~crownx

crownx
*;?babe
Nome: [ ❀ natália ❀ || .*・。゚crazy .*・。゚|| nat™ ]
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Brasilia, Distrito Federal, Brasil
Aniversário: Indisponivel
Idade: Indisponivel
Cadastro:

+empire.


Postado


•⊱thawill/create an ((em.pir.e)) ❦f.o.r you

— i'll be the queen


𝙽𝙾𝙼𝙴
𝔐𝔞𝔯𝔤𝔬𝔱 𝔐𝔬𝔯𝔤𝔞𝔫 𝔄𝔦𝔪𝔢́𝔢
𝔐𝔞𝔯𝔤𝔬𝔱 Significa “pérola” ou “seres iluminados”. Margot é uma variante inglesa e francesa de Margarida, que surgiu a partir do latim Margarita, que por sua vez se originou do grego margarítes ou maragon, que significa literalmente “pérola”. Estudiosos da onomástica (ciência dos nomes próprios), acreditam que os gregos buscaram este nome a partir dos termos persa murvarid ou murwari, que querem dizer “criaturas da luz”, numa tradução aproximada ao português.Significa “proteção marinha”, “chefe do mar” ou “defesa dos mares”.

𝔐𝔬𝔯𝔤𝔞𝔫 Morgan é de origem celta, tradicionalmente utilizado no Reino Unido e Escócia como um nome masculino, embora também seja adotado em algumas regiões para batizar meninas também. A raiz etimológica deste nome está no galês antigo Morcant, possivelmente derivado de mor, que quer dizer “mar”, unido a palavra cant, que significa “círculo”. Assim, o significado atribuído a Morgan seria relativo a “proteção marinha” ou “chefe do mar”.

𝔄𝔦𝔪𝔢́𝔢 Significa “a amada”. Tem origem no francês aimée, particípio passado do verbo aimer, que quer dizer “amar”, portanto aimée significa “a amada”. Tem o mesmo significado de Mabel e Filomena, e é a versão francesa do nome inglês Amy, que é usado desde a Idade Média, mas só tornou-se popular quando revivido no século XIV.


𝙰𝙿𝙴𝙻𝙸𝙳𝙾
𝔐𝔞𝔤𝔤𝔦𝔢 ● 𝔐𝔞𝑦
𝔐𝔞𝑦 As pessoas mais próximas a ela costumam chamá-la assim. É um apelido carinhoso que foi dado, inicialmente, por seus pais. Depois a maioria de seus conhecidos e amigos começou a usar o apelido.

𝔐𝔞𝔤𝔤𝔦𝔢 Apenas suas irmãs chamam-na assim, mais ninguém. Margot não gostava muito do apelido e para irritá-la suas irmãs começaram a chamá-la de Maggie. Com o passar dos anos parou de se importar e começou até gostar do apelido (bipolar :v). Porém se outra pessoa tentar chamá-la dessa forma provavelmente vai receber um xingamento.


𝙸𝙳𝙰𝙳𝙴
𝟸𝟶 𝔞𝔫𝔬𝔰 ● 𝟷𝟾/𝟶𝟼 ● 𝔊𝔢̂𝔪𝔢𝔬𝔰

𝙰𝙿𝙰𝚁𝙴̂𝙽𝙲𝙸𝙰
𝔄 𝔧𝔬𝔳𝔢𝔪 𝔐𝔞𝔯𝔤𝔬𝔱 𝔭𝔬𝔯 𝔱𝔬𝔡𝔞 𝔰𝔲𝔞 𝔳𝔦𝔡𝔞 𝔣𝔬𝔦 𝔡𝔬𝔱𝔞𝔡𝔞 𝔡𝔢 𝔤𝔯𝔞𝔫𝔡𝔢 𝔟𝔢𝔩𝔢𝔷𝔞.
Uma verdadeira obra prima, muitos diriam. Algo que foge dos padrões normais, algo mais misterioso, cativante. Seu rosto de formato alongado e maxilar marcado foi presenteado com os mais belos traços. Seus olhos âmbar esbanjam insanidade, um enorme poder de encantamento. Lembra para muitos a inquietude das ondas marinhas que se chocam fortemente contra as pedras. Sua pele cor de marfim é naturalmente perfumada de um aroma leve e adocicado, possuindo algumas sardas que se espalham pela face. As madeixas castanhas e lisas da jovem possuem uma textura sedosa, o corte que May utiliza cai perfeitamente sobre a altura de seus ombros. Suas sobrancelhas são arqueadas, expressivas, o que costuma chamar atenção para sua boca carnuda e rosada. De fato, Maggie é dotada de extrema e pura beleza. Parece com uma boneca de porcelana, que se quebraria ao mais singelo toque, mas tal afirmação está longe de ser verdade quando comparada a sua insana personalidade.




[jenna coleman]


𝙽𝙰𝙲𝙸𝙾𝙽𝙰𝙻𝙸𝙳𝙰𝙳𝙴
𝔉𝔯𝔞𝔫𝔠𝔢𝔰𝔞, 𝔳𝔦𝔫𝔡𝔞 𝔡𝔢 𝓒𝔥𝔞𝔪𝔬𝔫𝔦𝔵

𝙲𝙰𝚂𝚃𝙰
𝓒𝔞𝔰𝔱𝔞 𝟼, 𝔣𝔩𝔬𝔯𝔦𝔰𝔱𝔞. 𝔈𝔰𝔱𝔲𝔡𝔞𝔫𝔱𝔢 𝔡𝔢 𝔧𝔬𝔯𝔫𝔞𝔩𝔦𝔰𝔪𝔬.

𝙿𝙴𝚁𝚂𝙾𝙰𝙽𝙻𝙸𝙳𝙰𝙳𝙴
— Porque chegar ao limite se você pode ultrapassá-lo?

