~Najaw

Najaw
Haters Gonna Hate
Nome: ☪Ella |☯Alasca, mas não confundam com a Alaska mosca morta☯|☸Ella Loves Rick☸
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 6 de Novembro
Cadastro:

⚛The Magic Lives Within Us ☪


Postado





– Eu só quero ter a chande de poder enfrentar as consequências das minhas próprias escolhas, e não aprender a lidar com as maldições que meu sangue as trouxe para mim – Charlize Oswald Bellerose.

• Ɗαɗσѕ Ɓάѕιcσѕ •


Ɲσмє : Charlize Abgail Oswald Bellerose.
Charlize: Tem origem francesa sendo variante de Charlote, tem o significado de "Aquela que é forte"

Abgail:Abigail é um nome de origem bíblica e hebraica do “Abhigáyil”, que é composto pela junção de “abh” que quer dizer “pai” e “gil” que significa “regozijar-se”. Tem como significado “alegria de meu pai" ou possivelmente “aquela cujo pai é alegria”

Oswald: Sobrenome de origem inglesa veio da parte biológica de sua família Cristã que atuava fortemente na religião ao londo dos séculos, seu significado é ''Poder de Deus''.

Bellerose: Sobrenome de origem francesa foi herdado a seu nome em parte de sua família adotiva, sendo o mesmo de origem francesa e com o significado de ''Bela rosa''.

AρєƖιɗσ:
Desde pequena é chamada por seus pais adotivos de Charlie, porem alguns amigos e professores de Beauxbatons tem o costume de a chamarem de Abby


ǀɗαɗє :
17 Anos, nascida em 06 de novembro portanto escorpiana.

Sαηgυє:
Mestiço (Origem de sua parte bruxa no tópico História)

Um oitavo Lobisomem.

• Ƒίѕιcσ •

Aραяє̂ηcια
ƤнσтσρƖαуєя:Crystal Reed




Sua boca é em formato de coração ou seja, o lábio inferior e superior são ambos carnudos, porém, o superior é menos carnudo que o inferior, lábios úmidos, mesmo em tempos frios estes não ficam rochosos, sendo eles naturalmente rosados. Seus olhos são redondos, com a íris de um verde cristalino levemente escurecido, com a pupila amendoada quase nunca dilatada, com o limbo esclerocorneal fino e preto e quase não percebe-se por ser exageradamente fino. A esclerótica não possui nenhuma mancha e é totalmente branca, sem apresentar as raízes. Seus cílios são do tipo volumosos, sendo eles naturais, começando baixos na raiz dos cílios, mas ao ir para trás começa a ficar mais alto. As sobrancelhas são ligeiramente angulosas, alaranjadas. Os seus cabelos não passam dos bustos, sendo dessa altura, com a raíz lisa, mas possuindo leves partes onduladas naturalmente, e sua cor é um tom de ruivo levemente avermelhado e de carácter tingido. Sua pele é extremamente pálida, fina e delicada, ficando facilmente irritada ou avermelhada com leves contatos indesejados.
Fisicamente possui estatura baixa, e pesando pouco, sendo magra. Os seus seios são medianos, a pele fina e pálida, tem coxas ligeiramente mais grossas e um quadril mais contido lhe dando a primeira vista um aspecto mais reto, porém possui uma área traseira privilegiada. Os pés e as mãos pequenas, com os dedos finos e as unhas grandes e que ela geralmente permanecem sem cor alguma artificial.


• Ʋιɗα ρєѕѕσαƖ •

ƝαcισηαƖιɗαɗe:
Francesa

Hιѕтσ́яια:
O início :

"Nem todas as histórias de amor sobrevivem a uma guerra"

Em meados da década de sessenta um casal se destacava em meio aos novos formandos de Hogwarts por suas particularidades que fugiam do senso comum presente na hierarquia daquela entidade educacional que sobrevivera através do tempo.

As grandes paredes de pedra e o preconceito estabelecido como boatos e ensinamentos indiretos aos Sonserinos não foi capaz de ofuscar a maneira que os olhos de Stefan brilhavam todas as vezes que caminhavam em direção a sua amada. O rapaz havia aprendido desde cedo a menosprezar os meros insetos que os trouxas representavam, assim como o perigo que os bastardos que não eram sangue puro representavam a todos que prezavam por uma raça pura.

Mas uma coisa foi capaz de mudar tudo isso, a poção Amortentia.

Os sentimentos da garota por muito tempo não foram correspondidos em meio aos lados opostos que se encontravam desde o primeiro ano que seus pés se encontraram no terreno de Hogwarts, Laura sentiu em seu peito algo que ninguém jamais havia despertado em seu interior. Nascida de um casal de trouxas a garota sentiu de perto todo o veneno que bruxos, mesmos dos mais novos eram capazes de lançar em meio as coisas que já haviam sido ensinadas a eles mesmo que desde o seu berço.

Stefan era frio e orgulhoso, pisava nos alunos mais frágeis e sempre fazia questão de deixar explícito a inferioridade que os filhos dos trouxas e não sabia que suas palavras hostis feriam mais que o esperado a garota dona de longos fios negros e olhos amadeirados.

Laura havia sido selecionada a Lufa Lufa após um grande debate interno e a apuração do Chapéu Seletor que via dentro de seu peito a coragem necessário para leva lá a Grifinória, assim como a aplicabilidade necessária para a Corvinal, mas seu coração procurava algo mais tranquilo se rendendo as promessas e encantos Lufanas esse virou seu lar.



O chapéu apenas havia ignorado seu potencial Slytherin.

