~tomorrowk

tomorrowk
— Psycho
Nome: ㅡ Alícia ✿
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: 8 de Janeiro
Idade: 19
Cadastro:

❝[/No] —❥Mercy;;


Postado



❝[/James] —❥Mercier;;


Lasanha

❝―Oh God, now when's the time for me
When will you see me through[/?]❞


•⊱ Nomє Complєto ⊰•
Jαmєs Liαm Mєrciєr — Jαmєs significα “Vєncєdor” єnquαnto Liαm significα “Vontαdє”, portαnto sєus dois primєiros nomєs juntos formαm “Vontαdє dє sєr vєncєdor”, єnquαnto Mєrciєr é um sobrєnomє frαncês hєrdαdo dє sєu pαi. Αlgo curioso α sєr αcrєscєntαdo é quє Jαmєs odєiα quє o chαmєm dє Liαm, sєu rosto sє contorcє єm dєsgosto quαsє involuntαriαmєntє quαndo αlguém sє rєfєrє α єlє αssim.

•⊱ Apelido ⊰•
Ele normalmente é chamado apenas de James, porém há pessoas que o chamam de Mercier – como sua irmã –, ele não realmente não se importa.

•⊱ Idade ⊰•
10/12/1999 (17 anos), sagitariano.

•⊱ Aparência descrita, foto e nome do famoso ⊰•

➟ Aaron Johnson como Photo Player
Se tem algo que chama atenção em James, são seus olhos, possuem uma cor azul claríssimo que – segundo a mãe – foi herdada do avô, eles têm um brilho sarcástico quase palpável – assim como todos os seus outros traços – ele deveria utilizar óculos para longe, porém tem preguiça e também vergonha de usa-los e só o faz às vezes, detalhe que vive os perdendo por aí. O rosto de Liam é levemente arredondado e, sua segunda parte facial mais atrativa são os lábios, rachados e tenuemente cheios. Os cabelos ondulados são de um castanho manchado pela falta de lavagens, Mercier não tem cuidado com os fios, e mesmo estando sempre aparentemente bonitos, quase sempre estão imundos. Diferente do que por fotos parece, James não é alto, possui, na verdade uma altura bem mediana para sua idade e não é raro encontrar meninos de dezesseis mais altos que si.



•⊱ Personalidade ⊰•
Dono de uma simpatia encantadora, James pode ser considerado uma pessoa extrovertida, singular e até mesmo agradável. Porém, mesmo com qualidades quase raras, ele tem defeitos muito mais acentuados, como o sarcasmo e sua natureza competitiva; ele gosta de ser o melhor em absolutamente tudo, e não mede esforços para tirar do seu caminho quem atrapalha seus objetivos, inicialmente por meio de palavras e olhares intimidantes já que ele é realmente bom em chantagear e manipular os outros psicologicamente, porém, em casos difíceis de lidar, ele não se importa de entrar em brigas e levar alguns socos, e, por esse motivo, James quaase sempre está no meio de confusões.

Ele tem um senso de humor realmente notável, porém suas piadas sempre tem um alvo especifico – o famoso humor negro –, e realmente não se sente incomodado quando acaba por machucar alguém psicologicamente. Mercier tem uma falta de compaixão abominável e se sobrenome fosse interligado à características o de Liam seria egoísmo. Sua sobrevivência e bem estar estão acima das de qualquer outro, porque ele é superior a todos, ou pelo menos acredita nisso.

Liam crê que se ɑlgo não for lembrɑdo ele não tem importânciɑ ou ɑté mesmo nuncɑ existiu – e mesmo se já, não fɑz diferençɑ – portɑnto um de seus principɑis objetivos é ser lembrɑdo, especificɑmente como vocɑlistɑ de umɑ ronomɑdɑ bɑndɑ de rock. Segundo ele, é melhor ser ɑmɑdo de que ser temido, porém, ɑindɑ sim ɑchɑ essenciɑl tɑmbém conseguir colocɑr ordens por meio de uns gritos. Também ɑcreditɑ que ɑ melhor formɑ de educɑr ɑlgumɑs pessoɑs é pelɑ dor, muitɑs vezes ɑlguém precisɑ não de umɑ lição de morɑl, mɑs sim de uns chutes nɑs costelɑs.

