• Desejos Pecadores •


Postado




Mostrar Spoiler:


私は逆巻麗化です。よろしく!



ησмє
麗化 逆巻
(れいか さかまき)
Reika Sakamaki

Seu nome, Reika, foi dado à si por ninguém menos do que seu pai, e é composto por kanjis que, unidos, significam "Bela flor".



αρєłı∂σs
Rei-chan, Uruha¹, Hana² e Ohime-chan³.

¹ O primeiro kanji de seu nome () pode ser lido tanto como "Rei" quanto como "Uruha". Seu pai costumava chamá-la desta forma, então ela detesta tal apelido, porém acostumou-se com ele. Laito e algumas de suas irmãs de vez em quando abreviam esse apelido, chamando ela apenas de Uru-chan ou de U-sama.
² É a forma como o segundo kanji de seu nome () é lido, e significa "Flor". Só uma pessoa a chama assim, e esta pessoa é certo Mukami de voz sexy. (Ruki)
³ Significa. literalmente, "Princesinha". Apenas uma pessoa lhe chama desta forma. (Laito)



ı∂α∂є
16 anos



∂αтα ∂є ηαscıмєηтσ
Não se sabe o ano exato, apenas o dia e o mês: 14 de dezembro.



sıgησ
Capricórnio



тıρσ sαηgυíηєσ
O- (O Negativo)



αραяêηcıα










Reika, que mede exatos 1,56 m de altura e pesa 49 kg, possui uma aparência delicada, frágil e meiga, e somando-se isso às roupas no estilo vitoriano que ela costuma usar a fazem parecer uma live doll perfeita.
Seus cabelos lisos possuem um tom acinzentado e, quando soltos, lhe caem até a metade de suas costas em um corte degradê, porém ela sempre os usa perfeitamente penteados na forma de dois rabos de cavalo laterais, as pontas modeladas formando dois cachos grossos, um em cada lado de sua cabeça.
Seu rosto, dono de traços bonitos e bem desenhados, é composto por um par de olhos grandes e arredondados, emoldurados por cílios longos e espessos com belas orbes de cor vermelho sangue, que por acaso são idênticas às de seu pai, seu nariz é pequeno e levemente arrebitado, as bochechas são suavemente proeminentes e a boca é pequena de lábios pálidos em formato de coração que escondem seus dentes pequeninos, brancos e bem alinhados, e claro, suas presas.
Seu corpo, apesar de ser magro, esguio e desprovido de músculos, é muito belo, possui medidas impecáveis e curvas muito bem delineadas por espartilhos e corsets, seus seios pequenos, porém firmes e redondinhos com atraentes mamilos rosados, sua barriga é chapada, a cintura é bem fina, os quadris levemente largos, seu bumbum modesto, as coxas são levemente fartas e as pernas são muito bem torneadas, com mãos e pés que acompanham toda a delicadeza de sua estrutura.
E não dá para deixar de notar a beleza de sua pele, tão branca que chega ser translúcida em alguns pontos, tão macia quanto as pétalas de uma flor, totalmente livre de qualquer imperfeição e dona de um cheirinho característico que mistura os aromas de rosas e morangos, o que, apesar de parecer uma combinação enjoativa, é muito agradável ao olfato de todos que se aproximam da pequena.




