~Catraca

Catraca
Auden - Lua Miá
Nome: Millene • Foobiez • Mi • Mil • Lene • Ash • Mille • Milkshake • Milmiau • Foo • Laura
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Sapiranga, Rio Grande do Sul, Brasil
Aniversário: 2 de Março
Idade: 15
Cadastro:

A Seleção de Benjamin Schreave


Postado

A Seleção de Benjamin Schreave

Ficha para Criada




Sobre a Criada:

Nome completo:

Ella Becky Hale

Idade:

23 anos.

Opção sexual:

Heterossexual

Aparência:



(Sasha Pieterse)


Cabelos dourados, pintados, a raiz preta (pois seu cabelo era escuro), olhos claros, dependendo do seu humor verde ou azul. Um nariz grande e uma boca pequena e delineada. Tem um olhar decidido, um caminhar prepotente e seguro de si e uma postura de dama.


Pertence a que província:

Bonita.

Casta:

6

Família:

Charlie Hanning Hale – Mãe. Deve estar vendendo o corpo em algum harém de Bonita. Não há vê desde que foi vendida como uma vaca pela própria mãe. Ella pretende nunca mais ver a mãe na frente. Charlie tem os cabelos loiros herdados pela filha e olhos pretos como águia.

Harry – Ela não sabe na verdade o verdadeiro nome do pai, mas gostaria que fosse Harry, ela gosta desse nome. Ella acredita ter puxados os olhos azuis do pai, imagina que ele deve ter sido algum nobre que se perdeu e acabou em um harém, onde sua mãe provavelmente estava e lá ela foi desenvolvida. Algo não planejado e não aceito por ele.


História:

Com seis anos de idade, Ella se lembra de ser vendida para um homem, sua mãe precisava quitar suas dividas com ele e Ella era apenas um peso para a mesma, que por ter uma filha, conseguia menos clientes no harem onde trabalhava na época (e provavelmente ainda trabalha). O homem chegou perto de abusar Ella varias e varias vezes, mas ela sempre dava um jeito de embebedá-lo demais, depois de um tempo começou a ler sobre remédios e venenos, estava pronta a fazer qualquer coisa para se manter pura. Se safou por um ano inteiro de ir a cama com ele, sempre o dopando e fazendo com que o mesmo caísse no sono. Entretanto o homem tinha um filho de dezesseis anos, que até então não morava com ele, o menino... Nossa, Ella se lembra bem o nome dele. Theo. Ela gospe esse nome com nojo, repulsa. Esse menino, Theo, filho do homem para quem foi vendida como uma escrava, abusou dela. Várias e várias vezes. Ella sempre temia engravidar daquela garoto e seu pior pesadelo aconteceu. Com já 13 anos engravidou, entretanto perdeu o bebe com quatro meses. Era um menino. Depois de perder o bebe, Theo começou a chamá-la de nomes impróprios e conseguiu convencer seu pai a “vender a vadia” para quitar outra dívida. Como uma vaca. Mais uma vez foi vendida como uma vaca.
Dessa vez para trabalhar como criada no castelo. No inicio ela odiou, mas com 14 anos, é fácil descobrir segredos, se esgueirar pelas paredes, se esconder atrás de vasos. Ela era como uma criança em um reino inexplorável. Aprendeu a mentir sozinha e a manipular por si só. Ela aprontava, pregava peças, era apenas uma adolescente boba. Mas o tempo passou. Cresceu vendo o príncipe de longe e a cada humilhação jurava que ele pertenceria a ela. As suas chefes a humilhavam diariamente e diariamente ela espiava o príncipe e imaginava como seria ser noiva dele, ter para si, namorar ele, casar com ele, ser a futura rainha. Ela cresceu e já desconfiava sobre a seleção, afinal era costume em Illea e se repetiu milhares de milhares de vezes, fora que o príncipe ainda estava solteiro.
Ela não pensou duas vezes em se inscrever e orar, rezar para todos os deuses que ao qual conhecia, fez um santuário no seu quartinho, com algumas fotos do príncipe e algumas suas. Mas Ella não foi selecionada e isso foi motivo para mais humilhação por conta das suas “colegas” de trabalho. Ella sentiu tanta raiva por não ter sido selecionada que se focou no trabalho. E para sua maldição foi uma criada tão boa que acabou sendo escolhida para ser criada de umas das selecionadas. Se ela quebrou todo o quarto dela após receber essa noticia? Não. Ela até chegou a pegar um vaso bem caro e pesado do corredor, mas viu sua imagem sendo refletida no chão bem limpo e respirando fundo largou o vaso cuidadosamente, a única coisa que apontou que ela estava com uma raiva borbulhando dentro de si foi o bater de sua porta. Mas naquela noite ela sentou na cama e ficou olhando pro teto, travando o maxilar, arregalando os olhos, não se permitindo chorar. Desde que Theo a abusou pela quinta vez, ela prometeu nunca mais chorar.
Ela fez greve de silencio até as selecionadas chegarem e quando as mesmas chegaram ela sentiu nojo, e a magoa borbulhou dentro da mesma. Garotas fúteis, garotas tontas, moscas mortas, achavam que sabia algo sobre viver no castelo. NÃO SABIAM! Ella sabe, ela cresceu ali, ela sabe de todos as passagens secretas, Ella sabe mentir, disfarçar, daria uma ótima rainha, cresceu com o príncipe praticamente. E de repente a ideia da seleção pareceu algo estúpida ao ver dela: não fazia sentido pegar uma garota qualquer que nunca pisou no castelo e não sabe nada de ser nobre, para ser uma provável rainha! Ela deveria ser a rainha! Ela deveria mandar naquelas garotas e não servir a uma delas.
Estava decidida: transformaria a vida de sua “ama” em um pesadelo e faria ela desistir da seleção, e assim seria transferida para outra selecionada, afinal ela é uma das melhores criadas do castelo, ninguém deixaria ela limpando pratos quando podia cuidar de uma das filhas de Illea. Assim daria um jeito de fazer todas as selecionadas desistirem, por medo, por cansaço, pressão e se precisar até morte. Ela finge ser amiga da "sua" selecionada, mas é falsa e sempre a fez se vestir inadequadamente, usar a cor que o príncipe odeia, falar errado e ensina tudo distorcido para a Selecionada passar vergonha.
P.S: Ela sabe que é mais velha que o príncipe, mas isso nunca foi um problema para jovens apaixonadas, certo? Não é para ela também.