𝔔𝔲𝔞𝔫𝔡𝔬 𝔰𝔢 𝔱𝔯𝔞𝔱𝔞 𝔡𝔞 𝔧𝔬𝔳𝔢𝔪 𝔐𝔞𝔯𝔤𝔬𝔱, 𝔳𝔬𝔠𝔢̂ 𝔫𝔲𝔫𝔠𝔞 𝔭𝔬𝔡𝔢 𝔱𝔢𝔯 𝔠𝔢𝔯𝔱𝔢𝔷𝔞 𝔡𝔢 𝔫𝔞𝔡𝔞
Ela em si é um grande paradoxo, uma contradição de ideias, emoções e cores. Uma junção imperfeita das mais estranhas emoções — pelo menos é assim que ela costuma se ver —, um paradoxo, uma contradição. Amigável, mas privada. Quieta, mas espontânea. Extremamente curiosa, mas incapaz de ficar focada em estudos formais. Zero concreto, movida por emoção, desejos e ideias. Mesmo quando se têm anos de prática, é difícil de entendê-la. Isso ocorre pelo fato de ser extremamente inconstante, vive aderindo a novos padrões, reinventando-se, tanto na parte física quanto mental. Pode parecer muito leal e constante por um tempo, mas tende a estocar energia impulsiva que explode sem aviso, levando seus interesses para outras direções. Isso a torna imprevisível, até mesmo para as pessoas mais próximas. A monotonia é o fim para ela, odeia esperar sentada quase tanto quanto odeia seguir os padrões impostos pela sociedade. Ela gosta de inovar, ser diferente em todas as formas de se pensar e agir. Uma pessoa sintonizada em variações sensoriais, isto lhe confere a incrível capacidade de trabalhar com diferentes tonalidades de emoções, acontecimentos e cores. Essa sensualidade observadora parece brotar naturalmente dentro dela, como uma capacidade inata.


𝔊𝔬𝔰𝔱𝔞 𝔡𝔢 𝔡𝔯𝔞𝔪𝔞, 𝔭𝔞𝔦𝔵𝔞̃𝔬 𝔢 𝔭𝔯𝔞𝔷𝔢𝔯, 𝔫𝔞̃𝔬 𝔭𝔢𝔩𝔞 𝔢𝔪𝔬ç𝔞̃𝔬, 𝔢 𝔰𝔦𝔪 𝔭𝔬𝔯𝔮𝔲𝔢 𝔢𝔰𝔱𝔦𝔪𝔲𝔩𝔞 𝔰𝔲𝔞
𝔪𝔢𝔫𝔱𝔢 𝔩𝔬́𝔤𝔦𝔠𝔞.
.
Alegra-se a reinterpretar conexões, reinventar ideias, inovar. Gosta de fugir do senso comum e pensar diferente, ser diferente. Se pessoas fossem comparadas com fenômenos naturais, Marggie Morgan seria o furacão — até já tentou ser apenas uma brisa leve, mas como ela diz, calmarias não duram para sempre. Incrivelmente sarcástica, utiliza da ironia em quase tudo que diz, seja brincando ou na direta intenção de atacar alguém. Não é difícil vê-la soltando os comentários mais afiados — e absurdos! — nas piores horas. Dotada de grande espontaneidade, costuma falar o que pensa e sempre tende a fazer piada de alguma situação. O que a torna surpreendentemente debochada, ri e faz piada das coisas mais absurdas e cotidianas, empregando seu sarcasmo em quase tudo. Não que ela seja totalmente ácida, apenas acha que rir de certas coisas ajuda a deixar a vida mais leve. Apesar das características difíceis, ela é uma boa amiga. Sempre tenta estender a mão e ajudar, porém é horrível em conselhos, principalmente os amorosos, ela não entende nem mesmo seus próprios sentimentos, imagine os dos outros. Não sabe lidar com emoções e nunca consegue descrevê-las muito bem — bom ombro amigo, mas uma péssima conselheira — e se alguém a pedir um conselho em seu lugar ela vai dar algum comentário sarcástico sobre a situação.


𝔑𝔞̃𝔬 𝔬𝔟𝔢𝔡𝔢𝔠𝔢 𝔭𝔞𝔡𝔯𝔬̃𝔢𝔰 𝔬𝔲 𝔰𝔢𝔤𝔲𝔢 𝔞𝔰 𝔯𝔢𝔤𝔯𝔞𝔰
A primeira palavra que descrevem Margot ao conhecê-la? Eufórica. Não reprime qualquer tipo de emoções e as libera a todo minuto. Seja sorrindo, gritando ou chorando, May simplesmente sente tudo que se deve sentir. Não possui papas na língua ou o mínimo bom senso do que se deve ser dito. Vive a vida de forma espontânea, livre, com a maior graciosidade possível. Seu maior desafio talvez seja planejar o futuro. Maggie não gosta de rótulos ou planejamentos — os odeia seria a forma certa de se referir — costuma fazer tudo por impulso, no calor da emoção e no auge do improviso. Não segue padrões ou lê roteiros, Margot simplesmente faz o que der na telha. E mesmo que aparente uma face de pessoa gentil e fácil de lidar, ela é tudo, menos serena — na minha mera opinião de narradora, explosiva seria o adjetivo perfeito. Alguém ferozmente independente, repudia todo e qualquer tipo de subordinação. May é conhecida por sua curiosidade e sua mente lógica, está sempre bolando planos, desenvolvendo estratégias e lendo as entrelinhas. Ao contrário da maioria, que estuda para alcançar algum propósito profundo ou algum objetivo específico, ela estuda apenas por que acha divertido. E por mais que não pareça, ela é levemente introvertida e costuma não confiar facilmente nas pessoas, além de gostar de mergulhar em seu próprio mundo e seus próprios pensamentos. Por isso não tem muita facilidade na hora de se abrir e apenas os mais próximos conhecem Margot por inteiro. Maggie não faz um estereótipo de garota perfeita, revoltada ou dramática, ela não é nenhum desses clichês. É apenas... ela mesma.


𝔪𝔢𝔰𝔪𝔬 𝔞𝔭𝔯𝔢𝔰𝔢𝔫𝔱𝔞𝔫𝔡𝔬 𝔲𝔪𝔞 𝔣𝔞𝔠𝔢 𝔤𝔢𝔫𝔱𝔦𝔩 𝔢 𝔣𝔞́𝔠𝔦𝔩 𝔡𝔢 𝔩𝔦𝔡𝔞𝔯, 𝔢𝔩𝔞 𝔢́ 𝔱𝔲𝔡𝔬, 𝔪𝔢𝔫𝔬𝔰 𝔰𝔢𝔯𝔢𝔫𝔞
Margot vive todos os dias como se fosse seu último — o que a leva a ser agitada, vingativa, teimosa — sua energia é tanta que quase pode ser palpável. Vive o momento e mergulha-se na ação — é o centro da tempestade. Seu maior defeito é sem duvida o seu incrível e inabalável orgulho, nunca admite estar errada por mais que tenha consciência disso, é raríssimo vê-la pedindo perdão a alguém — quando o faz é por que ultrapassou todo e qualquer limite possível — mas ainda assim o seu perdão é de mau gosto, sem a mínima vontade. Engana-se ao pensar que May é alguém sonhadora. Incorpora os dons do carisma e confiança, projetando autoridade de um jeito que atrai multidões em busca de um objetivo. Mas apesar de tudo, é caracterizada por um nível cruel de racionalidade, usando sua motivação, determinação e mente astuta para atingir o que deseja. É uma pessoas de fases, como a própria lua. Nunca permanece com opinião constante sobre coisa alguma e sempre está mudando, se reinventando. Por mais que muitos não a considerem, May é uma pessoa madura, pelo menos ao seu visto. Acredita que ser madura não se trata de ser rígida e séria e sim de saber lidar com seus próprios problemas e enfrentar os desafios que a vida lhe proporciona com um sorriso no rosto. Essa convicção se mundo a faz ser como é, completamente destemida, quase louca. Margot é tão persistente que se torna teimosa, nunca desiste de nada sem lutar e costuma bater de frente até que o outro recue. Ao contrário de muitas pessoas de sua idade, ela não teme o mundo e definitivamente não se lamenta por estar nele, ela o encara. Como costuma dizer, ao menos sonhar é de graça.