Ele normalmente se envergonha muito fácil, e não gosta que ultrapassem sua linha de espaço pessoal, com toques indiscretos em lugares indevidos e piadas maliciosas demais, ele não sabe brincar com esse tipo de coisa, embora seja muito bem humorado, como já dito; talvez por ter sido criado em uma família onde conversar abertamente sobre sexo era praticamente proibido.

Ele é realmente confuso em relação a religião, sempre tem dúvida se deve chamar o ser superior de “ele” ou ela”, e gostaria de não acreditar em Deus, porém, estranhamente não consegue olhar para si mesmo e imaginar que foi fruto de um acidente, em propósito algum, ainda sim ele insiste em dizer para pessoas da sua idade ser ateu, na verdade ele tem medo de realmente existir algo que possa julga-lo.

James não é pontual, tem uma rotina flexível e se adapta a mudanças facilmente, sendo receptivo e contra qualquer tipo de preconceito. Ele é muito impulsivo, de um jeito prejudicial, faz as coisas sem pensar nas consequências e logo após não sabe arcar com estas; a pressa também é sua pior inimiga, ele tem transtorno de ansiedade, e por isso fala muito.

Liɑm é extremɑmente otimistɑ, sempre está sorrindo por ɑí e é rɑro encontrɑ-lo de mɑu humor, isso porque é dificílimo deixɑ-lo irritɑdo, ele não se deixɑ ɑfetɑr por provocɑções – exceto ɑ que envolvɑm suɑ mãe – e ɑdorɑ provocɑr os outros.

Seu sentimento mais recorrente é inveja, ele não suporta quando alguém é melhor que si em qualquer coisa. Nesse tipo de situação, quando com raiva, ele costuma fumar, acalmando os nervos e voltando ao estado normal de extrema confiança em si mesmo.



Ele tem uma mania estúpida; quando muito irritado – o que não acontece com frequência – ele acaba por chorar, e James odeia chorar na frente dos outros, na verdade ele odeia demonstrar qualquer sentimento indesejado, como medo e tristeza; James é realmente corajoso, embora coragem não pode ser confundida com estupidez, ele nunca vai arriscar sua vida por uma coisa que não lhe dê benefícios, nem com algo que tem certeza que não terá resultados - James tem muitas certezas erradas.



Liam é um tanto folgado e inconveniente, chegando até mesmo a ser mimado e um tanto manhoso; ele gosta de atenção, é um fã assíduo de contato físico, podendo ser considerado até mesmo carente, embora nunca vá implorar pelo carinho de alguém.



Sua postura é desleixada e seu vocabulário, embora vasto, é pouco utilizado e ele prefere gírias, sua educação foi ótima, porém, como todo adolescente, ele simplesmente adora xingar. É como uma forma de se expressar.

•⊱ História ⊰•
Se tem algo que James preza mais que si mesmo, é a sua família; fruto de uma longa linhagem de pessoas ricas e tradicionalíssimas, os Mercier parecem ter parado no tempo, em um século distante, onde regras de etiqueta são mais importantes do que convívio em uma mesa de jantar.

Diferente do que se tem uma primeira impressão, os Mercier não são religiosos, pelo menos boa parte deles, não fazem questão desse tipo de coisa, na verdade. Pessoas normalmente dotadas de inteligência excessiva e uma calma assustadora, não é difícil entender o motivo de serem tão respeitados em todos os meios.

