~NikyNeko

NikyNeko
I'm not strange, I'm special
Nome: Nicole
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil
Aniversário: 26 de Março
Idade: 16
Cadastro:

Magnet


Postado

✩Mika Hoshika✩




✩ Nome completo: ✩

•Mika Hoshika•

•Mika é um nome que pode significar "Amor", "Bela fragrância" e "Aquela que se assemelha a Deus", e surgiu do nome Mikaela•

•Hoshika significa "Estrela do canto"•



✩ Apelido(s): ✩

•Mi-chan - Alguns de seus amigos a chamam assim•

•Mikan - É uma brincadeira com o nome dela e a palavra mandarin, um tipo de laranja (Mikan) - Seus parentes costumam chama-la assim, graças a sua obsessão pela fruta•

•Little Lion - Um amigo lhe chamava assim, graças a seu cabelo (leia-se juba)•

•Ela adora apelidos porque se sente desconfortável se as pessoas ao seu redor forem muito formais•



✩ Idade: ✩

•18 anos•

•1° de Janeiro - capricórnio•



✩ Aparência: ✩








*Tem cabelos dourados selvagens e rebeldes, ondulados, que chegam até o final de suas costas. Seu jeito faz parecer que são bagunçados, mas se passar as mãos por eles verá que são incrivelmente sedosos (bom, se ela tiver penteado). Apesar disso ela realmente odeia o próprio cabelo com todas as forças e não existe chapinha no mundo capaz de salva-lo. Seus olhos são amendoados, de um verde brilhante como esmeraldas, emoldurados por longos cílios negros e belas sobrancelhas douradas. Ela não é muito alta, com apenas 1,65. Suas curvas quase sempre prendem olhares, e são perfeitamente compatíveis com seu tamanho. Ela tem um belo corpo, graças a seu amor por dança e esportes, e tem um rosto belo, com bochechas levemente cheias e lábios pequenos (não se engane, eles são um buraco negro) e levemente carnudos, róseos. Seu rosto parece mais jovial do que deveria, porque diferentemente das garotas de sua idade ela odeia usar maquiagem (se não tem um jeito de ficar mais bonita permanentemente então ela não vai nem tentar). Seu rosto é limpo e sua pele é suave pelos bons tratos. Ela tem cheiro cítrico, como de laranja, talvez por comer demais da fruta.



✩ Nome da personagem que retirou a aparência: ✩

•Hoshii Miki•

•Pesquise "Miki Hoshii Tumblr" no google e vai ficar chocada com quantas imagens ela tem. Tem algumas imagens mais bonitas se você quiser fazer uma capa, mas eu achei que essas interpretavam ela melhor•



