~BooBaka

BooBaka
,-,
Nome: Samantha
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: São Paulo, São Paulo, Brasil
Aniversário: 7 de Agosto
Idade: 19
Cadastro:

Singularidades - Interativa


Postado

Mostrar Spoiler:
We are like young volcanoes.

🌠 Singularidades - Interativa
◤ℱicha◥



Nome completo:
Levi Devitt
(Leia como Levai, com a pronuncia francesa)




Apelido:
Lee.



Apelido de mau gosto:
Baixinho, Tampinha de Garrafa, Anão de Jardim, Zangado e qualquer derivado que zombe de sua altura ou de seu temperamento azedo.
(ele fica realmente muito irritado quando falam de sua altura, geralmente ele sai resmungando sobre como não é necessário ser muito alto para chutar as bolas de alguém)




Idade:
16 anos.



Cidade natal:
Lyon, França.



Aparência:






Levi tem 1,59 de altura, ou seja, baixinho. Levi tem cabelos curtos, morenos, mas os fios não são tão escuros; e olhos azuis cristalinos. Devido aos seus transtornos, Levi tem insonia, o que resulta em olheiras aparentes em sua pele pálida. Ele não é muito forte fisicamente, na realidade há garotas bem mais fortes que ele em sua sala, mas ele compensa isso com um equilíbrio de dar inveja e uma agilidade impecável.



Photoplayer:
Troye Sivan.



Habilidade singular:

Premonição - sensação ou advertência antecipada do que vai acontecer, capacidade sobrenatural de se prever o futuro. Acontece por meio de sonhos premonitórios ou visões aleatórias sem pé ou cabeça que geralmente não fazem sentido. Isso acontece com o contato da consciência com a 4ª dimensão do mundo, uma dimensão não material, atemporal. As visões estão sujeitas á alterações e podem ser sobre acontecimentos passados, presentes ou futuros; geralmente não se sabe em que parte do tempo ou do espaço tal coisa pode estar acontecendo, mas quase sempre as visões são corretas, embora possam mudar de acordo com as escolhas dos envolvidos. Geralmente estímulos visuais, auditivos ou até mesmo através do tato ou do paladar podem resultar em uma premonição. Quando isso acontece, os olhos de Levi assumem um tom de dourado intenso e ele costuma ficar com o olhar vidrado, sem foco; sem se mexer, ou piscar. Na maior parte das vezes ele começa a murmurar palavras desconexas que farão todo o sentido depois.



É novato ou veterano na academia?:
Novato.



Sexualidade:
Homossexual.



Personalidade:

❝Levi é tão doce quanto ácido sulfúrico.❞

❝Ele pode até parecer extrovertido, mas na realidade ele é uma das pessoas mais reservadas que conheço.❞

Levi é agitado e ansioso na maior parte do tempo. Quando ele era pequeno foi diagnosticado com Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) e Transtorno de ansiedade, o que faz dele uma pessoa facilmente irritável e muito impulsiva. Levi não consegue ficar parado por muito tempo e tem muita dificuldade para se concentrar no que quer que seja. Para ajudar a controlar um pouco toda essa energia incômoda, ele geralmente está mexendo nos botões da camisa, passando as mãos pelos cabelos, brincando com os dedos ou resolvendo um cubo mágico, qualquer coisa que ocupe suas mãos. Levi é impaciente e dramático, mas é uma pessoa alegre, que gosta de pregar peças nos outros e proporcionar alívio cômico em momentos de aflição. Apesar da ansiedade constante e da falta de atenção em boa parte das aulas, Levi é realmente muito inteligente e costuma pensar rápido, o que faz com que trabalhe melhor sob pressão. Ele é bastante desleixado e é a única pessoa que consegue entender completamente todos os lados da história, visto que ele não vê apenas o que acontece ao seu redor. Levi é muito impulsivo e sente as emoções de uma maneira bem mais intensa que as outras pessoas. Quando ele ama alguém, é com toda sua alma; quando ele odeia alguém, ele faz isso com todo o seu ser. Levi é ácido e sarcástico na maior parte do tempo, mas ele não costuma ser maldoso, só muito mal humorado.Ele não tem muito controle sobre a sua língua e tem o péssimo costume de falar demais ou de não perceber que falou o que deveria ter ficado apenas no pensamento, então os momentos de ❝Não acredito que eu disse isso em voz alta!❞ são frequentes.
Levi é um cara mais complexo do que aparenta. Quando a maior parte das pessoas olha para ele, eles sempre pensam ❝Levi é tão doce quanto ácido sulfúrico.❞ e coisas do tipo. Apesar dessa parte der verdade, Levi é muito sensível para muitas coisas. Ele tem um grande complexo de inferioridade e ele sempre acha que não importa o que ele faça sempre haverá alguém que fará melhor e que ele é extremamente desnecessário e uma grande perda de tempo. Apesar de sua máscara de cara simplista satisfeito com tudo, com um jeito cômico e humor ácido, sua cabeça é completamente ferrada e ele tem tendencias suicidas com mais frequência do que gostaria de admitir. Levi tem poucos amigos e é um cara reservado, por mais que quando o assunto é sobre outras pessoas ele seja um cara de pau sem vergonha. Comentários sarcásticos e patadas são sinônimos do nome de Levi.
Levi tem um forte senso de justiça e não suporta a ideia de que há pessoas que se aproveitam dos mais fracos e dos que estão vulneráveis, isso sempre o lembra de sua mãe e acaba por o deixar puto.