James nasceu bem depois que, Lynx Van Dort, uma mulher calma, de uma frieza admirável, casou-se com Magnus Mercier, aos dezessete, não foi uma surpresa o anúncio daquela união, não quando os flertes quase singelos ocorriam até mesmo nas mesas, em horas que as duas famílias, brutalmente parecidas e tão unidas que pareciam uma só, se juntavam para conversas calmas e repletas de elegância.

Eles não demoraram em um namoro fútil, nem com uma familia à metade, tinham pressa em dar continuidade àquele sobrenome. Foi uma união simples e fácil de ser consumada.

Nêmesis, a primeira filha do casal, tinha uma personalidade quase idêntica a de sua mãe, exceto pela rebeldia, brutalmente herdada do patriarca; e, bendita seja Nêmesis, de olhos tão claros quanto os de Magnus e cabelos tão escuros quanto os de Lynx, a elegância exalava de seus olhos embora sua alma fosse podre e opaca. Não era submissa, tinha vários relacionamentos e despedaçava milhares de corações cada vez que abria a boca para falar de amor (“esse tal sentimento que vocês falam tanto na verdade nem existe”), lia milhares de livros e a ciência e filosofia e essas sempre foram suas maiores paixões, sendo uma grande admiradora e seguidora dos ideais de Friedrich Nietzsche.



Nêmesis foi, por muito tempo, o maior ideal daquela enorme família, tios, avós, primos, todos simplesmente tinham um orgulho quase não entendível de partilhar seu sobrenome com aquela menina; mas então, de uma forma quase injusta, veio alguém mil vezes mais amado e admirado que Nêmesis; veio Regulus, filho do casal Eva Van Dort e Marco Clever, a mulher, irmã mais velha de Lynx, a qual deve- se acrescentar, ela odiava.



Diferente de Nêmesis, Regulus não precisava de esforço para se destacar, ele tinha um ar vencedor e uma pose quase sarcástica, destroçava sentimentos e se tinha alguém que qualquer menina gostaria de ter, esse era Regulus. Um observador nato, desapegado e com olhos mais cinzentos e maliciosos que o próprio pai. Se Nêmesis era chuva passageira, Regulus era tempestade.

Nêmesis esta quase se casando com Teodoro Frey quando James nasceu, o primo ainda não era o pegador que seria mais tarde, Regulus tinha apenas cinco anos. A irmã mais velha só tinha dezenove, e mesmo não amando o outro homem, acreditava que seria o mais perto que chegaria daquele sentimento ilusório.

James não tinha nem seis meses quando seus pais se separaram, desavenças familiares, se tinha algo que distinguia aquelas duas famílias eram suas opiniões sobre negros e homossexuais, enquanto os Van Dort eram ridiculamente contra qualquer um citado acima, os Mercier não se importavam, achavam extremamente natural, uma vez que em épocas antigas, antes do surgimento do cristianismo, ocorriam relações homossexuais, além de que, para eles, negros e brancos, eram, acima de tudo, humanos.

James cresceu praticamente sem mãe, embora esta lhe ligasse mensalmente, fora isto, sua infância foi simples.

Na adolescência, Regulus criou um apego quase estranho com James, na verdade, quase não. Regulus era apaixonado por um pobretão da rua de trás, chamado Charles, mas, se via cada vez mais intrigado com o jeito único de James no meio daquela família seríssima.

Quando James fez quatorze, ele e Regulus se beijaram pela primeira vez, quer dizer, eles não estavam apaixonados um pelo outro, nem queriam desistir da vida em família pra ficarem juntos e toda essa coisa ridícula. Eles só queriam se divertir no meio daquele lugar nada divertido.

James odiava viver na sombra do primo, mas isso era algo que ele aprendeu a lidar com o tempo, diferente de Nêmesis que estava sempre amargurada e que odiava qualquer coisa referente ao nome do garoto.

