~exids

exids
.norman's gf.
Nome: Maggie, I'll find you.
Status: Usuário
Sexo: Masculino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 23 de Outubro
Idade: 5
Cadastro:

.demigod.


Postado


ɑ drop in the oceɑn
ɑ chɑnge in the weɑther
I wɑs prɑying thɑt you ɑnd me
might end up together



• Nome:
Maya Daren Mason.

• Apelido:
Snow White ━ recebeu esse apelido com por volta dos oito anos, por causa de sua cor extremamente pálida.

• Idade
Quinze.

• Novato ou veterano?
Veterana. Está no acampamento há oito anos.

• Data de nascimento:
29 de outubro.

• Signo:
Escorpião.

• Orientação sexual:
Heterossexual.

• Parente olimpiano:
Bóreas.

• Parente mortal:
Christina Zelaya Daren.

• Aparência:
Possui um formato de rosto harmônico, ainda que tenha bochechas quase que inexpressivas. Se inicia por uma testa curta e chapada, e vai afinando à medida que chega no queixo; o nariz é fino, estreito e grande. Já os lábios são aparentemente simétricos, de lábios superiores e inferiores medianos, rosados e levemente ressecados ━ filhos de Bóreas possuem um corpo que é o próprio inverno, e nunca conseguem se livrar do frio que sentem.
Os olhos são redondos e pequenos, de íris tão escura que se é impossível distingui-la da pupila; são limpos e sem manchas. Na verdade, há uma minúscula marca amendoada na parte interna da esclerótica, tão pequena que é difícil de percebê-la se não for bastante observador. Os cílios são curtos e escuros, que se destacam, junto com os olhos que são verdadeiras Serendibites ━ pedras preciosas de cor preta ━ em meio à pele pálida e gélida. As sobrancelhas são finas e levemente arqueadas, de um tom mais claro que os cabelos.
Os cabelos passam um pouco do busto, sendo escuros, ondulados e desleixadamente penteados ━ normalmente Maya pede para alguma filha de Afrodite trançar algumas mechas de seus cabelo, ou que façam algum penteado para tirar os fios que insistem em sempre cair em seu rosto durante os treinamentos.
Maya é pequena, com aproximadamente 1,64m de altura, e de corpo magricela. Não possui um físico muito chamativo ou cheio de curvas, mas as poucas que tem são mais do que o suficiente para ela, pois faz com que seja rápida e ágil.



• Famoso que o(a) representa:
Kristen Stewart.

• História:
Após o sumiço de Bóreas, a mãe de Maya resolveu sumir do mapa, e se curar de um estágio que indicava o início de uma depressão. Na época, a criança tinha apenas dois anos.
Ela foi passada aos cuidados do avô, único parente vivo além da figura materna. Maya cresceu na loja de iscas de Ray, em Lake Charles, cidade de Louisiana.
Frequentou normalmente o ensino fundamental I, estudando em uma escola pública perto de sua casa. Seu avô lhe levava e buscava todos os dias, pois sabia da sua condição de semideusa e o que poderia atrair. Ele era muito superprotetor, e seu casebre era afastado da cidade, próximo a um lago, por conta disso.
Um dia, porém, Maya disse que iria estudar na casa de sua melhor amiga e que ele não precisaria se preocupar porque a responsável da amiga levaria ela de volta para casa assim que terminassem o trabalho.
A garota nunca mais voltou para casa a partir desse dia. A mãe de Lisa (a amiga) deixou-a em um ponto de ônibus na rua da frente da loja de iscas. Maya observou tudo com cuidado e assim que o carro saiu, viu algo à espreita na lateral do imóvel. Ao conseguir visualizar melhor o que era, deu de cara com uma dracaenae, que também estava olhando para a criança ali parada.
Maya correu. Correu como nunca antes na sua vida. Correu sem rumo algum. Estava apenas... fugindo. No momento, ela estava mais preocupada em afastar o monstro do local onde seu avô possivelmente estaria e também achar um abrigo (graças às aulas de sobrevivência da vizinha Maggie, que ela era obrigada a frequentar).
Quando estava consideravelmente longe, apenas enxergou um clarão aonde estava há alguns minutos. Fogo. Ali, realmente achou que perdera seu ''chefe".
Maya conseguiu se abrigar em um galpão abandonado na cidade, e passou meses escondida lá, sobrevivendo com o que encontrava na rua. Ela achou em seu bolso um endereço que sua mãe havia deixado ali para o caso de algo grave acontecer. Maya pegou uma carona em um caminhão e seguiu para o endereço marcado, que disfarçou seu cheiro no meio do que o veículo levava: galinhas. E foi assim que chegou ao acampamento: com fome, sede, com o rosto coberto de fuligem, cheirando a ovíparo e extremamente desgastada.
Nas férias, ela prefere ficar no acampamento para não ter que lidar com a terrível e suposta morte de quem a criou. Maya sabe que ficaria vagando sozinha pelas ruas como ficou durante algum tempo, e o fato de relembrar essa situação a faz ficar sensível.

