~tommoudistraida

tommoudistraida
.just wanna be yours
Nome: Gabs
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil
Aniversário: 25 de Abril
Idade: 13
Cadastro:

Yang-Min


Postado



Sᴏʙʀᴇ ᴏ ᴘᴇʀsᴏɴᴀɢᴇᴍ:


̲ɴ̲ᴏ̲ᴍ̲ᴇ̲ ̲ᴅ̲ᴏ̲ ̲ᴘ̲ᴇ̲ʀ̲s̲ᴏ̲ɴ̲ᴀ̲ɢ̲ᴇ̲ᴍ̲


Kim Yang-Min (김 양), seu nome veio da Coréia,graças aos céus que seu pai não deixou sua mãe colocar um nome Americano em si, nada contra, mas realmente acha lindo os nomes coreanos. Kim tem o significado de ouro, ou dourado, representando assim uma certa riqueza, segundo o seu pai, quando a mesma nasceu para ele foi como se tivesse ganhado um ouro, foi a maior riqueza de todas. Já Yang-Min, tem como o significado “rosa”, e talvez seja isso que a garota seja uma verdadeira rosa. A mesma gostem que a chamem de Min.

̲ɪ̲ᴅ̲ᴀ̲ᴅ̲ᴇ

Nasceu no dia 2 de Abril de 1998, tendo seus dezoito aninhos, é do signo de Áries. O ariano geralmente é alguém honesto, determinado, corajoso, apaixonado e impulsivo.

Nᴀᴄɪᴏɴᴀʟɪᴅᴀᴅᴇ:

Nasceu na Coréia do Sul, na queridíssima Busan, porém fora morar em Seul quando ainda era um bebê.

Sᴏʙʀᴇ ᴀ ғᴀᴍɪ́ʟɪᴀ:

Família de fato não é algo que Yang-Min costuma conversar, a forma a qual age com tudo no mundo tem tudo a ver com os problemas familiares. Sua mãe é uma modelo, e nunca tinha tempo de ficar com a garota, além de que tentava deixar a filha a sua cópia, forma de andar e de vestir-se, segundo a ela, Yang-Min deveria portar-se como uma verdadeira “garota”, além de ouvir as várias baboseiras que sua mãe lhe dizia. Seu pai, sem dúvida já foi um de seus melhores amigos, portanto hoje em dia não tem tanto contato com ele. E sim, os pais de Yang-Min se separaram, desde quando a mesma tinha três anos. O resto de sua família não se importa consigo, então de fato Yang-Min e sua família é bem distante.

