~NikyNeko

NikyNeko
I'm not strange, I'm special
Nome: Nicole
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil
Aniversário: 26 de Março
Idade: 16
Cadastro:

Instituto Elstone


Postado

Nome:
Erik Jason Karlheinz

*Seu nome é composto, mas o mais utilizado para chama-lo costuma ser Jason. Quem lhe chama por Erik costuma ser sua família ou apenas quem gosta mais de Erik.

Apelido:
Jay, Rick

Idade:
27 anos

Gênero:
Masculino

Aparência:





•Jay tem cabelos loiro-escuros, que vez ou outra deixa bem curto, por crescerem muito rápido. Seus olhos são de um azul-claro vibrante e são hipnóticos, nem um pouco confiáveis. Tem belos dentes brancos e seus lábios são meio finos, contornados por covinhas quando sorri e uma barba rala. Ele tem um sorriso que faz você se sentir confortável, como se dissesse que qualquer coisa ruim ocorrendo fosse apenas temporária e fosse acabar rápido, como se simplesmente não importasse. Ele mede 1,91m e tem um ótimo corpo, por sempre ter gostado de exercícios.•

Photoplayer:
Chris Hemsworth

Personalidade:
•Jay é aquele cara que só te da duas opções: ou você o ama, ou simplesmente odeia. Ele está sempre de bom-humor e é aparentemente despreocupado com tudo que acontece a sua volta, como se nada tivesse muita importância, mas é extremamente individualista, sempre agindo da maneira que quer, quando quer e se quiser. Ele normalmente não impõe sua liderança sobre os outros, mas acredite, ele lidera a si mesmo, e se quiser que ele faça alguma coisa saiba que, você sendo um superior ou não, ele vai simplesmente dar um sorriso e fazer de bom grado ou negar debochado, e você vai perceber que é impossível convencê-lo. Ele não insiste para mudar a cabeça dos outros, mas também é impossível mudar a cabeça dele. Quando ele tem uma opinião formada ele só vai mudar de ideia se descobrir sozinho que estava errado e encontrar uma razão plausível pra isso. Ele é extremamente sincero e as vezes grosseiramente direto, sem se importar em medir suas palavras. Ele fala exatamente o que passa em sua cabeça e normalmente sua fala é carregada de deboche ou sarcasmo, não por estar irritado, mas simplesmente porque ele adora irritar os outros. Ele é extremamente observador e atento, e normalmente ele pode conhecer alguém melhor do que a própria pessoa após uma conversa de apenas 5 minutos, e a pessoa nem precisa responder, porque ele vai ler suas expressões e suas reações, e após te conhecer ele vai saber exatamente como agir e o que falar para você reagir da maneira que ele quer. Rick não é o tipo de cara que faz muitas perguntas, ele apenas sorri e você percebe que ele já sabe todas as respostas.•

•Jay quase sempre fala de uma maneira irritantemente cientifica, com vários jargões e palavras e expressões que, a não ser que você seja um estudioso de primeira categoria provavelmente vai ficar bem confuso e pedir para ele repetir várias vezes antes de conseguir entender. Isso na verdade é proposital, porque ele acha a expressão das pessoas quando ele fala de uma maneira "difícil" muito engraçada, mas quando ele não tem esse objetivo ele fala de uma maneira bem normal e fácil de entender (o que te deixa ainda mais irritado). Ele age e fala de uma maneira muitas vezes prepotente, não porque ele se acha um ser humano superior aos outros, mas porque se considera superior no que lhe diz respeito. Se ele quer fazer alguma coisa ele definitivamente tem que ser o melhor. Nesse quesito ele é bem competitivo e não aguenta ser pior a outro em algo que ele faz, mas ele respeita e da valor as coisas em que os outros são superiores, naquilo que se focam e se esforçam pra ser. Ele é o melhor no que faz, mas nunca vai tentar competir com um psicólogo no quesito de ajudar psicologicamente alguém, e vai respeitar esse talento. Bem, mas se a pessoa for arrogante demais talvez ele tente (e consiga) colocá-la em seu lugar. "O primeiro lugar está ocupado, mas talvez você consiga ficar com o segundo.", essa é uma de suas frases típicas pra quem se acha demais.•

