~potatodobear

potatodobear
Kélover e Stockie.
Nome: Mrs. Tomlinson/ Karolina/ Karolzinha/ Karol/ Lalol/ Lina/ Lally/ Kah
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Santos, São Paulo, Brasil
Aniversário: 20 de Setembro
Idade: 18
Cadastro:

1 ANO!


Postado

1 ANO!

Hellouis rsrs Bom, estou aqui pra falar um pouco sobre como foi o dia 10 de maio de 2014.

Um ano se passou desde que eu vi nossos maridos em cima do palco, cantando ali bem na minha frente. Foi o melhor dia de toda a minha vida.
Vamos ao resumo do meu dia em São Paulo rsrs

Sou de Santos/SP e no sábado, dia 10, eu acordei às cinco da manhã, me arrumei, peguei o cartaz de seis metros, SEIS METROS, que eu e minhas amigas gastamos um ano fazendo, e saí de casa às seis com minha mãe e minha irmã. Como minha mãe não gosta de dirigir em São Paulo, ela fechou um pacote com uma agência de ônibus pra poder nos levar. Chegamos no local marcado às sete, subimos no ônibus e seguimos rumo a São Paulo.
Oito horas o ônibus estacionou próximo ao Estádio e nós descemos do mesmo e já começamos as comprinhas rsrs. Eu comprei uma bandeira, faixa pra colocar na cabeça, uma corrente, que eu não tiro de jeito nenhum do pescoço... Depois de comprar tudo que precisava para aquele momento nós fomos para a fila, que estava enorme. Conseguimos chegar no final da mesma umas oito e meia da manhã.

Tomamos nosso lugar, minha mãe comprou refrigerante e ela tinha levado uns pacotes de salgadinhos. Nós comemos e ficamos lá esperando o portão abrir.

Durante todas as horas que nós ficamos na fila minha mãe e minha irmã sentaram-se no chão, comeram mais algumas coisas, beberam também e eu não coloquei nada mais na boca, não senti fome hora nenhuma. As duas foram ao banheiro e eu não movi um centímetro de onde eu estava, movi apenas quando a fila andava rsrs

Uma das poucas vezes que minha mãe foi no banheiro, ela voltou e me disse a seguinte frase: “Karol, adivinha quem eu vi quando estava voltando do banheiro?” Antes de ela responder meu coração já começou a disparar e eu pedi para que ela falasse. E ela disse o seguinte: “O segurança dos meninos, Paul.” Eu fiquei muito nervosa, porque eu queria entregar o cartaz que eu e minhas amigas havíamos feito e não tive a brilhante ideia de pedir para a minha mãe levar com ela já que eu não imaginava que ela pudesse ver o Paul. Mas aí ela me disse que nós podíamos tentar entrar no estádio com o cartaz e jogar em cima do palco quando o show terminasse, já que eu estava na pista e aquela espécie de passarela chegava até lá.

Lá para às onze da manhã, um organizador que estava ali por perto, pegou algumas pessoas que estavam no fim da fila e trouxe para o lado da nossa. Essas pessoas começaram a furar fila e minha mãe, que não aceita isso, se juntou com mais algumas mães que estavam perto de nós e foram reclamar com os policiais que haviam se aproximado por conta de reclamações de outras pessoas.

Depois de muito discutir e de nada adiantar, minha mãe reparou que quanto mais grudadas umas nas outras nós ficássemos, as pessoas não conseguiriam passar na nossa frente. E ela observou também que, passando uma árvore que estava um pouco a nossa frente, não daria para mais ninguém passar na nossa frente. Então fomos até a árvore, grudadas uma na outra.

Quando os portões se abriram, umas três e meia, nós entramos, mostramos os ingressos e, para a minha infelicidade, o cara que olhou o meu ingresso pegou o cartaz da minha mão e jogou em uma lata de lixo, na minha frente, e me mandou passar. Eu fiquei muito nervosa, mas deixei isso passar.