𝔈𝔩𝔞 𝔫𝔞̃𝔬 𝔞𝔭𝔢𝔫𝔞𝔰 𝔤𝔬𝔰𝔱𝔞 𝔡𝔢 𝔠𝔞𝔲𝔰𝔞𝔯 𝔠𝔬𝔫𝔣𝔲𝔰𝔬̃𝔢𝔰, 𝔢𝔩𝔞 𝔢́ 𝔞 𝔠𝔬𝔫𝔣𝔲𝔰𝔞̃𝔬.
Ela não faz o estilo garota perfeita que a maioria das jovens de sua idade procura seguir. Pelo contrário, faz questão de se distinguir o máximo possível dessas pessoas. Não que ela faça o tipo rebelde sem causa, longe disso. Apenas não gosta de seguir os padrões impostos pela sociedade. Não gosta de vestir algo desconfortável só para impressionar alguém, ou de agir como uma garota boba e sem defeitos para parecer perfeita, May quer parecer real, ser quem realmente é sem máscaras ou fingimentos. Tem uma personalidade mais perceptiva e sem filtros, o que a torna capaz de notar as mais singelas mudanças — tanto físicas quanto emocionais . Brincalhona e debochada, Maggie é simplesmente odiada pela maioria de seus supervisores. Ferozmente rebelde e indomável — caracteriza a si própria como uma insana de corpo e alma — May ama contrariar, perguntar, rebater. Costuma entrar numa incessante batalha mental com seus adversários, e não para até cansá-los com suas respostas habilidosas. As palavras são sem dúvida sua maior arma — não costuma partir para o confronto físico e a maioria de suas brigas caracteriza-se por argumentos rápidos e respostas sarcásticas —, por mais que nunca admita, ama uma briga de perguntas e repostas. Gosta de desafioser, tanto mentais quanto físicos, está sempre disposta a entrar numa aventura. Margot é o quente e o frio, o doce e o amargo. Não é do tipo que se é possível descrever com um punhado de palavras soltas ao vento e sem conexão. Se de fato existe uma palavra no dicionário que a defina, esta é bastante complexa.


𝙷𝙸𝚂𝚃𝙾́𝚁𝙸𝙰
𝔙𝔬𝔠𝔢̂ 𝔭𝔬𝔡𝔢 𝔠𝔬𝔯𝔱𝔞𝔯 𝔱𝔬𝔡𝔞𝔰 𝔞𝔰 𝔯𝔬𝔰𝔞𝔰, 𝔪𝔞𝔰 𝔫𝔞̃𝔬 𝔭𝔬𝔡𝔢 𝔦𝔪𝔭𝔢𝔡𝔦𝔯 𝔞 𝔭𝔯𝔦𝔪𝔞𝔳𝔢𝔯𝔞 𝔡𝔢 𝔞𝔭𝔞𝔯𝔢𝔠𝔢𝔯
Numa manhã de verão em meio a uma pequena rua de Chamonix, nascia Margot. O que marcava uma data especial para toda familía Morgan: ela era a primeira garota a nascer na família em dez anos. Todos os seus tios, sobrinhos e dois irmãos eram homens, chegava a ser insano. Filha de um florista e uma ex-modelo, que abandonou tudo para seguir o amor de sua vida, sua vida sempre foi bem simples. Porém numa manhã desgostosa tudo mudou. Katherine Morgan tinha acabado de dar a luz a terceira filha quando tudo que ela tentava esconder desmoronou junto dela. Ela tinha três filhos com apenas 27 anos, nunca tinha realizado seus sonhos e trabalhava como recepcionista num hotel imundo. Abandonar a carreira por amor havia sido a maior burrice que já comentera.

Após perceber isso, Katherine, que deveria ter assumido o controle e cuidado dos filhos, em vez disso afogou-se na bebida. Para esquecer as magoas bebia dia e noite sem parar, voltava para casa suja, fedendo e sem falar coisa com coisa. Ela amava os filhos, é claro, mas não estava pronto para assumir tudo aquilo sozinha. Os cuidados de Margot recaíram sobre os ombros de seu pai, era ele que fazia de um tudo por ela. May perdeu as contas de quantas vezes sua mãe foi demitido, ou quantas vezes encontrou o pai implorando para que ela parasse de beber, mas ela não parava, e o que antes era uma forma de esquecer a dor, virou um vicio terrível e incontrolável. Exausto de cuidar dos três filhos sozinho, o homem reuniu todo o seu dinheiro e internou a mulher numa clinica de reabilitação, o que parecia resolver o problema, pelo menos por enquanto.

De fato, ser cuidada por 3 homens não era lá o sonho de nenhuma garota e isso rendeu muita confusão na vida de Margot. Na hora de explicar qualquer coisa para a menina, todos se atrapalhavam, fugiam do assunto ou algo do tipo. Ela brincava mais com os garotos e até seus 6 anos sua melhor amiga era uma bola de futebol. Com 7 anos ela parecia mais um garoto, xingava, tirava sarro de tudo e nao controlava a língua na boca. Margot tinha tendências masculinas, mas quem poderia julgá-la, sua unica influência feminina eram suas tias que via uma vez por mês. As meninas do sua idade achavam-na estranha, porém May não ligava, nunca ligou, de ianques forma, achava aquelas garotas bem chatas também. De alguma forma, aquela vida louca dava certo e mesmo que fizessem muitas coisas do jeito errado, Maggie sabia que seu pai e seus irmãos a amavam. Foi então numa noite fria de inverno que a família Morgan recebeu uma ligação: sua mãe, fugira da reabilitação e fora encontrada morta, o diagnóstico dizia overdose. Foi um choque para família, que mais uma vez se viu obrigada a recomeçar do zero.

