~Sippi

Sippi
Kardashian Brasileira
Nome: Raffa
Status: Usuário
Sexo: Indisponivel
Localização: Augusto Pestana, Rio Grande do Sul, Brasil
Aniversário: 25 de Outubro
Idade: 17
Cadastro:

Sollenium Matten


Postado

Sollenium Matten




Nome: Sollenium Matten
Apelido: Sol
Idade: 16 Anos



Pai\Mãe olimpiano ou divino: Mãe Afrodite

País onde nasceu: Estados Unidos da America



Sexo: Masculino
Sexualidade: Gay



Aparência: Cameron Dallas







Personalidade
Eu sou um furacão, por onde passo deixo problemas. Sou imperativo, falante e mandão. Quando as coisas não saem como eu quero eu fica nervoso e começo a chorar. Eu gosto de fazer drama, mas eu não sou um coitadinho, eu apenas me faço de coitadinho, mas quem me conhece de verdade sabe que eu sou um terror. No bom sentido é claro. Eu sou fraco psicologicamente, sempre penso no pior. Não consigo me concentrar por muito tempo em determinada coisa. A parte mais difícil de mim é me controlar em relação a pessoa que eu gosto, sou muito ciumento com o que é meu.



Tipos de Roupa
Usa sempre roupas de marcas, ele está sempre num estilo mais urbanizados, geralmente com moletons estampados, calças jeans rasgadas, e tênis da adidas.




Agasalho-




Familia:

Mãe- Minha mãe sempre esteve comigo nas férias, eles me falavam que ela era uma empresaria de sucesso e que tinha que viajar o mundo para fazer dinheiro. Eu sei que vai parecer estranho o país mais poderoso do mundo, sem uma primeira dama.Mas devido a névoa que acorrentava as lembranças das pessoas isso nunca foi problema, na cabeça das pessoas ela sempre esteve ao lado dos meus pais em todos os debates ate a eleição. Eu e ela nos damos bem, mas não é a mesma coisa como eu e meu pai.

Pai- Meu pai é tudo para mim, ele é meu Heroi. Eu me dou super bem com ele, a unica coisa que eu não contei para ele é que eu sou gay. Ele sempre foi e sempre será meu melhor exemplo de homem,

Irmãos mortais- Sou filho único, gloria a Zeus.

Irmãos meios sangues- A parte mais difícil da convivência foi repartir as coisas, e a distribuição de tarefas, no resto ta ok.