Profissão antes do Palácio:

Ela era meio que uma escrava da família para quem foi vendida, fazia de tudo para eles. De tudo mesmo.

Gostos:

Ela gosta de cantar músicas apenas para ela, acha que sua voz é feia;
Gosta de passar o tempo na biblioteca, na parte mais escura, nos livros com fatos reais, de historia que contam coisas que realmente aconteceram, livros que te ensinam coisas, livros que falam sobre lendas, poções e venenos.
Gosta de passear pelo jardim, escalar arvores e ficar espiando todos lá de cima, gosta de ir ao terraço do castelo e sentir o vento batendo no rosto, adora sentir o vento nos cabelos e ir cada vez mais rápido, gosta de andar de cavalos.
Adora roubar coisas, tem mãos leves e consegue roubar coisas rapidamente e com facilidade, apenas por diversão, vende-as para um mulher com quem se encontra fora dos portões e recebe dinheiro com isso, pensa que se não conseguir casar com o príncipe era ir para outro pais, casar com um nobre e voltar rica e poderosa e humilhar aqueles que a humilharam.


Desgostos:

Além das selecionadas, odeia estar errada, odeia pessoas fofas demais, odeia estar errada, odeia gente que fala demais, gente que grita, gente que chora, gente que é fraca como ela já se permitiu ser, gente que fica falando do seu príncipe.


Medos:

Encontrar Theo outra vez, ser abusada, medo de descobrirem que ela mente e é manipuladora. Medo de que saibam que ela sabe de tudo sobre venenos e que já usou isso em alguns cavalos e já dopou algumas criadas para esquecerem de ver ela roubando.


Manias:

Franzir o nariz antes de mentir, morder os lábios quando não sabe o que fazer e bater uma mão na outra quando está nervosa.

Sobre a vida no Palácio:


Há quanto tempo trabalha no Palácio:

Desde os treze, levemos em conta que ela já tem 23, então faz dez anos.

O que acha da Seleção?

Seria algo incrível se tivesse entrado, mas agora que ela não foi selecionada e é uma das criadas de uma delas, acha a ideia ridícula. Imagine só uma pessoa que não sabe nada de uma vida na realeza virando princesa? Uma garota saída de um lugar qualquer ficando com o seu príncipe?


Qual será sua relação com o Príncipe:

Ela se atira para cima dele sempre que pode, no inicio era recata e quietinha e ele nunca a percebeu, então ela não tem medo de ser ousada, se atira, dá em cima e deixa isso claro. Faz dez anos que está ali, se ele ainda não a mandou embora, significa que gosta, não é?


Qual será sua relação com o resto da família real:

Procura ser invisível para com eles, procura não passar de uma boa criada, finge ser fofa, tem medo que eles descubram sobre seus roubos.

Teria algum relacionamento intimo com o príncipe, guarda, selecionada ou alguém da realeza?

Não. Apenas com o príncipe, pois está ali desde que era adolescente, então não tem medo de dizer o que pensa e dar em cima dele sempre que possível, o provocando.

Sobre as roupas e acessórios.

O que mais costuma usar quando não está de uniforme?

Regatas e shortz, vestidos soltinhos.

Cor (ou cores) que gosta:

Azul fraco, verde claro e vermelho bem forte.

Vestidos longos ou curtos? Ousados ou mais recatados?

Curtos, finos e ousados.

Tem algum acessório pessoal? Se sim, descreva.

Não.

Mais gifs dela:







Ficha Selecionada


Ola Rudnicka as Piper Papermaker

Not Your Dear




》FICHA PARA SELECIONADA《




Sobre a Selecionada:



Nome Completo:
Piper M. PaperMaker


Apelido:

Pipe — Se lê: Paipei, é mais usado pelos colegas, conhecidos e recém amigos e futuramente pelas selecionadas.
Pama — Lê-se: Peimei, só pessoas muito, muito intimas usam esse apelido, sua mãe a chama assim quando Piper está doente e seu pai a chama assim quando vai dar um conselho ou está com dó da filha (geralmente quando ela termina algum relacionamento).
Peiker — Lê-se: Peiker, sua irmã a chama assim, só ela a chama assim.