ρєяsσηαłı∂α∂є
À julgar pela aparência e pela linhagem a qual pertence, Reika Sakamaki parece ser uma garota fria, prepotente, arrogante e que se acha muito melhor do que qualquer ser respirante, tal como seus progenitores e irmãos, porém é como dizem, “não julgue o livro pela capa”, pois a única coisa que ela compartilha com eles é o fato de ser uma vampira, pois os adjetivos que melhor a definem são: maluquinha, impulsiva, imprevisível e geniosa.
Ela é o tipo de pessoa que vive cada momento de sua vida intensamente e que faz todas as coisas do seu jeito e à seu tempo, sem se preocupar com o resultado de suas ações ou com o que outras pessoas irão pensar de si.
É muito sincera e honesta em relação ao que pensa e ao que sente, portanto faz e fala tudo o que tem vontade e o que ela acha que é o certo à ser dito ou feito, e com Reika não há meia verdade ou coisas não ditas, pois ela é direta, curta e grossa, e não dá a mínima para opiniões alheias ou se suas falas e ações irão irritar ou incomodar alguém.
Porém não se engane, pois apesar de passar essa imagem despreocupada, desinteressada e elétrica, a albina é muito perspicaz, observadora e inteligente, e se a situação exigir, ela saberá se mostrar decidida, objetiva e persistente, ainda mais quando se trata de sua liberdade de expressão, de seu ponto de vista e de seus objetivos, até por que na verdade, atrás de seu jeito ousado e non sense de ser, ela esconde uma verdadeira estrategista, que infelizmente herdou certa quantia de egoísmo da mãe e certo dom para manipular do pai, além disso, ela também esconde um lado que não gosta de demonstrar para ninguém, mas que está bem ali, diante de qualquer um que queira enxergar.
Ela sorri como se sempre estivesse feliz, age como se não se importasse com nada e não se importa e vive de forma livre, sem aparentes medos, porém essa é a forma que ela encontrou para manter a própria estabilidade e não ceder aos mesmos sentimentos e desejos absurdos que levaram seus pais à serem o que são, ou seja, ela é extremamente frágil, a ponto de se magoar por coisas bobas como uma mentira, mas ela não demonstra; Se há outra coisa em que Reika se assemelha à seu pai, é seu enorme orgulho, e este não deixa com que ela demonstre sua fraqueza.
Ah, aliás, é verdade que sinceridade e impulsividade são seus fortes, porém ela sabe se calar e mascarar seus sentimentos quando assim lhe convém, mas é fácil de notar quando ela faz isso, afinal ela sempre fica mais quieta do que o normal, seu sorriso perde o brilho e seus olhos, que sempre carregam um tom vermelho vibrante, se tornam obscuros, como sangue seco.
Mas voltando aos seus momentos normais, geralmente ela é comunicativa, extrovertida e descontraída, adora atrair a atenção de todos para si, coisa que acontece quase naturalmente por causa de seu charme e carisma, e Reika também ama fazer brincadeiras e provocações para animar o ambiente em que está, é educada, gentil e atenciosa à seu modo, porém esse tratamento não é para todos, já que por ser muito perfeccionista, intuitiva e seletiva, ela analisa todos que se aproximam de si com apenas um olhar, e é simplesmente fria, hostil e sarcástica com aqueles com quem seu gênio não se bate.
Sua personalidade também depende bastante de seu humor, então se ela estiver de bom humor, tudo ocorrerá nas mil maravilhas e ela será quase um doce de pessoa, mas se estiver de mal humor, siga meu conselho e fique o mais distante dela o possível, pois nunca se sabe quando um dardo irá voar diretamente em sua direção, tendo como alvo sua cabeça.
Entretanto, mesmo sendo uma pessoa que dificilmente faz amizades por sempre desconfiar de desconhecidos, quando realmente gosta de uma pessoa, Reika se apega com muita facilidade e tende à se comportar como uma mãe para tal pessoa, sempre preocupando-se e tomando as dores e problemas desse ser para si mesma, e tal como uma criança com seu primeiro e único melhor amigo, ela é carinhosa, superprotetora e não mede esforços para fazer aquela pessoa sorrir, coisa que é meio inesperada vinda de si, mas que acontece de forma natural, pois se tem algo que ela detesta é fingir.
E apesar de ter um rostinho de criança, ela é muito pervertida e não tem vergonha alguma de admitir isso, muito pelo contrário, Reika adora fazer provocações de teor malicioso, diz coisas em duplo sentido de propósito e gosta de usar roupas que destacam ainda mais seus atributos físicos, tudo no intuito de ser atraente aos olhos de quem lhe interessa, porém boa parte do que ela faz é inconsciente, como por exemplo lamber lentamente a ponta dos dedos ou umedecer e morder os lábios enquanto encara alguém fixamente.
Em resumo, mesmo que ela sempre se mostre positiva e inabalável, Reika possui um lado frágil e sensível, quase humano, e apesar de ter uma personalidade forte, imprevisível e meio sexy, ela ainda conserva certa ingenuidade e infantilidade. Não confia facilmente em alguém e ninguém é capaz de enganar seus olhos, porém é certo que ela se deixa levar facilmente por aparências como a romântica e idealista que é, apesar de não admitir.