Qualidades:
É animado.
É muito compreensivo.
Não tem preconceito algum.
Todos sempre tem assunto com ele.
Ele sempre faz com que todos ao seu redor se sintam bem, mesmo que ele esteja acabado por dentro.




Defeitos:
É avoado.
É pessimista.
É impaciente.
É impulsivo.
Ele tende a tomar as dores e a sofrer com os problemas alheios.
Ele é imprevisível, muda de ideia a cada minuto e fica difícil acompanhar tanta inquietação.
Levi tem TOC e mania por limpeza. Ele detesta lugares e coisas sujas porque o fazem lembrar que até pouco tempo atrás ele não tinha um lugar fixo e dormia de qualquer jeito em algum lugar onde ninguém poderia o expulsar.
A maneira desencanada como encara a vida e a sua desatenção geram conflitos com as pessoas com quem convive.
Ele se importa demais com os outros e não liga muito para o que pode acontecer com ele porque se acha desnecessário.




Medos/fobias:

Ele tem Aracnofobia e Entomofobia.
Ele tem medo de morrer sufocado/afogado.
Ele tem medo de uma de suas previsões acabar resultando em uma tragédia ou na morte de alguém.
Ele tem trauma de incêndios, tem medo de que algo comece a pegar fogo perto dele, isso pode até mesmo resultar em um ataque de pânico por parte dele.




Número do quarto – masculino:
(✖) 75



Cores favoritas:
Azul claro, verde, laranja e roxo.



Par?:
(✖) Sim, a autora escolhe



História antes de chegar à academia:
Levi vivia em Lyon, na França, com sua mãe e seu irmão mais velho, Alfred. Lee nunca chegou a conhecer o pai, não faz ideia de como ele era e nem se ele era uma pessoa boa, mas isso realmente não importava muito para ele, afinal, ele tinha Lynn, sua mãe e Alfred, seu irmão, com ele. Os três tinham uma vida relativamente boa. Lynn era mecânica, trabalhava na oficina da família, herança de Fleur Devitt, falecida avó de Levi. Eles não tinham condições para comprar tudo o que queriam, mas eles tinham tudo o que precisavam. Levi frequentava uma escola pública francesa, na parte mais pobre da cidade. Sua família nunca teve muito dinheiro e eles sempre moraram por aquela região. O bullying era uma coisa comum na vida dos Devitt, afinal eles moravam com uma mulher solteira, mecânica e que tinha uma fama de gostar de magia negra. A última parte não é verdade. Lynn Devitt vinha de uma linhagem de crianças amaldiçoadas com o dom da Premonição. Infelizmente, a maldição era genética e acabou por passar para seus dois filhos. Enfim, o bullying e comentários maldosos os acompanhavam o tempo todo: na escola as crianças eram más, quando eles saiam na rua os comentários e olhares tortos eram sempre presentes. Algumas pessoas até mesmo os expulsavam de lojas e proibiam suas crianças de terem contato com os Devitt. Apesar disso, ninguém podia negar que Lynn Devitt era uma excelente mecânica, o que era o suficiente para manter a família, apesar dos apesares.
Quando Alfred tinha dez anos e Levi acabara de completar sete, eles saíram para comemorar o aniversário do garoto mais novo. Passaram o dia em um parque de diversões que acabara de chegar na cidade e a noite em um restaurante mexicano. Voltaram para casa por volta das onze da noite. Eles moravam em uma casinha pequenina, no andar de cima da oficina mecânica. Apesar de toda a exclusão social que eles sofriam, nunca imaginaram que algo tão terrível pudesse acontecer; nem mesmo o dom da Premonição foi capaz de evitar a maior tragédia. Quando Levi teve a visão dos garotos com isqueiros nas mãos, já era tarde demais. O incêndio criminoso matou sua mãe, mas por sorte os garotos conseguiram fugir. Levi foi arrastado por Alfred para fora da casa, mas continuava tentando se soltar e voltar para dentro para socorrer a mãe. Vendo a casa pegar fogo e sem poder fazer nada, Levi jogou a culpa da morte da mãe em Alfred, que ficou extremamente irritado com o mais novo. Eles foram acudidos pela dona da floricultura que ficava em frente à oficina Devitt, Mery Beauregard. Eles passaram dois dias na casa da mulher gentil, até a visita da assistente social. Os dois acabaram indo para orfanatos diferentes e não se viram desde então. Levi nunca quis uma família adotiva. Para ele, apenas sua família de sangue era sua família de verdade; o que o tornou uma criança teimosa e difícil de lidar. Quando ele não fugia da nova família, era devolvido pois ninguém o aguentava. E nem um orfanato o aceitava por mais de dois meses, já que ele era sempre desrespeitoso e impossível de controlar. Sua vida se resumia a um constante estado de fuga.
Lee nunca fora um menino grande nem o mais forte. Mas sobrevivera em bairros violentos, escolas difíceis e lares adotivos complicados usando o que sabia fazer de melhor. Era o palhaço da turma, o bobo da corte, pois cedo aprendeu que quem finge não ter medo normalmente não recebe os golpes. Com as piadinhas e o bom humor constante ele conseguia evitar as surras dos valentões. Viveu dessa maneira até completar 15 anos, quando foi encontrado por um instrutor da escola que após ver o garoto ter uma visão, se apiedou e o levou para a escola.