̲ᴘ̲ᴇ̲ʀ̲s̲ᴏ̲ɴ̲ᴀ̲ʟ̲ɪ̲ᴅ̲ᴀ̲ᴅ̲ᴇ


Impulsiva ― Costuma agir por impulso, isso muitas vezes acaba fazendo com que sinta-se arrependida pelas suas atitudes.
Impaciente ― Sua impaciência faz com que muitas vezes as pessoas acabam irritando-se com ela. Esperar pelo tempo nunca fora um dos hobbys de Yang-Min. Sabe aquele tipo de criança que pergunta a cada um minuto se chegou a determinado lugar? Pois bem, esse tipo de criança é Yang-Min. Pessoa mais impaciente do que ela não há!
Ironia― Um dos hobbys dela é ser irônica com qualquer pessoa, seja ela seu melhor amigo ou não. Yang-Min é uma pessoa que não atura perguntas bobas. Tanto que quando as pessoas pedem uma resposta não irônica ela logo diz “Se a pergunta não for idiota, eu respondo normalmente”. Não que ela seja uma mal humorada, na verdade ela gosta de implicar com as pessoas mesmo, não que ela seja um rebelde é só uma diversão dela.
Observadora― Se não tem algo que Yang-Min gosta muito de fazer, de fato é observar as pessoas. Ela gosta de analisar cada pessoa que passa pela sua frente, tentando descobrir seus medos, suas ansiedades, tudo que trabalhe com a mente das pessoas ela gosta de observar. Tanto que muitos de seus amigos acreditavam que ela iria cursar psicologia porém, como ela cuidaria da mente dos outros se a sua é a maior bagunça?
Protetora―Sem dúvidas este lado de Yang-Min deixam todos surpresos, pois a garota não é “A rebelde com coração frio” muito pelo contrário, Yang-Min tem um enorme coração com aquelas pessoas que realmente a faz sentir bem. Yang-Min é muito protetora com seus amigos, costuma os defender muito e sempre arranja uma solução. É inevitável, mesmo que o amigo esteja no fundo do poço ela vai tentar procurar uma corda para puxa-lo. Esse lado de uma maneira é positivo como negativa, pois dependendo da pessoa, Yang-Min pode ficar super protetora o que acaba gerando algumas discussões.
Orgulhosa― Admitir que está com ciúmes? Jamais. Sim, ela é muito orgulhosa e todos percebem isso. Dificilmente ela consegue enxergar seu erro, e se conseguiu ver seu erro, ela simplesmente declara que mesmo assim está certa. Obviamente isso acaba gerando discussões.
Confiança― Uma de suas poucas qualidades, sem dúvidas é a confiança. Pode ser difícil para você tentar confiar na Yang-Min, porém a garota é de total confiança, tanto que todos os segredos que seus amigos lhe contaram ainda estão bem guardados, ela é do tipo que pode perder uma amizade por causa de um segredo. Pois sim, ela tem pequenos problemas com promessas, e quando promete ela sempre cumpre.
Sensível― Apesar de sempre querer mostrar o oposto, Yang-Min é muito sensível, no momento ela pode ficar calada ou até mesmo dizer poucas e boas para o individuo, porém depois ela lembra de todas as palavras que a machucaram e acaba fazendo algo que tem vergonha: Chorar. Ela chora sozinha e acaba culpando a si mesma por ser tão idiota.
Yang-Min é uma confusão de pessoa, realmente a primeira impressão é que ela é uma garota um tanto desleixada e audaciosa, e sim ela adora uma audácia, porém no fundo sempre tem uma explicação para tais ações. E com ela não é diferente.

