~nojin

nojin
+top.madam>>
Nome: ☾яαƒα ♛ ~ rainha das trevas | lerigou | princesa vampiranha ~ ☾</uke'baek.jr♛ — stênio garcia
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Itanhaem, São Paulo, Brasil
Aniversário: 19 de Dezembro
Cadastro:

//b.l.o.o.d_c.a.v.e\\


Postado




MY BLOOD IS YOURS

☾ Nome completo: ☽
Cora Wilson Gainsbourg

Cora vem do grego e quer dizer “donzela”. No entanto, em outros idiomas, o nome significa “escuridão”.

Wilson é um sobrenome inglês bastante comum. “Filho de William”. William, por sua vez, pode possuir vários significados, mas sua interpretação mais comum é “força de vontade, desejo”, que vem da palavra “will”.

Gainsbourg, sobrenome francês, tem sua origem na Escandinávia. No entanto, seu significado é desconhecido.

☾ Idade: ☽
Vinte e dois anos de idade, tendo nascido em 26 de novembro de 1744.

☾ Aparência: ☽
Suzy Bae



Por ser filha de uma mulher chinesa, Cora possui traços tipicamente orientais. Seus olhos são puxados, de orbes castanho-escuros, e praticamente se fecham quando ela sorri. A moça tem um nariz pequeno e levemente arrebitado. Os lábios são rosados e bastante cheios, dando ao seu rosto certa sensualidade. Sua pele é pálida, por isso é comum ver Cora com as bochechas avermelhadas por causa do contato com o sol.



O rosto arredondado de Cora é emoldurado por longos e espessos cabelos negros, que acompanham todos os movimentos dela. Ao contrário do padrão de beleza francês do Século XVIII, os fios são lisos e sem muito volume, dando à jovem uma aparência, de certa forma, descuidada.



Seu corpo é magro e ela tem pernas e braços bastante finos e longos. Isso, juntamente com a palidez e o aspecto juvenil, contribui com a aparência frágil de Cora.



☾ Altura e peso: ☽
1,68m & 49kg

☾ Trajes: ☽








☾ História: ☽
A história de Cora inicia-se em Londres, no ano de 1744. Arthur Dawson, um lorde inglês, mantinha um caso com uma de suas criadas, a chinesa Xuan Qi Wu. Trazida de Xangai pelo próprio Arthur em uma de suas expedições no Oriente, Xuan Qi vivia na mansão do homem e passava a maior parte de suas noites nos aposentos dele. Até que, certo dia, a chinesa descobriu sua gravidez. A criança, uma menina, foi chamada de Viian pela mãe.



Até os seis anos de idade, Viian vivia na mansão do pai, em meio à criadagem. Por ser uma bastarda, ela não tinha o direito de ficar com seus meios-irmãos. Sua convivência com a mãe, que falava mandarim durante a maior parte do tempo, e o resto da criadagem, que falava inglês, a menina aprendeu a falar as duas línguas com facilidade. Quando Xuan Qi percebeu que sua filha não lhe renderia dinheiro algum da parte de Arthur, a abandonou nas ruas. Para a sorte de Viian, uma prostituta a encontrou nas ruas de Londres. Se Lisbeth Wilson não houvesse fugido de um cliente violento na noite em que a garotinha fora abandonada, Viian teria morrido de fome. Lisbeth a acolheu e levou-a à pensão onde vivia, que era acoplada ao bordel de Madame Virginia, seu local de trabalho. Virginia e o dono da pensão, um velho francês chamado Claude, concordaram em abrigar a pequena. Após ouvir a história da criança, Lisbeth resolveu que não seria saudável para ela se ligar a pais negligentes e abusivos, por isso mudou o nome de Viian Wu para Cora Wilson.



Assumindo uma nova identidade, Cora teve um resto de infância consideravelmente melhor. Apesar de viver em um ambiente, de certa forma, impróprio para uma criança pequena, ela era feliz e bem tratada. Passava seus dias ouvindo histórias dos viajantes que se hospedavam na pensão e simpatizavam com a garotinha de beleza exótica ou conversando com Claude. Aprendeu a falar francês com ele por uma questão de sobrevivência, já que seu inglês possuía um sotaque muito carregado.



