~Bubblegum-Witch - Clan Fantasy

Bubblegum-Witch
Milky Princess
Nome: Smother
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Indisponivel
Aniversário: Indisponivel
Idade: Indisponivel
Cadastro:

Ficha para The Blood Selection


Postado

Ficha para The Blood Selection


♦Nome Completo: Arabela Beatrissa Lapin.

♣Apelido: Ara; Bea; Trissa (apelido preferido).

♠Nacionalidade: Francesa, nascida e criada em Carcassone.

♥Idade: 16

♦Aparência: Rosto pequeno de queixo pontudo; boca pequena e pálida; pele muito branca e cheia de veias bem aparentes; olhos azuis frios quase brancos, expressivos e com cílios claros, porém enormes; 163 de altura; muito magra (praticamente dá pra ver as costelas); seios medianos, puxando pra pequenos; sem cintura; cabelos brancos até metade das canelas (naturalmente seriam negros, mas ela pinta), lisos ou ondulados, dependendo do clima; olheiras doentias e fundas; quase sempre marcada por manchas roxas que ninguém sabe de onde vieram; dentes pequenos e de incisivos levemente separados.

♣Personalidade: Desconfiada de tudo; arisca; agressiva; pessimista; revoltada; nutre um ódio muito grande no peito e odeia com facilidade; bruta; acanhada; estranha; tem surtos psicóticos e vários tiques nervosos; sensível... Mas apesar de tudo isso, é uma garota bastante doce e muito gentil, constantemente se desculpando pelo seu comportamento, animada como um cachorrinho ansiando por carinho! Bastante manipulável, costuma deixar as pessoas fazerem o que quiserem com ela por um pouco de atenção. Ela tenta o possível e o impossível para agradar as pessoas, mas sempre espera ser pisada. Quando isso não acontece ela fica muito surpresa, mas muito feliz. Alegra-se e espanta-se com as menores coisas, enquanto coisas grandes não tem a mínima importância para ela. Gosta de fazer surpresas para as pessoas. É muito frágil e se decepciona facilmente, especialmente consigo mesma, e se machuca por causa disso, tanto emocionalmente quanto fisicamente. Nunca chegou ao ponto de se cortar, mas arranca os próprios cabelos, arranha-se, se priva de comida, bate e insulta a si mesma. Ela não faz essas coisas para diminuir a dor emocional nem nada do tipo. Ela acha que meninas más tem que ser punidas, e ela não escapa desta regra. Muito imaginativa, ela incorpora um personagem de vez em quando, Fleur, a princesa feliz e adorada de seus sonhos. Normalmente faz isso quando se sente triste. Pode ser um tanto carente, mas tenta evitar. Ofende-se facilmente e acha que é tudo culpa dela. Prefere ouvir a falar. É um tanto infantil, mas tem um coração muito bom, apesar de acreditar no contrário. Muito dura consigo mesma. Ela tem certos tiques nervosos, nos olhos, nas mãos, na perna e na cabeça. Algumas vezes tem calafrios do nada, mesmo sem estar com frio nem nada do tipo. Não é do tipo ciumenta, nem um pouco, e é muito inocente, por isso não entende quando faz certas coisas que poderiam ser mal entendidas (e, acredite, ela faz demais). Apesar de não ser ciumenta, ainda ficaria magoada se visse seu par com outra menina, pois sentiria como se ela não fosse o suficiente. Muito esquecida e um tanto avoada. Um tanto destrutiva e extremamente intensa com seus sentimentos. Muito honesta. Gosta de dormir nua, exceto pela calcinha, e quando está sozinha no quarto, não importa a hora do dia, estará tão nua quanto. Ela não entende porque precisa estar sempre vestida, sendo que o corpo dela é simplesmente o mesmo que o de todo mundo. Extremamente curiosa e tem pesadelos com frequência. Nos pesadelos dela ela vira um monstro horrível e mata todas as pessoas que ela já conheceu, então o Diabo em pessoa vem para ela, e o Diabo diz ser seu pai e que ela tem tudo para se tornar como ele.