̲ʜ̲ɪ̲s̲ᴛ̲ᴏ̲́ʀ̲ɪ̲ᴀ

https://encrypted-tbn2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRY_XvnIf9hOj8ekRSqiEP9LkHywWi1_jaVdBIx39pWuayBlB22ww
O dia estava lindo, de fato estava um dos dias mais lindos do mundo. Era outono, e Yang-Min amava outono de uma forma que não conseguia simplesmente explicar. Seus lábios eram mordidos brevemente, a pequena segurava a mão gigantesca de seu pai, enquanto focava na sua bota vermelha, esta que amassava as pobres folhas que caíam. O sorriso da pequena ia de orelha para a orelha, porém seu pai parecia bastante focado em algo. Ele não tinha o sorriso quadriculado que só ele conseguia dar, e seus olhos não brilhavam e faziam as meias luas. Começou a chover, Yang-Min correu, e ficou pulando em cima das folhas molhadas que salpicavam para todo o canto, seu pai estava parado em uma árvore com um guarda-chuva, ele chamou pela menina e a mesma veio em sua direção. A chuva intensificou-se mais ainda, as mãos da pequena abraçavam as pernas de seu pai, este que simplesmente era muito alto, e Yang-Min era tão pequena e delicada que precisava erguer a cabeça para encarar seu rosto.
― O papai precisa conversar sério com você – A menina não deixou de ouvir a voz rouca de seu pai. ― O papai vai ter que morar em outra casa...
― Vamos mudar para uma casa mais simples?! – Empolgou-se enquanto abraçava mais ainda as pernas de seu pai. ― Abŏji vamos morar em um lugar menor?
Um carro conhecido ficou parado esperando certa criança entrar. O pai de Yang-Min suspirou brevemente, alisando os fios de sua filha.
― Olhe, o papai vai morar em outra casa, sozinho. – Viu o bico os olhinhos querendo derramar pequenas lágrimas. ― Nós vamos se ver, não todo o dia, é complicado explicar para você, por Deus você é tão nova. Mas eu e a sua mãe, nós não nos entendemos mais, e então vamos morar em casas diferentes, mas você vai ver o seu pai eu prometo! – Apontou o dedo mindinho.
― Promete de mindinho?
― Prometo!
E pequenino dedo e o enorme dedo se enlaçaram fazendo uma jura muda. Teve um abraço final, um beijo final, e lágrimas eternas. No momento em que a criança entrou no carro, as lágrimas saíram de uma forma tão intensa que ela não conseguia respirar normalmente, e o céu chorou consigo.
Pois a promessa, não fora cumprida.
[...]
Viver com a sua mãe não era uma das piores coisas do mundo – raramente a mesma encontrava-se em casa –, sendo assim Yang-Min sempre ficava com a Nana, sua babá. E claro, que muitas das vezes ela não podia sair para brincar no espaçoso parque que se encontrava no bairro. Apesar de ser de uma família rica, Yang-Min insistira para que sua mãe escolhesse uma casa em um local mais calmo e sem muitas riquezas, vivia em um bairro de classe média e era melhor assim. O curioso, é que tinha uma vizinha a qual observava pela sua varanda, ela sempre parecia livre, enquanto Yang-Min sentia-se como um pássaro em uma gaiola. Ela nunca falou com a garota, pois as amigas que sua mãe “arrumava” eram interesseiras e sem graça. Então, Yang-Min passava o tempo todo em casa observando as outras crianças brincarem, e em especial a sua vizinha. Ela nem se quer sabia o nome da mesma, nunca parou um momento para conversar com ela. E curiosamente, o destino costuma brincar com as pessoas. E o destino brincou, diversas vezes com a Yang-Min
[...]

Riu com os seus amigos, e correram em direção ao espaçoso jardim que sua casa tinha. A bola estava debaixo de seus braços, aquele dia estava um sol forte, perfeito para a brincadeira com seus amigos. Sim, amigos em quesito de gênero masculino, os únicos amigos que Yang-Min tinha, sua mãe costumava reclamar com ela sobre tal coisa, e até mesmo algumas meninas do bairro estranhavam. “Oras, por que aquela garota está com os dois meninos jogando bola?” Sempre ouvia as pessoas comentando sobre isso, e a menina ignorava as palavras desses adultos bobões.
A bola foi posicionada no centro, e então começaram a típica brincadeira. A bola alcançou os pés de Yang-Min, a garota esbravejou um “Bando de mariquinhas” com seus amigos, ela riu, eles riram, sempre tinham esse clima relaxante.
Jazia mais de vinte minutos que as crianças jogavam de bola, o sol estava mais quente ainda, os corpos estavam suados e grudados na camisa, Yang-Min pegou a bola pela quinta vez da partida de jogo e passou para o Tae.
― Hyung, passa pra’ mim! – Esbravejou a garota, e logo não deixou de ter a bola novamente em seus pés.
O que não esperava de fato era encontrar o Sung bem a sua frente querendo pegar a bola de si.
― Dongsaeng, chuta! – Berrou Tae para a garota.
E ela chutou, o que não esperava, de verdade era que a bola voasse em direção à cabeça de sua vizinha. Ela caiu no chão, uma situação cômica, Yang-Min e seus amigos riram, ela massageava a cabeça e fazia uma careta nada bonita.
― Vou pegar a bola, Hyungs! – Exclamou enquanto corria em direção à bola e a garota sentada no chão perdida.
Pegou a bola e colocou debaixo de seus braços.
― Foi você! Por que me atacou? – A garota bonitinha questionou.
Yang-Min fechou a cara, a menina fazia recordar das tais amigas falsas que sua mãe trouxe para sua casa.
― Não, imagina, foi o Batman! – Bufou. ― Você tá’ bem?
A menina sorriu para Yang-Min, e estendeu a mão, provavelmente pedindo uma pequena ajuda para levantar-se. Yang-Min encarou a mão, portanto nada vez, fazendo com que a garota branquela abrisse a boca surpresa, então ela levantou-se limpando seu vestido florido. Seu cabelo era sedoso e brilhante, e estavam presos em uma trança de lado. Enquanto o cabelo de Yang-Min estava todo bagunçado e preso num rabo de cavalo mal feito. A menina sorriu novamente, o que fez Yang-Min ter vontade de quebrar a cara dela todinha. Por que estava tão sorridente? Isso há irritava um pouco.
― Você não vai reclamar? – Perguntou Yang-Min.
― Reclamar por quê? Foi só uma bola! – Sorriu mudo. ― Eu sou a Mi...
― Não me interessa – Bufou virando as costas. ― Você me irrita, essa trança, e esse vestido, são muito mariquinha.
E novamente a menina ficou com a boca no chão.
[...]

