~LadyRawberry

LadyRawberry
Not the "lovey dovey" type
Nome: Strawberry
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 3 de Maio
Idade: 15
Cadastro:

Ficha para a Fanfic: You aren't the universe center


Postado

Ficha para a Fanfic: You aren't the universe center

"Até onde você iria por sua vingança?"


☆★ Ficha ☆★


Nome real Haruki Sakurai

★ Significado do nome ★
• Haruki: Significa "árvore da primavera."
• Sakurai: Significa “Poço da cerejeira”


Nome falso Haruka Hayashi

★ Significado do nome ★
• Hayashi: Significa “Bosque”

• Haruka: Significa "distância"


Apelidos:Haru

Significado de Haru:"primavera"

• Geralmente quando se identifica com alguém ela pede a esta pessoa que a chame apenas de “Haru”, pois considera uma forma de aproximar-se das pessoas que gosta.


GêneroFeminino


Idade: 14 anos

★ Aniversario ★ 24 de outubro

SignoEscorpião


Descrição do signo

Escorpião é um signo intenso, com uma energia emocional única em todo o zodíaco. Ainda que possam parecer calmos, os escorpianos têm uma agressividade e magnetismo escondidos internamente. São afáveis, sociáveis, reservados, corteses e, ainda que pareçam estar um pouco afastados da ação, em realidade estão observando tudo com seu olhar crítico.


Personalidade


Obs: Por vezes ela age como uma Dandere, podendo também ser uma personagem muito Kawaii (Ou seja Moe)


Haru tem uma personalidade um tanto “distorcida” por assim dizer. Podendo até mesmo demonstrar uma segunda personalidade alguns raros momentos.
Haru é uma pessoa muito inteligente, corajosa, determinada, decidida, um pouco tímida, fofa e possui uma mentalidade muito madura e forte para sua idade, oque faz com que ela raramente sinta-se abalada com algo.
A maior parte do tempo ela pode ser reservada, entretanto demonstra para todos ser uma pessoa muito educada, adorável, gentil, calorosa e dedicada. Ela raramente demonstra entusiasmo com algo e apenas sorri gentilmente quando algo a agrada, quando a jovem acaba por baixar sua guarda, por vezes é possível ver seu lado infantil, por assim dizer.
A jovem não fala muito sobre si com os demais e diz preferir não tocar no assunto familiar, sempre que questionada por que está na mansão ela afirma ter fugido de casa e da relação abusiva com seu padrasto.
Essa garota de aparência inocente é ótima em contar mentiras, entretanto ela por vezes pode cair em contradições. Mesmo sendo uma pessoa focada em sua missão e por vezes sínica, ela também pode ser um tanto espontânea e agir de forma muito natural quando se sente mais a vontade.
Sua aparência e personalidades infantis, frágeis e inocentes são uma de suas maiores armas, é impossível suspeitar que esta garotinha teria coragem de ferir outras pessoas ou tramar qualquer coisa. Seu charme está neste seu lado frágil, ela está decidida a seduzir Subaru até que o mesmo baixe a sua guarda e confie plenamente nela ou até mesmo conquista-lo. A garota nem ao menos desconfia que também acabe por desenvolver sentimentos por ele, oque virá a dificultar e muito manter o seu disfarce.
Quando faz algo errado ela recorre a sua “fofura”, algo como:
“E-eu não fiz de propósito... Por favor, não me odeie...”
Sua facilidade de manipular as pessoas também é algo tão perigoso quanto a sua encenação, podendo convencer facilmente as pessoas a fazerem oque ela deseja e sutilmente fazer com que eles sirvam os seus propósitos.



Aparência


Ela é uma garota de estatura baixa e físico magro, não possui busto muito farto ou pernas muito torneadas oque dão a ela um aspecto mais jovem.
Seus cabelos lisos e de um tom claro de louro vão até a altura de seus ombros, ela usa um corte não muito repicado, franja acima de seus olhos e geralmente amarra uma pequena parte de seu cabelo para o lado deixando o restante solto. Seus olhos por sua vez, são de um tom amendoado próximo ao castanho claro, sua pele é muito clara e seus lábios são um pouco finos, não sendo exageradamente finos ou grossos.