✩ História: ✩

•Ela não mudou muito desde quando era criança. Sempre foi uma garota extrovertida, animada e ansiosa. Mika era aquela garota que, onde quer que vá, as pessoas simplesmente se juntam ao seu redor, por ser muito fácil gostar dela. Sua mãe era uma mulher muito doce e simpática, e apesar de sua aparência frágil Mika é a que sabe melhor o quanto ela é forte. As condições financeiras de sua família nunca foi muito boa, já que sua mãe trabalhava numa floricultura, o que não lhe rendia o melhor dos salários, e cuidava da filha sozinha. Ela nunca conheceu seu pai, porque sua mãe disse que ele era um playboy que nunca foi interessado em ter uma filha e que se afastou no segundo que descobriu que Mika nasceria (Provavelmente a única pessoa no mundo que Mika viu sua mãe odiar. Sua mãe já chegou a lhe admitir o contrário. Amava tanto seu pai que não suportou quando lhe abandonou e substituiu sua tristeza por raiva, para suportar melhor a dor). Como a condição financeira era ruim sua mãe acabou se casando com um homem rico, sem amor de nenhuma das partes, para sustentar a filha até que completasse 18. Eles se conheceram em um omiai e, mesmo que não gostassem um do outro, acabaram se casando. Aí você se pergunta, se não se amavam, porque se casaram? Aquele casamento rendeu a ambos mais ou menos o que queriam. Sua mãe trabalhava para o homem como escrava. Ela cuidava das coisas da casa que ele não queria se meter e estava a seu dispor para tudo que ele quisesse. E ele tinha o dinheiro para dar uma vida confortável para sua criança e, contanto que não o atrapalhasse, ela poderia fazer o que bem entendesse.•
•Ele era grosseiro e machista e a garotinha cresceu o odiando, com sua mãe fazendo questão de dize-la que aquele homem não era seu pai e nem sua família. Mika viveu tentando ao máximo não se relacionar com ele. Era fácil porque ele trabalhava 90% do tempo (ela não suportaria lidar com ele mais que isso) e tudo que ela tinha que fazer era brincar com seus amiguinhos e com a mãe durante o dia e se contentar em encará-lo com a cara feia quando ele chegava em casa. Para sua sorte ele não ajudou na criação da criança. Sua mãe lhe ensinou desde nova à evitar falar com ele e não o atrapalhar em nada, então ele não sentia a necessidade de brigar com ela. Ele era o homem que morava em sua casa e ela tinha que obedecer. Nada mais. Sua vida "em família" era um inferno onde ela não poderia falar, por perigo de dizer a coisa errada, e quando dizia era pra brigar sobre a maneira com que sua mãe era tratada, o que lhe rendia longos períodos trancada no quarto sem poder comer, beber água ou até ir ao banheiro até ele dormir ou sair de casa, que era quando sua mãe podia abrir a porta. Ele voltava a ignorar a garota pestinha no dia seguinte, sem se importar se ela saiu ou não do quarto, e ela morta de vontade de enforcá-lo, mas sem poder fazer isso.•
•Ela sempre teve muitas amizades na escola e era seu porto seguro. Eu não diria bem amigos, mas colegas amigáveis. Eles não conheciam absolutamente nada sobre ela além de sua personalidade que sempre estava claramente a mostra, e ela não se preocupava muito em conhece-los, assim eles continuariam sendo os amigos perfeitos que eram na sua cabeça. Sabia que alguns deles estavam mais interessados em ficar próximos de alguém com boa condição financeira que poderia bancá-los, e alguns realmente não pensavam bem dela, mas ela preferia fingir que não sabia.•
•Para deixar a garota no canto dela, o homem que morava em sua casa sempre a enchia de presentes nos momentos que ela parecia irritada com o jeito que sua mãe era tratada, e quando podia sua mãe sempre lhe comprava qualquer coisa para compensa-la pelo que a fazia passar, isso fez Mika odiar dinheiro com todas as forças. Quem precisa ser rico? Como podem achar que coisas caras podem lhe substituir amor, carinho e uma família feliz? Ela não conseguia suportar a maneira que todos pareciam ver dinheiro como a coisa mais importante e necessária na humanidade. Se dinheiro era poder então ela poderia viver submissa aos "mais poderosos" pra sempre sem problema nenhum. Não precisava viver de comidas caras, numa casa grande, com um motorista particular e dinheiro e "liberdade" para fazer o que quiser, com a pequena exceção de não irritar o dono de tudo aquilo.•
•Apesar de amar sua mãe, para evitar ver sua "relação familiar", ela fazia o possível para ficar o máximo possível fora de casa. Quando criança ela ficava na casa dos amigos, e aos 16 anos seu maior passatempo passou a ser brincar com homens (sim, não muito puro da parte dela). Era divertido e, supostamente, nada poderia dar errado (com isso já da pra perceber que ela nem sequer pensou no que poderia dar errado). De certa forma ela não acreditava que coisas como "amor" existisse. Afinal, qual foi a última vez que ela sequer viu um caso de amor com os próprios olhos? Algumas de suas amigas tinham uma quantidade incontável de namorados pelos quais diziam estar apaixonadas, mas isso não às impedia de terminar com ele e buscar outro. Mika começou a viver em um mundo de amizades coloridas. Ela tinha vários homens, mas não tinha uma relação profunda com nenhum deles e nenhum deles tinha uma relação profunda com ela. Se algum parecia começar a gostar dela, ela o dispensava, porque não queria ser iludida e não queria iludi-lo. Nada poderia dar errado. Tudo estava dando certo. Até alguém lhe mostrar que dispensar alguém trazia consequências as vezes mais pesadas que o esperado.•
Quando voltava pra casa, normalmente já era o fim da noite. O demônio que habitava sua casa já deveria estar em sono profundo e dificilmente sua mãe cansada conseguiria espera-la acordada, por mais preocupada que estivesse. Mas caminhar a noite significa mais ruas vazias, e ela não demorou muito para encontrar uma. O medo a dominou e ela pensou seriamente em procurar outro caminho ou atravessar a maldita avenida correndo em velocidade máxima, até que um conhecido de uma de suas amigas, um garoto que ela conheceu ainda no mesmo dia, subitamente apareceu lhe trazendo um enorme alivio para o coração (sim, uma rua vazia, a noite, uma pessoa suspeita aparece e ela fica aliviada) e esse se ofereceu para acompanha-la até em casa, para que ela não ficasse assustada (ela também não entendeu como ele sabia de sua isolofobia, mas não deu muita atenção pra isso. Provavelmente alguém tinha contado). Ela aceitou feliz, já que não teria que procurar um caminho novo nem se matar de correr.•
•Quando já conseguia enxergar sua casa ela se virou sorrindo preparada para agradecer, mas quando se virou ele tinha um sorriso lascivo no rosto. Ela não teve sequer tempo de se assustar antes de sentir alguém aparecer por trás tampando seus lábios.
"Achou que iria escapar tão fácil? Você é só uma vadia que gosta de brincar de boa garota..."
A voz do garoto era de alguém que ela já conhecia a um bom tempo. Eles eram "amigos com benefícios" até ele se confessar pra ela na semana anterior e ela parar de falar com ele. Ela tentou se livrar, mas era como se suas forças tivessem desaparecido com o pavor. Ela tremia muito e mal conseguia respirar, quanto mais lutar com dois garotos em plena adolescência.
"Isso é uma boa ideia? Alguém vai aparecer!"
O garoto que a acompanhou até em casa disse, mas o sorriso em seu rosto não mudou. Ela sentiu alguma coisa amarrando seus pulsos e um pano substituiu a mão de um de seus agressores.
"Você sempre pode fugir e me deixar brincar sozinho. Eu não gosto de dividir mesmo, principalmente essa aqui."
"Nem brinca! Se você for preso a essa altura vão me levar junto por cumplicidade de qualquer jeito. Eu vou primeiro."
"Ok, ok, mas se apresse!"
Suas mãos passearam por seu corpo até praticamente arrebentar sua blusa. Ela gritava e esperneava, raivosa, mas contra dois homens ela não tinha chance. Sua voz não passava de gemidos abafados. Lágrimas caiam sem sua permissão e ela nem conseguia enxergar. Ela estava enojada. Assustada.
"Para de se mexer sua cachorra! Você quase arrebentou meu joelho! Segure ela mais forte!"
Ele gritou depois de ela chutar sua perna.
"Eu estou segurando! Só tenta segurar as pernas e os braços sem ajuda! Vai logo! Eu que te chamei aqui pra início de conversa! Se for preso por sua culpa eu te mato!"
"Certo, certo..."
Ele a agarrou pelos cabelos e aproximou o rosto.
"Olha gatinha, fica quieta e eu faço ser prazeroso para ambos, beleza?"
Ela conseguiu se livrar do pano e mordeu fortemente o lábio do homem a sua frente, até sentir o gosto de sangue.
"Mas que merd-!"
Ela gritou o mais alto que pode e levou um tapa forte no rosto (gritar já tinha ferido bastante seu orgulho e levar um tapa a deixou realmente puta, mas ela não conseguia se mexer), logo tendo sua boca tapada novamente, com um rosto furioso. O garoto que à segurava levou as mãos até sua calcinha.
"Acho que agora vamos ter que fazer as coisas um pouco mais rápido."