Aos dezesseis anos, Cora conheceu Hansel Gainsbourg, um jovem soldado francês que se hospedou na pensão enquanto recuperava-se de uma guerra. Os dois se apaixonaram e, após dois meses, resolveram se casar. Apesar de ter sido uma decisão precoce, o casamento de Cora e Hansel foi bem recebido por Lisbeth e Claude, que compareceram à pequena cerimônia. Depois do casório, os dois mudaram-se para La Maison Saint, na França, pois era a cidade natal de Hansel.



Enquanto Hansel trabalhava como assistente de sapateiro, Cora era atendente na principal taverna do vilarejo. Não demorou muito para ela ficar amiga dos guardas da cidade, cativando-os com sua personalidade amigável e bondosa. Embora tivesse a aparência bastante exótica e incomum para os padrões franceses, a moça se enturmou facilmente na cidade.



A vida de Cora permaneceu tranquila e feliz até a desastrosa noite em que um dos guardas da cidade bateu à sua porta de madrugada: o corpo de seu marido havia sido encontrado perto das montanhas. Isso a deixou inconsolável. Cora jurou vingança a quem quer que fosse o assassino de Hansel.



Não muito tempo depois, Cora descobriu estar esperando um filho. Durante sua gravidez, ela recebeu ajuda do povo da cidade, principalmente dos guardas e fregueses da taverna. Ela teve crianças gêmeas, às quais deu os nomes de Eliza e Claude. Atualmente, a jovem vive bastante ocupada, alternando seus turnos entre cuidar dos filhos e trabalhar na taverna.

☾ Personalidade: ☽
A coragem de Cora a torna uma pessoa muito impulsiva. Isso faz com que a garota, muitas vezes, tome decisões precipitadas, o que acaba levando-a a situações desconfortáveis e não previstas.
Uma moça de gênio forte, Cora não se deixa levar facilmente pelas ideias dos outros, até porque geralmente segue seus próprios princípios. Teimosa como uma mula, ela defende sua opinião até o fim, mesmo que saiba que está errada. Seu orgulho é muito maior que suas papas na língua, e por isso Cora sempre fala o que pensa. Embora tenha pavio curto, ela não é uma pessoa que gosta de brigar. No entanto, se alguém fizer algo grave a alguém que ela ama, a jovem guardará rancor pelo resto da vida. Não costuma perdoar desrespeito e comentários de mau gosto.

Sarcástica e brutalmente sincera, Cora procurará sempre dizer a verdade, não importa o quanto ela vá doer. Seus comentários irônicos, direcionados a tudo e a todos, têm a sutileza de uma bala de canhão, e são tão frequentes quanto a aparição da lua no céu. Muitas vezes, sua honestidade excessiva é confundida com grosseria, e por isso Cora não é muito bem compreendida. Isso não a impede de ter uma porção de amigos que a consideram e admiram, já que a maioria das pessoas percebe que ela não faz isso por mal.

Embora não pareça, Cora é uma garota muito esperta. Sempre vem com um plano improvisado para escapar de problemas e situações constrangedoras. Suas ideias são mirabolantes e esquisitas, mas geralmente funcionam. Vão desde capturar moscas com lâmpadas a óleo embebido em veneno e tapar goteiras com esterco, até fingir um desmaio para ser retirada de um ambiente onde um casal está brigando e pular pela janela da taverna quando o cobrador de impostos aparece.

Apesar de ser, sim, muito esperta e inteligente, Cora é uma pessoa muito dispersa. Se distrai facilmente com qualquer coisa, e por isso acaba falando as coisas pela metade e não terminando suas histórias e explicações. Muitas vezes, sai do lugar onde está porque algo chamou sua atenção. Pode ser tomada por rude por isso, mas é apenas sua falta de atenção natural. Mesmo estando sempre distraída e sendo extremamente avoada, seu senso de orientação é quase perfeito. Cora sempre sabe chegar aos lugares, não importa onde esteja.