нısтóяıα
Reika é a quarta filha de Cordélia e KarlHeinz, nascida apenas um ano após que os trigêmeos.
Cordélia, ao engravidar, esperava que fosse um garoto, e em sua mente ambiciosa ela já planejava que este seria aquele que lhe encheria de orgulho, já que nenhum dos trigêmeos chamava a atenção de Karl quanto o primogênito de Beatrix, a segunda esposa do vampiro, mas todos seus planos foram frustrados quando ela soube que esperava por uma garota.
Seu interesse pela criança morreu junto com tudo o que ela planejava, e tudo o que ela sentia em relação ao pequeno ser que se formava em seu ventre era algo que beirava o ódio, já que ela não precisava de outra pessoa com quem competir pela atenção de Karl, e ela realmente quis abortar, mas Karl não permitiu tal coisa, não por amor, mas por já começar a planejar um futuro para aquela garota que nem sequer tinha terminado de se formar.
Quando Reika nasceu, sua mãe não se deu sequer ao luxo de olhar para ela, apenas ordenou que a empregada à entregasse nas mãos de Karl, e ele simplesmente saiu da mansão com a criança nos braços, a levando para um lugar que é um mistério para todos na mansão: O lugar onde os Mukami moravam.
Lá, ele incumbiu a Ruki e aos demais vampiros de cuidarem da pequena, e como todos ali se sentiam em dívida com o Lorde Demônio, aceitaram a tarefa de bom grado, mesmo que detestassem a ideia de criar uma Sakamaki, e feito isso, ele retornou à sua rotina.
Cordélia, que não se importava com nada em relação à Reika, logo esqueceu da existência dela, e os poucos na mansão que tinham conhecimento sobre a irmã mais nova dos trigêmeos também não demoraram à apagar a garota de sua memória, então tudo ficou como sempre foi, e Reika nunca existiu ali.
Já na mansão dos Mukami, o começo da vida da Garota com os vampirinhos transformados foi complicado, porém com o passar dos dias, mesmo com suas más personalidades, eles fizeram o máximo de podiam para criar Reika da melhor forma possível, e a medida que ela crescia e eles notavam o quão diferente ela era dos demais, os garotos se permitiram lentamente a deixarem as diferenças para trás e criaram laços fortes com a garota, como se juntos formassem uma única família. E, para Reika, eles formavam.
Ela sabia da existência de sua verdadeira "família", Ruki nunca escondeu isso de si, porém ela priorizava as pessoas que conviviam com ela, então nunca fez questão realmente de conhecer tais pessoas, acreditava que quando chegasse o tempo certo Karl, que a visitava periodicamente, a levaria até eles e apresentaria à ela e seus irmãos de maneira apropriada aos demais.




gσsтα
Observar as estrelas
Ficar ao ar livre
Jardins
Flores, árvores e plantas
Ler
Escrever histórias ou poemas
Desenhar
Ouvir música
Cantar
Dançar
Tocar piano, violino e violão
Assistir filmes e séries
Horror, terror, thriller psicológico e SciFi
Praticar esgrima, kendô, karatê e jiu jitsu
Colecionar espadas, katanas e adagas
Viajar
Rock, clássica e pop
Comer doces
Espadas, katanas e adagas
Mangás e HQs
Animes e cartoons
Pessoas e coisas fofas
Videogames
Jogos de tabuleiro (Xadrez, dama, etc)
Jogar dardos
Dias frios / Neve
Gatos




∂єsgσsтα
Ser menosprezada
Ser ignorada
Ser interrompida
Que mexam com o que é seu
Que machuquem as pessoas que ela gosta
Ficar sozinha
Ficar sem doces
Receber ordens
Pessoas entediantes
Mentiras
Desonestidade
Poluição sonora
Desordem
Lugares pequenos, escuros e apertados
Palhaços




нαвıłı∂α∂єs
Ela é extremamente boa quando se trata de jogos, principalmente os de tabuleiro e de cartas, em compensação, é uma boa equitadora, adora patinar no gelo, gosta de fazer artes marciais e é realmente boa no manuseio de lâminas e em jogar dardos. É uma ótima desenhista, uma boa pintora e esculpe com perfeição, além de ser um talentosa doll maker. Toca piano, violino e violão maravilhosamente bem e tem uma voz linda, e é o tipo da pessoa que conhece de tudo um pouco e pode conversar sobre qualquer coisa com facilidade. É poliglota, atualmente falando, além de japonês, os idiomas inglês, coreano, russo, francês e italiano. É muito boa cozinheira, principalmente quando se trata de doces, e tem certo talento para costurar e estilizar roupas.



