Friheten


Postado

Reinos


Reino de Frinten:



Localiza-se numa área temperada, com invernos rigorosos e ligeiramente mais longos que nos outros reinos. Quem o governa é o Rei Jovan (Pronuncia-se Iovan), um senhor de 56 anos que não permite que nada aconteça com seu reino, e a Rainha Jolmin, de 49 anos, que se preocupa em demasia com seu filho. Durante o reinado de Courai, pai do rei Jovan, os selvagens eram quietos, e não representavam nenhum perigo.
Atualmente, Frinten é um reino com poucos aliados e quase nenhum inimigo além dos selvagens. Eles se mantém neutros em muitas questões, e sua tecnologia é uma das mais desenvolvidas do continente. Grande parte da população é pobre, sem educação nem nada, e trabalha em minas ou com artezanato. A outra parte da população é de classe média alta, que tem mais acesso à educação, e por fim, há a nobreza, que é formada com pessoas que conseguiram um título de honra diretamente do rei e seus antecesores.
A magia é presente no reino, mas não é muito comum e nem muito utilizada, apesar do rei querer mudar isso para a melhoria da defesa das fronteiras.

Classes:
Nobreza - Tem um poder de escolha bem grande, muito acesso a educação e geralmente tem vários servas e servos para cada membro dessa classe. Podem escolher fazer o que bem entender, mas as ações das pessoas pintam o nome da família, por isso são sempre instruídos a seguir regras.

Cavaleiros - São compostos principalmente por homens, sendo bem raro uma mulher entrar para esta classe. Formam o exército que protege as cidades, e são sempre respeitados por honra e nome. Eles geralmente tem muito acesso a armas e fazem qualquer coisa com elas (que não prejudique a cidade).
Não há doentes, paraplégicos, albinos ou qualquer outra pessoa com esse tipo de "defeito" nessa classe.

Plebe - É o povo, as pessoas que vivem de trabalho, ganhando pouco. Numa família, todos devem trabalhar, senão não se sustentam e morrem. Não têm acesso a educação e são ou humildes ou ladrões. Poucas vezes têm direitos e mal sabem como ler ou escrever.

Selvagens - São as pessoas que por algum motivo desejam atacar o reino, e se alegam merecedoras do trono.

Religião: politeísta, sendo 3 deuses importantes; Kassar, Ummar e Yollo
Kassar: deusa da paz, tranquilidade, harmonia, felicidade, medicina, satisfação (coisas do tipo). É retradada como uma mulher de cabelos, pele e olhos prateados, que veste uma manta branca. Quando rezam chamando por ela, buscam soluções para conflitos no geral.
Ummar: é o deus da agricultura, fertilidade, família, trabalho, em geral. Quando rezam para ele, rezam por sorte, por força de vontade e bons resultados de trabalho. É retradado como um velho de cabelos já brancos, olhos castanhos e sempre usando um martelo, com vestes simples.
Yollo: deus da guerra, luta, coragem, conquista, glória, batalhas. É retradado como um guerreiro vestindo uma armadura de bronze e ferro, sempre carregando uma espada de aço. Rezam por ele quando querem coragem, vitórias, e principalmente, por morte de um inimigo.
Quanto aos tabus: não se pode se relacionar com um membro da família, animais ou alguém de classe mais baixa. nem quebrar os votos que se faz. Ou seja; divórcio, por exemplo, seria repugnado, assim como incesto. Não existe vida-pós-morte, mas reencarnação é acreditada (tipo, aqueles que foram muito, muito bons são reencarnados). Se a população descobrisse que alguém cometeu algum desses tabus, esse alguém seria queimado numa fogueira.

Há algumas lendas:
1- Lenda das Maldições: é dito que muito tempo atrás, existiam outros deuses, que exerciam outras funções. Mas esses deuses foram "morrendo" e deixando para trás os objetos amaldiçoados ou abençoados. Assim, quem perturba os deuses mortos sofre a punição.

2- Lenda do Homem-Gelo: um homem, muito tempo atrás, perdeu-se numa nevasca e escondeu-se numa caverna. Nessa caverna, encontrou algo, e tornou-se mau por conta desse algo. Tudo que tocava se transformava em gelo e quebrava, e ele matou muitas pessoas numa vila com isso.
(Essa segunda lenda já é desacreditada).

Aparência comum: olhos claros, cabelos escuros, pele pálida ou bronzeada.



Reino de Sollia



Até pouco tempo atrás, este reino era considerado inferior e desprezado. Nos últimos anos, a rainha Saimireh conseguiu aumentar a posição de seu reino e atualmente, é o reino com maior poder militar de todos os continentes. A cultura e religiosidade lá é forte, levada extremamente a sério, e a população é igual, sempre bem-tratada.
Localiza-se no deserto, perto de um rio, e a maior parte da população é negra. Por lá a vegetação é escassa, mas há vários animais raros como pequenos dragões e escorpiões da lua. A magia por lá é super comum, sendo usada em situações do cotidiano.
Não há mais conflitos internos ou externos, esse país apenas quer formar alianças para conseguir melhorar seus recursos, que são mais escassos na vegetação.

Classes:
Monarcas - Apenas os que governam o reino.
Povo - Todos que não têm poder político. Se são ou não educados, depende do trabalho que escolhem.