Laura embebedou a taça de ponche do rapaz no primeiro baile daquele último ano com a doce e devastadora Amortentia. Um amor nasceu ali de maneira devastadora e intensa, não vieram somente palavras doces e toques afetuosos após aquele momento, Laura teve a doçura dos efeitos da magia em seus lábios com o gosto amargo de uma obsessão que surgira do copo que Stefan bebeu.

As noites eram adocicadas assim como os dias que por mais nublados que fossem pareciam ter a beleza de uma tarde ensolarada quando ambos estavam juntos, não importava a opinião da família tradicional do rapaz e nem mesmo o que os alunos daquela escola pensavam quando os dias passavam com a velocidade da vassoura mais rápida da época. Eles se amavam, não da maneira correta ou pelos motivos naturais que uniam as almas, mas eles estavam ali, um para o outro.

Os anos passaram com a leveza de um véu de seda, a jovem ironicamente havia se entregado a profissão de monitorar aqueles que faziam o uso indevido da magia estando assim de frente quando a primeira guerra bruxa se estabeleceu e sentiu em sua pele com o queimar de uma varinha os frutos de uma perseguição implacável que os Comensais da Morte travaram em busca de exterminar todos os bruxos que não se portavam em uma linhagem pura.

Quando no meio da noite a residência dos mesmos foi invadida a garota que agora havia se tornado uma mulher teve que fazer suas escolhas, e morreu ali por defesa em amor aquele que no passado fora capaz de envenenar com a mais doce das magias. Aceitou seu destino quando se ofereceu em vida no lugar que matassem seu amado, e antes que o último suspiro em vida escapasse de seus lábios ela o contou a verdade ali quebrando o feitiço enquanto perdia a vida nos braços do único homem que já havia capaz de ter amado.

Um sentimento brotou no peito do rapaz naquele momento, não era o amor que Laura havia usurpado em seu peito, mas a compaixão em meio ao seu posto e sacrifício que havia preservado sua vida enquanto a dela partiu. De maneira verdadeira ele depositou um beijo nos lábios ainda mornos da moça em seus braços, e recolheu em um vidro as poucas gotas de sangue que escorriam de seu corpo devido aos intermináveis Cruciatus daquela trágica noite.

De alguma forma toda a bondade da garota adentrou na alma gélida e hostil que voltava a sua verdadeira forma, quando no peito de Stefan queimou o desejo de nunca mais deixar que nenhum mestiço morresse daquela forma.

Os ingredientes pareciam cair de suas prateleiras e se guiarem sozinhos nos movimentos rápidos que o rapaz fazia enquanto criava a poção que seria capaz de aos seus olhos evitar o massacre em massa dos próximos mestiços em outras guerras, eles jamais se esconderiam ou ocultariam suas origens por vergonha pois estariam em um mesmo corpo, em um mesmo pensamento em uma única conexão.

O último ingrediente foram as férricas gotas de sangue de sua querida Laura, misturadas também com o sangue agora limpo do rapaz que vagou a diversas maternidades de crianças trouxas naquela noite, pequenas gotas da poção foram depositadas nos lábios de um número exorbitante de bebês naquela noite, até que todo o líquido do vidro fosse embora.

Depois daquele momento, o desejo de Laura havia sido realizado, de alguma forma todas as linhagens que se estabeleciam dos laços do sangue do casal os tornavam seus filhos, mestiços que com sorte vingaram mesmo vindos de famílias sem um pingo de magia no sangue. Todos eles estariam conectados, e sentiriam uns aos outros deixando de serem presas fáceis aos extermínios em massa que o Lorde das Trevas planejava.

A vida de Stefan se foi dias depois quando descuidado foi pego enquanto identificava as poucas crianças que haviam aderido a magia dentro de seus corpos, Comensais da morte o encontravam e aquele foi seu fim que se sucedeu da mesma maneira que o de Laura.



Em seu último suspiro ele compreendeu a exata motivação de seus atos, quando algo esquecido em seu peito havia voltado a pulsar, não existia Stefan sem Laura.

Sua linhagem :

Helena Oswald foi a filha única de uma família colonizadora da cidade de Eguisheim na França que chegou após a trajetória da Inglaterra até este pequeno vilarejo com o intuito de formar a primeira comunidade cristã, devoção que começou em sua família na década de 30 com seus tataravós Margot e Alistair Oswald na grande Londres quando se firmaram ali contra sua vontade após o período de afastamento dos mesmos nas cruzadas de caça às bruxas que havia se estendido após a queda da idade média sendo algo omitido na história geral. A verdade é que ao longo das décadas os caçadores apenas aprenderam a ser mais cautelosos em suas caçadas atrás criaturas sobrenaturais saindo assim do radar do que humanos sem este conhecimento poderiam interpretar como uma onda de assassinatos ou perseguição em massa como estabeleceram na idade média.

Edgar Oswald abandonou a grande Londres assim como seus pais com certa idade e vagou em rumo a França seguindo os boatos de que um grande números de bruxos viviam ali camuflados em meio a humanos de maneira a fazer a sociedade atual ainda abastecida com os dogmas do Renascimento cultural estarem tão ocupadas com si mesmos para notar os acontecimentos inexplicáveis que rondavam o país. Assim que seus pés tocaram o solo francês após o pequeno navio atracar seu caminho fora guiado até o de outra família imponente da Região, os Argent que foram os responsáveis por mandar o telegrama aos ingleses avisando sobre esta futura caçada que os aguardava.

Edgar fora obrigado a se casar com Marianne Fiorenza Argent, a filha mais nova da família que até tal momento permanecia sem quaisquer pretendente e juntos enquanto a moça estava a espera de seu primeiro filho se firmaram em um pequeno vilarejo impulsionado pelo dinheiro que sua família ainda o mandava de Londres, local que mais tarde seria conhecido por Eguisheim.