Ele disse com um sorriso preocupado e firmou a cabeça da garota contra o chão e começou a arrancar suas calças. Ela já choramingava e estava no período de desistência.
"Hey, a polícia vai chegar aqui em poucos minutos. A cadeia não parece ser tão confortável, então é melhor correrem."
Um homem na casa dos 40 apareceu na frente deles. Ele parecia na verdade bem calmo. Seu tom de voz era como se realmente estivesse disposto a ir embora e os deixar em paz se não quisessem fugir. Os dois garotos raivosos a lançaram um olhar mortal e saíram correndo e o homem apenas abriu espaço. Ele andou em sua direção e tirou as cordas de seus braços, enquanto ela aproveitava que eles estavam soltos e começou a arrumar suas roupas tentando parar as lágrimas. Se sentia péssima.
"Porque não parou eles?"
Ela protestou num murmuro assim que o pano caiu de sua boca. Ela tentou, mas ainda gaguejou bastante. Estava tão feliz de estar salva que só perguntou para não ficar calada num clima estranho.
"Porque eu perdi meu telefone e a polícia não faz ideia do que está acontecendo. Não sei se você percebeu mais eu não tenho idade pra segurar dois garotos no auge da adolescência e carregar até a delegacia. De qualquer forma, você os conhece certo? Denuncia-los por algo assim com uma testemunha é fácil, e você tem muitas marcas pra provar... Você mora aqui perto? Não acho que vai conseguir se levantar tão cedo."
Ela ainda sentia seu rosto arder e havia marcas de unhas em seu tronco e suas pernas. Realmente ela era um poço de provas. Como ele conseguia ficar tão calmo depois de presenciar uma coisa assim? Ela tremia muito e não tinha força nas pernas, então o homem teve que carrega-la até em casa. Quando chegou sua mãe estava em pânico, mas tentou manter a voz baixa para não acordar o "marido" adormecido. Mika ficou bem impressionada ao ver que ela realmente a havia esperado acordada e se sentiu extremamente culpada. Sua mãe agradeceu até não poder mais ao homem na sua frente e a menina foi tomar banho e dormir completamente exausta. Quando estava caindo no sono ainda podia ouvir sua mãe e o homem conversando.•
•Os dias passaram e o "marido" de sua mãe se recusou a pagar o advogado e culpou a menina por ser uma vadia e a esposa por não saber controlar a filha. Mika gritou com ele até não poder mais enquanto sua mãe tentava apartar a briga. Ela saiu com um tapa no rosto e três meses de castigo sem poder sair de casa sem ser pra ir pra escola. Ela não sabia se estava aliviada por ficar na segurança de sua casa ou irritada por ter que ficar vendo sua mãe sendo distratada do segundo que o maldito homem voltava do trabalho até o momento em que ia dormir.•
•Com o passar do tempo sua mãe começou a ficar menos em casa e se atrasava com frequência, mesmo que seu trabalho na floricultura não durasse muito, mas parecia de alguma forma mais feliz. Sempre voltava mais energética que antes. Isso deixava a garota feliz, mesmo que significasse mais tempo sozinha em casa (e alguns minutos de pânico pensando se liga pra alguém ou foge pra casa de algum amigo). Mika começou a se esbarrar no vizinho que a salvou com frequência, até mesmo quando voltava da escola e quando saía de casa e ele era bem divertido. Era sério, mas consideravelmente amigável. Era provavelmente mais divertido do que conversar com seus amigos, provavelmente porque ela não sentia a necessidade de esconder como era sua situação familiar (e ele não parecia muito surpreso quando ela contava, então era o pobre coitado que ela escolhia quando queria desabafar, e por alguma estranha razão ele não negava ficar escutando ela quando não estava no trabalho). O engraçado era que, mais do que ver ele sozinho, ela o via com sua mãe com frequência.•
•A história começou a se formar em sua cabeça. Pelo raciocínio dela a mãe provavelmente estava tendo um caso com o vizinho (ela ficou animada, porque parecia coisa de filme, como se o tédio de sua vida tivesse desaparecido. Seu passatempo passou de "brincar com homens" para "dar uma de detetive na vida pessoal da mãe). O amante da mãe se tornou quase que seu melhor amigo. Ele não falava muito, mas não era rígido e, apesar de ele mesmo negar, tinha bom humor. Com o passar do tempo seus "amigos" começaram a mostrar suas verdadeiras faces, as quais ela já conhecia, mesmo que não tão bem. Sua melhor amiga ficou irritada quando Mika disse que o amigo dela tinha tentado estuprá-la, e quando sua amiga se irritou e passou a odiá-la, todos os outros a acompanharam e começaram a ignorá-la na escola. Ela incrivelmente não foi muito afetada. Nem ela mesma acreditou com quanto superou rápido. Era até mais confortável não ter que esconder mais nada e não ter ninguém à enganando. Seus amigos e sua família eram sua mãe e seu vizinho. Tudo que ela precisava. Não se sentiu solitária. Era uma sensação diferente. Era mais como uma tristeza, porque tinha de certa forma a certeza de que aqueles dois seriam os únicos amigos que teria sua vida inteira. E a culpa seria inteiramente dela. Porque ela não é boa o suficiente para ter alguém que goste dela. As pessoas não eram ruins, é só que nenhuma delas conseguia se apegar a ela o suficiente para se tornarem realmente amigas.•
•Com o passar do tempo as relações de sua mãe ficaram bem óbvias. O "marido" parecia saber, mas não se importava desde que as coisas continuassem funcionando a sua maneira. A casa do vizinho virou seu refúgio para não ir pra casa, e como ele poderia nega-la? Afinal ela também não escondia que sabia do caso quase criminal dos dois. Ela chegou a sair os três juntos, ela, sua mãe e seu salvador, como uma família de verdade. Porque não poderia ser assim o tempo todo? Aquilo era impagável. Era quase um caso aberto. Ninguém tentava esconder mas ninguém deixava nada óbvio. Tudo estava indo muito bem até um dos amigos de seu pai descobrir sobre o caso da mulher.•
•Apesar de fingir não saber até aquele momento ele teve que proteger seu orgulho, e não teve dificuldade de fingir estar zangado. Estava furioso por ela ter se deixado ser descoberta. Já era a noite de ano novo quando o homem entrou na casa furioso, com os amigos de olhos curiosos esperando na porta. Ele agarrou sua mãe pelos cabelos e a arrastou até fora de casa, a expulsando. Mika só se preocupava se o amante da mãe as aceitaria ainda que fossem um estorvo. Ela não conseguiriam sequer alugar um apartamento sozinhas. Mas ele não parecia estar disposto a dar esse gostinho de vida boa para as mulheres que destruíram sua reputação. Sua mãe foi chutada de casa, mas Mika ficou lá. Ficou com medo de ele pedir sua guarda. Era fácil a corte decidir entre o pai corno e a mulher traíra que sequer tinha condições financeiras de cuidar da filha. Mas os planos dele eram piores.•
•Ela começou a gritar e pedir para sair junto com a mãe.
"Acha mesmo que eu ia deixar vocês escaparem felizes depois de me transformarem num corno? Você vai ser vendida. Um cavalheiro me pediu para te comprar hoje a tarde, na porta da minha empresa. Parece que ele e os filhos dele vão cuidar muito bem de você e eu vou ganhar uns trocados além de me livrar de você e me vingar daquela vadia. 3 coelhos com uma tacada só."
O tom sarcástico dele a incomodava. Vendida? Como ele podia fazer isso? Até um ser humano poderia ser comprado com dinheiro? Ela sabia que seria fácil pra ele comprar os juízes. Mesmo que sua mãe o denúncia-se ele ainda ganharia no tribunal.
"Bom, claro que eu sempre posso denunciar sua mãe e deixar as duas numa situação ainda pior do que a quando vieram até aqui. Posso denunciar seu novo "papai" também."
O sorriso dele lhe dava vontade de quebrar seu nariz. Ela não tinha escolha. Se quisesse que sua mãe fosse feliz ela teria que aceitar ser vendida. No dia seguinte, primeiro de janeiro, um homem de cabelos albinos, aparentemente bem apessoado, mas com um sorriso assustador, apareceu dizendo que a levaria com ele. Mas que belo presente de aniversário... Sua mãe implorou para que a devolvessem. Mika apenas sorriu pra ela. Vai ficar tudo bem. Todos vão ficar bem...
Sua mãe conseguiu se soltar do homem que a segurava e foi até ela, entregando alguma coisa em suas mãos. Ela tremia.
"Seu presente..."
Em sua mão haviam dois presentes. Um colar que sua mãe sempre usava, mesmo antes de conhecer o atual marido. O colar era de prata, com um pingente de um gatinho adormecido, enrolado em si mesmo. Ela sempre gostou daquele colar. Ela provavelmente não teve realmente tempo de comprar um presente de aniversário de verdade pra ela. O outro ela escondeu rapidamente no bolso. Não era exatamente um presente que costuma se receber nos aniversários. Era um canivete. Sua última visão foi sua mãe chorando em pânico. Mika sorriu ao ver nos braços de quem. No final amor realmente pode existir... Pena que ele parece nunca acontecer sem você perder algo em troca. Que sentimento cruel.•