Por incrível que pareça, não foi tão ruim quanto eles pensavam. Afinal, a vida continua. Margot, mesmo com um tendência meio masculina devido a criação, decidiu que ajudaria o pai na floricultura. O dinheiro da família era escasso e quase tudo fora gasto com os anos de reabilitação da mãe, porém existia amor de sobra. Não era a vida dos sonhos de ninguém, com todos os altos e baixos, mas eles eram felizes. Apesar de todos os apelidos, zoações e xingamentos, ela e os irmãos tem uma ótima relação. Era uma vida simples. Margot, crescendo sobre o cuidado dos pais e dos irmãos desatentos, ainda que tenha algumas manias "masculinas", como a constante falta de organização, sua falta de romantismo, a boca suja ou seu estranho amor por futebol, cresceu bem. Com algumas amigos e poucos amigos, já que os irmãos costumavam assustá-los, sua maior companhia sempre foi sua família.

As coisas foram se ajeitando e May terminou a faculdade de jornalismo, seu real sonho. Porém para ingressar no emprego desejado ela teria de escrever uma reportagem sobre a família real. A garota é ambiciosa e se inscreveu num dos maiores jornais do país, por isso a maioria das pessoas que também se candidatou é mais politicamente informada e inteligente que Maggie. Não a julgue, quando se está tendo de cuidar de uma casa e de seu pai bêbado não sobra muito tempo para se informar. Foi então que ela teve uma ideia: iria se inscrever na seleção e ver a família real de perto, não esperava ganhar, mas de qualquer forma, sua reportagem sem duvida seria a melhor. Afinal, May Morgan não é o tipo de garota que desiste fácil.


𝙵𝙰𝙼𝙸́𝙻𝙸𝙰
𝔏𝔬𝔲𝔦𝔰 𝔐𝔬𝔯𝔤𝔞𝔫 ● 𝟸𝟽 𝔞𝔫𝔬𝔰 ● 𝔉𝔩𝔬𝔯𝔦𝔰𝔱𝔞 ● 𝓒𝔞𝔰𝔱𝔞 𝟼 ● 𝓘𝔯𝔪𝔞̃𝔬 𝔪𝔞𝔦𝔰 𝔳𝔢𝔩𝔥𝔬
❝Louis é definitivamente uma das pessoas mais sinceras que você pode conhecer. Isso nos leva a brigar bastante, principalmente porquê nós duas não sabemos controlar a língua. De modo geral, me identifico mais com ele. Lou é sarcástico, realista e muito ativo. Nunca fica parado e quando o faz é para brigar comigo ou com Richard, mas eu sinceramente não me importo. Gosta de debochar de tudo, até das coisas mais insanas. Seu humor negro é inegável. A primeira vista parece alguém bem pé no saco, mas acredite em mim, ele é uma das pessoas mais comunicativas que existe. Louis tem paciência para me escutar falar o dia inteiro e o admiro por isso, nem eu sei se conseguiria.❞ 【—Mᴀʀɪʟʏɴ sᴏʙʀᴇ Lᴏᴜɪs.】

[chris wood]

𝔗𝑦𝔩𝔢𝔯 𝔐𝔬𝔯𝔤𝔞𝔫 ● 𝟸𝟺 𝔞𝔫𝔬𝔰 ● 𝔉𝔩𝔬𝔯𝔦𝔰𝔱𝔞 ● 𝓒𝔞𝔰𝔱𝔞 𝟼 ● 𝓘𝔯𝔪𝔞̃𝔬 𝔪𝔞𝔦𝔰 𝔳𝔢𝔩𝔥𝔬
❝Tyler é basicamente meu "parceiro do crime", é assim que nos apelidaram. Devido a sua mania de bolar planos horríveis, quando estou com ele quase sempre me coloco em alguma confusão e normalmente eu que tenho de sair dela, já que o "senhor medroso" trava na hora de dar alguma desculpa. É com quem passo a maior parte do meu dia, principalmente na floricultura. Tyler é sem dúvida o mais criativo de todos nós e quase sempre eu sou a cobaia. Vivemos tirando sarro ou rindo da cara um do outro, em qualquer hora do dia. Inclusive foi ele quem inventou o apelido Maggie, que no começo eu odiava e só por isso ele me chamava mais e mais, para revidar o chamava de "tyty". De todas as pessoas, acho que ele é de fato o meu melhor amigo.❞【—Mᴀʏ sᴏʙʀᴇ Tʏʟᴇʀ.】

[ansel elgort]

𝔖𝔠𝔬𝔱𝔱 𝔐𝔬𝔯𝔤𝔞𝔫 ● 𝟺𝟸 𝔞𝔫𝔬𝔰 ● 𝔉𝔩𝔬𝔯𝔦𝔰𝔱𝔞 ● 𝓒𝔞𝔰𝔱𝔞 𝟼 ● 𝔭𝔞𝔦
❝Meu pai é de todas as formas, uma das pessoas que mais admiro no mundo. Está sempre com um sorriso reconfortante no rosto, faça chuva ou faça sol. Sempre fez de um tudo por mim e por meus irmãos e quando nossa mãe se foi, assumiu seu papel da melhor forma que pode. Mesmo com todas as confusões em me explicar certas coisas ou na hora de dar conselhos, entendo todo o seu esforço. Ele é uma das pessoas mais divertidas da casa e nunca está para baixo. Ativo e o maior invasor de privacidade que se pode conhecer, nunca consegue ficar parado.❞【—Mᴀʏ sᴏʙʀᴇ Sᴄᴏᴛᴛ.】

[Hugh Dancy]

𝙵𝙾𝙱𝙸𝙰𝚂/𝙼𝙰𝙽𝙸𝙰𝚂/𝙼𝙴𝙳𝙾𝚂/𝚃𝚁𝙰𝚄𝙼𝙰𝚂
● Mania de colocar o cabelo atrás da orelha
● Mania de assoviar quando está ansiosa
● Medo de altura — Acrofobia
● Medo de nunca realizar seu sonho e acabar como sua mãe



𝚀𝚄𝙰𝙻𝙸𝙳𝙰𝙳𝙴𝚂 𝙴 𝙳𝙴𝙵𝙴𝙸𝚃𝙾𝚂
𝔔𝔲𝔞𝔩𝔦𝔡𝔞𝔡𝔢𝔰
Espirituosa
Destemida
Divertida
Inovadora
Espontânea