Seu instinto maternal é muito forte e se manifesta não só com seus filhos pequenos, mas com o resto do vilarejo. Ela é bastante protetora daqueles a quem é próxima e não suporta presenciar injustiças. Quando ocorrem brigas na taverna onde trabalha, Cora é quem separa os bêbados e os manda de volta para casa. É ela quem ajuda as crianças e idosos a encontrarem seu destino quando estão perdidos.

Cora tem pavio curto, mas geralmente está de bom humor. Um largo sorriso raramente deixa seu rosto, assim como um ambiente dificlmente não tem como música de fundo a sua sonora gargalhada, que, além de espalhafatosa, é contagiante. Seu carisma não passa despercebido pelo povo de La Maison Saint, que a vê como uma pessoa em quem todos podem confiar.

☾ Qualidades: ☽
Coragem, determinação, bondade, instinto maternal e boa vontade.

☾ Defeitos: ☽
Impulsividade, temperamento forte, tendência a guardar rancor, sinceridade excessiva e desconfiança nos outros.

☾ Costumes: ☽
Beber um copo d'água ao acordar e antes de dormir, acordar no meio da noite para ver se os filhos estão dormindo bem, deixar tortas prontas na janela de sua casa para os guardas poderem pegá-las antes de irem trabalhar, franzir a testa quando está confusa e pressionar os lábios quando está brava.

☾ Medos e fobias: ☽
Embora o maior medo de Cora seja perder seus amados filhos e o resto daqueles que ama, ela tem pavor de aranhas e corvos, pois esses animais a lembram da morte.

☾ Cidadão comum, Criado ou Vampiro? ☽
Cora é uma cidadã comum.

☾ Se humano, o que já ouviu sobre o Monte? Tem curiosidade de conhecer? ☽
Por trabalhar em uma taverna, Cora já ouviu uma porção de histórias sobre o lugar. Alguns de seus fregueses dizem que ocorrem coisas estranhas lá e isso a faz suspeitar que a morte de seu marido tenha tido algo a ver com o Monte. Gostaria de conhecer o local, tanto por curiosidade quanto para confirmar suas suspeitas.

☾ Trabalha? Qual a sua função no grupo ou o que exerce? ☽
Ela trabalha como atendente na principal taverna de La Maison Saint.

☾ Fale sobre a sua família e amigos. Como se sente em relação a eles? ☽
Cora não vê seus pais biológicos desde os seis anos de idade. Devido ao abuso e à negligência sofridos na infância, ela recusa qualquer conexão a Arthur Dawson e Xuan Qi Wu. Não sabe se ainda vivem (estão vivos, em Londres) e também não quer saber.

Sua "mãe" adotiva, Lisbeth Wilson, ainda vive e atualmente gerencia a pensão de Claude. As duas não se veem há anos, porém, se tivessem a oportunidade de se encontrar, tratariam uma à outra como se nunca houvessem se separado. Cora a ama muito e é extremamente grata a ela por tê-la salvo e criado como uma verdadeira mãe.

O marido de Cora, Hansel Gainsbourg, foi encontrado morto mais de dois anos atrás. O casal se amava profundamente. Cora e Hansel andavam sempre juntos e confiavam cegamente um no outro. Ao saber de sua morte, Cora ficou arrasada.

Os dois filhos de Cora e Hansel, Eliza e Claude, são gêmeos e têm dois anos de idade. Nasceram alguns meses depois da morte de Hansel, portanto nunca conheceram o pai. Cora os ama de todo o coração e faria qualquer coisa por eles. É capaz de matar e morrer para protegê-los. São duas crianças tranquilas e gentis, que retribuem os sentimentos de amor da mãe.

