~MissMalu

MissMalu
Malu
Nome: Malu Burlamaqui
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Brasilia, Distrito Federal, Brasil
Aniversário: 18 de Março
Cadastro:

Ficha - O Internato Helmmy Walker


Postado

Ficha - O Internato Helmmy Walker

IHW

Ficha:

<Nome:
Freya

>Sobrenome:
D’Angeles

<Apelido:
Não possui.

>Idade:
Aparenta ter 17, mas em realidade tem 473.

<Orientação sexual:
Heterosexual

>Nome do ator/atriz/cantor/cantora/personagem utilizado:
Phoebe Tonkin

<Aparência:

Dona de lindos cabelos castanhos, com leves ondas, e de tamanho mediano. Tem uma pele bronzeada, olhos verdes como uma esmeralda, e um rosto fino e delicado. Seu nariz é arrebitado, seus lábios um pouco carnudos e avermelhados, e seus olhos grandes. Tem um corpo magro mas que possui belas curvas. Mede 1, 65 de altura.







Gif







>Personalidade:

Garota serena, leve, com jeitinho de mulher. Pode agir como se fosse toda independente e não precisasse da ajuda de ninguém, mas lá no fundo todos sabem que é somente seu orgulho falando mais alto. Distribui sorrisos sinceros e alegria por onde passa. Tem um andar sexy, um olhar misterioso, e uma confiança de dar inveja. Mas para aqueles que a conhecem bem, sabem que tudo isso não passa de uma fachada. Se ela tivesse que escolher entre ir ao um restaurante chique, ou comer pizza em casa enquanto vê Netflix, pode ter certeza que a segunda opção ganharia de lavada. Para ela não existe nada melhor do que aproveitar a vida com simplicidade.

Menina impulsiva, que age sem pensar nas consequências de seus atos. Mas não faz isso por mal, ela só não consegue si conter. Vai tentar aproveitar a vida em seus mínimos detalhes. Se molhar na chuva, corre pela areia sentindo a brisa do vento em seu rosto, não importa onde ou o que for, ela tentará aproveitar até os últimos segundos. Corajosa e aventureira não tem medo de se arriscar, em realidade isso só faz com que ela se sinta cada vez mais e mais viva. Para ela o medo é somente um obstáculo na vida das pessoas que pode ser ultrapassado. Positiva ela nunca perde as esperanças, acredita que há sempre uma saída, até nos momentos mais difíceis.

Sincera, ela não tem medo de demonstrar suas emoções. Se ela estiver triste ela irá chorar, se estiver brava irá gritar, e se estiver feliz irá comemorar. Para ela não existe vergonha em demonstrar ao mundo o que você realmente é. Não vá achando que só porque ela tem um jeito mais simples de ser que ela é inocente. Freya já viveu tempo demais para que as pessoas conseguissem passar a perna nela. É sábia e terá sempre um conselho da vida para dar, às vezes parece até que ela já viveu uma eternidade (o que é quase verdade).

Como qualquer pessoa ela também tem seus defeitos, é teimosa e cabeça dura, e não há quem a faça mudar de opinião. Às vezes pode ser meio imprudente, arriscando sua vida desnecessariamente. Sua sinceridade muitas vezes também pode machucar, mas aprendeu com o tempo que é bem melhor contar a verdade do que sofrer depois com uma mentira.

Freya vive o momento, sem pensar no amanhã. Dorme com estranhos sem nem lembrar qual era o nome deles no dia seguinte. Faz amizade até com o padeiro. Ela não se importa com os rótulos que as pessoas dão a ela, sendo que ela esteja feliz consigo mesma.


<Como trata os íntimos:

Amiga fiel e leal, que estará ao lado daqueles com quem se importa a todas as horas. Se estiver sofrendo, ela guardará as suas lágrimas só para secar a de seus amigos. Demonstra ser confiante mesmo nas horas mais difíceis, mas muitas vezes ela não tem a mínima ideia do que está fazendo, e tenta manter a calma somente para tranquilizar os demais, mesmo que esteja apavorada por dentro.

Quando está apaixonada ela se entrega de cabeça, de corpo e alma. Sua impulsividade é tanta que ela não pensa nas consequências. Muitas vezes pode sair com seu coração machucado, mas já teve tantas decepções amorosas em sua vida que já faz tempo que ela não se apaixona de verdade.


>Como trata os estranhos e/ou conhecidos:

Trata a todos como gostaria de ser tratada, sendo sempre simpática até mesmo com aqueles que ela nunca viu na vida, mas não permite que ninguém a trate como inferior. Se quiser buscar alguém para fazer de piadinha é melhor buscar em outro canto. Freya é macaca velha, e já conhece muito sobre os humanos e seres sobrenaturais para saber como eles se comportam e quais são suas fraquezas. Se forem legais com ela será recíproca, mas se a tratarem mal ela irá tratar mil vezes pior.

Ela não julga as pessoas de primeira, pois também odeia ser julgada. Às vezes as pessoas só estão passando por momentos difíceis. Tenta ajudar a todos que quiserem sua ajuda.


<Frase de efeito:
Abra os olhos, olhe a sua volta. O mundo não é só direita, esquerda, certo, errado, bom ou mau. Existe o meio termo também.

>Espécie:
Bruxa

<Sangue puro? Ou sangue ruim?