𝔇𝔢𝔣𝔢𝔦𝔱𝔬𝔰
Teimosa
Debochada
Sarcástica
Orgulhosa
Imprevisível



𝙶𝙾𝚂𝚃𝙾𝚂 𝙴 𝙳𝙴𝙶𝙾𝚂𝚃𝙾𝚂
𝔊𝔬𝔰𝔱𝔬𝔰
● Música
● Poesia
● Fotografia
● Piadas
● Doces
● Histórias
● Pessoas divertidas
● Esportes


𝔇𝔢𝔰𝔤𝔬𝔰𝔱𝔬𝔰
● Pessoas Esnobes
● Regras
● Ser julgada
● Limão
● Pessoas que se fazem de coitadinha
● Falsidade


𝙷𝙾𝙱𝙱𝙸𝙴𝚂
𝔈𝔰𝔠𝔯𝔢𝔳𝔢𝔯
Um dos seus hobbies é escrever, principalmente pequenos poemas aleatórios, que ela guarda em um pequeno caderno. Normalmente escreve sobre coisas que a fascinam, como as estrelas, personagens de livros e até mesmo sobre algumas pessoas que são importantes para ela. Também ama ouvir histórias, sejam histórias de vida ou de livros. Se gostar do conto, provavelmente irá fechar os olhos e imaginar os aromas, as texturas, as paisagens.


𝔗𝔬𝔠𝔞𝔯 𝔢 𝔢𝔰𝔠𝔲𝔱𝔞𝔯 𝔪𝔲́𝔰𝔦𝔠𝔞
Ouvir e tocar música. Margot sempre foi completamente apaixonada por música. Aprendeu praticamente sozinha a tocar diversos instrumentos, ela via alguns tutoriais e começava a praticar até aprender. Seu instrumento favorito é o violão. Conhece cada uma de suas notas como conhece a si. Adora dedilhar e instrumento, sem ter que olhar as notas, ou ter que ouvir alguém sussurrá-las para ela.


𝔉𝔬𝔱𝔬𝔤𝔯𝔞𝔣𝔞𝔯
O[utro de seus hobbies preferidos e fotografar. Ela fotografa qualquer coisa que acha interessante: pessoas, flores, estrelas. Vive com uma câmera e em seu quarto se encontra as mais variadas fotos, porém a maioria ela não está presente. Marilyn não gosta de tirar fotos de si mesma.


𝔇𝔢𝔰𝔢𝔫𝔥𝔞𝔯 𝔢 𝔭𝔦𝔫𝔱𝔞𝔯
O seu último hobbie é algo bastante comum, quase clichê, mas isso não a impede de fazê-lo. O simples ato de desenhar. Marilyn costuma colocar todas as suas emoções em pinceladas e traços quando desenha, costuma expor sua alma neles. Os seus preferidos são os abstratos, aqueles que só ela é capaz de entender e decifrar como mais ninguém.


𝔈𝔰𝔭𝔬𝔯𝔱𝔢𝔰
Margot sempre foi muito boa noite quesito esportes e principalmente no de fazer bagunça enquanto joga. Perdeu as contas de quantas vezes quebrou algo de sua casa enquanto jogava bola com Tyler. Na escola costumava quebrar o tabu de que garota não sabia jogar e era uma das melhores no esporte. Sempre adorou essa adrenalina.


𝚃𝙰𝙻𝙴𝙽𝚃𝙾
Margot nunca teve muitos talentos ou ao menos talentos revelantes, tirando o fato de que faz as melhores panquecas de sua casa ou de que sabe todas as falas do seu livro preferidos decoradas, ela nunca parou para pensar sobre seu real talento. Acredita que poderia ser fotografar, ela tira fotos magnificas e cada vez mais belas, além da própria arte de escrever, sabe usar as palavras como ninguém e muitas vezes se torna tão persuasiva que pode te convencer de qualquer coisa em um de seus textos.

𝙿𝚁𝙸́𝙽𝙲𝙸𝙿𝙴, 𝙲𝙾𝚁𝙾𝙰 𝙾𝚄 𝙾𝚄𝚃𝚁𝙾?
Nenhum (vamos fazer o que? :v). Ela quer apenas seguir o sonho de ser jornalista, mesmo que para isso tenha de se inscrever na seleção.

𝙿𝚁𝙸́𝙽𝙲𝙸𝙿𝙴 𝙴𝚂𝙲𝙾𝙻𝙷𝙸𝙳𝙾
𝔅𝔢𝔯𝔫𝔞𝔯𝔡 𝔖𝔢𝑦𝔡𝔬𝔲𝔵


𝚁𝙴𝙻𝙰Ç𝙰̃𝙾 𝙲𝙾𝙼:
𝓡𝔢𝔦𝔰
Embora seja sagaz e imprevisível, May será obrigada a controlar a sua língua e seu espírito aventureiro perto da realeza, pois sabe se não o fizer, pode perder a cabeça, literalmente. Mas não irá figir ser o que não é, apenas vai se esforçar bastante para controlar seus instintos e sua sinceridade, e ao juntar a atuação da jovem com sua aparência angelical, Margot vai parecer uma espécie de garota doce e amigável, embora ela deixe “escapar” a verdadeira personalidade de vez em quando, deixando eclodir seus sentimentos de forma avassaladora, e quando isso acontecer, ela falará tudo que der na cabeça, demonstrando assim, seu indomável e verdadeiro eu.

𝓡𝔞𝔦𝔫𝔥𝔞𝔰
Não possui uma opinião formada, sendo sincera, não acha que tudo no universo tenha de girar em torno deles e que tudo tenha de ser espelhado em seu modo de vida requintado. Poderia dizer que elas são como o exemplo de mundo perfeito, uma realidade a qual May nunca foi apresentada. Vivem em outro mundo completamente diferente do da garota.

𝔓𝔯𝔦́𝔫𝔠𝔦𝔭𝔢 𝔢𝔰𝔠𝔬𝔩𝔥𝔦𝔡𝔬
Margot não tem uma opinião formada sobre ele. Não pode negar a sua beleza (e que beleza!), mas não o considera muito além disso, pode-se dizer que tem uma opinião neutra sobre ele.No começo May será meio relutante, por medo de abrir seu coração e por não saber como se lida com tais emoções, de inicio será meio indiferente, quase como uma amiga intima e não alguém que deseja algum casamento. Ela irá conversar com o príncipe sobre interesses em comum, rir, fazer piadas, desafiá-lo, enfim, ser ela mesma. Com o tempo Maggie rá perceber que seus sentimentos não são apenas amizade, ela nunca imaginou que fosse tão fácil conversar com alguém que ela conhece a tão pouco tempo.