нσввıєs
Observar as estrelas
Fazer jardinagem
Ler
Escrever histórias ou poemas
Cantar
Compôr
Tocar piano, violino ou violão
Desenhar
Fazer bonecas
Costurar
Estilizar roupas
Cozinhar
Jogar videogames
Jogar jogos de tabuleiro
Jogar dardos
Praticar esgrima, kendô, karatê e jiu jitsu
Polir sua coleção de espadas, katanas e adagas




мαηıαs
Falar sozinha quando acha que ninguém está olhando
Falar em russo ou frânces quando não quer que alguém entenda o que ela está falando
Brincar com objetos cortantes Por isso seus dedos quase sempre estão cobertos por bandagens, in Midorima Style
Morder o lábio inferior, a ponta do dedão ou mexer nos cabelos quando está nervosa
Bater os dedos sobre a mesa ou sobre a coxa quando está ansiosa
Pressionar o dedo indicador no lábio inferior quando está pensativa
Enrolar uma mecha de cabelo no indicador quando está criando algo Ela sempre faz isso
Corar quando está muito constrangida ou quando está pensando em coisas pervertidas
Socar alguma coisa quando está com raiva
Comer doces e se afogar em sorvete quando está triste
Arrumar as coisas quando está muito ansiosa ou muito irritada com algo
Cantar no chuveiro, quando está cozinhando e quando está fazendo faxina
Tomar café da manhã assistindo desenhos animados ou animes
Ler sentada de cabeça para baixo
Fazer bonecas de pessoas que ela acha que são bonitas
Fazer doujinshis yaoi com pessoas que shippa durante seu dia a dia como personagens




мúsıcαs qυє ∂єƒıηєм α ρєяsσηαgєм
Vou balançar ao ritmo do lustre, do lustre
Vou viver como se não houvesse amanhã
Como se não houvesse amanhã
Vou voar como um pássaro pela noite
Vou sentir minhas lágrimas enquanto elas secam
Vou balançar ao ritmo do lustre, do lustre

E estou aguentando firme pela vida
Não vou olhar para baixo, não vou abrir os meus olhos
Vou deixar o meu copo cheio até de manhã
Porque estou aguentando firme hoje à noite
Me ajude, estou aguentando firme pela vida
Não vou olhar para baixo, não vou abrir os meus olhos
Vou deixar o meu copo cheio até de manhã
Porque estou aguentando firme hoje à noite
Aguentando firme hoje à noite


https://www.youtube.com/watch?v=2vjPBrBU-TM
Sia ─ Chandelier



Sou doida, querido, sou maluca
A amiga mais louca que você já teve
Você acha que sou psicopata
Você acha que eu já me perdi
Diga ao psiquiatra que algo está errado
Pirada, completamente biruta
Você gosta mais de mim quando enloqueço
Te digo um segredo, não estou alarmada
E daí se sou louca? as melhores pessoas são

Você acha que sou louca
Você acha que eu já me perdi
E daí se sou louca? as melhores pessoas são
E eu acho que você é louco também
Eu sei que você já se perdeu
Provavelmente essa é a razão
Que nós nos damos bem


https://www.youtube.com/watch?v=OOcnpJjIduw

Melanie Martinez ─ Mad Hatter



sєgяє∂σ
Sua paixonite aguda pelo Ruki



sєgяє∂σ σвscυяσ
Já matou uma pessoa. Um homem que tentou lhe estuprar quando saiu sozinha da mansão dos Mukami pela primeira vez. Desde esse dia os garotos não a permitem sair sozinha novamente, apesar de ela sempre dizer que sabe se defender muito bem.



ƒєтıcнє
Ela tem fetiches por homens altos e de vozes roucas, por sex toys e produtos para BDSM.



