mas esperei. Chegou a segunda parte e fiz em nem dez minutos, estava totalmente fácil. Minha amiga começou a chorar no meio da prova e desistiu, entregou uma questão.

Ela foi falar com a coordenadora e a mesma finalmente entendeu o caso, mas era tarde demais. O meu professor tinha ido embora antes que ela pudesse conversar com ele, deixando nós duas arrasadas. Minha mãe até mesmo ligou pro colégio reclamar. O resultado disso tudo eu só terei na segunda feira, quando for a aula do meu professor de matemática.

Sinceramente, que eu não comesse pra fazer aquela prova. Poderia passar o intervalo inteiro numa sala com alguém me supervisionando e, mesmo se eu não conseguisse achar as respostas, eu ia entender que a culpa foi totalmente minha, mas não foi. O pior disso tudo é que matemática é minha pior matéria e estou com sete cravado. Não posso ficar de recuperação no final do ano, a única solução é me matar pra estudar pra prova.

Ah, um adendo: no domingo, um dia antes desse teste ridículo, eu tinha feito a prova pro CAP UFRJ. Quem não mora no Rio, vou explicar direitinho: o CAP UFRJ é o colégio de aplicação da UFRJ, uma das melhores universidades daqui. Você só pode entrar por concurso, competindo com 1.800 pessoas por trinta vagas, isso só para quem vai entrar pro sexto do fundamental ou primeiro do ensino médio.

A UFRJ é muito longe de onde eu moro, então tive que pegar carona com uma garota que nem conhecia e mais uma amiga minha. Ficamos esperando por uma hora até abrirem os portões e resolvemos ficar lá fora por meia hora, porque a prova só começava às 9:00. Entrei 8:30 e fui para minha sala, uma das únicas que não tinham ar-condicionado. Meu estômago revirava e minha única vontade era fazer logo e voltar pra casa.

Tentei fazer a de português primeiro, mas fiquei com preguiça (olha ela aqui de novo) e comecei pela de matemática. Eu nunca me senti tão inútil na minha vida. Eu olhei para aquela prova ridícula com nove questões ridículas e pensei: eu sou uma merda. Eu esqueci como se calculava seno, cosseno e tangente. Eu esqueci como se aplicava Bhaskara. Eu esqueci sistema. Eu esqueci como se resolvia milhares de coisas.

Branco era o que me definia. Suor. Desespero. Fiz toda a prova de português, entendi todas as questões e entreguei 11 e pouca, com quase metade da prova de matemática em branco. Saí com dor de cabeça e uma dor estranha no peito, querendo somente voltar pra casa.

Então, na segunda que fiz aquele maldito teste de matemática, aquela prova do CAP ainda tava na minha cabeça. Senti tudo novamente, mas com uma pontada a mais por estar sendo privada de fazer algo que eu precisava. Eu PRECISO de nota em matemática.

Bem, com esses três motivos que dei, espero que tenham me entendido, mesmo que não concordem. Se eu voltarei a escrevê-la? Bem, existe chance sim, mas não criem muitas esperanças, ok? Eu gosto muito desse plot para abandoná-lo, mas talvez outros que tenho guardado mereçam uma atenção maior.

Não pensem que isso é fácil pra mim, já que essa é a segunda vez que eu excluo uma fanfic minha nesse site. A primeira foi por falta de criatividade e má desempenho na escrita, mas essa não tem nada a ver com isso que falei, por isso me dói muito mais. Eu gosto muito, MUITO mesmo dessa fanfic e de todos vocês, leitores lindos que me acompanham. Só que, sério, não me sinto bem continuando desse jeito.

Vou atualizar Baekhyun Go em breve e postarei uma OS que fiz, mas peso em dizer que, amanhã, uma atualização quentinha de ODEQMT não estará aqui. Vocês podem me seguir para quando eu talvez voltar com ela ou acabarem se interessando por outras fics que postarei, mas por favor, não desistam de mim.

Não desistam de pedirem por essa fic. Não desistam de minha clara insatisfação com as coisas que faço. Não desistam de acreditarem em mim. Por favor, não desistam, porque a insistência de vocês é algo que todo autor aprecia e se emociona, mostra que existe algum carinho por parte de vocês, meus sóis.

Eu não sou assim, melancólica, mas todos nós passamos por momentos chatos, não? Esse é um desses, então desculpa se estou muito diferente do que você costuma me ver. Passei por algumas coisas agora há pouco e ainda estou me recuperando, desculpa por não citar esse tipo de coisa, mas é porque é algo bem pessoal e que eu nunca contei a ninguém.

Bom, deixarei os links das minhas outras fics aqui caso se interessem. Obrigada por ler até o final e ser essa ótima pessoa (espero).

Eu amo vocês.

Baekhyun Go! : https://spiritfanfics.com/historia/baekhyun-go-6234898
Operação Cupido Gay! (GOT7) : https://spiritfanfics.com/historia/operacao-cupido-gay-6763594
Revolucionando A Escola (tradução) : https://www.wattpad.com/story/81351474-revolucionando-a-escola-pt-br
PS: Ela é postada pela minha parceira do projeto porque não se pode ter co-autor no WattPad
Revolucionando La Escuela (fanfic original) : https://www.wattpad.com/story/75091076-revolucionando-la-escuela-kaisoo


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...