História
Eu sempre soube que eu não era normal. E depois que o meu apartamento foi invadido eu tive certeza. Estava tudo quieto era quinta-feira a noite, estávamos eu e Madleine, jogando conversa fora enquanto olhávamos uma série de fantasia, do nada ouço o alarme de incêndio. Ainda atordoado pelo barulho, sou pego pelo braço por Madleine que mandou eu sair pelo escorregador de roupas sujas, eu insistia para que não, que não era nada demais. Até que um dos meus seguranças segurando uma espada chega a sala de estar e fala o seguinte:
-Senhorita Madleine, eles iam chegar uma hora ou outra, temos que lutar!
-Ok... Eu só tenho que colocar Sol no escorregador de roupas sujas. -Disse ela me levando em direção ao escorregador.
Nesse momento uma enorme águia de ferro invade a sala de estar, cacos de vidros voam para tudo que é lado. Mais seguranças chegam, equipados com armas medievais. Ouço barulho de ferro quebrando todo meu apartamento é nesse momento em que eu me atiro no escorregador. O Cheiro de gás é muito forte, POOW. Uma explosão ocorre no meu apartamento. Eu só penso em duas coisas, eu vou sobreviver mas meu pai vai me matar.
Quando chego lá embaixo Madleine, está a minha espera. Eu não sei como ela foi parar ali em questões de segundos. Eu e ela corremos para o hall de entrada, no meio de todo mundo ela me manda correr até o centro da cidade, no parque. A enorme águia caí, em direção a rua. Mas o resto das pessoas parecem não notar. Continuamos correndo, os olhares das pessoas vendo o filho do presidente correndo feito um condenado nas ruas de Washington se misturam com os de curiosidade e os de espanto.
Ao chegarmos á praça uma helicóptero das Força Aérea Americana está me esperando, entro nele, mal o piloto espera eu colocar o sinto e ele já está decolando. No pórtico da praça percebo vários cachorros de ferros vindo em nossa direção, dentro deles saia fogo. Mas o helicóptero consegue decolar a tempo.
-O que tá acontecendo? - Perguntei eu com a garganta seca, numa mistura de soluços e lagrimas.-Como você conseguiu chegar ao subsolo antes de mim?- Eu estava cheio de perguntas.
-Nós fomos atacados! - Respondeu Madleine que estava com um arco e flecha na mão.
-Terroristas ? - Foi a primeira coisa que me veio a cabeça.
-Não. Coisa pior.- Se intrometeu o piloto que só agora eu percebi que era um fauno.
-São as forças do mal, elas existem, não é só nos livros ou séries. Elas estão aqui prontas para atacar quem precisa, especialmente pessoas como você.- Disse Mad.
- Me atacar só porque sou filho do Presidente ?
-Não... É porque você é um Semideus.- Dizia Mad olhando para o céu, a espera que algo ou alguém nos atacasse.
-Obrigado pelo elogio... sei que sou bonito.. mas não é pra tanto- Disse eu timidamente.
- Não é isso seu idiota!- Disse Mad rindo. -Deuses existem... Zeus...Poseidon... esses tipo de Deuses.
-E você tá dizendo que eu estou sendo atacado por que meu pai é um Deus ?- Perguntei ironicamente.
-Na realidade seu pai é só seu pai, a Deusa na história é sua mãe, ela se chama Afrodite.. A Deusa Afrodite.- Disse ela me encarando.
-E você quer que eu acredite ? Minha mãe se chama Tyffany e ela é dona de uma empresa de avanços tecnológicos e Primeira Dama dos Estados Unidos.- Disse eu contrariando.
-Na realidade a sua mãe que lhe acompanhava nas férias era uma personificação de Afrodite.
O helicóptero perdia altitude, e quando vi estamos em terra. Estávamos em uma base militar, um homem que aparentava ter dois metros de altura veio até nós.
-Senhor Sol?- Disse ele fazendo sinal de sentido.
-Eu mesmo !- Respondi a ele fazendo condolências também.
- O seu pai te espera ali no comando geral. - Disse ele indo em direção a um prédio.
O helicóptero decolou novamente, dentro dele Madleine e o piloto fauno. Sigo o general e quando abro a porta sou surpreendido por um abraço.
Meu pai me apertava forte demais e me dava beijos e mexia em meus cabelos, toda a sala estava computadorizada. E logo ali na frente de um televisor estava uma mulher de costas para gente com um vestido branco que ia até os seus pés e em seus cabelo algo dourado brilhava, a mulher se virou para mim e deu um sorriso. Era minha mãe, eu sabia que era só pelos olhos azuis. Corri abraçar ela. Meu pai nos olhava da porta.
-Então é tudo verdade ?- Perguntei para ela.
-Sim meu filho. Eu sou Afrodite, Deusa do amor, beleza e sexualidade.- Enquanto isso ela fez um sinal e na mesa onde antes existia uma mapa, surgiu leite e biscoitos.
-Mas mãe eu odeio leite!- Falei.