♠História: Sua mãe, Joanne, era apenas uma menina de 13 anos quando engravidou de um estupro cometido por um professor de sua escola. A policia não fez nada sobre o caso e deram como se ela tivesse inventado o ocorrido e seu aborto foi impossibilitado. Joanne odiou a criança com todas as forças, mesmo que ainda em seu útero. Odiou quase tanto quanto odiou aquele homem, o homem que a fez passar pelo pior momento de sua vida. Para piorar tudo, o bebê nasceu a figura cuspida e escarrada do pai, com cabelos negros e olhos quase brancos, bem diferente de Joanne, que tinha cabelos loiros e olhos castanhos. Ela criou a menina rebolada e sempre dizia coisas cruéis para ela. Batia nela, gritava e deixava-a trancada num quarto sozinha quando se comportava mal. Acabou por descobrir que o monstro que a estuprara era literalmente um monstro, um vampiro, e isso fazia de sua filha uma também. Ela não quis sequer dar nome à criança, então quem teve que cuidar disso foi a avó, que criou Arabela Beatrissa até os seus quatro anos, quando ela morreu devido a um AVC. Poucos dias antes de morrer, a avó deu um coelhinho de pelúcia para a neta, e esse se tornou seu maior tesouro no mundo. Marie (nome da avó) foi o único afeto que Arabela conheceu. O nome que deu para o coelho foi Seigneur e ele virou seu melhor amigo, até hoje ela conversa e dorme com ele, apear de não chegar ao ponto de sair carregando para onde for.
Arabela tinha nove anos quando Joanne se casou, e 10 quando teve um casal de gêmeos. Obviamente Joanne tratava seus outros filhos bem melhor, enquanto renegava sua primogênita, até mesmo proibindo as crianças de sequer falar com ela, pois acreditava que a menina era má. Ela via seu estuprador nos olhos da filha, via tudo o que há de ruim no mundo dentro daquela criança, via o demônio. Joanne fazia questão de esfregar o quanto a odiava na cara.
Arabela nunca foi para a escola, pois não merecia aquilo; nunca teve um amigo, pois ninguém poderia querer bem uma menina tão ruim. Ela cresceu ouvindo essas coisas e cresceu acreditando nessas coisas. Ela se odeia, mas odeia ainda mais a mãe e seus irmãos, François e Claire, que também a maltratavam. Dormia no chão do porão num colchão velho e só podia comer depois que todos tivessem terminado. Os únicos momentos de felicidade em sua vida eram quando fugia do porão da casa e passeava entre os castelos medievais de sua cidade, se imaginando como a princesa de tudo aquilo, imaginando que era adorada por todos os fantasmas lá existentes. Ela era infeliz, mas se esforçava para não ser mais problema para ninguém. Nunca foi ensinada como saciar a sede de sangue por seu lado vampiro, então acabava sugando ratos e outros tipos de animais pequenos que achasse.
Seu único amigo era um menino de rua que ela conheceu em uma das fugidas e sempre tentava trazer um pouco da comida da casa para ele. Ele, em troca, brincava com ela e lhe levava para todos os festivais que tivessem para ir. O favorito dela era o mercado de natal, porque tinha cheiro de esperança e de aconchego, ela gostava de ver a alegria daquelas famílias indo comprar presentes juntas, das donas de casa escolhendo ingredientes para a ceia. Eles roubavam coisas juntos de vez em quando. O nome do menino era Louis.
Sua mãe a mandou para o Japão porque era o lugar mais distante que conseguiu pensar, ela simplesmente não aguentava mais um dia sequer na companhia daquela menina. Sempre quis mandar Beatrissa pra longe, mas nunca teve dinheiro, então quando soube que havia um navio cargueiro indo para o Japão partindo do porto da cidade, fez um acordo com o cargueiro para pôr a menina dentro. A viagem durou semanas, nas quais ela passou muito mal e teve que dormir no chão, sendo virada de um lado pro outro ao gosto da maré. Arabela até ficou feliz com isso, pois, apesar da viagem horrível e de ir embora com uma pequenina mala contendo quatro mudas de roupa, ela finalmente iria para longe de todas as suas lembranças sobre ser fruto de uma bestialidade e de tudo de ruim que ela era.
Já tentou se matar algumas vezes, mas a metade vampira não deixa, já que vampiros não podem morrer sem armas certas (coisa que ela nunca teve acesso).