•Ele é extremamente estraga prazeres, daqueles que fica fazendo comentários quando assiste teatros sobre como a situação citada é impossível de acontecer (e ele explica cientificamente porque), erros de atuações ou no roteiro e dando spoiler de peças que nem viu por considerar muito previsível (uma das razões pode ser o fato de ele odiar teatro. Não vê graça a não ser que a situação seja real). Ele considera histórias de terror e drama como se fossem uma comédia, e os livros best-seller que a maioria lê são, por ele, substituídos por teses de doutorado que ele lê e analisa para confirmar se é possível e verificar e corrigir os erros (esse cara é um professor infernal. Ele é do tipo que ou sua resposta está perfeita ou está errada. Em suas aulas o que não falta é distribuição de notas 0 e olhares mortais de alunos irritados). Ele consegue ser bem malvado de vez em quando, do tipo que vai te dar um susto de parar o coração quando você estiver assustado. Se quiser que ele te ensine a nadar, ele te joga na piscina, porque seus instintos vão te fazer aprender a nadar mais rapidamente do que se você fosse ensinado, e ele vai te salvar do afogamento várias vezes só pra te jogar na água de novo e repetir o exercício. Ele tem certos traços de sadismo, e pode ser bem tirano na hora de ensinar alguém, e vai assistir seu esforço comendo pipoca e aumentando interminavelmente a carga do ensino quando você estiver começando a se acostumar. Eu disse, você pode amá-lo... ou realmente querer matá-lo, como boa parte de seus alunos. Mas ele também tem seus favoritos, como aqueles alunos que aguentam seu ensino tirando ou que dão respostas interessantes, mesmo que erradas. Ele detesta respostas comuns e óbvias. Se houver um livro para sua matéria ele provavelmente vai mandar os alunos rasgarem, amassarem, pisarem e jogarem no lixo por querer respostas originais e querer ver os alunos raciocinarem. Ele detesta injustiças, mas sabe tomar decisões difíceis. Ele coloca sua cabeça acima de seu coração e toma decisões baseadas na lógica, porque a lógica não comete erros. Ele pode ter esse jeito meio "adolescente rebelde" de agir, mas ele é um cara maduro e responsável, que sabe cuidar de si mesmo. Bem, ele com certeza é desorganizado, mesmo porque ele acha que ter um lugar fixo para colocar alguma coisa vai te deixar incapaz de encontrá-la caso algum dia tenha que colocar em um lugar diferente, e ele também é impulsivo e não é exatamente pontual a não ser que considere algo extremamente importante, então ele sempre dorme até o último minuto, mas, bem, ele ainda não morreu nem foi preso, então sabe cuidar de si mesmo. Ele sabe que o mundo nem sempre vai rodar a seu favor, mas se isso acontecer ele vai arranjar um jeito de se aproveitar do que pode da situação, mesmo que não esteja a seu favor. Ele sempre tem a cabeça erguida e é seguro de suas decisões. Você pode achar que o jogou contra a parede, mas ele sempre tem um truque na manga. Preste mais atenção na sua situação. Quem está contra a parede? Ele? Ou você? Ele é bom em lidar com pessoas difíceis, porque elas são incapazes atingi-lo.•

•Ele é daqueles amigos que vai rachar de rir da sua desgraça e seus momentos de vergonha, mas sempre vai te ajudar com tudo que tem a resolve-los, com um sorriso confiante no rosto para te mostrar que tudo vai dar certo. Ele sempre foi meio excêntrico, sempre agindo de uma maneira diferente dos demais, procurando uma solução oposta a da maioria (por isso suas estratégias sempre dão certo. São extremamente imprevisíveis e suicidas). Quando criança, ele fazia isso pelo simples fato de sentir a necessidade de ir contra a maré só pra contrariar, mas ao crescer isso se tornou seu estilo de vida. Ela tem que ter uma razão lógica, por mais louca que a lógica seja, para fazer tudo o que faz. Ele é aquele cara que tem uma dieta completamente balanceada, com a quantidade ideal de carboidratos, proteínas, ferro e etc. Nunca ficou doente na vida, e não pretende. Se ficar, se recusaria a ir para o médico e arranjaria um jeito de curar a si mesmo, afinal, quem pode conhecer melhor sua própria doença do que ele mesmo? O médico não sente o que ele sente e só pensa no óbvio. Porque ele tem que pagar alguém pra lhe contar o que já sabe? Além disso, esse cara parece subestimar a capacidade de raciocínio alheia, razão pela qual ele sempre se recusa a pedir ajuda achando que pode resolver tudo sozinho.•