Hey, I was doing just fine before I met you


A noite pairava no pequeno bairro, Yang-Min estava sorridente quando finalmente chegou ao salão de festas, para comemorar o dia das crianças, as mães do pequeno bairro decidiu fazer uma animada festa de fantasia, infelizmente a mãe de Yang-Min não queria que a garota fosse, porém uma sessão de fotos surpresa surgiu,e sua mãe agora estava em um aeroporto indo diretamente para a Tailândia, sendo assim, sua babá conseguiu levar a garota para a tal festa. Todas as crianças do bairro estavam lá, menos os seus queridos amigos que tiveram que viajar com os seus pais para a China.
Sendo assim, a menina estava solitária, contudo encontrava-se feliz, pois tinha muito doces e ela amava doce. Quando entrou no salão e avistou aquele tanto de meninas vestidas de princesas, não deixou de rir. Olhou para sua fantasia. Homem de Ferro. Estava fantasiada de homem de ferro, no começo algumas meninas juravam que de fato era um menino por trás daquela mascara, porém, ao virar de costas era possível ver seu cabelo longo balançar consigo. Todas as garotas ficaram assustadas. Inclusive muitas riram de si, Yang-Min pouco se importou, e atacou os doces da mesa. Foi quando sentiu um perfume enjoativo, não deixou de encarar para a garota com um sorriso belo. Olhou para a fantasia: Branca de neve. Riu, enquanto encarava a sua vizinha.
― Por que está rindo? – Questionara a pobre coitada.
― Essa fantasia ficou engraçada em você. Acho que você combinaria com outra coisa. – Murmurou.
A menina olhou para seu vestido de branca de neve e novamente sorriu com os braços para trás.
― Eu gosto de super heróis. Essa fantasia está desconfortável... – Resmungou a menina.
Yang-Min sorriu sugestivo.
― Que tal Capitão America? – Apontou para sua babá que estava com uma pequena mochila. Sua vizinha sorriu assentindo.
― Ah, quem é você mesmo? – Questionou curiosa.
― Prazer, Eu sou a MinKyung.
― Eu sou a...
― Yang-Min, você é a Yang-Min.
E mesmo sem querer, Yang-Min acabou encontrando o seu Capitão America.
[...]

But I'm okay


― Você o que?! – Encarou agora sua melhor amiga.
― Eu ainda preciso contar para as outras... – MinKyung respondeu pensativa.
― Unnie você não pode simplesmente ir embora! – Segurou sua mão. ― Você prometeu!
MinKyung não deixou de suspirar.
― Eu não tenho culpa ok? Eu não posso simplesmente fugir! – Riu. ― E nós não somos mais crianças. Espanha é um lugar legal e, eu vou me dar bem lá.
Yang-Min levantou-se bruscamente da grama, as lágrimas já rolavam em seu rosto.
― Todos que eu amo sempre me fazem promessas, mas nunca as cumpre! – Gritou.
E ela realmente não esperava uma discussão surgir, ela de fato não esperava.
[...]

