~YuukiOno

YuukiOno
"I'm wild and sexy"
Nome: ♔ 苧野 綿季 ❖ 오노 유우키 ❖ Ono Yuuki ♔
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Guaracai, São Paulo, Brasil
Aniversário: 13 de Dezembro
Idade: 21
Cadastro:

Ficha (O Direito de Viver)


Postado

Ficha (O Direito de Viver)

♡ I LOVE K-ON ♡




♬ Nome e Sobrenome: ♬
Azusa Fuyutsuki.
► “Azusa” não tem um significado abrangente, é somente um nome comum.
► "Fuyu" (冬) significa inverno. "Tsuki" (月) significa Lua. Juntando os dois obtemos "A Lua do Inverno".


♬ Idade: ♬
8 anos.

♬ Aniversario e Signo: ♬
Dia 13 de Dezembro, sendo signo Sagitário.

♬ Aparência: ♬
✿ Criança ✿
► Azusa tem cabelos curtos e levemente encaracolados. Com uma cor chamativa, o azul esverdeado.
► Suas irises combinam perfeitamente com seus cabelos, ambos da mesma tonalidade.
► Sua pele é incrivelmente branca, com alguns pontos rosados como joelhos, cotovelos, bochechas, ponta dos seus dedos.
► Sua estatura é muito baixa.
► Não tem muita formação no corpo quando nova.



✿ Jovem ✿
► Seus cabelos continuam da mesma tonalidade, o azul esverdeado, porém com algumas partes mais escuras. A única diferença é o tamanho, no qual as suas pontas quase chegam perto do chão.
► Suas irises clarearam um pouco mais do que antes. Ainda mantendo o mesmo tom dos cabelos.
► Sua pele ainda continua pálida com leves detalhes rosados.
► Mesmo não tendo grandes seios, sua cintura é larga, tendo nádegas elevadas e coxas grossas.





♬ História: ♬
Azusa nasceu como uma filha premiada. Seus pais eram como reis. Tinham muito dinheiro e eram excepcionalmente conhecidos. Sua mãe tinha fama exemplar de Idol, fazendo seu secundário trabalho como modelo. Seu pai o Chef principal de um restaurante de alta qualidade, no qual o mesmo era dono. Os dois viajam muito não tinham tempo de se encontrar, porém, quando se encontravam, eles usufruíam o quanto podiam juntos, um amor onde a distância não interferiu e muito menos a ambição por dinheiro, era um amor realmente verdadeiro.
Azusa veio de um encontro dos dois, mais especificamente no dia do aniversário de namoro dos pais. Quando sua mãe descobriu que estava grávida, ela realmente teve que se esconder da mídia, o que não foi muito agradável, pois foi um ato irresponsável da parte dos dois onde eles tinham que arcar.
Quando Azusa nasceu, seu pai e sua mãe mal podiam cuidar da garota; ela não tinha muitas pessoas para falar, na maior parte de seu tempo, ficava em seu quarto explorando alguns objetos ali existentes como, livros, instrumentos, papéis e até didáticos. Não, ela não ia para escola, mas tinha aulas particulares com alguns professores que viam ensinar a garota o básico, pois ela não poderia contar quem são seus pais de maneira alguma, então essa fora a única saída que o casal achou.

Azusa sabia se cuidar sozinha, e por incrível que pareça, ela tinha apenas 6 anos.
Entretanto, se podemos chamar isso de desgraça então chamaremos. A desgraça veio após Azusa completar seus sete anos; a azulada começou a ter sonhos, mais descritos como pesadelos. Pesadelos terríveis, pesados e ruins. Todas as noites, a garota imaginava fatos horripilantes, pessoas sendo estupradas, torturadas, mortas, eletrocutadas, tudo. Tudo mesmo. Ela conseguia ver isso claramente enquanto dormia, como se sua consciência lhe contasse uma história em primeira pessoa, e quando acordava, tudo voltava a ser como era.
A principio achou normal, todas as pessoas humanas haviam sonhos e pesadelos, mas isso se prolongou e Azusa começará a perder a vontade de dormir, e consequentemente, suas forças foram sumindo, até que disse tudo aos pais.