• Altura: 1,62
• Peso: 43 kg
• Cor do cabelo: Louro claro
• Cor dos olhos: Amêndoa
• Físico: Magra
• Pele: Clara



[Imagens]











Oque é na Historia?

Haru é uma “viajante”, porém diferente de muitos ela sabe exatamente onde está indo. Seu objetivo e vingar a morte de sua irmã, que foi uma das escolhidas como oferenda aos vampiros. Mais especificamente Subaru Sakamaki, o objetivo da jovem é desde o princípio é mata-lo e pretende usar de qualquer método possível para isto. Ao descobrir da existência da adaga de Subaru, Haru toma a decisão de mata-lo usando sua própria arma contra ele.


Passado


[Resumo prático]


Haru e sua irmã mais velha Katsumi viviam com sua avó desde a morte de seus pais quando Katsumi tinha apenas 14 anos e Haru 11, os pais das garotas reagiram a uma tentativa de assalto em sua casa quando as filhas estavam na escola. Os responsáveis pelo crime nunca foram encontrados e o caso foi arquivado.
Elas viveram juntas até o aniversario de 17 anos de Katsumi, que durante a primavera daquele mesmo ano mudou-se para a mansão dos Sakamaki, segundo a avó das garotas ela teria um casamento arranjado com um dos rapazes. A mais velha recusou-se no primeiro instante, entretanto mais tarde ela descobriu que não tinha escolha se não ir para a mansão, sua avó não parecia contente com isto e não tinha coragem de olhar nos olhos de sua neta. Algo nesta situação dizia para Katsumi que ela deveria fazer oque lhe mandavam, e foi exatamente oque a maior fez.
Ela despediu-se de Haruki com a promessa de que voltariam a ver-se, porém isto nunca aconteceu. Depois de três anos que sucederam a partida de sua irmã a jovem nunca recebeu nenhum sinal de que sua irmã mais velha estava bem ou de que a mesma voltaria algum dia.
Ao escutar as escondidas a conversa de sua avó com um homem desconhecido, ela descobriu que sua irmã estava morta. E ao ouvir as frases de fúria de sua avó ela descobriu que os responsáveis por isto eram os próprios Sakamakis, mas precisamente o seu próprio noivo. Neste momento a menor jurou para si mesma que vingaria Katsumi custe o que custar, sem o consentimento de sua avó ela fugiu de casa e foi atrás da mansão e seus moradores, deixando apenas uma carta para trás.

A garota teve de ir até a mansão por conta própria, já que sua avó obviamente teria proibido a sua viajem. Ela conseguiu carona até o local com um homem gentil, que ao perceber o semblante de desespero da jovem não teve como negar o auxílio, Haru escondeu suas verdadeiras intenções e disse que seu irmão vivia lá ela havia se perdido e dele e não conseguia voltar sozinha. Por sorte aquele homem conhecia o caminho até lá, e deixou a jovem em frente ao portal principal da grande mansão.



[Primeira pessoa]


Eu ainda me lembro de seu sorriso, sempre que eu precisei ela estava lá por mim.
Quando perdemos nossos pais em momento algum ela chorou em minha frente, estava tentando ser forte por nós duas... Entretanto eu pude ver as lágrimas em seu travesseiro.
Sempre que eu caía ela estava lá para levantar-me e cuidar de meus machucados, até mesmo minhas lágrimas eram limpas por suas gentis mãos. Ela era a pessoa mais gentil que eu conheci em toda minha vida, eu sempre irei admirá-la. Ninguém poderia fazer mal para alguém como ela, sempre bondosa com todos... Por que tiveram de roubá-la de mim?!
Por que ela e não eu? Se ao menos uma vez eu pudesse tê-la protegido como Katsumi sempre fez comigo... Quem sabe hoje estivéssemos juntas...
“M-minha neta... Como puderam?!”
Ainda me recordo das lágrimas e soluços enquanto ela sussurrava para aquele homem, entretanto o rosto daquele homem é algo que não consigo lembrar-me.
Ele dizia que já sabia dos riscos e o aviso era apenas uma cortesia... Como ele pode chamar minha irmã de “OFERENDA”?! Eu tive de conter minha fúria do contrário eles me veriam escondida atrás da porta.
Tudo estava acabado... Minha irmã estava morta... Já não me restava nada. Era como se o chão abaixo de meus pés desaparecesse no mesmo instante. Tive forças apenas para ouvir o nome de quem poderia ser o responsável... Subaru Sakamaki, eu farei você pagar com sua vida não me importo se você é humano ou não. Apenas irei tirar sua vida assim como você roubou a coisa mais importante na minha.