αηıмαł ∂є єsтıмαçãσ?
Não se trata exatamente de um animal, e sim de um Mokona, uma subespécie de demônio que parece inofensiva à primeira vista, porém ele pode causar sérios problemas quando irritado, dado à garota por Karlheinz em seu aniversário de 13 anos.
Ele fala e possui personalidade própria, esta que se desenvolve a partir da personalidade de seu dono, ou seja, ele é quase uma síntese de Reika em forma de um bichinho fofo que parece um Manju, un tipo de bolinho de feijão doce japonês.
Shiro Mokona, nome que ganhou de Reika, é um serzinho elétrico, falante e dono de um senso de humor exótico, adora comer ele é pior do que uma draga e beber sakê ou souchu, mas ele também sabe ser fofinho quando quer, e é o melhor amigo da baixinha.





ραя

яєıjı sαkαмαkı



яєłαçãσ cσм σ ραя
De qualquer perspectiva que se olhe, Reika e Reiji formam um casal totalmente estranho, afinal ela exala vivacidade, animação e expressividade enquanto que ele é frio, mecânico e reservado, porém nada é como parece... Ao menos não quando se trata desses dois.
Inicialmente a albina não sente nada em relação ao maior, não o considera digno de tal coisa mesmo que ele a trate de forma educada, por isso é fria e hostil com ele sem se sentir culpada por isso, mas quando começa a conhecê-lo de fato, ela muda um pouco sua forma de tratar ele, o que dá abertura para ele conhecer o ponto fraco dela e se aproveitar disso para beber o sangue dela à vontade, que aliás era tão delicioso quanto o de Cordélia.
Porém isso dura pouco tempo, e ela logo volta a tomar as rédeas do relacionamento de ambos, fazendo Reiji depender inteiramente dela, e assim eles começam à se relacionar. É, eles não davam à mínima pro fato de serem irmãos
Mas não pense que eles já se amavam ou algo do tipo, por que não, eles ainda não se amavam ou sequer sentiam algo um pelo outro, longe disso, a relação de ambos era algo como uma troca de favores, afinal Reika não daria de forma alguma seu precioso e doce sangue à Reiji de graça, então os dois construíram uma relação mestra-servo.
E todos, principalmente os vampiros, riam muito quando viam a garota baixinha chamando o rapaz de “Sebastian”, o fazendo agir como se fosse seu mordomo e a servi-la, e realmente isso era a coisa mais engraçada de se ver, afinal Reiji sempre fazia caretas ou dava as coisas erradas à ela de propósito, e então eles discutiam até que Shu os fizesse calar.
Porém com o passar do tempo ela percebeu que ele a olhava com certo desejo, o que fazia ela rir chamar ele de apelidinhos fofos como “Quatro-olhos Lolicon”, "Sanguessuga pervertida" e coisas do tipo antes de puxá-lo pela gravata e aproximar a boca do rapaz de seu pescoço, dando liberdade para ele fazer o que quisesse, e os dois terminavam na cama. Yeah, eles são bem práticos.
Se demoraram a descobrir que estavam apaixonados um pelo outro?
Bem, ele não, por mais incrível que pareça, mas Reika ainda levou algum tempo para ver que era tão dependente de Reiji quanto ele era de si.




яєłαçãσ cσм σs sαkαмαkı

sнυ
Inicialmente, após observar a forma como o loiro se comportava por algum tempo, Reika o considerou alguém insignificante, um preguiçoso, mas apreciava o gosto musical do rapaz e sua tranquilidade, então apesar de não fazer questão nenhuma, era educada e gentil com ele nas raras vezes em que precisava falar com o mesmo.
Mas com o passar do tempo e com a convivência, ela reviu seus conceitos sobre Shuu e passou a gostar da companhia silenciosa do mesmo, então é normal vê-los dividindo o fones de ouvido enquanto conversam sobre música ou apenas cochilando um próximo ao outro.




kαηαтσ
Ela o acha estranho, manipulador e mimado, porém também o acha "bizarramente fofo", e como Reika adora coisas fofas, o roxinho até escapa da garota nos primeiros dias, mas assim que ela perda aquele desconforto inicial, ele fica na mira dela, e como Reika é um ser livre de vergonha na cara, não está nem aí, o abraça mesmo contra sua vontade e aperta suas bochechas sempre que o vê, e Kanato a detesta por isso no início.
Porém, com o passar dos dias, ele cede ao charme e à animação da garota, que passa à vê-lo como um irmão mais novo apesar de Kanato ser mais velho e indiscutivelmente mais alto e também a se preocupar com ele, tanto que quando o vê tristonho ou mais calado do que o normal faz de tudo para arrancar nem que seja um sorriso pequeno do garoto e quando o vê tendo um acesso de raiva é a primeira a tentar pará-lo, mesmo que saia da discussão triste ou machucada.
Além disso, Reika realmente adora mimar ele, fazendo todas as suas vontades e cozinhando os doces mais deliciosos que sabe fazer só para agradá-lo.