*Informações:
•Mãe - Amaya Hoshika - 38 anos•

•Padrasto - Hikaru Hoshika - 47 anos•

•Amante - Hokuto Takashi - 45 anos•

•Colar•




✩ Gostos: ✩

•Comer -
Ela come uma quantidade quase fisicamente impossível. As vezes não da pra saber pra onde toda aquela comida vai
•Dormir -
Se ela não está fazendo nada interessante ela vai dormir quase que instantaneamente, não importa o local
•Ama animais com todas as forças -
Até salvava os insetos que se afogavam na piscina, apesar de recentemente ter ganhado certa preferência pelos gatos
•Olhar as estrelas -
É quando ela consegue de parar de pensar em todo o resto
•Ouvir música -
Ela gosta de uma quantidade enorme de estilos, mas tem preferência pela clássica e por músicas animadas
•Dançar! Ama dançar!
•Esportes, principalmente vôlei -
Se ela parar quieta ela dorme
•Frutas, principalmente as cítricas -
Favorita é a laranja (ou tangerina, mandarin, mexerica...)
•Cozinhar -
Assim ela pode deixar a comida do jeito que ela quiser
•Comidas temperadas -
Pimenta e sal é vida!
•Biscoitos amanteigados
•Café! Se bem que ela gosta de capuccino também... vitamina também é ótimo...
•Dormir abraçada. Se não tiver nada para abraçar ela dorme encolhida abraçando as pernas
•Surpreender as pessoas -
A cara de pessoas surpreendidas é simplesmente muito engraçada
•Dias quentes com brisas -
Tem clima melhor?
•Fazer travessuras -
Porque a reação das pessoas é engraçada
•Flauta -
Seu instrumento preferido. Depois dela o que mais gosta é piano (Se bem que são os únicos que sabe tocar, já que aprendeu na escola). Seus professores disseram que ela era muito boa e seus amigos sempre dizem que ela deveria entrar num concurso (ela nunca sabe se eles estão falando sério)
•Fugir da rotina
•Provocar as pessoas -
Se bem que fica menos divertido quando elas levam a sério
•Desafios -
Nunca recusa um por puro orgulho, apesar de nunca ter certeza se vai ganhar. Bem, ela vai dar seu melhor
•Cantar -
Porque é legal
•Compor -
Amor de sua vida, depois de dançar. 90% das músicas que você a ouvir cantarolando provavelmente foram feitas por ela
•Comédias românticas -
Nenhuma comédia normal é mais engraçada que uma comédia romântica
•Livros que tratem de assuntos interessantes e que sejam muito bem escritos -
Ou seja, ela raramente lê livros porque nunca está satisfeita com eles



