~tommoudistraida

tommoudistraida
.just wanna be yours
Nome: Gabs
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil
Aniversário: 25 de Abril
Idade: 13
Cadastro:

Bui


Postado



Nᴏᴍᴇ ᴅᴏ ᴘᴇʀsᴏɴᴀɢᴇᴍ:

Ishii Syaoran.
Seu nome, Syaoran tem como significado "pequeno lobo", "matilha" ou até mesmo "selvagem". É um nome chinês, devido à atração de seu tio avô pela cultura chinesa, apesar da natalidade japonesa. Enquanto isso, seu sobrenome pode conter diversos significados, mas os mais interpretado pela nação são "piscina de pedras", "pedregulhos pontiagudos" e "buraco fundo". Mesmo com isso, não possui apelidos até hoje.

Iᴅᴀᴅᴇ/Aɴɪᴠᴇʀsᴀ́ʀɪᴏ:

Nascida em Changzhou, cidade populosa da, também, populosa China, em vinte e sete (27) de março de mil novecentos e noventa e sete (1997), é categorizada com ariana.
É um signo positivo, masculino, violento, diurno e animal. Simboliza a exteriorização, a energia, a ação. É este impulso vital que leva o bebê ao nascimento, é o primeiro movimento e o primeiro alento de tudo o que vive.
Governado por Marte, Deus da Guerra na Mitologia Grega, simboliza tudo o que este Deus do Olimpo simbolizava: a guerra, as armas de fogo ou brancas, a velocidade, o fogo, a virilidade, o impulso animal. Marte governa a cabeça, e por causa disso dificilmente os Arianos escapam de ferimentos na cabeça, ou rosto, que sempre deixam uma cicatriz, uma marca desta energia destrutiva e violenta.
Mas o que seria o mundo se não existisse esse impulso vital? As iniciativas, a coragem, o comando, a ambição, o desejo de autoridade e de execução, a realização dos projetos são governados por este planeta e significados pelo Signo, e sem eles nada se realizaria.. Não é à toa que é a primeira casa do Zodíaco, casa do elemento fogo, sem o qual nada se cria.
É neste signo que se encontram a maioria dos esportistas, amantes da velocidade, do risco, e de todas as artes marciais, e também os cirurgiões, ferreiros, os militares ( Marte-Saturno) mas também os assassinos que disparam suas armas de fogo, ou de corte, que dilaceram suas vitimas, assim como fazem os açougueiros com as peças de gado...
Duas faces da mesma medalha? Obviamente, porque os natos deste signo de violência, levados pelo impulso e pela imprudência, agem precipitadamente, sem perseverança, e sem muito controle de suas emoções, se envolvendo em brigas, e acidentes. O impulso que os leva a ter um espírito de luta, decisão, iniciativa e liderança, também pode ser descontrolado e perigoso.

Aᴘᴀʀᴇ̂ɴᴄɪᴀ:


Com seus apenas um metro e cinquenta e cinco de altura (1,55 metros), cabelos castanho escuro curtos na altura de seu queixo, lisos, olhos puxados e rosto levemente ovalado vindos do pai. Mãos de dedos longos e costumeiras unhas compridas, sempre esmaltadas de cores e desenhos diferenciados, pernas bem torneadas, lhe proporcionando o direito de andar quando quiser com saias. Tem um busto na medida certa e sente-se confortável com o corpo que possuí. Nem muito, nem pouco. Têm lábios de um rosa natural, algo que ela confessa ter descoberto que várias garotas têm inveja. Gosta de usar maquiagem na medida certa, para realçar seus traços e a boca um pouco volumosa a qual ela costumeiramente se adaptou à gloss colorido e batons mais escuros. Sempre está usando rímel, delineador e lápis de olho.
Mostrar Spoiler: Lee Hyeri







Pᴇʀsᴏɴᴀʟɪᴅᴀᴅᴇ:

Resumidamente sádica. É um tanto quanto quieta e fechada, gosta de trabalhar com olhares. Costuma dizer que os olhos negros que possuem são como um buraco negro de sentimentos e emoções, tudo engole, nada devolve. Portadora de roupas vitorianas mais atuais, nada de muito extravagante, esconde por trás de uma fachada de semblante simplório e polido características psicóticas e distúrbios mentais.
Nunca foi alguém de muitas palavras. É como se, desde a infância, fosse amadurecida por uma alma tão negra quanto seu olhar. Julga tão facilmente como seus sentimentos encobertos pesam sua consciência. Apesar de tudo é bastante sentimental, mesmo que emoções não sejam seu forte. Geralmente a população chora de demasiadas emoções, Syaoran multila. Multila-se assim como faz com o próximo. Talvez esse seja um dos motivos para se isolar tanto. Mesmo que não se repreenda ou sinta remorso por machucar fisicamente e/ou mentalmente alguém, escolhe por mante-se longe para não gerar confusões ou sentimentos que pesem sua mente tardiamente.
Como todos os vilões possuem seu lado bom, Syaoran se difere por esse pequeno detalhe. Não possui um lado bom, ou mesmo nunca se revelou. Na verdade, nenhum de seus lados realmente se revelaram. Seu lado ruim sempre foi encoberto pela carapuça que a sociedade lhe impôs como alguém demasiadamente tímida e antisocial. E teme por ser descoberta. Teme por ter tanto com o que se preocupar.
Veste-se à moda vitoriana gótica moderna. Nada muito extravagante, mas definitivamente chamativa. Isso foi algo que formou-se “do nada”, porque não foi sempre que seu vestuário era desta forma, muito menos teve influências.


Gᴇ̂ɴᴇʀᴏ/Oʀɪᴇɴᴛᴀçᴀ̃ᴏ:

Define-se como nada. Cientificamente e socialmente seria definida como assexual. Pessoas com tendência para o assexualismo são aquelas que não se identificam no quesito de desejo sexual ou amoroso, nem com homens nem com mulheres. Raríssimos são os casos de relações amorosas com assexuais envolvidos, pois nem mesmo namoro são de seu interesse. Tendem a admirar pessoas que não se interessam por elas e/ou respeitam seu posicionamento.

Hɪsᴛᴏ́ʀɪᴀ:

Seu ambiente de crescimento sempre foi propício para tê-la como é nos dias de hoje. Seu pai, Yoonsop, era alguém muito silencioso. Pouco falava, quanto mais interagia com a filha. Sua mãe, Moonyoung, era como a mesma situação, mas se diferia na interação. Falava, sim, com Syaoran, entretanto seus diálogos eram agressivos. Não batia na filha, mas a repreendia em tudo o que fazia, por mais que a pequenina garota tentasse agrada-la. E não havia interferência paterna. E por mais que nunca houvesse chorado, o semblante transparecia amoado, indiferente e sério, em qualquer situação. E foram os anos até completar seus onze anos. Seis meses certos após o seu aniversário seu pai demorou para chegar do trabalho mais do que o de costume. Sempre demorava. E muito. Saía de casa por volta de 5:30 da manhã e voltava 0:20 do dia seguinte. A filha nem a mulher davam importância para o horário, julgavam ser apropriado, já que devia sustentar a adolescente e a mulher, a qual negava arranjar um emprego. Mas ele não chegou na hora prevista. E nem no dia seguinte. Syaoran, que sempre o esperava, não dormiu em ambos os dias. Poucos dias depois sua mãe finalmente contou-lhe o ocorrido; estava bêbado, o carro colidiu com uma casa. Nem mesmo neste estado chorou. Apenas mais se isolou. A partir daí parou de tanto se importar com os julgamentos da mãe ou com os conselhos dos dois amigos que ainda tinha na época.
Tardiamente, sozinha descobriu que sua mãe mentira. À procura de dinheiro, como sempre fazia, mexendo nas gavetas da mãe, achou um envelope azul aveludado, o qual dentro possuía uma carta já amassada e cheia de rasgados com a letra do seu pai. Não se recorda, muito menos fez questão, do que exatamente dizia, mas seu pai disse que sempre amou-as, a mulher e a filha, e que sente-se inútil para qualquer demonstração que fosse. Era um homem bom, mas, ao ver de sua filha, apenas trouxe-a mais desgraças. Suicidou-se sem aviso prévio, apenas uma mísera carta. E que provavelmente comprou na banca da esquina da rua.
Muito competitiva e vingativa, já foi expulsa uma única vez da escola, a qual pouquíssimos anos depois foi aceita novamente. Não por sua inteligência, essa ausenta infelizmente em boa parte das situações, mas por seu teatro. Apesar da falta de percepção e raciocínio lógico rápido, sabe bem manipular as pessoas. Sem a consciência de sua mãe, se inscreveu vendendo-se para uma experiência no interior da Coréia do Sul e, com o dinheiro ganho com a venda do seu corpo para desconhecidos, a alta quantia foi dada para sua mãe como uma representação da carta que seu pai fez. Em sua mente, isso que fez era um suicídio, mas bruscamente menos egoísta do que de seu pai. Saiu de Changzhou, China, apenas para seguir algo que, pela primeira vez na vida, acreditou valer a pena. Definitivamente adora testes psicológicos e deseja ser destaque.