As coisas ficaram um pouco mais tensas naquela casa quando Sirius, um dos primos, os viu se beijando, ele não reagiu, não contou a ninguém, porém, em sua mente aquele beijo insistia em aparecer. Sirius namorava Mabel Francisco, e ela, ao perceber a leve mudança de comportamento por parte do namorado, conversou com Lynx, a mais fiel conselheira da garota.

Para evitar pensar que estavam cada vez mais próximos de serem descobertos, Regulus e James se envolveram com drogas, principalmente com ecstasy e LSD, e no início, foi uma boa estratégia. James percebeu que Sirius havia contado tudo à Mabel quando ela passou a olha-los acusadoramente.

Em uma noite fria, Mabel Francisco pareceu surgir das cinzas com seu cabelo crespo e seus olhos de um âmbar tão intenso que assustaria qualquer um, ela prensou o corpo de James tão violentamente contra a parede que ele pensou que sua coluna estivesse desmanchado; e, apertando os olhos para si, disse com todas as letras que não contaria nada à ninguém, mas que era melhor Regulus e si pararam com aquela brincadeira pecaminosa.

Porém, James não deu ideia, a única parte que realmente levou em consideração foi a qual lhe agradava; Mabel, ao ver que seu conselho foi violentamente ignorado, ao flagar os dois primos praticamente se comendo no quarto do mais velho, perdeu a pouca paciência que possuía.

Magnus Mercier não acreditou ao ouvir da boca de Mabel Francisco que seu caçula e o golden boy da família estavam tendo um caso, eles eram primos, e, Deus, era impossível algo assim estar acontecendo bem debaixo do seu nariz e ele nem se quer desconfiar. Porém, Magnus ligou alguns pontos, e aquela ideia estranha parecia estar fazendo sentido.

Mabel era conhecida por sua inteligência e sinceridade, uma mulher tão respeitada que Magnus não conseguiu duvidar dela, então ele armou uma estratégia, tão óbvia mas que parecia ser tão certa. Disse à James que reformaria o quarto do garoto, e que por isso ele precisaria ficar no quarto de Regulus, no início eles desconfiaram, aquela casa tinha mil e um quartos desocupados, por que logo o de Regulus?

Magnus não fez nada durante duas semanas, e os meninos estavam já acreditando que não havia nada de mais ali. Porém, com um medo quase mórbido de ter suas suspeitas confirmadas, Magnus entrou, em uma noite aleatória, naquele quarto escuro, e viu a pior cena de sua vida, James Liam Mercier, seu filho legitimo, aos beijos com Regulus Clever, seu sobrinho, e mesmo que eles estivessem com roupas, Mercier deduziu o que viria a seguir.

Magnus gritou tão alto que parecia ser o fim do mundo, pegou Regulus tão fortemente pelos cabelos que o garoto achou que iria ser morto; porém, Magnus apenas chorou, uma decepção enorme jazia dentro de si, e as lágrimas de frustração externavam tudo o que pensava, onde havia errado afinal?, James foi tão bem criado, e mesmo não sendo um pai carinhoso, dava tudo de si.

James nunca se sentiu tão mal, a bile subia pela garganta e ele pensava estar surdo, os gritos da família, tudo. Magnus achou, ainda, LSD debaixo da cama de Regulus, e quando foi contar à Marco o que estava acontecendo, ele não acreditou, e pela insistência levou um tapa no rosto. Regulus, o golden boy, nunca faria isso. Ninguém acreditou na parte que os dois primos estavam envolvidos, e Regulus negou tanto que James achou que deveria negar também.

Magnus, conversou com o filho que jurou nunca mais dirigir à palavra a Regulus, e James aceitou de bom grado ir ao acampamento – ele merecia, afinal.

•⊱ Fraquezas e Medos ⊰•


F Calcanhar Cócegas Ele não consegue ficar muito tempo sem respirar Família (Especialmente Magnus e Regulus, que é quem ele mais é apegado) Pressão psicológica.