Enquanto eu escrevia a carta para minha avó foi impossível não molhar o papel com minhas próprias lágrimas. Lembro-me de colocar um trecho do livro favorito de minha irmã no final, e até agora me pergunto se minha avó compreendeu que está era a coisa certa a ser feita. Irei buscar justiça, mesmo que eu também deva morrer para isto. Afinal, oque eu poderia perder se já não tenho nada?

É fácil enganar pessoas para que façam oque queremos... Sinceramente ele acreditou que eu estava perdida? Quantos anos eu pareço ter?!
De qualquer forma isto não importa, ele me trouxe até o este lugar e aqui estou, em frente aos portões da mansão dos Sakamaki. Eu sei exatamente oque fazer, eu irei enganá-los como enganaram minha irmã e quando tiver certeza eu farei oque deve ser feito.
Apenas um de nós poderá sobreviver... E serei eu, do contrário levarei você comigo... Sakamaki Subaru...
Enquanto olho para a imensidão sobre mim, não posso evitar lembrar-me de minha irmã. Seus olhos eram desta mesma cor, agora que eu a perdi o céu já não parece mais tão vivo. É como se o mundo tivesse parado desde que recebi aquela notícia, e não irei a lugar algum até descobrir a verdade!


• Se apaixonou por: Azusa Mukami/Subaru Sakamaki
• Odeia: Subaru Sakamaki


(Como isso é possível? Bem, seu intuito sempre será encontrar o culpado pela morte de sua irmã e vinga-la independente dos riscos que isto ofereça para sua vida ou oque tenha de fazer para alcançar seu objetivo. Ela definitivamente desenvolveu um ódio mortal por ele desde o momento em que o considerou como o principal suspeito, porém ao decorrer da história ela acabará por se apaixonar por ele de verdade e terá de tomar uma decisão quanto à sua vingança, abrirá mão dela, tudo não passou de um equívoco ou ela decidirá entregar-se a esta paixão? Dependerá também se ele for ou não o verdadeiro responsável).


☆ Obs: Caso ajam os Mukami na história, Haru acabaria por apaixonar-se por Azusa Mukami, isto não mudaria os seus sentimentos recém descobertos por Subaru Sakamaki. Entretanto além de decidir cumprir ou não esta vingança ela também precisaria decidir por quem seu coração bate mais alto e ela acabaria por escolher ficar junto de Azusa.


Família


• Mãe
Nome: Junko Sakurai
Status: Falecida
Cor dos olhos: Azul
Cor do cabelo: Castanho escuro
Idade: 37 anos
Altura: 1,73
Relação com Haru: Sua mãe era uma mulher bondosa, e quase sempre mais “liberal” que o pai das garotas, por assim dizer.
Não era raro ouvi-la dizer coisas como: “Querido, deixe-as crescer!” “Vamos, não seja um pai coruja”


• Pai
Nome: Hiro Sakurai
Status: Falecido
Cor dos olhos: Castanho
Cor do cabelo: Louro escuro
Idade: 39 anos
Altura: 1,79
Relação com Haru: Seu pai sempre foi uma pessoa muito protetora, e por vezes exagerava na segurança de suas filhas. Entretanto ele sempre foi um homem muito amável e de bom coração, que também possuía muitos poucos inimigos.


• Avó
Nome: Kyou Sakurai
Status: Viva
Cor dos olhos: Castanhos
Cor do Cabelo: Grisalho
Idade: 69 anos
Altura: 1,67
Relação com Haru: Ela nunca foram muito próximas, no entanto Haru passou a odiá-la após descobrir que ela deixou que sua irmã fosse à mansão mesmo sabendo dos riscos.