✩ Desgostos: ✩

•Sentir frio -
Ela não desgosta do frio em si, mas só se ela estiver com roupas quentes dos pés a cabeça e bem perto do aquecedor. Ela detesta quando começa a espirrar até começar a lacrimejar e logo nem consegue mais ver o que está na sua frente
•Ser acordada -
Inclusive é bem difícil acorda-la, porque normalmente ela abre os olhos, te ameaça até você quase se mijar, volta a dormir e quando acorda não se lembra de nada
•Ser subestimada ou que tentem se impor sobre ela -
Ela já é bastante insegura sem sua ajuda! Mas ela tem bastante conciência de que manda em si mesma!
•Gente depressiva -
Se é pra estar triste ao menos se entristeça por algo que possa ser mudado!
•Falsas esperanças -
Quebram seu coração em zilhões de pedaços
•Livros clichês -
Ela não exatamente desgosta, mas é muito exigente com o quesito literatura e fica entediada lendo a maioria dos livros
•Pessoas que consideram dinheiro a coisa mais importante do universo
•Chorar. Ela faz o possível e impossível para evitar chorar, porque se sente 10x mais fraca chorando



✩ Personalidade: ✩

•Alegre, carismática e amigável. Ela não tem dificuldade para fazer amizades porque ela não tem exigências. Ela tem um talento digno de nota de se adaptar a pessoas ou situações estranhas e fora do comum como se fossem a coisa mais normal do mundo. Mesmo que você seja daquelas pessoas que ninguém gosta ou quer por perto ela vai te dar o mesmo sorriso que da a seus melhores amigos. Ela perdoa qualquer um de uma maneira ridiculamente rápida e é alguém que você sabe que, não importando o tamanho da merda que você fez, ela vai estar feliz em te ajudar. Ela simplesmente não consegue diferenciar as pessoas. Ela trata todos com a mesma simpatia e alegria.•
•A coragem dela é algo a ser levado em consideração. Ela não tem só aquela coragem sem medo, que acha que pode aguentar tudo. Ela se joga no meio dos leões confiante, sabendo que vai ser estraçalhada, pelo simples fato de que ela precisa. Quando for necessário ela vai lutar com unhas e dentes para alcançar o que quer. Sua determinação e persistência é, ao mesmo tempo, irritante e algo a se respeitar.•
•Sorridente e elétrica, ela é simplesmente incapacitada de ficar parada por muito tempo, e se ficar, ela dorme. Você ficaria surpreso com quão rápido ela passa da fase "cheia de energia" para a fase "no sétimo sono". Bem humorada, a maior habilidade dela é encontrar coisas positivas em situações aparentemente péssimas e sempre arranja uma razão para colocar um sorriso no rosto. Ela é brincalhona e raras vezes as palavras dela podem ser levadas ao pé da letra, porque sua espontaneidade faz com que dramatize tudo. Ela fica buscando maneiras de se divertir e se alegrar. Afinal, não é como se a alegria fosse vir alegremente bater na sua porta. Você tem que busca-la.•
•Ela é aquela garota que fica feliz ridiculamente rápido (com uma intensidade ridiculamente desnecessária). Coisas pequenas deixam ela tão feliz que as vezes parece um pecado sequer pensar em tirar o sorriso de seu rosto. Mas ela pode facilmente ser atingida e perder toda sua alegria por coisas também simples (mesmo que ela faça seu melhor para não demonstrar e superar).•
•Apesar de sua personalidade dar a entender que ela é uma garota infantil, ela na verdade é bem madura. Ela sabe tomar decisões difíceis mesmo que odeie fazer isso. É bem surpreendente como, as vezes, você pode ouvir frases profundas daquela boca que normalmente só saía (e entrava) bobagens. Ela tenta buscar razões lógicas para tomar suas decisões, porque nem sempre confia em seus instintos ou em seu coração.•
•Apesar de não parecer ela é bem durona e teimosa. Ela se esforça com tudo que pode até em coisas que ela realmente não que fazer, porque depois de começar alguma coisa ela vai fazer direito não importa o que e não vai parar até estar pronto. Ela se recusa a se deixar atingir, sua força é seu orgulho e não vai deixa-la quebrar.•
•Mas, sabe, ela não é inquebrável. Ela apenas não vai desistir mesmo se quebrar, e não importa quanto tempo leve ela vai catar seus pedaços. Quando você olha pra ela você sabe que ela é feliz mesmo que tudo contribua para que ocorra o contrário. Ela sabe que coisas ruins acontecem e você não pode fazer nada pra impedir. O único que pode fazer é superar e seguir em frente. Não é fácil, mas é possível.•
•Mortalmente desastrada, ela é aquele tipo de pessoa que consegue dar um jeito de causar um desastre aonde quer que vá. Inclusive ela é assustadoramente azarada. É daquelas que é realmente capaz de uma árvore resolver brotar instantaneamente na frente dela só para ela trombar (não, isso nunca rolou, foi só pra dar um exemplo). Tudo que ela não quer que aconteça sempre acaba acontecendo. Isso contribui para seu esforço excessivo, porque ela é muito prestativa e gosta de ajudar, mas tem medo de atrapalhar mais do que ajudar.•
•Assustadoramente sonhadora, não da pra saber o quanto do que ela vê é a realidade e quanto é invenção da sua cabeça quando ela subitamente começa a sonhar acordada. As vezes você pode passar a mão na frente de seus olhos que ela não vai ver por estar muito distraída. Graças a isso ela é extremamente "brisada" e sempre pega o bonde andando. A quantidade de bobagem que sai da boca dela é impressionante e, apesar de inteligente, as notas dela não costumam ser as melhores graças a isso (com "não costumam ser as melhores" eu quero dizer que ela levou bomba e está repetindo o terceiro ano).•
•Ela é extremamente sincera e as vezes ela nem percebe o que está saindo da própria boca (inclusive, ela consegue falar algumas coisas bem... incríveis, sem nem perceber, porque apenas falou o que estava passando em sua cabeça. Suas palavras muitas vezes tem duplo sentido e podem ser mal interpretadas). Provocante, ela simplesmente adora provocar as pessoas, porque vê-las envergonhadas ou irritadas é muito engraçado (mas as vezes ela tem medo de que vão leva-la a sério e odia-la, então só o faz com quem não se importa com a opinião ou alguém que confie que não vai desgostar dela por essa razão). Mas ela não costuma passar das provocações (o que também é uma forma de provocar). Desafiadora, 90% das coisas que ela fala são pra ver como você vai reagir.•
•Honesta, ela vira o mundo de cabeça pra baixo para cumprir suas promessas, e espera que você faça a mesma coisa. Se não fizer, provavelmente vai pensar que foi culpa dela ou que fez alguma coisa de errado. Ela confia perigosamente rápido nas pessoas, porque prefere errar por ter confiado de mais do que se arrepender por ter confiado de menos. Se errar, ela vai superar.•
•Moleca, ela sempre está fazendo coisas loucas apenas para se divertir. Gosta da sensação de adrenalina nas veias, porque lhe da a sensação de liberdade. É a única sensação que ela não consegue sentir em seus sonhos. Ela é zoeira e é quase impossível se sentir entediado próximo a ela. Ela costuma levar os pedidos das pessoas muito a sério (se você pedir pra ela contar quantas estrelas tem no céu é capaz de ela realmente levar seu pedido a sério e começar a contar, e muito provavelmente não vai dormir a noite inteira e vai aparecer no outro dia, decepcionada e culpada dizendo que não conseguiu contar todas a tempo). É extremamente impulsiva com suas reações e lê-la é tão fácil quanto ler um livro de gravuras.•
•O maior defeito de Mika é provavelmente o fato de ela não gostar de si mesma. E não consegue confiar na opinião de outros sobre ela, mesmo que tente se agarrar a essas opiniões ela não consegue parar de pensar que é uma garota corrompida. É insegura quanto a suas decisões pessoais, porque acha que seu instinto pode estar errado, e ela não pode arriscar prejudicar alguém com seus erros. Ela cobiça a inocência e pureza das garotas fofas. Mesmo que se esforce ao máximo e alcance o que quer ela sempre vai pensar que foi sorte e não vai ter confiança em suas capacidades. Essa falta de confiança faz ela se sentir ainda mais destruída quando por alguma razão não alcança seus objetivos e começa a se culpar e pensar no que poderia ter feito diferente.•
•Ela não tem confiança em si mesma, mas tem muita confiança na capacidade dos outros. Qualquer ponto positivo que ela encontre em você ela vai ver como se fosse ainda maior do que realmente é. Nesses momentos ela chega a ser fofa. Ela superestima as pessoas ao seu redor, mas muitas vezes isso faz com que elas realmente se tornem tão boas quanto ela achou que eram, porque adquirem confiança. Ela tenta dar aos outros o que ela não consegue ter e valoriza aquilo que tem. Ela pode querer chorar, mas vai te fazer sorrir. Ela pode estar cansada, mas vai te dar energia. Ela pode não saber a resposta, mas vai te ajudar a encontra-la.•