Psicólogos, médicos tentaram resolver o problema, mas ninguém conseguiu, todos achavam a garota um demônio humano, onde a única cura era realmente renascer em outro corpo e consciência. Porém uma coisa que os mesmos tinham certeza, era que os pesadelos não eram dela, mas sim de outras pessoas que já conviveram com ela, ou tiveram algum contato. Como o toque.
Dali para frente, as coisas realmente pioraram. Os pais distanciavam qualquer pessoa da filha, e principalmente se distanciavam, afinal, eles não amavam tanto a garota, para eles era apenas mais uma responsabilidade a tomar pelos seus atos imprudentes.
Azusa teve uma vida solitária, sem ninguém a atrapalhando ou visitando. Virou uma garota fechada e pouco chamativa pelos seus problemas, raramente abria a boca, e quando dizia eram poucas palavras.

E quando você acha que a desgraça já foi, aparecem àqueles problemas maiores. Seu pai começou a falir, o restaurante começou a cair de ranking e a qualidade abaixava cada vez mais. O homem já desesperado culpou a filha e a esposa, por tudo o que acontecera na vida dele, o restaurante, o "demônio" de filha e a escolha de ter ficado com a garota; empurrou todos os detalhes ruins para as duas e a discussão veio com força. Sua mãe brigou com seu pai, a ponto de o mesmo começar a bater na mulher e elevar o tom para a mesma, alegando que a traia com variadas mulheres sem ela saber, o que deixou a mãe enfurecida e triste.
Seu pai saiu da casa, e após alguns dias as duas receberam a notícia do suicídio do mesmo.
Até hoje, Azusa se lembra de como sua mãe a acusou de todos os problemas e jogou todas as palavras ruins para cima da garota para depois a expulsar de casa. Cada palavra ainda se estabelece nas memórias de Azusa como uma ferida exposta.
"Você... Foi você sua... SUA GAROTA INFERNAL! VOCÊ TEM UM DEMÔNIO INSTALADO DENTRO DE VOCÊ ONDE NUNCA, NUNCA IRÁ SAIR! OLHA A MERDA QUE ESTÁ MINHA VIDA AGORA! LEMBRE-SE DE TODAS ESSAS DESGRAÇAS QUE VOCÊ FEZ PARA NOS DOIS! UM CASAL FELIZ! ESSA MALDIÇÃO IRÁ TE RONDAR PRA SEMPRE! QUE VOCÊ MORRA TAMBÉM, NÃO QUERO MAIS VOCÊ AQUI DENTRO! FORA DAQUI SUA INÚTIL, IMPRESTÁVEL!"
E fora dessa maneira que Azusa saiu da casa de seus pais, quase sendo chutada por sua mãe.
Ela não chorou nenhum pouco, não sentiu nada diante da morte de seu pai, pois não era chegada nele. Mas o modo que sua mãe disse a feriu, porém seus olhos estavam secos para caírem lágrimas.

O orfanato a encontrou quase morta de fome e sede, a diretora quis de qualquer maneira levá-la para o orfanato, e assim foi feito. Azusa teve de contar tudo o que sabia sobre seus pesadelos para a diretora, e a mesma entendeu muito bem a situação, acolhendo-a de braços abertos para o local, providenciando o que a garota precisava para se divertir. Livros, Instrumentos, papéis, tintas, lápis, pincéis. E esses seriam os únicos brinquedos, companheiros de Azusa daqui para frente.


♬ Personalidade: ♬
Azusa era depreendida como louca pelos pais, e talvez por ela mesma. Sua vida nunca lhe ofereceu escolhas ao invés de ser chamada de monstro desde quando nasceu. Por esse motivo, Azusa não mantém firme contato com ninguém, despreza as pessoas facilmente, ignorando-as e evitando ao máximo um contato se quer. Cresceu criando seus próprios modos de pensamento, sendo no mínimo uma sadista por livros. Sua paixão por eles é imensa, incomparável a qualquer um. Dá espaço para seus hobbies também, a pintura e a música. Ela pinta quadros extremamente confusos e escuros, nunca tentou pintar usando cores claras, pois pinta relatos de seus pesadelos como uma forma de tirá-los de seu pensamento. Já a música, Azusa prefere optar por músicas que fazem a mesma relaxar e dispersar tudo aquilo que faz mal, transpondo musicas calmas e clássicas com um violino.
Ela odeia toques, como diz, os outros a acham nojenta por não deixarem os mesmos a tocarem, pois para eles é algo comum. Mas Azusa apenas não quer ter problemas depois.
Por uma parte, ela prefere se silenciar diante das pessoas presentes, prefere ignorar e se manter sozinha.
Fora do seu mundo ironizado pelos "demônios interiores", Azusa é uma pessoa totalmente inocente, onde não sabe o que é o amor e qual o sentimento do próprio. Imagine intenções pervertidas, ela realmente desconhece esse tipo de fato.
Além de ser uma pessoa totalmente inocente, ela também é um ser indeciso, tímido, que pensa muito nos atos e nas suas consequências antes de fazê-los.
Uma coisa que ela odeia nos humanos é a desconfiança. Odeia que desconfiem dela. Mesmo ela mesma transpondo desconfiança, é uma coisa que não consegue suportar.
Critica ao extremo. Gosta de debater com as pessoas sobre qualquer fato, menos algo que envolva "pais" e "sonhos".