Idade: 20


Opção sexual: Heterossexual

Aparência:
(Ola Rudnicka )




Piper tem um corpo esbelto, seios medianos e uma bunda no tamanho certo, pelo pálida e olhos azuis decididos e marcantes, lábios naturalmente rosados e carnudos e um rosto fino como de uma boneca de porcelana. Seu rosto e seu corpo são o seu templo. Piper leva muito a sério a elegância e a própria beleza, nem que seja para ir ao jardim, ela necessita se arrumar, usa coisas leves no dia-a-dia, mas sua leveza é elegante, se sente maravilhosamente bem com o seu corpo, por isso se porta sempre elegantemente e não se deixa rebaixar, rebate tudo com um sorriso e um “igualmente”, “digo o mesmo” e “Faço suas as minhas palavras”. Os cabelos loiros esbranquiçados e naturalmente lisos são por parte de mãe, boatos de que a família foi amaldiçoada e todo o primeiro filho de cada geração terá os cabelos tão claros como o primeiro raio de sol.





Personalidade:


“Divertida, engraçada e piadista”, é como sua mãe a define.
“Persistente como uma mula, brava como um cão e perspicaz como uma águia”, é o que seu pai diz.



O fato é que Piper ama conversar e puxar assunto, deixar as pessoas confortáveis, fala bastante e sempre acaba fazendo as pessoas rirem, mesmo que estejam se sentindo péssimas. Ela fala, fala, fala, mas não se engane, nunca diz algo relevante sobre si, é muito observadora, mas por ser carismática as pessoas não percebem, sabe ser manipuladora e mentir como ninguém, mas raramente usa esses dons/defeitos, só faz isso quando uma pessoa faz com ela primeiro. As pessoas acham que ela é bobinha e inocente, porém não sabem de nada, Piper é muito segura de si e tem resposta para tudo na ponta da língua, é aquele tipo que joga a verdade na cara de um jeito humorado, aquela que todos pensam que é uma figurante bobinha que não sabe de nada, quando na verdade está sempre um passo a frente, apenas porque escuta, absorve e guarda para si. Piper é muito bonita e sabe disso, às vezes sua beleza é uma maldição, mas na maioria das vezes gosta de ser bonita e gosta de se dar bem consigo mesma. Adora se vestir bem, adora o loiro esbranquiçado (NATURAL!) do seu cabelo. É muito segura de si e não se importa de trocar de roupa ou ter a ajuda de alguém para tomar banho. É uma pessoa de bem com a vida, é difícil vê-la triste e quando fica, resolve se isolar. Dificilmente chora e na maioria das vezes é de raiva, mas depois de alguma lágrimas caírem, levanta o rosto e toma uma postura decidida e firme. Adora chorar de rir e mesmo com seus vinte anos adora brincar de coisas bobas e voltar a ser criança, é sincera demais, é criança demais, mas sabe ser séria demais quando é preciso. Se irrita quando não consegue fazer algo, sua irritação equivale a frustração, é muito teimosa quando põem algo na cabeça, escuta a opinião de todos e deixa que todos opinem, mas nada nem ninguém muda suas convicções a não ser que ela queira mudar. Apesar de orgulhosa, sempre admite quando está errada. Mantem a calma quando todos estão explodindo, se transforma em uma mãezona perto de outras garotas,porque não suporta ter alguém chateado perto de si, se você anda com Piper, dificilmente ficara triste ou rabugenta, porém Piper sabe que existe limites, sabe que todos tem direito de ter dias ruins — ela mesma tem os seus — e respeita isso, se mantendo distante e dando espaço para suas amigas, quando vê que é disso que elas precisam. Piper adora revistas em quadrinhos e cantar, e canta muito bem por sinal, algo que herdou dos pais. Ela nunca promete algo, gosta de surpreender as pessoas, mas uma vez que disse que iria fazer, vai fazer mesmo, porque cumpre sua palavra. É completamente perfeccionista, chegando às vezes até irritar sua família. Dá a vida pela irmã mais nova e faz de tudo por ela, tentando sempre se manter na pose de heroína, mas sempre mostrando para sua pequena que também erra, sua irmã é sua melhor amiga desde que a mais nova entrou na adolescência e percebeu que ter uma irmã não significa dividir as coisas, mas sim compartilhá-las. Adora montar looks para outras pessoas.




