~BooBaka

BooBaka
,-,
Nome: Samantha
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: São Paulo, São Paulo, Brasil
Aniversário: 7 de Agosto
Idade: 19
Cadastro:

THE UNSOLVED CASE OF JULIA WALLACE


Postado

Mostrar Spoiler:
▲ FICHA DE DETETIVE NÃO-PROFISSIONAL▼



✖ Nome completo ✖
Samantha Jane Hastings

✖ Idade ✖
22 anos

✖ Sexualidade ✖
Heterossexual

✖ Aparência ✖






Ebba Zingmark

Sammy possui longos e encaracolados cabelos ruivos, que ficam presos na maior parte do tempo, olhos azuis brilhantes, semelhantes a um lago congelado no inverno, sua pele, tão pálida quanto a neve, o rosto meio redondo, mas tudo isso apenas faz com que a beleza dela seja singular. Seu corpo é pequeno, e ela tira bastante vantagem disso quando se esconde para ouvir alguns segredos alheios e coletar informações.

✖ Personalidade ✖
Sammy sempre foi uma garota agitada, não costuma parar quieta e também é bastante teimosa. Ela detesta quando tentam lhe impedir de fazer o que ela sente que deveria fazer e, geralmente toma todas as decisões com base no que sente e na sua intuição. Quase sempre acerta quando cisma com algo e ninguém pode lhe impedir. É uma garota muito curiosa, ao ponto de realmente pesquisar a fundo sobre algo que ouviu um estranho comentando na rua. Ela sempre foi ótima para conseguir informações, e isso acabou lhe influenciando na hora de decidir a carreira: fez com que decidisse tentar o jornalismo. Por mais que seja teimosa, Sammy sempre dá ouvidos às outras pessoas e, mesmo fazendo o que acha ser o certo, fica pensando o tempo todo no que já disseram pra ela. É muito carinhosa e se dá muito bem com crianças, então, logo após se formar, acabou por dar aulas na sua antiga escola para pagar a faculdade. É muito dedicada aos estudos e uma das primeiras alunas de sua turma.

✖ História ✖
Sammy passou a vida toda em Liverpool e definitivamente nunca quis sair de lá. É um lugar agradável com pessoas que ela conhece desde que se entende por gente, então nunca teve a intenção de sair dali. Sammy sempre viveu com seu pai, Robert, sua mãe, Caroline e seu irmão mais velho, Jay. Eles sempre viveram na mesma casa: a casa ao lado direito da antiga casa de Julia Wallace. Por mais que tenha passado a vida inteira ali, Sam nunca soube do caso. Caroline, sua mãe, era a melhor amiga de Julia. Quando descobriu sobre o caso e percebeu que sua mãe estava envolvida, ficou em completo choque. Sammy sempre estranhou o motivo de nunca terem deixado com que ela chamasse uma babá para tomar conta de Harry ou algo do tipo, mas fez muito sentido quando descobriu que no dia do assassinato Julia havia marcado de tomar conta de Jay, então tomou o caso como um assunto pessoal.



Na escola, Sammy era uma das primeiras de sua turma e, como qualquer garota, tinha sua paixãozinha por um garoto mais velho: Ross Lane, três anos mais velho e o melhor jogador do time de basquete do colégio. Maravilhoso. Sam vivia suspirando pelos cantos por causa dele. Por mais que fosse um encrenqueiro, Sam não podia parar de gostar dele. Era inteligente, bonito e muito bom em qualquer coisa que escolhesse fazer, tirando é claro, matemática, afinal, ninguém é perfeito. Depois de quase ser expulso da escola por uma brincadeirinha de mau gosto e ter sido proibido de jogar a semifinal dos jogos pela péssima nota em matemática, o treinador do time acabou por fazer com que Sam se tornasse a tutora de Ross em matemática, o que é claro que acabou com o ego de Ross, já que teria uma tutora três anos mais nova que sabia mais de matemática que ele. Três meses depois Ross pediu para sair com Sam e, oito anos depois, estão noivos, prestes a se casar.
Seus pais se mudaram para uma casa um pouco menor, já que queriam ficar mais tempo sozinhos e cederam a antiga casa deles (ao lado esquerdo da casa dos Wallace) para Sammy e o noivo, com a condição de que eles tomassem conta de Harry, seu irmão mais novo.