• Irmã mais velha



Nome: Katsumi Sakurai
Status: Falecida
Cor dos olhos: Azul
Cor do cabelo: Louro platinado (Cor natural: Louro escuro)
Idade: 17 anos
Físico: Magra
Altura: 1,70
Relação com Haru: Ambas sempre foram muito próximas, e depois da morte de seus pais ela sempre procurou proteger, e cuidar de sua irmã como uma mãe faria. Ela sempre passaram muito tempo juntas e Haru nunca guardou qualquer segredo de sua irmã.
☆ Obs: A morte de Katsumi ainda é um mistério, e Haru não tem completa certeza de como isto aconteceu ou quem foi o responsável. Entretanto ela acredita com convicção que foi Subaru Sakamaki o até então noivo de sua irmã mais velha. O autor poderá decidir como a morte dela realmente aconteceu e quem é o responsável, desta forma a história será mais inesperada e o final poderá ser diretamente afetado por esta decisão.


Relacionamentos


• Escolhidas: No fundo Haru sente pena delas, e preocupa-se com a segurança delas. Pois a jovem imagina o quão sozinha sua irmã esteve quando foi uma escolhida. Mesmo que deseje ajudá-las ela sabe que isto é impossível e prefere apenas forcar-se em sua vingança contra o responsável por sua perda. Ela se dá relativamente bem com todas e passa muito tempo com as outras garotas. Por sua aparência frágil e infantil não é raro que todas a tratem como uma criança ou uma "bonequinha", por assim dizer.
Haru está tentando não apegar-se à estas pessoas, entretanto é quase impossível para ela não começar a apreciar a companhia de seus novos amigos. Ela pode ser muito afetuosa, calorosa e leal, à sua própria forma é claro.


• Viajantes: Seu tratamento para com os viajantes é muito semelhante ao seu tratamento com as escolhidas, ela sempre age de forma muito respeitosa e procura ajudá-los naquilo que precisarem. Escondendo assim sua natureza fria, calculista e controladora. Mesmo que prefira acreditar que não, a garota também criou laços com estas pessoas e deseja que estes fiquem bem.



• Vampiros: Seu ódio é direcionado apenas aos Sakamaki, não tendo relativamente ódio algum dos Mukami ou qualquer outro grupo de vampiros.
Ela trata todos os Sakami de forma sínica, escondendo assim todo o seu ódio por eles e pela forma que tratam as pessoas à sua volta.


Medos

• Ser descoberta;
• Nunca descobrir a verdade;
• Apaixonar-se;
• Falhar em sua vingança;
• Serpentes;
• Palhaços;

Fobias

• Coulrofobia;
Obs: Coulrofobia é o termo psiquiátrico que é usado para aqueles que tem medo de palhaços. Ao depararem-se com algum indivíduo vestido de palhaço, os portadores dessa fobia têm ataques de pânico, perda de fôlego, arritmia cardíaca, suores e náusea.

Por que?
Haru não sabe ao certo o motivo pelos quais palhaços a assustam tanto, entretanto quando ela vê um entra em pânico.

Trauma
• Nenhum;

Doença
• Ela não tem uma doença, entretanto ela tem uma saúde um pouco frágil;


Coisas que gosta
• Olhar as estrelas;
• Flores;
• Coisas doces;
• Borboletas;
• Pequenos animais (Coelhos, gatos, etc);
• Ler (Ela costuma fazer muitas citações há livros e contos de fadas);
• Ouvir música clássica;
• Pelúcias;
• Astrologia;
• Dias ensolarados;


Coisas que não gosta
• Dias de chuva;
• Que alguém grite com ela;
• Escuro;
• Aranhas (Ela não tem medo, entretanto não gosta muito delas);
• Pessoas com personalidade fraca;
• Ser chamada de mentirosa (Mesmo que realmente seja uma);
• Nadar (Ela não é uma boa nadadora);
• Crueldade;
• Pimenta;
• Ser chamada de "baixinha" ou coisas do gênero;
• Injustiça;



Trilha sonora

Tema da personagem:
“ChiruChiru”




Talentos

• Costurar;
• Enfermagem (Ela tem vasto conhecimento de ervas medicinais entre outras coisas relacionadas a tratamentos, dos quais aprendeu com sua avó);


• Cantar;
(Abaixo um exemplo de como seria a voz de Haru)




• Oque poderá acontecer com ela?
- Existem algumas opções em relação aos amores que podem surgir na vida de Haru. Sabemos que aos poucos ela irá desenvolver sentimentos por Subaru Sakamaki, oque tornará seu objetivo de vingança ainda mais complexo.
Entretanto, caso ela conheça Azusa Mukami o mesmo irá virar a vida da jovem de cabeça para baixo. Ainda sentindo algo por Subaru, a garota encontrará um dilema ainda maior após apaixonar-se completamente pelo Mukami. No fim será claro sua escolha de ficar ao lado de Azusa, porém quem matou sua irmã e se ela conseguirá cumprir sua vingança independente do responsável ainda é um mistério.


