~Schwerdtner

Schwerdtner
Nome: Fernanda Schwerdtner
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
Aniversário: 19 de Fevereiro
Cadastro:

Mentes Pequenas


Postado

Mentes Pequenas

"O que dói?" Me perguntaram outro dia. É uma simples pergunta, mas com diversas respostas. Eu poderia ter apenas respondido com "levar um tiro" ou "ser queimado vivo", porém vocês me conhecem.

Eu jamais faria isso.

"O amor dói. É uma intensidade tão grande de sentimento que na mesma maneira que te salva, pode te derrubar no mesmo momento. Palavras são balas e as pessoas são armas. E a dor é o gatilho, logo então, as duas sofrem"

Eu já fui fechada. Já fui mesmo. E eu não tinha ideia de como estava me protegendo. Afastava as pessoas no qual eu me importava porque achava que era uma fraqueza, e de fato é. Tudo que você se importa uma hora será voltado contra você e novamente o gatilho será puxado. Eu realmente deveria ter permanecido fechada. Descobri recentemente meu pior defeito. Consegue superar minha grosseria e ciúme; eu sinto demais. Eu nasci para ser intensa.

A pessoa me olha estranho de acordo com a minha resposta.

"Foi apenas uma pergunta"

Minha professora de sociologia tem razão: pensar dói.

"Me perdoe. Uma resposta bem elaborada como essa não é fácil de ser compreendida por mentes pequenas"

Eu disse que achei o pior dos meus defeitos, mas não disse que não sabia mais sobre como usar minha grosseria.

Minha vida toda fui criticada por usar sarcasmo e o humor para me auto proteger. Nunca me entendiam e quando tentaram, perguntaram se eu precisava de ajuda. Não, eu não preciso. Se quiser me doar paciência, estou aceitando.
A sociedade tem a mania de julgar como ruim, como pecado, como mal visto o diferente. Parece que as pessoas sentem raiva do que não podem explicar ou de mudanças.

Tudo muda, o mundo está em transformação constante. Eu acredito que pessoas mudam através desse argumento. Talvez seja outro defeito meu: ter esperança em causas já perdidas. Nesse exato momento, querido indivíduo de mente fechada, uma folha está se desprendendo da árvore e caindo no chão. Isso é uma transformação. Mas e agora? O que vai fazer? Acabar com uma simples folha por apenas fazer seu trabalho, seu destino?

Alguns podem estar pensando que demorei horas ou até mesmo dias para escrever isso. Sinto muito decepciona-los, mas estou em plena aula de biologia colocando tudo o que sinto nesse papel. Vocês podem imaginar o meu tédio, o tédio da minha mente agitada ao assistir uma aula desnecessária para ela. Está aí outra coisa que não entendo: estudar coisas que não vou usar para o resto da vida.

Se eu realmente fosse usar isso, creio que não leriam Meus textos.Não acho que se interessariam muito sobre o sistema nervoso e neurônios.

Mas que neurônios, professora? Eu estou falando de amor!

Escutando: https://www.youtube.com/watch?v=fCa8pxUtN1s

Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...