Ficha - We Could Be Heroes


Postado

†Nome Completo:

Valentim Zerbadyn Mercator

†Idade:

Vinte e dois anos, nascido dia treze de agosto, e, portanto, um leonino.

†Codinome:

Carta Magna

†Aparência:

Valentim é um jovem de cabelos loiros, que brilham dourados quando em exposição ao sol, olhos muito azuis, penetrantes e vítricos, do tipo que as pessoas gostam de olhar diretamente por um bom tempo, mesmo sem razão alguma. Algumas pessoas dizem que Valentim tem o dom de conseguir sorrir com os olhos.
Seus cabelos são peculiarmente longos quando comparado ao dos outros garotos, passando dos ombros, e Valentimos adora. Ama sentir a brisa e o vento balançar os fios de seus cabelos, mas mesmo assim, as vezes os prende num charmoso coque, tanto por praticidade quanto para evitar o calor ou incômodo que seus cabelos longos geram vez ou outra.
O corpo de Valentim é um de seus pontos mais atraentes, naturalmente mesomorfo, seu corpo é muito bem definido pela quantidade de atividades físicas que Valentim é obrigado pela base a praticar. Tem braços, abdômen e dorsal definidos e musculosos, que não deixam que chamar atenção para si.
Em termos de medidas, Valentim pode ser considerado relativamente alto. Tem 1,89 de altura, pesando 78kg bem distribuídos em seu físico. Pelo corpo tem espalhadas algumas tatuagens.







†Personalidade:

Sereno, atraente, charmoso e plenamente consciente disso, Valentim costumar portar-se com um ar e presença de extrema confiança, por vezes beirando mesmo a arrogância pura, parte disso por culpa de seus poderes sobrenaturais imensos, a extensão de seus poderes e seu dom para convencer humanos à agir conforme sua vontade.
Devido à isso, Valentim tem plena confiança no sucesso de tudo o que faz, independentemente dos obstáculos que procurem se fazer presente, e não mede as consequências de seus atos e atitudes, agindo por vezes de maneira confiante demais, até mesmo inconsequente ou prepotente.
Nas raras ocasiões em que Valentim de fato não consegue obter o que quer, mostra possuir um controle notável de seu temperamento, muitas vezes vendo tais acontecimentos e falhas não com frustração ou fúria, mas com curiosidade e diversão, outro subproduto de sua experiência e racionalismo.
É preciso muito esforço (ou ataque à alguém que ele preze ou necessite no momento) para de fato enfurecer Valentim, mas, quando isso acontece, ele instantânea e sadicamente libera sua fúria sobre o responsável, disparando o Inferno contra ele se necessário - as vezes literalmente - em uma fúria que só cessa ao ter o sangue do responsável por causá-la em suas mãos.
Devido à sua prévia isolação e grande poder, Valentim se encontra completamente fora de sintonia com as normas éticas e morais do mundo humano - ou talvez, simplesmente opte por ignorá-las - e, como resultado, tende à ser brutalmente sincero com os humanos, sendo visto por aqueles que não o conhecem como sarcástico, rude, insensível e inadequado, mas, mesmo assim, estranhamente charmoso em seu jeito excêntrico e peculiar.
Valentim é ninfomaníaco e viciado em sexo e outras atividades luxuriosas, além de extremamente atraente e magicamente sedutor, fazendo com que a esmagadora maioria das mulheres e de homens com a menor tendência homossexual o achem sexualmente irresistível.

†História:

Valentim na realidade não nasceu de fato, num parto normal como o de um humano normalmente ocorreria. Seu pai, Absolom Zerbadyn Mercator, o Senhor M, o criou à partir de matéria humana, um bebê cromossômica e geneticamente artificial, embora psicológica e emocionalmente ligado à Mercator, que jamais falhou como figura materna.
No entanto, durante seus primeiros anos, Valentim foi criado num tipo de ambiente extremamente isolador e antisocial, tendo como presença real apenas seu pai, as criações dele e suas próprias, já que seu pai o obrigou a revisar completamente toda a história e registros da humanidade, dos mutantes, asgardianos, kriptonianos, etc, além dos relacionamentos entre essas raças, suas consequências e desenvolvimento, preparando o filho com a maior bagagem intelectual que podia antes de deixá-lo partir para buscar uma vida entre a sociedade.
As praticamente duas décadas de estudos de Valentim o tornaram extremamente inteligente e conhecedor de grande parte, senão toda, a anatomia, cultura, história, biologia e composição social de praticamente todas as raças do planeta, conhecimento indispensável para a prática consciente dos enormes poderes que vinham de seu pai, Absolom Mercator.
Com vinte anos, Valentim foi encaminhado por seu pai diretamente à nova base, planejada e montada pela união de forças entre algumas das mais brilhantes (e ricas) mentes daquela época, Tony Stark, Bruce Wayne e Amanda Waller, para que concluíssem e incluíssem Valentim nas experiências práticas e conhecimento de mundo que seriam necessárias por ele para que ele pudesse acessar plenamente seus poderes, e hoje, dois anos depois, Valentim é considerado um dos mutantes mais poderosos da base, o que levou até mesmo à criação de seu codinome, Carta Magna.
Valentim, quando não está na base, tem uma vida social humana bastante agitada, frequenta bares e boates underground e trabalha num estúdio de tatuagem, fatura muito dinheiro usando seus poderes para criar imagens virtualmente perfeitas sobre a derme das pessoas, uma maneira inofensiva e simples que encontrou de utilizar seus poderes para conseguir dinheiro fácil. O sonho de qualquer herói por hobbie.