Altura:
1,67


Pertence a que província:
Dakota


Casta:
3



Família:

Família:




Dianna M. Papermaker (Mãe, 43, Lena Headey) — Olhos castanhos claros, as vezes ficando até esverdeado, sorriso largo e lábios medianos, cabelos loiros levemente ondulados, pálida. Dianna é, nas palavras de suas filhas, incrível e pacienciosa. Filha mais nova de quatro irmãos, seu irmão mais velho morreu por bala perdida em uma província distante, Dianna não fala muito sobre isso, ele era o sexto primogênito que nasceu com cabelos brancos de toda a família Morrison. Os boatos já existiam desde o segundo primogênito. Dianna nasceu com seus cabelos loiros como qualquer pessoa normal, mas seu irmão tinha os cabelos esbranquiçados como sua falecida mãe. Se apaixonou aos 19 anos por Harry e teve que lutar muito, passando por muito sofrimento, por ele ser de família rica e ela apenas uma garota de classe media — fora os boatos de que sua família era amaldiçoada que chegaram aos ouvidos dos seus sogros —, mas depois de três anos eles finalmente conseguiram ficar juntos legalmente. Com 24 anos engravidou de sua filha, que nasceu com os cabelos esbranquiçados, como todos os primogênitos da família. Cinco anos depois, com 29 anos, deu a luz a caçula Chlöe Dália que, assim como Dianna, nasceu com os cabelos loiros comuns. Dianna sempre teve uma ótima relação com as filhas, conversando sobre tudo e sempre dando muito atenção e amor, as pessoas admiravam a relação dela com as meninas, dizendo que pareciam melhores amigas, mas é claro que Dianna sempre impôs limites, deixando claro que era a mãe e exigindo respeito e obediência. Se orgulha do que sua menina mais velha se tornou e do que sua filha mais nova está se tornando. É mais chegada a Chlöe, pois a mais velha sempre passou mais tempo com o pai, mas ambas tem um ótimo relacionamento.




***




Harry Papermaker (Pai, 45, professor de medicina, Nikolaj Coster-Waldau) — Olhos azuis, que foram puxados pelas duas filhas, uma barba preta com seus fios brancos e cabelo castanho levemente comprido. Tem o maxilar quadrado e tom de voz áspero e firme. Harry sempre foi um excelente médico. Foi, a propósito, em uma consulta que conheceu Dianna. Sempre ouviu os boatos sobre a maldição dos Morrison, mas jamais havia visto a mais nova da família, achou que todos fossem amaldiçoados, mas ficou impressionado com a tamanha beleza e elegância de Dianna. Lutou contra a família pela a moça, usando na maior parte do tempo o argumento de que a maldição era bobagem e que Dianna nem tinha os cabelos brancos, convenceu os pais e se casou com ela, entretanto, dois anos depois do casamento, nasceu Piper, com os cabelos esbranquiçados, mau a garota nasceu e Harry perdeu completamente o contanto com os pais. Apesar disso é muito apegado a sua filha mais velha e acha-a linda com os cabelos brancos, ela é sua princesa. Harry se dedica ao máximo à família, sendo sempre atencioso.




***




Chlöe Dália Papermaker (Irmã, 14, estuda e ajuda na biblioteca da escola) — Chlöe é muito calma e sorridente, sempre com auto astral. É uma das garotas mais lindas do colégio e já foi o amor platônico de muitos garotos na província. É a protegida da sua irmã e adora quando ela vai até sua escola, gosta de ver as garotas da sua escola com inveja da beleza de sua irmã e os garotos mais velhos babando pela mesma. Tem uma ótima relação com os pais. Quer ser advogada e morar sozinha em um apartamento quando for maior, não por não gostar da companhia dos pais, mas por ser muito complexa, precisa de algo só seu, do seu cantinho e seu quarto já é muito pequeno para todos os seus desenhos, fotografias, hobbies e imaginação.




História:




Piper nasceu e cresceu em Dakota. Sua família é consideravelmente rica e conhecida, pela maldição e pelo carisma e lealdade. Piper sempre foi rodeada de falsas amizades, porque apesar de ser conhecida e rica, tem os cabelos esbranquiçados e muitos a chamavam de bruxa pelas costas, ela sempre soube que eram falsos, mas gosta de ter pessoas para conversar e era tão falsa quanto essas pessoas. Quem simplesmente não acredita na bobagem da maldição a acham uma garota perfeita, mas ela não é, na verdade é incrível o modo como é sim elegante, mas simples, lindamente simples. Uma vez quando tinha doze anos e estava andando de cavalo, em uma brincadeira boba, o instrutor de equitação bateu na bunda do cavalo e Piper, assim como o cavalo, se desesperou, se segurou firme no pescoço do animal e não caiu, porém ao descer do cavalo, estava tremendo. Ama cavalos e nunca permitiu que sua família culpasse o animal por isso, até comprou o cavalo, o cavalo que saiu correndo, chamou-o de Onix, morreu há quatro anos, era muito apegada nele, ensinou sua irmã a montar em Onix, apenas porque o cavalo sentia falta de levar alguém em suas costas, pois desde que foi comprado, uma semana depois do incidente, nunca mais carregou alguém. O motivo? Apesar de ainda amar cavalos e gostar de conversar com eles, Piper nunca mais conseguiu subir em um cavalo, ficou traumatizada. Piper, desde que terminou a escola só tem a companhia de sua família, os amigos sumiram... E foi mexendo em sites de fofocas que viu uma reportagem, uma entrevista feitas com algumas ex-selecionadas da ultima seleção. A maioria eram amigas até hoje. Era isso que ela queria! Uma oportunidade para se divertir, quem sabe virar uma princesa, mais além de tudo: ter amigas. Eu sei, ela parece uma desesperada solitária, mas não é. Piper desistiu da vida solitária que ganhou, quer algo novo, quer algo diferente, a vida pacata estava a agoniando. Esperou com paciência as vagas para a seleção abrirem e se inscreveu sabendo da pouquíssima chance de ser selecionada. Mas e se caso for? O que irá dizer aos pais? Porque tomou essa decisão sem contar para ninguém? Como sua irmã mais nova vai se sentir quando souber que, afinal, existe algo que não compartilharam uma com a outra como todas as outras coisas? Como sua irmã vai ficar sem a irmã mais velha? Como ela vai ficar em um lugar rodeada de desconhecidos? E se o príncipe não gostar dela? E se as selecionadas não gostarem dela? E se ela só conseguir inimigos? E se a rainha ou... Ou o rei odiá-la? Tudo isso passou pela cabeça de Piper, mas ela odeia ser pessimista então apenas se inscreveu e respirou fundo, voltando a agir normalmente: voltou a procurar cavalos na internet, sentia falta de ter alguém que não falasse sua língua, que não ligasse para a tal maldição, que não se importasse com o seu dinheiro, que não ligasse para nada que os humanos idiotas ligam. Talvez por isso quisesse ir para a seleção, deu uma pesquisada e cada membro da família real tem um cavalo só para si! Fora que eles tem um estábulo enorme cheinho de cavalos que nunca devem ter alguém para conversar, já que as pessoas acham idiota conversar com cavalos, mas para Piper isso é uma terapia, faz com ela não enlouqueça. Ser boazinha demais nem sempre é bom, as pessoas se aproveitam, mas os cavalos não, eles são eles mesmos, não se importam se as pessoas gostam ou não, são chatos quando querem ser chatos, te ignoram quando você é um tédio, viram seus melhores amigos quando querem comida e ainda assim, esse jeito deles de ser sinceramente eles faz com que nos apaixonemos, e eles nunca mudam a gente gostando ou não. Outros motivos para ter entrado na seleção são que lá as pessoas não ligarão para seus cabelos ou para seu dinheiro, estará entre garotas tão ricas e belas quanto ela, e isso é bom, ela gosta de não chamar muito atenção e isso sempre foi difícil em uma aldeia onde a grande maioria das pessoas tem o cabelo escuro.




Profissão antes da Seleção: Bibliotecária

Quando começou a trabalhar, odiava livros, porém agora é apaixonada por todos os livros que já leu, de fantasia à terror, de romance à drama, de poesias à rimas.

Alguns dos seus poemas favoritos:

"Eu Carrego seu coração comigo
(Eu o carrego no meu coração)
Eu nunca estou sem ele
(onde quer que eu vá, você vai, minha querida;
e o que quer que eu faça sozinho, eu faço por você, minha querida)

Eu não temo o destino
(porque você é o meu destino, minha doçura)
Eu não quero o mundo por mais belo que seja
Porque você é meu mundo, minha verdade.
Este é o maior dos segredos que ninguém sabe.

(Você é a raiz da raiz, e o botão do botão
e o céu do céu de uma árvore chamada vida;
que cresce mais alta do que a alma pode esperar
ou a mente pode esconder.
Este é o milagre que distancia as estrelas

Eu Carrego seu coração
(carrego no meu coração)"
— E. E. Cummings.

"De almas sinceras a união sincera
Nada há que impeça: amor não é amor
Se quando encontra obstáculos se altera,
Ou se vacila ao mínimo temor.
Amor é um marco eterno, dominante,
Que encara a tempestade com bravura;
É astro que norteia a vela errante,
Cujo valor se ignora, lá na altura.
Amor não teme o tempo, muito embora
Seu alfange não poupe a mocidade;
Amor não se transforma de hora em hora,
Antes se afirma para a eternidade.
Se isso é falso, e que é falso alguém provou,
Eu não sou poeta, e ninguém nunca amou.
— William Shakespeare

"Quero que todos os dias do ano
todos os dias da vida
de meia em meia hora
de 5 em 5 minutos
me digas: Eu te amo.

Ouvindo-te dizer: Eu te amo,
creio, no momento, que sou amado.
No momento anterior
e no seguinte,
como sabê-lo?

Quero que me repitas até a exaustão
que me amas que me amas que me amas.
Do contrário evapora-se a amação
pois ao não dizer: Eu te amo,
desmentes
apagas
teu amor por mim.

Exijo de ti o perene comunicado.
Não exijo senão isto,
isto sempre, isto cada vez mais.
Quero ser amado por e em tua palavra
nem sei de outra maneira a não ser esta
de reconhecer o dom amoroso,
a perfeita maneira de saber-se amado:
amor na raiz da palavra
e na sua emissão,
amor
saltando da língua nacional,
amor
feito som
vibração espacial.

No momento em que não me dizes:
Eu te amo,
inexoravelmente sei
que deixaste de amar-me,
que nunca me amastes antes.

Se não me disseres urgente repetido
Eu te amoamoamoamoamo,
verdade fulminante que acabas de desentranhar,
eu me precipito no caos,
essa coleção de objetos de não-amor."
— Carlos Drummond de Andrade

"Eu te amo porque te amo,
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor."


