~Crystin

Crystin
· Queen Bitch ·
Nome: Yasmin • Myn • Bitch • Panda • Queen • Crys •
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: Indisponivel
Idade: Indisponivel
Cadastro:

The Royal - Ficha


Postado



*Nome:
Audrey “Audy” Chanel DiLaurentis

*Idade:
18 anos

*Photoplayer:
Audrey é uma garota digna de capas de revista. Possui cabelos dourados que vão até um pouco abaixo de seus ombros, e que são ora lisos, ora ondulados. Tem olhos azuis celeste, e cílios grossos, que geralmente carregam algum tipo de maquiagem. Seus lábios são carnudos e a boca pequena, e sempre estão com batom rosa, paixão de Audy. Seu nariz é pequeno e um pouco arrebitado na ponta. Sua pele é branca e não possui nenhuma imperfeição aparente. Suas bochechas são rosadas
Tem um corpo de dar inveja a qualquer um: Aud é magra e tem a cintura fina e a barriga lisa. Seus seios são fartos, e seu bumbum tem um tamanho bom, não é grande nem pequeno. Seus braços são finos, escondendo uma mulher forte. Suas pernas são torneadas. Ela é pequena, mais ou menos 1,64 e magra.
Sasha Pieterse









Por que quer entrar na Seleção?
Ela realmente não sabe o porque. Ela simplesmente teve vontade, de conhecer coisas novas, de sair da rotina e, com sorte, conseguir um novo amor.

*De qual casta sua família era antes do sistema de casta cair?
Ela era uma Dois. Sua província é Clermont.

*Personalidade (DESCULPA NÃO FOI EM POUCAS PALAVRAS AI MEU DELZ):
Audrey gosta de viver cada dia como se fosse o último. É determinada, e faz de tudo pelo que quer e pelo que acredita ser certo. Tem sempre uma opinião formada e não tem medo de falar. É inteligentíssima, podemos considera-la como uma “Sabe-tudo”.
Audy é simpática e meiga, faz amigos e encanta pessoas com muita facilidade. É divertida e bem-humorada, e sempre contagia a todos com seu entusiasmo, sempre com um sorriso, mesmo que esteja triste. É ótima conselheira, mas é bastante sincera, o que as vezes pode machucar algumas pessoas. É educada com todos, mesmo com pessoas que ela não gosta. Uma coisa rara é Audy ter inimigos. É bondosa, e as vezes um pouco ingênua, acha que tudo tem um lado bom, e que nada acontece por acaso.
Ela é vaidosa, gosta de estar sempre bonita e “apresentável”, mesmo se for para ir na esquina comprar pão, ela vai arrumada. Teimosa e orgulhosa, ela gosta de fazer tudo sozinha, e se alguém dizer que ela está errada, ela vai bater o pé e falar mil e um motivos do porque ela está certa. Também é muito mandona, e tem um “extinto” de liderança.
Ela não tem papas na língua, tudo que tem para falar, ela fala na cara. Impulsiva, ela faz coisas sem pensar nas consequências, e as vezes, acaba se metendo em brigas sem nem mesmo saber. É uma pessoa justa, e que dificilmente julga pelas aparências. Não suporta pessoas falsas, ou que fingem ser quem não são. Audrey é sempre ela mesma, sem se importar se as pessoas vão gostar ou não. Como ela mesma diz “Prefiro perder sendo eu mesma, do que ganhar fingindo ser quem não sou”.
É difícil conquistar a confiança da DiLaurentis, mas quando consegue essa “proeza” ela faz de tudo por você. É uma ótima amiga, sempre está lá quando precisam dela, protege e defende as pessoas que ama.
Ela adora ser elogiada e ser o centro das atenções. É o clássico exemplo de pessoa que tem um excesso de amor próprio. Sempre é a melhor em tudo o que faz. Sempre é aquela invejada e aclamada.
Muito curiosa, é quase impossível esconder algo dela. É uma garota agitada e cheia de energia. Atrevida, ousada e confiante, ela muitas vezes é a que faz coisas que ninguém mais faria, a que usa coisas que ninguém usa, a que fala demais e nos momentos mais constrangedores. Uma ótima mentirosa e muito persuasiva, ela convence pessoas com facilidade e consegue fazer com que essas façam coisas por ela.
Audrey é uma Dama quando quer. Elegante, ela sabe de tudo sobre postura e modos. Irônica e fria. Essa é Audy quando está irritada ou com raiva, ou quando simplesmente não gosta de alguém. Ela fica curta e grossa, com quem for. Orgulhosa que só ela, acha que pode lidar com qualquer coisa, fazer qualquer coisa, passar por qualquer coisa e aguentar tudo. Ela não pede ajuda, e quando tudo isso pesa sobre ela, ela chora, somente isso. Chora até sentir que tudo passou. Mas, ela nunca, NUNCA, vai pedir ajuda.
Perfeccionista e organizada ela fica louca quando as coisas não saem como o planejado. Mas também é ótima na tática do improviso, sempre acha um jeito para tudo. Calma e paciente ela nunca perde o controle, mas ainda assim é muito ansiosa.