Bom... Depois disso eu, minha mãe e minha irmã saímos correndo para entrar no estádio e haviam seguranças dizendo “não corre senão vai voltar... Não corre senão vai voltar”. Eu corria e parava, corria e parava. Quando chegamos no local, já pra entrar mesmo no estádio, eu vi que, dentro do estádio não tinha mais segurança pra me impedir de correr, então eu passei pelos últimos e saí correndo sem parar. Deixei minhas coisas com a minha mãe, que ficou mais afastada de mim, peguei minha câmera e saí correndo pra perto do povão pra conseguir ficar mais perto do palco. Mesmo estando na pista eu fiquei em um bom local.
Quando eu fui ligar a câmera pra tirar uma foto do palco antes que ficasse muito escuro o que eu descubro? Minha câmera estava sem bateria. A PORCARIA DA CÂMERA NÃO LIGOU! Sorte a minha que minha mãe estava com outra câmera e conseguiu tirar ótimas fotos (algumas estão ali em cima). Tem fotos, que não estão ali em cima, que foram tiradas do palco, o Zoom da câmera foi muito gentil com ela rsrsrs

Quando a noite caiu, começaram a passar alguns vídeos no telão. Vídeos da 5SOS, Little Mix <3, Katy Perry <3, entre outros. Eu cantei todas as músicas que eu conhecia e uma coisa que marcou muito, e que eu lembro até hoje quando ouço a música, foi todas as pessoas que estavam no estádio cantando Roar, da Katy. E outra coisa... Entre alguns vídeos e outros passavam alguns anúncios. Depois de um tempo, todo mundo, TODO MUNDO MESMO, haviam decorado os anúncios rsrs

Bom... depois que tanto cantar e gritar por conta dos vídeos, P9 sobe ao palco. Eu sou fã deles, então gritei muito, tanto que, ao final da apresentação deles eu já não tinha voz rsrs
Como qualquer outra banda/cantor, os meninos se atrasaram. E, antes de eles entrarem no palco, caiu uma chuva dos infernos, mas a única coisa que molhou em mim foi o meu cabelo, porque eu havia colocado a bandeira que eu havia comprado amarrada no meu pescoço e tinha tanta gente perto de mim que não permitia que e água molhasse minhas pernas.
Por algum milagre, assim que os meninos finalmente entraram no palco, a chuva parou.
Durante todo o show eu gritei, cantei, pulei, mas, por incrível que pareça, eu não chorei.
Quando o show, infelizmente, acabou, eu fui me encontrar com minha mãe. Assim que cheguei perto dela ela perguntou: “E aí? Gostou?” E eu só sabia dizer: “Eles são tão lindos, tão perfeitos!”. Então minha mãe repetiu a pergunta e eu apenas assenti e a abracei, deixando todas as lágrimas que eu não havia derramado durante tanto tempo, finalmente rolarem livres pelo meu rosto. Foi a primeira vez que chorei na frente da minha mãe por causa desses cinco viados.

Depois que eu parei de chorar, chorar de chegar a soluçar, minha mãe comprou um copo de 500ml de refrigerante para mim, que não havia bebido nada desde oito e meia da manhã, e eu bebi tudo em minutos. Nós saímos do estádio com a minha pessoa dizendo o quanto eles eram lindos e minha mãe dizendo que achou o Liam o mais bonito, já que depois de ver o Zayn pessoalmente ela o achou meio sem graça rsrsrs

Antes de voltarmos para o ônibus minha mãe comprou algo para que eu pudesse comer, já que meus lábios estavam brancos, indicando que minha pressão estava lá no chão pelo fato de eu não ter comido nada durante tanto tempo.

Entramos no ônibus e, quando eu me sentei, senti uma dor enorme nas minhas pernas pelo fato de não ter sentado mais depois que desci do ônibus. A dor era tão forte que eu tive que tomar remédio e dormir pra poder esquecer daquilo.

Bom... Esse foi meu dia em São Paulo. Sofri por causa daqueles viados que eu tanto amo! Mas não me arrependo de ter passado por isso tudo, e digo com todas as letras e com a maior sinceridade do mundo EU PASSARIA POR TUDO NOVAMENTE.

OBRIGADA ONE DIRECTION POR ME PROPORCIONAR O MELHOR DIA DA MINHA VIDA!


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...