A primeira criança cujo o casal deu a luz fora Bartolomeu Oswald, que veio ao mundo em uma noite fria de dezembro lutando por sua própria vida quando seu parto ocorre em uma cabana. Naquele noite seu pequeno corpo teve indícios de uma cruel hipotermia que poderia levar o mesmo a óbito, então Edgar e Gertrudes, a mulher mais velha dos Argent viajaram a madrugada toda até encontrar uma das cidades mais próximas que poderiam lhe oferecer primeiros atendimentos à criança antes que fosse tarde demais.

O pequeno Bart foi acolhido em um humilde hospital local e mantido em uma incubadora aquecida junto em tantos outros bebês, na mesma fatídica noite em que Stefan seguiu com seu plano. Pequenas gotas da poção foram derramadas em seus lábios, enquanto seus parentes aguardavam na sala ao lado nem imaginando que o garoto estava sendo embebedado pelo sangue de bruxos.

A magia aderiu a alma da criança que mesmo sendo o mais velho daquela união de caçadores não se sentia capaz de continuar com o legado herdado, Bartolomeu abandonou as caçadas no auge de sua juventude e na calada dá noite abandonou a comunidade dos caçadores partindo para viver bem longe dali.


O homem viveu todos os dias de sua vida sem conhecer o real significado do porque se sentir conectado a pessoas que nunca viu em sua vida, se casou e tevê uma única filha Helena Oswald, um espírito livre que não podia ser contudo pelas correntes de seu pai. A garota cresceu de maneira sadia em um lar equilibrado, fora fruto de um amor por escolhas próprias, e não imposto como fora o de seus avós, mas quando possuía dez anos viu sua vida inteira mudar quando seu pai fora internado como louco.

Sete anos se passaram sem que a mesma o visse, à criança que um dia ele conheceu havia se tornado uma mulher, dona de fios negros e brilhantes, lábios rosados e uma oratória admirável, ela sem nem mesmo amadurecer totalmente ao lado do pai se tornou o que ele exatamente esperava dela.


Aos seus 17 anos ocultou o acontecimento mais improvável de sua vida, pode ouvir uma doce voz em seu sonho lhe dizendo um caminho que seria percorrido por seus pés rumo as respostas que procurava em sua vida, a voz era calma e macia, a inspirava a ter confiança assim como o rosto delicado e gentil da mulher ruiva que se fez presente naquela noite. Essas aparições se tornaram cada vez mais constantes e a garota enxergava em cada uma delas os acontecimentos que faziam todos crer que a mesma estava ficando louca, assim como seu pai.

Aqueles trouxas não eram capazes de compreender que tudo aquilo era apenas algo lindo, um fruto de um amor bruxo vingado e semeado no sangue de tantas crianças na noite do nascimento de Bartolomeu. Naquele mesmo ano a verdade veio até Helena, assim como a notícia de uma gravidez inesperada cujo o pai da criança não se encontrava mais com ela para assumir a causa, uma bile subia a garganta da mulher que sentia que algo de ruim estava por vir.

O primeiro sinal veio de sua mãe que não aguentava mais a vergonha que carregava por ter um marido e uma filha loucos os prendeu dentro de casa. A barriga de Helena crescia cada dia mais, e quando sua mãe colocou os olhos nela não acreditou no que seus olhos puderam ver, aquela bastarda infame havia conseguido trazer ainda mais vergonha e derrota ao nome dos Oswald. Meredith agrediu sua filha naquele noite, ignorando os gritos de Bartolomeu que implorava que ela parasse, quando o homem encarou os olhos azuis da mulher que um dia jurou amar até o final de seus dias enxergou somente o brilho infame da real insanidade.

As dores acompanharam Helena naquela noite até seu sono, quando seus pensamentos foram de encontro aos de Cassandra que lhe disse que a hora de trazer aquela criança ao mundo havia chegado. Helena deu a luz a menina sozinha em seu quarto, sem a felicidade que um nascimento deveria representar na vida de uma mãe. Enquanto a escolha de seu nome, a mulher não teve dúvidas enquanto o mesmo, Charlize significava Garota forte, exatamente como o bebê que ela carregava em seus braços. A jovem mãe teve que calar o pobre choro da criança antes que ele acordasse Meredith, e pela janela de seu quarto ela pode ter certeza que não estava louca quando foi capaz de ver e tocar nas mãos da jovem bruxa de cabelos vermelhos.

A mãe passou o bebê pelas grades de seu quarto, com a dor no peito de deixar a garotinha prematura nos braços de Cassandra.

Naquela noite Helena veio a óbito por uma hemorragia não tratada por causa do parto, Cassandra sentiu as intensas dores da mulher junto a ela, mesmo que distante e soube no exato segundo em que seus olhos se fecharam e seu corpo foi abraçado pela morte.

Charlize foi adotada pelos Bellerose, e criada por Cassandra e Evan ao lado de sua pequena filha, chamada Maeve.

Meredith encontrou o corpo de sua filha pela manhã e se arrependeu fortemente por seus atos, em seus últimos momentos ela abriu o gás e ateou fogo em sua própria casa por fim acabando com a sua vida e a de seu marido.

Ninguém nunca questionou se Charlize esperava um bebê pelo o estado irreconhecível de seu corpo após o incêndio.

Charlize cresceu em um lar sendo amada e protegida, dividiu tudo com a garota que hoje considera sua irmã mais velha mesmo que a diferença seja de poucos meses. Cassandra sempre enxergou muito de Helena em Charlie desde seus primeiros passos, as coisas pelas quais a garota se interessava e até mesmo seu comportamento com Maeve.