M Agulhas Cobras ou qualquer animal peçonhento Morrer afogado Que realmente exista Deus ou qualquer entidade julgadora Ser abandonado.

•⊱ Gosta ⊰•
The Beatles, é sua banda preferida, o Beatle que mais gosta é George Harrison Azul, verde e aquarela Classic Rock Indie Rock [/b]Vinis, ele tem uma coleção dos Beatles A música The Suburbs do Arcadia Fire Teorias da conspiração Qualquer coisa que envolva Alienígenas, ele realmente sabe muito sobre eles, chegou a pesquisar muito sobre o caso de Varginha A série Supernatural e Stranger Things, ele só as assiste legendadas.

•⊱ Não gosta ⊰•
Calor — Pessoas sem bom-senso — Ver sangue, não que ele tenha fobia, apenas é desagradável — Bandas teen: Justin Bieber, One Direction, Katy Perry; ele realmente não tem implicância, admite que são muito talentosos, só não faz seu estilo — Pessoas sem senso de humor — Gente fresca — Metallica, é uma banda que só grita, na sua opinião.

•⊱ Opção sexual ⊰•
Ele se considera bissexual, porém, não se vê com uma garota; quer dizer, ele tem apenas atração física por elas, mas as acha complicadas demais para um namoro duradouro. Ou seja, ele tem preferência por garotos.

•⊱ Possibilidade de romance? ⊰•
Sim

•⊱ Segredo ⊰•
MP.

•⊱ Se o seu personagem tivesse um esteriótipo, qual seria? ⊰•
O piadista.

•⊱ Está ciente de que seu personagem tem chances de morrer? ⊰•
Absolutamente ciente.

•⊱ Mais alguma coisa? ⊰•
Eu gostaria que você trabalhasse muito nele duas de suas características, essas que eu considero as principais logo depois do humor, elas são seu sarcasmo e “carência”. Exceto isso, nada.






❝[/Afrodite] —❥Lettre;;


❝―The kids want to be so hard
But in my dreams we're still screaming
And running through the Yard


【l̶a̶s̶a̶n̶h̶a̶】

▶Nome completo―
Afrodite Lettre

• [ˌapʰroˈdiːtɛː] é a pronúncia homérica do nome Aφροδίτη, no grego koiné esta pronúncia se tornou [ˌafroˈdiːtɛː], o nome seria derivado de aphrós “espuma” e déatai “(ela) parece, brilha” significando “aquela que brilha da espuma do oceano”. O nome é conhecido por denominar a deusa do amor, da beleza e da sexualidade na antiga religião grega. Responsável pela perpetuação da vida, prazer e alegria.
• Lettre vem do francês e significa, literalmente, “carta”.


▶Apelido―
Yeux

• “Yeux” traduzido do francês significa “olhos”, como para destacar sua mais forte característica japonesa, não tem como objetivo ridiculariza-la, porém não é um apelido muito agradável para ela.

▶Idade―
28/08/1999 as 04h23min (17 anos) │Virginiana.

Afrodite não acredita em signos, embora o seu possua algumas características de si própria

▶Aparência―


Dotada de uma beleza exótica, Afrodite faz jus ao seu nome; sendo tão bela quando a própria deusa e recebedora de uma benção do universo. É uma mistura quase divina de duas nacionalidades distintas; seus olhos são pequenos, típicos de qualquer japonês, porém são clarinhos, verdes como folhas saudáveis da mais bela árvore do jardim. Acima deles, sobrancelhas claras, finas e rasas se fazem presentes, feitas mensalmente, assim como a depilação a cera, que a permite ter pernas sem pelo algum, que embora não sejam avantajadas a dotam de um equilíbrio corporal, já que seus seios e glúteos também não são avantajados, apenas medianos. Sua pele, devido à falta de sol é clara como uma nuvem solitária em um dia ensolarado, porém é seca, a não ser suas mãos que estão sempre em contato com cremes hidratantes, de resto sua pele é quase áspera. Seus cabelos eram naturalmente castanho-claros, porém, ela os pinta com frequência, recentemente estão vermelhos que, dependendo da luz se tornam um rosa surreal, um tanto secos por conta da química porém logo se tornaram macios e lisíssimos como frequentemente. A boca é pequena, rosada e rachada, porém que recebe manteiga de cacau frequentemente, ela guarda dentes alinhados, brancos e que ao se expandirem em um sorriso a deixam quase impossibilitada de ver, pelo baixo comprimento. As mãos são pequenas, porém com dedos finos e longos que são donos de unhas bem-feitas e pintadas normalmente de um azul escuro, rosa avermelhado ou cinza escuro.