𝔒𝔲𝔱𝔯𝔬𝔰 𝔭𝔯𝔦́𝔫𝔠𝔦𝔭𝔢𝔰
𝒩𝑜𝒶𝒽 𝐻𝑒𝒸𝓀𝓂𝒶𝓃𝓃 — O acha meio calado, muito recluso. Margot não pode negar que o jeito misterioso do príncipe a deixa curiosa, entretanto acha que ele se cobra demais.
𝑀𝒶𝓇𝓀𝓊𝓈 𝒮𝒶𝓃𝓉𝒾𝓃𝒾 — Sinceramente, May não simpatiza muito com o rapaz. O acha irresponsável demais, quer aparecer demais e quer sempre pagar de bonzinho.
𝒯𝑜𝓂𝒶́𝓈 𝒞𝒶𝓈𝓉𝑒𝓁𝓁𝒶𝓃𝑜𝓈 — Margot se identifica um pouco com o rapaz no quesito piada e no romântico o acha bem divertido, porém nada além disso.
𝒞𝒽𝓇𝒾𝓈𝓉𝑜𝓅𝒽𝑒𝓇 𝒮𝒶𝓂𝒾𝑜𝓉𝑜𝓊 — Acha engraçado o fato é como todas s garotas parecem cair na dele. Chega a ser divertido ver como ele nunca leva nada a sério ou como está sempre metido em confusão.
𝑅𝒾𝒸𝒽𝒶𝓇𝒹 𝒜𝓃𝒹𝑒𝓇𝓈𝑒𝓃 — De todos os príncipes, acha que ele seria o melhor governante. Acha-o fofo educado, o príncipe que qualquer garota iria querer, mas ela não.

𝔊𝔲𝔞𝔯𝔡𝔞𝔰
Vai respeitá-los e esperar que a respeitem. Provavelmente em algum momento, Margot vai tentar puxar alguma conversa ou contar alguma piada, mas duvida que arranque algum sorriso daquelas caras sérias.

𝔒𝔲𝔱𝔯𝔞𝔰 𝔠𝔞𝔫𝔡𝔦𝔡𝔞𝔱𝔞𝔰
Tentará de fato fazer alguma amizade, porém não se não rolar ela não vai insistir em nada. Quer ao menos ter alguém que possa passar um tempo sorrindo e jogando conversa fora, ao invés de ouvir as intermináveis tarefas, regras e normas que existem em todo o palácio. Porém se a maltratarem, ela irá revidar, May não é de aguentar calada.

𝔍𝔬𝔯𝔫𝔞𝔩𝔦𝔰𝔱𝔞𝔰
Margot nunca lidou com os holofotes. Nunca sequer assistiu muito a tv, já que possuía coisas mais importantes a ser feitas. Logo, ficará meio atrapalhada ao lidar com os jornalistas. Não vai saber ao certo o que falar ou até onde pode revelar sobre todos. Com o passar do tempo, aprenderá como agir na frente das câmeras.

𝙲𝚁𝙸𝙰𝙳𝙰𝚂
𝔄𝔪𝑦 𝔒'𝔥𝔞𝔩𝔢 ● 𝟸𝟷 𝔞𝔫𝔬𝔰 ● 𝔈𝔰𝔱𝔦𝔩𝔦𝔰𝔱𝔞
❝Amy é muito espirituosa, ela vive fazendo piadas e rindo dela mesma quando derruba algo, nada consegue deixá-la para baixo e sempre faz você sorrir, mesmo quando não deseja. Sua mãe, que também é uma funcionaria, trouxe-a para o castelo quando ainda era um bebê. É a mais jovem e a mais divertida das criadas, deve ser por isso que ela é com quem passo mais parte de meu tempo. Costumamos jogar conversa fora e rir das coisas que acontecem no palácio. Amy é como a minha melhor amiga em meio aquele ambiente novo.❞【 — Mᴀʏ sᴏʙʀᴇ Aᴍʏ.】

[cara delevingne]

𝓡𝔬𝔰𝔢𝔪𝔞𝔯𝑦 𝔒'𝔥𝔞𝔩𝔢 ● 𝟹𝟷 𝔞𝔫𝔬𝔰 ● 𝓒𝔞𝔟𝔢𝔩𝔢𝔦𝔯𝔢𝔦𝔯𝔞 𝔢 𝔠𝔲𝔦𝔡𝔞 𝔡𝔬𝔰 𝔥𝔬𝔯𝔞́𝔯𝔦𝔬𝔰
❝Rosemary me lembra muito de meu irmão Louis, talvez pela saudade que sinto ou talvez pela forma como ela cuida de Amy, mesmo que não sejam da mesma família. É a mais velha das criadas e portanto a com mais experiências e a mais responsável. Sempre está fazendo algo e eu particularmente, adoro ouvir suas histórias de vida que ela costuma contar a mim e a Amy. Está prestes a se casar e em breve não será mais uma criada. Na ausência de família, é a Rose que peço a maioria dos conselhos.❞【 — Mᴀʏ sᴏʙʀᴇ Rᴏsᴇᴍᴀʀʏ.】

[cobie smulders]

𝙾 𝚀𝚄𝙴 𝙰𝙲𝙷𝙰 𝙳𝙰 𝚂𝙴𝙻𝙴Ç𝙰̃𝙾
Toda a sua família pensa a mesma coisa da seleção: "isso aí não é pra gente como nós", por isso, preferem nem opinar, Margot costumava pensar assim, até essa maldita tradição e a esnobe família real poder interromper seu futuro. O próprio pai, costuma falar isso toda vez que ela tinha alguma ideia maluca ou fala alguns de seus sonhos ou objetivos, May cresceu com aquela frase em sua cabeça e quer mais que nunca se livrar dela. E se seguir seu sonho significa ouvir Louis passar meia hora falando de como isso vai dar errado, bom, que assim seja. Maggie não pretende desistir.


𝙲𝙾𝙼𝙾 𝚁𝙴𝙰𝙶𝙸𝚁𝙸𝙰 𝙰 𝚄𝙼 𝙰𝚃𝙰𝚀𝚄𝙴 𝚁𝙴𝙱𝙴𝙻𝙳𝙴?
Procuraria ao máximo agir de forma sensata e serena. Tentaria ajudar as garotas que estivessem mais assustadas e acalmaria a maioria com um de seus discursos inspiradores. Mas assim que se visse sozinha soltaria todo seu nevrosismo em um de seus poemas.