Ali a história recomeçava outra vez com a ligação entre Charlize e Maeve.

Uma ligação que deveria significar algo, Charlie e sua irmã possuíam os mesmos devaneios que fizeram Cassie e Helena conhecerem uma a outra, um garoto chamado Maxon era quem elas viam em seus sonhos por mais ingênuos que pudessem ser.

O garoto de fios dourados e olhos amendoados foi seu primeiro amor, mesmo que para ela aos dez anos isso significasse apenas que seu coração se acelerasse todas as vezes que conversavam em seus sonhos ou que ele a contava histórias, Maxon era um bom contador delas e aquele que a apresentou Robin Hood, e excentricidade do personagem que fazia atos errôneos por fins bons, ajudava os demais mesmo que para isso fosse um vilão aos ricos.

Isso a fez gostar de arco e flecha, talvez mais do que de livros ou bonecas como eram as preferências de sua irmã mais velha.

No verão seguinte a garota foi mais uma vez para a Academia de Bruxos e Bruxas Beauxbatons aonde aprenderia o que sua mãe e seu avô desconhecerem em todas as suas vidas, e todas as novas descobertas faziam com que sua ligação a Maxon ficasse mais frágil e distante, ela tinha muito a descobrir e pensar, mais do que esperava até o certo momento.

No início de suas férias ela mal podia esperar para encontrar Maxon em seus sonhos novamente, para contar ao mesmo suas descobertas e que ele também poderia fazer as dele, como bruxo em Hogwarts ou até mesmo em Beauxbatons assim, mas o garoto não estava mais lá..

Charlize teve o conhecimento pouco tempo depois que Maxon havia morrido, em um novo surto de febre amarela que rondava Essex , os médicos não conseguiram o tratar a tempo o que fazia a garota se perguntar que se ele estivesse no mundo bruxo, os socorristas de lá teriam o curado.

Esse foi o evento mais importante que sufocou seu coração, ela não sabia mais ao certo aonde começar a juntar os pedaços que haviam sobrado como estilhaços ao vento, e nem mesmo como lidar com a morte de alguém que estava presente com a mesma desde o início de sua infância até a entrada de sua adolescência.

Naquele momento Charlie sentiu inveja dos trouxas, e da falta de conhecimento que os rondava, eles tinham suas esperanças limitadas pois não sabiam o quão grande aquele mundo era e as respostas que poderiam vir a seus problemas. Eles aprenderam a viver limitados e se saiam bem em meio a tudo isso, a garota se obrigou a pensar na mãe de Maxon no momento seguinte e no quão doloroso isso havia sido para ela e no quanto ela gostaria de ir lá e dar um abraço no mesma.

Aquela foi a primeira vez que aparatou ou partiu em busca de algo sem Maeve e por mais simples que isso parecesse a assustava, pelas ruas inglesas a garota esguia e de cabelos negros caminhou com certa desconfiança, pela janela da pequena casa de madeira ela pode ver uma cama vazia com os mesmos lençóis azuis de seus sonhos e um homem curvado chorando em meio aos lençóis de Maxon.

Charlize tocou o vidro fazendo um pequeno ruído que fora captado aos ouvidos do homem que se virou arregalando seus olhos a figura da garota de quinze anos na porta, os olhos do homem brilharam em uma cor alaranjada, aquilo foi o suficiente para fazer a garota correr em meio as casas logo pairando em um largo quintal com folhas secas ao chão com o homem a cercando a sua frente.

A garota pensou em um de seus livros da escola, o ministério da magia havia dado a nota mais alta em relação ao perigo que os Lobisomens representavam a bruxos em geral e agora com aquela criatura a sua frente somente a figura de Maeve vinha a sua mente, ela poderia a ajudar.

O silêncio foi quebrado quando o homem a chamou de Helena, a semelhança era notável segundo a pequena foto que a garota guardava dentro de um caderno em casa e o fato de tal criatura saber o nome de sua mãe a deixou intrigada. Até que o momento da verdade a atingiu com a velocidade de uma flecha, Erza era o antigo namorado de sua mãe que a abandonou grávida quando voltou a Inglaterra, Erza era seu pai assim como também era tio
de Maxon....Maxon era seu primo?

A verdade as vezes pode ser mais dolorosa que a mais trabalhada das mentiras.

Os Lins tinham um costume próprio, eles eram descendentes de uma linhagem de Lobisomens em quase extinção, seus descendentes não se transformavam em uma cheia como os demais, eram apenas homens e mulheres comuns, mais impacientes que o normal, hiperativos, com reflexos melhores que os de humanos, eram apenas isso até sua transformação total. No aniversário de dezesseis anos, todos eram mordidos e se fortes o suficiente sobreviveriam como verdadeiros Lobisomens que poderiam ser.

Maxon não havia sido forte o suficiente.

Erza não acreditava que Helena poderia lhe dar filhos, por isso havia a abandonado mesmo que sem ele tivesse conhecimento, grávida.

Charlize sumiu por uma semana inteira enquanto permaneceu em Essex engolindo todas as histórias de seu pai, mas quando suas férias estavam para acabar ela retornou para casa.

Em meio as tantas mentiras que cercavam em sua vida e a recusa da mesma de receber a mordida dos Lins ela estava pronta para mais um ano em Beauxbatons, um ano em que ela viveria pelas consequências de suas escolhas, e não as dos outros.

Mesmo que as marcas da vida a fizessem não confiar em quase mais ninguém.




ƑαмίƖια:



Mãe Adotiva — Escritora para o profeta diário — 41 Anos — Bruxa



Evan Christopher Bellerose
Pai — Professor de literatura — 44 Anos — Trouxa.