✖ O que despertará o interesse pelo caso? ✖
Sammy estava vendo um álbum de fotos com seu namorado, Ross, e seu irmão, Jay, Quando achou uma fotografia diferente: Uma mulher (muito bonita, diga-se de passagem) ao lado de um homem sorridente (que Sam julgou como seu marido pela maneira com que olhava para ela) e um Jay de uns sete anos de idade, todos se abraçando na foto. Sem conseguir segurar a curiosidade, Sam perguntou sobre aquela mulher ao seu irmão, que imediatamente disse ser sua antiga babá, a qual fora brutalmente assassinada pelo próprio marido. Sam, indignado com o fato de aquele homem que olhava a mulher com tanto carinho acabara lhe matando de um jeito horrível, começou a procurar sobre o caso de um jeito quase obsessivo.

✖ Gostos ✖
Crianças de todas as idades, música, dança, violino, piano, dar aula, assistir filmes de terror com Ross, noite da pizza (sexta-feira), passar um tempo com sua família, livros de mistério e ficção cientifica, café bem quente, dias nublados, cuidar do jardim de casa, cozinhar (principalmente doces, há sempre doces diferentes em sua casa), jogar xadrez

✖ Desgostos ✖
Pessoas suadas, sentir medo, se sentir inútil, quando não tem notícias sobre os parentes (lhe faz ficar preocupada), quando Ross não lhe deixa fazer algo por ter medo dela se machucar (quase sempre leva a uma discussão).

✖ Família e amigos ✖

Harry Hastings, seu irmão mais novo (adotivo) que vive com ela:



Ross Lane, seu noivo, 25 anos:



✖ Trabalha ou estuda? ✖
Trabalha como professora de teatro e música, mas cursa faculdade de jornalismo no período noturno

✖ Ciente de que seu personagem agora esta sob meus cuidados logo poderei fazer o que bem entender com ele? ✖
Não seja malvada, por favor

✖ Algo mais? ✖
Acho que não


Mostrar Spoiler:
▲ FICHA DE DETETIVE-PROFISSIONAL ▼



]✖ Nome completo ✖
Ross Lane

✖ Idade ✖
25 anos

✖ Sexualidade ✖
Heterossexual

✖ Aparência ✖






Drew Roy

Ross tem profundos olhos castanhos escuros que Sam sempre diz que parecem ser feitos de chocolate derretido, um sorriso encantados e bons 1,84 de altura. Sua pele é pálida, mas bem mais escura que a de Sam, seus cabelos estão sempe impecavelmente arrumados e ele nunca desgruda de sua jaqueta favorita. Ele se sente bem desconfortável fora de seus jeans, então é praticamente impossível você lhe ver com algo que não seja moletons ou seu “uniforme”.

✖ Personalidade ✖
Ross tem um sério problema com atrasos. Ele está sempre atrasado. É um homem compreensivo e que detesta ter que forçar alguma coisa, mas seu senso de justiça é muito forte. Ele segue fielmente aquilo que acredita e faz de tudo para provar que está certo. Geralmente ele não consegue dormir se há algo que ele deixou de fazer ou acha que está incompleto. Ele se preocupa demais com as outras pessoas e acaba por esquecer de si mesmo, o que quase sempre mata Sam de preocupação. Ele é meio cabeça quente, portanto sempre diz besteira no meio de uma discussão, o que faz com que acabe magoando outras pessoas com facilidade. Ele não costuma realmente demonstrar o que sente, por mais que tenha sepre um sorriso no rosto, ele tem dificuldade para se expressar e boa parte das vezes acaba por dizer algo que não deveria ter dito. É meio inconsequente e não liga muito para os meios se há um bom resultado.