♥Gostos: Música calma; cantigas de ninar; livros ilustrados (desde que ela não sabe ler); tapetes; coisas com aspecto antigo; cores clarinhas; cafuné; mingau com xarope de cedro; qualquer coisa com motivos de coelho ou lebre; meias (obcecada por meias); som de flauta; rendas e bordados; ser tratada como uma boneca; tesouras (por algum motivo ela tem uma admiração por tesouras); coisas amargas; poder contar as histórias que inventa para as pessoas; pérolas; sentir seu longo cabelo pelas costas; queimar fósforos e observar o fogo; observar o céu; pirulitos de amora; chicletes de melancia; torta de limão; insetos.

♦Desgostos: Frio; coisas geladas; ser deixada só; que gritem com ela; discutir; coisas doces demais; da família dela; gente que grita demais (ela desata a chorar quando gritam com ela); chorar; quando as pessoas reparam demais nas suas marcas; música muito animada.

♣Hobbies: Cantar quando está sozinha; olhar para o teto; desenhar; pintar com as mãos; ir para a biblioteca e procurar livros com figuras para tentar adivinhar as histórias; inventar historinhas (quase sempre terminam em morte); passear em feiras locais; costurar e bordar.

♠Manias: Mastigar a própria língua; se desculpar sem motivo; ir pro mundo da Lua; chorar sem motivo; dançar quando se sente feliz ou come algo bom; morder o interior da boca; fugir; fincar as unhas na própria pele quando fica nervosa; dormir nua, exceto pela calcinha; se encolher quando ri; rir estupidamente alto e estridente; abraçar as pessoas sem motivos.

♥Medos: Se tornar uma pessoa malvada; Deus (sua mãe sempre disse que Deus a odiava, e por isso ela tem medo dele); lugares pequenos e fechados.

♦Sonhos: Achar uma casa bonita e simples, nela criar uma família bonita e feliz. Ser uma princesa como a das histórias ilustradas da biblioteca municipal.

♣Talentos: É extremamente inteligente. Tipo, muito, de verdade. Se tivesse ido pra escola, provavelmente já estaria formada e começando a faculdade de tão avançada que seria. Borda muito bem.

♠Par: Subaru.

♦Motivo para participar da Seleção: Como veio para o Japão sem nada e sem nenhum dinheiro, acabou por estar a beira de passar fome e tendo que se alimentar apenas de sangue, o que não é muito legal para ela, tanto por conta de seus ideias de vida quanto pela parte humana, para qual sangue não era o suficiente, quanto mais sangue animal. Quando soube que teria oportunidade de ficar numa casa quentinha com comida, pensou que seria uma boa oportunidade.

♣Gosta ou não de ser Selecionada? Por quê? Não gosta nem desgosta, ela está lá pela comida e pelo teto. Nunca se viu com a menor chance, então pra ela é uma coisa meio “foda-se”.

♠Música tema da personagem e do casal (para especiais, só dela): Light, do Sleeping at Least (do casal), pois os dois são pessoas estranhas e que querem se curar, mas não se acham bons o suficientes. Eles querem curar um ao outro. Stomach it, do Cry Wolf (também do casal), pois os dois se veem como monstros e meio que desafiam um ao outro a chegar perto. Smother, da Daughter (só da Arabela), porque resume bem todos os medos dela e toda a relação de ódio que ela tem consigo mesma.

♥Relações:

○Relação com a rival: Ela a trata bem, vai tentar criar amizade com ela. Deixa bem claro que não é uma ameaça, pois acha que qualquer uma vale mais e que não tem a menor chance. Quando se apaixonar pelo Subaru, vai contar direto para a menina. Irá dizer que tentará se tornar uma ameaça, mas que mesmo assim continua na torcida dela, pois não se julga a altura dele.

○Relação com as outras meninas, sem ser a rival: Ela não gosta de ficar perto delas e tenta se distanciar delas, se alguma tentar falar com ela irá tentar desconversar. Apenas se tentar muito conseguirão se aproximar dela, isso a fazendo rir.