Maeve Amélie Bellerose.
Irmã adotiva — 17 Anos — Bruxa. {Personagem do @Alpha-}



Erza Amadeus Lins
Pai biológico — 45 anos — Lobisomem

Ƥσѕѕυι αƖgυм αηιмαƖ ɗє єѕтιмαçα̃σ?
Não.

• ƤѕιcσƖσ́gιcσ •

ƤєяѕσηαƖιɗαɗє:
"Charlize é como uma bomba relógio prestes a explodir a qualquer momento"

A palavra que é capaz de resumir a essência dá garota é determinação, para Charlie nada é impossível desde que a mesma se empenhe para conseguir seus alvos nunca desistindo de seus sonhos ou metas ela aposta todas as suas fichas em si mesma pois reconhece todo o seu potencial em meio as reviravoltas que a sua vida deu e caminhos que a levaram até Beauxbatons. É uma garota de gostos altamente peculiares, não somente em comparação a realidade trouxa que deveria ter herdado de seus pais mas também em relação a maioria dos gostos que deveriam ser despertados em sua natureza bruxa como por exemplo o Quadribol, que por mais estranho que pareça é uma modalidade que a mesma repudia mas não perde nenhum dos jogos de sua casa, tal ato não está em gostar ou não do esporte, mas sim em cortejar sua casa e torcer para que ela esfregue a cara de uns cretinos.



O ceticismo é uma de suas palavras chave quando se desvenda a mesma, não existe verdade alguma que a garota não procure desvendar antes de aceita la como irrefutável pois seu senso de controle em todas as situações. Sua índole é questionável assim como seus alvos que constantemente são mascarados, ela pode contar uma grande verdade a uma pessoa, não por se preocupar com a mesma e querer garantir que nada fosse escondido, mas sim pelo motivo de que talvez fosse mais interessante ver as máscaras caindo e as lágrimas sendo derramadas naquele momento. Ninguém além dela mesma é capaz de entender como certas coisas se encaixam perfeitamente em sua mente é simplesmente pedem para serem feitas ou desvendadas.

A garota possui um certo carácter e instinto Detetive, não existem regras ou meias palavras que não possam ser contestadas ou enfrentadas por sua curiosidade que motiva por muitas vezes seus passos e a preserva das pessoas exteriores ao seu mundinho pessoal. Seus melhores companheiros são seus pensamentos então você facilmente é capaz de encontrar a garota quieta em algum canto lendo ou simplesmente pensando nas inúmeras coisas que podem ocupar sua mente ao mesmo tempo não porque é antisocial ou desligada das pessoas ao redor, mas sim por interpretar as mesmas como uma distração as coisas que ela pode fazer e na maior parte do tempo não faz.

Lidar com seus problemas e falhas é um problema para a garota em geral, que nunca interpreta os mesmos sendo erros seus e sim influências externas que fugiram de seu auto controle, não aceita opiniões alheias e nem mesmo se deixa abater a comentários que possam vir em sua direção, pelo contrário a garota rebate eles sem medo ou pudor graças a seu temperamento alterado e jeito desbocado de ser e não se esconde quando as coisas dão errado.



Charlize é uma garota que lida com a angústia e tristeza de uma maneira natural menos dramática que a maior parte das pessoas pelo fato de que a morte de sua mãe e o acolhimento dos Bellerose cravaram isso em seu carácter, existem pessoas ruins nesse mundo independente de serem sangue puro, humanos ou mestiços, sua raça nunca definirá seu eu interior então a garota não julga os outros pelo que são e sim inteiramente por suas ações. Com as pessoas sempre age da mesma forma, é extrovertida e comunicativa dentro de suas limitações, não é do tipo que inicia conversas ou tem a necessidade do calor humano mas sente empatia quando realmente se identifica com uma pessoa e com ela é capaz de se abrir com mais facilidade demonstrando que também possui faces diferentes do usual ceticismo.

Sua vida acadêmica é uma loucura, a garota possui certas habilidades que são indiscutíveis mas atua de forma radical na maior parte das matérias que rendeu aos Bellerose algumas chamadas na escola por seu desempenho, entender Charlie nesse aspecto é bem simples ela se aplica nas matérias que gosta, e as outras bem, elas que se danem, poucas coisas despertam esse lado da garota que mesmo sem saber é a cópia perfeita do mesmo aspecto que sua mãe explorou em sua vida. Coisas que exigem certas interpretações que variam demais de seu teor real em palavras são extremamente entediantes a ela que na maior parte das vezes toma bomba nas matérias Literatura Bruxa e Trouxa e Etiqueta que foram algumas de suas opções de matérias extracurriculares nos seus primeiros anos em Beauxbatons, sua maior dificuldade vem em entender o significado real por trás de um trecho literário ou gravura literária apesar de como amante de história em geral saber o que se passava no período da obra, sua mente ainda não é capaz de criar essas conexões por muitas vezes serem obvias demais. Charlize prefere criar teorias a usar as convencionais que possam lhe ser ensinadas, pois na sua opinião as coisas ficam melhores assim e saciam parcialmente sua criatividade e tempo evitando que seu humor se escureça como fruto de sua maneira hiperativa de ser. Se adapta a situações e adere melhor a informações que tenham um teor de complemento, algo que não esteja totalmente digerido e que possa agir como peça fundamental em outro quebra cabeça que não seja o que a maior das pessoas acreditava que seria, ela não faz isso por amor ao conhecimento ou algo do tipo, tudo se trata de reconhecimento e glória pessoal.