✖ História ✖
Nascido e crescido em Liverpool, sempre esteve por ali e nunca realmente sentiu que deveria ir embora. Sua mãe era uma garçonete na lanchonete de sua família enquanto seu pai era um cozinheiro. Cresceu em um ambiente familiar muito confortável, mas mesmo assim nunca deu o valor que aqueles momentos mereciam. Após entrar para o Ensino Médio, ele conheceu Taylor, um garoto que o levou para lugares bem interessantes. Taylor o apresentou para cada vez mais pessoas e, quando viu, já era extremamente popular. Taylor e seus mais novos amigos o fizeram fazer diversas besteiras e se metem em diversas encrencas, incluindo o dia em que o fizeram roubar algumas carteiras de desconhecidos na rua. O azar era que um dos caras de quem havia pego a carteira era, na verdade, um policial. Ross passou aquela noite na cadeia e, desde então tomou um corretivo. Mas o estrago já estava feito. Os “amigos” o deixaram de lado quando avistaram o policial e ele estava sozinho. Os professores (incluindo o treinador do clube de basquete) decidiram que, com a mudança súbita do rapaz, ele merecia ao menos uma chance (mesmo depois de uma brincadeira que resultou no carro do diretor com os vidros quebrados e o capô amassado). O treinador lhe arrumou uma tutora, ninguém mais ninguém menos que Samantha Hasthings, uma garota que era tão naturalmente bonita que nem se dava conta disso. Eles se deram bem logo de cara e, conforme o tempo passava, Ross se via cada vez mais apaixonado. Três meses se encontrando para “estudar” (Ross ficava mais perdido que tudo, afinal só conseguia prestar atenção em como ela era bonita), ele tomou coragem e lhe chamou para sair. Oito anos se passaram e eles estão noivos, planejando o casamento.



✖ Como lida com o caso? ✖
Foi ele que sugeriu para que reabrissem o caso, mas ele não tem ideia do porquê de ter sugerido que voltassem com as investigações. Talvez seja apenas porque sua noiva, Samantha, despertou um interesse completamente sem noção sobre esse caso e ele teve medo que ela fizesse algo imprudente, tendo em mente que ela sempre foi impulsiva. Quando se deu conta, estava mais envolvido no caso do que deveria. Passava horas pensando naquilo e mal comia direito, o que acabou por preocupar Sam. Geralmente ele nunca envolveria Sam com algum caso, mas ela foi quem começou com aquilo, então, depois de muitas discussões, finalmente decidiu que Sam poderia ser útil para conseguir informações, já que ela praticamente resolvia alguns casos por ele sem nem ao menos perceber. Seu interesse só aumentou quando ele descobriu que Hally, sua irmã mais velha, foi uma das garotas que tinham Julia como babá.

✖ Gostos ✖
Basquete (ele era um dos melhores jogadores do time quando estava na escola, há vários troféus em casa), filmes de terror, ação e mistério, refrigerante de laranja, limonada, noite dos tacos (quarta-feira), dormir abraçado com Sam, assistir aos jogos de basquete, massagem nos ombros (sempre pede pra Sam, mas ela quase nunca faz, “folgado!”, ela sempre diz)

✖ Desgostos ✖
Bater o mindinho do pé na mesa de centro da sala (sempre pediu pra Sam se livrar daquilo, mas ela não lhe dá ouvidos), Quando Sam lhe pede pra consertar algo que quebrou (parece que as coisas só quebram quando ele está cansado!), quando pensa demais no trabalho e acaba por esquecer o que está fazendo, quando Sam quer se envolver com o trabalho dele e eles acabam por discutir, ele não suporta quando alguém é desrespeitoso ou demostra algum tipo de preconceito.