I know it breaks your heart


Seu coração estava tão partido que chega doía, os pequenos olhinhos pareciam perdidos. Yang-Min segurava as caixas com tantas fotografias que tirou não só com Yang-Min mas com o quarteto mágico e unicornizado – como elas costumavam chamar – ela pegou foto por foto, e encarou cada momento, cada lembrança naquelas pequenas fotografias, e mais uma vez sentiu seu mundo meio que sem sentido, segurou firmemente a carta, a maldita carta que ela deveria ter entregado quando disseram adeus, quando MinKyung foi para a Espanha, ela deveria ter entregado a maldita carta, porém estava tão irritada com o que ocorreu, com a tal briga que tiveram que simplesmente não conseguiu entregar. Nem se quer conseguiu abraçar ela quando todas estavam se despedindo.
Em uma noite em particular, Yang-Min cometeu um erro, ela se sentiu culpada. Porém o lábio doce de sua amiga estava tão bem encaixado com os seus que não pensou mais em nada naquele momento. Mãos audaciosas passavam sobre ambos os corpos, porém logo ambas perceberam o pequeno erro. Yang-Min não conseguiu dizer nada, chorou no colo de sua amiga e no final acabaram dormindo juntas, felizes porém com corações apertados com uma sensação estranha.


̲ᴀ̲ᴘ̲ᴀ̲ʀ̲ᴇ̲̂ɴ̲ᴄ̲ɪ̲ᴀ

Yang-Min tem 1,64 sendo considera uma garota mediana. Seu peso é algo que ela não se preocupa, mas já digo: É magra de ruindade mesmo. Yang-Min adora mudar de visual, já teve o cabelo de diversas cores, e atualmente seus fios são tingidos de uma vermelha chamativa cor de cereja. Gosta de usar lentes, e as suas favoritas são as de cor cinza e esverdeada. Seu rosto é pequeno e delicado, infelizmente puxou a sua mãe, e por isso costuma não ficar muito ao natural, sempre mudando de visual constantemente. Seus lábios são finos e delicados, possui um tom róseo de leve, este que muitas vezes é passado um batom mais intenso. Não que ela seja apaixonada por maquiagens, mas se maquia quando tem vontade de fazer tal ato, e muitas vezes se arruma para ir para a balada. Seu nariz é longo e um tanto fino nas laterais, e infelizmente não tem muitas bochechas. Sua sobrancelha não é muito arqueada, e seus olhos sem dúvida é uma das partes mais infantis de seu corpo. O corpo não é volumoso, não tem muito busto e nem muita bunda, o que mais tem é cocha. Sua cintura é um tanto larga. Em quesito de o que costuma usar, Yang-Min gosta de calças e shorts principalmente com detalhes rasgados. Raramente usa salto, costuma usar sapatos e sapatênis. Sua cor favorita é vermelho e branco.

̲ɪ̲ᴍ̲ᴀ̲ɢ̲ᴇ̲ᴍ̲﹕




̲ᴘ̲ʜ̲ᴏ̲ᴛ̲ᴏ̲ᴘ̲ʟ̲ᴀ̲ʏ̲ᴇ̲ʀ̲﹕

Kim Ye Rim, (Yeri – Red Velvet)

̲ᴄ̲ᴜ̲ʀ̲ɪ̲ᴏ̲s̲ɪ̲ᴅ̲ᴀ̲ᴅ̲ᴇ̲s̲﹕


☁ Tem um piercing na lingua. Feito quando tinha apenas 15 anos de idade, o começo de sua mudança visual.
☁ Já teve piercing nos lábios, smile e septo.
☁ Tem sérios problemas com promessas.
☁ Pretende fazer tatuagens
☁ Sabe tocar piano,violino,violão, guitarra e bateria.
☁ É fluente em duas línguas: Mandarim e Japonês.
☁ Teve uma época que cada dia ela estava em um país diferente, por causa de sua mãe.
☁ Gosta de crianças grandes, fica desconfortável com crianças pequenas.
☁ Pratica arco e flecha, além de natação.