>Sangue direto? Bolsa de sangue? Ou de animal?

<História:

Freya D’ Angeles nasceu em uma noite chuvosa na Escócia no ano de 1543. Filha de uma das muitas criadas do rei Anne Marie D’ Angeles, e de um dos cavalheiros do rei que nunca quis assumir Freya como filha. A época em que a pequena D’Angeles nasceu não poderia ter sido pior. Mulheres eram mortas injustamente por serem acusadas de bruxaria, qualquer suspeita que eles tinham era morte na certa. Anne Marie, a mãe de Freya, era uma bruxa. Mas sempre escondeu qualquer suspeita que pudesse provar isso. Por trabalhar para o próprio rei, era mais fácil para ela se esconder.

E como não podia ser diferente, Freya também nasceu com poderes. Quando pequena, a menina gostava de criar pequenas chamas com suas mãozinhas, mas sua mãe dizia que aquilo era muito arriscado, e que ela deveria esconder seus poderes. Freya então só os usava quando estava sozinha em seu quarto, e tinha a total certeza que ninguém estava olhando. Ela gostava de praticar poderes de cura com animais machucados, levitar as coisas, e claro, fazer suas pequenas chamas flutuarem. Com quinze anos ela já era basicamente uma mulher formada, e foi então que ela fez o pior erros de sua vida, se apaixonou pelo filho do rei.

Príncipe Henrique diferente de seu pai era um homem bom e altruísta, demonstrava verdadeira preocupação pelo seu povo, bem diferente de seu pai que tudo o que via era a ganância. Talvez tenha sido isso com que fez que Freya se interessasse tanto no futuro rei. Os dois se conheceram no jardim do castelo, e para aquela época podemos dizer que foi um amor à primeira vista. Mas o romance deles não era bem visto aos olhos do rei, que após um ano de “namoro” deles mandou que Freya fosse considerada uma bruxa e que fosse mandada para a fogueira. Sua mãe desesperada lançou um feitiço em Freya que mudaria sua vida pela eternidade. Ela fez com que Freya tivesse 17 vidas, assim como a idade em que era para ela ter morrido, e Freya não poderia ser morta até que suas 17 vidas acabassem. Os soldados crentes que tinham matado a menina, deram seu corpo todo queimado para sua mãe para que ela pudesse fazer um enterro. Mas naquele mesmo dia Freya renasceu das cinzas como uma Fênix, e deis daquele momento ela vivia escondida em segredo. Ela não mais envelhecia. Viu sua mãe morrer, e viveu fugindo até que pudesse ser livre novamente.

Ela viu o mundo mudar, o tempo passar, a tecnologia nascer. Das suas 17 vidas hoje restam 12. Já passou por tempos obscuros onde o mal prevaleceu sobre ela, e tudo o que ela pensava era em vingança e poder. Hoje ela é uma pessoa nova, para alguém que já viveu tanto tempo ela sabe que o mal ou o bem sempre estarão dentro das pessoas, mas é somente você que decide em qual lado ficar.

Já estuda no internato já faz alguns anos. Ela se lembra muito bem de como entrou naquele local. Quando ficou sabendo sobre o internato foi diretamente pelo diretor. Ela vivia como uma humana normal, já tinha ate um emprego temporário e uma casa onde morava. Usava seus poderes de vez em quando, mas não gostava muito de chamar a atenção. Fazia pouco tempo que ela tinha perdido uma de suas vidas ao ser atropelada por um carro. O garoto que dirigia o carro havia ficado assustado pensando que a havia matado (o que ele realmente tinha feito), mas quando a ambulância chegou para prestar socorro Freya já estava viva novamente. Ela levantou, passou a mão na sua roupa, e olhou para os lados para entender o que estava acontecendo, até que ela lembrou que tinha sido atropelada (e ficou se achando muito burra por ter perdido uma de suas vidas de uma forma tão banal). Ela conseguiu convencer os paramédicos de que estava bem, mas o menino por outro lado não estava nada convencido. Na tarde daquele mesmo dia o diretor chegou em seu trabalho (o qual era um café na esquina no qual ela trabalhava de atendente), e a convidou para ir para esse internato. Ela aceitou de prontidão, não tinha nada a perde mesmo.


>Gosta:

Frio
Cachorros.
Tocar piano.
Filmes antigos.
Olhar as estrelas de noite.
Sentir a brisa serena do vento.
Músicas do estilo indie, folk e alternativo.
Escrever poemas, letras de músicas, e contos.


<Não gosta:

Calor.
Gatos.
Corvos.
Racismo.
Preconceito.
Frutos do Mar.
Lugares Fechados.
Comidas muito temperadas.
Pessoas mesquinhas, e arrogantes.


>Medo/Fobia/Trauma:

Corvos, ratos, baratas.
Não têm fobias ou traumas.


<Costumes/Hábitos/Manias:

Morder o lábio inferior. Faz este gesto tantas vezes que já é algo automático dela.
Morder o dedo polegar da mão esquerda quando está pensando.
E quando pensa demais ela faz um biquinho.
Quando mente ela levanta as sobrancelhas.


>Mataria por diversão:
Não.

<Mataria por alguém ou por si mesmo:
Sim, principalmente se tivesse que defender a própria vida ou a de alguém.

>Algo mais:
Acredito que não, desculpe os erros.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...