• Objeto favorito?
- Um urso de pelúcia que ganhou de sua irmã e a única coisa que trouxe consigo, senão por sua mochila com roupas entre outros pertences básicos;

• Estilo de roupas
- Ela costuma usar roupas no estilo de uma "Lolita"


[Exemplos]










• Curiosidades;
- Sua cor favorita é o rosa;
- Sua bebida favorita é chá;
- Ela gosta muito de livros e histórias, podendo as vezes narrar para si mesma a sua própria vida em terceira pessoa como se isto fosse um conto aonde ela é a heroína;
- Seu conto favorito se chama Kaguya Hime (Sua irmã costumava contar esta história para ela antes de dormir);


Kaguya Hime
Há muito, muito tempo, existia um velhinho e uma velhinha, que viviam juntos numa casa no meio da floresta. Eles eram muito pobres e solitários, pois não tinham filhos para criar. O velhinho era conhecido pelo nome de Cortador de Bambus, pois, todos os dias, ele saía cedo para cortar bambus na floresta. Os dois faziam cestas e chapéus para vender e ganhar algum dinheiro.

Um belo dia, enquanto estava na floresta, o velhinho avistou um broto de bambu, que brilhava, com uma luz muito intensa. Ele ficou espantado, pois, em anos e anos de trabalho, nunca havia visto algo como aquilo. Muito curioso, ele cortou o bambu e mal pôde acreditar no que viu. "Uma menina, uma menina! Tão pequena e tão linda, só pode ser um presente de Deus!".

Ele levou a pequena menina na palma de uma de suas mãos para casa. Ao ver a menina, a velhinha também ficou muito contente e eles resolveram que o nome dela seria Kaguya Hime (Princesa Radiante).

A partir daquele dia, o velhinho passou a encontrar outros bambus brilhantes na floresta. Mas, ao invés de uma menina, eles continham moedas de ouro. Assim, a vida do casal melhorou e eles não precisavam mais produzir cestos para sobreviver. Eles creditaram o milagre à chegada de sua linda filha.

Kaguya Hime crescia muito rápido e a cada dia parecia mais bonita. Em apenas três meses, ela já tinha o tamanho de uma criança de oito anos. Ninguém poderia acreditar que uma pessoa tão bonita pertencesse a este mundo.

Logo os comentários sobre a beleza da Kaguya Hime se espalharam e vinham jovens de todos os cantos do país para conhecê-la. Todos queriam se casar com Kaguya, mas ela não queria se casar com ninguém. "Quero ficar ao lado de vocês dois", dizia a jovem para seus pais. Mas cinco jovens nobres, de posições importantes, foram mais persistentes. Eles acamparam em frente à casa de Kaguya Hime e pediam uma chance a ela.

Preocupado, o velhinho chamou Kaguya e disse: "Minha filha, eu gostaria muito de ter você sempre por perto, mas acho justo que se case. Escolha um dentre os cinco rapazes que estão acampados aqui". Assim, a linda jovem decidiu. "Eu me casarei com aquele que me trouxer o objeto mágico que pedirei"

Um colar feito com os olhos de um dragão, um vaso feito com pedras dos deuses que nunca se quebra, um manto de pele de animal forrado de ouro, um galho que faz crescer pedras preciosas, um leque que brilha como a luz do sol e uma concha que a andorinha põe junto com seus ovos. Estes foram os objetos que Kaguya Hime pediu.

O velhinho levou os pedidos de Kaguya aos pretendentes acampados. Ele sabia que seria muito difícil conseguirem obter tais objetos. Qual não foi sua surpresa quando, ao final de alguns meses, todos os pretendentes trouxeram os presentes para Kaguya. Mas, quando eles foram obrigados a entregá-los a jovem, todos admitiram que os presentes eram falsos, pois conseguir os verdadeiros era uma missão muito difícil. E assim, nenhum deles obteve êxito.