łαıтσ
Inesperadamente, Laito é o primeiro vampiro da mansão Sakamaki de quem Reika gosta.
Para ela, de todos, ele é o que mais é sincero e espontâneo em seu modo de agir e de ser, e isso faz com que ela sinta mais confiança nele, de alguma forma. E claro, por que os dois são pervertidos, e pervertidos se atraem
Claro que ela detesta o jeito bruto do ruivo no começo, porém depois que se acostuma à isso, até ri das coisas que ele fala e faz, e não dá a mínima para quando ele a chama de Chichinashi ou de Bitch-chan, as vezes até devolve a ofensa de forma humorada ao chamá-lo de coisas como Henachoko (fracote), Yowamushi (banana), Shiaiatama (cabeça de fósforo) ou de Akai oni (demônio vermelho).
Eles vão, aos poucos, construindo uma amizade firme e sincera, sem interesses por parte do ruivo e sem medos por parte da garota, um confia no outro para contar qualquer coisa e ele simplesmente cria certo sentimento de proteção por ela, já que ela é sua preciosa imouto-chan.



αyαтσ
Eles não são muito próximos um do outro, mas tem uma boa relação.
Reika, particularmente, não gosta muito do jeito egocêntrico e muito convencido do garoto, mas pensa que essa é uma característica marcante do trigêmeo mais velho, então não fala nada sobre isso.
Ambos conversam ocasionalmente, trocam ideias e, de vez enquando, Ayato se junta à ela e Laito para zoar com o restante do pessoal da mansão.




sυвαяυ
A relação entre ela e o Sakamaki mais novo não é quente nem fria, é neutra.
Reika não gosta nem desgosta do rapaz e o mesmo vale para ele, já que nunca trocaram mais do que alguns cumprimentos e poucas conversas, todas muito rápidas e ocasionais, porém ela vê que, de todos os Sakamaki, de alguma forma Subaru é o mais sensível, e isso faz com que ela o admire secretamente, porém o jeito explosivo do rapaz faz com que ela fique receosa em se aproximar e os dois acabarem se matando.




яєłαçãσ cσм αs ∂ємαıs ıямãs
Apesar de gostar mais de umas do que de outras, Reika trata todas as suas irmãs igualmente, ou seja, é superprotetora, atenciosa e carinhosa à seu modo, mas também sabe como chamar a atenção delas quando acha que estão a fazer algo errado, além disso ela é uma verdadeira amiga para todas as horas e sempre estará disponível para atender um pedido que lhe for feito, pois ela realmente adora mimar suas irmãzinhas.
É uma boa ouvinte, uma ótima conselheira e sempre tem uma ideia para dar, mesmo que essa ideia nem sempre seja boa.
Além disso, ela é do tipo que está disposta à tudo por suas irmãs, as apoia sempre que elas estão em apuros e as protege quando elas estão ameaçadas de qualquer forma, mesmo se isso custar seu próprio bem estar ou colocá-la em risco.




яєłαçãσ cσм kαяυтα
A relação dela e Karuta começou de forma quase natural; desde a primeira vez que se viram, Reika puxou uma conversa e a partir daí as duas não pararam mais, e pouco a pouco foram construindo o começo de uma amizade que tinha tudo para ser boa se não fosse a personalidade de ambas.
Reika adora Karuta por causa de seu jeito irônico e debochado, mas as vezes simplesmente perde a cabeça com a garota, e Karuta gosta de estar com a albina sem precisar de motivos, porém a sinceridade e a impulsividade de Reika a irritam de vez enquando, por isso nem tudo são flores entre elas duas, mas tirando os maus momentos, até que as duas tem bastante em comum. Tipo a perversão, sabe?