•Apesar de extrovertido, ele não é exatamente sociável. Você ficaria impressionado com o fracasso que esse cara é em lidar com as pessoas (quando não é para falar de trabalho e nem para irritar). Ele simplesmente não é capaz de ter uma conversa pessoal com alguém e não sabe iniciar uma conversa (a primeira vez que fez isso foi para perguntar que horas eram). Garanto que a existência dele é bem marcante, mas por mais que todos o conheçam você vai notar que nunca realmente conversou com ele sobre ele mesmo. Ele saberia responder se falassem com ele e não tem realmente algo a esconder, mas ele ficaria bem desconfortável de falar sobre si mesmo com alguém. Aliás, ele ficaria desconfortável só de alguém seriamente ter algum interesse nele, já que costumam tentar se afastar dele por razões óbvias. Ele provavelmente nem conseguiria ser sarcástico ou irônico e pela primeira vez na vida pensaria antes de falar. Quando se trata de seu trabalho ele realmente gosta muito do que faz. Você nota que ele se diverte ensinando e adora resolver qualquer tipo de problema, como uma criança que aprendeu alguma coisa nova e agora quer mostrar para todos o que descobriu. Ele se apega rapidamente a seus alunos, mesmo que boa parte não goste dele, e ele reconhece um aluno as vezes pelo tipo de resposta e até pela escrita e sabe onde cada um tem mais dificuldade. Ele sempre está disposto a ajudar quando precisam de ajuda (mesmo que as vezes o faça pelas sombras). Ele é muito bom em ensinar, porque como gosta muito da matéria que ensina ele aprende a mostrar aos alunos como a matéria pode ser divertida. Ele tem métodos únicos de ensinar (ele gosta de fazer os garotos experimentarem a coisa real, as vezes dando aula fora de sala ou fazendo alguma atividade interativa. Ele ficaria muito entediado e irritado se estivesse dando aula da mesma forma que os outros professores). Como eu disse, alguns alunos vão odiá-lo e outros vão amá-lo.•

•Rick é extremamente paciente, ao ponto de normalmente não procurar o que quer achar porque acha que uma hora ou outra vai inevitavelmente encontrar algo que provavelmente não acharia se ficasse procurando. Afinal, porque ele procuraria uma moeda de 10 centavos que caiu no chão se uma hora ou outra ele pode encontrar uma nota de 100 na rua? Ele acredita que a maior parte das descobertas mais importantes da humanidade foram descobertas ao acaso. Veja só: o fogo, a roda, o microondas (em 1934 era utilizado para detectar aviões inimigos e não na culinária), o fósforo, o plástico e muitos outros foram só um acidente de percurso. Graças a isso, tudo que Jay faz é normalmente sem se importar com as consequências e sem realmente pensar muito. Claro que isso é meio que um defeito, mas você ficaria chocado com o que esse gênio pode fazer quando realmente se esforça e quando realmente quer. Coisas que você nem sonharia, para ele são apenas óbvias. Ele realmente tem dificuldade em achar coisas que o deixem interessado, porque acha tudo muito fácil. Então porque não virar professor? Qual é a graça de saber alguma coisa se você não pode ensinar para os outros? Jay é o tipo de pessoa que resolve testes de QI no café da manhã onde a maioria se foca em palavras-cruzadas. Aqueles que não prestam tanta atenção em sua personalidade sentem realmente um enorme respeito por ele. Quanto mais difícil for fazer alguma coisa, mais ele vai querer fazer. Ele é despreocupado e relaxado (e muitas vezes até cara de pau), mas é confiável e eficiente, alguém com que você sempre pode contar e que quase nunca guarda rancor. Se algo da errado, independentemente do que seja, ele sempre vai culpar a si mesmo, porque acredita que com um pouco mais de esforço poderia ter resolvido. Ele é persistente e determinado, e quando realmente quer fazer alguma coisa ou quando simplesmente começa a fazer alguma coisa ele não vai lembrar de dormir ou comer até terminar. Mas não se deixe enganar, ele perdoa rápido aqueles que não cometeram uma falha muito grave, mas dependendo do que você fizer ele não só jamais vai te perdoar como vai fazer o possível e impossível pra te destruir. Se você ousar fazer algo tão ruim que esse cara se torne incapaz de se preparar, cuidado. Jason irritado é capaz de iniciar uma guerra. Vai ser ele contra o mundo inteiro e ele vai ter certeza de ganhar.•

Habilidades:
Por incrível que pareça, ele sabe cozinhar (é até talentoso nessa área)
Ele é muito bom em escalar (ele gostava de subir em árvores ou passar por cima de muros quando criança)
Ele sabe muito de medicina (como eu disse, ele odeia médicos, como uma criança do primário, portanto ele fez questão de adquirir os mesmos conhecimentos que um para nunca ter que encontrá-los)
Ele tem muito talento pra construir e concertar coisas (assim como tem um talento incrível para destruí-las)
Talvez como consequência de seus poderes, ele é um gênio quando se trata de combate corpo-a-corpo. Ele não sabe um estilo de luta especifico, mas ele sabe se defender de qualquer ataque e seu ataque quebra qualquer defesa. Ajuda saber qual vai ser o próximo movimento do oponente)
Incrivelmente, ele é muito bom dando conselhos. É como se ele pudesse resolver todos os seus problemas apenas com palavras (apesar de nunca segui-los e odiar recebe-los quando não pede)