【K̶r̶y̶s̶t̶a̶l̶ ̶J̶u̶n̶g̶ ̶f̶o̶r̶ ̶F̶(̶x̶) • R̶e̶d̶ ̶h̶a̶i̶r̶】


▶Personalidade―
clever┃cunning┃ingenuity┃calmness┃ambition

Afrodite é uma clara representante da ordem, admiradora de coisas práticas e fáceis de serem realizadas, ela tem um desprezo quase visível pelo incerto, preferindo mil vezes ter uma certeza do que se jogar em um talvez. Conhecida em seus meios por seus conselhos inteligentes e orientações realistas, ela é a primeira em que você falará caso esteja com dúvida em algo, já que a mesma tem uma opinião formada sobre tudo, mudando-a dificilmente. As crenças de Afrodite se baseiam em fatos, ela pouco acredita em Deus, tão mal na teoria do Big Bang, são duas coisas extremamente superficiais para ela, e por esse motivo é agnóstica. E embora ela tenha traços de uma pessoa curiosa, não é seu objetivo descobrir de onde veio, seja do barro ou de uma explosão. Ela não se importa com a religião alheia, não é um assunto que se tenha que discutir, apenas respeitar.



Sendo uma pessoa séria e com pouco senso de humor, nunca teve muitos amigos, e não se importa com isso, ela gosta de pessoas convictas, que tem algo a dizer, não adolescentes fúteis que só pensam em bebidas e sexo. Sozinha, está muito bem acompanhada.



Se existe algo que Afrodite ama é um bom desafio, pequeno ou grande, e ela acredita fielmente que, com a quantidade certa de tempo e recursos, pode atingir qualquer objetivo. Essa característica torna-a uma líder nata, e sua habilidade de pensar estrategicamente e manter um foco extensivo quando executando cada passo do seu plano com determinação e precisão, a fazem ser escolhida para comandar qualquer negócio. Ela não se importa de quebrar regras, não quando é necessário, é uma adolescente afinal; bebe moderadamente e fuma de tempos e tempos, embora tenha um nojo de drogas como maconha, por achar que qualquer um que consome a erva é um repugnante vagabundo.


Diferente do que se pensa, para ela a comunicação com as pessoas é natural e fácil, ela não tem vergonha de iniciar um assunto, apenas uma falta de vontade. É introvertida por vontade, mas consegue se transformar em comunicativa em questão de minutos, basta que tenha algo que ative isso nela – um grupo com opiniões iguais às suas, por exemplo. O interesse que Afrodite possui nos outros é genuíno, e é quase um defeito – quando acredita em alguém, se torna demasiadamente envolvida nos problemas dessa pessoa, e confia demais neles, podendo ser considerada ingênua a partir do momento que se apega a alguém, o que é algo medianamente difícil.