яєłαçãσ cσм нıηαмı
Com Hinami as coisas são bem menos complicadas, é o que Reika pensa.
Desde o primeiro momento em que realmente conversou com a garota, ela sentiu que podia dar um voto de confiança para Hina, e não podia ter feito melhor, pois não demorou muito para ambas se tornarem próximas.
É normal vê-las conversando, já que as duas são elder sisters like, e também elas sempre se juntam e arrastam as outras para fazerem coisas juntas. Não leve isso pro mau sentido, oka? Ou leve, sei lá.




яєłαçãσ cσм kαяłнєıηz
Assim como com Cordélia, Reika não tem um relacionamento bom com seu pai, porém não o odeia, afinal foi por causa dele que ela pôde conhecer Ruki, Kou, Yuma e Azusa, e isso é algo que ela jamais poderia esquecer, então o relacionamento dela com Karl não é nem morno nem frio.
Ela o trata da melhor forma que pode quando o mais velho visita a mansão dos Mukami, porém não tem o mesmo respeito por ele que os outros quatro possuem, e ela até acha engraçado vê-los aceitar prontamente tudo o que o homem diz.
Karl gosta da personalidade forte de sua Uruha, e vê que não poderia ter feito melhor escolha ao deixá-la aos cuidados daqueles quatro garotos.




яєłαçãσ cσм sυα мãє, cσя∂éłıα
Reika tinha todos os motivos para odiar sua mãe, porém Cordélia é uma existência insignificante para si, tão insignificante que não merece nem seu ódio ou qualquer sentimento vindo de si.
A baixinha a trata de forma gélida toda vez que as duas se encontram, isso quando não ignora ela completamente, e para Cordélia isso não faz diferença nenhuma, então pode-se dizer que as duas se aturam quando preciso, mas não gostam nem desgostam uma da outra.




яєłαçãσ cσм вєαтяıx
Por algum motivo desconhecido, Reika não gostou da primeira impressão que teve de Beatrix, e não há quem a faça mudar de ideia.
Claro, ela a responde de forma educada toda vez que a loira, mãe de Shu e de Reiji, se dirige à si, porém não faz questão nenhuma de manter contatos mais longos do que uma breve troca de cumprimentos com ela.




яєłαçãσ cσм cняısтα
No momento em que conhece Christa, ela nota o quão aquela mulher é melancólica, e isso faz com que Reika sinta muita pena dela e tenha certa raiva do pai por forçá-la a viver uma vida cheia de tristeza.
Sim, isso incomoda ela a tal ponto que ela passa algum tempo chorando escondida nos braços de Yuma por não poder fazer nada que diminua o sofrimento daquela mulher, e após isso, toda vez que se encontra com Christa, Reika é o mais gentil o possível e sempre a trata de forma atenciosa.




яєłαçãσ cσм σs мυkαмıs

яυkı
Apesar de gostar dos Mukami sem fazer nenhuma distinção, Reika tem um carinho pra lá de especial pelo Mukami mais velho, Ruki... Especial até demais.
Ela praticamente cresceu sob os cuidados dele, e foi Ruki quem estimulou sua inteligência superdotada ensinando à pequena tudo o que ela precisava aprender e mais um pouco, e foi com ele que Reika adquiriu amor por livros.
Ruki, mesmo que no início pensasse de forma totalmente diferente, hoje vê a garota pequena tão sua irmã quanto os outros três, e realmente se preocupa e se importa com ela, tanto que não se importa em fazer o papel de irmão mais velho superprotetor e ciumento se achar necessário.
E os dois se entendem tão bem que são capaz de ler um ao outro somente com um olhar, ou seja, um sempre sabe o que o outro está pensando ou como está se sentindo, e somente Ruki sabe como acalmar Reika quando ela está muito irritada ou muito nervosa.
E ela não diz para ninguém, porém à alguns anos vem sentindo algo diferente por Ruki, algo que ela não sabe explicar, mas ela sabe que é diferente do amor de irmão que ela sente por ele, entretanto, Reika sabe que, lá no fundo, conhece muito bem esse tal sentimento, ela só não quer aceitar que sente desejo por alguém que só a vê como uma irmã.