Quatro primaveras haviam se passado desde que Kaguya fora encontrada no broto de bambu. Mas ela ficava mais triste a cada dia. Noite após noite, Kaguya Hime olhava para a lua, suspirando. Preocupado, o velhinho um dia perguntou: "Por que está tão triste minha filha?". "Eu gostaria de ficar aqui para sempre, mas logo devo retornar", disse a jovem." "Retornar, mas para onde? O seu lugar é aqui conosco, nunca deixaremos você partir", disse o pai aflito." "Este não é o meu reino, eu sou uma princesa de Reino da Lua e, na próxima lua cheia, eles virão me buscar".

Muito assustados com a reveladora confissão de Kaguya Hime, os velhinhos decidiram pedir ajuda ao príncipe do reino onde viviam. O príncipe ajudou e enviou muitos guardas para vigiarem a casa do casal. Um verdadeiro exército foi formado.

No dia seguinte, a temida noite de lua cheia chegou. A casa estava tão vigiada que parecia impossível alguém conseguir levar Kaguya Hime. De repente, uma enorme luz surgiu no céu, como se milhares luas estivessem presentes ao mesmo tempo.

A luz era tão intensa que ninguém conseguiu enxergar a carruagem que descia, guiada por um grande cavalo alado e muitas pessoas bem vestidas. Depois de algum tempo, quando a luz diminuiu, a carruagem já estava voando, em direção à lua. Kaguya Hime não estava mais presente, ela fora junto com a comitiva.

Os velhinhos ficaram muito tristes, inconformados. Voltaram ao quarto de Kaguya e encontraram um potinho, presente da filha querida. Ela havia deixado um pó mágico, que garantiria a vida eterna para os dois.

Mas, sem sua filha amada, os velhinhos não queriam viver para sempre. Eles recolheram todos os pertences de Kaguya e levaram para o monte mais alto do Japão. Lá, queimaram tudo, junto com o pó mágico deixado pela jovem. Uma fumacinha branca subiu ao céu naquele dia.

A montanha era o Monte Fuji. Dizem que até hoje é possível ver a fumacinha subindo e subindo.




Faixa Bônus

Estes trechos são apenas pensamentos possíveis da personagem, para ajudar a ilustrar seus sentimentos.


Sobre Subaru Sakamaki
Essa situação é tão absurda, me pergunto oque minha irmã pensaria de mim agora. Não consigo nem ao menos decidir oque fazer ou descobrir quem a tirou de mim. Para piorar minha situação, eu sinto como se eu simplesmente não tivesse forças para matá-lo, que sentimento é este?
Eu não posso colocar tudo a perder, não agora! No entanto, também não posso agir sem ter absoluta certeza de que ele é mesmo o culpado... A algumas semanas atrás eu apenas teria agido e questionado depois, entretanto algo mudou em mim.


Sobre Azusa Mukami
Tudo aconteceu de forma tão repentina que eu nem ao menos pude compreender como as coisas ficaram desta forma, era como se eu estivesse completamente envolvida eu estou presa em uma teia da qual não posso fugir e quanto mais eu reluto mais presa eu me vejo. Algo nele me atraia de uma forma que eu não sei explicar, apenas pelo simples encontro de nossos olhares faz com que eu sinta o meu rosto corar completamente, minha mente está dizendo claramente para que eu mantenha distancia, mas o meu corpo já não me obedece. Sinto que colocarei tudo a perder novamente, apenas por este sentimento que agora sei... É claramente amor, e eu me odeio tanto por isto. Qual o meu problema? Por que não posso apenas me manter focada sem estragar tudo?
Esses sentimentos são muito fortes, e isto me deixa intimidada de verdade. É uma das poucas vezes em que já não posso ter o controle absoluto de uma situação ou de mim mesma, é tudo tão arriscado e mesmo assim algo nele me faz sentir tão segura. Minha vingança pela primeira vez já não parece a coisa mais importante, minha irmã teria vergonha de mim?
É possível que eu tenha aos poucos apaixonado-me por tudo nele, espero que eu não tenha me tornado uma masoquista ou algo do gênero... Sinceramente, isso seria meu fim! Talvez, eu tenha aprendido que existem formas diferentes de demonstrar nossos sentimentos desde que fugi de casa... E algumas são mais bruscas do que as outras.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...