-Ah é mesmo tinha esquecido- Disse ela com enfase na voz.
Logo o leite se transformou em suco de maça verde.
- E agora ? - Meu pai se intrometeu na conversa.
- E agora o que ? Você sabia que esse dia chegaria. Sol vai ir para o acampamento meio sangue que é o lugar mais seguro para ele.- Disse Afrodite se aproximando de meu pai.
Aquele suco de maça verde estava divino, somente depois de ter bebido tudo percebi que estava com meu casaco todo sujo de poeira do escorregador.
-Mas e a escola ? - Continuava meu pai.
-Eu dou um jeito de persuadir as pessoas de lá- Falou ela sorrindo.-Sol...Você será escoltado por seguranças especiais. Os meus seguranças.
Da porta da base militar adentrou uma coruja toda branca, com olhos cor de mel, uma ovelha toda preta, e um lobo com pele acinzentada.
-Animais mãe? Cade as armas cade os homens ? - Enquanto eu falava isso, a Coruja se transformou numa linda mulher, com cabelo preso em uma trança que caia ao seu ombro esquerdo, e olhos castanhos. O lobo se transformou em um homem muito gordo que usava uma armadura toda de ouro e em sua mão uma lança e um escudo. A ovelha se transformou em um sapo e ficou assim por uns dez segundos até que eu cutuco minha mãe.
-Mãe eu tenho pavor de sapos- Disse isso a ela com a boca cheia de biscoitos.
-Oppss eu esqueci de você- Disse ela se agachando e olhando para o sapo. Logo em seguida um garoto ruivo de cabelos cacheados estava acocado no chão.
-ATÉ QUANTO A SENHORA VAI ME TRATAR ASSIM ?- Resmungou ele
A mulher e o homem riram.
-Meu querido... eu lhe trato como eu quero... pois fui eu que lhe criei- Disse minha mãe.
Eu olhava para meu pai sem entender nada.
-Tudo bem, eu vou mandar decolar um helicóptero para eles. - Disse meu pai pegando um telefone.
-Não precisa- Falou o homem gordo, com uma voz tão grossa que parecia uma trovoada.
-É não precisa meu amor...Sol vai montado nele, é o modo mais seguro, não confio nessa tecnologia humana.- Disse minha mãe.
Logo os meus novos seguranças estavam em sua forma animal. Eu subi com receio em cima do lobo. A porta se abriu e quando menos esperei a escuridão da floresta tomou conta do meu olhar. Olhei para trás e gritei.
-E MINHAS ROUPAAAAAAS ?
Em meio a floresta uma arvore brilhou e no tronco da arvore estava escrito. ''Suas roupas estão todas no meu chalé''. Em meio ao galope de um lobo, eu adormeci.
Quando acordei estava de frente a um portão de pedras, a coruja e a ovelha estavam ali. Não sei como uma ovelha conseguiu acompanhar um lobo. Quando desci do lobo ele se transformou de novo em humano.
-É aqui senhor.- Disse ele.
Eu olho para eles com medo, a mulher abre um sorriso e aponta para o portão. Eu chego com receio perto dele e ao passar, um novo mundo se abre aos meus olhos. O Cheiro de fumaça é a coisa com que eu menos tento me preocupar, pois em minha frente estava um homem metade cavalo.
-Me siga que eu vou levá-lo para o seu chalé- Disse ele.
Eu obedeço, enquanto caminhava por toda uma vila dentro da floresta percebo que não estou sozinho a um monte de outro jovens treinando, arco e flecha, luta corpo a corpo entre outras coisas. Mas os olhares das pessoas sobre mim são os mesmo. Desconfiados. Eles sabem de quem eu sou filho.
-É este aqui, disse o homem, boa sorte, daqui a pouco lhe chamaremos para uma reunião- Sorrindo ele galopou para fora de minha visão.
A um monte de outros chalés, mas o meu até que é bonitinho. Quando abro a porta sou recebido por palmas e o hino americano sendo cantado por outras pessoas.
''Oh, diga, você pode ver, pela luz adiantada do alvorecer''- Cantavam eles.
Eu queria morrer.
Uma menina que não se apresentou me levava em direção a sala de estar, ali no canto estavam todas as minhas malas.
''E os foguetes `clarão vermelho, as bombas que estouram no ar''
Fico sentado esperando eles acabar o hino. Enquanto aquilo não acabava eu reparei em quase todos, mas um menino em especial me chamou a atenção.
''Então conquiste nós devemos, quando nossa causa é justo
E este é nosso lema: "Em Deus está nossa confiança"
Quando finalmente o hino acabou, sou atingido por uma bola de tinta que sujou ainda mais o meu casco.
-ESSE CASACO É MARC JACOBS!!!!!!- Gritei furioso.
Um grupo de meninos riu, mas o grito foi o estopim para eu ser recebido por mais bolas de tintas magicas.
-SEJA BEM VINDO!!!!- Gritavam ele enquanto tacavam bolas em mim.
Enquanto tentava me defender o garoto que eu achei super atraente gritou:
-É assim que damos as boas vindas aqui!
E foi assim que o meu primeiro dia no acampamento meio sangue pareceu uma eternidade.