Gᴏsᴛᴏ:

–Comidas salgadas e bebidas gasosas;
–Estar sozinha;
–Estar no comando;
–Competições;
–Perfeição em tudo aquilo que faz.
NÃO
–Lugares cheios e barulhentos;
–Contato físico;
–Cuidados consigo;
–Diálogos muito longos;
–Comidas doces.

Hᴀʙɪʟɪᴅᴀᴅᴇs:


Persuasão é o seu forte. Tudo o que envolva com a mente humana é algo interessante e chamativo para Syoaran. Gosta muito de usar a força mental à força física, o que não é muito seu paraíso. Apesar disso, é militarmente própria para manusear armas, sendo as brancas suas prediletas, ainda mais soco inglês. Não é muito rápida é perceptiva, mas é muito boa como pistoleira, por exemplo. Aos seus trezes anos se auto inscreveu em uma academia escolar militar masculina, na ficha passando-se como um homem, mesmo que nas aulas tranquilamente mostrava-se uma mulher pura. Lá aprendeu autodefesa e ataques. Ataques corpo a corpo dificilmente aprendeu, sendo quase um fracasso, mas manuseamento de armas era destaque.

[x] Solo
[x] Dupla
Iniciou como solo, mas, tardiamente, viu-se obrigada a unir forças. Apesar disso, seu plano principal é ganhar de tudo e todos, e não mediria forças para isso, nem que precise traír companheiros. De toda forma, nunca foi de ter muita empatia, pelo contrário, seu gosto é desgraça alheia.


ʀᴇʟᴀçᴀ̃ᴏ:


Yoongi foi a primeira pessoa que viu no percurso do labirinto, estava sozinho, assim como a garota. Por instinto, o garoto tentou mata-la. Mata-la de diversas formas. Mas o único resultado que tomou foi uma gigantesca cicatriz na coxa da garota. (Deixo-lhe fazer a situação hehe). A partir disso, Syoaran caça-o para uma matança. No momento em que o encontra caçando um veado, a morena decide por persuadir o garoto. “Uniremos forças.” Infelizmente, acabou por uma grande aproximação por parte dele.


Mostrar Spoiler: Participantes

Nunca as viu. Caso o fizesse, iniciaria uma matança, provavelmente.


Sᴀɪʀ:

Yoongi sempre falava à garota que saíria daquele lugar. E nunca mudou de ideia, diferentemente da garota, que ansiava por permanecer. Mas um dia o garoto finalmente conseguiu sair, a abandonando. Mais um longo tempo ela ficou naquele lugar, alimentando um ódio incontrolável, até tomar por sair de lá e procurar pelo ex companheiro.

Exᴛʀᴀs:

Faz como a copa tribruxo do Harry Potter, hehehe



Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...