̲ᴇ̲x̲ᴛ̲ʀ̲ᴀ̲s̲﹕


ᴇ̲x̲̲ᴘ̲ʀ̲ᴇ̲s̲s̲ᴀ̲ᴏ̲


Em uma tentativa falha, tenta conter a emoção, tentando esconder o sorriso e a expressão de felicidade. Como mania, assim como quando está triste ou com sono, toma a enrolar madeixas.


Idem a feliz. Não deixa de jeito nenhum transparecer triste, vai sempre ser dura e aparentar fria, cala-se e retira-se.


Toma a bater os pés, cruza os braços e faz bico.


ᴍ̲ᴇ̲ᴅ̲ᴏ̲s̲

Possui dois medo tido como demasiadamente exagerado e mentalmente problemático por diversos psicólogos, sendo estes de escuro e lugares apertados e muito fechados.

ʀ̲ᴏ̲ᴜ̲ᴘ̲ᴀ̲

Mostrar Spoiler: Dia a dia


Mostrar Spoiler: Para tomar banho



Mostrar Spoiler: Para encontros com o par

*Formal:


*Pijama:


*Festas:




ʀ̲ᴇ̲ʟ̲ᴀ̲ᴄ̲ɪ̲ᴏ̲ɴ̲ᴀᴍ̲ᴇ̲ɴ̲ᴛ̲ᴏ̲s̲

Mostrar Spoiler: o seu par

Em sua infância, Yang-Min tinha uma amigo chamado Kim Taehyun. Alguém muito querido, com quem passou os momentos mais felizes agora. Mas após uma mudança repentina para a china, os amigos desfizeram contato. Felizmente, após a matrícula na nova escola em Seul, Taehyun havia feito o mesmo, por conta de outra mudança repentina familiar. Assim puderam retomar amizade. Coincidentemente, Taehyun apresentou-lhe um amigo, Min Yoongi, o qual não facilmente obtiveram muita intimidade. Foram necessárias brigas por bobas coisas para se aproximarem e realmente conhecerem um ao outro.

Mostrar Spoiler: Com as amigas

Não costuma ter amizades após as decepções com anteriores, sendo, na maioria das vezes, isolada de tudo e todos. Raros são os momentos de interação, visto que estes se devem inteiro e exclusivamente a Taehyun e/ou Yoongi.

Mostrar Spoiler: Com os colegas

Idem acima.

Mostrar Spoiler: Com as inimigas

Idem acima. Não há oportunidades de inimizade.


ᴘ̲ᴀ̲ʀ̲

Min Yoongi

ʀ̲ᴇ̲ʟ̲ᴀ̲ᴄ̲ɪ̲ᴏ̲ɴ̲ᴀᴍ̲ᴇ̲ɴ̲ᴛ̲ᴏ̲ ʜ̲ᴏ̲ᴛ̲ ᴄ̲ᴜ̲ᴛ̲ᴇ̲

Ambos, mas predominantemente cute.

ᴍ̲ᴀɪ̲s̲
☁O primeiro encontro entre o casal foi na lanchonete da escola, onde Yoongi pagou por dois sundaes, um para cada. O garoto até mesmo tentou beija-la, mas com a demasiada vergonha, a garota esquivou-se.
☁Quando iria, supostamente, acontecer o primeiro beijo do casal, Taehyun entrou no quarto de Yang-Min a procura de seus fones, atrapalhando-os e gerando uma situação constrangedora e incrivelmente engraçada.




Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...