Ficha Fada Madrinha


Postado

Fada Madrinha- Gunslinger

♛Nome completo

Annabeth Ruby Williams

♛ Personagem:

Pocahontas

♛ Idade

17 anos

♛ Aparência

Clizia Fornasier



♛ Personalidade:

Se existe uma mulher 100% feminina, esta mulher é a sonhadora Annabeth. Ela gosta de ser mulher, de se sentir protegida e acalentada pelo homem que ama como nenhuma outra mulher. Normalmente ela adora que o parceiro puxe a cadeira para se sentar, abra a porta do carro ou quando ele acende seu cigarro e diz o quanto ela é linda. Muitas coisas que outras moças podem achar piegas, como passear ao luar ou passar as tardes em um parque de diversões com o namorado, para ela é um prazer. E esta feminilidade pode ser vista no modo de se vestir, falar ou se sentar à mesa. Ela sempre nos dá a impressão de que estamos diante de nossa primeira namoradinha da escola ou daquelas “pin-ups” da revista playboy na década de cinqüenta. Ela é extremamente carinhosa e sempre está pronta para surpreender o homem que ama com alguma surpresa. Seja usando aquela lingerie branca e com rendas delicadas, ou fazendo-lhe uma declaração de amor enquanto ele esta colocando o lixo para fora de casa. Sim, para ela não tem hora certa ou limites para dizer o que sente. Quando ela está apaixonada não entrega apenas o corpo, mas a alma. Mas este amor tem que ser alimentado com carinho e palavras de amor porque Annabeth é muito sensível às coisas que escuta. Um presente ou um jantar em um restaurante caro, nem sempre terá a mesma força de um “te amo” para esta mulher. Ela pode achar que o companheiro pode vencer o mundo com as mãos amarradas nas costas, e esta sua fé pode transformar muitos coelhinhos em leões.
Annabeth é normalmente muito mais gentil e solidária do que brigona. É preciso que seja bastante atormentada para transformar-se numa víbora. Mas dificilmente alguém consegue ter raiva dela. São poucos os inimigos ou que conseguem provocar inimizades duradouras. Normalmente as pessoas sentem-se muito à vontade e relaxadas ao seu lado para verem algum defeito que ela possa ter. Como ela se adapta muito bem e com toda calma à situações conflitantes, que deixariam outras pessoas com os nervos à flor da pele, é preciso muito para tira-la da sua calma.
A filosofia de vida de Annabeth é: “Não quero ser milionária, mas viver como uma milionária". Ela está mais interessada nos prazeres da vida do que no valor das coisas. Um lugar luxuoso, mas sem calor humano, que não seja acolhedor não conseguirá impressiona-la por muito tempo. Da mesma maneira que um homem lindo que não souber falar palvras bonitas e não souber apreciar um pôr do sol a beira mar, também não terá muitas chances com ela. Mesmo que se apaixone por ele, conforme o tempo for passando e mostrando que ele não é nenhum exemplo de sensibilidade, todo amor que sentia vai acabar virando pó.
Ela não é do tipo que fica acordada pensando no amanhã, preocupada com o que vai fazer quando estiver aposentada, ou coisas do tipo. Annabeth vive o presente e não se deixa levar pelas incertezas do que ainda está por vir. Mas, este desprendimento não quer dizer que ela não seja sonhadora. Na maior parte do tempo ela se deleita com seus sonhos e fantasias. E é nestes sonhos que ela se refugia quando está magoada. Ela conhece muito bem o lado mau da humanidade, mas prefere viver no seu mundo onde tudo é belo e perfeito. Não se preocupe se ela resolver ficar algum tempo neste seu mundo, escondida da sociedade e dos seus males. Na verdade isto não passa de uma espécie de terapia que ela usa para limpar de sua mente as inseguranças e os medos. Quando ela resolver sair, vai estar renovada e pronta para enfrentar o que vier pela frente. De vez em quando ela vai tentar ocultar sua timidez e vulnerabilidade com gracejos, tentando parecer fria e independente, porém tudo não passará de um manto protetor, usado para esconder sua insegurança de pessoas rudes que poderiam machuca-la. Annabeth costuma falar devagar, pensa com suavidade e procura tratar de sua própria vida, embora muitas vezes esteja sujeita aos problemas dos amigos e parentes, que correm para ela para contar seus dramas. Ela escuta com toda atenção, e você pode sentir-se tentado à contar-lhe seus segredos, mas procure ir com calma. Ela é uma esponja espiritual e pode ter um desgaste muito grande que pode deixa-la deprimida. Por ser tão sensível, significa que ela pode viver as emoções dos que procuram seus ouvidos e atingem seu coração. Nunca pise nos sonhos desta mulher e ela jamais perdoará.