kσυ
Se há alguém culpado pela maior parte dos maus hábitos de Reika, esse alguém é o idol da família, Kou.
Ele sempre a mim ou demais e também ditava sua forma bipolar de ser para a garota, e como ela aprende tudo muito rápido, era quase uma cópia feminina do loiro até certo ponto de sua infância, mas mesmo que ela tenha mudado bastante à medida que crescia, as coisas não mudaram entre eles.
Foi Kou quem a incentivou a gostar de cantar e de dançar, e ele mais do que ninguém sabia o quão ela tinha talento para ser uma idol tão famosa quanto ele, porém o loiro é egoísta, e não aceitava a ideia de expôr sua S-Neko-chan para o mundo, onde qualquer um poderia roubá-la de si, então não quis que ela seguisse seus passos, porém ficava extremamente feliz e satisfeito quando ela resolvia se apresentar na sala, para que ele e os irmãos assistissem.
Reika ama o loiro tanto quanto ele lhe ama, e por conhecer o passado dele melhor do que qualquer pessoa, ela é a primeira a se desesperar caso ele se machuque, e ela, mais do que qualquer coisa, deseja que ele encontre a felicidade plena ao lado de alguém que possa dar todo o amor que o loirinho merece, mas enquanto esse alguém não aparece, ela aproveita para mimar e ser mimada pelo mais velho.




yυмα
Apesar de aparentar ser uma pessoa difícil de lidar, Reika sabe que Yuma é o Mukami mais fácil de se entender, e também é o mais sensível e gentil, mesmo que demonstre o contrário com seu modo meio grosseiro de falar e com seu modo bruto de agir, e por isso a relação dos dois é meio estranha à primeira vista.
Ele a trata da mesma forma que trata à todos, é meio monossilábico, não se expressa bem e as vezes é meio ignorante, mas ela é totalmente amável com ele, e a diferença entre as alturas dos dois é tão grande, que quando ele a pega no colo, ela parece um gatinho, até se encolhe toda e só falta ronronar.
Aliás, é justamente para Yuma que Reika corre quando se sente triste ou quando se sente frágil, e o grandão lhe passa tanta segurança que já é algo automático entre os dois, e eles não precisam conversar para se entender, basta ela estar entre os braços do poste ambulante para que se sinta um pouco melhor.
E é por causa de Yuma que Reika ama tanto cuidar do jardim da mansão dos Mukami, além de também ajudar o maior com sua horta, e os dois passam horas juntos fazendo isso.
Ele, apesar de não demonstrar, sente tanto carinho pela pequena quanto ela sente por si, e aliás, Yuma é o que mais teme o dia em que Karl finalmente vá levar Reika para o covil dos Sakamaki, pois não está disposto à deixar sua irmãzinha cair nas mãos de um dos odiáveis filhos de Karlheinz.




αzυsα
Azu-chan, apesar de ser mais velho, é o bebê de Reika, e ela é totalmente maternal quando se trata do vampirinho, tanto que realmente se sente triste por ver a forma como ele sente prazer em se mutilar.
Ela sempre procura dar atenção e carinho para ele, porém não resiste aos pedidos dele quando ele lhe pede, com os belos olhinhos cheios de lágrimas, para que ela use suas lâminas nele, é doloroso para ela, mas Reika não consegue dizer não para Azusa, e ele se aproveita disso às vezes.
Mas tirando esses momentos tensos, a relação dos dois é bem estreita, já que ambos partilham a mesma paixão por lâminas de variados tipos, e um sempre ajuda o outro a polir as coleções que cada um possui.
E é por serem tão próximos que Azusa não se imagina sem a menor, e fica em descontrole só em pensar em perder ela para os Sakamaki, por isso ele está disposto a qualquer coisa para não deixar isso acontecer, apesar de não fazer nada que a impeça de se aproximar de seus irmãos de verdade quando a hora chega.





ƒяαsє qυє α ∂єƒıηє
❝この世に偶然なんてない。あるのは必然だけ。❞
(Kono youni guuzen nante nai. Aru no wa hitsuzen dake.)
Neste mundo não existem coincidências. Há apenas o inevitável.



ραłαѵяα ραssє
❝一度失ってしまったものは二度と戻る こと は ない。❞
(Ichido ushinatte shimatta mono wa, nidoto modoru koto wa nai.)
Algo uma vez perdido, nunca retorna.






Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...