✩ Manias: ✩

•Dormir em lugares considerados impossíveis quase instantâneamente -
Quando estava muito quente ela já foi encontrada dormindo dentro da geladeira
•Cantarolar qualquer segundo do dia em que não esteja falando
•Comer três vezes o próprio peso em cada refeição
•Falar dormindo -
Sério, você pode ter uma conversa bizarra com ela enquanto ela dorme na qual provavelmente você não vai entender nada do que ela está falando
•Brincar com o cabelo das pessoas -
Especialmente de Shu. Ele fica ali, parado, num sono profundo, com aquele lindo cabelo loiro sobre o rosto e quer que ela não ataque ele? Impossível!
•Saltitar quando anda -
Às vezes você sente como se estivesse caminhando com uma criança do primário
•Cobrir a boca com a mão em punho quando está rindo muito. Ela tem medo de sua risada ficar esquisita se ela rir demais
•Morder a ponta do lápis ou da caneta quando está pensando no que escrever
•Quando ouve música num lugar aparentemente vazio ela começa a cantar muito alto (simulando o cantor) e a dançar interpretando a música
•Abraçar as pessoas quando está muito feliz
•Mentir na cara de pau -
Porque ela é péssima em mentir, então ela é capaz de dizer "eu não fiz isso!" segurando a prova do crime nas próprias mãos



✩ Medos: ✩

•Injeções -
Não é bem medo, ela suporta, mas da uma agonia enorme e ela prefere evitar o quanto for possível. Mas ela tomou as vacinas dela direitinho então não vai deixar ninguém doente não
•Coisas desnecessariamente afiadas -
Ela só não tem medo de facas e tesouras quando estão na mão dela, onde ela pode controlar
•Que a comida do mundo acabe -
Aí ela come ainda mais pra garantir que vai estar sobrando quando não tiver mais
•Filmes de terror, principalmente quando tem aquela coisa de ser possuída por demônios e coisas assim. -
Basicamente eventos sobrenaturais inexplicáveis (lobisomens, vampiros e outros, que não sejam bizarros do tipo de andar que nem uma lagartixa tipo a Samara e que não causem eventos sobrenaturais tipo prever um futuro cruel pra geral não a assustam)



✩ Fobias: ✩

•Isolofobia -
Ela entra em pânico toda vez que está sozinha. Se encolhe e fica balançando de um lado para o outro, tentando se convencer de que tudo está certo. No final, ela só se acalma quando alguém aparece ou quando ouve ou vê alguma coisa que da essa impressão