"Amei-te e por te amar.
Só a ti eu não via…
Eras o céu e o mar.
Eras a noite e o dia…
Só quando te perdi.
É que eu te conheci…
Quando te tinha diante.
Do meu olhar submerso.
Não eras minha amante…
Eras o Universo…
Agora que te não tenho.
És só do teu tamanho.
Estavas-me longe na alma.
Por isso eu não te via…
Presença em mim tão calma.
Que eu a não sentia.
Só quando meu ser te perdeu.
Vi que não eras eu." — Fernando Pessoa

"É preciso ser infeliz, de vez em quando, pra poder ser natural. Nem tudo é dias de sol" — Fernando Pessoa

"Eu preferia ser cinzas do que pó, uma faísca queimando numa fogueira brilhante, do que ser sufocado em putrefação. Porque o principal objetivo do homem é viver e não existir. Eu não vou gastar meus dias tentando prolongá-los, eu vou usar meu tempo" — Jack London





Gostos:

Cavalos;
Ler;
Cantar;
Cavalos;
Rosas vermelhas;
A cor azul;
Cavalos;
O céu de qualquer jeito. Para ela o céu é a definição de perfeito, pois é lindo quando chove, é lindo quando o dia está ensolarado, é lindo quando está nublado, é lindo quando está azul clarinho, é lindo de qualquer modo em qualquer estação de qualquer ano. O céu a única coisa perfeita que é real;
Chocolate;
Eu já citei cavalos?
Passear;
Conversar com estranhos sobre trivialidades e suas vidas;
Cavalos outra vez;
Apostar;
Discutir;
Conversar;
Frio;
Inverno;
Neve;
Mais cavalos;
Caçar vagalumes e depois soltá-los;
Olhar as estrelas;
Pudim;
Brócoles (chama de arvorezinha, desde bem pequena).





Desgostos:

Brigas;
Baixo astral;
Couve-flor;
Aipim;
Pessoas iludidas;
Iludir;
Pessoas mentirosas;
Pessoas que tentam humilhar outras e que dão apelidos malvados;
Pessoas que não conhecem limites.





Medos:


Andar a cavalos;
Acluofobia (mede ou horror excessivo a escuridão), sim a Piper tem medo de escuro, por isso sempre dorme com uma vela ou abajur ligado. Na sua casa tinha seu abajur que era programado para desligar quando sua mente se acalmasse (ou seja: quando ela dormisse). Ela pode não demonstrar, mas começa a soar frio e a tremer, além de que simplesmente não abre a boca, não fala nada, apenas encara um canto vago e parece sem vida. Fica vazia.



Manias:

Apartar as mãos quando está nervosa;
Batucar os dedos quando está ansiosa ou agoniada;
Limpar e/ou desamassar o vestido automaticamente quando não sabe o que dizer;
Morder o lábio quando está pensando;
Mexer no colar quando não sabe o que fazer;
Mexer no cabelo quando não tem o que fazer;
Ficar com uma das mãos na barriga quando está nervosa ou com muito medo de algo.



Já namorou? Se sim, ainda é virgem?
Já namorou umas duas vezes, por culpa do cabelo é difícil achar pretendentes, mas sua mãe sempre consegue empurrar alguém de classe alta para ela. Já chegou perto de "Furnicar" umas três vezes, mas nunca achou CERTO, como se algo não se encaixasse, ela não quer um momento mágico, é sexo. Não tem como ser mágico, ela não é uma romantica iludida. Entretanto quer que seja com alguém que ela ame, alguém com quem ela não sinta vergonha de ser virgem, alguém que ela saiba que a deseja tanto quanto ela o deseja. Alguém que queira muito, mas que a ama muito além do puro desejo.




Sobre a Vida no Palácio:



O que acha da Seleção?
Uma oportunidade de fazer amizades e quem sabe encontrar um amor.

Qual será sua relação com o Príncipe:
Inicialmente Piper vai estar bem curiosa sobre a vida no castelo e sobre a vida de um príncipe, deixando para lá a bobagem impressiona-lo, é difícil alguém não se impressionar com o cabelo dela. Piper pode vir a ser uma amiga, ser a espiã dele entre todas as outras selecionadas E AI, quem sabe, acabar se apaixonando por algum outro nobre no meio do caminho?

Daria algum apelido ao príncipe? Se sim, qual?
Começaria chamando ele pelo Sobrenome, é da natureza dela, depois de Benjamin, assim, o nome inteiro, porque ela não gosta de ser igual todas as outras que irão chamá-lo de Ben. Se ele quiser que ela lhe de um apelido, porque não gosta do nome completo ela virá a chama-lo de Benmin ou Jamin. Ela gosta de apelidos que ninguém mais bota.

Qual será sua relação com o resto da família real?
Ela os tratá com respeito, sempre prestando atenção em sua palavras e tentando nunca sair fora da linha, mas Piper não é santa, quebra algumas regras sem se importar ou sentir remorso. Ela não é do tipo que finger ser o que não é, ela é aquele tipo de menina que choraminga quando quebra uma unha, e vai mostrar isso para a familia real. Agora ela tem vai fazer questão de mostrar que é aquele tipo de garota que sabe manejar uma espada e que aprendeu a atirar desde pequena.