Fraquezas:
Vou caprichar, já que acho que coloquei o poder muito forte :P
*Seu poder possui 3 níveis (10 poderes básicos), porém apenas o primeiro nível (4 poderes básicos) é "automático" pra ele. Detecção de Mentiras, Memória Fotográfica, Imunidade à Ataques Psicológicos e Database são habilidades que ele usa inconcientemente, porém, a partir do nível dois ele só pode usar uma habilidade seguidamente por um período máximo de 5 minutos. Além disso, mesmo que varie as habilidades que usa, ele só poderia continuar as utilizando por no máximo uma hora e depois teria que ter ao menos outra hora de descanso, sem utilizar habilidade alguma.
*Utilizar suas habilidades do nível três causam mais e mais danos para ele dependendo do tempo que as usa. Utilizar esses poderes por alguns segundos já lhe causam uma dor de cabeça fraca que aumenta a medida que os usa. Ele costuma tomar remédios para dor depois de qualquer batalha e falar com ele é simplesmente proibido a não ser que você queira que seu cérebro exploda. Ele também fica bem irritadiço, por causa da dor. Por isso que ele sempre faz o possível e impossível para acabar com uma luta o mais rápido possível, podendo realmente entrar em coma se ela durar mais de uma hora e, caso não entre, ele pode acabar com consequências permanentes, como dor de cabeça constante ou ter sua visão ou audição prejudicada. Claro, ele não demonstra sua pressa ou tudo vai por água abaixo, mas como eu disse, a dor dele o deixa irritadiço e um pouco desesperado, então ele também acaba se distraindo tentando aparentar calmo e debochado como sempre, o que também pode lhe prejudicar em campo.
*Sua Imunidade à Ataques Psicológicos pode ser incrivelmente perigosa para ele mesmo, principalmente por pertencer ao nível 1. O problema é: Quando ele fica muito cansado por utilizar seus poderes do nível 2 e 3, esse poder acaba enfraquecendo e para de funcionar. Mas supondo que alguém tentasse utilizar poderes psicólogos nele quando estivesse nesse estado, apesar de inicialmente os ataques funcionarem, como os poderes do nível 1 funcionam automaticamente sua mente logo começaria a armar suas defesas, mesmo que não possua forças para tal ato, e os danos seriam mortais. Esqueça as simples dores, ia parecer que ele acabou de levar um tiro na cabeça e a dor seria insuportável. Ele seria incapaz de fazer qualquer coisa além de tentar inutilmente controlar os gritos e gemidos.

Qualidades:
Confiável
Extrovertido
Esperto
Eficiente
Ele tem certa incapacidade de deixar alguém pra trás (se bem que ele acha que é um defeito, porque já se meteu em muitas encrencas por causa disso)
Sempre da seu máximo em tudo que faz

Defeitos:
Debochado
Impulsivo
Irritante
Não mede suas palavras
Prepotente
He's a damn first class sadistic pervert!

Poder:
Super Inteligencia.
Seu poder se divide nas habilidades:
*Nível 1 -
•Detecção de Mentiras
•Memória Fotográfica
•Database: Conforme ele vai absorvendo as informações, as mesmas podem ser dispostas ao ar para serem organizadas, como se fizesse uso de um computador "touch" invisível (o primeiro computador do mundo foi ele, hahaha). Somente ele é capaz de ver essas informações, que são infinitamente armazenadas em seu cérebro.
•Imunidade à Ataques Psicológicos: Como sua mente é seu reino, qualquer ataque de manipulação psicológica ou que ataque diretamente sua mente é incapaz de atingi-lo. Sua mente é fechada a sete chaves e é um mundo onde apenas ele pode entrar.
*Nível 2:
•Psicomimetismo: Com essa habilidade, ele ganha a possibilidade de escanear e aprender qualquer talento comum. Conforme mais difícil for esse talento maior é o tempo demorado para se aprende a habilidade em sua totalidade. No caso de querer aprender uma habilidade marcial ele teria que passar o dia inteiro com a pessoa que estaria lhe ensinando. Se passar menos tempo ele adquirirá esse talento temporariamente, o perdendo quando se afastar do "professor". Como só pode utilizar essa habilidade seguidamente por 5 minutos e depois precisaria de mais 5 minutos de descanso ele seria forçado a passar ao menos 2 dias tentando aprender até o talento se tornar permanente. Como o "dia" não envolve o período da noite ele seria capaz de aprender tal habilidade em 24h, passando a noite em claro.
•Telepatia Básica
•Multitask: Capacidade de exercer mais de uma atividade ao mesmo tempo, por dedicar uma parte diferente de seu cérebro para cada uma. (Ex: cantar e ler; conversar e fazer uma pesquisa)
*Nível 3:
•Hipersinesia: Também lhe presenteando com Reflexos Sobre-humanos, lhe permite calcular em uma fração mínima de segundo como os ataques do inimigo funcionarão e até mesmo o seu próprio, calculando a distância de uma bala e seu trajeto, o dano da mesma, calculando sua velocidade e o possível local atingido. Ele poderia ver a luta inteira em sua cabeça antes de ela começar, assim evitando alguns ataques por torná-los impossíveis.
•Empatia: Capacidade de saber os sentimentos, sonhos, esperanças, segredos, medos e desejos (entre outros) de uma pessoa por somente deixar um olhar cair sobre ela. Isso talvez seja o que o torna tão bom em dar conselhos.
•Influenciável: Possuindo um entendimento superior sobre a "vítima" ele pode modificar as próprias expressões, atitudes e tom de voz de forma a assustar a vítima, confundi-la, irritá-la... Basicamente, se adaptando de forma a manipular as emoções do inimigo.