✖ Família e amigos ✖
Sua noiva, Samantha Hastings, 22 anos:



Seu pequeno cunhado que mora junto com ele (Ross o considera praticamente um filho), Harry, 10 anos:



Sua irmã mais velha, Hally, 30 anos:



✖ Ciente de que seu personagem agora esta sob meus cuidados logo poderei fazer o que bem entender com ele? ✖
Novamente: Seja gentil, por favor

✖ Algo mais? ✖
Acho que não



Mostrar Spoiler:
▲ FICHAS DE SUSPEITO ▼



✖ Nome completo ✖
Caroline Hoffman

✖ Idade que tinha em 1993 e idade que tem hoje em dia ✖

21 anos em 1993;
45 anos hoje em dia


✖ Sexualidade ✖

Heterossexual

✖ Aparência ✖
1993:



Atual:







Helena Boham Carter

Quando era mais jovem, possuía longos cabelos encaracolados, castanho escuro, assim como seus olhos. Os cabelos, sempre bagunçados ou caindo sobre o rosto. Tinha um sorriso largo que fazia com que ruguinhas aparecessem perto dos olhos todas as vezes que sorria.
Atualmente, Carol pintou os fios que ficaram brancos em um tom forte de ruivo, sua visão, antes perfeita, agora só voltava ao normal com a ajuda de óculos de grau. Seu rosto mostra rugar aparentes, principalmente na testa: rugas de expressão.


✖ Personalidade ✖
Carol sempre foi sarcástica e afiada, quando recebia cantadas de garotos sem vergonha, respondia de um jeito que deixava todos eles surpresos. Nunca foi alguém controlável, mas era surpreendentemente amigável quando estava na companhia de sua melhor amiga, Julia. Parecia até mesmo outra pessoa, Julia trazia a tona seu melhor lado. Adorava brincadeiras e pegadinhas eram sua especialidade, até hoje se pergunta como eram tão amigas sendo tão diferentes. Carol sempre se sentiu inferior a Julia e a beleza estonteante da melhor amiga, mas, sempre foi alguém confiável no quesito de segredos. Carol podia ser briguenta e sarcástica, mas era uma boa amiga. Sempre conquistou a confiança dos outros facilmente e sempre foi muito animada, adorando festejar e sair para comemorar.

✖ História ✖
Carol e Julia cresceram juntas, desde que se entende por gente lembra de Julia ao seu lado, afinal suas mães eram melhores amigas. Fora para a mesma escola e, por terem a mesma idade, ficaram na mesma sala. Quando tinha quinze anos, acabou por engravidar de Jim, o que fez com que tudo fosse mais complicado, mas, graças ao apoio de Julia, Carol pôde terminar a escola. Quando se formaram do ensino médio, Carol entrou na faculdade de psiquiatria enquanto Julia decidiu fazer enfermagem. Após se casarem, as duas acabaram por comprar casas vizinhas, onde permaneceram até o assassinato. Após o assassinato, Carol continuou vivendo na mesma casa, ainda teve mais dois filhos, terminou a faculdade, mas nunca esqueceu aquela cena. Sempre pensou sobre o que teria acontecido se tivesse ligado para a polícia quando encontrou sangue na casa da melhor amiga, às cinco horas da tarde. Will estaria preso? Convivendo com essas dúvidas, a única coisa que parecia lhe acalmar era o álcool. Aos vinte e dois anos já era completamente viciada e, raramente você lhe verá sem uma garrafa na mão.

✖ Relação que mantinha com Julia ✖
Julia era sua melhor amiga desde que se entende por gente. Sempre estavam juntas, rindo juntas ou até mesmo planejando um casamento duplo (por mais brega que fosse elas realmente cogitaram a ideia, mas desistiram quando perceberam o quão estranho seria). Viviam rindo e, quando falavam no nome de uma, obrigatoriamente falavam o nome da outra. Um dos motivos para lhe considerarem suspeita é porque Carol tinha uma paixãozinha por Will. Carol era tão amiga de Julia que contou a verdade, mas Julia ainda tinha ciúmes desse pequeno fato. As coisas só se acalmaram quando Carol conheceu Jim e eles começaram a namorar. Mesmo depois de tudo isso, a relação das duas continuou instável. Carol sentia certa inveja por Julia ser tão bonita, popular e ridiculamente sortuda, coisa que era meio que visível. Elas brigaram de tapas algumas vezes, mas sempre faziam as pazes.