✩ Traumas: ✩

•Tentativa de estupro -
Por isso ela fica meio nervosa quando respondem as suas provocações de uma maneira excessivamente lasciva. Ela não se assusta com Laito, porque ele tem aquela expressão que parece levar tudo na brincadeira, então raramente ela se assusta com ele (a não ser quando ele realmente vai longe demais ou passa das palavras)



✩ Frases: ✩

•"Não existem coisas proibidas ou imperdoáveis, existem coisas pouco recomendáveis."•

•"Amor é precioso demais para ser desperdiçado com pequenas paixões."•

•"Solidão é uma saudade e uma benção, que quem sempre esteve sozinho não pode ter. Eu sempre estive acompanhada, mas mesmo agora em que todos que eu conheci desapareceram eu não me sinto solitária. Acho que eu nunca soube que estava sozinha."•

•"Sempre achei que amar alguém fosse andar no ritmo da outra pessoa, depois de te conhecer descobri que na verdade é perder o próprio ritmo."•

•"Dinheiro é mais do que uma praga, é a mais forte das drogas. Ele se espalhou até estar em todos os lugares, e agora quem não tem começa a sentir síndrome de abstinência mesmo que nunca o tenha tido em excesso."•

•"Eu sei que não importa se eu estiver rindo ou chorando, a chance de coisas boas ou ruins acontecerem é a mesma. Mas já imaginou se eu tivesse que esperar chorando?"•

•"Eu detesto ficar sozinha. Me assusta, me enlouquece, porque eu não consigo parar de pensar a cada momento que estou sozinha que aquele momento pode acabar durando pra sempre."•

•"Você não me entende? Eu sei, não se preocupe com isso, nem eu consigo entender as vezes. Mas se você não entende quer dizer que você prestou atenção. E eu estou feliz e agradecida por isso."•

•"Se você der seu sangue, suor e lágrimas por alguma coisa... é, talvez você não consiga o que quer. Mas se você não der, aí eu tenho certeza que você não vai chegar a lugar nenhum."•

•"Eu só tenho aproximadamente mais 70 anos de vida, talvez menos, então claro que eu tenho que procurar o máximo possível de razões para ser feliz enquanto posso. Você vai viver pra sempre, então tem que procurar o máximo possível de razões para querer estar vivo. Mesmo que suas razões pareçam desaparecer uma depois da outra, eu sei que, sendo você, vai conseguir encontrar outra. Só não me faça ter que ver sua cara entediada, de quem já desistiu da vida, mesmo quando eu já estiver morta, por favor! Se eu perder seu sorriso, vou perder minha razão principal pra ser feliz!"•

•"As coisas mais importantes pra mim são impagáveis. O seu sorriso nunca vai me deixar esquecer isso."•

•"Não existe algo como 'escolhas certas'. Não tem como uma escolha estar errada se você acha que as consequências valem a pena. O problema é que eu nunca sei quais serão as consequências pra saber se vou aguenta-las."•

•"Eu só quero poder sorrir sem me importar com quanto tempo meu sorriso vai durar"•

•"Eu sou só um ser humano. Eu quebro e me desmorono. Mas eu sei que posso me levantar e colar meus pedaços de volta, então, por favor, não me olhe como se eu fosse fraca."•

•"Minha parte favorita de te abraçar são aquelas poucas vezes em que eu acho que posso fazer surgir um ritmo das nossas batidas de coração."•

•"Liberdade é o que eu busco desde que nasci. Não que eu não fosse livre, eu sempre pude fazer o que quiser. Mas a pior parte é que eu sinto que nenhuma das decisões que fiz foram apenas por mim mesma. Apenas ações que eu tive que tomar para fugir de algo ou alguém mais."•

•"Se você chorar eu vou sorrir por você. Se estiver cansado eu vou te dar energia. Se tiver dúvidas, eu vou te ajudar a encontrar a resposta. Se mesmo assim não acharmos, sempre posso ser sua única certeza."•




✩ Par: ✩






✩ Relação com o par: ✩

•...•



✩ Relação com os vampiros (um por um): ✩

*Reiji:

•O jeito que ele adora mandar nela à deixa estressada, mas ela faz o que ele diz (mesmo que seja com um bico e uma cara de bunda, mas faz). Ela meio que respeita o jeito que ele deixa as coisas sobre controle. E ele conhece bons livros, então ela costuma furtar alguns dele (e da seu melhor pra fugir se ele descobre). O chá que ele faz é ótimo também. Ela altera entre chamá-lo de "Rei" (além do significado literal ainda é uma variação do nome dele, além de que ela acha que ele gosta do apelido) e "Butler-san" (por ele agir como um mordomo, mas ela faz isso brincando, mesmo que ele fique com raiva de qualquer jeito e a ameace com aquele maldito chicote. Ela se refere a ele assim principalmente quando ele não está escutando e não pode matá-la).•

*Ayato:

•Ele tem um jeito divertido e é legal provoca-lo e ajuda-lo quando ele quer fazer uma pegadinha ou provocar alguém. Já que ele também age de maneira meio infantil ela literalmente começa a agir como uma criança perto dele. Mas ele odeia quando ela ganha dele no basquete e começa a buscar formas de se vingar. Quando ele a deixa irritado ela o chama de Bakayato (No começo ela tinha medo de ele matar ela e só se referia assim para terceiros).•

*Laito:

•Sinceramente? Menores de 18 deveriam tampar os ouvidos quando os dois estão conversando (ou talvez menores de 21?). É uma troca de frases lascivas impressionante, mas ela tem que arrumar um jeito de escapar quando ele começa a deixar a brincadeira mais física (ela também acha que a noiva dele costuma olha-la de um jeito estranho. Porque será?). De vez em quando até ela se assusta com Laito e faz questão de se manter a mais de 10m de distância, de preferência com uma arma na mão (se ainda tiver o canivete da mãe, bem. Se já tiverem confiscado ele... aí ela se fode)•