Nacionalidade e onde esta atualmente:
Nasceu na Suécia e vive atualmente na Escócia.

História:
Em 28 de maio de 1911 nasceram duas crianças na família Karlheinz, Erik Jason e Christer. Ambas as crianças nasceram da mesma mãe, no mesmo país, no mesmo dia e com o mesmo rosto, mas as diferenças entre as duas eram óbvias e inegáveis. Christer era um garoto amigável e doce, que fazia amizades de uma maneira incrivelmente fácil, levemente tímido a primeira vista, mas maduro e confiável. Quem visse Christer ao lado de Erik, um garoto extrovertido, cheio de energia, com uma curiosidade perigosa para ele mesmo e que aprendia rápido demais para os outros conseguirem acompanhar, mas insociável e péssimo em fazer amizades, mesmo que fossem externamente idênticos ainda se mantinha difícil acreditar que eram irmãos. Apesar disso, ambos eram o melhor amigo do outro e sempre se divertiam muito, ao mesmo tempo que secretamente se invejava. A quantidade extra de carinho que Christer recebia das outras crianças deixava Jason frustrado, mas Christer não era aquele que ficava gravado na mente das pessoas. Mesmo que fosse por ser um pestinha problemático, aqueles que conheciam Jason jamais esqueciam seu nome, não conseguiam parar de falar dele. A existência do garoto era marcante demais e sempre surgia na conversa. Christer não conseguia ignorar isso.
Os pais amavam igualmente as duas crianças, apesar de não ser segredo que Erik ficava de castigo ou levava bronca com uma frequência bem maior. Ao saírem do primário e entrarem no fundamental, mesmo que fossem próximos em casa os dois mal se falavam na escola. A diferença entre eles ficava ainda maior na sala de aula. Christer era o bom aluno, que sempre tirava notas boas e prestava atenção nas aulas, apenas vez ou outra conversando com os colegas do lado, mas Jason era o palhaço da sala, que fazia perguntas que o professor normalmente não conseguia responder, falava alto sem se importar em ser ouvido, dormia durante as aulas que não gostava... e tirava notas arrasadoras no final do semestre. Christer se esforçava, mas para Jason era simplesmente fácil demais. O que não faltava ao garoto eram provas fechadas e parabenização dos pais (e largos períodos na diretoria). Se bem que ele não conseguia amigos. Jason fazia inimizades com as piores pessoas possíveis e mesmo quem gostava de sua personalidade expontânea não tinha coragem de se aproximar. Não sabiam como seriam recebidos pelo garoto que aparentemente não gostava de conversar.
Havia apenas uma matéria que Jason arrasava (negativamente). História. Sua criatividade absurda fazia com que ele fizesse um estudo da história e a re-escrever-se da maneira que lhe fazia mais sentido. Seu professor ficava encantado com suas ideias, mas ainda tinha que lhe tirar pontos por não escrever da forma em que estava nos livros e por citar fatos não comprovados, o que sempre deixava o menino frustrado. Tirando isso Jason adorava o estudo. A medida que ia passando de ano ele se encantava com as dificuldades que apareciam. Perdeu as contas de quantas vezes explodiu alguma coisa nas aulas de química (porque tentava fazer alguma coisa diferente) e quantas novas fórmulas inventou para matemática (mesmo que elas só fossem simples pra ele). Seus professores começaram a se focar em seu futuro, assim como seus pais, desde cedo. Seus pais eram recomendados a focar a energia do garoto nos estudos e seus professores tentavam se focar em como funcionava a cabeça do garoto para ensina-lo da melhor forma possível, sem deixa-lo se prejudicar por sua personalidade rebelde. Erik ficou bem famoso nesse tempo. Os vizinhos e pais de seus colegas passavam em sua casa vez ou outra para parabenizar os pais, enquanto o assunto da conversa se escondia no quarto e brincava com Christer até os estranhos irem embora.
