~tommoudistraida

tommoudistraida
.just wanna be yours
Nome: Gabs
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil
Aniversário: 25 de Abril
Idade: 13
Cadastro:

Além das Muralhas - Sakura Kinomoto


Postado

☼ Asas da Liberdade ☼



• Nome Completo = Sakura Kinomoto
• Apelido = Kino.
• Idade = Dezoito (18) anos atualmente, sendo que completará seus dezenove (19) anos ainda este ano.
• Data de Nascimento = 23 de setembro.
• Signo = No zodíaco ocidental, é dada como libra, enquanto no zodíaco oriental, é dada como boi.
• Altura / Peso = Mede 1,68 metros, com seus 57 quilos.
• Muralha de Nascença e Distrito =
Com uma pequena quantia herdada de seus pais e aquilo que sua tia cobre, Kirishima se mantém em uma região de classe média-baixa na muralha Maria , em Shiganshina, nascida neste mesmo local.
• Aparência =
Possui heterocromia, assim tendo os olhos com cores diferentes: o direito é âmbar e o esquerdo é ciano. Seus cabelos negros são curtos e comumente vistos presos.






• Personalidade & História= Pelo final de sua infância e começo de sua adolescência, Sakura foi-se completamente emancipada de seus pais, restando apenas a guarda para sua tia, a qual completamente irresponsável, não dava a mínima para a garota e seu pequenino irmão, obrigando-a a descobrir um meio de seguir em frente. Tudo o que aconteceu após este evento tornou-a parcialmente fria, com um alto ego, sendo uma pessoa pouco fechada à primeira mão. Contudo isso não é o que Kinomoto um dia foi, uma menininha simpática e espontânea, sempre destemida e pronta para desafios, os quais caçava sem ver as consequências, coisa que muitos problemas já gerou, sua personalidade carinhosa, mandona, teimosa e extrovertida deveu-se ao fato de ter sido criada em um meio masculino, com a ausência de uma figura materna, a qual era coberta por seu pai, um cara alegre e uma só figura!
Sua mãe morrera em seu parto, além de suas complicações genéticas que a impediam de ter um sequer filho terem surpreendido não só ao seu cônjuge e sua família, mas a sí mesma por ter sido capaz de gerar um feto “saudável”, entretanto havendo grandes complicações na hora de expeli-lo, dando -se a sua morte trágica. Os médicos responsáveis até tentaram salva-la juntamente com seu fruto, aplicando certos remédios extremamente especiais, vindos da muralha de Sina, mas coisas que nada adiantaram. Triste e abalado, seu pai ficara um tempo sem nenhum relacionamento aberto, muito menos fechado, com um longo tempo depois conhecendo uma nova mulher, a qual com ela teve um filho, mas se divorciando pouco depois e consigo ficando a guarda da criança, esta era seu irmão, que na realidade era seu meio irmão.
Mas bem no fundo, ainda há uma chama acesa em seu coração, a qual guarda somente para seu irmãozinho, agora ausente por conta de estudos na segunda muralha. Apesar de tratar a todos dignamente, a chama é só para ele… ou para alguém que sua chama lhe oferecer.
• O que gosta =
Sente-se mais à vontade quieta e em silêncio.
• O que não gosta =
Não se sente à vontade em ambientes muito cheios, com várias pessoas falando;
Não gosta de comidas doces. (...)
• Medo / Fobia = Nenhum, que ela saiba.
• Algum Trauma? = Nenhum.

☼ Dados da Tropa ☼

• Qual tropa você e membro?; Quanto tempo você está nas Tropas?; Por qual Motivo você entrou nas Tropas? =
Com sua personalidade destemida e um tanto quanto exploradora e sem limites, com todas as histórias de gigantes que seu falecido pai lhe contava e de outros que ouvia, sempre demarcou a eliminação das pragas denominadas titãs como uma meta, sempre aprimorando suas técnicas de defesa e ataque de todas as formas, por mais difícil que fosse por suas baixas condições econômicas, logo se destacando no que fazia e pouco depois sendo recrutada precocemente para a tropa de exploração , a qual há pouco adentrou, agora estando apenas em adaptação.

☼ Relação ☼

• Amigos =
Por ser um tanto quanto fechada à primeira mão, as pessoas comumente se afastam de Sakura, não dando-a possibilidade de interagir com o resto.
• Inimigos =
Idem aos "amigos".
• Estranhos =
Está sempre de cara fechada, independentemente com quem for, portanto com aqueles que considerar muito estranhos, pode observa-los e, talvez, agir com algo.
• Forasteiros =
Procura sempre observar exclusivamente estes, considera cada aprendimento à parte especial.
• Gostaria de ter um Par = (Olha, isso depende muito de você, autora, porque, óbvio, a fic é sua, mas caso possa, coloque a Sakura com o Armim?)
• Sua Relação com ele =
Inicialmente não se falavam de forma alguma, Kinomoto sempre evitava diálogo, inclusive com o garoto, por ser muito "infantil", segundo ela. Mas em uma exploração, em que foi arremessada por seu equipamento para uma árvore, onde ficou pendurada por um longo tempo, esquecida e desacordada, o loiro encontrou-a quando estava retornando para as muralhas, e à esse ponto Sakura já havia sido dada como morta, com muita hesitação, pegou-a e levou-a de volta para as muralhas, onde lá, às escondidos do cabo, cuidou dela até que acordasse. Apesar de tudo, a mesma é um tanto quanto orgulhosa, e se negou a agradecer e entender que sua vida havia sido salva por aquele que ela menosprezava. E a partir daí, com muita dificuldade e obrigação do cabo após a consciência do que havia acontecido, houve a aproximação de ambos, e logo uma amizade. Ainda sim, Kinomoto é bastante fechada com Armin, mas já é a pessoa considerada "menos 'nada' confiável".

☼ Dados pessoais ☼

• Sua(s) Musica(s) =



• Sua musica com o Par =

• Algum amuleto de sorte ? =
Apenas seu par de laços dourados usados em seus cabelos. Pode parecer bobo, mas considera importante.
• Frase que Defina seu Personagem =
"Ah, mas ela merece uma morte lenta e dolorosa."
• Algo Mais ? =
Ela possui discromatopsia do tipo deuteranopia, ou seja, ela é daltônica do tipo em que há ausência de cones "verdes" ou de comprimento de onda intermédio, resultando, igualmente, na impossibilidade de discriminar cores no segmento verde-amarelo-vermelho do espectro. Desde que descobriu que era daltônica ela hesita um pouco em falar cores, mas fica feliz em saber que sua visão não é tão ruim ao ponto de ver o mundo todo preto e branco. Ela, quado pequenina, tinha o costume de entregar flores coloridas para as pessoas, com simbologias das cores, quando descobriu que entregava as cores erradas resolveu parar.




Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...