Gosta de:

Frio
Nadar
Cantar
Tocar piano
Tocar violino
Jogar xadrez
Andar de barco
Observar o céu a noite
Observar as outras pessoas
Ser subestimado (ao contrário da maior parte das pessoas, quando ele é subestimado ele ganha mais confiança e acaba por se aproveitar da autoconfiaça do oponente)


Não gosta de:

Calor
Comida mexicana
Parques de diversões
Ser ignorado
Lembrar o que aconteceu com sua mãe e irmão
Dormir (ele sempre tem pesadelos, geralmente visões ruins - de qualquer época - e acaba que ele mais passa nervoso do que realmente dorme)




Matéria em que se destaca:
(✖) Estratégia e Uso da Lógica



Matéria em que tem dificuldade:
(✖) Uso de Singularidades em Lutas



Como se relaciona com:
- Amigos:
Levi é realmente muito leal a seus amigos. Ele preferiria morrer; quem sabe viver toda a noite da morte da mãe dele novamente; a trair um amigo. Levi tem o irritante costume de achar que qualquer um é melhor e mais importante que ele mesmo, então ele sempre age como se o bem estar de todos a sua volta fosse sua única missão na Terra. Ele sempre quer agradar os amigos e tem a péssima mania de tomar as dores dos outros pra si, mesmo que ele esteja todo ferrado. Ele adora fazer piadinhas para animar os amigos ou quebrar climas ruins e, ao que parece, Levi sempre está no lugar errado e na hora errada, o que faz com que ele veja os amigos em situações... um tanto pessoais, mas não é como se ele espalhasse essas coisas por aí, no máximo uma chantagem pequenininha para conseguir o que quer.

- Inimigos:
Levi não tem muitos inimigos, mas os que tem ele despreza com todo o seu ser. E ser o alvo de todo o ódio de alguém que sabe o seu futuro não é lá muito bom não. Levi não costuma se deixar cegar pelo ódio e como ele trabalha melhor sob pressão, quanto mais puto ele estiver, melhor as estratégias podem ficar. Ele sempre dá tudo de si quando a coisa complica, mas se mexerem com alguém que ele ama... Você deveria desejar nunca ter nascido

- Professores:
Levi tem muita gratidão pelo professor que o levou para a escola, sem ele, Levi provavelmente ainda seria um delinquentezinho que não tem moradia fixa. Ele costuma tratar aos professores como trata qualquer amigo seu, mas isso as vezes acaba o metendo em confusão. Nem mesmo os professores escapam das piadinhas ácidas de Levi e de seus comentários sarcásticos. Apesar de tudo, Levi se esforça ao máximo em todas as matérias e os professores reconhecem seu esforço mesmo quando ele não vai bem na matéria.

- Louis Patrick Handler:
Levi tem uma queda - leia-se abismo por Louis. Eles se falam bastante e tem uma boa relação, mas Levi acha que Louis nunca olhará para ele com outros olhos, então faz o máximo que pode para não demonstrar o quanto realmente gosta dele. Eles se falam quase o tempo todo e Levi, por mais que tente, não consegue tirar os olhos de Louis.

- Nicholas Emmett Dickens:
Por incrível que pareça, Levi se deu bem com Nick logo de cara. Levi sabe o momento certo para fazer piadinhas e sabe respeitar a privacidade e os momentos do garoto mais velho, então eles conseguem ter uma relação realmente muito boa. Levi acha que Nick é um cara incrível e que ele deveria falar um pouco mais, mas Lee também sabe manter boas conversas sem chatear ou irritar o outro. Eles têm muitas coisas em comum e Levi conseguiu fazer algo insperado: ficar ao lado dele sem se chatear ou irritar a Nick.



Então, pelo que eu vi no capítulo 1, há vilões nessa história
E eu fiquei pensando por um tempo e acabei pensando num treco aqui...
O que você acha de usar o tal "pai do Levi" e o Al (apelido do Alfred) no lado negro da força? Eles não vão servir pra nada mesmo, e se o Levi for aceito acredito que teria um grande choque ao saber que o pai e o irmão não são tão bonzinhos como ele acreditava... fora que o Al é o extremo oposto do Lee: é muito racional e paciente, e até meio frio e calculista... e os dois lados estariam empatados na questão de prever o futuro, já que a maldição é hereditária e também passou para o Al...

Escutando: A musiquinha do jogo ^-^
Lendo: Os Diálogos do jogo
Assistindo: Owari no Seraph <3
Jogando: Mystic Mensseger
Comendo: Coxinha
Bebendo: Água .-.

Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...