Quando Jason tinha 9 anos (isso, essa bagunça toda ocorreu quando ele era uma criança de 9 anos) a atenção que recebia acabou afastando seu irmão. Ele parou de se esforçar, porque não importa o que fizesse ele era incapaz de chegar aos pés do irmão. Foi menos de um ano depois que Christer descobriu seus poderes. Ele sabia controlar o ar, comprimi-lo, iniciar uma ventania e até retirá-lo de algum lugar. Ele começou a se divertir e competir com o irmão, que só o assistia feliz de o ver animado de novo (e secretamente querendo estudá-lo). Christer as vezes fazia brincadeiras perigosas demais e Jason tentava para-lo, mas Christer ficava irado e perguntava ao irmão porque ele fazia coisas perigosas o tempo inteiro, mas Erik apenas sorria e dizia "Se for eu não tem problema, não se preocupe". Christer não entendeu as palavras do irmão. Jay quis dizer que, caso ele morresse, não faria falta. Quer dizer, todos considerariam uma pena que uma mente tão desenvolvida tivesse morrido tão jovem, mas quem ia realmente sofrer se ele fosse embora? Não seria um alívio se a peste Erik Jason simplesmente desaparecesse? Jason recomendou que escondesse seus poderes, para que ninguém tentasse se aproveitar dele, mas Christer queria mostrar ao mundo todo. Ele contou aos pais e amigos, que pediam que ele demonstrasse suas habilidades. Pediam cada vez mais e Christer adorava demonstrar. O garoto ficou mais famoso que o irmão e várias pessoas apareceram, querendo estudá-lo. Os pais escondiam os filhos quando isso acontecia. Parecia que os irmãos haviam trocado de lugar.
Um dia, sua mãe pediu que ele fosse comprar o almoço. Eles intercalavam, cada dia mandando uma criança diferente (se bem que no caso de Jason o dinheiro era contado, senão ele acabaria comprando outra coisa). A loja era bem perto de casa, então ele voltou correndo quando ouviu os gritos. Alguém havia entrado em sua casa e matado seus pais na tentativa de sequestrar Christer, e este usou seus poderes para se defender. Os poderes de Christer enlouqueceram. Erik já havia notado que vez ou outra o irmão perdia o controle de suas habilidades, mas jamais imaginou que ele seria capaz de criar um ciclone que destruiria a casa. Os homens foram lançados violentamente pelo ar e morreram na hora ao baterem de cabeça no chão. Christer morreu enquanto seu ar era retirado do corpo. Jason assistiu enquanto o irmão ficava azul, tentando desesperadamente pensar em um modo se salvá-lo, mas apenas alguns segundos depois o ciclone parou e Christer estava morto. Como Jay esperava desde o início, uma quantidade incrível de pessoas compareceram ao enterro de sua família e vários choravam. Talvez seja assim que se calcula o valor de uma pessoa, pela quantidade de lágrimas derramadas em seu funeral. Erik sempre contou seu valor como sendo das lágrimas de três pessoas. Agora que estavam mortas ele se sentia sem valor algum. Quem liga se ele é esperto? O que sua inteligência fez por ele? O que fez por qualquer um?
No dia do funeral de sua família ele desapareceu, se escondendo das pessoas que o levariam para o orfanato. Mas alguém o encontrou. Um homem que já parecia velho se sentou ao seu lado, lhe causando desconforto. Lhe perguntou o que estava fazendo e ele apenas disse que estava se escondendo e voltou a ignorar o homem. O velho disse que estava fazendo o contrário. Estava procurando. Curioso, Jay não conseguiu evitar perguntar o que ele procurava. O velho disse, sorridente, que estava atrás de uma criança com habilidades sobre-humanas, inimagináveis, com a capacidade de mudar o mundo. Erik, cabisbaixo e irritado, disse ao homem que a criança que procurava estava morta, por pessoas que, como ele, queriam usá-lo. O homem lhe disse que ele estava enganado. A criança estava bem ao seu lado. Ele estava procurando Jason.
O garoto protestou. Disse que a última coisa que poderia fazer era mudar o mundo. O velho lhe disse que ninguém esperava ser capaz de tal coisa. Ele mesmo não se achava capaz, mas queria tentar. Erik sabia dizer quando alguém estava mentindo, mas o homem era sincero. Ele não tinha mais para onde ir, então se deixou ser levado pelo homem para a Escócia. Ele lhe mostrou que ele possuía habilidades formidáveis e como ele poderia usá-las. O homem era como um pai, e talvez o fosse melhor do que seu pai original. Antes, Jay pensava que Erwin, assim como os outros, estava interessado apenas em suas habilidades, mas ele demonstrou interesse por ele. O mostrou um mundo diferente. Brincava com ele, lhe fazia companhia nas noites que não conseguia dormir, conversava com ele quando ninguém mais o queria fazer. Erwin já tinha outro único aluno, Richard, mas com o tempo a quantidade de estudantes foi aumentando. Erwin estava fazendo exatamente aquilo que disse que faria, mudando o mundo, pessoa por pessoa. Erik esperava ser capaz de fazer o mesmo.