Não existe problema, situação ou missão que seja difícil ou perigosa o bastante para que a garota desista, esse é o seu pior defeito e aonde sempre deve tomar um atenção extra para que não falhe no que quer que seja, seu ego sempre fala mais alto e cria uma súbita coragem que pode tornar seu próprio fim. Trabalhar em equipe é um grande problema a garota uma vez que a disputa pela liderança sempre será acirrada caso mais Lucttores e Nobles estejam no mesmo grupo, mas ela sempre fará de tudo para estar a frente se mostrar importante e disponibilizar tudo o que pode oferecer em pro do que estão fazendo.

Charlie possui um certo dom com as palavras, que não se reflete somente em uma boa oratória que faz a mesma estar apta a discursos e palestras em frente a um grande publico mas também sabe dizer exatamente o que as pessoas querem ouvir em certos momentos, seja uma mentira para alguém que esta doente e precisa ouvir que esta melhor para que esbouce um sorriso em meio a tanta dor, ou uma mentira que somente vá agradar certos ouvidos cuja a aproximação é importante para algo, ela usa exatamente o que o momento pede jogando o jogo a sua própria maneira sem se importar com as consequências futuras. Palavras são tão perigosas e traiçoeiras assim como varinhas ou feitiços a garota também reconhece que as palavras podem ter o teor de navalhas, ela também pode usar as certas para colocar uma pessoa contra a outra ou o que seja, mas o fato de que por muitas das vezes não se controla faz com que coloque tudo para fora em uma discussão quando perde seu eixo.



A chave para conquistar a amizade, fraternidade e o amor da garota é o sacrifício, a garota só consegue amenizar suas barreiras e colocar seu lado duro de lado quando realmente enxerga a bondade em alguém, isso a lembra da pessoa que sua mãe foi e quem ela realmente esperava que Charlie fosse, não é a aparência exterior que intriga a garota e sim o que as pessoas demonstram ser, seja com ela ou com quem quer que seja, essa é a herança que sua mãe deixou em seu sangue mestiço a garota, é o que a mantem longe de qualquer magia obscura o que a faz estar do lado correto da situação por mais tentador que seja.

Helena é, sempre foi e será sua âncora, pois não importa o quão distante a mãe esteja da garota, Charlize sabe que a mesma a ama e ficaria orgulhosa da pessoa a quem a garota luta para ser.



Mєɗσѕ:
A garota possui um medo imensurável por quaisquer tipo de serpentez sempre que a mesma vê uma isso desencadeia um ataque de pânico que só tem fim quando a mesma se acalma, sua garganta fecha e parece que está prestes a perder o fôlego, a visão fica turva e suas pernas bambas.

Ser esquecida.

Sσηнσѕ є Aмвιçσ̃єѕ:

Sua maior ambição é se tornar grande, independente de qual carreira seja seguida em sua vida ela caminha contra ao seu medo de ser esquecida, assim como a maior parte das pessoas que passaram em sua vida e foram especiais somente para a mesma. Seu maior sonho é fazer a diferença, ser reconhecida pela bruxa inteligente e corajosa que é, um motivo de orgulho para para sua mãe e a família que acolheu a mesma desde seu berço.

Mαηιαѕ:

☪Ela é incondicionalmente ansiosa, esse fato contribui para que a mesma roa suas unhas, em momentos mais contidos somente seus esmaltes são retirados.

☪ Charlie sempre carrega em sua bolsa ou mochila um pequeno saquinho embalando castanhas, devido a seu valor energético bom e sua fome que sempre aparece em horas indesejadas.

☪ Sempre quando esta sem jeito ou envergonhada por algo, mexe em seus cabelos os jogando para trás ou umidesce os labios com a ponta da língua para mudar o foco de suas bochechas coradas.

☪ Em momentos de tensão seus dedos passeiam por suas cicatrizes resultantes pelo arco na ponta dos mesmos, o toque é leve, apenas uma lembrança voltando a mente.


Ɠσѕтσѕ / Ɗєѕgσѕтσѕ:

Gostos

Doces|Filmes|Séries de aventura, terror ou suspense|Comer frutas diretamente do pé|Arco e Flecha|Sentir o cheiro de madeira|Limão|Revistas em quadrinhos|Pimenta|Heróis da Marvel|Flores azuis|Flores brancas|

Desgostos

Mandrágoras|Flores vermelhas|Flores amarelas|Flores vermelhas|Sorvete de queijo|Filmes de romance|Tudo relacionado a Zombies|Pessoas faladeiras|Aulas chatas|Livros que obrigam a mesma ler|

Hσввιєѕ

Os hobbies da garota são casuais é simples, ela sempre tem o costume de correr pela manhã independente de estar em casa ou na escola, a garota sempre se exercita pelo menos meia hora diariamente. Em algumas tardes geralmente as livres ela gosta de manusear seu arco e flecha nas dependências isoladas do colégio, não que se esconda por estar fazendo algo errado mas sim porque na maior parte do tempo os alunos de sua casa não reagem muito bem a sua entrada com objetos trouxas, principalmente se for uma arma usada durante a perseguição bruxa francesa.

Uмα fяαѕє qυє ɗєfιηα ѕєυ ρєяѕσηαgєм
''O que é nosso ninguém tira, e o que não é nós tomamos a força''

Sєgяєɗσѕ?
A garota não se sente confortável em contar para as pessoas a sua origem sanguínea, assim como sua parte lobisomem.

Oяιєηтαçα̃σ SєxυαƖ:
Heterossexual.

• Ɛм яєƖαçα̃σ ὰ єѕcσƖα •

Ƈαѕα:

Lucttore.