• Personalidade:
Ela é um destaque entre as personalidades dos filhos de Bóreas; com um pai raivoso, seus filhos possuem olhares tão arrogantes que chegam a parecer milhares de fractais de gelo perfurando o abdômen.
Maya poderia ser um livro, como "Quem é você, Alasca?", do John Green. Ela é como um mistério: haja paciência para ser desvendado. Quem sabe uma série de investigação criminal? Quando achamos que solucionamos o caso vem alguma pista que estraga tudo e nos faz recomeçar as coisas de novo.
Nunca dá informações completas sobre sua vida. São ideias soltas, peças que se juntam até formar sua história. Faz isso por prazer, por sempre querer deixar um gosto de 'quero mais', e não simplesmente por fazer. Isso lhe rende bons amigos e admiradores, que lhe acham completamente misteriosa e impressionante, apesar de ser apenas mais um monte de ossos para enfeitar o mundo.
Com um andar equilibrado e ereto, quase ensaiado, demonstra pura e plena convicção do que faz e deixou de fazer. Os sorrisos não saem facilmente por seus lábios, mostrando os dentes perfeitamente alinhados, mas quando o faz é realmente um calmante para os nervos ao redor.
Apesar de sempre ter um argumento aceitável em discussões, uma beleza e carisma invejáveis, atitudes atraentes e já ter mostrado que alguns precisam dela para seja lá o que for, sua vida não é um mar de rosas. Maya não faz questão de ser idolatrada ou amada, mas também não quer criar uma atmosfera triste ao seu redor. Apesar disso, não é uma personagem com estereótipo de heroísmo da menina que apesar de tudo se mantém sempre forte, feliz e pronta a ajudar o próximo. Ela também tem suas recaídas, que normalmente não são expostas aos outros. Ela não é o poço de perfeição que parece.
Não faz questão de andar acompanhada, ou com puxa-sacos ao seu lado. Anda sozinha, livre para fazer o que quiser, sem pessoas que digam o que é errado e o que não é. Ela gosta de diversão, principalmente depois de tudo o que passou.
É o tipo de garota durona, literalmente uma pedra. Dificilmente pode ser convencida a não seguir suas intuições e deixar de expor sua opinião.
Sem papas na língua, não tem receio de falar francamente. O que se passa por sua cabeça, Maya normalmente faz uma boa revisão e depois diz sem medo.
Responsável e calculista, toma decisões de forma pensada e com tranquilidade.
Não chega nem perto de ser algum esteriótipo fútil e ignorante, mostrando ser completamente diferente de qualquer garota que chegue perto disso. É decidida e uma ótima conselheira.
Não desiste facilmente, muito menos deixa de cumprir com suas responsabilidades ou com algo que se comprometeu a fazer. Ela não nasceu para ser líder e nunca gostou disso então, recebe ordens de bom grado.
É aquele tipo de nerd que lê muito, cria um amor platônico pelas personagens e aplica as lições de cada obra em sua vida e as frases em suas conversas. Foi após ler a frase: "Enquanto puder olhar sem medo para o céu, saberá que é puro por dentro, e encontrará a felicidade outra vez", do Diário de Anne Frank, que decidiu seguir em frente e não desistir de tudo ali, no galpão. Maya leva a literatura muito a sério e não suporta os preguiçosos de plantão que usam a velha desculpa de serem intediantes para não ler obras tão boas.
Maya é uma garota desinibida, que sempre tem ideias divertidas na manga. Coisas como sorrir para estranhos, ser curiosa e ser um ás da conversa são bons exemplos. É uma grande amiga e, embora seja extremamente temperamental, não tem medo de ajudar amigos e não os abandona de jeito nenhum. Além disso, ela sempre é honesta e faz questão de mostrar claramente como se sente em relação às coisas, sem dissimular.
Com um humor ponderado, aceita brincadeiras ao seu respeito sem ao menos se importar. É muito na dela, fechada em relação a isso. Quando vê uma briga, apenas se prosta a uma distância segura e olha a tudo com os olhos semicerrados. Observa nos mínimos detalhes e tem a capacidade de formar imagens completas em sua mente. Enquanto a maioria das pessoas veem um bosque com muitas árvores, ela vê todas as espécies vegetais e animais, o solo, o céu, o vento e muito mais. Nada passa despercebido; ela pode analisar uma pessoa ou uma situação com todos os detalhes sem errar.
Sua fala é bastante melancólica e acompanhada de um ar irônico e ignorante. Isso costuma incomodar alguns, principalmente quando ela começa a recitar algumas frases de Ezra Pound para irritá-los ou os xinga em espanhol, já que não vão entender.
Ainda precisa de um pouco de treinamento no quesito ''matar monstros" porque por mais que saiba que eles querem matá-la, Maya ainda os vê como animais e como grande defensora dos mesmos, às vezes empaca na hora exata. Porém, é muito boa em perícia com qualquer tipo de arma.