*História:
Audrey nasceu em berços de ouro. São um família da classe alta. Cresceu rodeada por câmeras. Mimada, como é filha única sempre foi o centro das atenções – E ela ama isso. Estudou em casa até os 10 anos, por isso teve uma infância um tanto solitária. Herdou a paixão pela literatura da mãe, que praticamente a educou apenas com livros e mais livros, foi destes, que a menina se tornou tão inteligente. Sua mãe achava que a etiqueta era algo essencial para uma dama, e dava aulas de etiqueta para Audy, como se portar a mesa, manter a postura etc.
Ela também aprendeu muito com as viagens que fazia nas férias com a família, seu pai gostava de ir para lugares “exóticos”, mas sua mãe gostava mais de ir a pontos turísticos famosos, ela conheceu um pouco de tudo.
Criada para ser a mulher perfeita, ela sempre fez de tudo para orgulhar os pais, e eles sempre a apoiavam em tudo que quisesse fazer, e davam de tudo para ela.
São pais um tanto ausentes, por seus trabalhos, mas também muito liberais, a deixam fazer o que quiser.
As aulas de dança e de canto foram incentivadas pela mãe, já a natação e as aulas de luta, foram escolha de Audrey.

Responda em poucas palavras como se fosse a sua personagem:

1. Em uma prova de roupa acidentalmente a serva a espeta com um alfinete, qual seria a sua reação?
“Provavelmente eu daria um gritinho agudo e pediria para ela soltar aquela parte. Nada que fizesse muito escândalo, tudo bem, acontece.”

2. Os fins justificam os meios? Do que você seria capaz de fazer para chamar a atenção do príncipe? Jogaria sujo?
“Não digo que jogaria sujo, mas, acho que as vezes usar um vestido mais decotado ou com uma fenda não faz mal a ninguém. Talvez usar uma cor que nenhuma das outras usaria...”

3. Nos conte como foi a sua reação ao saber da Seleção do Príncipe e o que levou você a se inscrever.
“A minha mãe, eternamente bem informada, foi a primeira a me contar sobre a Seleção. No começo eu não queria muito, não acreditava que tinha muita chance, e, minha vida já estava boa, do jeito que eu queria. Meu pai ficou do meu lado, ‘Ela ainda é uma criança Shannon, ela ainda não pode casar’ era o que ele sempre dizia, como sempre super-protetor. Mas foi a minha irmã que me convenceu de me escrever ‘É sério Audy, o que você tem a perder? Você pode conhecer a Família Real e o Castelo, e usar aqueles vestidos lindos!’. E foi com isso que eu enviei a carta. Acho que fui uma das últimas, mas...”


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...