Ʋαяιηнα:


Madeira de cedro com núcleo de Phoenix pena, 12 1/4 e bastante flexível bendy. A relação de Charlize com sua varinha é admirável, quase dando a visão de que quando a varinha foi esculpida tinha como destino as mãos da garota de personalidade forte e interior bruto, assim como a de sua bela varinha.


Ƥяαтιcα QυαɗяιвσƖ? Sє ѕιм, єм qυαƖ ρσѕιçα̃σ?
Não

Ƥαтяσησ:
LINCE ➡ consciente; estratégico; destreza; inteligente; paciente; brincalhão; solitário; visionário; secreto; atento; perceptivo; nutrição; compreensivo; curioso; flexível; misterioso; enigmático; extrovertido; indescritível; peculiar; energético.

Mαтє́яιαѕ qυє gσѕтα/ɗєѕgσѕтα:


Defesa contra as Artes das Trevas

Essa é sem dúvidas uma das aulas que Charlize aprendeu a gostar com o passar do tempo, uma vez que seu temperamento impassível fez com que a mesma odiasse essa matéria em seus primeiros anos em Beauxbatons, uma vez que os temas eram pequenos e simplórios demais fazendo a garota desacreditar que aprender a lidar com Pragas domésticas e Gnomos teria algo de realmente importante é ligado com a defesa contra a arte das trevas, mas após seu quarto ano aonde lhe foi ensinado a defesa contra as três maldições imperdoáveis a garota viu realmente o potencial da matéria e passou a gostar da mesma.

Feitiços

"Uma matéria extremamente entediante, alguém me mate por favor - Bellerose, Charlize"

Essa é uma das matérias que realmente não conseguem prender a atenção da garota que sempre tem que fazer um esforço mais intenso que o normal para se manter acordada e alerta por ser algo muito expansivo com várias situações, regras e ingredientes necessários e que na época dos grandes exames faz a garota encher seu dormitório de colas e anotações em medidas desesperadas de tentar decorar sem nem mesmo entender o que eles são, definitivamente essa é uma das piores matérias para a garota que em sua cabeça dura não gosta de tudo que não faz bem.


Transfiguração

É uma matéria que atualmente a garota gosta e tem preferências na execução de conjurações de coisas grandes e transfiguração humana.

Poções

Essa matéria sem dúvidas é uma de suas favoritas por um instinto que é alimentado em partes pelo sangue de Stefan Duerre que foi um dos melhores fabricantes de Soros, poções e antídotos que já tiveram o prazer de se formar em Hogwarts, tudo em relação a está matéria realmente flui e maneira ágil a prazerosa em sua mente, é como o despertar de algo que se fazia desde sempre e o que ainda não se sabia fazer e se aprende é fixado em sua memória de maneira efetiva. É como aquela velha história que quando se aprende a andar de bicicleta, nunca mais se esquece.

Herbologia

Nesta aula Charlize deseja fervorosamente ser uma trouxa e ter falta de capacidade de apenas conhecer as plantas mais entediantes que os olhos sem graça deles podem ver. Apesar de toda a seriedade e importância do conhecimento das plantas em geral uma fez que elas podem se tornar importantes ingredientes em poções ou que já tenham seus próprios efeitos por si só, um acidente em seu quarto ano com as Mandrágoras fez com que sua animação fosse de mal a pior nesta matéria.Por algum motivo que a garota nunca fez questão de tentar entender, Nicholaus e outro garoto antes desta aula retiraram todo o enchimento de feltro dos protetores de ouvido deixando os aparelhos totalmente ocos e finos, no momento da aula que as Mandrágoras foram desenterradas de seus vasos os alunos entraram em uma espécie de histeria coletiva, seus ouvidos latejaram de maneira sobrenatural e a garota achou que seus tímpanos começariam a sangrar em meio a cascata de gritos das plantas e dos alunos que não conseguiam enterrar as plantas novamente. Naquela tarde Charlie teve que visitar a enfermaria da escola e teve que tomar uma dezena de poções com gostos terríveis para curar totalmente seus sensíveis ouvidos que se feriram naquela tarde.

Vôo

A única parte que a garota consegue lidar bem, é a escrita e teórica pelo grande desconforto que as aulas práticas dão a garota. Não é o medo de altura em si, mas sim a lembrança de que em uma maneira próxima a essa que sua mãe morreu.

Historia da Magia

Nem todos nós são como Hermione Granger e nesse caso a diferença fica maior ainda, enquanto uns lêem livros grandes e complexos na Inglaterra como Hogwarts: Uma história alguns bruxos também fazem grandes leituras em Beauxbatons, começando pelo título do livro e bem, ficando só por lá mesmo...O grande problema para Charlie não é o quão grande pode ser um livro e nem mesmo se ele tem figuras ou não (apesar dela preferir o livro com figuras porque sua mente tem o que deixar de fundo enquanto a chuva de palavras vem a seus olhos) é o título arcaico e formal demais, ninguém tem vontade de ler um livro que se chama "A Nobreza Natural: Uma Genealogia dos Bruxos".
Isso a deixa profundamente preguiçosa, a garota não costuma ler os livros no prazo e sempre se compromete por isso.


Astronomia

Apesar de ser uma matéria que conta bastante com o lúdico e a capacidade de observar atentamente e guardar informações a garota vai estranhamente bem, não é aquela aluna maravilhosa mas também não é aquela que quase passa no vermelho. É uma matéria que a garota encara como foi relaxante em certos dias intensos.