Religião: Monoteísta.
O Deus é considerado senhor de tudo, e se expressa por meio da natureza e de como as coisas acontecem. A reza é feita, geralmente, coletivamente, formando uma grande roda e cada pessoa indo para o centro, pedindo uma coisa de cada vez, e agradecendo a tudo que tem. Existem mais tabus aqui; homossexualismo, incesto, zoofilia, necrofilia, uso de magia dos mortos, uso de magia divina, negação do Deus, e muito egoísmo (sim, essas últimas coisas são levadas a sério).
Acreditam que todas as almas vão para a água depois de saírem dos corpos, dando vida a essa água e mantendo o deserto vivo.

1- Lenda de Deus: Deus é a água, é dito. Que antes o mundo era um deserto gigante, sem nenhum ser vivo, mas a água chegara trazendo consigo a vida e assim, o ser humano surgiu, adorando a água e vivendo por conta dela. Também é dito que algum dia toda a água iria evaporar e o ser humano se mudaria para o céu.

Aparência comum: pele negra, estatura alta.

Reino de Isten



Esse reino é extremamente poderoso. Ninguém consegue invadí-lo, e ainda por cima, é difícil localizá-lo. Há nevascas durante quase todo o ano, e a população é pequena, mas todos vivem em boas condições. A maioria da população tem poderes, e raramente armas são usadas no país, sendo principalmente magia o meio de defesa.
O lugar é considerado amaldiçoado, pois parece que quase ninguém de fora consegue sobreviver lá dentro, e é dito que espíritos e fantasmas assombram a noite de lá. Se é verdade ou não, não se sabe. Mas nenhum reino deseja conquistar aquele território, nem ter esse reino como inimigo.
Quem o governa é o Rei Sneef, que poucos veem. Esse rei governa seu país com mão de ferro, e não deixa nenhum crime passar impune. Corta-se a mão de quem rouba, mata-se quem mata. Ninguém do povo o desafia.

Classes:
Nobreza - Parentes dos monarcas, são governantes de pequenas cidades e julgam casos pequenos demais para a atenção do rei.
Permiros - São defensores e exploradores. Eles protegem o reino de ataques e procuram por recursos presentes pelo território. Geralmente quem faz esse trabalho são bastardos ou pessoas velhas demais.
Pleve - Povo. Quem faz a maior parte dos serviços internos do país e mantém tudo em ordem. Eles geralmente são alfabetizados, graças à lei que a antiga rainha, mãe de Sneef, criara.

Religião: Politeísta, mesmos deuses de Frinten.
Aparência geral: muito pálidos, com cabelos volumosos e claros, pouca melanina. Alguns poucos são ruivos, e são adorados pelo resto.


Reino de Jinmo



É o país mais amigável de todos. Quem o governa é o rei Shafin, que sempre faz alianças com países vizinhos. O poder militar dele é ridículo, com poucos e mal-treinados soldados, sendo um dos motivos pelo o qual há muitos crimes cometidos pelas ruas. O mercado é movido a base da agricultura e pecuária, sendo as principais atividades realizadas por esse país.
Jinmo é localizado numa área montanhosa, sendo seu castelo no topo de uma montanha. O verão é comprido e a época de maior alegria para a população. As diferenças entre classes sociais nesse país são óbvias, tanto que já se faz piada sobre isso nas classes mais altas.

Classes:
Perimos - Os ricos. Controlam o comércio, são parentes distantes do rei. Tem educação, terras, poder judicial, quase tudo em suas mãos, somente respeitando uma ordem expressa do rei.

Seiras - São os guardas, que patrulham a cidade. Nada fazem, na verdade. Apenas ganham privilégios e fingem vigiar a cidade, prendendo pessoas erradas e rindo dos crimes de ladrões e assassinos.

Coroe - Os pobres. Grande parte da população; aqueles que trabalham sem férias, dias seguidos, e ainda assim não ganham uma boa renda. Não tem educação nem direitos, tem de abaixar a cabeça diante de todos, como se fossem inferiores, e qualquer contradição é tomada como desrespeito e cortam a cabeça de quem a fez.

Magia


Na maioria das situações, as pessoas nascem com afinidade numa só magia. Dependendo do lugar, ela pode ou não ser bem aceita.

Magia Física - Envolve movimentação a distância, aumento de força física.

Magia Mental - Envolve habilidades mentais, como ilusões e loucura.

Magia Local - Envolve teletransporte de materiais.

Magia Elementar - Envolve controle de elementos, sendo a terra o mais comum e a água o mais raro.

Magia Divina - Ninguém nasce com ela, e é encontrada em objetos considerados amaldiçoados ou abençoados. Concebe um poder que o usuário deseja, e em troca, algo de horrível pode acontecer com ele. Esses artefatos são estupidamente raros e só um desesperado usaria-os.

Magia dos Mortos - Quem a controla consegue acordar os mortos e controlá-los a sua vontade, podendo criar um exército de mortos-vivos. Essa magia é temida e rara, sendo seus usuários normalmente assassinados numa fogueira.



Extra: o personagem pode ser um selvagem. Se leu tudo, escreva uma frase aleatória na ficha.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...