*Kanato:

•Uma das existências mais fofas do universo, até abrir a boca. Ela acha Kanato uma criança bem psicopata (e custou a acreditar que ele não era muito mais novo que ela), mas ela se da bem com ele (ou melhor, tem uma convivência amigável), porque ela por puro instinto tratou Teddy como um ser humano quando viu Kanato fazer isso. Teddy gosta dela, então Kanato gosta dela também. Algo assim, mas ela ainda da umas risadas desconfortáveis quando ele é grosso demais ou assustador demais com as palavras. Ele não tenta assassinar ela quando ela se refere a ele como Kanato-chan ou Kana-chan (porque ele parece uma mulher, mas ele aindalhe da um olhar mortal), mas ela não se atreve a se referir ao urso como algo diferente de Teddy-san, pois acha que não vai sobreviver para ver o dia seguinte se lhe chamar simplesmente de Teddy). Ela jura que já ouve uma vez que realmente ouviu aquele urso falar, e mesmo que lhe digam que alguém tentava lhe pregar uma peça ela ainda fala com o urso com extremo respeito com medo de ele matá-la durante a noite)•

*Subaru:

•Ele já a ignorou várias vezes, e isso a deixou meio irritada. Graças a isso ela ficou ainda mais decidida a fazer ele falar com ela. Ela tenta falar com ele com bastante frequência e, se ele não responder, ela fala sozinha. Ela fica bem preocupada quando ele quebra alguma coisa porque acha que ele vai se machucar (e costuma lhe dar um sermão por isso, além de que ela fica com pena da pessoa que vai arrumar a coisa depois). Acha que ele não a odeia, apesar de achar ele bem calado e irritadiço, mas ele ainda troca umas palavras com ela de vez em quando. Acha que pode considera-lo um bom amigo, mesmo que ele não ache a mesma coisa.



✩ Hentai e Ecchi?: ✩

•CLARO!•



✩ Ciente de que se sua personagem for aceita ela estará em minhas mãos e agirá de acordo com a fanfiction, podendo sofrer qualquer tipo de assédio, tortura, violência ou até abuso?: ✩

•Divirta-se com ela ^^•
•Mika: Divirta-se vírgula! A parte da tortura é realmente necessária? -.-'•
•Uau, só a tortura te chocou? E a violência, o assédio e o abuso?•
•Mika: Bem... se for moderado...•
•Ok, você está fazendo uma cara lasciva, então vamos considerar que ela aceitou ¬¬ Masoquistas ¬¬•
•Mika: Hey! Eu não sou masoquis-!•
•Ok, próxima pergunta ^^•




✩ Como a sua personagem reagiria caso/se: ✩

*Descobrisse que está apaixonada por um vampiro:
•Deixando a parte do "vampiro" de lado, ela coraria como um tomate e passaria as próximas 5 horas sem dormir (bem difícil de acontecer, a coisa é grave) pensando no que fazer. E quando se tocasse da "raça" do dito cujo pensaria algo tipo "Puta merda, eu sabia que eu era exigente, mas tinha que chegar ao nível de ser alguém que me quer pro almoço?"•
•Ela não saberia o que fazer. Tentaria se manter atuando normalmente, mas sua insegurança atacaria com força total. Ela sentiria a dor de ter se apaixonado por alguém que nunca vai olha-la da mesma forma. Ela faria o possível e impossível para se acostumar com o sentimento e controla-lo, para garantir que seria capaz de sobreviver a essa situação de amor unilateral até poder sair daquela casa (ou morrer de anemia). Nunca sequer pensou na possibilidade de se confessar por não querer se machucar. Se acabar se confessando será apenas na impulsividade e ela vai levar uns 3 segundos pra se tocar do que falou (provavelmente querendo pular de um prédio, e seu coração vai apertar esperando um "não" bem direto. Afinal, é o Shu. Ela provavelmente vai chegar a chorar com medo da resposta e pensar seriamente em sair correndo).•

*Descobrisse que vai morar com vampiros:
•A reação dela ia demorar alguns segundos e ela ia dizer algo tipo: "Me diz que vocês se alimentam de sangue sintético..."•
•Quando descobrisse que não tem jeito ela só ia se acostumar logo com a ideia e pretender que eles são pessoas completamente normais com uma dieta incomum que inclui enfiar os dentes em seu pescoço (quando está ficando assustada demais ela tenta só pensar que eles são um bando de gatinhos, já que a personalidade de todos pode de certa forma se encaixar com um, mas as vezes ela acaba entrando demais nesse mundo da imaginação e começa a trata-los como gatinhos também). Ela até que ia se adaptar rápido, porque é boa nisso (talvez até ela não perceba que já se acostumou). Bom, ao menos ela não teve um ataque de pânico.•

*Estivesse com ciúmes:
•O ignoraria até ele ir a loucura (ao menos seria seu objetivo, apesar de achar que ele não vai realmente ligar) e apareceria do nada quando a garota com a qual enciumou estivesse por perto, só por não querer ver os dois sozinhos, mas ele também pode acabar se aproveitando disso (também tentaria devolver o favor, sendo mais "amigável" com os garotos que se aproximam dela quando Shu estiver por perto, por pura teimosia). Ela sentiria raiva por nada (se bem que ela não sabe sentir raiva, então só ficaria frustrada e tentaria fingir que está fula da vida) e começaria a enlouquecer tentando pensar no que fazer. Insegura, ela ia querer chorar várias vezes, por pensar nas chances de ser trocada (que de seu ponto de vista vão ser bem altas), e ia tentar aguentar e pensar em como sobreviver se acontecesse.•


✳Espero que tenha gostado da leitura✳


✳ * • * ✳ * • * ✳ * • * ✳ * • * ✳ * • * ✳ * • * ✳ * • * ✳ * • * ✳ * • * ✳ * • * ✳ * • * ✳ * • * ✳ * • * ✳ * • * ✳


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...