Ela tem uma sede por poder digna de surpresa, odeia ficar abaixo de alguém ou se auto decepcionar, se está esperando um nove na prova, que venha um dez! Sua ambição pode causar transtornos, por ter uma determinação invejável, ela não se importa em passar por cima dos outros para atingir seus próprios objetivos. Não se importa em magoar alguém, embora não tenha prazer em o fazer. Estar certa para si é melhor do que ser cooperativa, por isso ela sempre opta por fazer as coisas sozinha, não é flexível quando se trata de fazer as coisas do jeito que os outros impõem. Ela é líder, ou não faz parte do grupo. Sua inteligência é admirável, sua lógica é difícil de ser entendida por pessoas consideradas lerdas, por seu raciocino ser rápido em demasiado, sendo até um defeito. Embora tenha uma calma considerável em lidar com qualquer situação, é afobada de mais quando se trata de fazer algo, ela quer começar rápido e terminar mais rápido ainda, é admiradora da agilidade, seja fisicamente ou psicologicamente. Não é do tipo que se arrisca para salvar alguém, mas também não é aquela pessoa que empurra o outro propositalmente. É apenas neutra, ela vem primeiro, os outros depois. É observadora, pensante, nada de fazer algo por impulso, é fácil acreditar em suas palavras, quando elas saem com tamanha convicção da sua boca. Acredita tanto nas suas habilidades e certezas que, quando errada, é difícil admitir.



Afrodite tem uma mania estúpida de colocar a culpa dos problemas do mundo nas suas costas, ela tem uma paixão visível pelos animais e pela natureza, se sente culpada cada vez que vê uma árvore sendo derrubada ou animais sem casa por culpa de queimadas, ela é vegetariana e gostaria de ser vegana, porém uma única vez que tentou acabou por desmaiar de fraqueza. Gostaria de ajudar pessoas pobres na africa e é extremamente a favor das cotas e sente nojo do racismo, machismo ou homofobia; ela acha que o mundo tem que entender que a segurança das mulheres, negros, homossexuais ou qualquer outra minoria é um direito e não um privilégio.

Sua autoestima com relação à aparência é baixa, porém com o resto ela é sempre a melhor. Se não for para ser a número um, nem participe.



Ela não é carinhosa, é fria afetivamente, não emocionalmente, Afrodite sente, só não sabe demonstrar. É algo que ela tem que aprimorar, seus relacionamentos amorosos são poucos e não duradouros principalmente por essa característica. Dona de uma coragem admirável, a não ser que o plano seja muito estupido, ela não se importa de ser uma cobaia, embora tenha preferência que os outros a sejam. Afrodite odeia demonstrar covardia.



Quando quer ser irritante, ela consegue, pode passar dias enchendo a paciência de alguém para este concordar em lhe ajudar em algo, ela não se importa em mostrar interesse, não tem vergonha em dizer que precisa de alguém, mesmo que, assim como já dito, goste de fazer tudo solitariamente. Odeia que mexam com ela, elogios bestas e olhares indiscretos serão prontamente comentados e cortados, respostas afiadas são ótimas para situações como essa. Desprezo, para si, é o pior que alguém pode receber, ninguém vai conseguir nada dela fazendo piadinhas sobre sua aparência agradável ou personalidade difícil.


▶História―

Vinda de uma mistura japonesa e norte-americana, Daiki e Kalissa se separaram assim que Afrodite nasceu, e enquanto a mulher largava o Japão e ia para França junto com as crianças, Daiki ficava para trás como uma peça de um grande teatro. Kalissa tinha dessas.

Afrodite nunca se encaixou em muitos lugares além de um quarto mal iluminado com qualquer livro de drama disponível. Na escola teve poucos amigos, em seu bairro a única coisa que os vizinhos têm consciência é que seu cabelo nunca continua da mesma cor por um ano completo.

Quase uma intrusa em uma família tão extrovertida quando qualquer humorista, nunca foi vista com bons olhos pelo próprio padrasto e está sendo constantemente sendo alvo de piadas dos irmãos mais velhos e até mesmo da única amiga – ou como quer que ela quer ser chamada.

Quando Spring se envolveu com algo parecido com tráfico e um garoto que cheirava problemas com um nome que um dia Afrodite chegou a pensar em colocar no próprio filho mas que hoje ela tem náuseas apenas de pronunciar, sua mãe lhe disse para se distanciar.