✖ Sua versão da história ✖
Era um sábado, Julia havia combinado com Carol que ficaria com Jay durante a tarde e o comecinho da noite para que Carol pudesse sair com Jim e aproveitar a tão sonhada folga dos dois. Carol havia visto Julia cuidando do jardim, pouco antes do meio dia, quando saiu para fazer compras no mercado. Elas se cumprimentaram e tiveram uma pequena conversa sobre as rosas que Julia estava plantando no jardim da frente, próximo a cerca que dividia as duas casas. Após se despedir, Carol foi ao mercado e voltou pra casa cerca de duas horas da tarde. Estranhou o fato de Julia deixar algumas rosas espelhadas pelo jardim e de não ter guardado o equipamento, mas ela ainda tinha que preparar o almoço para Jim, que havia levado Jay ao parque, então não falou nada. Ficou o resto da tarde em casa, sozinha. Quando Jim e Jay chegaram em casa, perto das quatro horas, Carol foi se aprontar para sair. Quando terminou, próximo as cinco, ligou para a casa de Julia, para que ele viesse ficar com Jay e decidisse logo se ficaria na casa dela ou na de Carol. Mas Julia nunca atendeu o telefone. Preocupada, depois de deixar muitas mensagens (segundo o relatório da polícia, doze mensagens), Carol desistiu e foi para a casa da amiga. Quando bateu na porta, teve uma surpresa: estava apenas encostada. Pressentindo algo errado, Carol voltou para casa e chamou Jim, deixando Jay sozinho por uns minutos. Acompanhada de Jim, Carol entrou na casa de Julia, vendo aparentemente tudo normal, até chegar à cozinha. Uma grande mancha de sangue sujava todo o balcão, o chão e até mesmo um pedaço da porta da geladeira estava sujo. Desesperada, Carol procurou por todo o resto da casa algum sinal de Julia, não encontrando absolutamente nada. Incrédula e preocupada, mas morrendo de medo, Carol decidiu que ainda não chamaria a polícia. Esperaria até o dia seguinte, aquilo não poderia estar acontecendo, poderia? Quando a polícia foi verificar a casa, achou um brinco de argolas no chão, próximo a porta da geladeira. Carol estava apenas com um brinco de argola na própria orelha. Depois de coletar mais informações, a policia disse que, segundo a mãe de Julia, ela ligara no mínimo quinze vezes para Julia naquele dia, mas na secretaria eletrônica só haviam as doze ligações de Carol, então alguém havia apagado as mensagens. Segundo um dos delegados, Carol queria ter um álibi, por isso deixou apenas as suas mensagens ali, para provar que ficara a tarde toda em casa. Mas como ela havia ficado sozinha, ninguém podia ter certeza. Seria o assassinato uma consequência de sua inveja?

✖ Gostos ✖
Doces caseiros feitos pela filha, passar um tempo com seu marido, assistir um bom filme em preto e branco e vilões de filmes

✖ Desgostos ✖
Rosas, ficar sozinha, ir ao mercado, bajulação, dor de cabeça, brigar com o marido, quando tocam no nome de Julia

✖ Familia e amigos ✖
Jim Hasthings, seu marido (suspeito de ser cúmplice), 56 anos (sim, George Clooney):


Seu filho, Jay Hasthings, 31 anos:



Sua filha, Samantha Hastings, 22 anos:



Harry Hastings, seu filho mais novo (adotivo), 10 anos:



✖ Ciente de que seu personagem agora esta sob meus cuidados logo poderei fazer o que bem entender com ele? ✖
Sim, senhora

✖ Algo mais? ✖
Não lembro de nada faltando por enquanto...

Assistindo: Kuroko no Basket
Comendo: Leite em pó com nescau

Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...