○Relação com cada um dos meninos (menos o par):
Kanato: Ela gosta muito dele, muito mesmo. Deixa que ele brinque com ela como se fosse uma boneca, vestindo-a e arrumando-a como quer. A coisa que ela mais gosta de fazer é ter festas do chá com ele, Teddy e Seigneur. Sempre pede para que ele cante enquanto deixa que ele penteie seu cabelo.
Reiji: O obedece cegamente e fica muito calada perto dele, o respeita de verdade. Fora isso não fala muito com ele, mas esconde um desejo secreto de brincar com os óculos dele.
Ayato: Não gosta muito dele, ele é mal e muito arrogante, mas dependendo do dia pode se divertir com as idiotices dele.
Laito: Não entende 99% das coisas que ele fala e acha que ele é esquisito demais. Odeia o jeito dele de invadir o espaço pessoal das pessoas, mas não tem nada contra ele.
Shu: Na verdade ela nunca sequer percebeu que ele existe, do jeito que ele é calado e na dele.
Yuma: Acha-o bruto e irritante, não gosta dele nem um pouquinho. Evita-o a qualquer custo. É grossa com ele e muito arisca.
Ruki: Gosta muito dele! Ele é como um irmão mais velho, e como já está acostumada a ser pisada, não se importa com o jeito que ele a ignora. Vive insistindo para que ele a ensine a ler ou que ao menos leia para ela. Aproximou-se dele de primeira porque ele passa uma imagem de segurança pra ela.
Azuza: Até gosta dele, mas prefere se manter longe. Ele é esquisito e se parece com ela, sempre com ataduras e machucados, então é meio que se ver.
Kou: Ele é animado e divertido, então ela o aprecia bastante, mas quando ele começa com aquela história de “O que você vai me dar em troca?”, ela vira de costas e vai embora.
○Relação com o par: Ela o acha interessante e fica observando-o de longe, vai continuar assim até que ele venha fazer contato. Ela vai tentar ser gentil, mas não será muito aberta. Quando pegar um pouco de confiança nele pedirá que ele leia para ela ou que a ensine a ler, já que Ruki continua sem ajuda-la. Encolhe-se e chora quando ele grita, fica muito magoada, mas por achar que merece isso, sempre volta. Não dirá na cara seus sentimentos, mas fará o máximo para demonstrar, como o abraçar por trás quando o vê, beijar sua bochecha ou seu nariz quando se despede e fazer surpresas e surpresas para ele, como bordados ou desenhos. Ela quer proteger ele de todo o mal do mundo e só quer felicidade, então dirá na cara dele que a melhor escolha é a outra menina, mesmo que demonstre algo totalmente diferente com suas ações, assim como ele a lerta para ficar longe. É protetora, carinhosa e quer sempre estar perto dele, mesmo que sempre calada. Irá chorar muito e abraça-lo forte quando descobrir sobre o passado dele (a questão do incesto), mesmo que ele não queira ser abraçado. Quando tem pesadelos ela corre para o quarto dele. Espero que Subaru se habitue a ter uma garota seminua abraçada a suas costas aos prantos...

○Relação com Yui: Arabela gosta de Yui, gosta que ela é calma, calada e gentil. Depois de Kanato, é sua melhor amiga na casa. As duas se sentam perto da lareira e ficam conversando e bordando juntas.

♦Roupas:

○Vestidos casuais/para o dia a dia na Mansão:
Ela não gosta muito de andar vestida, então a não ser que Kanato a arrume ele mesmo, ela sai por aí parecendo uma ninfeta. Roupas muito curtas, leves e reveladoras. A maioria das roupas dela ela comprou na companhia do Laito, já que ele foi o único voluntário quando ela chegou com sua minúscula malinha na mansão.





○Vestidos para encontros:
Um pouco menos reveladora, usando comprimentos mídis e coisas assim. Pra tudo ela tem um toque retro.







○Vestidos para eventos/restaurantes:
Um tanto exagerados, mantendo o retro, mas com um toque de classe.





○Vestidos para bailes:
Um tanto exagerada nos acessórios e bem anos 1910, gosta de pôr luvas e todas essas coisas. Se deixá-la pôr uma tiara, ela realmente vai. Gosta de cores claras, principalmente branco. Sério, ela parece que tá se casando de tanto branco.







○Roupa para escola:


Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...