Duelos

Apesar de ser uma matéria que quando exposta nas escolas indica que algo não está tão bem no mundo bruxo, essa matéria é uma das mais atraentes ao ego da garota, e também uma das quais ela mais se aplica e verdadeiramente estuda quando repassa os duelos dos outros alunos em sua mente apontando falhas e possíveis saídas aos ataques. Em seu próprio caso possui uma fama boa nessa aula, um "Estupefaça" certeiro, não tem o hábito de deixar seu orgulho de lado nesta matéria e nem mesmo que os outros a vençam.

Ƥαятιcιρα ɗє αƖgυмα αυƖα єxтяαcυяяιcυƖαя?
Charlize participa de duas matérias extracurriculares,Primeiros Socorros e Estudos Espectrais sendo que a primeira opção é decorrente de seu constante desejo de se sentir útil seja em um campo de batalha, em um dos corredores ou até mesmo para algum trouxa em apuros, esse seu complexo de herói a fez escolher Primeiros Socorros e verdadeiramente se empenhar nessa matéria.

Estudos Espectrais veio como opção de seu lado trouxa latente, mistérios e suspenses sempre a atraíram mesmo que sendo por livros limitados e errôneos dos mundanos que não possuíam muitos recursos em seus materiais então na maior parte das vezes apelavam para sua imaginação. Esse lapso de memórias e momentos que esses livros lhe causaram acabaram por estimular seu interesse nesse assunto.


Aησ Lєтινσ:
Está no sétimo e último ano, na escola de magia.

• RєƖαcισηαмєηтσѕ •

Ƥαя?
Sim, por favor.

Ƈαѕσ тєηнα, яєƖαçα̃σ cσм σ ραя:

Charlize não possui experiência com garotos, e deu seu primeiro beijo aos 11 anos em uma brincadeira nos redores da escola. E com o passar dos anos após a morte de Maxon simplesmente colocou coisas na frente de sua vida que não fossem se apaixonar novamente então de certa forma agora, mais madura ela não saberia ao certo como se portar com algum garoto. Com toda a certeza ela ficaria nervosa e corada quando estivesse ao lado do mesmo, diria coisas bobas que a fariam corar ainda mais e levaria o garoto consigo em suas aventuras.

Acima de tudo não seria do tipo que deixaria ser protegida pelo mesmo, apesar de considerar o rapaz se preocupando com ela como algo fofo não tornaria disso um hábito, ela mostraria que ao lado dele existe uma garota corajosa e com um futuro esplêndido no mundo da magia.


RєƖαçα̃σ cσм σѕ αмιgσѕ:

Charlie considera poucas as pessoas de seu círculo social como amigos, suas experiências anteriores lhe ensinaram que a única pessoa que merece sua total confiança e ela mesma.
Ela tratará seus amigos e inimigos de uma maneira variada, pois por melhores ou piores que sejam são pessoas iguais com diferentes pontos de vistas e alvos.
Para os amigos ela estará sempre por perto e disposta a ajudar, ocultamente desconfiada, essa sem dúvidas é sua segunda maior assinatura pessoal. Aos amigos de equipe ela sempre se mostrará a frente, mesmo tendo em vista não ser a líder ela não é o tipo de garota que aceita ordens ou que simplesmente deixa os outros pensarem em uma saída sozinhos para um problema.
Ela sera com eles a garota que sempre tem um comentário motivacional em um momento difícil, que dará um sorriso reconfortante na derrota e que sempre lhe dará o sorriso mais verdadeiro e a comemoração mais intensa.


RєƖαçα̃σ cσм σѕ ρяσfєѕѕσяєѕ:

Por mais desinteressada que a garota esteja em relação a aula ela nunca tira a atenção dos outros alunos ou desrespeita algum professor. Então mantém uma relação boa com todos apesar de achar que o professor (a) de Vôo tem uma certa implicância com a mesma.

RєƖαçα̃σ cσм α мιηнα ρєяѕσηαgєм:

Ravenna e Charlie não são próximas devido ao fato de pertencerem a casas opostas e mesmo que Charlize não jogue quadribol tem a garota como inimiga em todos os jogos que a Lucttore e Sagesse se enfrentam com uma competitividade que não foge do senso natural. Ambas já tiveram que trabalhar juntas na aula de Feitiços e quando Charlie pode notar que a garota não tinha a maior parte das anotações assim como ela, um sorriso brotou em seus lábios que se seguiu por uma longa risada, e é claro depois elas foram pegar as anotações de Maeve.

Charlize valoriza a capacidade da garota de ser criativa e conseguir usar isso ao seu favor quando se trata de duelos ou até mesmo de coisas mais corriqueiras e trouxas, como na parte artística da escola.


Relação com Maeve Bellerose {Personagem do @Alpha-};


Em uma única palavra, a relação das duas é basicamente de parabatais talvez isso seja bobo para alguns mas a verdade é que por mais que as duas não conversem a todo instante ou aparentem ser as melhores amigas de todas as horas, não existiu nenhum momento na vida em que Charlie precisou de Evee e ela não estava ao seu lado, durante os melhores e piores dias de sua vida a garota esteve com ela. A ajudou a enfrentar a morte de Maxon assim também quanto a descoberta de sua parte um oitavo Lobisomem, a verdade é que independente do que alguns possam dizer Maeve é a melhor irmã que aquela estúpida poção poderia lhe dar.

• Oυтяσѕ •

Mύѕιcα тємα ɗσ ρєяѕσηαgєм:
Sweet Dreams.

Doces sonhos são feitos disso
Quem sou eu para discordar?
Eu viajei pelo mundo e pelos sete mares
Todo mundo está procurando alguma coisa

Alguns deles querem te usar
Alguns deles querem ser usados por você
Alguns deles querem abusar de você
Alguns deles querem ser abusados

AƖgσ мαιѕ? Nop.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...