♛ Gostos:

Poemas, poesias, Noites de luar, por do sol, Dias frios, chocolates, morangos, Livros, Aventuras, Acampamentos, Esportes.

♛ Desgostos:

Calor, Claridade, Provocações, Preconceitos, Ser interrompida, Gritarias, Mentiras, Ficar parada.

♛ Manias:

Estralar os dedos, Roer as unhas, Revirar os olhos.

♛ Medos/fobias:

Coulrofobica e Bufonofobica.

♛ Habilidades:

Annabeth é uma ótima nadadora, seus desenhos são quase perfeitos e também é muito criativa e imaginativa.

♛ Hobbies:

Ela escreve poemas, também gosta de andar de bicicleta pelo parque.

♛ Família


Phelipe Williams- Pai- 40 anos- Médico Veterinário

Phelipe é uma pessoa incrivelmente protetor e compreensivo, que está em constante sintonia com as necessidade de Annabeth. Desde que ela era bebê, conseguia sentir se ela não estava bem, e também vive intensamente cada nova descoberta. De certa forma, a maneira como Phelipe vive é semelhante à de uma criança. Ele não é tão amarrado às obrigações da vida real como muita gente. É extremamente imaginativo e criativo. Phelipe ensina a Annabeth a importância de sonhar, de se deixar levar pela mente, de usar a intuição e de confiar na própria capacidade de percepção. Transmitirá a ela sua sensibilidade a respeito das sutilezas do mundo e é uma inspiração de amor à vida. Porém, Phelipe ensina sua filha a lidar com as responsabilidades do dia-a-dia.


Catherine Williams- Faleceu com 21 anos- Mãe

Catherine incentiva a liberdade e a independência de seus filhos, e podia perceber que a vida familiar era meio maluca ou pouco convencional. Como ela gostava de romper as barreiras do que é considerado normal, não se importaria quando sua filha tingisse os cabelos de verde ou experimentaria um novo e "interessante" estilo de se vestir. Para ela, essas formas originais de expressão são "a cara" da juventude. Catherine simplesmente não nasceu para seguir convenções familiares ou regras de comportamento, e estava feliz com sua liberdade. Sempre tinha amigos e conhecidos de todos os tipos e iria ensinar sua filha a manter a mente aberta e curiosa sobre as diferenças entre as pessoas. Também iria incentivar a capacidade de Annabeth de pensar por si mesma e encontrar soluções criativas para seus problemas. Catherine era um grande exemplo sobre como olhar para o futuro em vez de ficar preso no presente ou no passado.

♛Objeto especial:



Esse colar seu pai tinha dado a sua mãe, representa uma lua turqesa, a lua dos sonhos e da imaginação. Representava todos os sonhos que eles tinham juntos e quando Catherine morreu, Phelipe deu para Annabeth.

♛ Segredo

Isso pode ser um pouco cliche, às vezes sente vergonha de si mesmo, ela é BV, nunca beijou ninguém. E guarda isso para si.

♛ Clube que participa

(X) Natação
( ) Líder de torcida
( ) Jornal

♛ O que acha da Fada? Como vai trata-la?

Annabeth acha a tal de "fada" a pessoa mais original que existe, acha ela sensacional e sempre procurou saber quem ela era, nao gosta que as pessoas falem mal dela, se ela ouvir, vai ter uma leve discussão.

♛ Algo mais?

Não

♛ Sabe que talvez eu tenha de fazer algumas pequenas mudanças na personagem?

Claro que pode



Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...