Par: Como ele é gay eu não vou escolher ninguém, você escolhe miga.



Arma: Machado de Combate//Um machado prateado com tons rosas com uma grande lâmina afiada, muito resistente, porém preciso à qualquer combate corporal, sua lâmina dá uma vantagem defensiva.

Arco e flecha// Um arco e flecha, todo detalhado em ouro com algumas jades encravejada, para decorar. Bem gay. Flechas dos Sentimentos- Uma aljava com flechas de dois tipos distintos: Flechas com pontas de chumbo que, ao acertarem o alvo, fazem com que ele sinta de uma leve raiva até um ódio extremo, e flechas com pontas de prata, que fazem o alvo se apaixonar por outra pessoa, mesmo que este amor não seja verdadeiro.

Manto ocultista:Manto com textura negra, marcado com detalhes descritos em rubro e prata; concede ao usuário o dom de ocultismo temporário e torna seus movimentos silenciosos, imperceptíveis à não ser que o ouvinte tenha algum dos sentidos aguçados. Os efeitos só são furtivos caso quem o traje esteja abaixo de uma sombra, uma vez que esse artefato não concede a invisibilidade.



Habilidades: É persuasivo, consegue persuadir muito bem as pessoas. Tem ótimos reflexos. Consegue facilmente seduzir qualquer garoto/garota. É um ótimo escalador, escala com perfeição tanto montanhas quanto arvores. Sabe dançar muito bem.



Poderes:
Sedução//Consegue despertar os desejos mais quentes nas pessoas somente com o olhar.
Máscara da Inveja//Consegue transformar-se perfeitamente me qualquer pessoa que ele conheça.
Beleza Intocável//Ele pode apanhar apanhar, mas nunca ficara com cicatrizes, sua beleza continuara a mesma. Mas ele sangra e sente dores, normais de quem tivesse apanhado pra caralho



Gostos
Viajar- Conhecer lugares e culturas é sempre bom.
Ler- Eu leio de tudo, desde livros de literatura a livros de receita.
Escrever- Eu escrevo Fanfics de one direction e também poemas.
Cantar- Eu demoro muito tempo no banho devido ao meu querido publico de shampoos e condicionadores que estão no meu banheiro, onde eu faço mini shows.
Dançar- Durante os meus show no banheiro eles também precisam de mínis coreografias., Comer- Eu passo comendo, quando eu to triste eu como, quando estou feliz eu como, quando to pensativo eu como.
Malhar- Quando eu não to fazendo anda de interessante eu vou para academia junto com Mad, lá eu e ela fazemos o mesmo numero de seçoes e usamos os mesmos aparelhos por que somos bff
Gastar dinheiro- Nessa parte eu sou profissional, eu amo roupas de marcas Calvin Klein, Marc Jacobs, Adidas, Ballmain, Bulgari, Dolce & Gabbana entre outras. Eu gasto muito dinheiro com comida



Desgostos
Eu odeio quando tem transito no trajeto da escola para meu apartamento.
Eu odeio o lanche de segunda feira da escola.
Eu odeio minha professora de Frances.
Eu odeio ser tratado especialmente só por que sou filho do Presidente.
Eu odeio quando estou viajando e chego em um hotel e a secretaria do meu pai não reservou um quarto para mim.
Eu odeio mosquitos



Defeitos: Eu quero tudo do meu jeito, mesmo eu não fazendo nada para que isso de certo, e quando não fica do meu jeito, eu tenho crises de histeria, mas que logo passam, faz tempo que não tenho essas crises, eu também gosto de opinar onde eu não sou chamado. Eu não preciso ser chamado, eu sou filho do Presidente.



Manias: Eu não consigo falar, eu sempre estou gritando pelos cantos, é força do habito não é intencional. Eu vivo dando ordens, o ''poder'' me subiu a cabeça, eu acho que sou assim por que fui muito mimado. Eu falo sozinho também.



Medos/Fobias: Eu tenho medo de sapos, porque um dia eu tava deitado no quintal da minha casa, e um sapo pulou na minha boca, foi uma das coisas mais horríveis do mundo, aquela coisa gosmenta e gelada na minha boca, desde então eu nunca mais quis saber de sapo perto da minha boca. [/color]



Traumas: Sim, praias. Quando era criança, estava na casa de praia de meus avos, eu corri para praia a frente de todos, era primeira vez que eu via o mar, eu peguei e me atirei nele, eu não sabia o que era onda, elas me puxaram para dentro do mar,eu só sei que eu não conseguia voltar para areia, foi agonizante, eu quase morri mas meu pai me salvou. Foi a primeira e ultima vez que eu tomei banho de mar.



Doença:Ele tem dislexia, e imperatividade.







Gostou da Jornal? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...