𝙿𝚁𝙴𝙹𝚄𝙳𝙸𝙲𝙰𝚁𝙸𝙰 𝙾𝚄𝚃𝚁𝙰 𝚂𝙴𝙻𝙴𝙲𝙸𝙾𝙽𝙰𝙳𝙰 𝙿𝙰𝚁𝙰 𝙾 𝚂𝙴𝚄 𝙱𝙴𝙽𝙴𝙵𝙸́𝙲𝙸𝙾?
Dependendo da selecionada sim, mas nunca faria isso com uma amiga.

𝚂𝚄𝙰 𝙿𝙴𝚁𝚂𝙾𝙰𝙽𝙶𝙴𝙼 𝙹𝙰́ 𝙽𝙰𝙼𝙾𝚁𝙾𝚄 𝙰𝙽𝚃𝙴𝚂? 𝙴́ 𝚅𝙸𝚁𝙶𝙴𝙼?
Já teve um namorado escondida antes quando tinha seus 16 anos, porém Louis descobriu e acabou assustando o garoto.

𝙱𝙴𝙱𝙴 𝙱𝙴𝙱𝙸𝙳𝙰𝚂 𝙰𝙻𝙲𝙾𝙾́𝙻𝙸𝙲𝙰𝚂? 𝙰𝙿𝙴𝙽𝙰𝚂 𝚂𝙾𝙲𝙸𝙰𝙻𝙼𝙴𝙽𝚃𝙴? 𝙰𝙾 𝙿𝙾𝙽𝚃𝙾 𝙳𝙴 𝙵𝙸𝙲𝙰𝚁 𝙱𝙴̂𝙱𝙰𝙳𝙰?
Devido ao grande historico da sua familia com bebidas, ela prefere beber apenas socialmente e não ao ponto de ficar bebeda, tem medo que isso possa se tornar um vicio como houve com sua mãe. Porém vez ou outra (normalmente quando está muito triste ou muito feliz) acaba desandando e ficando muito bêbeda.


𝟸 𝙼𝚄́𝚂𝙸𝙲𝙰𝚂 𝚀𝚄𝙴 𝙳𝙴𝙵𝙸𝙽𝙰𝙼 𝙰 𝚁𝙴𝙻𝙰Ç𝙰̃𝙾 𝙲𝙾𝙼 𝙾 𝙿𝙰𝚁?
❝Sᴍɪʟᴇ﹐ ᴛʜᴇ ᴡᴏʀsᴛ ɪs ʏᴇᴛ ᴛᴏ ᴄᴏᴍᴇ
Wᴇ·ʟʟ ʙᴇ ʟᴜᴄᴋʏ ɪғ ᴡᴇ ᴇᴠᴇʀ sᴇᴇ ᴛʜᴇ sᴜɴ
Gᴏᴛ ɴᴏᴡʜᴇʀᴇ ᴛᴏ ɢᴏ
Wᴇ ᴄᴏᴜʟᴅ ʙᴇ ʜᴇʀᴇ ғᴏʀ ᴀ ᴡʜɪʟᴇ
Bᴜᴛ ᴛʜᴇ ғᴜᴛᴜʀᴇ ɪs ғᴏʀɢɪᴠᴇɴ sᴏ sᴍɪʟᴇ
Wᴇ·ʀᴇ ᴛʀʏɪɴɢ sᴏ ʜᴀʀᴅ ᴛᴏ ɢᴇᴛ ɪᴛ ᴀʟʟ ʀɪɢʜᴛ
Bᴜᴛ ᴏɴʟʏ ғᴇᴇʟ ʟᴏɴᴇʟʏ ᴀᴛ ᴛʜᴇ ᴇɴᴅ ᴏғ ᴛʜᴇ ɴɪɢʜᴛ
Aɴᴅ I ᴡᴀɴɴᴀ ʙᴇ sᴏᴍᴇᴡʜᴇʀᴇ ᴀᴡᴀʏ ғʀᴏᴍ ᴛʜɪs ᴘʟᴀᴄᴇ
ɪs sᴏᴍᴇᴡʜᴇʀᴇ ᴊᴜsᴛ ᴀ ʟɪᴛᴛʟᴇ ᴄʟᴏsᴇʀ ᴛᴏ ɢʀᴀᴄᴇ❞

𝒮𝓂𝒾𝓁𝑒, 𝑀𝒾𝓀𝓀𝓎 𝐸𝓀𝓀𝑜


❝I·ᴅ ᴜsᴇ ʏᴏᴜ ᴀs ᴀ ᴡᴀʀɴɪɴɢ sɪɢɴ
Tʜᴀᴛ ɪғ ʏᴏᴜ ᴛᴀʟᴋ ᴇɴᴏᴜɢʜ sᴇɴsᴇ﹐ ᴛʜᴇɴ ʏᴏᴜ·ʟʟ ʟᴏsᴇ ʏᴏᴜʀ ᴍɪɴᴅ
Aɴᴅ I·ᴅ ᴜsᴇ ʏᴏᴜ ᴀs ᴀ ғᴏᴄᴀʟ ᴘᴏɪɴᴛ
Sᴏ I ᴅᴏɴ·ᴛ ʟᴏsᴇ sɪɢʜᴛ ᴏғ ᴡʜᴀᴛ I ᴡᴀɴᴛ
Aɴᴅ I·ᴠᴇ ᴍᴏᴠᴇ ғᴜʀᴛʜᴇʀ ᴛʜᴇɴ I ᴛʜᴏᴜɢʜᴛ I ᴄᴏᴜʟᴅ
Bᴜᴛ I ᴍɪssᴇᴅ ʏᴏᴜ ᴍᴏʀᴇ ᴛʜᴀɴ I ᴛʜᴏᴜɢʜᴛ I ᴡᴏᴜʟᴅ
I·ᴅ ᴜsᴇ ʏᴏᴜ ᴀs ᴀ ᴡᴀʀɴɪɴɢ sɪɢɴ
Tʜᴀᴛ ɪғ ʏᴏᴜ ᴛᴀʟᴋ ᴇɴᴏᴜɢʜ sᴇɴsᴇ﹐ ᴛʜᴇɴ ʏᴏᴜ·ʟʟ ʟᴏsᴇ ʏᴏᴜʀ ᴍɪɴᴅ
Aɴᴅ I ғᴏᴜɴᴅ ʟᴏᴠᴇ ᴡʜᴇʀᴇ ɪᴛ ᴡᴀsɴ·ᴛ sᴜᴘᴘᴏsᴇᴅ ᴛᴏ ʙᴇ
Rɪɢʜᴛ ɪɴ ғʀᴏɴᴛ ᴏғ ᴍᴇ﹐ ᴛᴀʟᴋ sᴏᴍᴇ sᴇɴsᴇ ᴛᴏ ᴍᴇ❞