Amigos e inimigos:
Esperando o primeiro capítulo...

Relação com outros professores?:
Muitos não o suportam graças a seu jeito prepotente e impulsivo de agir, principalmente os mais responsáveis e competitivos, mas eles possuem uma "convivência amigável", se bem que apenas no trabalho. Ele nunca chegou a bater papo com os outros professores apenas para passar o tempo, mesmo porque ele não é muito bom com relações sociais que não tenham relação com o trabalho. A conversa mais pessoal que já teve com alguém foi perguntar que horas eram.

Qual era sua relação com Erwin?:
Sempre o considerou quase como um pai e Erwin também quase o via como um filho (e por o conhecer tão bem sabia desde o início de que ele não nasceu para liderar e poderia no máximo auxiliar Richard em seu papel de diretor). Erwin lhe ensinou muita coisa e lhe ajudou com vários problemas e o via como parte da família. Apesar de entender melhor do que ninguém a decisão de dar sua vida para dar continuidade ao "plano" (já que eles tinham em comum esse desejo de sempre fazer seu melhor pelo que decidiram fazer) ele realmente ficou mal humorado no dia que descobriu sua decisão. Ele foi realmente muito afetado ao saber que Erwin ia morrer.

Qual é sua relação com o Richard?:
Como os dois tem como característica sua inteligência ele gosta muito de competir com Richard. Apesar de perder para Richard em responsabilidade e organização (coisas que ele tem em grande falta), no resto ele compete em mesmo nível, e, em alguns poucos casos, superior ao de Richard. Ambos tem realmente muita dificuldade de se dar bem por darem importância a coisas diferentes e Richard se irrita muito com o jeito debochado e despreocupado de Jay. Como Richard possui uma posição superior o atrito entre ambos piora, como Jason simplesmente se recusa a seguir as ordens com as quais não concorda. Mas como Jay, apesar dos atritos, gosta de parte da personalidade e jeito de Richard (ele jamais se consideraria rival de alguém que não respeita), ele sempre está disponível para ajudá-lo quando estiver com problemas, aconselhar e lhe mostrar o caminho quando ele estiver indo para o lado errado, assim como Richard lhe ajuda para que ele não faça uma bobagem muito grande. Afinal, em estratégia ninguém pode negar que o talento de Jason é superior ao do mundo inteiro

Qual era sua relação com Hitler e qual é atualmente?:
Jason gostava de seu jeito de certa forma bem original e como sempre era convicto em seus decisões, mas não flava muito com ele assim como não falava muito com os outros, mas Hitler sempre teve interesse em sua inteligência e sempre quis atraí-lo para trabalhar com ele então puxava conversa com frequência, tentando entende-lo. Jay se sentiu levemente tocado por ser raro alguém adquirir interesse em sua forma de pensar, então considerava Hitler algo como um amigo, mas amizade não o fez concordar com sua ideia de conquistar o mundo, mesmo que Hitler o tivesse oferecido um trono também. Jason tentou várias vezes convencê-lo do porque seu plano não daria certo, tentando fazê-lo mudar de ideia, mas tudo que conseguiu foi ajudar Hitler a cobrir os buracos em seus planos e deixá-lo ainda mais confiante (na época ele não era tão forte e não conseguiu pensar que mais pra frente ajudaria Hitler, ele achou que conseguiria fazê-lo mudar de ideia). Hitler ainda tenta manter uma convivência amigável com Jay, que só consegue debochar de seus planos, tentando não lhe ajudar mais, mas Hitler tem certeza absoluta que vai conseguir convence-lo de que seus planos tem futuro. A confiança do ex-amigo as vezes lhe assustam, por não saber de onde ele tira tamanha confiança.