Qual é a sua opinião em relação a Família Real?
Piper acha muito fofo o relacionamento dos Reis, admira a Rainha por sua beleza, bondade e historia e admira o Rei por seu carisma, sabedoria e por ser muito maduro e sério quando preciso.

O que te tornaria parte da Elite?
A escolha do príncipe :v - Zoa.
Provavelmente a amizade que ela vai criar com o príncipe, tudo o que ela não quer é voltar tão cedo para sua vida de garota burguesa e o príncipe vai entender isso. Acho que ela pode vir a ser até a melhor amiga dele, tipo conselheira. Ou quem sabe a bondade do príncipe que só a mantém ali por causa de um romance que ela virá a ter com algum nobre que chegou para ficar por algum tempo?

O que te tornaria a escolhida?
Nada. A menos que as outras selecionadas sejam realmente muito ruim. Porque Piper não está ali pela coroa ou pelo principe. Ela até pensou "Quem sabe eu me apaixono", mas aí ela o conheceu e tudo o que viu nele foi um irmão mais velho que nunca teve. E ela desejou do fundo do coração ser alguma prima distante, qualquer coisa que mantesse ele unidos para sempre sem ser pelo casamento, por que não se amavam como marido e mulher, mas como irmãos.

Trapacearia para ganhar?
Jamé. E se você aceitar ela, é provável que ela fique de olhinho para ver quem é que trapaceia e contar para o príncipe, ela vai por algumas em altas e vai dizer "Nem pense em ter algo com aquela", o príncipe não precisa exatamente amar quem Piper amar, porque Piper tem uma personalidade bem difícil, mas ela vai tipo dar uma forcinha, dizer como todas são e o quão dispostas estão a ter a coroa e não o coração dele.

Quer ter amigas/aliadas?
Aham.

Teria algum relacionamento com um guarda, selecionada ou outra pessoa da realeza:
Ela pode encontrar um primo distante que é guarda e eles se tornariam melhores amigos e o príncipe pensaria que eles tem um caso, mas ela explica tudo e aí ela podia se apaixonar por algum nobre, primo, do príncipe.

A história irá começar com a festa de aniversário do príncipe, qual é o presente que você irá levar para ele?



"Meu presente... Bem... Não é nada tão grandioso quanto eu gostaria, nem tão caro e útil, entretanto diz uma lenda, que em um tempo tão distante que já se perdeu a conta de quantos anos faz, as mulheres de gelo cuidavam dos ovos de dragões até que eles eclodissem enquanto as mães deles caçavam, e em troca cada mãe dragão, que pôs seus próprios ovos, davam pedras preciosas como agradecimento. Essa pedra, sendo a lenda verdade ou não, passou de geração em geração em minha família. Eu procurei bastante um presente para dar, algo ao qual o príncipe não tivesse acesso. Então eu encontrei isso, eu sei que é algo de família, que não tem nenhuma utilidade ou relevância, mas, às vezes, é bom ficar olhando para ele. É real, porém mágico ao mesmo tempo. Não se sabe se a lenda é real, mas as mulheres de gelos existem, por exemplo a famosa Branca de Neve, se ela existiu eu não sei, mas ela era uma, tão branca como a neve e tão delicada como uma rosa. Cabelos brancos, olhos claros e pele pálida. Eu descendo das mulheres de gelo, talvez por isso essa pedra ametista seja tão significante para mim. De qualquer forma custa muito dinheiro pois é um item de colecionador, afinal cada família que descende de uma das mulheres de gelo tem uma pedra diferente de cores diferentes."




Sobre as Roupas e Acessórios:


O que mais costuma usar? Vestidos.

Cor (ou cores) que prefere os vestidos? Cores claras na maioria das vezes, mas gosta de variar e usar umas bem fortes para fazer contraste com a sua pele e cabelo. Geralmente vestidos preto e branco, gosta muito dessa combinação.

Vestidos longos ou curtos? Ousados ou mais recatados?
Prefere vestidos longos e recatados, mas é como a lua e tem fazes e dependendo do humor adora ousar um pouquinho. Afinal as pessoas viviam julgando-a, chamando-a de bruxa, ela teve que aprender a se amar na marra e hoje em dia sabe que é bonita e tem um corpo esbelto, por isso não se faz de coitadinha. Prefere vestidos soltos, gosta de se sentir livre e poder se movimentar, mas sem nunca perder a elegância, apenas não gosta de coisas muito cheias de detalhes e frufrus.

Alguns exemplos de vestidos que ela pode usar:
1 -
2 -
3-


Objeto Especial:



Um presente do seu pai, ele brilha no escuro e a faz se sentir mais segura no mesmo, já que morre de medo. Por esse motivo sempre que se sente sozinha mexe no colar, faz com que ela se lembre da família.




Algumas coisinhas mais:



Defeitos:


Perfeccionista;
Apesar de ser dificilmente irritável, caso se irrite é melhor que as pessoas estejam longe, pois desconta a raiva em qualquer um;
Fala o que vem na cabeça;
Fala sozinha;
Se fica com raiva desconte em qualquer um que está na sua frente;
Sincera demais;
É irritante quando põem algo na cabeça.