• Gostos:
Versões bizarras de contos de fada;
Suco de cranberry;
Laranja e mostarda são suas cores preferidas;
Videogame;
Inverno;
Discos de vinil;
Animais em geral;
Sleeping with Sirens, The Clash e qualquer rock/indie com vibe antiga;
Ama discos de vinil;
Gosta dos quadrinhos da Marvel;
História Americana ― era melhor aluna nessa matéria. Às vezes ela pega emprestado alguns livros dos filhos de Atena;
Dias com sol mas sem calor;
Literatura ― Maya ler;
Refigerantes.

• Desgostos:
Fofocas;
Aglomerações;
Cinza e rosa;
Orgulho;
Dias muito quentes;
Ratos;
Rap ― por não conseguir cantar;
Romance meloso;
Drama.

• Trauma(s):
Um dia, com treze anos, Maya acabou por virar o barco onde pescava com o avô e chegou a um fio de se afogar. Isso lhe causou um tremendo trauma de lagos, mares e oceanos. Ela nunca contou isso para alguém ━ nem mesmo para Noah ━ porque tem medo de fazerem brincadeiras a partir disso.

• Doença(s) ou alergia(s):
Além de TDAH e dislexia, nada.

• Habilidade(s):
━ Flexibilidade (dez anos de ginástica são bastante úteis);
━ Agilidade (seu tamanho e peso contribuem muito para que possa se mover mais facilmente);
━ Equilíbrio (para se ter noção, May pode ficar em pé no galho de uma árvore Grande, andando ou até mesmo correndo);
━ Probabilidade (capacidade de calcular as diversas possibilidades e escolher a que tem mais chance de se concretizar, ou a melhor para pessoa na ocasião);
━ Memória fotográfica (a habilidade de armazenar e processar vastas informações em sua memória).

• Poderes:
Passivos

Asas Boreais
Das suas costas, um par de asas roxas pode surgir, lembrando a aurora boreal, com poder suficiente para proteger o semideus de projéteis. As asas podem ser desfeitas ou refeitas quando a dona bem entender.
Velocista Polar
Seguindo a característica de seus irmãos equinos, os potros de Erictônio, filhos de Bóreas são velozes como uma flecha, tendo sua aptidão para corrida comparada ao dos filhos de Hermes.
Presença Congelante
Uma sensação gelada percorre o corpo do filho de Bóreas. Independente de estação, temperatura, tempo ou clima, o semideus sempre estará com frio e coberto de flocos de neve. Sua respiração será caracterizada pelo vapor exalado na respiração por pessoas em lugares frios.
Resistência Térmica
A aura gelada que contorna e engloba o corpo do personagem diminui danos de ataques que se baseiem em calor ou frio. Recebem dano menor de ataques que envolvam fogo ou queimaduras e são quase imunes a ataques de frio.
Equinoglossia
Seu personagem herdou de seu pai autoridade divina sobre falar (normalmente e telepaticamente) para equinos, principalmente de tratá-los com deferência e respeito senhorial.

Ativos

Lufada de Inverno
Batendo suas asas com força, o semideus conseguirá criar uma lufada de vento gelada capaz de desequilibrar o oponente e causar pequenos cortes por seu corpo.
Sopro Gelado
A partir de sua respiração ou do bater de suas asas, o filho de Bóreas pode conjurar um gás congelante para paralisar certas partes do corpo do adversário.
Fúria Tempestuosa
A partir de suas emoções, o semideus poderá alterar o clima local com ventanias causadas por seu corpo, atraindo as nuvens que trazem chuvas, tempestades e nevascas para perto de si.
Armamento Gélido
Ao utilizar uma arma, poderá revesti-la com uma camada de gelo, aumentando certos atributos dela, como corte e força, além de adicionar o dano elemental em seus golpes.
Purificação Glacial
Com esta habilidade, os filhos de Bóreas podem purificar o ar, tirando a poluição, venenos e vírus, tendo como consequência o resfriamento do ambiente.