Como trata os amigos:
Ele não muda muito na parte de ser bem irritante, mas ele é amigável e divertido e, quando você começa a conhecê-lo melhor (como é o caso de seus amigos) é realmente muito difícil ficar com raiva dele (você até fica irritado, mas se acalma logo sabendo que sua raiva é só perda de tempo), principalmente porque seu jeito sonhador e decidido lhe da as vezes um ar de inocência (que some logo. É só uma ilusão e seus amigos sabem disso, mas aqueles olhinhos brilhantes nada confiáveis parecem tão sinceros...)

Como trata os inimigos:
Debochando e sendo sarcástico e irônico a todo momento. Ele ataca seus inimigos com suas palavras como se estivesse lançando adagas. Ele nunca realmente se foca em prejudicá-los ou coisa parecida, apenas se defendendo no caso de ser atacado.

Como trata o par:
Quando já se der bem com a dita cuja e forem um casal (não adianta, mesmo que você faça um milagre não tem como a garota gostar dele de cara e ele é orgulhoso demais para tratar carinhosamente alguém que não goste dele) o par provavelmente vai ter mais poder sobre ele do que o presidente. Eu não estou brincando, ele jamais faz nada que não queira fazer, mas como ele gostaria de agradar a pessoa que gosta ele poderia considerar um pedido do par (ia tentar muito manter a dignidade, mas poderia acabar cedendo, coisa que ele não faz em nenhuma outra situação). Estou te dizendo, não é como se ele fosse grudento, mas ele vai simplesmente perder a noção de distância quando está com quem gosta (é aquele tipo que vai simplesmente se apoiar na pobre coitada ou olhar o que ela está fazendo por cima do ombro e nem notar que está a apenas centímetros de distância. Pode ser de propósito pra provocar? Pode. Ele pode nem notar o que está fazendo? Também é possível. Nesse último caso nunca deixe ele notar que está te atingindo ou ele vai acabar se aproveitando da situação). Apesar de fingir que não, por puro orgulho, ele é um cara extremamente possessivo (ele não vai se meter na sua vida, mas não deixe ele te pegar olhando para outro cara ou vai lidar com seu rosto mal-humorado pelas próximas horas. Se pegar outro cara olhando pra mulher então, acredito que o homem vai acabar tendo pesadelos com o olhar que vai receber por várias noites). Apesar de não ser bom em lidar com mulheres que não conhece ele é um pervertido de primeiríssima categoria, então se você é par dele prepares-se, ele não vai te deixar em paz.

Família:

Manias:
Ele é hiperativo, então ele tem o costume de ficar batucando com o indicador direito em qualquer superfície que encontrar (se não achar uma ele começa a bater o indicador na perna). Ele faz isso com ainda mais frequência quando está nervoso, ansioso ou frustrado.
Mordiscar o lábio interior enquanto está pensando.
Bagunçar o cabelo quando está frustrado.
Ele passa a mão esquerda no ombro direito quando está preocupado.

Hobbies:
Analisar teses de doutorado
Resolver testes de QI
Correr pela manhã (faz bem, você devia tentar)

Gostos:
Pessoas criativas e inovadoras
Vinho (um copo de vinho antes de dormir faz bem pro coração. Ele não bebe mais nada)
Irritar
Competir
Ganhar
Apostar (ele sempre ganha)
Seu trabalho
Animais (tem certo carinho por cães e gatos)
Provar que está certo
Sentir que fez alguma diferença
Dormir até tarde

Desgostos:
Que sintam que tem poder sobre ele
Seguir ordens com as quais não concorda
Perder
Alimentos doces demais
Sedentarismo
Falta de criatividade
Quando mais de um aluno da a mesma resposta (ele os pune severamente quando acontece. Ele é o tipo que corrige até o dever de casa)

Medo/fobia:
Ele tem pavor de ciclones, tornados, furacões ou qualquer coisa do tipo. Ele se torna incapaz de se mover e fica apenas encarando, rezando para a coisa simplesmente desaparecer.

Segredo:
Não tem realmente. Há coisas que não gosta de falar, mas não esconde nada (a não ser quando precisa)

Quer par? Se sim, descreva:
Alguém capaz de aguenta-lo seria um bom começo, haha. Teria que ser esperta e de personalidade forte, porque ele não gosta de pessoas influenciáveis. Até suportaria alguém facilmente manipulável, mas alguém que se inspira ou imita os outros? Nem pensar. Gosta de mulheres que tem opinião própria e que saibam respeitar quando ele está ocupado (mesmo que ele não saiba fazer isso).

Orientação Sexual:
Bissexual

O que ensina?:
Estratégia, mas ele também funciona como uma espécie de médico quando algum dos alunos se machuca, já que ele entende da coisa.

Tem noção que será uma guerra e seu personagem pode morrer?:
Yep

Sabe que ele esta nas nossas mãos e precisarei fazer alterações necessárias?:
Divirta-se

Algo mais?:
Noop


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...