Com uma hesitação quase óbvia ela excluiu o número de qualquer pessoa que tenha visto os cabelos negros de quem um dia chamou de melhor amiga na frente do irmão mais velho que hoje ela chama de Alec mas na época era só Al.

Afrodite não atendeu chamadas de um número desconhecido, mas abriu a janela quando Spring Lesqueve apareceu no seu quintal com um olhar divertido e a roupa encharcada de um sangue que não parecia ser dela.

“Eu matei alguém” ela disse algo assim, e a pulsação de Afrodite acelerou tanto que teve que checar suas próprias mãos.

Quase automaticamente as duas pularam aquela janela como faziam quando crianças, e a neve da França engolia o sangue que pingava gota-a-gota das roupas de alguém que se chamava primavera, mas que matara alguém tão inocente quanto uma criança.

Nas margens de um rio tão poluído quanto o coração de Spring, Hope Rosier jazia, o liquido avermelhado descia da cabeça que parecia ter sido atingida por um machado e se encontrava quase poeticamente com a água doce, algumas larvas já estavam ali.

Afrodite sentiu a cabeça rodar.


【O resto da história é o segredo, espero que não se importe com isso】


▶Fraquezas e Medos―



Afrodite desmaia com muita facilidade, ela não é muito forte fisicamente, por isso qualquer golpe já é motivo para uma perda de consciência, porém é difícil faze-la desmaiar com pressão psicológica, ela é boa em situações alarmantes. Uma outra fraqueza de Afrodite, essa que é extremamente comum em outras pessoas, é sua família, embora ela não admita isso para si mesma, ela se preocupa sim com todos os membros da sua árvore genealógica.




Ela possui agorafobia, que é o medo mórbido de lugares cheios, Afrodite também odeia escuro ou máscaras, ele é boa em ler expressões, e com algo tapando a face da pessoa isso é impossível, ela se sente desprotegida, violada, quando não consegue ver o que tal ser está sentindo. Outra coisa que a deixa simplesmente apavorada são lesmas, bichos nojentos portadores de doenças e molengas demais, ela avita demonstrar desespero nessas duas situações, acha que se alguém souber de seus medos estará exposta demais.


▶Gosta―

Afrodite tem um tipo exato de par romântico e pessoas que ela quer manter perto; gente calminha e de sorriso fácil, que possa discutir horas e horas sobre assuntos massantes e que no final da noite lhe mostre todas as constelações; ela adora essa de camada de ozônio e poeira estelar. Afrodite costuma usar um cachecol azul no frio e umas blusas soltas por baixo de um casaco qualquer, ela prefere um jeans surrado à uma saia. Seu sonho, desde os dez — ou seria menos? — é se tornar modelo, ou astróloga, é algo que ela nunca vai conseguir decidir. Mitologia grega ou romana é seu assunto preferido depois de “que casa de Hogwarts é a sua? A minha é Ravenclaw mas eu tenho uma quedinha pela Sly” e ela insiste em dizer que sua mãe grega é Nêmesis. É percebível seu gosto por livros e uns filmes clichês de um romance qualquer, ela é desse tipo.


▶Não gosta―

Se tem uma coisa que Afrodite não suporta são pessoas intrometidas, é algo que ela tenta manter, ao máximo, bem longe. A matéria de português também é algo não muito agradável, Afrodite gosta de números, contas, exatidão. Junto com o calor vem a irritação, para Lettre, funciona exatamente assim.


▶Opção Sexual―
Bissexual.



▶Possibilidade de romance?―
Sim



▶Segredo―
Enviado.

▶Se o seu personagem tivesse um estereótipo, qual seria?―
“A sem humor”

▶Está ciente de que seu personagem tem chances de morrer?―
Sim, completamente.




▶Mais alguma coisa?―
Nada.


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...