†Pais:

Absolom Zerbadyn Mercator, teoricamente.


†Poderes:

É capaz de aumentar ou remover os poderes de outros mutantes e entidades, como asgardianos e kriptonianos, e até mesmo poderes de origem mágica, como magia do caos ou da ordem, podendo até mesmo despertar novas mutações ou tornar humanos em mutantes.
Capaz de manipular matéria e energia, sendo capaz de feitos como dispersão de energia cinética (vulgo, imunidade a ataques físicos), emissão de energia, manipulação da matéria, regeneração quase que instantânea e até mesmo controle da evolução de um determinado organismo, podendo adaptá-lo a qualquer condição, ou regredi-lo a um estado primitivo.

†Par? Se sim, quem?:

Livre pra fichas, vou deixar a sua escolha. Ou, se não puder mesmo, pode deixar sem par, só no bom e velho "pega e não se apega".

†Fraquezas:

Sua confiança excessiva, que beira a arrogância, e fraqueza emocional quando irritado ao extremo são fraquezas extremamente perigosas quando vindas de Valentim, já que pela enorme extensão de seus poderes, qualquer descontrole pode colocar incontáveis vidas em risco, inclusive a dele próprio.

†Habilidades:

Incrível lábia e capacidade de sedução e charme, não é lá muito bom em artes marciais, já que os únicos treinos que tem são os que a base o obriga a se submeter, sua inteligência é seu ponto mais forte, e sua capacidade de formular estratégias para usar efetivamente seus poderes.

†Desabilidades:

Baixo conhecimento em artes marciais, considerado um iniciante em transição para mediano, sua falta de capacidade de empatia para com a maioria das pessoas, e seu completo descaso por conceitos de tabu ou limitações éticas ou morais.

†Gostos:

Desenhar, tatuar, festas e bares underground com temáticas mais alternativas. Raves, principalmente aquelas de trance e prog. Adora criar e preparar bebidas, sendo sua favorita um shot chamado B52, que deve ser bebido em chamas e com um canudo.

†Desgostos:

Receber ordens de pessoas arrogantes demais, prefere que as ordens venham em formas de pedidos amigáveis, a noção de estar submisso lhe causa grande desconforto. Não gosta de pessoas extremistas de nenhum tipo, nem de pessoas burras que tentam parecer inteligentes.

†Roupa de Batalha:



†Armas:

Dificilmente acontece de não ter poderes, mas, Valentim tem preferências por armas de fogo, e caso esteja sem poderes, de preferência as que não exijam muita força física, como pistolas ou revólveres.


†Relação com Anastásia:

Não a conhecia a muito tempo, porém, ela parecia ser uma garota com uma atração e capacidade amistosas naturais, o que chamava a atenção de Valentim. A achava atraente, de fato, de uma maneira peculiar, e, ao saber que foi raptada, descontentou-se em não poder dissecar a personalidade dessa garota tanto quanto queria.

†Relação com os outros colegas:

Os trata da maneira como trata a maioria, com seu temperamento e personalidade singulares e incomuns, nem todos gostam dele, e são menos ainda os que podem dizer sem dúvidas que possuem amizade com Valentim, porém costuma ser respeitado por eles, embora não tarde a arrumar briga se preciso for. Valentim gosta é do estrago.

†Relação com os heróis:

Foi ensinado por seu pai a respeitá-los e demonstrar isso, é respeitoso e cordial, de fato, mas sem deixar de apresentar seu característico toque confiante, por vezes sarcástico e que por isso pode tornar conversar com Valentim algo incômodo para heróis do tipo conservador demais, ou que se colocam num nível diferente, num pedestal.

†Relação com o par:

Caso de fato o tenha, será um relacionamento o mais distante possível da monotonia, com constantes saídas, idas a todos os tipos de bares e festas, além dos lugares que a mente de Valentim puder classificar como românticos, isso se Valentim não decidir criar seus próprios ideias de lugares românticos.

†Como foi parar na base:

Foi trazido por seu pai, Absolom Mercator, quanto completou vinte anos.

†Sua relação com os pais:

Respeita imensamente seu pai, com quem viveu as primeiras duas décadas de sua vida, e o admira tanto como herói quanto como pessoa. Embora nem sempre demonstra, sente falta do pai, que raramente pode estar perto do filho hoje em dia, e alguns elementos importantes, como seu uniforme, são inspirados pela admiração que sente por Absolom.

†Leu as regras?

Yep.

†Vai comentar?

Definitivamente, e se não puder comentar em algum capítulo, vou justificar o porque no seguinte.

†Algo mais?

Suas tatuagens









Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...