Ela é amiga de boa parte do vilarejo, especialmente dos guardas, já que trabalha à noite e tem bastante contato com eles. É vista pela maioria deles como uma irmãzinha de temperamento explosivo e sempre se diverte em sua companhia. Cora é bastante leal a seus amigos e sempre os defende em conflitos.

☾ Tem algum animal de estimação? Como age próximo de animais? ☽
Embora não tenha um por ser incapaz de bancar mais uma criatura viva em sua família, Cora gosta muito de animais e os trata com calma e carinho. Os acaricia, alimenta e é extremamente paciente. Não suporta ver qualquer tipo de crueldade contra eles e repreende quem os maltrata.

☾ Gostos: ☽
Cachorros, gatos, cavalos e borboletas. A cor vermelha. Tortas de cereja e sopa de batata. Cerveja, água fresca e leite de cabra. As flores desabrochando na primavera. A leve brisa do verão. O som de risos de crianças e a companhia alegre de seus fregueses.

☾ Desgostos: ☽
Formigas, moscas, aranhas e corvos. A cor rosa. Ensopado de peixe e bolo de milho. Vinho tinto, suco de uva e espumante. Folhas caindo no outono e cobrindo a entrada de sua casa. Os ventos gélidos do inverno. Gritos de dor e xingamentos chulos.

☾ Talento ou habilidade: ☽
Seu maior talento, sem dúvidas, é na cozinha. Ela é famosa na região por suas tortas de cereja e cerveja caseira. O fato de Cora fazê-las apenas em ocasiões muito especiais as torna ainda mais fascinantes para o povo da cidade. Cora também tem uma voz muito bonita e está sempre cantarolando, atraindo, muitas vezes, uma pequena plateia.

☾ Passatempos ou hobbies: ☽
Em seu pouco tempo livre, ela gosta de ensinar palavras em inglês e mandarim para as crianças da cidade. Também canta, ocasionalmente, na taverna onde trabalha em seus turnos livres.

☾ Se considera uma pessoa religiosa? Como lida com isso? ☽
Após toda a desgraça com a qual teve de lidar durante toda a sua vida, Cora tem dúvidas sobre a existência de um Deus bom e misericordioso. Ela não segue a doutrina religiosa muito precisamente, mas frequenta a igreja para se sentir uma parte da comunidade. Acha que a fé faz bem para seus filhos, então quer que as crianças acreditem em uma divindade para terem mais esperança e bondade do que a mãe.

☾ Sabe lutar? ☽
Não sabe usar armas convencionais de guerra, mas já usou, várias vezes, um cutelo como instrumento de defesa pessoal. Seu trabalho é relativamente perigoso e Cora já sofreu agressões físicas. Sem falar em seu instinto maternal superprotetor. Uma vez, cortou fora os dedos de um forasteiro que bateu em seu filho para fazê-lo parar de correr pela taverna. Ela detesta ter de apelar para a violência, porém concorda que, às vezes, é necessário.

☾ Dia ou noite? ☽
Noite. Além de ser o momento mais movimentado na taverna, Cora gosta de observar as estrelas.

☾ Gosta de ler? ☽
Cora não poderia ler nem se quisesse: ela é disléxica. Apesar de ter um bom conhecimento da geografia europeia e falar três línguas fluentemente, a moça nunca aprendeu a ler. As letras se misturam em frente a seus olhos e ela não é capaz de decifrá-las.

☾ Gosta de música? ☽
Uma das maiores paixões de Cora é a música. Ela gosta muito de cantar e dançar.

☾ Gosta de festas? ☽
Apesar de passar a maior parte do tempo trabalhando na taverna ou cuidando dos filhos, Cora gosta bastante de festas. Prefere aquelas mais simples, apenas com pessoas próximas, pois sente-se desconfortável em lugares muito chiques ou cheios.

☾ Gosta do lugar onde vive e do que faz? ☽
Por ter se afeiçoado à população da cidade, Cora não consegue evitar sentir um amor muito grande por La Maison Saint. Ela também gosta muito de seu trabalho, pois se sente próxima dos fregueses e gosta de ser um ombro amigo.