• Faz alguma tarefa especial no acampamento?
Cuida do supervisionamento dos chalés e é líder e única integrante do chalé de Bóreas.

• Família:
Christina Zelaya Daren ━ 36 anos ━ mãe ━ viva ━
desempregada.

Photoplayer: Emily Mortimer

Billy Jay Zelaya ━ 54 anos ━ avô ━ vivo ━ dono de uma loja de iscas.

Photoplayer: Jeffrey DeMunn

• Relação com seu parente divino:
Maya sempre sentiu falta de seu pai durante a infância, mas aprendeu a conviver com o vazio. Nunca sentiu seu abraço, ouviu sua voz ou o viu em momento sequer de sua vida, muito menos já sentiu sua presença até nos piores momentos. Ela se sente abandonada pelo pai, mas isso a tornou independente dele.

• Relação com seu(s) parente(s) mortal(ais):
Mãe - Christina. Abandonou Maya muito cedo, mas entende seu lado. Não lembra muito dela, apenas se recorda do longos cabelos negros, rosto ossudo e olhos cansados; com mãos gélidas que a ninavam cantando uma música suave.
Avô - Jimmy Ray . Criou Maya desde muito cedo. Criaram um laço afetivo e conexão muito fortes, e ele a tratava quase que como sua segunda filha. Ray amava a neta, e faria de tudo para encontrá-la novamente (sim, ele não morreu)

• Relação com Noah
Conhece Noah desde que ele entrou no acampamento, e nem sempre foram bastante próximos. Na verdade, foi um tipo de "amizade a primeira briga".
No começo estava mais para cão e gato. Ela o irritava e ele, obviamente, ficava irritado. Porém, quando estavam no meio de uma discussão, Maya explodiu e desabafou todos os seus problemas, sem se importar se Noah queria ouvi-la ou não. Ela só precisava de alguém, alguém que simplesmente não a julgasse por tudo.
Depois do falatório, uma ótima amizade surgiu. Não que sejam praticamente grudados, mas ao menos se dão bem. Às vezes eles conversam, ou ela senta na mesa dos filhos de Poseidon apenas para dizer-lhe um oi e também tem vezes que ficam apenas sentados olhando a água ━ bem longe porque Maya tem medo.
Porém, ela ainda não abandonou o costume de dar-lhe patadas e terem discussões de vez em quando. Eles só não são mais próximos porque Maya tem medo de criar laços afetivos com alguém e acabar perdendo-o.

• Par:

( ) sim, mas a autora escolhe.
( ) sim, o Noah.
( ) sim, mas eu escolho:
(x) tanto faz.
( ) prefiro que meu personagem não tenha par.

• Relação com o mesmo:
Maya não procura alguém para fazer-lhe carícias ou trocá-las em público. Ela quer alguém para conversar, proteger e cuidar. Alguém com quem possa compartilhar sua paixão por história, e que ouça sua versão de "João e Maria" com um sorriso no rosto, mesmo não se importando com o que ela fala; o que importa é sua felicidade ao fazê-lo. Alguém que não faça questão de iludi-la e tratá-la como criança apenas para protegê-la. Alguém com quem simplesmente sente na areia e fiquem calados, apenas observem tudo, como se soubessem o problema do outro e estivesse dando-lhe um tempo para respirar.
Maya deseja alguém que a complete. Um garoto que, de preferência, consiga ser o oposto dela: mais engraçado e humilde, que aguente suas grosserias pois entende que ela perdeu todo mundo que amava. A mãe, que sumiu no mundo, e o avô, que está morto para a mesma. [Algo meio Percy e Annabeth, basicamente].

• Que gosto tem a “bebida dos deuses” para você?
Jujuba.

✘ P A L A V R A - C H A V E:
Apolo é quente *lenny face*

• Já participou de alguma missão? Se sim, conte um pouco sobre ela.
Missões grandes, não. Apenas algumas saídas rotineiras para buscar alguns semideuses.

• Caso haja um missão durante o decorrer da fic, prefere ficar no acampamento ou se voluntariar?
Se voluntariar.

• Arma(s):
Espada curta e antiga, com aproximadamente 15cm feita de bronze celestial.


• Algo mais?
Não.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...