♬ Vai ser adotada? ♬
(X) Sim, a partir dos 17 anos.
( ) Não


♬ Medos/Fobias ♬
► Incrivelmente ela tem medo de dormir. Azusa tem medo de voltar aos pesadelos. Por isso que o café e os livros são uma terapia para ela.
► Ela tem claustrofobia.


♬ Traumas? ♬
► Trauma de ser deserdada pelos pais. Por ela ter sido deserdada pelos seus pais biológicos, Azusa tem medo que isso aconteça novamente.
►Trauma de toques. Por causa de seus pesadelos.


♬ Brinquedo preferido? ♬
Ela não tem um. Porém o que gosta de fazer é desenhar e pintar seus próprios desenhos. Ou até mesmo cantar.

♬ Par: ♬
♡ Mukami Ruki ♡


♬ Relação com: ♬

► Par:
"O que ele quer?"
"Essa sensação estranha que eu sinto quando ele chega..."
"Não quero ele perto, mas porque ainda falo com ele?"
"Porque não acontece nada quando o toco?"
Azusa irá criar um problema interno envolvendo Ruki. Sua relação com ele de começo é obscura; prefere o afastamento ao máximo possível. Porém ela começará a criar uma relação de "discussões", as conversas entre os dois é uma pura literatura de se admirar, as frases ditadas por Azusa são completadas por Ruki e vice versa. Mais para frente, Azusa irá se sentir confortável com o garoto, pois não sente nada e nem tem pesadelos com qualquer coisa que o envolva. Enquanto está com ele, os pesadelos não chegam, então finalmente poderá falar com alguém normalmente.
Com esse caminho, o amor lhe cega à tona, e Azusa fica completamente perdida com os sentimentos "estranhos" que a percorre.
Em seu primeiro encontro. Ela tende a se esconder com seu capuz e roupas pouco chamativas, porém Ruki se sente atraído pelo mistério da garota e tenta se aproximar, e por proteção, Azusa se afasta com medo, porém deixa, em descuidado, seus longos cabelos caírem chamando a atenção da maioria por serem grandes, esverdeados, bem chamativos e com uma cor vibrante. Envergonhada ela rejeita a ajuda de Ruki e sai correndo. (Pequena palhinha pra você ;D)


► Amigos:
Dependendo, ela direciona palavras curtas e respostas rápidas com o intuito de não prolongar conversas. Porém, contanto que essas pessoas não a toquem, ela leva uma boa relação com as mesmas.

► Diretora:
É uma relação de respeito. Ela respeita a Diretora como respeita qualquer um mais velho que ela. E com certeza que, Azusa deve sua vida a ela, por isso a respeita.

► Faxineira:
A mesma relação de respeito agradece por todo trabalho, não a inferiorizando a nada. Mas mesmo respeitando, ela ainda guarda seus segredos.

♬ Musica Tema ♬

► Da sua personagem:


► Da sua personagem e do par:


♬ Família ♬
► Mãe e Pai biológicos, Pai morto, Mãe viva.
Mãe: Azusa Fuyutsuki. 29 anos.
Pai: Reiji Akatsuki. 35 anos.



► Pais adotivos.
Mãe: Taiga Shinsuke. 25 anos.
Pai: Ranmaru Shinsuke. 30 anos.



♬ Observações ♬
Sim, estou ciente de tudo.



Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...