𝐼 𝒻𝑜𝓊𝓃𝒹, 𝒜𝓂𝒷𝑒𝓇 𝑅𝓊𝓃


❝I ʙᴇᴇɴ ʀᴜɴɴɪɴɢ ғʀᴏᴍ ᴛʜᴇ ᴘᴀɪɴ
Tʀʏɪɴɢ ɴᴏᴛ ᴛᴏ ғᴇᴇʟ ᴛʜᴇ sᴀᴍᴇ
Bᴜᴛ ɪᴛ·s ᴀ sʜᴀᴍᴇ ᴛʜᴀᴛ ᴡᴇ·ʀᴇ sɪɴᴋɪɴɢ
Sᴇᴇ ᴍʏ ᴄᴏɴғɪᴅᴇɴᴄᴇ ɪs sʜᴀᴋɪɴɢ
Aɴᴅ ᴍʏ ʜᴇᴀʀᴛ ɪs ғᴇᴇʟɪɴɢ ᴠᴀᴄᴀɴᴛ
Sᴏ ʏᴏᴜ ᴛʀʏ ᴛᴏ ғɪʟʟ ɪᴛ ɪɴ
Yᴏᴜ sᴀʏ ··I ᴄᴀɴ ғɪx ᴛʜᴇ ʙʀᴏᴋᴇɴ ɪɴ ʏᴏᴜʀ ʜᴇᴀʀᴛ Yᴏᴜ·ʀᴇ ᴡᴏʀᴛʜ sᴀᴠɪɴɢ ᴅᴀʀʟɪɴɢ··
Bᴜᴛ I ᴅᴏɴ·ᴛ ᴋɴᴏᴡ ᴡʜʏ ʏᴏᴜ·ʀᴇ sʜᴏᴏᴛɪɴɢ ɪɴ ᴛʜᴇ ᴅᴀʀᴋ
I ɢᴏᴛ ғᴀɪᴛʜ ɪɴ ɴᴏᴛʜɪɴɢ
Bᴜᴛ ʟᴏᴠᴇ﹐ ᴘʀᴀʏ ғᴏʀ ᴍᴇ I ɴᴇᴠᴇʀ ʜᴀᴅ sᴏᴍᴇʙᴏᴅʏ
Sᴏ I ᴅᴏɴ·ᴛ ᴋɴᴏᴡ ʜᴏᴡ ᴛᴏ ʟᴏᴠᴇ Pʀᴀʏ ғᴏʀ ᴍᴇ
I ᴋɴᴏᴡ I ɴᴇᴇᴅ sᴏᴍᴇʙᴏᴅʏ Sᴏ I ᴄᴀɴ ʟᴇᴀʀɴ ʜᴏᴡ ᴛᴏ ʟᴏᴠᴇ❞

𝐻𝑜𝓌 𝓉𝑜 𝓁𝑜𝓋𝑒, 𝒞𝒶𝓈𝒽 𝒞𝒶𝓈𝒽


❝Wᴇ ᴡᴇʀᴇ ᴍᴀᴋɪɴɢ ʜɪsᴛᴏʀʏ
ʙʀᴇᴀᴋɪɴɢ ʀᴜʟᴇs ᴀɴᴅ ʙʀᴇᴀᴋɪɴɢ ғʀᴇᴇ
Lᴀᴜɢʜɪɴɢ ᴀs ᴡᴇ·ʀᴇ ғᴀʟʟɪɴɢ ᴅᴏᴡɴ
Sᴏᴀᴋɪɴɢ ɪɴ ᴛʜᴇ ɢʟᴏʀʏ ᴏғ ɪᴛ ᴀʟʟ
Bᴜᴛ ɪɴ ᴅᴀʀᴋ ᴛɪᴍᴇs ᴡʜᴇɴ ᴡᴇ ᴄʟᴏsᴇ ᴏᴜʀ ᴇʏᴇs
Iᴛ·s ᴀ ɴɪɢʜᴛᴍᴀʀᴇ﹐ ɪᴛ·s ᴀ ɴɪɢʜᴛᴍᴀʀᴇ
Bᴜᴛ I sᴡᴇᴀʀ﹐ ᴡᴇ ᴄᴀɴ ɢᴇᴛ ᴛʜᴇʀᴇ
Wᴇ·ᴠᴇ ɢᴏᴛ ʏᴏᴜɴɢ ʙʟᴏᴏᴅ Cᴀɴ·ᴛ ᴅᴇsᴛʀᴏʏ ᴜs
Wᴇ ᴍᴀᴋᴇ ᴏᴜʀ ᴏᴡɴ ʟᴜᴄᴋ ɪɴ ᴛʜɪs ᴡᴏʀʟᴅ❞

𝒴𝑜𝓊𝓃𝑔 𝐵𝓁𝑜𝑜𝒹, 𝐵𝑒𝒶 𝑀𝒾𝓁𝓁𝑒𝓇


𝚁𝙾𝚄𝙿𝙰𝚂
Margot tem um estilo variado. Seja no que comer, vestir, ouvir ou até mesmo ver. Ela está a todo momento se reinventando, se redescobrindo. Hoje em dia, tem o costume de usar roupas simples, mas já usou roupas mais pesadas. Desde que se conhece por gente, ela muda — mudou tantas vezes que se torna impossível de contar — já tentara ser hippie, retrô e até mesmo com uma pegada mais punk. A verdade é que a própria May desconhece seu estilo. Ela diria que isso varia de acordo com o seu humor, é relativo. Se abrissem o quarto da jovem, encontrariam de tudo um pouco. Músicas, filmes e roupas dos mais diversos estilos. E se a perguntassem qual seu preferido, provavelmente ela diria que ainda está se descobrindo. Na maior parte de seu dia usa roupas alegres, que condizem com sua personalidade agitada, então é bem fácil encontrar calças rasgadas, shorts, blusas coloridas e alguns vestidos floridos no seu guarda roupa. Também é bem fácil vê-la usando botas e alguns tênis, porém é raro ela calçar algum salto, reafirmando o quanto são desconfortáveis. Também costuma variar na forma que usa seu cabelo — talvez isso provenha na sua indecisão quanto se trata dela mesma — vezes o deixa solto, vezes usa alguma trança ou simplesmente o coloca num coque malfeito.
𝔈𝔵𝔢𝔪𝔭𝔩𝔬𝔰 𝔡𝔢 𝔯𝔬𝔲𝔭𝔞𝔰 𝔮𝔲𝔢 𝔲𝔰𝔞:







𝙰𝙻𝙶𝙾 𝙼𝙰𝙸𝚂
Nop.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...