Talentos:

Tiro ao alvo, tem uma mira ótima;
Dança balé.



Hobbies:

Gosta de tirar fotos;
Dança balé;
Mexer com armas e coisas perigosas, adora sentir adrenalina. Sua favorita são facas, gosta de se auto desafiar a acertar em alguma coisa, qualquer coisa que esteja longe e seja inanimado se torna um alvo.




Encontro perfeito:

P.S: Com o nobre pelo qual se apaixonaria, não com o príncipe.

Ele acaba descobrindo que ela tem medo de andar de cavalo e tenta fazê-la andar em um, vencer o medo, só que ela tem trauma disso e começa a chorar, ai ele tenta acalmá-la e não consegue. O encontro então é um fracasso, mas ele tenta se redimir, é quando começa o jogo de tentá-la fazer sempre sorrir e nunca chorar. Ele tenta fazê-la sorrir e ela tenta se segurar, quem perder fica devendo uma para o outro, isso significa que terá que fazer uma coisa que o outro pedir, independente do que seja. Por isso até quando passam um pelo outro em um corredor ele tenta fazê-la sorrir em segundos. Ela não admite, mas basta ele virar as costas e ela acaba abrindo um sorriso. Acho que o encontro perfeito mesmo não seria com os dois frente a frente, ele, por exemplo podia não ter conseguido fazê-la sorrir em algum dia, aí entregou-lhe um pedacinho de papel, e disse que quando ela se sentisse triste, era só abrir e ela sorriria. Ela disse que não sorriria independente da frase que estivesse ali, ele disse que então ela não tinha o que temer, aí o tempo passa e sozinha no quarto dela, ela fica com medo é aí que ela abre o papel e ao invés de uma frase bonita pode esta escrito “Não é que eu consegui fazer você abrir o papel?” ou “Venci” e aí ela vai sorrir sozinha e se sentir melhor. Eles fariam sempre essa brincadeira, o nobre tentaria fazê-la sorrir e ela não pode sorrir, se ela sorrir, perde, se ela não sorrir ele perde, e quem perder deve algo para quem ganhar, qualquer coisa, desde um beijo até uma ajudazinha quando o outro precisar. [/justo]

Música tema da personagem:
Home, Gabrielle Aplin.



Música tema da personagem com o nobre pelo qual se apaixonará:
True Love, Pink ft. Lily Allen.


OBSERVAÇÃO: Bem, acho que em algum momento Piper podia perder o medo de andar de cavalo ou o medo de escuro, mas antes disso ela podia ter algum ataque por causa do escuro em algum momento e todo mundo fiaria assustado porque geralmente ela é a mais calma, lembrando que quando ela entra em pânico, simplesmente fica muda e começa a tremer e soar frio.

Algumas frases que Piper diria:


“— É por isso que eu gosto de música, além de transformar qualquer momento merda em algo mágico ou no mínimo suportável, consegue resumir sua vida inteira em um único refrão.”

“— Espero que teu ego seja quente o suficiente, porque será a única coisa que vai ter nos dias frios.” — Dela para alguém que se acha muito.

“— Merdas, no mundo real, acontecem dia após dia, a gente acaba se acostumando e aprendendo que chorar e se lamuriar não muda porcaria nenhuma. Ajuda? Sim, mas não muda nada. Só nos deixa com ruguinhas a mais e a pele ressecada.”

“— Sou sua amiga, não estou aqui para ditar se o que você fez é certo ou errado, estou aqui para ficar do seu lado, independente do que tenha feito.” — Ela para alguma selecionada.

"— É normal que você se sinta assim perante eles, são a família real! Apenas se lembre de sempre ser você mesma, e não tenha medo de dizer o que pensa e nunca pare de sonhar em voz alta." — Ela para alguma selecionada.

"Não é porque o céu está nublado que as estrelas morreram."

"— Você pode ter o coração partido ou você pode virar o rei mais feliz que todo o país já teve, você só vai saber se arriscar." — Ela para o príncipe.

"— Você quer ser a rainha, então presta atenção: Você vai ver milhares de coisas que vão te machucar e que vão te fazer desmoronar, mas você precisa manter um sorriso no rosto, você precisa se manter impassível e então, depois de tudo, quando você estiver sozinha, vai se reconstruir, pedra por pedra e não importa se vai ter Benjamin no seu lado, vai ter que aprender a se reconstruir e se curar sozinha, e só depois compartilhar as coisas com ele. Então comece esse exercício desde agora. Acredite em mim, eu sei o que é sofrer pela opinião dos outros. Então faça piadas de você mesmas e os outros não terão do que rir. Transforme isso que te machuca na sua armadura, então não irá mais te ferir, não vai mais doer, não tanto. Acredite, falo isso por experiencia própria. Tenho orgulho do meu cabelo, da minha cor, da minha linhagem, mas eu sei como já me odiei profundamente e pensei em me suicidar milhares de vezes."


Outros gifs e fotos dela:



1.

2.

3.

4.

5.

6.

7.

8.

9.

10.

11.

12.

13.

14.

15.

16.

17.

18.

19.

20.

21.

22.

23.

24.

25.

26.

27.

28.

29.

30.

31.

32.

33.

34.

35.

36.







Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...