☾ Como foram seus relacionamentos passados? Já se apaixonou? Se sim, O personagem é virgem? ☽
Cora se apaixonou apenas uma vez, por seu falecido marido. Ela tinha apenas dezesseis anos quando se conheceram e o casamento não demorou a acontecer. Não é virgem, até porque tem dois filhos.

☾ Se não: Como foi a sua primeira experiência sexual? ☽
A primeira experiência sexual de Cora ocorreu em sua noite de núpcias, com seu marido Hansel. Embora tenha doído um pouco no começo, foi algo bom para ela. Hansel foi muito respeitoso e gentil.

• Paquera •

Citação:

☾ Deseja ter um paquera na história? ☽
Sim.

☽ Nome: ☾
Kentin

☽ O que mais aprecia nele? ☾
Para Cora, o maior atrativo de Kentin é o seu bom coração. Ele é um homem muito bom, de natureza gentil, e isso a faz muito feliz.

☽ O que mais desagrada nele? ☾
Cora, muitas vezes, revolta-se com a facilidade com que Kentin se machuca emocionalmente. Por ter enfrentado muitos problemas sérios em sua vida, ela não se abala facilmente e essa diferença entre suas personalidades a deixa irritada.

☽ Como é a relação entre eles? ☾
Repleta de sorrisos e doces caseiros, a relação dos dois parece, muitas vezes, ter saído de um conto de fadas.

☽ Qual o maior motivo de brigas? E quem normalmente faz as pazes? ☾
Eles geralmente brigam pela diferença em suas maneiras de lidar com problemas. Enquanto Cora se joga de cara e não se abala com quase nada, Kentin é mais sensível, por isso acabam se desentendendo em meio a situações complicadas. Embora seja quem geralmente começa as brigas, Cora é a primeira a se arrepender e pedir desculpas, pois fica envergonhada por suas atitudes temperamentais e, de certa forma, infantis.

☽ Seu parceiro é humano ou vampiro? Como lida com isso? ☾
Tanto Kentin quanto Cora são humanos, então não há muitos problemas quanto a isso.

☽ Estaria disposta a fazer tudo pelo seu parceiro? Qual o seu limite? ☾
Embora estivesse disposta a extrapolar limites morais por ele, Cora nunca o colocaria acima dos filhos em sua lista de prioridades.


☾A personagem acredita em criaturas mitológicas e coisas sobrenaturais? ☽
Além de Deus, Cora não acredita na existência de ser algum.

☾ Como reagiria se descobrisse a existência desses seres? ☽
Se descobrisse a existência de seres sobrenaturais, a moça ficaria bastante chocada, porém acabaria aceitando a realidade em algum momento.

☾ Em uma situação de risco, teria coragem de matar outra pessoa para salvar-se? ☽
Dependendo da pessoa e do destino que seus filhos teriam após sua morte, Cora o faria sem pestenejar.

☾ O que a(o) personagem seria capaz de fazer para proteger quem ama? ☽
Para proteger aqueles que ama, especialmente Eliza e Claude, Cora mataria e morreria sem pensar duas vezes. Ela mesma diz que iria até o Inferno e voltaria pelo bem dos filhos.

☾ Se humano, no decorrer da história, estaria disposto a virar vampiro? Por quê? ☽
Mesmo achando a ideia grotesca e solitária, Cora estaria disposta a virar vampira se a vida de alguém que ama estivesse em jogo.

☾ Essa é uma fanfic +18, portanto, terão cenas com sexo explícito. Você compreende que ao participar, seu personagem poderá ter cenas hentai? ☽
Sim.

☾ Você compreende que ao participar, seu personagem estará em minhas mãos e poderá morrer ou ocasionalmente, sofrer danos corporais, dependendo das escolhas tomadas? ☽
Para o aumento do meu nervosismo, compreendo.

☾ Você está ciente que, se deixar de seguir as regras, poderá removido da história? ☽
Claro que sim!




Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...